0
Administração – Parte 1
Fundamentos da Administração
Introdução á Administração
Funções da Administração
Fundamentos da Administração
Conceitos básicos:


“É o processo de trabalhar com pessoas e recursos para realizar
objetiv...
Funções da Administração
1) Planejar


Analisar o ambiente externo



Especificar objetivos



Alocar recursos



Defi...
Funções da Administração
2) Organizar (estruturar)


Determinar os recursos necessários para atingir os objetivos



Est...
Funções da Administração
3) Dirigir (liderar)


Motivar, estimular, influenciar



Relações hierárquicas definidas



G...
Funções da Administração
4) Controlar


Monitorar as atividades



Avaliar o desempenho organizacional



Comparar com ...
A Administração é necessária porque:


Organizações precisam ser gerenciadas



Organizações têm objetivos a atingir: of...
Desafios do Administrador no século XXI
Desafios do Administrador no século XXI


Globalização da economia



Internacio...
A Nova Economia


Globalização



Mudanças tecnológicas



Empreendedorismo



Satisfação dos clientes



Horário e r...
Administração – Parte 2
Evolução do Pensamento Administrativo
•

Fundamentos da Administração Cientifica -Taylor

•

Funda...
Fundamentos da
Administração Cientifica
-Taylor
Objetivos do Estudo de Tempos e Movimentos


Eliminar desperdício de esforço humano



Adaptar os operários à própria ta...
Administração Científica:
Organização Racional do Trabalho - ORT


Fluxograma de ORT na Administração Científica
Seleção
...
Características da Administração Científica
Obras Frederick Taylor
 1903

– Shop Management

 1911

– Princípios da Adm....
Vantagens da Organização Racional do Trabalho


Simplificação dos cargos



Empregados com baixa qualificação



Salári...
Críticas à Teoria da Adm. Científica






Enfoque mecanicista do homem
Abordagem incompleta da organização (faltam a...
Fundamentos da Teoria Clássica
– Fayol
Teoria Clássica da Organização
Henri Fayol
 Obra:






1916 – Adm. Geral e Industrial

Organização é concebida como e...
Princípios Básicos da Teoria Clássica







Divisão do trabalho em setores
Autoridade e Responsabilidade
Disciplina...
Princípios Básicos da Teoria Clássica
(continuação)


Centralização



Hierarquia



Ordem



Equidade – tratamento ig...
Teoria Clássica
Segundo a Teoria Clássica quanto mais eficiente será a empresa:
 Quanto mais dividido for o trabalho,

...
Críticas a Teoria Clássica
Obsessão pelo comando
 Empresa como sistema fechado
 Manipulação dos trabalhadores
 Abordage...
Henry Ford
Exemplo de Administração Clássica



Idealizou a linha de montagem onde:
A progressão do produto é planejada, ...
Administração
Científica

Administração
Clássica

Precursor

Frederick Taylor

Henri Fayol

Origem

Chão de Fábrica

Gerên...
Fundamentos da Teoria Neoclássica
da Administração
Teoria Neoclássica
A Abordagem Neoclássica é a Teoria Clássica devidamente
atualizada e redimensionada aos problemas admin...
Principais Características da
Teoria Neoclássica


Ênfase nos aspectos práticos da Administração.



Busca de resultados...
Principais Características da
Teoria Neoclássica


Toda organização existe para alcançar objetivos e produzir
resultados....
Diferença entre as
Teorias da Administração
Administração Científica: ênfase nos métodos e na
racionalização do trabalho;
...
Fundamentos da Administração por
Objetivos
Fundamentos da Administração por Objetivos



As intenções de trabalhar em direção a uma meta são a principal
fonte de mo...
Objetivos/Metas
Dizer ao empregado o que precisa fazer e quanto esforço empregar.
 Metas específicas
 melhoram o desempe...
Administração por Objetivos
Enfatiza a fixação participativa de metas tangíveis, verificáveis e
mensuráveis
Cascata de Obj...
Feedback - Retorno


