Clip 353

483 views
427 views

Published on

Terceira coluna no CLIP do Diário de Aveiro, Portugal. 18 de março de 2011.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
483
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
39
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Clip 353

  1. 1. Uma Fartura... de Música! Vem aí a Feira de Março À conversa com Luísa Sobral E n propostas culturais353 Quinta-Feira | 17 de Março 2011 | Ano VI | Telefone 234000031 | este suplemento semanal de cultura é parte integrante do Diário de Aveiro www.diarioaveiro.pt www.focosonoro.pt focosonoro@sapo.pt fax|tel. 234 911 241 rua luís camões, 58 3800-543 CACIA
  2. 2. Concurso. ALBERGARIA -A-VELHA Música. MERCADO NEGRO. Sábado às 22h, AveiroCasting Despertar Talentos BLINDAGEM e BERKANA e vídeo com todas as condições afim de melhor apresentam ÁRNICA + Cerebral Pain lentos avaliar todos os concorrentes. Os concorren- tes fazem uma série de actividades de descon- tracção e relaxamento para que no momento de enfrentar o Júri tudo pareça natural. Cada concorrente interpreta duas músicas. Uma obrigatória e comum a todos os concorrentes e um tema livre seleccionado a partir de uma lista disponibilizada. O certo é que a qualidade dos concorrentes, cri- anças entre os 6 e os 10 anos, apresenta-se com uma média bastante elevada, o que esta a deixar o júri com um enorme problema para resolver: a selecção de apenas 9 finalistas. Os 9 finalistas actuarão na Grande Gala Desper-Esta a decorrer a fase de selecção dos concor- tar Talentos no Albergaria Convida 2011 onderentes para o Despertar Talentos edição de 2011 lhes esperam milhares de espectadores e muitosorganizado pela Câmara Municipal de Alberga- desafios.ria-a-Velha. Está previsto um conjunto de 4 diaspara concluir todo o casting. Vídeo disponível no Facebook do Clip.Com centenas de crianças, as provas de selecçãoocorrem na Incubadora de Empresas onde foi Sérgio Pereirapropositadamente instalado um estúdio de som www.quecena.ptMúsica. CAFÉ TEATRO. Salão Nobre Teatro AveirenseMiguel Moreira Sexteto concluiu o curso de Percussão Clássica na Escola Profissional de Música de Música de Espinho sob a orientação de Miguel Bernat. Integrou grupos de Música de Câmara e Orquestra, tendo parti- cipado em Seminários com Georges Elie Octors, entre outros. Participou como músico convi- dado nos Drumming, e em vários projectos mu- sicais com o percussionista Andres “Pancho” Tarabbia, com quem adquiriu conhecimentos de música tradicional de África (Guiné Conakri), Uruguai e Cuba. Regressou ao estudo de guitarra O ano de 2011 está a revelar-se um bom pronun- A primeira parte vai ser assegurada pelo pro- eléctrica com Serafim Lopes e Pedro Barreiros. cio para os eventos realizados pelo Blindagem. jecto Cerebral Pain. Uma inspiração musical do Actualmente é aluno finalista da licenciatura Esta equipa começou o ano em grande com o 10º seu criador, músico criativo mas continuamente em Jazz da ESMAE e estuda com Nuno Ferreira Blindagem Metal Fest, em Ílhavo, a 5 de Fevereiro só na sua música. Durante os últimos 2 anos e e Afonso Pais. Participou na 5ª , 6ª e 7ª edição da e acabou esse mesmo mês com um fantástico e meio, tem labutado para tentar aprender umas Festa do Jazz no Teatro S. Luís, no grupo da ES- íntimo concerto de Ava Inferi, em Vagos. coisas e transmitir toda a raiva e melancolia que MAE que obteve o 1º Prémio. Integra várias for- lhe vai no sangue (…) Apesar de o acordeão ter mações de Jazz, lideradas nomeadamente por, Para dia 7 de Maio, o Blindagem, em conjunto ficado a apodrecer durante muito tempo na suaO guitarrista Miguel Moreira apresenta um re- Mário Santos, Michael Lauren, Pedro Barreiros, com Berkana, está a organizar uma noite Folk respectiva caixa, aos 18 anos deu-se um cliquepertório exclusivamente composto por temas António Augusto Aguiar, entre outros. em Aveiro, no Mercado Negro, no coração da ci- qualquer para reaprender a tocar esse dignís-originais, resultado de um trabalho de pesquisa Faz parte do corpo docente da Escola de Jazz do dade, nas margens da Ria.... simo instrumento.” (1)e experimentação desenvolvido nos últimos Porto. Àrnica, de Espanha, é a banda confirmada.dois anos. Finalista do curso de Jazz da ESMAE, Em 2009 forma o seu