• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
DN(3d)As
 
  • 846 views

DNA ♀

DNA ♀
natureza
harmonia
sensações
cidades
ARQ
desenho
ARTE

Statistics

Views

Total Views
846
Views on SlideShare
846
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
4
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    DN(3d)As DN(3d)As Document Transcript

    • PÓS-GRADUAÇÃO FAU – USP PROJETO DE PESQUISA SELEÇÃO: MESTRADO 2011O DESENHO NATURAL 3D & AMPLIAÇÃO DA SENSIBILIDADE Fernanda Aiex da Fonseca
    • ÍNDICE ......................................................................... 2. RESUMO ......................................................................... 3. INTRODUÇÃO E JUSTIFICATIVA ................................................... 6. OBJETIVOS ...................................................................... 12. PLANO DE TRABALHO .......................................................... 13. MATERIAL E MÉTODOS ......................................................... 16.FORMA DE ANÁLISE DOS RESULTADOS .......................................... 17. BIBLIOGRAFIA ................................................................... 19. 2
    • RESUMO Considero a arquitetura um movimento de ARTE emergente, que deve explorar o desejoda humanidade em se re-conectar com a terra, por meio do ambiente construído. Descrevoesta minha arte como arquitetura natural (1). Este projeto de pesquisa sintetiza uma metodologia experimentada através de 12 anosde prática profissional como arquiteta e professora desenho gráfico 2D e 3D, leitura CAD/CAM,matemática e pensamento BIM, para desenvolvimento de projetos arquitetônicos e urbanos,necessários na construção civil, visando uma nova e mais harmoniosa relação entre as formasdesenhadas e a execução nas obras: buscando refletir a relação entre homem e natureza naprodução da arquitetura, e explorando o que significa projetar com a natureza em mente. A configuração do mundo atual requer a formação de um novo perfil de arquiteto, queinicie de uma perspectiva multidisciplinar na hora de enfrentar os desafios profissionais, e queao mesmo tempo, seja capaz de incorporar critérios meio-ambientais nas soluções gráficas.Hoje em dia o arquiteto necessita introduzir ao seu trabalho as tendências surgidas ao entornoe à ecologia, pois intervimos na natureza e a construção civil deve estar de acordo com asensibilidade do desenho, o qual irá configurar o mundo no futuro (2). Critérios derivados doProtocolo de Kyoto a conceitos como o “eco-design”, “reciclagem”, entre outros, devem seragregados a prática do profissional – designers, arquitetos e urbanistas. Neste contexto, esta dissertação objetiva estudar o Desenho Natural Orgânico naArquitetura através da análise de projetos e assim, cada vez mais, realizar estudos dearquitetura e urbanismo que solucionem os aspectos ligados a sustentabilidade do desenhoaplicados na construção civil (3), com diretrizes internacionais no âmbito do meio-ambiente(preocupação emergente) considerando que são poucos os projetos que têm solucionado osproblemas do entorno e seus impactos da arquitetura.NOTAS(1) - ROCCA, Alessandro. Natural Architecture. Princeton Architectural Press, 2007.(2) – Curso de “Master en Diseño y Arquitectura” | ELISAVA Barcelona, Espanha.(3) – “Design Sustentável na Arquitetura”: trata-se da primeira idéia para este projeto, descritaem 2009. Entende-se como “Design” o profissional que faz “Desenho” e investiga a arte, paratorná-lo real. Definição de conceitos morfológicos a serem estudados e diferenciados - nodecorrer da pesquisa: Artista, Design, Arquiteto e Urbanista. Sustentabilidade, Arte, Ecologia. 3