Consiste em informar a uma pessoa sobre o seu desempenho,
objetivando reorientar ou estimular compor...
Teoria das Relações Humanas
(Abordagem Humanística da Administração)
Abordagem Humanística da
Administração
 Reflete

a necessidade de humanizar e democratizar a
Administração e o desenvolvi...
Características / Contribuições
Ênfase nas pessoas
 Integração e Comportamento Sociais
 Grupos Informais (organização in...
Funções Básicas da
Teoria das Relações Humanas
Função Econômica
 Produzir bens ou serviços para garantir o equilíbrio ext...
Organização = Sistema Social
(Organização Técnica + Organização Humana)



Prédio+Máquinas+Matérias Primas+Produtos
Pess...
Organização = Sistema Social
(Organização Técnica + Organização Humana
Organização Informal
 Conjunto de interações e de ...
Críticas e Limitações
Negação do conflito entre empresa e trabalhadores
 Restrição de variáveis e da amostra
 Concepção ...
Decorrência da Teoria de
Relações Humanas


Motivação



Liderança



Comunicação



Organização Informal



Dinâmica...
Teoria Clássica
•Trata a organização como uma
máquina
•Enfatiza as tarefas ou tecnologia
•Inspirada em sistemas de
engenha...
Abordagem Comportamental da
Administração.
Abordagem Comportamental


Comportamento das pessoas na organização:
 COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL



Ênfase nas pessoa...
Principais Autores da
Teoria Comportamental










Chester Barnard (cooperação na organização formal)
Herbert S...
Motivação e Comportamento
Abraham Maslow e a hierarquia das necessidades:
Necessidades ou estágio de motivação:
 Necessid...
Não Satisfação

Satisfação

Frustrações podem ser
derivas de:

Insucesso na profissão;
Desprazer no trabalho

Satisfações ...
Teoria dos Dois Fatores de Herzberg
Causas da Satisfação:

Causas da Insatisfação:

A satisfação no cargo é função
do cont...
Teoria dos Dois Fatores de Herzberg
Fatores Motivacionais
(Satisfacientes)

Fatores Higiênicos
(Insatisfacientes)

Conteúd...
Modelo da Hierarquia de
necessidades de Maslow

Modelo de Fatores de
Higiene-Motivação de
HerzBerg

Necessidade de
Auto-Re...
Teoria X e Y de Douglas MCGregor
Pressuposições da Teoria X

Pressuposições da Teoria Y

As pessoas são preguiçosas e
indo...
Teoria X

Teoria Y

•Intervenção ativa por parte da
direção
•Trabalho dentro de padrões e
esquemas previamente planejados ...
Administração – Parte 3
Organizações e Seus Ambientes
•
•

Abordagem Sistêmica da Administração

Abordagem Contingencial d...
Abordagem Sistêmica na
Administração
A Organização como um Sistema Aberto

O ambiente
Proporciona:

A organização
Transforma:

O ambiente
Consome:

Entrada de
...
Sistemas Abertos


São os sistemas que apresentam relações de intercâmbio com o
ambiente, através de entradas e saídas.

...
Sistemas Abertos


A organização é um sistema com objetivos ou funções
múltiplas, que envolvem interações múltiplas com o...
Clientes

Instituições
Financeiras

Sindicatos de
Trabalhadores

- Empregados
A ORGANIZAÇÃO
- Acionistas
- Board
Os meios ...
Organização como sistema
Ambiente Externo:


Ambiente de ação direta, microambiente: Clientes,
Fornecedores, Concorrentes...
Modelo de Organização
Schein propõe uma relação de aspectos que uma teoria de sistema
deveria considerar na definição de o...
Modelo de Organização - Continuação
4. Como os subsistemas são mutuamente
dependente, as mudanças ocorridas em um deles
af...
Formas Organizacionais
Mecanísticas









As tarefas são divididas em
partes especializadas e,
separadas
As tarefa...
Abordagem Contingencial
na Administração
Teoria Contingencial:
adaptação da organização ao ambiente


Não existe a melhor forma de organizar. A forma
adequada dep...
Teoria da Dependência de Recursos
(Pfeffer e Salancik, 1978)


O ambiente é um fator restritivo à atuação da empresa



...
Teoria da Dependência de Recursos
(Pfeffer e Salancik, 1978)




