CALVÃO EM CHAMAS!                                VAGOS OPEN AIR 2011                                FOI ASSIM!Morbid Angel...
2 // 18 de Agosto 2011
por exemplo, iniciaram algumas viagens alucinógenas se utili-         FOTOGRAFIA. AVEIRO  POR CIMA DA CARNE SECA          ...
Calvão em chamas!     Lagoa de Calvão, 5 e 6 de Agosto Anthema (c) Victor HugoO primeiro fim-de-semana de Agosto viu mais ...
Townsend e os seus comparsas brindaram os                                          presentes com autênticos espasmos music...
Aduf + UxiaO festival celtaregressouao MinhoFolkcelta, Ponte da Barca,12 e 13 de Agosto Aduf                              ...
son não se uniram à família neste evento. A mãe do rei da Pop,                                                            ...
DJ. R SOUND                                                         Agenda Agosto. OLÁ RIA BAR                            ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Clip 373

186
-1

Published on

Nona coluna no CLIP do Diário de Aveiro, Portugal. 18 de agosto de 2011.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
186
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Clip 373

  1. 1. CALVÃO EM CHAMAS! VAGOS OPEN AIR 2011 FOI ASSIM!Morbid Angel (c) João Tavares 373 Quinta-Feira | 18 de Agosto 2011 | Ano VI | Telefone 234000031 | este suplemento semanal de cultura é parte integrante do Diário de Aveiro www.diarioaveiro.pt www.focosonoro.pt focosonoro@sapo.pt fax|tel. 234 911 241 rua luís camões, 58 3800-543 CACIA 18 de Agosto 2011 //3
  2. 2. 2 // 18 de Agosto 2011
  3. 3. por exemplo, iniciaram algumas viagens alucinógenas se utili- FOTOGRAFIA. AVEIRO POR CIMA DA CARNE SECA zando de medicamentos liberados pelo dentista da banda, obvia- mente então que a finalidade primária da substância era outra. A Centro Comercial Glicínias Plaza partir dai o aprofundamento técnico a fim de controlar e inten- sificar os efeitos começam a ser perigosos. Não sou um condena- dor da” natureza”, mas sim das atitudes destrutivas que o homem “Gilberto, o último bolero” desenvolve quando visualiza uma oportunidade de manipular, de maneira sintética. Isso pode fazê-lo, ou fazer-nos, perder o con- Luis Miguel Pinto trole e levar a destruição social total. Acredito que o contexto virtual ainda não tenha sido esclarecido, Crónica brasileira por Felipe Antunes mas devem ter havido diferentes teorias particulares ao longo http://porcimadacarnesecaemportugal.blogspot.com/ dessa leitura. Na verdade existe mesmo uma droga chamada de virtual (são diferentes daquelas músicas que costumamos ouvir e perguntar: Meu Deus, que droga é essa?), que é baseada em somCaldo Negro e imagem. Antes de escrever o texto de hoje experimentei essa viagem virtual. E posso dizer que realmente existe um estímulo cerebral que altera um pouco a maneira como as coisas se movi- mentam lentamente a sua volta (aquelas mesmas que não eramQuímico? Físico? Psicológico? Virtual? Científico? Tantas pergun- para estar se movimentando). Claro que o efeito depende muito detas que podem canalizar ou distanciar rapidamente. Em uma épo- volume, concentração, tempo, repetições e etc.ca em que as discussões sobre perturbações psicológicas e efeitos A alteração de consciência pode trazer inovação e vanguardismoentorpecentes voltam ao destaque por conta da morte de Amy no processo de criação, obviamente que nem sempre isso significaWinehouse, todas essas perguntas nos retomam o raciocínio puri- qualidade, como aliás nenhuma fórmula até hoje foi inventadatano e alternativo. O que parece estranho nisso tudo é o “virtual” para esse fim. Afinal não depende apenas da técnica e da estruturae o “científico” misturados aos entendimentos formatados nos que você tem, mas também da inspiração e entrega de cada se- Inaugurada no dia 11 de Agosto o trabalho do artista Aveirensenossos dias, como o efeito químico das drogas, já costumeiro aos gunda consciente ou não no ato. Antes, durante e após