Your SlideShare is downloading. ×
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Projetocenet
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Projetocenet

323

Published on

Projeto da professora Márcia do Cenet

Projeto da professora Márcia do Cenet

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
323
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. ESTADO DE SANTA CATARINA FUNDAÇÃO CATARINENSE DE EDUCAÇÃO ESPECIAL GABINETE DA PRESIDÊNCIA GEPCA – GERÊNCIA DE PESQUISA E CONHECIMENTOS APLICADOS CENET – CENTRO DE EDUCAÇÃO E TRABALHOAtualidade: Construção do conhecimento em aprendizagem. São José, abril de 2011.
  • 2. CENET– Centro de Educação e TrabalhoCoordenadora: Maria Nilza ECkelProfessoras da Pré-Qualificação:Artesanato em geral: Márcia Terezinha MirandaTecido e madeira: Eliane Aparecida Folster GonçalvesReciclagem: Heidy W. ReisOrientadora: Meliane Daniela Espíndola Projeto de habilidades básicas e específicas da Fundação Catarinense de Educação Especial –FCEE do Centro de Educação e Trabalho- CENET, sob orientação da pedagoga Meliane. São José, abril de 2011.
  • 3. A Idade de ser feliz "Existe somente uma idade para a gente ser feliz. Somente uma época na vida de cadapessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante para realizá-los, adespeito de todas as dificuldade e obstáculos.Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo nem culpa de sentir prazer. Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida à nossa própria imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores e experimentar todos os sabores.Tempo de entusiasmo e coragem em que tododesafio é mais um convite à luta que a genteenfrenta com toda disposição de tentar algo novo, de novo e de novo, e quantas vezes for preciso.Essa idade tão fugaz na vida da gente chama- se PRESENTE, também conhecida comoAGORA ou JÁ e tem a duração do instante que passa...” *Mário Quintana.
  • 4. JUSTIFICATIVA A atualidade é um dos temas proposto pelo CENET para ser trabalhadocom os educandos das oficinas profissionalizantes em habilidades básicas eespecíficas. Neste contexto, iremos abordá-lo como reflexão para a dinâmica doser social. O projeto tem como principal finalidade abordar os temas: política,economia, esporte, variedade, socialização, meio ambiente e documentação. Paratanto, será necessário problematizar os fatos e acontecimentos cotidianos, poisestes são práticos e estão no nível do senso comum, e geralmente não sãopercebidos e menos ainda, manifestados como problemas, a partir dos quais sãopossíveis de construir novos conhecimentos. Salientamos ainda que vivendo em um período de transformações,precisamos saber discutir criticamente os acontecimentos do dia a dia, pois esta éuma das atitudes, que nos faz crescer como seres humanos. Este projeto só terá relevância se construirmos, com os educandos formaspráticas de incluí-los na sociedade, tornando-os mais conscientes, críticos eparticipativos. Então uma das necessidades deste tema será levar a realidade aoestágio das representações, a fim de que os educandos adquiram uma percepçãoviva e ativa da sua própria realidade, tornando-os capazes de construir novoscaminhos que ultrapassem seu conhecimento cotidiano, de forma que possaacessar a sociedade através do exercício dos seus direitos e deveres. Acreditamos que desta forma estaremos contribuindo para a orientação eformação dos educandos nas suas dúvidas e incertezas sobre o que acontece noseu dia a dia.