quinteto que fez a sua es- Outra banda, que abrirá a noite, será anunciada Tiago Marques (a.k.a. Cerebral Pain) é o respon-integrou o grupo da escola premiado na Festa treia no Ciclo de Novos Valores do Jazz da Casa brevemente. sável por todos os instrumentos (acordeão, sin-do Jazz no Teatro S. Luiz em Lisboa e faz parte da Música. tetizador, guitarras, programações, etc.)de várias formações lideradas por Mário Santos, Para os amantes de puro Folk e baseado em lendasMichael Lauren, Pedro Barreiros e António Au- Tome Nota: Sábado, 19 de Março, bilhetes a 3 ancestrais, os Àrnica são uma banda a não perder. Tome Nota: preço dos bilhetes é de 8 euros. En-gusto Aguiar. euros. Miguel Moreira - guitarra eléctrica e 12 Oriundos de Espanha, vão trazer até Aveiro as es- tradas limitadas- reservas de bilhetes no mail: cordas; Mário Santos – saxofones; João Mor- tórias e antigas tradições, que se escondem nos Pi- blindagem@mail.ptNasceu no Porto em 1982. Iniciou os estudos tágua - saxofones rinéus, em forma de cantares e sonoridades pagãs.musicais de guitarra na Escola de Jazz do Porto Alexandre Dahmen – piano; Pedro Barreiros - Já incorporados em várias compilações, “Viejoe, posteriormente na Academia de Música de Contrabaixo e baixo eléctrico e José Marrucho Mundo” (2010) é o trabalho mais recente dos Àr- Texto: Diogo FerreiraEspinho em guitarra e percussão. Em 2002, - Bateria nica. Foto: André Henriques 2 // 17 de Março 2011
  3. 3. O que é que se passa?Espinho. AUDITÓRIO DE ESPINHO«Che diavolofate?», de LuísCarolino4ª Produção do Ballet Contemporâneo do Norte, com cri- ópera enquanto género artístico se mantenha e perdure: Música. CINE-TEATRO ANTÓNIO LAMOSO.ação, direcção, e composição coreográfica de Luís Caro- um sentir que ultrapassa toda a lógica; um excesso que 18 de Março ás 22hlino e interpretação de Susana Otero, Rui Marques, Sara nunca é suficiente; uma loucura trágica e um raciocínioLeite e Flávio Rodrigues. dramático que, sim, as mais das vezes não fazem sentido, The Legendary Tiger Man hou notoriedade musical. Desde 2002Tendo como matéria de trabalho o universo do espectá- mas que são irresistíveis. a solo, com o sabor tradicional do seu «Femina» é o novo álbum do Legen-culo de ópera oitocentista, Che Diavolo Fate? desenvolve- TOME NOTA: bilhetes entre os 5 e os 7 euros, reservas: folk, que ao invés de se apoiar em es- dary TigerMan, o alter-ego de Paulose à volta de tudo aquilo que faz com que a paixão pela 227 341 145/ 227 340 469 truturas básicas de guitarras acústicas Furtado. «Femina» conta com as colaborações se dedicou ao multi-instrumentalis- Estarreja. CINE-TEATRO DE ESTARREJA de Asia Argento, Peaches, Lisa Kekaula mo, Nuno Prata vem agora ao Fórum (BellRays), Becky Lee, Phoebe Kill- FNAC dar a conhecer o seu segundoJoan as Police Woman deer, Rita Redshoes, Claúdia Efe (Mi- trabalho a solo, Deve Haver . O título cro Audio Waves), Maria de Medeiros, inspirado num livro antigo do seu avô, Mafalda Nascimento e o Cais do Sodré inclui uma versão, em português, de Cabaret. Used to be de Gordon Gano.«interpretation domination», hoje «Deve Haver» - Nuno Prata Tome Nota: bilhetes a 20 euros, reser- Foi como baixista da banda portuense vas: 256370802 / 707234234 No Cine-Teatro de Estarreja (CTE) Ornatos Violeta que Nuno Prata gan- Performance intimista em duo, com Joan Wasser e Timo Música. TEATRO AVEIRENSE.23 de Março ás 22h Ellis que reinterpretam trabalhos de outros artistas jun- tamente com canções originais escritas pela cantora. São temas retirados do novo álbum de Joan as Police Woman - “Cover”. Joan As Police Woman é cantora, composi- tora, multi-instrumentista e tem um curriculum inve- jável - tocou com Lou Reed e Leonard Cohen, integrou a formação de Anthony & the Johnsons e já tocou no mundo inteiro em nome proprio. Timo Ellis é um multi- instrumentista e produtor musical de Nova Iorque. Faz TOME NOTA: bilhetes entre os 15 e os 18 euros, reser- parte das bandas The Netherlands e Miss Michigan e é vas: 234 811 300 http://www.myspace.com/joanaspo- dono da Tapes Records. licewomanSÓ(R)RIR – Festival de Humor SAMUEL ÚRIA ganem-se os profetas da desgraça, doE contínua a 6ª. Edição do SÓ(R)RIR – FESTIVAL DE HUMOR + GOLPES + Ciclo Roque Beat terrorismo-revivalismo, do rebanhoA 