a criação. Luís Miguel Pinho, conta através de imagens a história de umnossos entendimentos. Na verdade a ideia que jorra pelos cigarros E ainda mais… discute-se para além do exposto, de maneira inter- dos últimos Boleros de Havana em Cuba. Um registo fotográ-por exemplo é além dele mesmo e seu efeito enquanto produto. A pretativa, o que seria qualidade. E é até bom que seja assim, senão fico realizado em 2010 que agora pode ser visitado na galeriarepetição do ato “fumar” gera uma dependência mecânica pela tudo seria muito chato. Art.ur até ao fim de Setembro no Centro Comercial Glicíniasrepetição e costume da atividade. Ligado a tal aparecem “obriga- Diante de toda essa escuridão e das sombras que o tema reluz, é Plaza em Aveiro.ções” da prática que estão conectadas aos hábitos diários como inatingivel o ponto de encontro no equilíbrio. Se é que ele existe!café, cerveja, antes de dormir, depois do almoço e etc… ou seja, Muito porque não é fácil equilibrar o ser humano, que entropi- ART.ur é um projecto de galeria de arte fotográfica de curtaapego psicológico. E enfim a dependência mais sabida porém me- camente se desorganiza a pedido do universo. A arte por vezes é duração montada em espaços não convencionais ou em espa-nos esclarecida ao trato popular, que dispensa apresentações pois mesmo obscura, como aquele caldo amanhecido de um cigarro ços comerciais não ocupados. Com objectivos na dinamizaçãovitimiza o tempo todo, que é a química. aberto. Por vezes também é como a névoa espessa que sangra da cultural de espaços em subaproveitamento e criação e orien-A intenção, claro, não é contrariar a liberdade de escolha que resposta dos pulmões a ele… E ainda em outras só é limpa e simples tação de projectos de autor, contando com uma forte e sedi-cada um tem. Mas apenas tentar entender e assim já perguntar o como a água nascente escondida das mãos humanas. Cabe a cada mentada presença.porque de tudo isso? A ciência acaba sendo de grande importância um aprender o limite, valorizar os sabores e texturas das respos-no desenvolvimento preciso de substâncias de intensas propul- tas do organismo, e assim poder beber do caldo que melhor lhe Texto: Miguel Estimasões. Porém, a origem nem sempre é com esta ideia, os Beatles, parecer. Só cuidado que a espessura pode resultar na indigestão! 18 de Agosto 2011 //3
  4. 4. Calvão em chamas! Lagoa de Calvão, 5 e 6 de Agosto Anthema (c) Victor HugoO primeiro fim-de-semana de Agosto viu mais bressair um baixista virtuoso e que terminou da inicio a uma actuação monótona e sem brilho lence, e prosseguiram ainda ao ritmo do deathuma vez as atenções da comunidade metaleira melhor maneira possível com uma muito bem que só viria a arrancar a audiência da letargia metal melódico com os finlandeses Kalmah.nacional totalmente concentradas na pequena recebida cover do intemporal “Raining Blood” quando passou por clássicos como “Whatever O projecto a solo do ex-Emperor Ihsahn era umlocalidade de Vagos, onde decorreu a 3ª edição dos Slayer. that hurts” (de «Wildhoney») ou “The sleeping dos focos de maior expectativa deste dia, e odo festival que já muitos referem carinhosa- Os Anathema protagonizaram um dos melhores beauty” (de «Clouds»). multi-instrumentista norueguês não desapon-mente como o Wacken português. O cartaz concertos deste primeiro dia. Com Daniel Car- Mas essa noite de sexta-feira estava destinada a tou. Apresentando-se em palco com os músicosprometia e, definitivamente, não defraudou as doso nas teclas, a banda de Liverpool tomou terminar em apoteose, ou não fossem os Opeth dos compatriotas Leprous, Ihsahn presenteoumuitas centenas que, durante dois dias, acorre- conta da multidão com o seu rock atmosférico a última banda do alinhamento. E assim foi: ao o público com uma selecção de temas dos seusram ao campo de futebol do G. D. de Calvão para carregado de emoção, desfiando um reportório som de “Grand conjuration” a formação sueca três registos a solo, incidindo