  • 5. A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO COM O JORNAL E REVISTA O resgate da história do jornal, proporcionará uma reflexão por parte denossos educandos de como nosso povo era tratado antigamente pela falta deinformação. Partindo desta reflexão podemos perceber, que o conhecimento na vida dosseres humanos é de suma importância, pois quando nos tornamos pessoas maisinformadas e temos conceitos já formados, podemos assim estar exigindo, commaior esclarecimento pelos nossos direitos. Segundo Moran: “Um dos grandes desafios para o educador é ajudar a tornar a informação significativa, a escolher as informações verdadeiramente importantes entre tantas possibilidades, a compreendê-las de forma cada vez mais abrangente e profunda e a torná-las parte do nosso referencial” (2005, pág. 01).A compreensão é o grande eixo do qual gira a aprendizagem, quandocompreendemos as informações a que temos acesso, contribuímos e adquirimosmaior autonomia e independência, pois começamos a agir por conta própria. Comeste objetivo como eixo principal desse projeto à informação será o ponto departida. VALENTE, 1993 ressalta que: “...Proporcionar condições para que a aprendizagem seja produto de um processo de construção do conhecimento do aprendiz realiza na interação com o mundo dos objetos e do social. Neste sentido, aprender significa o aprendiz ser capaz de utilizar sua experiência de vida e conhecimento já adquiridos na atribuição de novos significados e na transformação obtida, convertendo-a em conhecimento.” A partir de leituras em jornais e revistas, debatendo assuntos do nossocotidiano, podemos perceber os conhecimentos prévios e as experiências doseducandos, com o também a importância fundamental da organização doconhecimento.
  • 6. Através das leituras e exploração dos jornais e revistas, os alunosobservam objetos, situações diversas e interpretam fotografias, realizam pequenasexperiências ou discutem sobre a adequação de determinadas idéias. ...o papel do professor deixa de ser aquele que ensina por meio da transmissão de informações – que tem como centro do processo a atuação do professor – para criar situações de aprendizagem cujo foco incida sobre as relações que se estabelecem nesse processo, cabendo ao professor realizar as mediações necessárias para que o aluno possa encontrar sentido naquilo que está aprendendo a partir das relações criadas nessas situações (PRADO, Pág. 13, 2005). Estas atividades permitirão os educandos analisar, classificar, comparardados, informações e conhecimentos relacionando-os com seu cotidiano atravésdos registros e discussões das informações praticando a sua criticidade, sendo oprofessor o elo das mediações. O resgate da história do jornal permitirá que os educandos possamperceber-se como sujeitos da história, Esse trabalho de comparação entre o passado e o presente e entre osdiferentes modos de vida estabelecidos numa mesma época permite ao alunoconhecer melhor a si mesmo e o mundo em que vive. Explorando e pesquisando a história do jornal, também vamos conhecer aslutas e revoluções que aconteceram para que as informações fossem apropriadaspelo povo, bem como a repressão e mortes que aconteceram durante toda ahistória. Este projeto também fará com que os educandos percebam que existemdiferentes pontos de vista sobre os fatos a serem discutidos e devemos respeitaras diferenças de idéias entre as pessoas. Cabe ainda ressaltar, que a formação de um cidadão se fundamenta noobjetivo de fortalecer nos educandos o valor da democracia e da justiça sociallevando-nos assim a adquirir gradualmente capacidades que lhes permitirãoparticipar da vida coletiva, além do conhecimento que os mesmos irão adquirirdurante este processo.