    • Nos projetos de arquitetura devemos explorar as formas emergentes, programasgráficos e programações que nos permitam explorar desenhos sensíveis. São conceitosimportantes para este desenvolvimento: o “Desenho Natural”, as “3 Dimensões”, a“Matemática” e as “Coordenadas Cartesianas”, as “Proporções Áureas” e as “Formas Sagradas”,a “Sensibilidade” e os “Seres Vivos”. Pontos imaginários na tela do computador ou naprancheta atual, constituindo os planos cartesianos estratégicos, que interseccionados, geramformas paramétricas incríveis, projetos ousados e arquiteturas sensíveis concebidas como obrasde arte, contemporâneas e naturais (4). DN(3D)As – DNA ... Desenho Natural (3D) & Ampliação da sensibilidade – tema dapesquisa. Princípio da genética e seu entendimento conceitual, que é considerado e aplicado naconstrução civil, como pensamento sistêmico (5). Podemos pensar no projeto 3D, o desenhocom as sensações: a metodologia e base é a prática, visto que podemos desenhar todas asformas que imaginamos, com o uso do computador, e depois imprimir protótipos. Esta é minha busca: novas técnicas, amor à construção civil, auto - geração de energiapara o futuro, interesse na sociedade paulistana e o dever da arquitetura em solucionar osdesafios da construção civil e assim contribuir com a natureza do universo.NOTAS(4) – Respeito à natureza. Meio-ambiente.(5) – Jung e a psicologia analítica. A mulher♀ e a construção civil. O racionalismo e a arquiteturacomo ciência. A matemática e a explicação para as formas da natureza, do universo: seres vivos– humanos, animais e vegetais. 4
    • 5
    • INTRODUÇÃO E JUSTIFICATIVA São conceitos definidos por Ítalo Calvino (1923 – 1985) como base teórica das seischaves para o século XXI: leveza, rapidez, exatidão, visibilidade, multiplicidade e por fim, aconsciência (6). Calvino se propunha apresentar alguns valores ou especificidades da literaturaque deveriam se conservar para o novo milênio. O autor italiano confessa, ao analisar“exatidão”, que teme pela linguagem ser devorada pela inconsciência e que esta não aparecesomente na linguagem: está também presente no mundo, na arte e nas obras de arquitetura. Assim podemos fazer uma analogia com as palavras e a partir de conceitos, aplicá-losnos desenhos e projetos de arquitetura e urbanismo, em busca de um conjunto que definimospor desenho natural. Os conceitos de Calvino são fundamentais como base, pois servem para decifrar não sóas ambições da literatura moderna, como as carências da nossa sociedade e pensamentoarquitetônico atual. As cidades deveriam ser desenhadas como obras de arte. Devemos conceber as formase os projetos com a preocupação sensorial, através de simulações gráficas e desenhos técnicose artísticos, uma arquitetura mais adequada à natureza e seres humanos (7). Estamos em 2011, teremos a Copa do Mundo no Brasil em 2014 e também asOlimpíadas, 2016. Ao refletir sobre a construção e o processo civil neste momento quepassamos, devemos pensar na segurança estética, com olhares relativos ao medo, conforme avisão de Zygmunt Balman (8) em uma reflexão profunda sobre as cidades e na percepçãoambiental lateralidade cerebral (9). Assim, na arquitetura está esperança de contribuir comsoluções (emergentes) de projetos e conseqüentemente, com a evolução social.NOTAS(6) – CALVINO, Ítalo. Lezioni americane. Sei proposte per il prossimo millennio.(7) – RANDY, Harry. Hundertwasser. Taschen. “Seu trunfo é a sua arte, o criador da beleza: dosrecursos naturais, paz, harmonia e alegria (...) empirismo naturista contra a uniformidadeabusivo do totalitarismo racionalista”.(8) – BAUMAN, Zygmunt. Tempos líquidos.(9) – OKAMOTO, Jun. Percepção Ambiental e Comportamento. SP - IPSIS, 1997. 6