especialmente nover e ouvir alguns dos nomes mais sonantes da baseado inicialmente em «We’re Here Because arrancou um set brilhante que revisitou álbuns último, «After». Para gáudio da audiência tocoumúsica extrema actual. We’re Here» e encerrando com o fabuloso como «Still life», «Deliverance», «Damna- ainda dois temas dos Emperor: “Tongue of fire”Quem começou por dar nas vistas não foram, “Fragile dreams” do álbum «Alternative 4». tion» e «Watershed», colocando em evidência e o incontornável “Thus spake the nightspirit”.no entanto, os famosos, mas sim um colectivo Apesar das lamentáveis três ou quatro vezes em toda a dinâmica, variedade e riqueza artística Os preliminares sonoros e visuais durante odesconhecido de todos – os Essence. Suceden- que foram interrompidos por corte de energia, o que caracteriza a música do grupo, enquanto soundcheck que se sucedeu, fizeram logo sus-do-se às actuações dos nacionais Revolution que ficou nos presentes foi a impressão de uma o líder e front-man Mikael Akerfeldt encantou peitar que o que viria a seguir não era mais umWithin e dos Crushing Sun, este grupo de jovens prestação verdadeiramente memorável. com o habitual à vontade e boa disposição com simples concerto de metal. E não foi. Na verdadedinamarqueses fez abanar muitas cabeleiras por Já dos Tiamat não se pode dizer o mesmo. De- que contacta a audiência. tratou-se da actuação mais marcante de todo oentre as hostes do VOA com o seu thrash fresco, pois de uma entrada em palco que atrasou mais As hostilidades do segundo dia iniciaram-se com VOA2011: a dos Devin Townsend Project.embora revivalista, numa actuação que fez so- de meia hora, Johan Edlund e companhia deram os portugueses We are the Damned e os Malevo- Abrindo com “Addicted!”, o hiper-activo Devin 4 // 18 de Agosto 2011
  5. 5. Townsend e os seus comparsas brindaram os presentes com autênticos espasmos musicais de génio, fazendo-se acompanhar por anima- ções sincronizadas centradas na personagem cómica do extraterrestre Ziltoid, que passavam nos dois ecrãs gigantes. A actuação percorreu temas dos DTP e dos álbuns de Devin em nome próprio, tendo contado com a participação de Ihsahn, que a dada altura subiu ao palco para cantar em “Juular”, conforme a versão de es- túdio. Extremamente expressivo e engraçado, o front-man canadiano conquistou facilmente o recinto com a sua personalidade e com o espec- táculo verdadeiramente assombroso que pro- porcionou. A derradeira actuação do VOA estava reservada para os veteranos Morbid Angel, baluartes do death metal norte-americano e por isso um dos nomes mais aguardados do cartaz. Encabeçados novamente pelo lendário David Vincent que estava muito falador, embora pouco inspirado, a banda da Florida esmagou sonica- mente a Lagoa de Calvão, primeiro com “Im- mortal rites”(do primeiro álbum) e depois com clássicos como “Sworn to the black” e “God of emptiness”. Do surpreendente e obscuro «Illud Divinum Insanus» cuspiram ferozmente “Ne- vermore”, “I am morbid” e “Existo vulgoré” com uma performance de primeiríssima catego- ria que arrasou de vez com o auditório, compro- vando uma vez mais porque são ainda uma das potencias mais relevantes da música extrema actual. Com os últimos ecos de “World of shit (The promised land)” no ar, os Morbid Angel deram por encerrada mais uma excelente edição do Vagos Open Air. Ernesto MartinsDevin Townsend Project (c) João Tavares http://cais-do-paraiso.blogspot.com/ 18 de Agosto 2011 //5