  • 7. Prado ressalta que: “para fazer a mediação pedagógica, o professor precisa acompanhar o processo de aprendizagem do aluno, ou seja, entender seu caminho, seu universo cognitivo e afetivo, bem como sua cultura, história e contexto de vida. Além disso, é fundamental que o professor tenha clareza da sua intencionalidade pedagógica para saber intervir no processo de aprendizagem do aluno, garantindo que os conceitos utilizados, intuitivamente ou não, na realização do projeto sejam compreendidos, sistematizados e formalizados pelo aluno” (2005, p. 13). Para enfrentarmos os desafios dos novos tempos, nós, enquantoeducadoras, precisamos proporcionar aos educandos mais autonomia no pensar,capacidade de tomar decisões, criatividade, além de uma profunda consciência decidadania. Diante desta realidade é preciso formar educandos pensantes, críticos,originando cidadãos participativos e responsáveis diante da proposta de trabalhoque se desenvolve no processo de ensino e aprendizagem. Cabe ao professor promover o desenvolvimento de atividades que provoquem o envolvimento e a livre participação do aluno, assim como a interação que gera a co-autoria e a articulação entre informações e conhecimentos, com vistas a construir novos conhecimentos que levem à compreensão do mundo e à atuação crítica no contexto (ALMEIDA, 2005, p. 72) Além de “ transmitir informações” estaremos propiciando possibilidadespara que educando cresça intelectualmente e amplie seus conhecimentos econseqüentemente, a compreensão do mundo em que vive. Levando os educandos a estabelecer relações entre novos conhecimentose os conhecimentos que já possuem, estaremos ampliando sua capacidade decompreensão da realidade e por conseqüência o senso crítico. A possibilidade de o aluno poder diversificar a representação do conhecimento, a aplicação de conceitos e estratégias conhecidas formal ou intuitivamente e de utilizar diferentes formas de linguagens e estruturas de pensamento redimensiona o papel da escola e de seus protagonistas (alunos, professores, gestores) (PRADO 2005, Pág. 56)
  • 8. Desta forma, a escola abre novos caminhos no ensino – aprendizagem,proporcionando aos educandos condições adequadas com informaçõespertinentes para a inclusão social. SOCIALIZAÇÃO Vivemos em uma sociedade fragmentada e são muitas as realidades comque nos deparamos, porém são poucas as que realmente conhecemos a fundo. Éde fundamental importância tomarmos consciência da sociedade em que vivemospara que possamos nos sentir parte deste grupo, e não apenas como seresisolados, atuando como verdadeiros cidadãos em todas as relações sociais.É preciso desenvolver uma visão global da sociedade em que estamos inseridos.Para um bom convívio com as demais pessoas é preciso seguir algumas regrasde boas maneiras, isto é, ser amável e respeitar os outros. É preciso ter um bomcomportamento, pois a educação é um pré-requisito para melhorar orelacionamento, inclusive com os companheiros de trabalho. Quem sabe tratar osoutros com educação, tem melhores condições para conseguir o que deseja,tornando-se assim, um sujeito com autoridade moral. Então para que possa haver um bom equilíbrio nos grupos sociais, faz-senecessário que os indivíduos que nele ingressam assimilem e internalizem osvalores e as normas que regem seu funcionamento. A prática da socialização vaialém dos muros escolares, percorre diversos setores da sociedade, e esteprocesso de socialização dos indivíduos para a construção de uma sociedadeinclusiva, devem ser planejados pelos próprios integrantes que a “compõe”. Pradoressalta que: Nessa perspectiva, a melhor forma de ensinar é aquela que propicia aos alunos o desenvolvimento de competências para lidar com as características da sociedade atual, que enfatiza a autonomia do aluno para a busca de novas compreensões, por meio da produção de idéias e de ações criativas e colaborativas (PRADO 2005, pág. 55).
  • 9. A participação dos educandos na comunidade proporciona interaçõespositivas. Na parte da comunicação, recreação e lazer. Sendo que, para aprendera comunicarem-se, os educandos necessitam aprender o momento de ouvir e defalar. Sendo assim, o educador precisa estar atento quando ao momento de ouviras indagações dos educando, para que estes acreditem que expor-se e colocarsuas idéias são necessárias para uma boa comunicação, com o outro, por isto umdos motivos de saídas de estudo ou visitas na comunidade é usufruir o que elaoferece, compartilhando informações com os membros que a compõe. É de suma importância á qualquer pessoa a prática do lazer e recreação,esta atividade colabora para nosso bem estar, além de ofertar oportunidades deenriquecimento cultural e social. É necessário também que o educador esteja atento as informações paraque o momento certo possa indagar e auxiliá-los, apontando caminhos onde osmesmos percebam onde estão as informações relevantes, no momento da visita,para que esta seja proveitosa. Infelizmente nossos educandos não usufruem de uma vida de lazer, muitasvezes a correria do dia a dia ou porque suas famílias não proporcionam a elesestes tipos de atividades, sendo que, já se tornaram adultos, a única fonte de lazeracaba sendo os games, televisão ou computador, apesar de ocuparem um lugarcentral na vida de toda população atual, mas muitos deixam de sair de casa esocializar-se com outras pessoas que não fazem parte de seu convívio, ficandoassim fadados à mesmice de sempre. Nos perguntamos “Como um educando poderá ser encaminhado ao mundodo trabalho e conviver com várias pessoas, quando o mesmo sempre viveu emsem próprio mundo?” Ao proporcionarmos atividades de lazer a estes educando estaremos lhesfavorecendo oportunidade de crescimento pessoal e intelectual.
