Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Ciclo hidrológico
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Ciclo hidrológico

  • 1,303 views
Published

Trabalho de GEologia: Ciclo Hidrológico

Trabalho de GEologia: Ciclo Hidrológico

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,303
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
94
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Disciplina: Geologia / Turma: 1º Período / Prof. EdiléaTema: Ciclo Hidrológico e Águas Subterrâneas 1
  • 2. Bernard Palissy(1510 - 1590) 2
  • 3. COMO SURGIU APRIMEIRA GOTA DE ÁGUA? 3
  • 4. O volume de água queatualmente compõe a atmosferafoi gerado gradativamente aolongo do tempo geológico ousurgiu repentinamente numcerto momento desta história? 4
  • 5. O Ciclo da ÁguaA água é a substância mais reciclável na naturezae faz parte essencial de todas as formas de vidados reinos vegetal e animal, encontrando-se portoda a parte na crosta terrestre e na atmosfera. 5
  • 6. 6
  • 7. O Ciclo da Água - Sistema pelo qual a natureza faz a águacircular do oceano para a atmosfera e daí para os continentes,de onde retornam, superficialmente e subterraneamente, aooceano. 7
  • 8. Este movimento permanente deve-se ao Sol, que fornece a energia para elevar a água da superfície terrestre para a atmosfera (evaporação),e à gravidade, que faz com que a água condensada caia (precipitação) e que, uma vez na superfície, circule através de linhas de água que sereúnem em rios até atingir os oceanos e lagos (escoamento superficial)ou se infiltrem nos solos e nas rochas, através dos seus poros, fissuras e fraturas (escoamento subterrâneo). 8
  • 9. A água que se infiltra no solo está sujeita a evaporação direta para a atmosfera e é absorvida pela vegetação, que através da transpiração, a devolve à atmosfera. Este processo é denominado evapotranspiração. 9
  • 10. A água que continua a infiltrar-se e atinge a zona saturada, entra nacirculação subterrânea e contribui para um aumento da água armazenada (recarga dos aqüíferos). 10
  • 11. Aqüífero: refere-se a água subterrânea. Um aqüífero é umaunidade geológica que contém água e é formado por rochasporosas e permeáveis sobre uma camadaimpermeável, que são capazes de reter a água e de cedê-la. 11
  • 12. Na zona saturada (aquífero), os poros ou fraturas das formaçõesrochosas estão completamente preenchidos por água (saturados). Otopo da zona saturada corresponde ao nível freático. No entanto, a águasubterrânea pode ressurgir à superfície (nascentes) e alimentar aslinhas de água ou ser descarregada diretamente no oceano. 12
  • 13. A quantidade de água e a velocidade com que elacircula nas diferentes fases do ciclo hidrológicosão influenciadas por diversos fatores como, porexemplo, a cobertura vegetal, altitude, topografia,temperatura, tipo de solo e geologia. 13
  • 14. COMPONENTES DO CICLO HIDROLÓGICO (passo a passo)EvaporaçãoPrecipitaçãoInterceptaçãoInfiltraçãoEscoamento subterrâneoEscoamento superficial 14
  • 15. EvaporaçãoA evaporação é a passagem da fase líquida para a gasosa, que ocorrelentamente na superfície dos líquidos; particularmente, denota oprocesso cíclico de ascensão das massas dágua sob a forma devapor. Constitui uma parte importante da mudança de energia dentrodo sistema Terra- atmosfera, responsável pelos movimentosatmosféricos e, conseqüentemente, pela formação de nuvens dechuva. 15
  • 16. A rapidez com que a água evapora depende de vários fatores:ÁREA - Um prato cheio de água evaporará mais depressa do que um copo de água com amesma quantidade, porque a água no prato tem maior superfície pela qual as moléculaspodem escapar.TEMPERATURA - Um aumento de temperatura faz as moléculas se moverem maisdepressa. Portanto elas têm maior energia e podem, assim, passar mais facilmente pelacamada superficial e escapar.PRESSÃO DO AR - As moléculas de água que atravessam a camada superficial podemchocar-se com moléculas do ar e recuar para o líquido. O ar atua como uma cobertura que seopõe à evaporação. A rapidez de evaporação diminui quando a pressão atmosférica aumenta.UMIDADE - Quando a água num recipiente fechado não o enche completamente, o vapor seacumula no espaço sobre o líquido. A rapidez de evaporação diminui quando a umidadeaumenta.VENTO - Num dia de ar parado a água evaporada de uma roupa molhada fica perto daroupa, aumentando a umidade relativa e impedindo a evaporação. O vento leva para longeesse vapor de modo que a roupa seca mais depressa. 16
  • 17. PrecipitaçãoÉ o elemento alimentador da faseterrestre do ciclo hidrológico.A precipitação é a queda de água noestado líquido (chuva) ou sólido (nevee granizo). Resulta da condensaçãodo vapor de água que existe naatmosfera. 17
