Your SlideShare is downloading. ×
A cadeia mundial da indústria oceânica e seus elos   oscar azevedo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

A cadeia mundial da indústria oceânica e seus elos oscar azevedo

1,855
views

Published on

Published in: News & Politics

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,855
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. A CADEIA MUNDIAL DA INDÚSTRIA OCEÂNICA E SEUS ELOS Seminário: Cenários Internacionais para o Desenvolvimento Econômico do Rio Grande do Sul Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore (CCPGE) 6/12/2012
  • 2. - Cenário Mundial - Preço e Demanda - Capital Humano e Tecnologia - Petrobras e outras operadoras - Rio Grande do Sul - Perspectivas
  • 3. Mercado de Serviços e Equipamentos de E&P - Petróleo e Gás BNDES, Bain & Company 2012
  • 4. Metas de Produção ABENAV 2012
  • 5. Cenário da Indústria Brasileira de Petróleo e Gás 4 Grandes Tipos de Projetos até 2020 FPSO/SS, Barcos de Apoio, Sondas e Refinarias
  • 6. Escala suficiente para desenvolver sólida cadeia produtiva de bens e serviços local A demanda por bens e serviços no setor Offshore será em torno de US$ 400 bilhões até 2020 GASTOS E INVESTIMENTOS NO SETOR DE E&P OFFSHORE (US$ bi 2009) 400 (INVESTIMENTO E GASTOS INVESTIMENTO OPERACIONAIS) 312 231 155 Investimento consolidado do setor 86 30 71 25 129 30,3 191 33,6 0,6 324ACUMULADO 255 30,1 33,8 0,5 9,8 2008 0,5 8,7 10,9 0,5 7,6 6,8 9,5 10,1 9,4 10,2 1,5 14,5 DISPÊNDIO TOTAL 4,2 6,0 1,7 4,7 5,0 1,9 5,3 4,7 2,1 5,7 4,7 2,3 6,0 5,0 2,4 2010 2012 2014 2016 2018 2020 25,1 1,0 6,0 22,3 1,0 2,7 5,3 3,8 7,5 Construção de Petroleiros e Barcos de Apoio Construção de Unidades Produtoras Construção de Sondas Desenvolvimento da Produção Exploração e Avaliação Sísmica Nota: Inclui sondas e unidades produtivas já arrendadas Fonte: Agenda da Competitividade. ONIP (2010).
  • 7. Investimentos na Indústria - 2012-2015 R$ bilhões Fonte: BNDES. Visão do Desenvolvimento nº 100 abril2012 PE- CC-ONIP-Nov12
  • 8. Investimentos Petrobras no Rio Grande do Sul  Em Rio Grande: Construções Offshore • US$ 9,5 Bilhões • 15.000 Empregos diretos • 45.000 Empregos indiretos  Em Canoas: Ampliação da REFAP (UHDT II) • R$ 1.6 Bilhão • 3.500 Empregos diretos • 10.000 Empregos indiretos Fonte: Petrobras/UTC
  • 9. Petrobras ONIP 2012
  • 10. Pré-Sal Bacia de Campos e descobertas 2010-2011 Whale Park CREALB ALBACORA BRAVA TRACAJÁ BARRACUDA CARIMBÉ Fonte: Petrobras E&P
  • 11. Logística Offshore Fonte: Petrobras E&P
  • 12. A Cadeia Produtiva de Petróleo e Gás no Rio Grande do Sul Integração com a Cadeia de P&G Matérias Primas Metal-Mecânica Eletroeletrônica Equipamentos Automação Canteiros Offshore Grandes Equipamentos Grandes Estruturas Estaleiros Fonte: AGDI
  • 13. Polo Offshore do Jacuí e Polo Offshore de Rio Grande Polo do Jacuí: Charqueadas Triunfo São Jerônimo Polos de Construção Naval e Fabricação de Módulos Polo de Rio Grande: Rio Grande São José do Norte Pelotas
  • 14. Componentes e equipamentos fornecidos pelo RS
  • 15. Componentes e equipamentos fornecidos pelo RS
  • 16. Formação de Recursos Humanos 2012 - R$ 235.000,00 de investimento - formação de cerca de 160 profissionais – parceria SENAI e empresas Polo Naval áreas de Caldeiraria, Soldagem e Ajustador Mecânico. Contratação de 19 turmas de soldador de arame tubular do SENAI - 380 profissionais capacitados até o final de 2013. Execução dos ciclos do PROMINP – SENAI, FURG, IF’S Grupo de trabalho demandas Polo do Jacuí
  • 17. Estudos direcionadores • Diretrizes Básicas da Indústria para o Plano de Desenvolvimento da Indústria Oceânica do RS • Avaliação do impacto regional e local decorrente da implantação do Estaleiro EBR em São José do Norte
  • 18. Projetos 2013 - 2015 • Programa de Competências em processos de produção industrial de empresas do Estado do Rio Grande do Sul para suprimento do setor de petróleo, gás, naval e offshore • Polo Tecnológico e Arranjo Produtivo Local de Petróleo, Gás, Naval e Offshore do Rio Grande do Sul
  • 19. Programa de Competências em processos de produção industrial Identificar os processos industriais, competências de produção e capacidade instalada de um conjunto de empresas industriais do Rio Grande do Sul Público-Alvo: 100 empresas industriais (médias, médias grandes e grandes) Início: janeiro de 2013 Diagnóstico empresarial, Processo de Soldagem, Processo de Tratamento Térmico, Processo de Pintura, Processo de Usinagem, Processos Eletrônicos , Processos de Conformação, Processo de Fundição, Manutenção e Ferramentaria, Engenharia e Automação, Transformação de Materiais, Laboratórios – Ensaios Mecânicos e Controle Dimensional.
  • 20. Núcleo de Aceleração de Negócios nas Operações de Petróleo, Gás, Naval e Offshore Constituição do Núcleo de Aceleração de Negócios nas Operações de Petróleo, Gás, Naval e Offshore do Rio Grande do Sul incrementar o ambiente de cooperação e governança voltado para aproveitar as oportunidades crescentes do setor de Petróleo, Gás, Naval e Offshore Parceiros: Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Forum do PROMINP Indústria RS (REFAP), PETROBRAS, Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), Governo do Estado do Rio Grande do Sul, por meio da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI)
  • 21. Desafios - Educação – médio e longo prazo - Retomada da engenharia nacional - Adequação dos programas de qualificação profissional de acordo com a demanda efetiva da indústria - Maior engajamento das empresas em atividades de inovação - Ampliação da base de empresas credenciadas para fornecimento ao Sistema Petrobras e outras Operadoras - Apoio ao desenvolvimento de produto e certificação - Ampliar o Conteúdo Regional
  • 22. Desafios Curva de Aprendizado Conteúdo Local x Desenvolvimento Tecnológico x Custos/Prazo/Qualidade
  • 23. Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore Algumas empresas participantes
  • 24. Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore
  • 25. Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore Fortalecimento da Atuação em Rede
  • 26. Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore CCPGE Oscar de Azevedo - Coordenação Equipe Escritório FIERGS P&G Paulo Sérgio Dias - Coordenador Geral Daniel Bittencourt Andriotti - Executivo Breno Medeiros - Especialista Lilian Cruz- Assessoria E-mail: ccpge@fiergs.org.br Telefone: (51) 3347.8990