Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Treinamento de força gestantes
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Treinamento de força gestantes

  • 10,258 views
Published

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
10,258
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
309
Comments
1
Likes
5

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Treinamento de força gestantes
    Prof. Dr. Luis Paulo Mascarenhas
  • 2. Gravidez e lactação
    A gravidez completa tem uma necessidade de cerca 80.000 calorias.
    Ou cerca de 300 calorias dia para um crescimento fetal adequado.
    Calcula-se que a lactação aumente as necessidades energéticas em cerca de 500 calorias dia
  • 3. IMC e gestação
  • 4. Alterações fisiológicas na gestação
    Um aumento no sangue volume, freqüência cardíaca e volume de ejeção, no débito cardíaco e uma diminuição na resistencia vascular sistêmica.
    O débito cardíaco é 30 - 50% maior do que antes da gravidez.
    O volume de ejeção aumenta 10% no primeiro trimestre, seguido por 20% aumento na FC.
    A média da pressão arterial diminui 5-10 mm Hg em meados do segundo trimestre e, em seguida, aumenta gradualmente de volta à níveis pré-gravidez.
  • 5. Alterações fisiológicas na gestação
    A diminuição da pressão arterial média é o resultado de maior vascularização uterina, útero-placentária circulação, e a diminuição da resistência vascular especialmente na pele e rins.
    Ventilação minuto aumenta em quase 50%.
    aumento do oxigênio arterial tensão de 106-108 mm Hg no primeiro trimestre, diminuindo para uma média de 101-106 mm Hg no terceiro trimestre,
  • 6. Alterações fisiológicas na gestação
    Aumento no consumo de oxigênio de 10-20%.
    Dificuldade na dissipação de calor.
    Em mulheres não grávidas o exercício por 30 minutos eleva a temperatura corporal em 1,5 ° C.
    Estudos apontam que um aumento na temperatura em mais de 1,5 ° C durante a embriogênese foi observou-se maior insidencia demalformações congênitas.
  • 7. Resposta fetal ao exercício
    A principal questão que permanece er respondida é se a redistribuição seletiva do fluxo sanguíneo durante regulares ou exercício prolongado durante a gravidez interfere com o transporte transplacentária de oxigênio, dióxido de carbono e nutrientes?
    A respostas indireta é que não.
  • 8. Resposta fetal ao exercício
    A maioria dos estudos mostram uma mínima ou moderado aumento da freqüência cardíaca fetal em 10-30 bpm durante ou após exercício materno.
    Fetal desacelerações cardíacas e bradicardia foram relatado com uma freqüência de 8,9%.
    Peso ao nascer não é afetados pelo exercício em mulheres que tenha uma ingestão calorica adequada.
  • 9. Contra indicação absoluta do exercício
    Doença miocárdica descompensada
    Insuficiência cardíaca congestiva
    Tromboflebite
    Embolia pulmonar recente
    Doença infecciosa aguda
    Risco de parto prematuro
    Sangramento uterino
    Imunização grave
    Doença hipertensiva descompensada
    Suspeita de estresse fetal
    Paciente sem acompanhamento pré-natal
    LIMA, (2005)
  • 10. Contra indicação relativas do exercício
    Hipertensão essencial
    Anemia
    Doenças tireoidianas
    Diabetes mellitus descompensado
    Obesidade mórbida, extremo baixo peso (IMC>12)
    Histórico de sedentarismo extremo
    Fumantes
    LIMA, (2005)
  • 11. Recomendações exercícios em grávidas
    Grávidas já ativas, manter os exercícios aeróbios
    Intensidade moderada durante a gravidez;
    Evitar treinos em freqüência cardíaca acima de 140 bpm.
    Exercitar-se três a quatro vezes por semana por 20 a 30 minutos.
    Em atletas é possível exercitar-se em intensidade mais alta com segurança;
    LIMA, (2005)
  • 12. Recomendações exercícios em grávidas
    Exercícios resistidos também devem ser moderados.
    Evitar as contrações isométricas máximas;
    Evitar exercícios na posição supina;
    Evitar exercícios em ambientes quentes e piscinas muito aquecidas;
    Desde que se consuma uma quantidade adequada de calorias, exercício e amamentação são compatíveis;
  • 13.
  • 14. Atletas competitivas
    As preocupações do atleta, grávida competitivase dividem em duas categorias gerais:
    Efeitos da gravidez na capacidade competitiva
    Efeitos do treinamento intenso e da concorrência sobre a gravidez, especialmenteo feto.
    Cuidados com a hidratação adequada durante eentre as sessões de exercício.
    Provável que ganho de peso será menor para a mãee para o feto do que para mulheres sedentárias. Este menor peso ao nascer tem sido atribuída a diminuição da massa gorda neonatal.
  • 15. Recomendações exercícios em grávidas
    Interromper imediatamente a prática esportiva se surgirem sintomas como:
    dor abdominal,
    cólicas,
    sangramento vaginal,
    tontura,
    náusea ou vômito,
    palpitações
    distúrbios visuais;
  • 16. Atividade não recomendadas a gestantes
    a) qualquer atividade competitiva, artes marciais ou levantamento de peso;
    b) exercícios com movimentos repentinos ou de saltos, que podem levar a lesão articular;
    c) flexão ou extensão profunda deve ser evitada pois os tecidos conjuntivos já apresentam frouxidão; exercícios exaustivos e/ou que necessitam de equilíbrio principalmente no terceiro trimestre;
    d) basquetebol e qualquer outro tipo de jogo com bolas que possam causar trauma abdominal;
    BATISTA, 2003
  • 17. Atividade não recomendadas a gestantes
    e) pratica de mergulho (condições hiperbáricas levam a risco de embolia fetal quando ocorre a descompressão;
    f) qualquer tipo de ginástica aeróbica, corrida ou atividades em elevada altitude são contra-indicadas ou, excepcionalmente aceitas com limitações, dependendo das condições físicas da gestante;
    g) exercícios na posição supino após o terceiro trimestre podem resultar em obstrução do retorno venoso.
    BATISTA, 2003
  • 18.
  • 19. Amostra 72 gestantes e 70 controles.
    Protocolo de treinamento: 1 serie de 10-12 repetições. Exercício de braços e pernas com caneleiras.
    Evitados os exercícios: envolvem alongamento extremo, movimentos balísticos, saltos.
  • 20. Conclusões: gravidas saudável de gestação única podem realizar com segurança um programa de exercício moderado e supervisionado até o final do gestação, não afetando a idade gestacional.
  • 21. População: obstetras americanos de 33 cidades. Foram mandados 300 questionários a respeito da indicação a prática de exercício físico durante a gravidez e apenas 83 voltaram.
    Protocolo: 1 = nunca; 7 = sempre.
  • 22.
  • 23.
  • 24. Obstetras podem ajudar a aumentar as taxas de atividade física entre mulheres grávidas.
    Alguns obstetras seguem as diretrizes atuais ACOG e rotineiramente recomendam exercícios aeróbicos​​, uma percentagem significativa não o fazem.
    Programa de exercícios durante a gravidez, manifestam baixo risco e alta probabilidade de benefícios de saúde, incluindo possivelmente uma diminuição do risco de diabetes gestacional e pré-eclâmpsia.