    • Como fundamentação teórica sobre as cidades, partimos de uma humanidade emmovimento e podemos justificar o uso das palavras “design” e “desenho natural”, como oobjetivo estratégico para encontrar soluções globais ligadas à complexidade dos projetos dearquitetura e urbanismo nos dias de hoje, e na evolução da segunda década do século XXI,contribuindo para as instituições de ensino e para o progresso, em âmbitos diversos. As fronteiras da arquitetura e do desenho têm se diluído, visto o desenvolvimento deprojetos a partir de programas gráficos e profissionais estudantes que ensino (10), através dodesenvolvimento de um raciocínio lógico matemático como metodologia, nos desenhos deespaços que necessitam a adoção de uma perspectiva multidisciplinar global. Uso as interfaces,as linguagens, os softwares são fundamentais, assim conectamos todas as ferramentas para aelaboração de uma proposta final, um projeto que é natural: orgânico. O arquiteto quando se depara com o desenho de um espaço também deve dar respostaa outros aspectos locais, o terreno, a preocupação com o entorno, a insolação e a aplicação daidentidade e conceito forte, a partir de formas da natureza. No século XXI novos conceitos foram criados. Passamos a perceber a importância dacomunicação e imagem na apresentação dos projetos e como estes devem ser estudados parasua realização. “Atração”, “Sedução” e “Psicologia”, “Tecnologia”, “Natureza”, “Auto-Suficiência” e “Execução” também são importantes para que a nova geração de arquitetos eurbanistas seja capaz de realizar projetos com um desenho natural, refletirem todas as frentespossíveis de projetos. Tudo o que presenciamos em nosso redor está afetado por avanços tecnológicos, porimpulsos de eventos sociais e, sobretudo, por fatores econômicos do momento em quevivemos. Temos sofrido mudanças fundamentais e irreversíveis em todos os âmbitos, desde ofenômeno da globalização e revolução tecnológica e digital até os novos sistemas de produçãoe protótipos, o deslocamento destes em novos continentes e rápidos enriquecimentos. Asmudanças sociais, porém, afetam muito o equilíbrio do ecossistema em que vivemos. Trata-sedo impacto da tecnologia, dos sistemas de informação e dos novos processos de produção (11).NOTAS(10) – Minhas aulas e cursos: matemática e desenho técnico. Grafismo e interfaces 2D e 3D.(11) – SIMAE | Técnicas contemporáneas, nuevas estrategias – Simposio Internacional deArquitectura. Barcelona, 09 a 11 de abril de 2008. 7
    • Os novos mercados emergentes de todo o mundo combinado às novas técnicas,permitem aos arquitetos criarem novas formas partindo de possibilidades de design (12). Referências da arquitetura orgânica e aplicação nas novas construções ou reformasdevem ser repensadas: restauro e “retrofit” concebido como obra de arte (13). Estamos em ummomento que a prática arquitetônica está sofrendo uma transformação sem precedentes, noqual palavras como “pós-modernismo”, “desconstrutivismo” e “minimalismo” deixaram deecoar contemporâneas e não há mais somente um estilo dominante no horizonte, capaz de sefazer referência aos dias de hoje. Em um mercado de muita evolução e tendência já temos exemplos nas práticas deengenharia, de empregos de materiais de última geração possíveis de se obter protótipos - oque abre novas possibilidades para criação de projetos - usos e comportamentos nos espaçosdesenhados. A introdução de computadores na arquitetura é um marco distintivo, e hoje osnano-computadores (14), o que nos permite não só otimizar o processo produtivo, mastambém introduzir novas lógicas e criar sistemas eficientes e completos (15). Podemos falar desistemas que se auto-organizam ou sistemas emergentes, voltados