A vulnerabilidade de uma organização ao seu ambiente
re...
Teoria da Ecologia das Populações
Freeman/Hannan/Aldrich-1977)
Os autores dessa teoria não se interessam por uma
organizaç...
Teoria da Ecologia das Populações


No esforço de conseguir recursos necessários a sua
sobrevivência, as organizações enf...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

201386 114353 administração+(conteudos+1%2c2+e+3)

1,654

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,654
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
71
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "201386 114353 administração+(conteudos+1%2c2+e+3)"

  1. 1. Administração – Parte 1 Fundamentos da Administração Introdução á Administração Funções da Administração
  2. 2. Fundamentos da Administração Conceitos básicos:  “É o processo de trabalhar com pessoas e recursos para realizar objetivos organizacionais, de maneira eficiente e eficaz.” BATEMAN & SNELL.  “Processo de planejar, organizar, liderar e controlar o trabalho, e de usar todos os recursos disponíveis da organização para alcançar objetivos estabelecidos.” STONER, James.  “O termo se refere ao processo de fazer com que as atividades sejam realizadas eficiente e eficazmente com e através de outras pessoas. O processo representa as funções ou atividades primárias realizadas por administradores. Estas funções são tipicamente denominadas planejamento, organização, liderança e controle.” ROBBINS & COULTER, 1998 – P. 3
  3. 3. Funções da Administração 1) Planejar  Analisar o ambiente externo  Especificar objetivos  Alocar recursos  Definir ações para atingir objetivos  O Planejamento é uma tomada de decisão antecipada
  4. 4. Funções da Administração 2) Organizar (estruturar)  Determinar os recursos necessários para atingir os objetivos  Estruturar os recursos em grupos  Atribuição de tarefas  Designar responsabilidade  Delegar autoridade  A função “Organizar” define a estrutura formal da empresa
  5. 5. Funções da Administração 3) Dirigir (liderar)  Motivar, estimular, influenciar  Relações hierárquicas definidas  Grau de participação e colaboração  Estilo e poder do líder  Fluxos de Comunicação
  6. 6. Funções da Administração 4) Controlar  Monitorar as atividades  Avaliar o desempenho organizacional  Comparar com padrões estabelecidos: planejado X realizado  Fazer correções que permitam o alcance dos objetivos propostos
  7. 7. A Administração é necessária porque:  Organizações precisam ser gerenciadas  Organizações têm objetivos a atingir: oferecer serviços a sociedade  Consegue harmonizar objetivos conflitantes  Permite que as organizações alcancem eficiência e eficácia
  8. 8. Desafios do Administrador no século XXI Desafios do Administrador no século XXI  Globalização da economia  Internacionalização dos negócios  Competição mundial  Sofisticação tecnológica (tecnologias da informação e comunicação)  Formação de blocos econômicos regionais  Alianças estratégicas
  9. 9. A Nova Economia  Globalização  Mudanças tecnológicas  Empreendedorismo  Satisfação dos clientes  Horário e remuneração flexíveis  Gestão da qualidade total  Competências centrais  Terceirização  Empregabilidade, Qualificação do trabalhador  Capital intelectual, Gestão do Conhecimento  Ética e responsabilidade social
  10. 10. Administração – Parte 2 Evolução do Pensamento Administrativo • Fundamentos da Administração Cientifica -Taylor • Fundamentos da Teoria Clássica – Fayol • Fundamentos da Teoria Neoclássica da Administração • Fundamentos da Administração por Objetivos • Fundamentos da Teoria das Relações Humanas • Abordagem Comportamental da Administração.
  11. 11. Fundamentos da Administração Cientifica -Taylor
  12. 12. Objetivos do Estudo de Tempos e Movimentos  Eliminar desperdício de esforço humano  Adaptar os operários à própria tarefa  Treinar operários para melhor adequação ao trabalho  Maior especialização de atividades  Estabelecer normas detalhadas para execução do trabalho