18 de Março é a vez de José Cruz com, “Olá”uma proposta Esta é a verdadeira essência do Roque de antanho: Os Golpes não são do pas-de teatro imperdivel, ou não tivesse já ganho o 1º Prémio no Beat 2011 . Espectáculos únicos, onde a sado. A grande ironia geográfica desteFestival «Rires en Seine ... et Marne!» troca de experiências entre músicos são país hipnotiza-nos com a sua cauda. Os“Em algumas palavras... ele é José Nuno Manuel Coelho Du- uma constante. O arranque do Roque Golpes estão noutra ponta: a garraiar osarté De Jesus De Vasconcelos de Oliveira Da Cruz... Olá! Beat 2011, é no próximo mês de Março cornos do porvir. O seu primeiro discoÉ um actor que nasceu e vive em Paris, filho de pais portu- com os GOLPES + SAMUEL ÚRIA de longa duração, Cruz Vermelha Sobregueses, e que fala “Frantougais”. Fundo Branco foi lançado em 2009 eEle procura o amor e sonha com Hollywood. Samuel Úria nasce no decote da nação, recebeu críticas entusiasmantes, paraUm dia, com certeza, a vida vai ser bela como nos filmes, entre o Caramulo e a Estrela, Úria traz além de figurar na maioria das listas deporque quando queremos, podemos... Sempre tentando! para os palcos os blues do Delta do Dão. melhores discos e canções do mesmo Este one-man show narra a vida de uma personagem: De lenda rural para lenda urbana, tudo ano. Agora, em 2010, com o objectivoO espectáculo fala dos seus sonhos através de seus pais, dos está certo: meio homem meio gospel, de marcar o intervalo entre o primeiroseus amigos, os seus encontros amorosos e profissionais. mãos de fado e pés de roque enrole. disco e o que se seguirá, a banda enten-Sempre confrontando as suas origens. Em digressão anda o disco “Nem Lhe deu que deveria registar as canções que Tocava”, e vai ainda o melhor amigo foi criando entretanto. Lembraram-se, do homem: a banda. Um concerto de assim, do “G”, um Meio Disco exclu-No dia a seguir, dia 19 as fantásticas. Samuel Úria é um concerto natural- sivo e numerado e desafiaram o RuiDenise e Maria Delfina. mente especial. Não poder ir é contra- Pregal da Cunha (antigo Herói do Mar)VIP MANICURE – A CRISE ordenação. Não querer ir é crime. para participar na canção Vá Lá Senho-Com Maria Rueff e Ana Bola Já Os Golpes são uma espécie de aldeia ra, single que tem estado a rodar diari-Denise e Maria Delfina que sempre estiveram em crise são, de xisto onde não faltam arranhacéus. amente em várias rádios.tal como todos os portugueses, vítimas da situação do país Sabem de cor os engarrafamentos nae estão à beira da falência. Fazem “nails” por esse país fora, hora de ponta e o passo arrastado do Tome Nota: bilhetes a 10 euroscomo diz Denise: “nails em tournée” e andam também, se- velho pároco nas procissões da vila. http://www.ballet-contemporaneo-gundo ela, “com o corner aos saltos”. O fervilhar do “Roque Português” de norte.blogspot.com tempos idos está lá todo. Mas desen- 17 de Março 2011 //3
  4. 4. À conversa The Cherry on My Cakecom... LUÍSA Para ouvir e saborear...SOBRAL Texto: Maria João AzevedoMaria João Azevedo – De regresso a Portugal, falou-me da Berklee e eu comecei a ver o site ecomo é que está a ser? decidi enviar os papeis e ver de eles me aceita-Luísa Sobral – Eu já voltei desde Setembro, ago- vam... e depois recebi a Bolsa e decidi ir para lá.ra já estou habituada. MJA – Luísa, há um grande choque cultural ouMJA – Já estás com vontade de ir embora outra foi fácil para ti?vez, ou ainda não? LS – Foi fácil porque eu já tinha ido o primeiroLS – Não, agora não. Também estou a fazer só ano para o liceu de lá. Depois quando chegueicoisas que gosto, por isso não tenho vontade de também haviam muitos europeus e eu gostoir embora. disso, de chegar a um sítio e sentir-me um pou-MJA – A Luísa ficou mais conhecida quando par- co sozinha e perdida... e eu acho que é interes-ticipou no Ídolos. Depois foi para Boston. Como sante uma pessoa tentar fazer com que um sítioé que aconteceu essa decisão? que não é seu, fique seu. Eu gosto dessas situa-LS – Eu depois do Ídolos ainda tinha que fazer ções, não me sinto com medo.o 12º. Ano, (eu fui para o Ídolos no 11º. Ano) e MJA – E depois na hora de voltar, ficaste com oentão decidi ir fazer um ano nos Estados Uni- coração partido, ou nem por isso?dos, estive numa família de acolhimento, fiz o LS – Sim... quer dizer, mais ou menos. Eu vimintercambio, porque queria ter mais conhe- para fazer o que gostava, se tivesse de voltar paracimentos na música, e os liceus americanos têm Portugal e não tivesse trabalho, ou não tivessemuito essa parte da música, por isso eu decidi sítio para tocar, claro que seria mais triste, masfaze-lo. Depois comecei a ver Universidades, e o vim para isso e fiquei contente. Eu vivi lá poucomeu professor de musica lá na Escola Americana tempo, estive em Nova Iorque só seis meses, e “...