à natureza como fonte deinspiração. Tanto as novas ferramentas como as novas necessidades, inseridas no século XXI,últimos 11 anos, nos mostra a necessidade de repensar a concepção e estratégias utilizadas atéagora - e como todas essas equipes e projetos, pensados em parcerias multidisciplinares, podeafetar menos o entorno e contribuir de uma maneira sustentável natural ao meio-ambiente. Esse projeto de pesquisa me compromete a desenvolver as propostas de metodologiade junto à prática e vivência profissional, aplicada em terrenos reais - em busca da realização,investigação e estudos, enquanto experimentamos acordo à prática conceitual deleuziana (16).NOTAS(12) – AsBEA Seminário de arquitetura digital: BIM, Sustentabilidade e Inovação. SP, 2011.(13) - Retrofit é um termo utilizado principalmente em engenharia para designar o processo demodernização de algum equipamento já considerado ultrapassado ou fora de norma.(14) – Moléculas de DNA têm sido usadas como “chips” de computador. Nano-computadores.(15) – ESTEVEZ, Alberto T. Genetic Architectures II: Digital Tools & Organic Forms (SpanishEdition).Lumen Books, 2006. Edition: Bilingual, Paperback.(16) – DELEUZE, Gilles (1925-1995). Empirismo e subjetividade. Edição 34, 2001. 8
    • 9
    • Arquitetas como Lina Bo Bardi, Zaha Hadid e arquitetos como Oscar Niemeyer, Artigas,Gaudí e Hunderwasser são inspirações. As formas paramétricas, a minha genética feminina, oprocesso criativo gráfico no computador, a prancheta virtual, minhas alunas e meus projetosaplicados na construção civil, às obras e aos clientes, são importantes para a investigação eutilização desse método no desenvolvimento dos projetos, para o futuro. Preservando anatureza. Sempre com uma filosofia hindu onde a inspiração e a respiração são fontes deenergia: a base da coluna cervical, os chakras e os pontos energéticos são estratégicos parapensar no nosso corpo: corpo e mente altamente conectados, assim a arquitetura e design. 10
    • REFLEXÕES E AMBIÇÕES: AMPLIAÇÃO DA SENSIBILIDADE * Construção natural, re-conexão com a terra. Aplicação de materiais e revestimentosda natureza, estruturas de pedras. Espaços orgânicos para sensações de bem estar: prédiospara o futuro e desenvolvimento de técnicas construtivas para grande porte e em larga escala,com apresentações de projetos com alta qualidade - especialização em sustentabilidade,desenho, criatividade e observação da natureza. Novas incorporações para nossa construçãocivil: arquitetura & cidade +natural. * Situar a dimensão do Design numa visão estratégica global de interação entre ohomem e o meio-ambiente. “Promessas do Design para criar um futuro ético e natural para omundo em que vivemos” (17). * Contribuir com os novos profissionais desenhadores arquitetos e urbanistas do séculoXXI, os tornando capazes de dominar elementos vinculados à natureza e ao desenvolvimentosustentável, aplicando os conceitos em seus próprios projetos. * Experimentar a multidisciplinariedade do desenho e design em todas as suas faces,como referência de uma nova área de conhecimento aplicado. * Promover as ferramentas gráficas e experiências que permitam soluções projetuais deacordo com a situação de mudança em que se encontra a arquitetura. * Conceber coletivamente arquitetura como obra de arte. * Elaboração de um material que contribua para unir pessoas comprometidas emconstruir um mundo melhor através de soluções para um Desenvolvimento Auto-Suficiente deuma Arquitetura Natural. Ampliação da sensibilidade e o uso das novas técnicas e projetos =CYBER DIGITAL + ECO AMBIENTAL. Um novo olhar sobre a ecologia, meio ambiente e mídiavirtual na arquitetura, em uma fusão biodigital. * A relevância dos novos paradigmas no processo de desenho no projeto de arquiteturae na execução da obra. O computador e o uso de tecnologia com base na prática experimental:arte e design, arquitetura não "standard" ao lado da lógica do gene (com mutação, variação),para a nova PRODUÇÃO DA ARQUITETURA.NOTAS(17) – MAU, Bruce. Life Style , London : Phaidon Press, 2000. 11
