A Bicicleta e a Mobilidade Urbana Sustentável na cidade de Santos - Brasil

  • 552 views
Uploaded on

A contribuição da bicicleta para uma mobilidade urbana sustentável na cidade de Santos, em São Paulo. Exemplos internacionais, infraestrutura local e diagnósticos de acidentes.

A contribuição da bicicleta para uma mobilidade urbana sustentável na cidade de Santos, em São Paulo. Exemplos internacionais, infraestrutura local e diagnósticos de acidentes.

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
552
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
26
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA INSTITUTO DE GEOGRAFIA CURSO DE GEOGRAFIA FELIPE REGUES ARANTES A BICICLETA NA CONTRIBUIÇÃO DA MOBILIDADE SUSTENTÁVEL: ANÁLISE DO PERFIL DO CICLISTA E SEU DESLOCAMENTO NO SISTEMA CICLOVIÁRIO DE SANTOS, SP. UBERLÂNDIA 2013
  • 2. Esta monografia mostrará a importância da bicicleta como um meio de transporte viável, capaz de interagir eficientemente com todas as outros modais. Com destaque para o sistema de transporte cicloviário de Santos - SP na promoção da cidade saudável e com mobilidade urbana sustentável. Foto: ARANTES, 2010
  • 3. Foto: ARANTES, 2011
  • 4. Em várias cidades por todo o mundo, têm sido adotadas diversas medidas de incentivo aos meios não motorizados de transporte. Passeios públicos Foto: ARANTES, 2010 Transporte coletivo Mobilidade Sustentável Bicicletas Foto: ARANTES, 2012 Acessibilidade Foto: ARANTES, 2011 Foto: ARANTES, 2011
  • 5. Entretanto, podemos identificar vertentes que promovem um estilo de vida cada vez mais individualizado, ao priorizarem o uso dos transportes particulares restringindo, gradualmente, o convívio social. Foto: ARANTES, 2012 Foto: ARANTES, 2012
  • 6. Nosso país apresenta um processo de planejamento de transportes, orientado ao longo de várias décadas, essencialmente centrado no transporte individual. O uso do automóvel, outrora visto como um sinal de desenvolvimento encontra-se também associado à externalidades negativas:  Emissão de poluentes;  Acidentes de trânsito;  Ruídos;  Congestionamentos;  Ocupação no espaço urbano;  Etc... Foto: ARANTES, 2013
  • 7. Entretanto, estes fatores não têm ajudado a diminuir o uso do automóvel nas cidades. A maioria dos investimentos aplicados para a circulação nas cidades tem o automóvel como prioridade. Imagem da Av. Rondon Pacheco – Uberlândia, 2012.  Incentivos fiscais; . Alargamento de vias;   Viadutos,  Túneis;  Estacionamentos;  Vias expressas.  Transporte público de má qualidade;  Alto “status” conferido aos proprietários;  “Marketing” das montadoras, concessionárias e distribuidoras; Foto: ARANTES, 2012
  • 8. Consequentemente, a necessidade de fluidez provoca o aumento da capacidade das vias, estimulando o uso do carro e alimentando um ciclo vicioso que degrada intensamente espaço público, polui e gera acidentes. + VIAS CONGESTIONAMENTOS + CARROS
  • 9. Progressivamente, diversas cidades ao por todo o mundo vêm reconquistando seus espaços urbanos com a implantação de ciclovias, de melhores calçadas e reduzindo as áreas ocupadas por estacionamentos, a fim de que estes voltem a ser habitáveis ou possam acolher atividades que sejam vivenciadas pelas pessoas Foto: ARANTES, 2011
  • 10. Processo de mudanças em seus espaços viários para o uso da bicicleta, criando infraestruturas apropriadas, com redes de ciclovias, sinalização adequada, sistemas de aluguel de bicicletas a baixo custo e bicicletários. As estações de trem ou terminais de ônibus são equipadas com estacionamentos para bicicletas, que funcionam como alimentadoras desses sistemas de transporte. Foto: ARANTES, 2010 Foto: ARANTES, 2010
  • 11. Cidades para as pessoas Foto: ARANTES, 2012 Foto: ARANTES, 2012
  • 12. PROBLEMÁTICA No município de Santos, litoral de São Paulo, a prefeitura municipal tem se esforçado para incentivar o uso da bicicleta como modo de transporte sustentável. Entretanto, a prioridade aos automóveis ainda causa alguns problemas que interferem diretamente no deslocamento dos usuários deste modal. Alguns dos principais problemas dos usuários de bicicleta são:  Falta de local para estacionar a bicicleta;  Má pavimentação da ciclovia;  Insegurança no trânsito;  Conflito com veículos motorizados.