  13. 13. Administração Científica: Organização Racional do Trabalho - ORT  Fluxograma de ORT na Administração Científica Seleção Científica do Trabalhador Estudos de Tempos e Movimentos Determinação do Best Way Lei da Fadiga Plano de Incentivo Salarial Padrão de Produção Supervisão Funcional Condições Ambientais de Trabalho Máxima Eficiência + Lucros e + Salários
  14. 14. Características da Administração Científica Obras Frederick Taylor  1903 – Shop Management  1911 – Princípios da Adm. Científica Estudo de tempos e movimentos  Seleção científica do trabalhador  Tempo-padrão; produção padrão  Incentivo Salarial  Divisão do trabalho / especialização  Gerentes planejam, operários executam  Supervisão funcional  Ênfase na Eficiência 
  15. 15. Vantagens da Organização Racional do Trabalho  Simplificação dos cargos  Empregados com baixa qualificação  Salários menores  Menores custos de treinamento  Redução de erros  Facilidade de Supervisão (maior amplitude de controle)  Maior Eficiência Maior Produtividade
  16. 16. Críticas à Teoria da Adm. Científica      Enfoque mecanicista do homem Abordagem incompleta da organização (faltam aspectos informais e humanos) Abordagem de sistema fechado Ênfase nas normas e regras Especialização exagerada na função, levando à alienação Exploração dos empregados  Limitação do campo de ação e nenhuma autonomia do empregado   Ausência de comprovação científica
  17. 17. Fundamentos da Teoria Clássica – Fayol
  18. 18. Teoria Clássica da Organização Henri Fayol  Obra:    1916 – Adm. Geral e Industrial Organização é concebida como estrutura, forma e disposição das partes que a constituem, além do interrelacionamento entre essas partes Os aspectos organizacionais são analisados de cima para baixo (da direção para a execução); Ênfase na organização e hierarquia, fortalecimento do poder do “chefe” autoritário.
  19. 19. Princípios Básicos da Teoria Clássica       Divisão do trabalho em setores Autoridade e Responsabilidade Disciplina Unidade de Comando: chefes e subordinados Prevalência dos interesses gerais – prevalece o que for melhor para a organização. Remuneração por produção
  20. 20. Princípios Básicos da Teoria Clássica (continuação)  Centralização  Hierarquia  Ordem  Equidade – tratamento igual para todos  Estabilidade dos Funcionários  Iniciativa  Espírito de Equipe
  21. 21. Teoria Clássica Segundo a Teoria Clássica quanto mais eficiente será a empresa:  Quanto mais dividido for o trabalho,    Quanto mais semelhantes forem as tarefas agrupadas em departamentos, Quanto menor o número de subordinados, mais alto o graus de centralização das decisões, mais cerrado e completo o controle, Quanto mais impessoal a forma de organizar.
  22. 22. Críticas a Teoria Clássica Obsessão pelo comando  Empresa como sistema fechado  Manipulação dos trabalhadores  Abordagem simplificada e incompleta da organização  Ausência de trabalhos experimentais – falta de comprovação científica  “Teoria da Máquina” – divisão mecanicista do trabalho, parcelamento de tarefas 
  23. 23. Henry Ford Exemplo de Administração Clássica  Idealizou a linha de montagem onde: A progressão do produto é planejada, ordenada, contínua e ritmada  O trabalho é entregue ao trabalhador, que não precisa ir buscá-lo  Produção em série = padronização do produto em material, métodos e processos, mão de obra, desenho e engenharia ao mínimo custo possível  Para produção em massa, consumo em massa
  24. 24. Administração Científica Administração Clássica Precursor Frederick Taylor Henri Fayol Origem Chão de Fábrica Gerência Administrativa Ênfase •Adoção de métodos racionais e padronizados •Máxima divisão de tarefas •Estrutura formal da empresa •Adoção de princípios administrativos pelos altos escalões Enfoque Produção Racionalização do trabalho Gerência – Princípios gerais da Administração
  25. 25. Fundamentos da Teoria Neoclássica da Administração
  26. 26. Teoria Neoclássica A Abordagem Neoclássica é a Teoria Clássica devidamente atualizada e redimensionada aos problemas administrativos atuais e ao tamanho das organizações modernas.