  6. 6. Aduf + UxiaO festival celtaregressouao MinhoFolkcelta, Ponte da Barca,12 e 13 de Agosto Aduf Judith MateoCom Agosto a tradição compre-se, regressam a casa os emigran- e à voz irlandesa de Danny Boyle, tendo proporcionado um es-tes e as vilas e aldeias enchem-se de um movimento que só se pectáculo contemporâneo com uma cenografia cuidada e grandesalmeja durante o verão. É nesta altura que em muitos recantos efeitos visuais.deste país festejam os seus santos populares e as festas populares A segunda noite começou com Uxia, que veio a Ponte da Barcajuntam centenas de fieis. É por esta altura que a pequena vila de apresentar o seu último trabalho, “Meu Canto”, uma releitura dosPonte da Barca recebe um curioso festival celta. temas fundamentais do seu repertório e de outros que até hoje nunca tinha abordado, gravado durante uma tournée no BrasilOs portuenses MU , tiveram honras de abertura desta quarta edi- criando uma simbiose de sons entre a Galicia e o Brasil. A leveza dação do festival Folkcelta. Não foi preciso muito tempo para mar- excelente voz da artista Galega, misturada com os Brasileiros Fred Judith Mateocarem o ritmo da festa. Com um percurso musical sólido, tendo Martins e Sérgio Tannus, deixou a assistência rendida ao cancio-já editado dois álbuns e estando para sair um terceiro ainda no neiro Galego, Português e Brasileiro.decorrer deste ano. A sua música é uma fusão e experimentação Não poderia ter terminado melhor estas dobradinhas entre Por-no seio da música tradicional. A reunião de instrumentos oriun- tugal/Espanha com os Aduf. Projecto Lisboeta concebido a partir Mudos de lugares tão diversos como a Índia, o Brasil, Marrocos, Sué- de um convite da Expo 98 a José Salgueiro, tendo como mote umcia permite à banda descobrir uma viagem por mundos perdidos instrumento de percussão de origem árabe – o adufe – com umae resgatá-los até à actualidade. Entre danças esvoaçantes, vozes longa tradição na música popular portuguesa, em particular nosfemininas e instrumentos variados os MU criaram ao vivo um am- cantares femininos da Beira Baixa.biente de alegria contagiante. Os adufes de grandes dimensões marcam este espectáculo, im-Estavam a dar as doze badaladas quando Judith Mateo subiu ao primindo um ritmo forte a todo o espectáculo. Ainda liderado porpalco. Com o seu estilo peculiar dentro do movimento celta es- José Salgueiro e acompanhado por José Peixoto e Maria Berasartepanhol, transmite, para o público, o seu dinamismo e virtuosismo do País Basco. Quase a terminar o concerto subiu ao palco maiscomo violinista. Com uma mistura de celta e algumas combina- uma vez a Uxia para um dueto gracioso. O Folkcelta terminou estações do rock clássico, referencia a Deep Purple com Smoke on the quarta edição de uma forma tão especial que só nos faz esperar porWater, o concerto revela uma mistura de orientações e sentidos uma quinta edição a superar a já excelente qualidade deste eventonão existindo barreiras de espaços previamente estereotipa- Minhoto.dos dentro da sua música. A harmonia do violino une-se ao dobodhran, à guitarra eléctrica, ao baixo, à flauta, à gaita, à bateria Texto e Fotos: Miguel Estima 6 // 18 de Agosto 2011
  7. 7. son não se uniram à família neste evento. A mãe do rei da Pop, Katherine Jackson, juntamente com os filhos La Toya, Tito, Jackie e Marlon anunciou em Los Angeles, a realização de um concerto com fins de homenagem e com fins de caridade. No dia 8 de Outu- bro, várias celebridades mundiais (ainda por anunciar) vão actuar no Millennium Stadium em Cardiff, no País de Gales. Os irmãos Jermaine e Randy estão contra porque o julgamento do médico Conrad Murray tem início no dia 20 de Setembro e estes não estão aproximadamente um mês tem 11 canções novas e várias partici- de acordo com o decorrer de concertos de homenagem enquanto pações: Bernardo Sassetti, o percussionista dos “Foge Foge Ban- ainda se julga o médico por homicídio involuntário… Os bilhetes dido”, António Serginho, Hélder Gonçalves dos Clã. As canções e estarão à venda a partir de hoje e os preços vão oscilar entre os parcerias foram gravadas entre Março e Abril deste ano. Estamos 62 e os 329€. Juntamente com o bilhete, é necessário fazer uma à espera para ouvir! doação a uma das três instituições de solidariedade apoiadas por Michael Jackson enquanto era vivo. Se a procura for muita, irão ao “O único concerto tributo oficial” concerto aqueles que doarem os valores mais