TECHNOLOGY *

4,115 views
3,903 views

Published on

RESEARCH
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,115
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

TECHNOLOGY *

  1. 1. Tecnologias em Arquitetura
  2. 2. “A Tecnologia não pode ser um fim em si mesma, mas deve estar a serviço de resolver, a médio e longo prazo, problemas sociais e do meio ambiente” Renzo Piano • Base do Desenvolvimento Sustentável • Tecnologias X Criatividade • Equipe Multidisciplinar
  3. 3. Tecnologias: • Sistemas Estruturais • Soluções Construtivas X Conforto Ambiental
  4. 4. O edifício de 19 andares e silhueta curva rompia com a linguagem ortodoxa dos espigões retilíneos da Croce, Aflalo & Gasperini avenida Paulista, em São Paulo. Citicorp Center (1983/87) O prédio combina duas faces de grelhas estruturais, revestidas de granito rosa, intercaladas por quinas envidraçadas, azuis. • pesquisa empreendida sobre o tema grelhas estruturais, coroado pelo pórtico curvo • Além da linguagem, o edifício também foi pioneiro na tecnologia - em • automação, ar condicionado, • caixilharia (com sistema silicone glazing) • revestimento, com as placas de granito fixadas por grampos metálicos. • O emprego de novas técnicas visava diminuir a manutenção e economizar recursos energéticos. • O início da “família Atrium” (Vila Olímpia):
  5. 5. Edifício de escritórios Atrium VI, São Paulo-SP Aflalo & Gasperini • viga de transição e os pilares configuram o pórtico que libera a área do térreo para circulação de pedestres • volumetria escalonada • do embasamento para cima, o prédio adota a mesma linguagem de grelhas • vidro laminado refletivo e de função acústica • painéis de alumínio composto (ACM) na cor branca • os panos de vidro acima da grelha são complementados por elementos metálicos curvos que têm a função de quebrar a incidência direta do sol
  6. 6. Edifício de escritórios Atrium VII, São Paulo-SP Aflalo & Gasperini • grelha côncava serve como anteparo para a incidência de luz solar na fachada norte, sem se interpor à visibilidade a distância , além de favorecer a constituição de um espaço semipúblico no térreo. • vidros refletivos de oito milímetros de espessura • a disposição em L dos blocos possibilitou aumentar a área de cada andar em até 60% na diagonal e permitiu que mais salas se voltassem para o lado externo.
  7. 7. Botti Rubin Arquitetos Associados Edifício Hidelbrando de Almeida Prado “A genialidade é um atributo a quem não mais que meia dúzia de arquitetos do século XX podem fazer juz, mas talentosos há milhares, e o talento sabidamente é produto de vocação, mas também de muito suor. Foi o nosso caso.” Marc Rubin •uma modulação nas fachadas em lâmina: uma expressão arquitetônica forte no que diz respeito a estrutura •a estrutura de concreto aparente aparece com tanta ênfase que é o principal elemento da sua expressão arquitetônica •conclusão(naquela época): não é possível saber projetar sem saber construir •verificação tecnológica do concreto > um impulso a criação do hoje famoso Instituto Tecnológico Bauercenter. Palestra : 39ª Reunião do Clube das Idéias INSTITUTO PARA O DESENHO AVANÇADO IDEA Palestrante: Marc Rubin
  8. 8. “Nós conseguimos fazer estes prédios porque comandávamos as obras, como já disse, e assumimos o risco de uma solução nova pouco convencional” Marc Rubin ” Este foi o primeiro edifício alto em São Paulo a ser edificado, tendo a sua estrutura de concreto aparente toda a mostra” _ uma estrutura de sustentação externa às lajes dos andares (além do núcleo de circulação vertical); no que resultava um ritmo de pilaretes externos, por sua vez apoiados sobre vigas de transição no nível do teto do térreo. Essas vigas de transição eram apoiadas neste caso em outra que era recebida pelos pilares, os tais pilotis, com afastamentos no ritmo adequado para permitir o estacionamento de automóveis nos níveis inferiores.” _venezianas de cedro: para ficar exposta ao tempo diriam que não ia dar certo e iriam acabar apodrecendo, após 35 anos continua em bom estado”.