  • 13. Região Metropolitana da Baixada Santista e o município de Santos. Fonte: Instituto Geográfico e Cartográfico do Estado de São Paulo, 2007. Adaptado: ARANTES, F.R, 2013.
  • 14. Características gerais do município  419.400 habitantes IBGE (2010);  Atividades portuárias;  Turismo;  Topografia quase plana e clima tropical chuvoso Imagem da cidade de Santos – 2013. Foto: ARANTES, 2013
  • 15. O tráfego de veículos é intenso nas principais vias da cidade, problema este que se agrava sensivelmente nos horários de pico e, principalmente, durante a temporada de verão, época em que se somam a este, uma enorme frota de veículos dos milhares de turistas que se dirigem ao litoral para aproveitar as praias e outras opções de lazer da cidade e região. Além disso, as fortes chuvas que também causam congestionamentos por conta dos alagamentos nas vias da cidade. Foto: ARANTES, 2013
  • 16. Proposta de malha cicloviária de Santos para 2012. Fonte: Plano cicloviário metropolitano. Governo do Estado de São Paulo, 2006.
  • 17. OBJETIVOS GERAIS 1. Explorar o uso da bicicleta como ferramenta de estratégia ambiental para a promoção de cidades com mobilidade urbana sustentável; 2. Panorama do sistema de transporte cicloviário de Santos – SP.. OBJETIVOS ESPECÍFICOS 1. A incorporação da bicicleta como transporte fundamental para a sustentabilidade; 2. Caracterizar o sistema cicloviário de Santos; 3. Traçar o perfil do ciclista e condições de deslocamento, e sua percepção frente às ciclovias; 4. Analisar a evolução dos acidentes de trânsito envolvendo ciclistas no município de Santos – SP, no período de 2005 a 2011.
  • 18. JUSTIFICATIVA Necessidade de adotarmos em nossas cidades sistemas de transportes sustentáveis diante da atual degradação urbana e ambiental que é resultado do atual padrão de mobilidade centrado no automóvel, cujos efeitos negativos são distribuídos por toda a sociedade. Através dessa pesquisa algumas medidas e intervenções poderão servir ao poder público e ao órgão de trânsito local para solucionar ou minimizar os problemas enfrentados pelos usuários de bicicleta como transporte em seu cotidiano.
  • 19. METODOLOGIA 1. Levantamento e leituras de um referencial teórico relacionado à mobilidade urbana sustentável, a utilização da bicicleta, transporte sustentável e acidentes de trânsito; 2. Pesquisa de campo levantamento fotográfico e aplicação de uma pesquisa de opinião com ciclistas para traçar o perfil do usuário, o perfil de seu deslocamento e compreender sua percepção sobre o sistema cicloviário; 3. Entrevistas e dados concedidos pela CET-Santos, foi realizado um levantamento dos acidentes de trânsito envolvendo ciclistas no município de Santos - SP no período de 2005 a 2011.
  • 20. Malha cicloviária executada, em obras e futuros projetos e os polos de atração de ciclistas na cidade de Santos em 2012. Fonte: PRODESAN, 2012. Elaboração: ARANTES, F.R, 2013.
  • 21. Ciclovia da orla da praia de Santos interligada com São Vicente e Guarujá. Fonte: Google Earth, 2013. Adaptado: ARANTES, F.R, 2013.
  • 22. Gráfico 1 – Volume diário de travessia de veículos motorizados, pedestres e bicicletas nas balsas Santos / Guarujá – 2012. MÉDIAS DIÁRIAS DE TRAVESSIAS SANTOS / GUARUJÁ - 2012. Veículos Pedestres 12,442 Bicicletas 27,153 15,892 Fonte: DERSA S/A, 2012. Elaboração: ARANTES, F.R, 2013.
