As aglomerações industriais do Rio
Grande do Sul: identificação e seleção
Projeto Aglomerações Produtivas do RS
2013
Vancl...
INTRODUÇÃO
 É crescente a importância conferida às aglomerações setoriais de empresas para
o desenvolvimento regional e a...
• Objetivos geral e específicos;
• Etapas da pesquisa;
• Elementos conceituais sobre APLs;
• Metodologia de identificação;...
• Justificativa do segundo processo de filtragem por blocos;
• Bloco 1: aglomerações em regiões de menor desenvolvimento
r...
OBJETIVO GERAL
Analisar o potencial de aglomerações produtivas locais para promover o
desenvolvimento sustentável do Estad...
OBJETIVOS DO PROJETO
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
3. Analisar os sistemas locais de inovação e sua capacidade para dinamizar as
...
OBJETIVOS DO PROJETO
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
7. Identificar a estrutura institucional de suporte e as condições de infraest...
ETAPAS DO PROJETO
ETAPA I: Identificar e selecionar as aglomerações industriais do RS;
Status: concluído
ETAPA II: Identif...
• Origens da discussão:
ELEMENTOS CONCEITUAIS SOBRE APLs
As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e...
• Arranjos Produtivos Locais são aglomerações de empresas,
localizadas em um mesmo território, que apresentam
especializaç...
• Critérios teóricos para uma aglomeração ser considerada um
APL:
• Aglomeração de empresas em torno de uma determinada at...
• Critérios teóricos para uma aglomeração ser considerada um
APL:
• Presença de economias externas intencionais a partir d...
• Gênese do APL:
• Recursos naturais estratégicos abundantes na região, mas em geral
escassos na economia;
• Facilidades e...
• Economias externas incidentais (marshallianas):
• Escala de mercado, renda e vantagens locacionais;
• Extensa divisão do...
• Economias externas incidentais (marshallianas):
• Surgimento de trabalhadores e de fornecedores de insumos, de bens
de c...
• Economias externas intencionais - cooperação:
• Interações recorrentes entre os atores do território, baseadas em
capita...
• Economias externas intencionais - cooperação:
• Solução de problemas comuns para a promoção da
competitividade;
• Ações ...
Procedimentos Metodológicos:
 Estudo das notas técnicas da Rede de Pesquisa em Arranjos e Sistemas
Produtivos e Inovativo...
Procedimentos Metodológicos:
A fim de se identificarem as aglomerações industriais de cada Corede, foram
estabelecidos trê...
Critérios Ordem Restrições
Número de
casos restantes
QL Emprego 1º > = 1 1266
QL Estabelecimentos 2º > = 1 1097
Número de ...
Tabela 2
Número de aglomerações industriais identificadas, número de empregos e de estabelecimentos e participação no valo...
Tabela 3
Distribuição setorial das aglomerações industriais identificadas no RS — 2010
DIVISÕES DA CNAE
FREQUÊNCIA
ABSOLUT...
Após a identificação, foi iniciada a discussão para definição das aglomerações que
seriam estudadas em detalhe.
Percebendo...
• BLOCO 1: Aglomerações localizadas em regiões de menor
desenvolvimento relativo
Quadro 3
Critérios de identificação e sel...
Classificações das regiões segundo o nível de desenvolvimento e o ritmo de crescimento
RED
100 +25-50 -25
-25
-50
+25
Níve...
Determinação das Regiões de Menor Desenvolvimento Relativo do RS
1
2
3
4
5
6
7
8
910
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
2...
Quadro 4
Classificação dos Coredes do Rio Grande do Sul, segundo o nível de desenvolvimento e o ritmo de crescimento
— 201...
AGLOMERAÇÕES EM REGIÕES DE MENOR
DESENVOLVIMENTO
As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção...
• BLOCO 2: Aglomerações relevantes para o emprego
Quadro 14
Síntese dos critérios e restrições para a identificação das ag...
AGLOMERAÇÕES DE MAIOR RELEVÂNCIA
PARA O EMPREGO
As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção ...
• Importância para a economia:
– Maior esforço para a geração de novos conhecimentos e
tecnologias, bem como para sua difu...
AGLOMERAÇÕES INTENSIVAS EM
TECNOLOGIA
As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 32
Aeronáu...
AGLOMERAÇÕES INTENSIVAS EM
TECNOLOGIA
As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 33
Quadro ...