  9. 9. CENU, Centro Empresarial Nações Unidas BottiRubin •287.000m2 construídos, 3.700 vagas de estacionamento, três prédios sendo o maior a Torre Norte tendo a mais alta estrutura de concreto armado do Brasil (1989) Torre Leste teve seu uso revisto e foi reprojetada internamente para ser transformada em hotel de luxo da rede Hilton, inaugurado em outubro de 2002. Torre Oeste, primeira a ser concluída •sua concepção estrutural utilizou pilares esbeltos, resultantes do emprego de concreto de alto desempenho, e lajes protendidas, que dispensam vigas, contribuindo para a flexibilidade do desenho interno. •todas as torres têm como característica a grelha da fachada, revestida por granito flameado, e o coroamento chanfrado. •painéisde fachada pré-fabricados, já revestidos de granito, içados por guindastes e fixados as estruturas por meio de grampos de aço inoxidável, aceleraram o ritmo das obras
  10. 10. Carlos Bratke Centro Empresarial e Cultural João Domingues de Araújo (JDA) Ao contrário das demais torres na região da Berrini, optou-se pelo: • pelo core central - o núcleo de circulação vertical (escadas e elevadores) ocupa o miolo da torre. O prédio possui estrutura de concreto e lajes protendidas. •além do core estrutural, o JDA tem apenas oito pilares, perimetrais, justamente no encontro entre as duas figuras geométricas que desenham a planta. •quase minimalista, combinando dois volumes simples, que parecem encaixados: um cilindro com 16,8 metros de raio e um prisma retangular de base quadrada, com aproximadamente 30 metros de lado.
  11. 11. •o jogo volumétrico é reforçado pelos fechamentos: enquanto o cilindro recebeu apenas vidros laminados reflexivos em tom azulado, a parte prismática alterna esse tipo e outro, opaco, de cor branca •em aço corten, a marquise de entrada, com desenho que lembra um tecido pendurado.
  12. 12. Carlos Bratke Plaza Centenário (1988/95) • separação clara entre a área de escritórios e a de serviço e circulação vertical (escadas e elevadores). • um dos mais altos na região Berrini, em São Paulo, com 32 andares. • dos oito pilares próximos ao core, quatro torres destinadas aos serviços têm função estrutural, como se fossem “pilares ocos”. • pesquisa de materiais • revestimento:com placas de alumínio,
  13. 13. “As 8 colunas somadas ao volume central - que, com o heliponto no coroamento, ganha a dimensão de um grande cilindro -, fazem as vezes dos elementos verticais do projeto, aos quais se contrapõem as aberturas horizontais”.
  14. 14. • a solução industrializada: as padronizações, antes tão criticadas, já não são mais vistas como um problema, mas como garantia de que o projeto será executado dentro de parâmetros mínimos de qualidade. • para garantir eficiência é a de que as soluções de pré-fabricação devam surgir durante a concepção do projeto. • nos últimos quinze anos houve uma evolução de materiais, sobretudo do concreto, dos aditivos e das fôrmas, que elevou a pré-fabricação a esse estágio. Stadio San Nicola - Renzo Piano - Bari, Itália. 1987 - 1990
  15. 15. • racionalização no canteiro: Soluções Industrializadas: - elementos pré-fabricados de concreto, como painéis de vedação, vigas, lajes e pilares, além de cozinhas e banheiros prontos. • projeto: - as limitações atribuídas ao sistema industrializado são mais decorrentes de questões culturais e econômicas, do que da tecnologia em si - integração aos processos projetivos: os pré-moldados passaram a compor sistemas construtivos híbridos • equipe multidisciplinar - a relação entre projetistas e fabricantes foi obrigada a ficar mais estreita
  16. 16. A filosofia de construção baseada • um planejamento rigoroso, baseada em um maior detalhamento de projeto. • maior velocidade de execução, redução de desperdício e de mão-de- obra e maior controle dimensional, trabalhando com peças que se encaixam perfeitamente. Laje alveolar • Precon com 16, 21 e 26 cm de espessura, são fabricadas por processo de extrusão, rigoroso controle de qualidade. Podem ser utilizadas em estruturas pré-fabricadas, metálicas, convencionais e de alvenaria. Dispensa escoramento e permite vãos livres de até 12 m para uma sobrecarga de 400 kg/m2. • Reago : aplicável tanto em estrutura pré-fabricada quanto metálica, de concreto moldado in loco ou de alvenaria, a laje da permite vãos de até 15 m, com uma espessura de laje de até 30 cm e largura de 1,25 m. Grande capacidade de carga e pode alcançar grandes vãos. • Premo: grandes vãos com altas sobrecargas e são capazes de proporcionar um teto liso e sem nervuras. Eficiência termoacústica, as lajes não necessitam de escoramentos durante a montagem, racionalizando e agilizando a obra. Fôrmas especiais • Transcosul : fôrmas das lajes e pilares pré-fabricados em concreto sob encomenda (Colégio Humboldt (SP) seis pilares curvos, com aproximadamente 6,6 m de altura e 13 toneladas cada um, e 54 lajes com curvatura, que medem cerca de 5,57 x 1,70 x 0,15 m, com 3,5 toneladas cada. Pilar • Cassol :concreto armado, podem possuir um duto central para escoamento de água das chuvas. Nesses casos, a saída do condutor pluvial é posicionada logo acima do colarinho da fundação.