  • 23. Transporte intermodal com ciclistas. Travessia de balsa Santos /Guarujá, 2013. Foto: ARANTES, 2013
  • 24. Ciclistas compartilham o espaço com automóveis na travessia de balsa Santos /Guarujá, 2013. Foto: ARANTES, 2013
  • 25. Bicicletas públicas em Santos, 2013. Foto: ARANTES, 2013
  • 26. Imagem da localização das estações de bicicletas públicas de Santos, 2013. Fonte: site Bike Santos, 2012.
  • 27. Ciclovia interligada até a balsa. Foto: ARANTES, F. R, 2013. Paraciclos em Santos/SP Ciclovia em Santos Foto: ARANTES, F. R, 2013. Estação de bicicletas públicas.
  • 28. CICLISTAS EM SANTOS: PERFIL E CONDIÇÕES DE DESLOCAMENTO A Pesquisa de opinião com os ciclistas usuários das ciclovias de Santos foi realizado por considerarmos que a pesquisa de campo é de fundamental importância para a análise dos dados, permitindo comparações e o entendimento de determinados fatores, causas e consequências
  • 29. Metodologia da pesquisa de campo Realizada nos dias 27, 28 de dezembro de 2012 e 07 de janeiro de 2013 a pesquisa de campo utilizou-se de pesquisa de opinião, cuja estruturação foi dividida em três partes para definirmos: o perfil do ciclista; o perfil do deslocamento e a percepção do ciclista frente a ciclovia. 1) Amostragem de 1% do total dos ciclistas - referência 9 mil ciclistas em circulação (CET-Santos, 2012); 2) Apenas 83 respostas, uma vez que, 7 entrevistas foram desconsideradas por estarem incompletas; 3) Local de aplicação do questionário foi delimitado à dois pontos onde ocorrem o encontro de três importantes ciclovias cortam a toda a cidade; 4) Horário da aplicação da pesquisa foi das 8:00h às 12:00h e das 14:00h às 20:00h.;
  • 30. Metodologia da pesquisa de campo 5) As condições climáticas foram favoráveis e não interferiram na aplicação dos questionários. A segunda parte engloba a tabulação do resultado dos questionários aplicados, que, agrupando os dados foi possível facilitar a leitura com a elaboração de gráficos. Além disso, foi feito registros fotográficos das ciclovias.
  • 31. Resultado da pesquisa de campo A caracterização do usuário da bicicleta pesquisado em Santos é do ciclista masculino (62%) - mulheres (37%), com idade média de 21 a 30 anos e cujo nível de instrução é ensino médio completo (36%) na função de auxiliar administrativo. Foto: ARANTES, 2013
  • 32. Quanto ao seu perfil de deslocamento, o motivo da escolha do modal é o tempo de deslocamento e usa a bicicleta para lazer e trabalho diariamente durante o trajeto casa – lazer, casa trabalho, com tempo médio de deslocamento de 30 minutos (85%). Foto: ARANTES, 2013
  • 33. Tabela 1 - Problemas no percurso do ciclista em Santos, 2013. Problemas / Intensidade Muito intenso Intenso Pouco intenso Falta de estacionamento 60 16 7 Má pavimentação e drenagem 49 21 12 Insegurança no trânsito 49 19 14 Conflito com veículos motorizados 45 29 9 Conflito com pedestres 36 24 17 Poluição 31 20 32 Distância 0 19 64 Topografia 0 19 64 Fonte: Pesquisa de opinião, 2013. Elaboração: ARANTES, F.R, 2013.