  • 10. MEIO AMBIENTE O trabalho sobre educação ambiental tem por finalidade a conscientizaçãosobre a relação homem natureza. É preciso urgentemente repensar como vem sendo tratado o meioambiente, pois somente assim podemos pensar no futuro do planeta. Odesmatamento, lixos acumulados em encostas de rios, nos bueiros, vemdestruindo o que sobrou da natureza, cabendo assim a nós educadores, plantar asemente da preservação, conscientizando os educandos e toda a família, doscuidados que se deve ter com a natureza, e o que fazer com os lixos queproduzimos diariamente. É preciso recuperar alguns valores como solidariedade, responsabilidadesocial e, sobre tudo, criar nas gerações futuras a consciência da importância dosrecursos naturais.Lavoisier, ( 1743-1794), afirmou que “na natureza nada se perde, nada se cria,tudo se transforma”. Na vida o que morre transforma-se em adubo para outra vidaque nasce. Portanto, a preocupação com o meio ambiente tem sido constante nomundo. O cuidado com a preservação do nosso planeta é fundamental para acontinuidade das condições de manutenção da vida na terra. Diante disto, éurgente a necessidade de ampliar a conscientização e buscar novas tecnologiaspara o tratamento do lixo e a reciclagem. O avanço tecnológico vem ocorrendo,porém ainda, não acessível a toda população, assim como a educação voltadapara a preservação que deve ser difundida com o objetivo de atingir toda ahumanidade. Ensinar sobre a importância da reciclagem é dar oportunidade aspessoas de ajudarem na redução do desperdício e tornar o cidadão maisresponsável pelo futuro do planeta. Todos somos responsáveis pelo destino dolixo que geramos.
  • 11. A reciclagem é uma opção para solucionar em parte o problema. Elaproporciona o reaproveitamento de resíduos inertes ( plástico, vidro, metal, etc).Com o aumento da população, a poluição e o espaço reduzido, temos que nosapressar para resgatar a perda das reservas florestais e dos recursos hídricosprejudicados pela má destinação do lixo O planeta terra é nosso, vamos preservá-lo!
  • 12. DOCUMENTAÇÃO Falar em documentação para quem não se reconhece plenamente comocidadão participante da sociedade, torna-se difícil. Então se faz necessário que oseducandos percebam todas as possibilidades e significados que os documentosproporcionam. É através da documentação que exercemos nosso papel comocidadão, que asseguramos nossos direitos e cumprimos deveres tais como: votar,registrar terras e propriedades, ter direito a pensão, a escola, ao atendimentohospitalar, aposentadoria e também ao trabalho. É fundamental que os educandos compreendam que possuindo osdocumentos exigidos legalmente, estes irão proporcionar o acesso a todos osserviços da sociedade. Queremos com este trabalho não apenas convencer os educandos aentrarem em uma repartição publica e saírem de lá cadastrados e registrados,mas proporcionar uma reflexão que os leve a perceber que o ato de tirardocumentos é mostrar um desejo de inserção e aceitação na sociedade, decrescimento pessoal e consciência de seu papel na família. Assim, o documento não será meramente um pedaço de papel oficial, tiradopor obrigações de alguma lei, e nem será esquecido no fundo de alguma gaveta.O documento será um passaporte para uma vida mais digna e participativa.