  17. 17. ShoppingFreiCaneca Coordenador do projeto e da construção, Newton Duarte Barros Construtora Zeeni Reis Barros, responsável pela obra) • referência no uso de estruturas metálicas e na proteção contra incêndios; • obra tem 73 mil m2 estruturados em aço e fechamento com pré-fabricados de concreto. • sistema steel deck de laje • fixado às vigas mistas por conectores de cisalhamento (pinos metálicos eletrossoldados).
  18. 18. Hotéis Caesar Park Aeroporto Internacional SP arquitetoRoberto Candusso construtora Inpar • construção única dividida em três asas, de 14 pavimentos cada, somando 23 mil m2 • erguidos em 11 meses; esse prazo foi possível pela adoção de sistemas construtivos industrializados, incluindo : - estrutura metálica (com perfis ASTM A36 e proteção passiva contra incêndio com argamassa projetada, à base de fibras minerais), - laje do tipo steel deck, fechamentos externos com painéis de concreto pré- fabricados, - paredes-divisórias de gesso acartonado - banheiros prontos.
  19. 19. Hearst-HQ New York-USA Arquiteto Norman Foster • A Nova Torre compreende: 42 pavimentos de quase 1 milhão de pés2, de espaço para escritório. Eleva-se sobre a antiga construção, ligada a rua, por uma “saia de vidro” no andar térreo e na cobertura. A luz inunda o pavimento inferior (uma praça interna), encorajando a idéia de que a torre esté flutuando sobre a base. • Estrutura de Aço (80% reciclado) representou uma economia de 20% sobre a estrutura de aço tradicional. Os contraventamentos triangulares e tridimensionais, e um núcleo estrutural (circulação vertical) resultaram numa racionalização de cargas de forma não sobrecarregar o edifício antigo e suas fundações. • Vidros especiais garantem um economia de funcionamento na ordem de 25% em relação aos vizinhos mais recentes.
  20. 20. Edo Rocha SISTEMA TILT-UP • horizontalidade: paredes feitas no chão, Sede Vivo Telefonia Celular • sistema construtivo de pré-moldados in loco em que o piso de concreto é executado no início da obra para servir de fôrma para as paredes, moldadas já com os vãos de portas e janelas. A seguir, as paredes são içadas e solidarizadas por meio de lajes ou estruturas metálicas.. • há 60 anos nos USA - a tecnologia está no Brasil (1993) - representada pela Walter Torres Jr
  21. 21. • vantagens evidentes: rapidez, facilidade de trabalho, segurança • sem impor algum tipo ou espécie de restrição a alternativas arquitetônicas e de acabamento, um guindaste pode chegar a levantar de 20 a 25 painéis por dia. • os painéis tem significativa absorção, sem popagação, de som e barulho do ambiente interno e urbano • resistentes a fogo, e seguras contra perfuração (usados em penitenciária USA) • construções duráveis e de baixa manutenção
  22. 22. •limpeza, aliada a uma boa organização, pode resultar em ganhos significativos de produtividade. •simplicidade : concreto e aço em um processo básico de concretagem de paredes de 15 a 20 cm de espessura mais alguns detalhes técnicos = concretar uma laje.