é interessante uma pessoa tentar fazer com que um sitio que não é seu, fique seu. Eu gosto dessas situações, não me sinto com medo.” gostava de ter aproveitado um bocadinho mais, imaginário que eu criei nas minhas fotografias e mas por outro lado foi por uma boa razão, por nas minhas músicas, e pronto, achei que se ade- isso estou feliz na mesma. quava. MJA – Tu és muito jovem, ainda assim quem MJA – Eu pessoalmente acho fantástico ter uma conhece a tua música e quem começa agora a mãe assim tão intuitiva... ouvir-te nota em ti uma grande maturidade. Tu LS – É, a minha mãe é muito intuitiva e criativa. és assim, é um personagem...? Nós fazemos quase tudo do processo de criação LS – Eu não sei se sou matura... (risos), não juntas, fizemos o vestido juntas, o que eu uso consigo muito bem avaliar isso... mas não, não no videoclip, fui eu que o fiz com a minha mãe, é um personagem. As coisas que eu escrevo no todo em papel! Ela ajuda-me com quase tudo, meu cd são personagens, mas claro que todos alias, a minha família faz parte deste álbum, e a os personagens que nós criamos têm sempre única diferença é que eu canto. alguma coisa a ver connosco. Eu fui no outro MJA – E por falares em família, como está o dia a uma clínica do Michael Cunnigham, e o mano Salvador? escritor dizia-me que “nós não podemos fingir LS – Está bem. Está agora em Espanha a estudar sentimentos que nunca tivemos, não podemos Psicologia, a fazer Erasmus. escrever sobre o que nunca sentimos”, e eu acho MJA – E cantorias, nada? que é exactamente isso, essas personagens têm LS – Não. Ele canta por piada, e pelo menos por um bocadinho de mim sempre. Apesar de serem agora não é nada que ele queira fazer como car- personagens, não são fictícias. reira. MJA – O titulo que deste ao teu álbum, partiu de MJA – Luísa como foi actuar no Super Bock, Su- um sonho da tua mãe. Queres partilhar com o per Rock? púbico esta história? LS – Foi no Super Bock em Stock. Foi uma ex- LS – Sim, eu estava à procura de um titulo para periência espectacular, e foi a primeira vez que o meu álbum, porque eu já tinha um titulo para eu fiz um concerto cá em Portugal, a mostrar to- o álbum que eu tinha feito nos Estados Unidos, dos os meus temas e finalmente a mostrar tudo e chamava-se “My Funny Clementine”, por o que tenho aprendido. Foi uma experiência causa de um tema jazz “My funny Valentine”, muito especial. Foi também a partir daí que eu mas depois cheguei cá e não funcionava tanto no comecei a escrever mais em português, porque mercado português porque a maioria das pes- senti que gostava de tocar cá e que gostava de soas não conheciam tanto o “My funny Valen- escrever em português. E foi mesmo muito es- tine” e não percebiam a piada, e então comecei pecial para mim. a pensar noutro titulo... escrevi vários, estava MJA – Luísa, se correr tudo mesmo muito bem todos os dias a pensar nisso... Um dia a minha para ti, com quem é que tu gostavas de dividir mãe acordou e disse que tinha tido um sonho, um grande palco? em que comprava o meu cd numa loja e que o LS – Eu acho que com o Bernardo Sassetti... cd se chamava “The Cherry on my Cake”, que é MJA – Ok, então quando estiveres quase a divi- uma frase que eu tenho numa das minhas músi- dir o palco com Bernardo Sassetti cá estaremos cas e na qual nunca tinha pensado, nós nunca nós para conversar contigo outra vez! falamos disso. Eu achei muita piada a este so- LS – (Risos)... Ok, obrigado! nho, e como eu já disse algumas vezes, não queria contrariar os sonhos, porque depois podia não Tome Nota: The Cherry on My Cake acaba de sair o álbum... (risos). Eu gosto muito deste tí- ser lançado no mercado pela Universal Music. tulo, é muito positivo, e tem a ver com o mundo O disco saiu no dia 14 de Março 4 // 17 de Março 2011