  • 13. OBJETIVO GERAL Reconhecer a importância da informação sobre os fatos e regras sociais,formação de conceitos e identidade.OBJETIVOS ESPECÍFICOS Conhecer a história do jornal; Conhecer a importância de jornais e revistas; Conhecer as estruturas da edição de um jornal; Adquirir o hábito da leitura ( incipiente) e por conseqüência, o senso critico; Diferenciar o momento de ouvir e falar, ( criando habilidades para discutir sobre os temas trabalhados); Construção de jornal semestral sobre assuntos referentes ao CENET. Conhecer qual o objetivo dos diversos tipos de revista; Valorizar a troca de idéias para ter uma opinião bem fundamentada; Proporcionar aos educandos palestras e atividades sobre temas relevantes como: alimentação, higiene e cuidados com a saúde em geral; Proporcionar a socialização dos educandos dentro e fora do ambiente escolar; Informar sobre a importância de estar incluído na sociedade; Apropriar-se das regras sociais; Despertar a consciência critica referente à problemática ambiental de modo participativo, visando mudanças atitudinais; Conhecer as possibilidades e os significados que os documentos proporcionam.
  • 14. Proporcionar aos familiares dos educandos a participação nas informaçõesdo jornal a ser construído, de modo que possam participar da sua formaçãoprofissional.
  • 15. PROCEDIMENTOS Solicitar que os educandos tragam revistas e jornais para serem explorados em sala de aula, identificando suas partes; Debater com os educandos a importância do jornal, quais as informações e objetivos; Montar com os educandos notícias e reportagens a fim de que os mesmos diferenciem uma das outras; Ler e debater notícias e reportagens escolhidas pelos educandos, para ser elaborados textos coletivos; Debater em sala de aula notícias atuais, a fim de que os educandos dêem sua opinião, debatam e aprendam a respeitar a opinião dos demais colegas; Pesquisar sobre os acontecimentos/eventos que ocorrerão no CENET para que seja descrito no jornal a ser confeccionado; Trabalhar datas comemorativas relevantes aos educandos, onde os mesmos possam, debater, opinar e formar seus conceitos. (ver em anexo 01 datas a serem trabalhadas); Promover seminários para debater de maneira clara as notícias pesquisadas; Montar um painel com as principais notícias da semana Montar cruzadas passa tempos, de acordo com o tema trabalhado; Montar atividades onde sejam trabalhados temas como: alimentação, higiene do ambiente e corpo e cuidados com a saúde em geral; Visita de estudo Jornal hora, Diário Catarinense (Parque gráfico e edição), Rádio Regional;
  • 16. Visita de estudo a escola do Meio Ambiente em São José e o Parqueflorestal do Córrego grande e CONCAP;Visita de estudo ao Museu Cruz e Souza da Praça XV ,e Museu VitorMeireles,Visita de estudo ao Planetário na UFSC;Visita de estudo no Centro Histórico de São José;Visita de estudo no Museu Histórico de São José;Visita de estudo ao parque da Pedra Branca;Visita de estudo a Caldas da Imperatriz;Visita de estudo a CASAN e ELETROSUL;Visita de estudo a Alfândega;Visita de estudo a COEPAD;Visita de estudo ao shopping, cinema;Visita de estudo a Beira Mar de São José;Criar textos coletivos baseados nas visitas de estudo;Trabalhar com poemas onde os educandos possam refletir sobre osdiferentes temas como a auto estima, respeito ao meio ambiente, vidasocial entre outros;Trabalhar o ato de auto gerir-se onde o educando possa desenvolverautonomia quanto a sua vida pessoal, profissional, através de dinâmicas,parábolas;Uso de vídeos da TV ESCOLA, filmes que pertinentes aos temas de sala deaula e que serão pesquisados posteriormente;