As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 34
Legenda: Média-Alta Alta
Metropolitano-Delta ...
AGLOMERAÇÕES INTENSIVAS EM
TECNOLOGIA
As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 35
• Aglomerações selecionadas nos três blocos de análise:
• Agregando-se as aglomerações produtivas por um critério de
simil...
SÍNTESE DOS RESULTADOS
As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 37
• Destaque para os Coredes Serra (11 casos / 8 aglomerações) e
Metropolitano Delta do Jacuí (7 casos / 3 aglomerações);
• ...
• Expressiva participação de setores da cadeia produtiva
metalmecânica (19 casos / 15 aglomerações);
• Número significativ...
CONSIDERAÇÕES FINAIS
As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 40
 Independentemente dos ...
Aglomerações Coredes Atividade
1 Vale do Rio dos Sinos Calçados e suas partes
2 Alto Jacuí Máquinas e implementos agrícola...
ENCAMINHAMENTOS DA PESQUISA
As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 42
ENCAMINHAMENTOS DA PESQUISA
Etapas de estudo das 12 aglomerações:
I) Caracterização preliminar de cada aglomeração a parti...
ENCAMINHAMENTOS DA PESQUISA
As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 44
Oficinas de Traba...
ENCAMINHAMENTOS DA PESQUISA
As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 45
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

As Aglomerações industriais do Rio Grande do Sul, Vanclei Zanin, Rodrigo Morem da Costa e Rodrigo Daniel Feix

1,173
-1

Published on

Published in: News & Politics
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,173
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
14
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

As Aglomerações industriais do Rio Grande do Sul, Vanclei Zanin, Rodrigo Morem da Costa e Rodrigo Daniel Feix

  1. 1. As aglomerações industriais do Rio Grande do Sul: identificação e seleção Projeto Aglomerações Produtivas do RS 2013 Vanclei Zanin Rodrigo Morem da Costa Rodrigo Daniel Feix
  2. 2. INTRODUÇÃO  É crescente a importância conferida às aglomerações setoriais de empresas para o desenvolvimento regional e a competitividade das empresas.  Com vistas a avançar na compreensão desse fenômeno localmente e oferecer subsídios à aplicação da política de apoio aos APLs gaúchos a FEE está elaborando um conjunto de estudos, com o apoio da AGDI.  Esses trabalhos fazem parte do Projeto Estudo de Aglomerações Industriais e Agroindustriais do RS, com participação de pesquisadores do Núcleo de Análise Setorial e Núcleo de Desenvolvimento Regional da FEE.  O trabalho que será apresentado é o primeiro de uma série e teve como objetivo a identificação e seleção das aglomerações industriais do RS. As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 2
  3. 3. • Objetivos geral e específicos; • Etapas da pesquisa; • Elementos conceituais sobre APLs; • Metodologia de identificação; • Resultados do primeiro processo de filtragem; ESTRUTURA DAAPRESENTAÇÃO 3As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção
  4. 4. • Justificativa do segundo processo de filtragem por blocos; • Bloco 1: aglomerações em regiões de menor desenvolvimento relativo; • Bloco 2: aglomerações importantes para o emprego; • Bloco 3: aglomerações intensivas em tecnologia; • Síntese dos resultados • Considerações finais e encaminhamentos futuros da pesquisa; As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 4 ESTRUTURA DAAPRESENTAÇÃO
  5. 5. OBJETIVO GERAL Analisar o potencial de aglomerações produtivas locais para promover o desenvolvimento sustentável do Estado OBJETIVOS ESPECÍFICOS: 1. Apontar os fatores determinantes da competitividade das empresas locais, buscando encontrar os gargalos que dificultam e ou comprometem o desenvolvimento e a performance das mesmas. 2. Identificar os elos da cadeia produtiva, relacionados com a atividade fim de cada aglomeração, que estejam presentes ou faltantes no território, com a finalidade de entender o grau atual e potencial de adensamento e enraizamento do processo produtivo; OBJETIVOS DO PROJETO As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 5