  23. 23. Königsberger Vannucchi Arquitetos Associados Stadium • sistema construtivo empregado foi o misto, com concreto, aço e alvenaria, enquanto os revestimentos escolhidos para as fachadas foram telhas metálicas, superfícies masseadas e pedras ornamentais.
  24. 24. Königsberger Vannucchi Arquitetos Associados Brascan Century Plaza • Incorporar novas tecnologias x produção escala • Estruturas de lajes planas • Fechamentos com painéis pré-moldados • Divisões internas: Drywall - planta paginada em função do melhor aproveitamento da placa • Canteiro de Obra: dimensionado para carga máxima da gruas - a idéia era que não parasse nada no chão • Desperdício zero • Caixilhos prontos, montados com vidro, pronto para colocação • Piso sem rejunte das praças capta águas pluviais
  25. 25. Eric Owen Moss Architects, Los Angeles Estrutura de madeira : •possibilita uma maleabilidade de Fachadas e Coberturas •elementos construtivos de sustentabilidade renovável •Pré-moldagem + montagem da estrutura no canteiro
  26. 26. Centro Cultural Jean-Marie Tjibaou, Nouméa, Nova Caledônia Renzo Piano •Vigas de madeira laminada possibilitam a curvatura da estrutura •Uso da madeira valoriza a tipologia local. •Espaço entre as vigas para otimizar a ação dos ventos no conforto da edificação •Uso da madeira com o aço inox na estrutura mista
  27. 27. Norman Foster Swiss Re - Londres Inglaterra •Planta Radial de perímetro circular, que tem seu perfil estreitado conforme se eleva em direção aos “raios-eixos” •O diferencial de pressão criado pela superfície de fachada cria um sistema natura, de grande inventividade, de ventilação •41 andares / 76.400m2 de construção •do topo uma vista de 360º da cidade de Londres
  28. 28. •Estrutura de Aço - contraventamento tridimensional •A forma ovalada deflete o vento que em uma estutura quadrada, seria encaminhado para o térreo, criando muito desconforto aos pedestres
  29. 29. Norman Foster - City Hall Londres/ Inglaterra “esfera modificada”: ótimas performances energéticas: • Varandas diminuem a exposição ao sol • Sistema de resfriamento de ar através de Vidros especiais: mapas bombeamento de água do térmicos analisam padrões de subsolo, e dispersão por luz solar durante o ano, Ar quente é aspirado processo evaporativo regulando temperatura interna, naturalmente, induzido por através de resfriamento ou efeito chaminé facilitado pela calefação forma do átrio interno
  30. 30. •translucidez de toda fachada •Iluminação nas estações de trabalho e nas rampas de circulação do edifício
  31. 31. Hongkong ShangaiBank HQ - Norman Foster • Shangai Bank. O edifício conta com elementos refletores internos e externos, distribuindo a iluminação natural pelos diversos andares, ganhando em qualidade visual e reduzindo o consumo de energia para iluminação artificial • Água bombeada do Mar faz o resfriamento do ar. • Estrutura de Aço pré-moldada montada -”encaixada”- in loco / módulos atirantados.
  32. 32. Skidmore, Owings & Merrill BankBoston • Vidros: 18 tipos diferentes de vidro que correspondem as necessidades de segurança, termo acústica e isolamento (Marina Mascherori do Som) > desde de vidro à prova de bala; insular e os tipos low-e (bx emissão). • O edifício é um raro exemplo, no Brasil, das múltiplas combinações possíveis para obter os resultados esperados: conforto térmico com o uso racional do sistema de condicionamento de ar, devido a aplicação de vidro insulado com 25mm total = face externa em low-e de 6mm, câmara de ar de 13 mm, e vidro float transparente também com 6mm Low-E Vidro com camada extrafina de metal que funciona pela diferença de temperatura e reflete o calor de volta para a fonte, seja ela externa ou interna. Deixa passar a luz natural, mas barra as radiações UV e IV. Low-E hard coat (camada dura) É próprio para uso com vidro monolítico; o tipo soft coat (camada macia) só pode ser usado para compor o vidro insulado.