  27. 27. Principais Características da Teoria Neoclássica  Ênfase nos aspectos práticos da Administração.  Busca de resultados concretos e palpáveis.  Releitura da Teoria Clássica de acordo com as contingências da época atual, dando-lhe uma configuração mais ampla e flexível para busca de soluções administrativas práticas.  Os princípios não devem ser abordados de uma forma rígida e absoluta, mas relativa e flexível (com base no bom senso do Administrador).
  28. 28. Principais Características da Teoria Neoclássica  Toda organização existe para alcançar objetivos e produzir resultados. É em função dos objetivos e resultados que a organização deve ser dimensionada, estruturada e orientada.  Um dos produtos da Teoria Neoclássica é a chamada Administração por Objetivos (APO).  Considera os meios na busca da eficiência, mas enfatiza os fins e os resultados na busca de eficácia.
  29. 29. Diferença entre as Teorias da Administração Administração Científica: ênfase nos métodos e na racionalização do trabalho; Teoria Clássica: ênfase nos princípios gerais da Administração; Teoria Neoclássica: considera os meios na busca da eficiência, mas enfatiza os fins e os resultados na busca de eficácia.
  30. 30. Fundamentos da Administração por Objetivos
  31. 31. Fundamentos da Administração por Objetivos  As intenções de trabalhar em direção a uma meta são a principal fonte de motivação de trabalho.  O objetivo quando especifico, claro, desafiador e acompanhado do feedback é importante fator para melhorar o desempenho.
  32. 32. Objetivos/Metas Dizer ao empregado o que precisa fazer e quanto esforço empregar.  Metas específicas  melhoram o desempenho.  Metas difíceis  quando aceitas resultam em melhor desempenho do que as fáceis.  Meta específica e difícil  resultado mais alto do que a meta generalizada. A própria especificidade da meta age como estímulo interno.
  33. 33. Administração por Objetivos Enfatiza a fixação participativa de metas tangíveis, verificáveis e mensuráveis Cascata de Objetivos  Os objetivos gerais da organização são traduzidos em objetivos específicos para cada um dos setores, que são transmitidos a cada funcionário.  O funcionário terá metas específicas de desempenho pessoal alinhadas aos objetivos gerais da organização.
  34. 34. Feedback - Retorno  Consiste em informar a uma pessoa sobre o seu desempenho, objetivando reorientar ou estimular comportamentos futuros mais adequados. No processo de desenvolvimento da competência interpessoal o feedback é um importante recurso porque permite que nos vejamos como somos vistos pelos outros.  Ajuda a identificar discrepâncias entre o que as pessoas fizeram e o que é esperado delas.  Ajuda a melhorar o comportamento e os resultados.  Com o feedback o empregado é capaz de monitorar seu próprio progresso. 
  35. 35. Teoria das Relações Humanas (Abordagem Humanística da Administração)
  36. 36. Abordagem Humanística da Administração  Reflete a necessidade de humanizar e democratizar a Administração e o desenvolvimento das ciências humanas  A preocupação com o homem e seu grupo social  Preocupação em integrar os aspectos técnicos e formais aos aspectos psicológicos e sociológicos
  37. 37. Características / Contribuições Ênfase nas pessoas  Integração e Comportamento Sociais  Grupos Informais (organização informal)  Liderança  Os funcionários participam nas decisões     Homem Social Incentivos Psicossociais Conteúdo do trabalho com significado para quem executa – fazer e pensar sobre o que se faz
  38. 38. Funções Básicas da Teoria das Relações Humanas Função Econômica  Produzir bens ou serviços para garantir o equilíbrio externo Função Social  Distribuir satisfações entre os participantes para garantir o equilíbrio interno É indispensável conciliar a harmonizar estas duas funções básicas na organização
  39. 39. Organização = Sistema Social (Organização Técnica + Organização Humana)   Prédio+Máquinas+Matérias Primas+Produtos Pessoas+Sentimentos+Interesses+Motivações Comportamento  Amizade x Hostilidade  Competição x Cooperação  Formação de Grupos Informais  Criação de Regras de Convivência