    • OBJETIVOS Repensar o Design. Projeto de arquitetura como frente às conseqüências daGlobalização, multidisciplinaridade e respeito à natureza. O dever do desenho de deter oprocesso, enfrentar os desfios, dominar a construção civil e influenciar na vida das pessoas, ésem dúvida no Brasil hoje em 2011, urgente. Transformações de tarefas e métodos criativospara a produção da arquitetura: o qual antes essencialmente materiais para a nossa década,processos essencialmente mentais. Nesse contexto o objetivo é interagir com as técnicas emétodos digitais para projetar, com conceito e inspirações da natureza: através de cursos eaulas, para a prática profissional. DN[3D]A[s]. Objetivos: evolução paralela. Considerando que o código genético parauma determinada espécie pode conter o potencial para muitas estruturas complexas que nãoestão realmente expressas no organismo + observação da natureza. Inspirações e conexão coma terra - novos ensinamentos, estudos e dedicação, inerente às pessoas e aprimoradas junto àalunos e parceiros de construção dessas idéias para o FUTURO. DESENHO NATURAL 3D & AMPLIAÇÃO DA SENSIBILIDADE:- Interação entre o Homem e o meio-ambiente;- Programação e as várias interfaces para compor um Desenho (18) e integração dos softwares;- Metodologia e composição de projetos entre as diversas áreas da arquitetura e engenharia;- Aplicação das faculdades projetuais individuais para trabalho em equipe;- Resolução de problemas e simulação em 3D de casos e projetos diversos;- Conceitos, referências visuais e pesquisas sobre o desenho técnico;- Dinâmica de leituras de projetos;- Investigação como o instrumento estratégico potenciador da inovação;- Técnicas de sustentabilidade e novos materiais para a construção civil;- Promoção da aprendizagem contínua, através da experimentação (sucessos e erros);- Tomada consciência de que a nova fonte de riqueza é a inteligência, o saber, nossa «massa-cinzenta» --> natureza humana ... nosso cérebro.NOTAS(18) – Desenho e desígnio. Artigas e a aula inaugural na FAU-USP, março 1967. 12
    • PLANO DE TRABALHO A pesquisa como parte de uma nova etapa a ser redefinida na história da arquitetura doséculo XXI, vista como uma necessidade emergente. Estamos conscientes de que este é umlongo processo epistemológico (19) em constante transformação e aplicação, e aqui sóofereceço conceitos e idéias convenientes para discussão, visando a reflexão para a realizaçãode obras grandes e muitos projetos, estudando os terrenos existentes, objetos de discussãoimportantes que contribuem para uma outra pesquisa. Com a dissertação, espero estimular o uso das novas perspectivas no domínio daarquitetura, design e pensamento crítico. Recorro à investigação como o instrumentoestratégico potencializador da inovação do desenho de arquitetura e influência no mercadoimobiliário brasileiro. Arquitetura com desenho natural e conceitos elegantes às fachadas,através de revestimentos e partindo de desenhos personalizados, sensíveis, naturais. "A obra de arte é uma tentativa para alcançar aquilo que é único; afirma-se como um todo, um absoluto, mas pertence simultaneamente a um complexo sistema de selecções. É o resultado de uma atividade independente, traduz um devaneio superior e livre, mas é também um ponto onde convergem as linhas de força das civilizações". Henri FocillonNOTAS(19) – A epistemologia estuda a origem, a estrutura, os métodos e a validade do conhecimento.Ela se relaciona ainda com a metafísica, a lógica e o empirismo, uma vez que avalia aconsistência lógica da teoria e sua coesão fatual, sendo assim a principal dentre as vertentes dafilosofia (fonte – Wikipédia, Enciclopédia livre). 13