  33. 33. Duplo insulado Formado por duas (ou mais) faces de vidro separadas por câmara de ar selada, o duplo insulado não embaça e tem bom desempenho termoacústico quando sua composição inclui o uso de pelo menos um vidro laminado e outro para o controle de calor, como o metalizado ou o low-E. A eficiência termoacústica também depende da distância interna entre os vidros. Pode ser usado com persianas embutidas
  34. 34. Convention Corporate Plaza José Lucena / Mário Newton Leme (engenheiro e consultor fachadas) as fachadas combinam esquadrias entre vãos e caixilharia do tipo structural glazing: a caixilharia é presa à laje nervurada por meio de ancoragem por pavimento e alterna folhas fixas e móveis. a estanqueidade do sistema é garantida pelo correto dimensionamento dos perfis e pelos três níveis de vedação por gaxetas de EPDM, elastômero de alta resistência ao ozônio (o agente responsável pelo ressecamento e endurecimento das borrachas). localizado em rota de aviação (Aeroporto-Congonhas) > proteção acústica para garantir conforto aos usuários flats : vidros laminados de 6 mm e 5 mm, separados por uma película de polivinil butiral torre de escritórios foram usadas duas lâminas de 4 mm, também intercaladas por PVB. structural glazing é perfeito para quando se trabalha com vidros refletivos, que tornam impossível ver a massa de silicone estrutural. a vedação do som entre pavimentos na fachada-cortina empregou camada de 2,5 cm de gesso, aplicada no perfil junto do peitoril para lacrar o vão. Silicon Glazing Painéis de Vidro encapsulados por um perfil pré-extrudadado de borracha de silicone eliminando assim o quadro intermediário de alumínio.
  35. 35. Vidros •a combinação das diferente espessuras, tipos e cores de vidro, associados as películas de butiral ou reflexiva resultam em diferentes índices. •recomendação: perto de 100%. dado que os que os vidros de transmissão entre 20 e 30% são aqueles mais procurados quando o objetivo é usar o vidro como barreira de calor, portanto: •Taxa absorção = 50% •Taxa reflexão = 20% •Taxa de transmissão = 30% • Refletivo: Camada de metalização reflete os raios solares, protegendo os ambientes contra o calor. Mas, seu desempenho térmico varia conforme a cor do vidro, o processo de metalização e o tipo de óxido metálico aplicado. • Autolimpantes Produtos químicos aplicados na superfície do vidro durante o processo de fabricação evitam a aderência da sujeira e fazem com que a água da chuva escorra em uma cortina única, retirando homogeneamente o pó e evitando as marcas secas de respingos. Reduz a freqüência de limpeza e é indicado para fachadas. Disponível apenas por importação. • Filmes Extrafinos Com desenhos ou não, inseridos na laminação, diferente da aplicação usual de superfícies. Os filmes internos (desenhados ou não ajudam barrar as radioções ou permite sombreamento)
  36. 36. Iguatemi Corporate - Botti&Rubin Ed. Bandeirantes - Aflalo&Gasperini Hotel Renaissance - Ruy Otake • Com proteção anti-risco Novidade no mercado internacional, o vidro com proteção contra riscos só deve chegar ao Brasil nos próximos anos. Como o próprio nome já informa, o produto é imune a riscos. Indicado para locais sujeitos a danos por abrasão. • (Inovação) PVB vidro laminado com resina líquida no lugar do polivinil butiral, recomendado quando o isolamento acústico e segurança são as especificações. • Películas especiais de ângulos seletivos: (depois de 11/9 essa película é obrigatória em prédios governamentais nos USA) para controle solar, bem como são resistentes a balas, fogo e explosão. • Células fotovotáicas captam energia elétrica e transformam em energia.