altos. Na vida, como Quase toda a família Jackson está de acordo com a homenagem e na morte, um artista solidário. a data decidida! E dizemos quase porque Jermaine e Randy Jack-Harry Potter soma e segue!O oitavo e último filme da série é já um êxito de bilheteiras eentrou para a lista dos mais vistos da história. À frente dele, ape-nas uns quantos que tornaram os seus produtores e directoresainda mais ricos que J.K.Rowling: Avatar, Titanic, entre outros…“Harry Potter e os talismãs da morte – Parte 2” foi, segundo oscríticos, o melhor de todos os filmes da saga e é aquele que maisdinheiro rendeu à Warner Bros: mais de mil milhões de dólaresem receitas de bilheteiras. Daniel Radcliffe e companhia fizeramcom que o filme obtivesse estes números em apenas 17 dias. E es-ses números traduzem-se em cerca de 222,27 milhões de eurosnos Estados Unidos e aproximadamente 482 milhões de euros noresto do mundo. Já foi ver o filme? Em Portugal está em exibiçãoem 95 salas! Se for fã ou quiser tornar-se num, encontre umaperto de si e deixe-se transportar até mundo da magia!Trinta anos a mostrar música.Pode parecer que a frase não soa correctamente, porque a músi-ca ouve-se, não se mostra. Mas foi para nos deixar ver as caras,as inovações e as loucuras que as estrelas faziam que nasceu aMTV! O famoso canal de música, que agora tem as suas variantesna MTV personalizada em cada país, ou MTV Rock ou Dancenasceu há três décadas. No dia 1 de Agosto de 1981, as pessoasque tinham televisão por cabo nos Estados Unidos ouviram acontagem decrescente para o lançamento do Apollo 11 seguidosde um “ladies and gentlemen, rock ‘n’ rol!”! As honras da casaforam feitas pelos Buggles com a famosa “Vídeo Kill the RádioStar” e a partir daí nunca mais a MTV deixou de nos dar música!Chegou à Europa no dia 1 de Agosto de 1987, e cá continua. Para-béns MTV!“Gebo e A Sombra”É o nome do filme queManoel de Oliveiracomeçará a rodar nofinal do mês de Agos-to, e que sucede a “OEstranho Caso de An-gélica”. È baseado naobra de Raul Brandãoe tem como objectivoprestar uma homenagem aFrança, contando-nos os sacrifícios feitos por um casal de ido-sos, interpretados por Michel Piccoli e Ludivine Clerc, para pro-teger o filho fugitivo, a quem dará vida Ricardo Trepa, o netodo realizador. O idioma será o francês e o orçamento é de 2,2milhões de euros, semelhantes ao dinheiro investido no ante-rior trabalho do centenário director. Foram duas as produtorasque se associaram a este projecto: O Som e a Fúria e Mact Prods,que trabalham pela primeira vez com o realizador mais velho docinema.Sérgio Godinho regressou ao estúdio…E vai presentear-nos com um novo álbum de originais. MútuoConsentimento é o nome do disco que será posto à venda nodia 12 de Setembro: exactamente 40 anos depois da publicaçãode “Os Sobreviventes”. O último trabalho do cantor, “LigaçãoDirecta” tem cinco anos, e o que poderemos ouvir dentro de 18 de Agosto 2011 //7
  8. 8. DJ. R SOUND Agenda Agosto. OLÁ RIA BAR Concertos. FESTIVAL DO BACALHAU, 22h Jardim Oudinot, Gafanha da Nazaré Dia 17 - 4ª Feira - Mr. Drew (Dj Set) Dia 18 - 5ª Feira - Jam Session Dia 19 - 6ª Feira - Pedro Marques (Dj Set) Dia 20 – Sábado - Musica ao Vivo Dia 24 - 4ª Feira - R Sound (Dj Set) Dia 25 - 5ª Feira - Jam Session Dia 17 de Agosto Rita Red Shoes20 Agosto Club 8 das 03H às 06H Dia 26 - 6ª Feira - Pedro Gonzaga (Dj Set) Dia 18 de Agosto Emanuel24 Agosto Olá Ria das 23:30h às 04H Dia 27 - Sábado - Musica ao Vivo Dia 20 de Agosto Camané17 Setembro Canto Vivo, Aveiro das 23:30H às 04h Dia 31- 4ª Feira - Pedro Menicio (Dj Set) Dia 21 de Agosto Miguel GameiroFICHA TÉCNICA::: Edição Diário de Aveiro ::: Director: Adriano Callé Lucas Director-Adjunto: Ivan Silva ::: Director de publicidade: Ivo Almeida (ivo.almeida@diarioaveiro.pt) ::: Editora: Maria JoãoAzevedo (clip.maria@gmail.com) ::: Design e Paginação: Mariana Castro (miiidemiii@hotmail.com)::: Impressão: FIG ::: Tiragem: 8000 exemplares 8 // 18 de Agosto 2011

×