    • ETAPAS – PLANEJAMENTO DA PESQUISA: CONCEITOS IMPORTANTES1. MATEMÁTICA. Geometria & Construção. Geometrias sagradas e proporções áureas.2. PROTOCOLO DE KYOTO e a preocupação com o meio – ambiente. Problemática. Conceitos: Sustentabilidade, Meio-ambiente, Globalização, Eco-Design,Reciclagem. Uma maneira de pensar levando-se em conta múltiplos fatores, que influenciarão acriação de um projeto. Fatores que abrangem o impacto social e ambiental, mas que incluemtambém o lucro como condição essencial para a sociedade do século XXI. E cada um dessesfatores reforça a importância do outro.3. INTERVENÇÕES ARTÍSTICAS – design de espaços conceituais e filosóficos, compreocupação orgânica. Conceitos: Leveza, Rapidez, Exatidão, Visibilidade, Multiplicidade eConsciência. Estudos de caso – “Festival Du Art” - Montpellier, França (20).4. ANÁLISES MORFOLÓGICAS – DESIGN | DESENHO | DISEÑO.Definição de conceitos: Design | Entorno | Imagem | Arquitetura e Urbanismo| Dimensões |Projetos técnicos | Sensações | Sensibilidade | Natureza (...)5. FERRAMENTAS GRÁFICAS – softwares para realização de projetos e auxílio nosprocessos construtivos e nas apresentações. Programas: AutoCad, ScketchUp, Revit,Photoshop, Illustrator, Rhino + programações.6. ARQUITETURA BIODIGITAL (21). Estudos de projetos reunidos para exemplificar o uso da informática aplicada àarquitetura e entendem o computador como uma ferramenta que possibilita um design quepossa "emergir" desde sua própria lógica e manipulação digital. Casos aplicados de tecnologiasde construção. Propostas de novos materiais e formas complexas a partir de objetos naturais –desenhos 3Ds, com modelos inspirados na natureza (22).NOTAS(20) – “Festival des Architectures Vives” em Montpellier, França – intervenções artísticas emespaços públicos – desafio entre o contemporâneo e o antigo e uso de técnicas sustentáveis.(21) – “Máster en Arquitectura Biodigital”. ESARQ - Escuela Técnica Superior de Arquitectura |Barcelona, Espanha. / SIMAE – Simpósio - ver nota (11) folha 7.(22) - DOLLENS, Dennis. Digital to Analog. Sites books, New Mexico, 2001. 14
    • 7. A EVOLUÇÃO DA ARQUITETURA BRASILEIRA: 2011 ~ 2022 (próximos 11 anos) – a Copa do Mundo, as Olimpíadas, o “boom” imobiliário atual + novas tendências e necessidades da construção civil.8. CONCEITOS EMERGÊNCIAIS – Definição de conceitos fundamentais para esta década:“Natureza”, “Tecnologia”, “Sensibilidade”, “Arte”, “Sensações”, “Auto-Suficiência”, “Execução”,“Shelters” (23), “Sustentabilidade” e “Desenho Natural”. O projeto das casas, bairros e comunidades moldam cada aspecto das nossas vidas.Definição de conceitos fundamentais para o desenvolvimento urbano, “energia” para a terceiradécada do século XXI.10. MATERIAIS SUSTENTÁVEIS APLICADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL “Green & Underground Building”. Estudos e referências de materiais aplicados:Bamboolabb”- Jon Warnes; “Stop-And-Go” – Francesco Sacconi / ARUP; “Eco-Bambú” – DiegoOliver; “Casa-Sustentável” – François Guisan; “Uso da Água” – Lorenzo Correa (24).11. Análise comparativa de projetos contemporâneos e orgânicos de ARQUITETURA EURBANISMO em média e grande escala – incorporações, mercado imobiliário, escritórios eprofissionais envolvidos com a temática dessa pesquisa.12. Possíveis soluções projetuais para a cidade de São Paulo. Terrenos reais. Áreas com potencial construtivo.13. CONCLUSÃO Aplicação, no Brasil: uma maneira contemporânea de pensar arquitetura natural – comDESENHO E DESIGN, INOVADORES E SUSTENTÁVEIS.NOTAS(23) - Shelters = abrigo. Referência à barriga da mãe, casulo inicial. Ser natural.(24) - “Postgrado en Diseño, Entorno y Arquitectura” | ELISAVA Barcelona, Espanha. 15