  5. 5. 17 de Março 2011 //5
  6. 6. Long Way to Alaska 11 de Março, Aveiro – Vários LocaisEstilhaços de Cesariny comAdolfo Luxúria Canibal12 de Março - Centro Cultural de ÍlhavoNa sua génese, Estilhaços, surgiu na forma de boa. Atentas, as poucas dezenas de pessoas queconvite, integrado nas Quintas de Leitura orga- preenchiam as primeiras filas da sala, lá foramnizadas pelo Teatro do Campo Alegre, no Porto. entrando sorrateiramente nos universos propos-A partir dessa solicitação, Adolfo Luxúria Canibal tos, sorvendo a voz cava e gutural do “diseur”(“frontman” dos Mão Morta), contando com a por excelência que é Adolfo e entregando-se apreciosa colaboração de António Rafael (multi- uma poesia que é, ao mesmo tempo, cromatica-instrumentista dos Mão Morta) deu corpo a um mente apelativa e subliminarmente paradoxal.projecto no qual os poemas do seu livro que a De Mario Cesariny foram lidos um bom par deQuasi editou em 2003, Estilhaços, eram lidos poemas, entre os quais se destacam os espanto- Realizou-se na passada sexta-feira a primeira cantam em “Growing”, canção que abriu o con-com uma envolvente musical apropriada (daí sos e definitivos “You are welcome to Elsinore” e edição das Noites do Cais, uma co-produção da certo, ainda só estão a começar a crescer (“I amsurgiu a gravação de um CD que já se encontra “Voz numa pedra”. Eventos Imediatos e da Câmara Municipal de starting to grow”).disponível). Juntando ao seu espólio poético al- Aveiro. Existe um cantor principal que muitas vezes éguns poemas de Mario Cesariny, Adolfo Luxúria Algures a meio da performance, no único mo- O evento contava com animação musical por acompanhado pelas vozes de mais dois elemen-Canibal deu à luz um novo conceito de espec- mento em que a poesia deu lugar à prosa, foi lido vários locais da cidade e tinha como ponto alto tos criado umas polifonias bastante agradáveistáculo que foi percorrendo salas um pouco por um texto, da autoria de Adolfo Luxúria Canibal, um concerto no Teatro Aveirense dos Long Way e quase encantatórias. O baterista toca gui-todo o país e que em boa hora chegou ao Centro com o título “Londres”, que serviu de mote para to Alaska, banda de Braga autora de um dos mais tarra e canta, o baixista também toca guitarra eCultural de Ílhavo. ilustrar uma das viagens que o autor efectuou surpreendentes discos de 2010 de nome “East canta, vocalista toca guitarra, bateria xilofone e com o seu filho, na altura com 10 anos, cujo River”. acordeão e é o elemento que muda mais vezes dePor entre a penumbra de um palco milimetri- modelo de interesse/desinteresse da cidade X em Tudo começou com um pequeno “showcase”, lugar, depois há um guitarra solo que vai dandocamente composto surgiam, da esquerda para a detrimento da cidade Y se baseava numa avalia- em jeito de aperitivo, servido em cima de um consistência a tudo o que ouvimos “colando” osdireita, António Rafael nos teclados e programa- ção de três critérios essenciais: a monumen- moliceiro em plena Ria, com os quatro rapazes – sons criados por todos.ções, Adolfo Luxúria Canibal sentado à mesa, de talidade, a comida e a tecnologia. Nessa curiosa Nuno Abreu, Lucas Carneiro, Gil Oliveira e Gon- O nome da banda foi assim escolhido porquelivro em punho e com um ponto de luz perfeita- batalha, Braga, preenchendo os dois primeiros çalo Peixoto – a tocar quatro temas do seu disco. “a primeira música remetia para um caminhomente adequado à leitura, Henrique Fernandes requisitos ganhava aos pontos a Londres, que Esta excelente iniciativa que permitiu cativar longo, com belas paisagens” e é isso que se de-no contrabaixo (músico nos Mécanosphère) e apenas se comprometia com o primeiro deles. ainda mais gente para o concerto completo que seja para os “Long Way to Alaska”, por muito eJorge Coelho na guitarra eléctrica (colaborou, iria decorrer, dali a pouco no Aveirense. bons anos.entre outros, com as bandas portuguesas Zen Feitas as contas e descontando o infortúnio de A plateia do Teatro estava composta, mas a ban- A noite continuou com animação de vários DJ’se Mesa). A noite poética, em jeito de “spoken uma sala a menos de meio gás, saímos com a con- da merecia muito mais, o concerto que deram que representaram vários