  6. 6. OBJETIVOS DO PROJETO OBJETIVOS ESPECÍFICOS: 3. Analisar os sistemas locais de inovação e sua capacidade para dinamizar as aglomerações relacionadas; 4. Examinar as relações de cada aglomeração produtiva local com as esferas nacional e global, avaliando eventuais limitações e potencialidades daí advindas; 5. Identificar os canais de financiamento disponíveis às atividades de cada aglomeração e as principais dificuldades de acesso ao crédito pelas empresas; 6. Compreender a configuração do mercado de trabalho local, chamando a atenção para o potencial de geração de empregos de cada aglomeração bem como para a qualidade potencial dos postos de trabalho ofertados; As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 6
  7. 7. OBJETIVOS DO PROJETO OBJETIVOS ESPECÍFICOS: 7. Identificar a estrutura institucional de suporte e as condições de infraestrutura para a atividade econômica local; 8. Compreender como ocorrem as relações de governança e seu papel no desenvolvimento de cada aglomeração; 9. Avaliar os impactos ambientais decorrentes das atividades produtivas de cada aglomeração, procurando identificar formas de mitigar esses efeitos e promover o desenvolvimento com sustentabilidade; 10. Identificar as relações de cooperação vertical e horizontal, avaliando seu potencial para promover a eficiência coletiva das empresas locais. As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 7
  8. 8. ETAPAS DO PROJETO ETAPA I: Identificar e selecionar as aglomerações industriais do RS; Status: concluído ETAPA II: Identificar e selecionar as aglomerações agroindustriais do RS; Status: em andamento, com conclusão prevista para setembro/2013 ETAPA III: Estudar em detalhe 12 das aglomerações industriais e agroindustriais selecionadas sob a perspectiva analítica de APLs; Status: em andamento, com conclusão prevista para setembro/2014. As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 8
  9. 9. • Origens da discussão: ELEMENTOS CONCEITUAIS SOBRE APLs As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 9
  10. 10. • Arranjos Produtivos Locais são aglomerações de empresas, localizadas em um mesmo território, que apresentam especialização produtiva e mantêm vínculos de articulação, interação, cooperação e aprendizagem entre si e com outros atores locais, tais como: governo, associações empresariais, instituições de crédito, de ensino e pesquisa, de treinamento e outras. • (Definição da REDESIST/UFRJ adotada pelo GTP-APL/MDIC); • Rio Grande do Sul: experiência pioneira no início dos anos de 2000 (Sistemas Locais de Produção – SLP); • Brasil: desde 2004 o apoio aos APLs figura como um instrumento importante de política industrial e de desenvolvimento regional; As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 10 ELEMENTOS CONCEITUAIS SOBRE APLs
  11. 11. • Critérios teóricos para uma aglomeração ser considerada um APL: • Aglomeração de empresas em torno de uma determinada atividade produtiva, elaborando um produto predominante; • Presença de economias externas incidentais marshallianas; • Extensiva divisão do trabalho entre empresas e coexistência de relações de competição e de cooperação; • Simbiose entre a atividade produtiva e a população do território; ELEMENTOS CONCEITUAIS SOBRE APLs As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 11
  12. 12. • Critérios teóricos para uma aglomeração ser considerada um APL: • Presença de economias externas intencionais a partir de ações cooperativas, quando são percebidas oportunidades para melhorar a competitividade das empresas; • Conjunção entre as economias externas incidentais com as intencionais resultando na ideia de que cada APL possua uma “eficiência coletiva”; ELEMENTOS CONCEITUAIS SOBRE APLs As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 12
  13. 13. • Gênese do APL: • Recursos naturais estratégicos abundantes na região, mas em geral escassos na economia; • Facilidades em termos de logística; • Por um “acidente histórico inicial” – no sentido de um evento não premeditado, a partir do qual a atividade se instala no território; • Com o início da atividade, o seu sucesso atrai novos produtores e vai se tornando enraizada no território; ELEMENTOS CONCEITUAIS SOBRE APLs As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 13
  14. 14. • Economias externas incidentais (marshallianas): • Escala de mercado, renda e vantagens locacionais; • Extensa divisão do trabalho e especialização produtiva; • Menor necessidade de capital e facilidade para o empreendedorismo; • Maior flexibilidade produtiva; ELEMENTOS CONCEITUAIS SOBRE APLs As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 14