    • MATERIAL E MÉTODOSMATERIAL Impressos de estudos e “links” da Internet: projetos inovadores que mostram como odesign pode melhorar vidas. Imagens de referências de projetos. Pós-Graduação em Barcelona, Espanha – material didático e anotações. Livros e Dissertações de Mestrado e Doutorado nas Universidades.MÉTODOS Reunião do Material. Dissertação sobre os temas do “plano de trabalho”. Comparação com a linha de pesquisa escolhida e a área de concentração: Área de concentração - PROJETO DE ARQUITETURA. Linha de Pesquisa – PRODUÇÃO DA ARQUITETURA. CONCLUSÃO - Ênfase na Arquitetura e Design Sustentável. Movimento socialmenteconsciente – necessidade de soluções contemporâneas nos projetos de arquitetura eurbanismo - como abrigos, saúde, educação e acesso à água potável, energia e higiene (25). ANÁLISE será feita através de visão empírica até uma perspectiva contemporânea -justificada por uma visão pós-moderna de Robert Venturi (26) sobre os elementos com duplasfunções na arquitetura e design, uma crítica a superabstração do movimento moderno - quecorrespondida a multifuncionalidade dos sistemas naturais.NOTAS(25) - STOHR, Kate. SINCLAIR, Cameron. Architecture for Humanity Design Like You Give aDamn: Architectural Responses to Humanitarian Crises. Editora Metropolis Books, 2008. (26) – VENTURI, Robert. Complexidade e contradição em arquitetura. São Paulo, MartinsFontes, 1995. 16
    • FORMA DE ANÁLISE DOS RESULTADOSELABORAÇÃO DE CONCEITOS E COMPARAÇÃO COM ENTORNO, DESIGN e ARQUITETURA ENTORNO - No conceito de natureza não há formas e sim transições no tempo.Contudo, estas transições são tão lentas que as percebemos como objetos estáticos - masdesde sempre os materiais nos oferecem múltiplas formas para criação de espaços - em funçãode sua disponibilidade, regras e interações. O entorno é um recurso e para assegurar asustentabilidade - ordem do SÉCULO XXI, no qual a arquitetura e desenho são gerados partir doestudo do comportamento dos materiais e devem ser pensados com as sensações. Conforme Frank Lloyd Wright: “a forma apropriada para um material não pode serapropriado para outro” (27). Iremos também ter em consideração que a arquitetura émodelada sobre o ambiente de forma natural (estratégias de geração e organização damatéria). Portanto focamos em arquiteturas e desenhos que propõem modelos que oferecemalta eficiência, baseado na multi-funções. É assim compreenderemos os modelos para se elevarao máximo o seu potencial. A ecologia abordada não só desde a reutilização e reciclagem demateriais, mas também a idéia de que quanto mais eficiente, mais barato e é um sistemamultifuncional e assim, mais amigo do ambiente.NOTAS(27) – WRIGHT, Frank Lloyd. An Organic Architecture: The Architecture of Democracy. The MITPress, 1970. 17
    • PROJETO DE ARQUITETURA - Seguindo a linha de pesquisa PRODUÇÃO DAARQUITETURA. O Design do objeto e da Arquitetura será analisado sobre aspectos daconcepção, do projeto, da produção, do consumo e do pós-consumo (28). Aprofundamento sobre o conhecimento do espaço urbano e do ambiente – resultandonovos conceitos adequados às dimensões históricas, culturais, sociais, artísticas, tecnológicas eambientais. Comparações: processos de produção e consumo: a cultura material, a tecnologia eo desenvolvimento aplicado aos projetos junto aos novos recursos gráficos, que auxiliam naprodutividade