estilos musicais e queword”, teve início com a leitura de um con- vicção de que existe, sem margem para quais- foi irrepreensível, o álbum de estreia foi tocado estiveram no Teatro Aveirense, Clandestino Bartundente e bem apropriado “Orçamento Geral quer dúvida, um valioso património literário que quase na íntegra e não faltaram mais dois temas, e 28 Music Lovers.do Estado”, feito de enormes deambulações e pode, nas mãos de músicos como os que esti- um – “Laugh, Light and Love” – do primeiro EP As Noites do Cais vão continuar em breve e,meticulosas descrições de um transeunte que, veram em palco, ganhar um novo fôlego e trans- “Melodies To Greet Sunrise And Feed Sunset” e agora que já não são novidade, ainda com maiscom um ar às vezes jocoso mas sem manipular formar uma noite de pouco mais de uma hora outro – “Animals” – ainda não editado. adesão do público.a realidade, lá ia descrevendo as imagens que numa redescoberta extremamente prazeirosa. A banda que só tem dois anos de existência,as pessoas e as coisas lhe transmitiam à medida mostrou uma maturidade fora do normal, to-que ia percorrendo, um atrás do outro, alguns Texto de Ricardo Sardo Texto e Foto: João Nuno Silva dos os membros são excelentes músicos e, comodos mais emblemáticos bairros da cidade de Lis- Fotos de João Magalhães www.acertezadamusica.blogspot.com 6 // 17 de Março 2011
  7. 7. POR CIMA DA CARNE SECA tas? Aqueles que possuem a alma marcada, que se expressam em seus cantos com idéias estra- nhas, polêmicas, infantis, simples e complex- as... (im)puras! A conclusão que conseguimos chegar é que talvez as atuais mentes comandantes não ten- ham segurança nas atitudes de seus coman- dados. Talvez acreditem que esses caras sejam indomáveis. Afinal, é mais fácil amansar os amigáveis do que aturar um questionador. E o artista é transgressor, o artista desafia, ele sempre esta pronto pra romper. Lobão, artista brasileiro sem essência vazia e sem história desconexa, recentemente respondeu que, como Crónica brasileira por Felipe Antunes artista, não vai desistir da engrenagem, não vai http://porcimadacarnesecaemportugal. aceitar dar seu espaço pra uma futura geração blogspot.com de criaturas amansadas, que vai lutar pra man- ter sua cota girando, e assim ajudar a revelar aO estudo da verdadeira sucessão de criadores. O apelo a que correspondo é por uma coerênciaarte nos entre as mídias. Pra uma projeção ao pódio con- Depende muito de quem propõe, depende mui- que agradam a maioria (aliás, será sinônimo na junta entre a crítica verdadeira (não aquela dos to de quem escuta. arte investir e dar espaço?). amigos “cults” que se abraçam), e a divulgaçãoprojetados A queixa toda envolve uma teia de ambições, um emaranhado de pensamentos, um ninho de Só que essa é a velha história do cachorro atrás do rabo! Só tem chance de uma exposição, e isso em massa! Que nós voltemos a tentar entender o que passa em uma obra por diversas interpre-mansos dúvidas... O que estamos fazendo com a arte? no Brasil é o mesmo que subsistência, aquele tações. Que enfim voltemos a valorizar os que Que caminho é esse? Ouvimos muitas histórias que tem o tal espaço (ou investimento, ou os ainda tentam transcrever com a alma aquilo que por ai, muitas teorias sob as quais as intenções a dois... enfim). E sendo assim, muitos dos bons, sentem ou que vêem. esse respeito se ancoram. Uma recorrente e pre- dos gênios, podem estar escondidos atrás dessa E só pra finalizar, pode ser que o que você acheComo inicia uma discussão que parece vazia guiçosa é a de que a tendência do mercado é a cortina de fumaça feita pelos cigarros acesos de ruim hoje seja o “retrô” de qualidade de ama-por essência? É uma dúvida pertinente ou uma culpada. Que a “natureza” dos fatos nos levou quem nem os sabe acender. nhã. Artisticamente interprete essa! E no fim,história desconexa? Às vezes as coisas parecem até esse ponto. O ponto pelo qual temos que in- E se a energia toda gasta com esses cigarros de projete pra deixar por cima quem você quiser, emais inconclusivas do que vazias ou desconexas. vestir e dar espaço para determinados gêneros chocolate fosse voltada pros verdadeiros artis- não quem já estiver roubando uma faixa de luz... pátio da Galé, no Terreiro do Soderbergh pede Paço, e abriu