  • 18. Formação das Precipitações• De acordo com os agentes que lhe dão origem, as precipitações podem ser agrupadas em três tipos: – Orográfica – Ciclônica ou frontal – Convectiva 18
  • 19. Precipitação Orográfica1. Ventos predominantes 2. Quando o ar úmidotransportam o ar quente encontra as encostas dassobre os oceanos, onde montanhas, ele 3…resulta em chuvas ele ganha umidade na ascende, esfria e 4. Quando a massa de ar passa frontais ao vento, na forma de vapor d´água condensa-se, precipitando sobre as montanhas, o ar frio- encosta chuva e neve. agora com umidade reduzida, se aquece. 19
  • 20. Precipitação Ciclônica ou Frontal 20
  • 21. Precipitação Convectiva 21
  • 22. Interceptação vegetalA interceptação é a retenção departe da precipitação acima dasuperfície do solo.Refere-se à coleta de chuva sobre asuperfície das plantas. 22
  • 23. Os fatores que mais influenciam na quantidade de água interceptada são:• Tipo de vegetação• Densidade da vegetação• Estágio de crescimento• Estação do ano 23
  • 24. Evaporação ou VaporizaçãoProcesso pelo qual as moléculasde água na superfície líquida ouna umidade do solo, adquiremsuficiente energia, através daradiação solar e passam doestado líquido para o de vapor. 24
  • 25. InfiltraçãoRefere-se a entrada de água pelasuperfície do solo.Os fatores que afetam a infiltraçãoda água no solo são:Tipo de soloCrosta superficialDuração e intensidade da chuva 25
  • 26. Escoamento subterrâneoÉ a parte da precipitação quese infiltra no solo e percorreno subsolo da terra. Podeformar grandes reservatóriosde água subterrânea, emergirna superfície através dasnascentes ou escoar pelosubsolo até os oceanos. 26
  • 27. Escoamento superficialou Run-offÉ a parte da precipitação queescorre sobre a terra. Eleocorre quando a capacidadede infiltração da superfície dosolo é excedida e nãoconsegue mais absorverágua. Fatores como chuvastorrenciais,vegetaçãoescassa, declividadeacentuada eimpermeabilidade do soloaumentam o escoamentosuperficial. 27
  • 28. Observações• OBS 1 : Evaporação é causada pela radiação solar e vento;• OBS2: Transpiração depende da vegetação;• OBS 3: A evapotranspiração em áreas florestadas de clima quente e úmido devolve à atmosfera até 70% da precipitação;• OBS 4: Em ambientes glaciais o retorno da água para a atmosfera ocorre pela sublimação (estado sólido para gasoso (vento)). 28
  • 29. O Ciclo da Água 29
  • 30. Água Subterrânea:como a água fluiatravés do solo e darocha? 30
  • 31. PorosidadeÉ a percentagem de espaços vazios numa rocha ousedimento. Depende da forma dos grãos e do graude empacotamento.A porosidade é maior nos sedimento e em rochassedimentares (10-40%) do que em Igneas eMetamórficas (1-2%). 31
  • 32. PermeabilidadePropriedade de um material transmitir apassagem de um fluído entre os poros.Também depende da forma dos grãos e docontato entre os poros. 32
  • 33. AquíferoConstitui uma unidade geológica quearmazena e transmite água em quantidadessuficientes para o abastecimento. 33
  • 34. Porosidade varia com-% Cimento-Seleção-Fraturamento 34
  • 35. Porosidade Varia com % Cimento 35
  • 36. Porosidade varia com a Seleção 36
  • 37. Porosidade varia com o Fraturamento Figure 13.7 37
  • 38. Tipos de Aquíferos• Não confinados: água percola através das camadas permeávies, mais ou menos uniformes, e extendem-se até a superfície, tanto em áreas de recarga (infiltração), como em descarga (saída de água).• Confinados: são aqueles situados entre duas camadas de baixa permeabilidade (aqüicludes), evitando que a água da chuva infiltra-se diretamente. Exemplo: Uma camada de arenito entre duas de folhelho. 38
  • 39. Aquífero não Confinado H2O Ar Zona Insaturada: Pores com H2O e ar Groundwater Table Zona Saturada: Poros preenchidos com H2O 39
  • 40. Aquífero Confinado: está situado entre dois aqüicludesAquíferoconfinado Poço artesiano: diferença natural na pressão entre altura do nível freático na área de recarga. Sup. Nível freático freática suspenso Diferença de pressão 40
  • 41. Aquíferos Porosos 41
  • 42. Aquíferos Fraturados 42
  • 43. Nível Freático Suspenso Lente impermeável: folhelho 43
  • 44. 44
  • 45. Colapso de uma caverna 45 Flórida, EUA
  • 46. Interação entre Águas Superficiais e Aquíferos Depende da condição fisiográfica e climática da região 46
  • 47. Interação: Geysers 47
  • 48. Água entra por infiltração Sistemas Hidrotermais Fontes quentes Geysers: água fervente por pressão em zonas de erupção Água se aqueceperto de magmas 48
  • 49. Discentes: Antônio SilvaKlinsman Lima Luis BragaRonald Bruno 49