  15. 15. • Economias externas incidentais (marshallianas): • Surgimento de trabalhadores e de fornecedores de insumos, de bens de capital e de serviços especializados na atividade da aglomeração; • Difusão de “melhores práticas” produtivas; • Maior interação entre os atores permitindo o aprendizado novos conhecimentos e a difusão de novas tecnologias; • Maior visibilidade política; ELEMENTOS CONCEITUAIS SOBRE APLs As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 15
  16. 16. • Economias externas intencionais - cooperação: • Interações recorrentes entre os atores do território, baseadas em capital social, em valores culturais e éticos, e em uma formação histórica comuns, tende a fornecer as bases para o estabelecimento de confiança e relações de liderança e governança, que, por sua vez, geram regras informais que delimitam, controlam e sancionam ações cooperativas; ELEMENTOS CONCEITUAIS SOBRE APLs As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 16
  17. 17. • Economias externas intencionais - cooperação: • Solução de problemas comuns para a promoção da competitividade; • Ações cooperativas em âmbito vertical e horizontal; • Redução de custos de transação; • Observações gerais: • Identidade única em razão das especificidades de cada APL; • Articulação com o restante da matriz produtiva; ELEMENTOS CONCEITUAIS SOBRE APLs As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 17
  18. 18. Procedimentos Metodológicos:  Estudo das notas técnicas da Rede de Pesquisa em Arranjos e Sistemas Produtivos e Inovativos Locais (RedeSist);  Adaptação da metodologia proposta por IPARDES (2005) e aplicada no Paraná – filtragens a partir da elevação dos QLs.  Fonte dos dados brutos: Relação Anual de Informações Sociais (RAIS-MTE) e Sefaz-RS;  Ano Base: 2010  Atividades analisadas: indústria de transformação e extrativa e atividade de software (280 classes de atividade da CNAE 2.0);  Regionalização das informações: Coredes AGLOMERAÇÕES INDUSTRIAIS DO RS: IDENTIFICAÇÃO As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 18
  19. 19. Procedimentos Metodológicos: A fim de se identificarem as aglomerações industriais de cada Corede, foram estabelecidos três critérios gerais: i) concentração produtiva e importância da atividade para a região; ii) número mínimo de estabelecimentos; e iii) número mínimo de empregos formais. Quadro 1 Síntese dos critérios e restrições para a identificação das aglomerações industriais no Rio Grande do Sul CRITÉRIOS ORDEM RESTRIÇÕES QL emprego 1º > = 1 QL estabelecimentos 2º > = 1 Número de estabelecimentos 3º > = 10 Número de empregos 4º > = 100 Participação de cada classe no valor das saídas do Corede 5º > = 0,5% FONTE: Resultados da Pesquisa. AGLOMERAÇÕES INDUSTRIAIS DO RS: IDENTIFICAÇÃO As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 19
  20. 20. Critérios Ordem Restrições Número de casos restantes QL Emprego 1º > = 1 1266 QL Estabelecimentos 2º > = 1 1097 Número de Estabelecimentos 3º > = 10 395 Número de Empregos 4º > = 100 325 Participação de cada classe no valor das saídas do COREDE 5º > = 0,5% 170 Resultados: Fonte: Resultados da Pesquisa. Em 2010, as 170 aglomerações identificadas responderam por 47,9% do total do emprego, 32,3% dos estabelecimentos e 34,8% do valor das saídas das indústrias de transformação e extrativa e da atividade de software do RS AGLOMERAÇÕES INDUSTRIAIS DO RS: IDENTIFICAÇÃO As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 20
  21. 21. Tabela 2 Número de aglomerações industriais identificadas, número de empregos e de estabelecimentos e participação no valor total das saídas fiscais, por Coredes, do RS — 2010 COREDES E TOTAL AGLOMERAÇÕES ESTABELECIMENTOS EMPREGOS PARTICIPAÇÃO NAS SAÍDAS FISCAIS (%) Serra ....................................... 27 3.331 104.836 10,59 Vale do Rio dos Sinos ............ 15 2.834 73.263 5,46 Paranhana-Encosta da Serra 4 1.272 35.157 1,36 Metropolitano Delta do Jacuí 16 955 24.990 2,40 Vale do Taquari ...................... 11 303 20.552 2,46 Sul .......................................... 8 245 10.013 2,09 Vale do Caí ............................ 7 334 9.751 0,55 Vale do Rio Pardo ................... 5 174 8.397 4,65 Noroeste Colonial ................... 5 100 6.142 0,23 Norte ....................................... 10 236 6.026 0,53 Fronteira Noroeste ................. 3 106 5.908 0,20 Hortênsias .............................. 6 383 5.865 0,20 Fronteira Oeste ...................... 2 88 4.871 1,52 Produção ................................ 6 205 4.816 0,54 Alto Jacuí ............................... 