  • 34. Falta de estacionamento: Foto: ARANTES, 2013
  • 35. Falta de estacionamento: Foto: ARANTES, 2013
  • 36. Falta de estacionamento: Foto: ARANTES, 2013
  • 37. Falta de estacionamento: Foto: ARANTES, 2013
  • 38. Falta de estacionamento: Foto: ARANTES, 2013
  • 39. Má adequação de infraestrutura de pavimentação e drenagem: Foto: ARANTES, 2013 Foto: ARANTES, 2013
  • 40. Má adequação de infraestrutura de pavimentação e drenagem: Foto: ARANTES, 2013 Foto: ARANTES, 2013
  • 41. Insegurança no trânsito: Foto: ARANTES, 2013 Foto: ARANTES, 2013 Foto: ARANTES, 2013
  • 42. Conflito com veículos motorizados: A análise dos acidentes de trânsito envolvendo ciclista a seguir identifica e fortalece as relações entre o deslocamento e condições de segurança e conforto do ciclista no sistema cicloviário de Santos. Foto: ARANTES, 2013
  • 43. Conflito com pedestres: Foto: ARANTES, 2013
  • 44. A análise dos acidentes de trânsito envolvendo ciclista O ciclista, quando sem faixa exclusiva para circular, é obrigado a disputar espaço em meio ao trânsito, ficando exposto e, portanto, numa posição bastante vulnerável em relação ao tráfego de veículos motorizados, potencializando os riscos de acidentes de trânsito envolvendo os ciclistas. Foto: ARANTES, 2013
  • 45. Gráfico 1 - Evolução dos acidentes de trânsito envolvendo ciclistas em Santos, entre 2005 e 2011. Acidentes de trânsito com ciclistas em Santos entre 2005 à 2011 600 541 482 500 481 Nº de acidentes 443 370 400 399 300 341 200 100 0 2005 2006 2007 2008 2009 Ano nº de acidentes/ano Fonte: CET-Santos, 2012. Elaboração: ARANTES, F.R, 2013. 2010 2011
  • 46. Gráfico 3 - Evolução da malha cicloviária na cidade de Santos, entre 2005 e 2011. Evolução da malha cicloviária em Santos 27,400 21,000 20,970 Metros da ciclovia 19,870 14,970 14,320 13,720 2005 2006 2007 2008 2009 Ano Evolução da ampliação da malha cicloviária na cidade de Santos Fonte: CET-Santos, 2012. Elaboração: ARANTES, F.R, 2013. 2010 2011
  • 47. Gráfico 27: Relação da evolução dos acidentes de trânsito com ciclistas com a malha cicloviária em Santos 2005 – 2011. Evolução da malha cicloviária e acidentes de trânsito com ciclistas em Santos 2005 - 2011 25,000 400 20,000 300 15,000 200 10,000 100 5,000 0 0 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Ano Acidentes de trânsito com ciclistas Evolução da malha cicloviária Fonte: CET-Santos, 2012. Elaboração: ARANTES, F.R, 2013. 2011 Metros de ciclovia 30,000 500 Nº de acidentes 600
  • 48. Talvez se possa levantar como hipótese que a diminuição dos acidentes esteja relacionada ao aumento da malha cicloviária na cidade, o que deixa o ciclista menos vulnerável no trânsito urbano. Foto: ARANTES, 2012 Fonte: Tenho queda para bicicleta, 2013
  • 49. CONSIDERAÇÕES FINAIS Como apresentado nas discussões da monografia, nas últimas décadas no Brasil, os problemas ambientais urbanos têm se intensificado e dessa maneira projetos que venham reverter ou minimizar essas externalidades negativas vêm sendo realizados visando à melhoria da qualidade de vida nas cidades. O estudo apresentou que o uso da bicicleta como meio de transporte gera inúmeros benefícios que podem ser pessoais, sociais e econômicos, elevando a qualidade ambiental e da população da cidade.
  • 50. Cidade de de Santos:  Grande potencial para o uso da bicicleta nas vias urbanas;  A malha cicloviária e o sistema de bicicletas públicas criam condições de circulação dos ciclistas.  Verifica-se uma redução dos acidentes no período de 2005 a 2011.  A revisão dos projetos e a manutenção periódica dos componentes das ciclovias poderiam trazer maior segurança para este modo de transporte, que é considerado como de risco. Sendo assim, podemos perceber que utilizar a bicicleta como modo de transporte é a formas mais sustentáveis de deslocamento em nossas cidades. Esse modo, além de introduzir níveis recomendáveis de atividade física nas nossas rotinas diárias, é uma forte alternativa ao uso do automóvel nos deslocamentos urbanos.
  • 51. Foto: ARANTES, 2012
  • 52. OBRIGADO!