  40. 40. Organização = Sistema Social (Organização Técnica + Organização Humana Organização Informal  Conjunto de interações e de relacionamento que se estabelecem entre as pessoas;  normas, valores, crenças e comportamento não previstos na organização formal;  é indefinida e sem estrutura Organização Formal  Constituída pela própria estrutura organizacional, órgão, cargos, relações funcionais, níveis hierárquicos, normas, procedimentos, valores estabelecidos e política empresarial.
  41. 41. Críticas e Limitações Negação do conflito entre empresa e trabalhadores  Restrição de variáveis e da amostra  Concepção utópica do trabalhador  Ênfase excessiva nos grupos informais  Ausência de novos critérios de gestão 
  42. 42. Decorrência da Teoria de Relações Humanas  Motivação  Liderança  Comunicação  Organização Informal  Dinâmica de Grupo
  43. 43. Teoria Clássica •Trata a organização como uma máquina •Enfatiza as tarefas ou tecnologia •Inspirada em sistemas de engenharia •Autoridade centralizada •Linhas claras de autoridade •Especialização e competência técnica •Acentuada divisão de trabalho •Confiança nas regras e nos regulamentos •Clara separação entra linha e staff Teoria das Relações Humanas •Trata a organização como grupo de pessoas •Enfatiza as pessoas •Inspirada em sistemas de psicologia •Delegação plena de autoridade •Autonomia do empregado •Confiança e abertura •Ênfase nas relações humanas entre os empregados •Confiança nas pessoas •Dinâmica grupal e interpessoal
  44. 44. Abordagem Comportamental da Administração.
  45. 45. Abordagem Comportamental  Comportamento das pessoas na organização:  COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL  Ênfase nas pessoas, dentro de um contexto organizacional  Critica a teoria Clássica e sua organização formal, ao autoritarismo, à hierarquia rígida e aos processos mecanicistas e burocráticos.
  46. 46. Principais Autores da Teoria Comportamental         Chester Barnard (cooperação na organização formal) Herbert Simon (participação de grupos nas decisões) Douglas MCGregor (teorias X e Y) Abraham Maslow (hierarquia das necessidades) Frederick Herzberg (teoria dos 2 fatores) David MCClelland (fatores motivacionais) Rensis Likert (sistemas gerenciais – Sistema 4) Chris Argyris (comportamento organizacional)
  47. 47. Motivação e Comportamento Abraham Maslow e a hierarquia das necessidades: Necessidades ou estágio de motivação:  Necessidades  Necessidade fisiológicas (primárias, vitais) Psicológicas (secundárias, exclusivas do homem)  Necessidades de Auto-Realização
  48. 48. Não Satisfação Satisfação Frustrações podem ser derivas de: Insucesso na profissão; Desprazer no trabalho Satisfações podem ser derivas de: AutoRealização Sucesso na profissão; prazer no trabalho Baixo Status. Baixo salários; sensação de inequilidade Estima (Ego) Interação facilitada pelo arranjo físico; amizades, prestígio na profissão Baixa interação e relacionamento com colegas, chefia e subordinados Sociais (amor) Elevada interação e relacionamento com colegas , chefia e subordinados Tipo de trabalho e ambiente de trabalho mal-estruturados; políticas da empresa imprevisíveis Confinamento do local de trabalho; remuneração inadequada Segurança Fisiológicas Tipo de trabalho e ambiente de trabalho bem-estruturados; políticas estáveis e previsíveis da empresa Remuneração adequada para a satisfação das necessidades básicas
  49. 49. Teoria dos Dois Fatores de Herzberg Causas da Satisfação: Causas da Insatisfação: A satisfação no cargo é função do conteúdo das atividades desafiantes e estimulantes do cargo que a pessoa desempenha: são os fatores motivacionais ou de satisfação. A insatisfação no cargo é função do contexto que envolve o cargo, isto é, do ambiente de trabalho, do salário, dos colegas, dos benefícios recebidos, da supervisão: são fatores higiênicos ou de insatisfação.
  50. 50. Teoria dos Dois Fatores de Herzberg Fatores Motivacionais (Satisfacientes) Fatores Higiênicos (Insatisfacientes) Conteúdo do Cargo (Como o indivíduo se sente em relação ao seu cargo) 1. O trabalho em si 2. Realização 3. Reconhecimento 4. Progresso Profissional 5. Responsabilidade Contexto do Cargo (Como o indivíduo se sente em relação à sua empresa) 1. As condições de trabalho 2. Administração da empresa 3. Salário 4. Relações com o supervisor 5. Benefícios e serviços sociais