  • 17. Vídeos do “edutube” a serem selecionados de acordo com tema trabalhado;Trabalhar o calendário diariamente para que os mesmos se localizem notempo e espaço;Lembrar sempre dos aniversariantes do dia;Trabalhar diariamente com os cuidados da higiene do corpo e ambiente dasala de aula;Proporcionar debates e dinâmicas de grupo a respeito da autonomia emquestões práticas como: pegar seu material, separá-lo, a importância docomeço e meio e fim de um trabalho, capricho com os mesmo, dentreoutros;Elaborar textos a partir das leituras das reportagens;Elaborar e realizar atividades com palavras chaves dos textos informativosdos jornais e revistas;Ler textos informativos, debater e depois reescrevê-los coletivamente;Montar um painel com a regras de boas maneiras;Elaborar e resolver atividades onde haja reflexões sobre os atos realizadosao bom comportamento;Trabalhar a importância no grupo do companheirismo, respeito a si e aopróximo, enfim, que as trocas de conhecimentos sejam fundamentais paraque haja aprendizado;Elaborar cartazes sobre o meio ambiente com o propósito deconscientização;Debate sobre a importância da preservação do meio ambiente;
  • 18. Divulgar no CENET a importância da preservação do meio ambiente, e solicitar colaboração e divulgação entre os familiares; Conversação sobre o tema documentação, sua importância e função de cada um; Sondagem para saber quais documentos os educandos já possuem e quais ainda não fizeram; Atividades pedagógicas onde envolvam o tema documentação e conscientização de obtermos os mesmos. Palestras:-Nutricionista, Tema: alimentação saudável.-Dentista: Higiene Bucal-Enfermeira: Higiene Pessoal.Meio Ambiente: água
  • 19. PROCEDIMENTOS A SEREM EXECUTADOS NA INFORMÁTICA Construção de calendário contendo informações gerais; Criação de mini jornais informativo; Digitar as informações para o jornal; Utilização das atividades do CD educativo “Reciclar”; Elaboração de um cenário que represente as visitas de estudo estes poderão ser elaborados no “ HAGAQUÊ” ou Paint fica a critério do educando; Digitação e desenhos dos textos coletivos elaborados em sala de aula; Pesquisa na internet dos temas citados no projeto; Divulgação dos trabalhos no Blog; Visita no site ou DVD da TV escola sobre os temas abordados; Pesquisa de vídeos no “edutube”.Estratégias Aulas expositivas; Diálogos; Pesquisas; Entrevistas; Palestras; Visitas de estudo; Trabalhos individuais e em grupo; Aulas práticas
  • 20. Habilidades Específicas. Pré-qualificação Artesanato em Geral e Tecido e madeira.Professoras:Eliane Aparecida Folster Gonçalves.Márcia Terezinha Miranda.Heidy w. Reis São José, Abril de 2011.
  • 21. Objetivo Geral:Estimular e incentivar o aprendizado teórico e prático acerca de técnicasartesanais.Objetivos Específicos: Desenvolver habilidades no manuseio dos materiais para realizar as atividades; Exercitar a autonomia na execução das atividades; Identificar, nomear os materiais; Explorar técnicas compatíveis à madeira, tecido e artesanato em geral; Desenvolver conceitos como: autonomia, autoria e criatividade; Apresentar hábitos de cortesia, postura, respeito, responsabilidade e compromisso; Proporcionar conhecimentos teóricos e práticos acerca da utilização de da madeira, tecido e peças artesanais com produtos recicláveis; Conscientizar-se da importância do “eu” e do “outro”; Conhecer e identificar o significado das datas comemorativas; Possibilitar e informar sobre a independência nos hábitos de higiene pessoal e do ambiente; Conscientizar da utilização de materiais reciclados, na confecção de peças de artesanato; Conteúdo Programático Higiene e segurança no trabalho Noções de medidas, tamanhos, espessuras e quantidades; Alinhavo e corte em tecidos, papelão dentre outros; Uso adequado do material de sala; Montagem das peças (começo, meio e fim); Conceitos básicos de qualidade e produtividade; Identificar, classificar e selecionar diferentes cores de linhas de tapeçaria.