um espaço novo reforma ante- no MUDE – Museu de design cipada e da Moda. Todos os grandes Hollywood perdeu criadores portugueses lá es- um grande realiza- tiveram, e a eles juntaram-se dor e as razões que alguns novos com a irreverên- Steven Soderbergh cia própria! Luís Buchinho, Katty indicou para deixar a Xiomara, Ana Salazar, Maria Gambina, Nuno indústria cinematográfica foram Salazar, e Nuno Gama foram repetentes, e mesmo assim, aquelas que assolam o pensamento do comum dos conseguiram surpreender! Os 20 anos da ModaLisboa vão ser mortais. Para quem pensava que as estrelas adoravam imortalizados num livro que será lançado ao longo deste ano. o seu trabalho e nunca se cansavam, aqui está a prova de que até elas se fartam. Soderbergh, autor de filmes como Erin Brockovich (2000), Traffic (2000), Ocean’s Eleven (2001) confessou que quando “sentes que entrar Olá Facebook, adeus no carro para ires rodar um filme é um calvário, é altura Clube de Vídeo de cederes o lugar a alguém novo e com imensa von- Pode ser mais um factor que tade de entrar nesse carro”. Os últimos dois filmes contribua para o encerrar são, segundo Soderbergh, “uma bela forma de dos velhinhos locais onde dizer adeus”. “Liberace”, com Matt Damon e íamos alugar filmes… Ou pode Portugal Olímpico Michael Douglas, e “The Man From U.N.C.L.E” ser que não, mas será mais uma O desejo do Comité Olímpico de com George Clooney são as últimas possiblidade alternativa para não ter de sair de casa nos dias fri- Portugal (COP) vai finalmente de repetir o Óscar os de Inverno, ou nos dias abrasa- dores de Verão. realizar-se, o que significa que que recebeu no A Warner Bros associou-se à rede social facebook para criar uma vai começar a construir-se um ano 2000. espécie de clube de vídeo online e dessa forma ter mais uma Museu Olímpico, que vai situ- fonte de receitas. ar-se junto à sede do Comité na Neste momento esta ferramenta está apenas disponível nos Es- Travessa da Memória, na Ajuda em tados Unidos mas se tiver êxito será alargada a todo o Facebook Lisboa. Espera-se que o edifício de três Cheirinho a Pink e isso supõe 600 milhões de pessoas. mil metros quadrados, distribuídos em quatro Floyd no Pavilhão O primeiro filme que a produtora disponibilizou foi o famoso andares, já esteja em funcionamento no final de 2012. Atlântico “Batman, Cavaleiro das Trevas”, e o preço por filme será de 3 O local, que vai custar cerca de 4 mil- hões de euros, vai Roger Waters vai can- dólares (2,15€). A validade do aluguer é de 48 horas. Uma parte ter uma exposição que conta a história de Portugal a nível olím- tar e encantar na próxima do valor do aluguer vai direitinha para a conta de Mark Zuck- pico e um espaço para realizar conferências e eventos. O COP 2ª e 3ªfeira em Lisboa! Os dois concertos erberg. pretende que este espaço receba atletas olímpicos, entre outras estão esgotados, e os portugueses ansiosos iniciativas. Esperemos que esta proximidade dos olímpicos por- por receber o fundador da mítica banda. Resta saber tugueses com as crianças motive a prática desportiva! se Waters se vai pronunciar sobre a situação na Líbia, 20 anos depois, a ModaLisboa surpreende! já que esta semana se mostrou contra a instabilidade 36 Edições depois, a nossa semana da moda realizou-se e provou naquele país e as atitudes do seu dirigente Muhamar que está aí para dar cartas e ditar tendências de moda no nosso Khadafi. país. É importante falar dela e dar-lhe os parabéns! Voltou ao 17 de Março 2011 //7
  8. 8. AGENDA de 17 a 14 de Março 2011 Edição nº 353 Quinta feira 17 Março Música| 22H Festival Para Gente Sentada Domingo 20MarçoMúsica | 21H30 Joan as Police Woman - Interpretation Domination Santa Maria da Feira, Cine Teatro António Lamoso Música| 16H Concerto OFB Para As FamiliasEstarreja, Cine Teatro de Estarreja Com Nuno Prata e The Legendary Tiger Man Aveiro, Teatro Aveirense, Sala PrincipalTome Nota: preço entre 15 e 18 euros Tome Nota: bilhetes a 20 euros A partir da obra “Uma Pequena Serenata Nocturna” (“Eine Kleine Nachtmusik”) e a “Sinfonia nº 29, em Lá Maior”, de Wolfgang A. Sexta-Feira 18 março Comédia | 22H «Olá!» - José Cruz Mozart. Ciclo À Conversa com a Música. Integrado no ProgramaMultidisciplinar| 10H30H Dos Joelhos Para Baixo Estarreja, Cine Teatro de Estarreja Música na Escola 2011.Aveiro, Teatro Aveirense Inserido no Festival Só (R) Rir Tome nota: bilhetes entre 1 e 5 euros.