  37. 37. Caixilhos PVC Hotel Ibís - Marília Sant’Anna de Almeida (FS’A Arquitetura) • conciliar conforto e baixos custos para atrair o turista de negócios (uma das exigências está no uso de caixilharia de PVC com características que assegurem conforto termoacústico aos hóspedes) • PVC de 5 cm de espessura e alma de aço galvanizado para aumentar sua resistência, os batentes dos dois modelos são fixados à estrutura por parafusos e buchas (para evitar infiltrações, não se devem usar parafusos no trilho inferior) • isolamento acústico: vidros laminados refletivos, com folhas de 4 mm e 6 mm, separadas por película de PVB • instalação das janelas requer : • 1 vão requadrado • modelos chegam prontos ao canteiro, com o vidro colocado • etapa manual: instalação consome 30 minutos com espuma poliuretano
  38. 38. Sistema Profilit / Pilkington • sistema de envidraçamento Profilit, caracteriza-se por painéis de vidro autoportantes • dispensa o uso de caixilharia • nível de iluminação elevado e necessidade de amenizar a intensidade dos raios solares • resistência aos esforços laterais (pode receber ainda uma tela de aço inoxidável, incorporada ao vidro durante o processo de fabricação. Assim, no caso de quebra, os estilhaços permanecem presos à estrutura)
  39. 39. Norman Foster - McLaren 1998-2004 • Estrutura metálica - Pilares periféricos são suporte para laje de cobertura e vidro • Pilares de Aço “em cogumelo” estruturam rampas e locais de observação • Volumetria (“aterraciada”) cria áreas de sombreamento • Lago é aproveitado para resfriamento do ambiente
  40. 40. Rino Levi Ed. Elclor /Cobocó original Brises depois da Reforma Elemento Vazado /Cobocó -Pq Guinle 2ª Pele: Brise/Cobocó - Reinach Mendonça
  41. 41. Brises - MEC Enrique Browne Arquitectos Santiago - Chile Brise Madeira/Pele Vegetal Botti/Rubin Venezianas Cedro Rino Levi Varandas =sombreamento Ed. Res. Av. Higienópolis
  42. 42. Complexo Educacional Abram Szajman /Senac, São Paulo Aflalo & Gasperini Arquitetos •Inclinação da fachada para sombreamento •Mobilidade dos brises •Visibilidade do interior para o exterior
  43. 43. Fórum Trabalhista Ruy Barbosa, São Paulo Décio Tozzi e Karla Albuquerque Pano de vidro •transparência da fachada da rua •luminosidade do átrio de entrada •insolação filtrada pela treliça estrutural
  44. 44. Centro Brasileiro Britânico (1999/2000) BottiRubin •sistema de esquadrias estruturadas por tubos metálicos, que servem de apoio a delicados fios também metálicos, com os vidros engastados a essa estrutura por um sistema de garras de aço. •fachadas laterais são marcadas pelo uso de brises metálicos •iluminação zenital •revestimento: arenito francês •lonas tensionadas
  45. 45. Centro da Cultura Judaica, São Paulo Roberto Loeb •Brises fixos de vidro valorizam a contemplação da paisagem •Vazio entre o brises e a fachada do edifício possibilita a circulação de ar
  46. 46. Edifício Jaraguá , São Paulo Paulo Mendes da Rocha •Desnível da laje facilita a circulação de ar
  47. 47. Renzo Piano Sole 24 Ore, Milão - Itália Um antigo conjunto industrial, erguido na década de 1960 na cidade de Milão, ganha arquitetura e tecnologia contemporâneas e passa a abrigar os estúdios de rádio e televisão e a redação do jornal de um dos mais montanha artificial - uma construção de concreto, que importantes grupos italianos de comunicação. avança para o subsolo e abriga estacionamentos, na parte em que a cúpula é coberta pelas árvores, e, no lado oposto, um restaurante, protegido por cobertura de vidro
  48. 48. João Filgueiras Lima •Uso de componentes industrializados, as obras dos quatro edifícios do Sarah-Rio foram concluídas em apenas seis meses •Shed, na sala de reabilitação infantil, ilumina e ventila naturalmente •Os grandes edifícios tornaram-se então um laboratório possível para a pesquisa dos elementos construtivos modulares •Cartilhas instrutivas para o canteiro da obra
  49. 49. Tito Lívio Frachino (uma proposta para o terreno em estudo) •edifício projetado eram os brises desenhados em diagonal na fachada oeste, para proteger o prédio da insolação. •“um tapa-olho” - atendendo a um pedido do proprietário do grupo, Jorge Simeira Jacob, que não desejava que o prédio tivesse uma de suas faces completamente aberta para o Cemitério da Consolação, situado do outro lado da rua.

×