2 65 3.942 0,34 Central .................................... 7 166 3.097 0,30 Campanha ............................. 4 67 2.466 0,41 Litoral ..................................... 8 370 1.931 0,06 Nordeste ................................. 2 120 1.904 0,10 Centro-Sul .............................. 3 74 1.796 0,28 Jacuí-Centro ........................... 3 49 1.575 0,18 Rio da Várzea ........................ 3 108 1.071 0,05 Celeiro .................................... 3 93 667 0,01 Alto da Serra do Botucaraí .... 3 88 663 0,03 Médio Alto Uruguai ................. 3 91 602 0,02 Vale do Jaguari ...................... 1 28 457 0,00 Missões .................................. 2 31 388 0,25 Campos de Cima da Serra .... 1 36 224 0,01 Total do RS ............................ 170 11.952 341.370 34,83 FONTE DOS DADOS BRUTOS: RAIS-MTE (2010). Sefaz-RS (2010). 21
  22. 22. Tabela 3 Distribuição setorial das aglomerações industriais identificadas no RS — 2010 DIVISÕES DA CNAE FREQUÊNCIA ABSOLUTA FREQUÊNCIA RELATIVA (%) Fabricação de produtos alimentícios ..................................................................................... 36 21,18 Fabricação de máquinas e equipamentos ............................................................................ 17 10,00 Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos .................................. 16 9,41 Fabricação de produtos de minerais não metálicos .............................................................. 13 7,65 Confecção de artigos do vestuário e acessórios ................................................................... 12 7,06 Fabricação de móveis ........................................................................................................... 12 7,06 Preparação de couros e fabricação de artefatos de couro, artigos para viagem e calçados 12 7,06 Fabricação de produtos de madeira ...................................................................................... 8 4,71 Atividades dos serviços de tecnologia da informação ........................................................... 6 3,53 Fabricação de produtos de borracha e de material plástico ................................................. 5 2,94 Fabricação de produtos diversos .......................................................................................... 5 2,94 Fabricação de produtos químicos ......................................................................................... 5 2,94 Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias .............................................. 4 2,35 Extração de minerais não metálicos ...................................................................................... 3 1,76 Fabricação de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos ....................... 3 1,76 Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos .................................................... 3 1,76 Atividades de prestação de serviços de informação ............................................................. 2 1,18 Fabricação de bebidas .......................................................................................................... 2 1,18 Fabricação de produtos do fumo ........................................................................................... 2 1,18 Fabricação de produtos têxteis ............................................................................................. 2 1,18 Fabricação de celulose, papel e produtos de papel .............................................................. 1 0,59 Metalurgia .............................................................................................................................. 1 0,59 TOTAL ................................................................................................................................... 170 100,00 FONTE DOS DADOS BRUTOS: RAIS-MTE (2010). Sefaz-RS (2010). 22
  23. 23. Após a identificação, foi iniciada a discussão para definição das aglomerações que seriam estudadas em detalhe. Percebendo a necessidade de contemplar diferentes perspectivas de análise, optou- se por selecionar dentre as 170 aglomerações anteriormente identificadas aquelas que se enquadrassem em pelo menos um dos seguintes blocos de análise: (i) localização em regiões com menor nível de desenvolvimento relativo; (ii) nível de intensidade tecnológica; (iii) importância para o emprego. • A análise das aglomerações segundo perspectivas distintas visa salientar determinados aspectos e atingir objetivos específicos. • Os novos filtros e restrições reduziram o universo de aglomerações e também facilitaram a escolha daquelas que serão objeto de estudo de campo. AGLOMERAÇÕES INDUSTRIAIS DO RS: SELEÇÃO As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 23