  51. 51. Modelo da Hierarquia de necessidades de Maslow Modelo de Fatores de Higiene-Motivação de HerzBerg Necessidade de Auto-Realização O trabalho em si Responsabilidade Progresso Crescimento Necessidade de Estima Realização Reconhecimento Status Necessidades Sociais Necessidades de Segurança Necessidades Fisiológicas Relações interpessoais Supervisão Colegas e subordinados Supervisão técnica Políticas administrativas e empresariais Segurança no cargo Condições físicas de trabalho Salário Vida Pessoal
  52. 52. Teoria X e Y de Douglas MCGregor Pressuposições da Teoria X Pressuposições da Teoria Y As pessoas são preguiçosas e indolentes As pessoas evitam o trabalho As pessoas são esforçadas e gostam de ter o que fazer O trabalho é uma atividade tão natural como brincar e descansar As pessoas evitam a responsabilidade, a fim de se sentirem mais seguras As pessoas precisam ser controladas e dirigidas As pessoas procuram e aceitam responsabilidades e desafios As pessoas são ingênuas e sem iniciativa As pessoas são criativas e competentes As pessoas podem ser automotivadas e autodirigidas
  53. 53. Teoria X Teoria Y •Intervenção ativa por parte da direção •Trabalho dentro de padrões e esquemas previamente planejados e organizados, visando exclusivamente os objetivos da organização •Como as pessoas são basicamente motivadas por incentivos econômicos, a empresa deve utilizar a remuneração como um meio de recompensa ou de punição •As pessoas fazem exatamente o que a organização pretende que elas façam, independentemente de suas opiniões ou objetivos pessoais •Administrar é um processos de criar oportunidades, liberar potenciais, remover obstáculos, encorajar o crescimento individual •Estilo participativo, baseado nos valores humanos e sociais •Realça a iniciativa individual •Descentralização das decisões e delegação de responsabilidades •Ampliação do cargo para maior significado do trabalho •Auto-avaliação de desempenho Estilos de Administração dinâmico, democrático •Duro, rígido e autocrático •Aberto,
  54. 54. Administração – Parte 3 Organizações e Seus Ambientes • • Abordagem Sistêmica da Administração Abordagem Contingencial da Administração
  55. 55. Abordagem Sistêmica na Administração
  56. 56. A Organização como um Sistema Aberto O ambiente Proporciona: A organização Transforma: O ambiente Consome: Entrada de Recursos: Processos de Transformação: Saída de Produtos: Pessoas Dinheiro Tecnologia Materiais Informações Trabalho Converte Recursos em Resultados Produtos ou Serviços
  57. 57. Sistemas Abertos  São os sistemas que apresentam relações de intercâmbio com o ambiente, através de entradas e saídas.  Os sistemas abertos recebendo matéria-prima, pessoas, energia e informações e transformando-as ou convertendo-as em produtos e serviços que são exportados para o meio ambiente.  São adaptativos, isto é, para sobreviver devem reajustar-se constantemente as condições do meio.  A adaptabilidade é um contínuo processo de aprendizagem e de auto-organização.
  58. 58. Sistemas Abertos  A organização é um sistema com objetivos ou funções múltiplas, que envolvem interações múltiplas com o meio ambiente.  A separação entre empresa e ambiente passa a ser delimitada por uma tênue linha divisória, incerta e mutável.  Muitas vezes a empresa se confunde com o ambiente, misturando-se com fornecedores e clientes.
  59. 59. Clientes Instituições Financeiras Sindicatos de Trabalhadores - Empregados A ORGANIZAÇÃO - Acionistas - Board Os meios de Comunicação ou Mídia Ambiente de Ação Direta -- Grupos de Interesses Especiais Stakeholders Internos Stakeholders Externos Ambiente de Ação Indireta A Fronteira Flexível de um Sistema Aberto
  60. 60. Organização como sistema Ambiente Externo:  Ambiente de ação direta, microambiente: Clientes, Fornecedores, Concorrentes, Sindicatos, Associações de Classe, Governo, Instituições financeiras, Mídia, Grupos de Interesses especiais.  Ambiente de ação indireta, macroambiente ou ambiente geral: Variáveis Econômicas, Sociais, Políticolegais, Tecnológicas, Internacionais, Físicas.