“A invenção de um mundo de papel” Tome Nota: preço a 2.50 eurosSobre um palco vazio, a média luz, Márcia Lança constrói uma Teatro para a Infancia | 17H Vice Versapequena cidade. Lentamente, depois de surgirem as primeiras Música| 22H30 Miguel Moreira Sexteto Gafanha da Nazaré, Centro Cultural da Gafanha da Nazarécaixinhas de papel branco, grandes edifícios e chaminés aglo- Aveiro, Teatro Aveirense, Café Teatro Quanto tempo falta para ser grande? Se ficar com um dedo presomeram-se pelo espaço, e figuras humanas bidimensionais habi- Tome Nota: bilhetes a 3 euros debaixo do pé durante 5 minutos isso é muito tempo? O quetam a cena. De um lado da cena estão formas geométricas que se acontece se os ponteiros do relógio pararem? Uma história semtransformam em casas. Dispersas, aqui e ali, estão folhas de papel DJ| 23H DJ Dave pés nem cabeça, ou com dois braços, vários dedos, joelhos, pernaspara recortar pessoas. Na mão uma tesoura e um rolo de fita-cola. Aveiro, 28 Music Lovers e um nariz, num processo que vai acompanhando o desenvolvim-Poucos ingredientes, mas os suficientes para criar uma linguagem ento do conceito de tempo e o crescimento durante a infância.universal; um daqueles casos raros em que a escassez de meios Sábado, 19 março Tome nota: Vários preços. Limitado a 80 participantes, para cri-se torna um brilhante imediatismo de relações e um estímulo à Comédia | 22H Vip Manicure – A Crise anças dos 3 aos 5 anosimaginação. TOME NOTA: Dia 19 Março às 15h00 | Público Fami- Estarreja, Cine Teatro de Estarrejaliar (seguido de oficina “dos joelhos para baixo”)Preço: entre os 3 Inserido no Festival Só (R) Rir, com Maria Rueff e Ana Bola Site http://www.oln.pte os 6 euros Música| 22H Festival Para Gente Sentada - Com Laetitia Sadier Recomenda:Dança| 21H30 Che diavolo fate? Santa Maria da Feira, Cine Teatro António Lamoso Música| 22H Jam SessionEspinho, Auditório de Espinho Laetitia Sadier é a voz dos Stereolab. Contornando o limbo exis- Espinho, Doo Bop Bar4ª Produção do Ballet Contemporâneo do Norte, com criação, tencial em que os Stereolab se encontram desde há dois anos,direcção, e composição coreográfica de Luís Carolino e interpre- Laetitia tem gravado e actuado ao vivo com os Mouse on Mars etação de Susana Otero, Rui Marques, Sara Leite e Flávio Rodrigues. Atlas Sound, e prepara actualmente o seu primeiro álbum a solo.Tome Nota: bilhetes entre os 5 e os 7 euros Serão essas novas composições, provavelmente intercaladas com Terça Feira, 22 Março alguns regressos à discografia dos Stereolab, que vão orienatr este DANÇA | 16H Personagens de ÁguaTeatro| 21h30 “Antónia, António” concerto. Tome Nota: bilhetes a 20 euros Ílhavo, Centro Cultural de ÍlhavoAveiro, CETA Concepção, Direcção e Coreografia - Aldara BizarroPeça para adultos, repete dias 19, 25 e 26 de Março Música | 22H30 Sessões Acústicas com Rui Pedro e Anthony Jonh. Entrada GratuitaTome Nota: reservas pelo 234 425 497 ou em info@cetateatro.pt Aveiro, Performas Quarta feira, 23 MarçoTeatro| 21h45 Dois perdidos numa noite suja DJ| 23H Dj KA§PAR Música | 21H45 Samuel Úria + Os GolpesAlbergaria-a-Velha, Lagar Com Tempo Aveiro, 28 Music Lovers Aveiro, Teatro Aveirense, Sala Principal– Quinta do Jogo, Rua do Jogo Integrado no Ciclo “Roque Beat”. Uma produção Lado B.Espectáculo da Companhia do Jogo DJ| 23H30 DavidJesus Tome nota: preço único de 8 euros.Tome Nota: o espectáculo estará em cena às sextas e sábados às Aveiro, Lusco Fusco Mais info em: www.teatroaveirense.com21:45h e aos domingos às 17h, de 18 de Março a 17 de Abril. O Clip rectifica: o texto e foto editados a semana pas- sada relativo ao concerto dos “The Radio Dept.” no Teatro Académico Gil Vicente em Coimbra, foi escrito por Ricardo Sardo e não por João Sardo, como foi publicado.FICHA TÉCNICA::: Edição Diário de Aveiro ::: Director: Adriano Callé Lucas Director-Adjunto: Ivan Silva ::: Director de publicidade: Ivo Almeida (ivo.almeida@diarioaveiro.pt) ::: Editora: Maria JoãoAzevedo (clip.maria@gmail.com) ::: Design e Paginação: Mariana Castro (miiidemiii@hotmail.com)::: Impressão: FIG ::: Tiragem: 8000 exemplares 8 // 17 de Março 2011

×