  24. 24. • BLOCO 1: Aglomerações localizadas em regiões de menor desenvolvimento relativo Quadro 3 Critérios de identificação e seleção das aglomerações industriais nas regiões de menor desenvolvimento relativo do Rio Grande do Sul CRITÉRIOS ORDEM RESTRIÇÕES Idese 1º < = média do RS Variação do PIB 2º < = média do RS (regiões menos desenvolvidas em declínio) >= média do RS (regiões em desenvolvimento) Participação no valor das saídas do Corede 3º > = 1% Percentual de micro e pequenas empresas 4º > = 80% Salário 5º > = mínimo nacional em 31/12/2010 (R$ 510,00) FONTE: Dados de pesquisa. AGLOMERAÇÕES EM REGIÕES DE MENOR DESENVOLVIMENTO As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 24
  25. 25. Classificações das regiões segundo o nível de desenvolvimento e o ritmo de crescimento RED 100 +25-50 -25 -25 -50 +25 Nível de Desenvolvimento Ritmo de Crescimento RDD RMDD RDE FONTE: BRASIL (2003). AGLOMERAÇÕES EM REGIÕES DE MENOR DESENVOLVIMENTO As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 25
  26. 26. Determinação das Regiões de Menor Desenvolvimento Relativo do RS 1 2 3 4 5 6 7 8 910 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 Legenda: 1 – Alto da Serra do Botucaraí; 2 – Alto Jacuí; 3 – Campanha; 4 – Campos de Cima da Serra; 5 - Celeiro; 6 – Central; 7 – Centro Sul; 8 – Fronteira Noroeste; 9 – Fronteira Oeste; 10 – Hortênsias; 11 – Jacuí Centro; 12 – Litoral; 13 – Médio Alto Uruguai; 14 – Metropolitano Delta do Jacuí; 15 – Missões; 16 – Nordeste; 17 – Noroeste Colonial; 18 – Norte; 19 – Paranhana Encosta da Serra; 20 – Produção; 21 – Rio da Várzea; 22 – Serra; 23 – Sul; 24 – Vale do Caí; 25 – Vale do Jaguarí; 26 – Vale do Rio dos Sinos; 27 – Vale do Rio Pardo; 28 – Vale do Taquari. Idese Var. PIB RDD RDE RMDD RED -10% -8% -6% -4% -2% 0% 2% 4% 6% 8% 10% -40% -30% -20% -10% 0% 10% 20% 30% 40% FONTE DOS DADOS BRUTOS: FEE (2013). 26
  27. 27. Quadro 4 Classificação dos Coredes do Rio Grande do Sul, segundo o nível de desenvolvimento e o ritmo de crescimento — 2010 CLASSIFICAÇÃO COREDES Regiões desenvolvidas em expansão Alto Jacuí e Serra. Regiões desenvolvidas em declínio Fronteira Noroeste, Metropolitano Delta do Jacuí, Noroeste Colonial, Produção, Vale do Rio dos Sinos e Vale do Taquari. Regiões em desenvolvimento Campos de Cima da Serra, Central, Fronteira Oeste, Hortênsias, Litoral, Médio Alto Uruguai, Nordeste, Norte e Sul. Regiões menos desenvolvidas em declínio Alto da Serra do Botucaraí, Campanha, Celeiro, Centro-Sul, Jacuí-Centro, Missões, Paranhana-Encosta da Serra, Rio da Várzea, Vale do Caí, Vale do Jaguari e Vale do Rio Pardo. FONTE: Resultados da Pesquisa. AGLOMERAÇÕES EM REGIÕES DE MENOR DESENVOLVIMENTO As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 27
  28. 28. AGLOMERAÇÕES EM REGIÕES DE MENOR DESENVOLVIMENTO As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 28
  29. 29. • BLOCO 2: Aglomerações relevantes para o emprego Quadro 14 Síntese dos critérios e restrições para a identificação das aglomerações relevantes para o emprego industrial no Rio Grande do Sul — 2010 CRITÉRIOS ORDEM RESTRIÇÕES Salário médio 1º > = R$ 510,00 Empregos 2º > = 500 Participação no emprego do Corede 3º > = 1% Participação no emprego da classe de atividade 4º > = 15% Participação no valor das saídas do Corede 5º > = 1,5% Número de estabelecimentos 6º > = 20 FONTE: Resultados da pesquisa AGLOMERAÇÕES DE MAIOR RELEVÂNCIA PARA O EMPREGO As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 29
  30. 30. AGLOMERAÇÕES DE MAIOR RELEVÂNCIA PARA O EMPREGO As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 30
  31. 31. • Importância para a economia: – Maior esforço para a geração de novos conhecimentos e tecnologias, bem como para sua difusão; – Maiores janelas de oportunidades para novos desenvolvimentos, em relação aos demais setores da economia; – Maior potencial para a difusão de novas tecnologias para outros setores; – Maiores taxas de lucro e de crescimento destas atividades; – Postos de trabalho de maior complexidade e remuneração; AGLOMERAÇÕES INTENSIVAS EM TECNOLOGIA As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 31