  61. 61. Modelo de Organização Schein propõe uma relação de aspectos que uma teoria de sistema deveria considerar na definição de organização: 1. A organização é um sistema aberto em constante interação com o meio, recebendo matéria-prima, pessoas, energia e informações e transformando-as ou convertendo-as em produtos e serviços que são exportados para o meio ambiente. 2. A organização é um sistema com objetivos ou funções múltiplas, que envolvem interações múltiplas com o meio ambiente. 3. A organização é um conjunto de muitos subsistemas que estão em interação dinâmica uns com os outros. Deve-se analisar o comportamento do todo em vez de se analisar cada um dos comportamentos individuais.
  62. 62. Modelo de Organização - Continuação 4. Como os subsistemas são mutuamente dependente, as mudanças ocorridas em um deles afetarão o comportamento dos outros. 5. A organização existe em um ambiente dinâmico que envolve outros sistemas. O funcionamento da organização não pode ser compreendido sem considerar as demandas e limitações impostas pelo meio ambiente. 6. As relações entre a organização e o seu meio ambiente tornam-se difícil a clara definição das fronteiras de qualquer organização.
  63. 63. Formas Organizacionais Mecanísticas      As tarefas são divididas em partes especializadas e, separadas As tarefas são definidas rigidamente. Há uma hierarquia de autoridade e controle rígida, e muitas regras. O conhecimento e controle das tarefas é centralizado na cúpula da organização. A comunicação é vertical. Orgânicas  Empregados contribuem para a tarefa do departamento.  Tarefas são ajustadas e redefinidas no trabalho em grupo.  Há menos hierarquia de autoridade e controle e menos regras.  O conhecimento e controle das tarefas está localizado em qualquer lugar na organização.  A comunicação é horizontal.
  64. 64. Abordagem Contingencial na Administração
  65. 65. Teoria Contingencial: adaptação da organização ao ambiente  Não existe a melhor forma de organizar. A forma adequada depende do tipo de tarefa/tecnologia ou do ambiente (estável ou turbulento) no qual se atua.  Diferentes espécies de organizações são necessárias em diferentes tipos de ambientes.
  66. 66. Teoria da Dependência de Recursos (Pfeffer e Salancik, 1978)  O ambiente é um fator restritivo à atuação da empresa  As organizações são controladas por seus ambientes, mas podem aprender a lidar com essa dominação  A vulnerabilidade de uma organização ao seu ambiente é resultado da sua necessidade de recursos - matérias primas, capital, trabalho, conhecimento, equipamentos e pontos de venda para seus produtos e serviços - que são controlados pelo ambiente
  67. 67. Teoria da Dependência de Recursos (Pfeffer e Salancik, 1978)   A vulnerabilidade de uma organização ao seu ambiente resulta na dependência, a qual confere ao ambiente o seu poder. Assim, a empresa precisa contrabalançar esse poder para ser bem sucedida O ambiente usa seu poder para exigir da organização preços competitivos, produtos e serviços desejados e estruturas e processos organizacionais eficientes.
  68. 68. Teoria da Ecologia das Populações Freeman/Hannan/Aldrich-1977) Os autores dessa teoria não se interessam por uma organização específica que busca sua sobrevivência através da competição por recursos escassos com outras organizações (visão da Teoria da Dependência de Recursos), mas sim pelos padrões de sucesso e fracasso entre todas as organizações que competem no ambiente.  Procuram explicar como os processos evolucionários resultaram nos vários tipos de organizações existentes no ambiente.
  69. 69. Teoria da Ecologia das Populações  No esforço de conseguir recursos necessários a sua sobrevivência, as organizações enfrentam a competição de outras organizações. Somente as mais adaptadas sobrevivem.  A natureza, o número e a distribuição das organizações em qualquer tempo dependem da disponibilidade de recursos, bem como da competição dentro e entre diferentes espécies de organizações.  O ambiente seleciona os mais fortes, eliminando os mais fracos.
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×