e a qualidade dos projetos. Planejamento estratégico - ergonomia aplicada aos objetos e espaços da arquitetura edo urbano. O design e o ambiente - o "eco-design" e os parâmetros de projeto de produtosnaturais - design e responsabilidade social. Os impactos ambientais, sociais e econômicos dodescarte, do uso de materiais e processos. A reciclagem dos produtos, o redesenho. A representação e a experimentação no projeto e na produção dos objetos. Os modelosbi e tri-dimensionais: a tecnologia aplicada - representação analógica e virtual com simulação eprotótipos - conceitos, linguagens e produção. O projeto de pesquisa como processo emetodologia aplicada à produção da arquitetura, do espaço e da paisagem urbana: omobiliário, os equipamentos e os sistemas de informação. São componentes construtivos:produtos e sistemas para a arquitetura. Desenho natural = Design Sustentável = Demanda Social.NOTAS(28) – FAU-USP - Áreas de Concentração e comparações “Projeto de Arquitetura e Design”. 18
    • BIBLIOGRAFIAADAM, Roberto Sabatella. Princípios do Ecoedifício: Interação entre Ecologia, Consciência e Edifício. SãoPaulo, SP: Aquariana, 2001.ARTIGAS, Vilanova. Caminhos da Arquitetura. Cosac Naifi, 2004.BARDI, Lina Bo. Lina por escrito – textos escolhidos de Lina Bo Bardi. Cosac Naifi, 2009.BAUMAN, Zygmunt. Tempos líquidos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007. 119 p., ISBN 978-85-7110-993-3.BETSKY, Aaron. Zaha Hadid – The Complete Buildings and Projects. 1998.CALVINO, Ítalo. Lezioni americane. Sei proposte per il prossimo millennio. 8ª ed. Milão - Mondadori, 1997.CORBUSIER, Le. Precisões. Ed. original 1930. Cosac Naifi, 2004.CELANI, Gabriela. Cad criativo. Editora Campus, Rio de Janeiro, 2003.DELEUZE, Gilles (1925-1995). Empirismo e subjetividade. Edição 34, 2001.DOLLENS, Dennis. Digital to Analog. Sites books, New Mexico, 2001.ECCO, Umberto. Como se faz uma tese. Ed.Perspectiva, 1983.ESTÉVEZ, Alberto T. Arquitecturas Genéticas. Sites books, ESARQ (UIC), Barcelona, 2003.ESTEVEZ, Alberto T. Genetic Architectures II: Digital Tools & Organic Forms (Spanish Edition).Lumen Books,2006. Edition: Bilingual, Paperback.FRAMPTON, Kenneth. História Crítica da Arquitetura Moderna. Martins Fontes, 2000.GORE, Al. Una verdad incomoda: La crisis planetaria del calentamiento global y como afrontarla. GedisaEditorial S A, 2007.KOLLHAS, Rem (1987-1998) / OMA. El Croquis. 1999.MOOR, Andrew. Los colores de la arquitectura. Blume, 2006.MAU, Bruce. Life Style, London : Phaidon Press, 2000.OKAMOTO, Jun. Percepção Ambiental e Comportamento. SP – IPSIS, 1997.RAND, Harry. Hundertwasser. Taschen.ROCCA, Alessandro. Natural Architecture. Princeton Architectural Press, 2007.STEFEN, Alex. Worldchanging : a users guide for the 21st century. New York : Abrams, 2006STOHR, Kate. SINCLAIR, Cameron. Design Like You Give a Damn: Architectural Responses to HumanitarianCrises. Ed. Metropolis Books, 2008.VENTURI, Robert. Complexidade e contradição em arquitetura. SP. Martins Fontes, 1995.WHITEHEAD, Alfred North. The Concept of Nature: The Tarner Lectures Delivered in Trinity College. BiblioBazaar, 2007.WRIGHT, Frank Lloyd. An Organic Architecture: The Architecture of Democracy. The MIT Press, 1970.WINES, James. Green Architecture: the art of architecture in age of ecology. Midsize, 2000. 19
    • SITES E LINKS DA INTERNETwww.vitruvius.com.brwww.arcoweb.com.brwww.revistaau.com.brwww.casadavizinha.euwww.ecoperiodico.comwww.designemergente.orgwww.newarchitecturalexpression.euwww.criaarquiteturasustentavel.com.brwww.asbea.org.brwww.inhabitat.comwww.ecodesenvolvimento.com.brwww.iengenharia.org.brwww.iabsp.org.brwww.cte.com.brwww.houlcimfoundation.orgwww.elisava.es(...) 20