  32. 32. AGLOMERAÇÕES INTENSIVAS EM TECNOLOGIA As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 32 Aeronáutica e espacial Construção e reparação naval Farmacêutica Borracha e produtos plásticos Material de escritório e informática Carvão, produtos de petróleo refinado e combustível nuclear Equipamentos de rádio, TV e comunicação Outros produtos minerais não metálicos Instrumentos médicos de ótica e precisão Produtos metálicos Máquinas e equipamentos elétricos Produtos manufaturados e bens reciclados Veículos automotores, reboques e semirreboques Madeira e seus produtos, papel e celulose Produtos químicos Alimentos, bebidas e tabaco Equipamentos para ferrovia e material de transporte Têxteis, couro e calçados Máquinas e equipamentos mecânicos média-baixa baixa Taxonomia de intensidade de esforço tecnológico de setores da indústria de transformação - OCDE FONTE: CARTA IEDI (2013). NOTA: Elaboração combase na taxonomia da OCDE/Standatabase. alta média-alta
  33. 33. AGLOMERAÇÕES INTENSIVAS EM TECNOLOGIA As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 33 Quadro 13 Síntese dos critérios e restrições para a identificação das aglomerações intensivas em tecnologia no Rio Grande do Sul — 2010 CRITÉRIOS ORDEM RESTRIÇÕES Intensidade tecnológica 1º Alta e média-alta Número de empregados com mestrado e/ou doutorado 2º > zero % de empregados com curso superior completo 3º > = 5% Participação de cada classe no valor das saídas do Corede 4º > = 1% FONTE: Resultados da pesquisa. • BLOCO 3: Aglomerações intensivas em tecnologia
  34. 34. As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 34 Legenda: Média-Alta Alta Metropolitano-Delta do Jacuí Serra Produção Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda Fabricação de peças e acessórios para veículos automotores não especificados anteriormente Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador não customizáveis Fabricação de peças e acessórios para o sistema de freios de veículos automotores Fabricação de máquinas e equipamentos para a agricultura e pecuária, exceto para irrigação Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis Fabricação de cabines, carrocerias e reboques para veículos automotores Fronteira Noroeste Fabricação de peças e acessórios para veículos automotores não especificados anteriormente Fabricação de máquinas e equipamentos para as indústrias de alimentos, bebidas e fumo Fabricação de máquinas e equipamentos para agricultura e pecuária, exceto para irrigação Fabricação de componentes eletrônicos Norte Vale do Caí Vale do Rio dos Sinos Fabricação de máquinas e equipamentos para uso industrial específico não especificados anteriormente Fabricação de produtos químicos orgânicos não especificados anteriormente Fabricação de máquinas-ferramenta Aglomerações industriais intensivas em tecnologia identificadas após a aplicação dos filtros nos Coredes do Rio Grande do Sul — 2010 FONTE DE DADOS BRUTOS: BRASIL (2010) e RIO GRANDE DO SUL (2010). Nota: Elaborado a partir da taxonomia de intensidade tecnológica de setores industriais da OCDE (OCDE/Standatabase). AGLOMERAÇÕES INTENSIVAS EM TECNOLOGIA
  35. 35. AGLOMERAÇÕES INTENSIVAS EM TECNOLOGIA As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 35
  36. 36. • Aglomerações selecionadas nos três blocos de análise: • Agregando-se as aglomerações produtivas por um critério de similaridade produtiva e proximidade geográfica, e eliminando-se os casos repetidos entre os blocos, foram identificadas 79 aglomerações industriais selecionadas no Rio Grande do Sul SÍNTESE DOS RESULTADOS As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 36 Tabela 19 Representatividade econômica das aglomerações selecionadas, segundo os três blocos de análise, no Rio Grande do Sul — 2010 BLOCOS CASOS SELECIONADOS NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS NÚMERO DE EMPREGOS VALOR DAS SAÍDAS DO RS (%) Regiões Menos Desenvolvidas em Declínio e em Desenvolvimento .................................................. 66 3.477 76.394 6,51 Importantes para o emprego ................................. 30 5.710 188.343 19,13 Intensivos em tecnologia ....................................... 15 708 48.368 5,36 TOTAL .................................................................... 98 8.046 241.691 24,30 FONTE DOS DADOS BRUTOS: BRASIL (2010). RIO GRANDE DO SUL (2010).
  37. 37. SÍNTESE DOS RESULTADOS As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 37
  38. 38. • Destaque para os Coredes Serra (11 casos / 8 aglomerações) e Metropolitano Delta do Jacuí (7 casos / 3 aglomerações); • Em geral predominam aglomerados de atividades de baixa e média- baixa intensidade de esforço tecnológico; • São atividades intensivas em trabalho e/ou voltadas para a extração e processamento de recursos naturais; – Fabricação de Alimentos (24 / 24); – Fabricação de couro-calçados (8 / 2), móveis (11 / 10), e confecções e têxteis (7 / 7); SÍNTESE DOS RESULTADOS As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 38
  39. 39. • Expressiva participação de setores da cadeia produtiva metalmecânica (19 casos / 15 aglomerações); • Número significativo de aglomerações industriais que possuem vínculo direto com a agropecuária (32 casos / 29 aglomerações); • Baixa participação de aglomerados de alta intensidade de esforço tecnológico (12 casos / 8 aglomerações); – Software (6 casos / 2 aglomerações); SÍNTESE DOS RESULTADOS As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 39
  40. 40. CONSIDERAÇÕES FINAIS As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 40  Independentemente dos tipos de concentração espacial de empresas especializadas identificados, essa informação é importante: a. Por um lado, todos possuem economias de aglomeração que, se apoiadas, podem fornecer vantagens competitivas capazes de melhorar o desempenho das empresas e o desenvolvimento de regiões do RS; b. Por outro lado, o mapeamento tende a refletir a forma como a matriz econômica do Estado está organizada no espaço, inclusive, identificando “vocações” por região, relevantes à aplicação de políticas de desenvolvimento regional.
  41. 41. Aglomerações Coredes Atividade 1 Vale do Rio dos Sinos Calçados e suas partes 2 Alto Jacuí Máquinas e implementos agrícolas 3 Vale do Rio dos Sinos Fabricação de máquinas-ferramenta 4 Serra Móveis 5 Sul Fabricação de instrumentos e materiais para uso médico e odontológico e de artigos ópticos 6 Alto da Serra do Botucaraí Lapidação de gemas e fabricação de artefatos de ourivesaria e joalheria 7 Metropolitano Delta do Jacuí Fabricação de componentes eletrônicos 8 Sul Conservas de frutas 9 Vale do Taquari Laticínios 10 Jacui Centro e Central Máquinas e Implementos Agrícolas 11 Serra Fabricação de peças e componentes para veículos automotores 12 Fronteira Noroeste/Celeiro Laticínios ENCAMINHAMENTOS DA PESQUISA Do conjunto de aglomerações selecionadas, 12 serão analisadas em detalhe (9 industriais e 3 agroindustriais). As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 41
  42. 42. ENCAMINHAMENTOS DA PESQUISA As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 42
  43. 43. ENCAMINHAMENTOS DA PESQUISA Etapas de estudo das 12 aglomerações: I) Caracterização preliminar de cada aglomeração a partir de dados secundários (Relatório I); II) Realização das Oficinas de Campo e aplicação de questionários; III) Redação de relatório final de análise (Relatório II). Por meio do estudo das 12 aglomerações será possível: I. compreender sua dinâmica de funcionamento; II. identificar os entraves à competitividade das empresas que a compõe; III. avaliar as vantagens locacionais existentes e o potencial de desenvolvimento engendrado por cada aglomeração e; IV. avaliar os vínculos de articulação, interação, cooperação e aprendizagem entre as empresas aglomeradas e com outros atores locais tais como governo, associações empresariais, instituições de crédito, ensino e pesquisa. As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 43
  44. 44. ENCAMINHAMENTOS DA PESQUISA As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 44 Oficinas de Trabalho: Fonte: Zawislak (2013)
  45. 45. ENCAMINHAMENTOS DA PESQUISA As Aglomerações Industriais do Rio Grande do Sul: Identificação e Seleção 45
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×