  • 22. Trabalhos a serem desenvolvidos: Chaveiro com a utilização de pedrarias e retalhos de tecido; Guirlanda de madeira e papelão; Tapeçaria com retalhos e lã; Amarrações em Tapeçaria e cabides; Tear; Porta retrato em madeira, com técnica de pintura; Bandeja de madeira decoradas com técnica em tecido e decoupage; Estojo para lápis, caneta, régua e clipes com tubos de papelão reciclado, forrado com tecido, com base de madeira; Porta guardanapo a escolha do educando, forrar com tecido ou utilizar a pintura. Porta jóia de madeira com técnica de decoupage; Móbiles com pedrarias; Caixas de presentes com papel sanfonado; Colagem com: tecido, papel reciclado, papel (decoupage), uso da pistola (Silicone); Conversação: Regras de grupo; Fuxicos de tecido; Pintura em papel, madeira e tecido; Enchimentos com fibras e espumas; Recorte de tecido, lã, papel (diversos) retalhos, TNT, E.V.A...; Costura de fuxico, laços... -Motivo: Páscoa, natal...; Aplicação de fuxico, laços, botões, retalhos, miçangas e flores; Enfiagem: E.V.A, miçangas, retalhos, canudos de refri; Jogos da memória; Calendário, chamada, e aniversariantes; Elencar no cartaz nomes dos materiais e objetos utilizados no desenvolvimento das atividades.
  • 23. OBJETIVOS GERAL RECICLAGEM Conscientização do uso dos recursos naturais com a reutilização do papel e visando esta atividade artesanal como uma fonte de renda e inserção no mundo do trabalhoOBJETIVOS ESPECIFICOS Identificar as etapas do processo de produção do papel artesanal; Reconhecer os recursos naturais que podem ser aproveitados na produção do papel; Conscientizar sobre a importância da utilização adequada dos recursos naturais; Reconhecer no processo de confecção do papel um meio de atividade profissional autônoma como o artesão; BRUNA: localização no espaço de sala de aula e também do espaço físico do CENET; Despertar noções de limites para realizar as atividades em que a educanda apresenta maior dificuldade; ALEXANDRE: compreensão das regras do grupo, cooperação; Despertar auto estima e companheirismo; Despertar noções de higiene; Trabalhar de forma intensa a socialização; FÁBIO: compreensão das regras do grupo; ARIEL: desenvolver noções básicas ( ver em procedimentos); GEOVANE: desenvolver a concentração na realização das atividades; Desenvolver habilidades de coordenação motora (ver em procedimentos); Compreender as regras estabelecidas pelo grupo;
  • 24. KELLY: desenvolver mais suavidade nas atividades de motricidadefina;ANDERSON: compreender noções básicas de higiene;Compreender as regras elaboradas pelo grupo;EVERTON: desenvolver atividades estimulantes para a motricidadeda mão esquerda, bem como habilidades de coordenação motorafina;LUIZ: estimular ao convívio social;Despertar o interesse pelas atividades do grupo;Despertar noções de higiene;MIRIAM: compreender as regras estabelecidas pelo grupo;Desenvolver interesse pelas atividades realizadas em sala;EDUARDO: desenvolver noções de responsabilidade;FERNANDO JUNCKES: desenvolver interesse pelas atividades desala de aula;Despertar noções de cooperação com os integrantes do grupo;Desenvolver a socialização;MANOEL: desenvolver a auto estima;WELLINGTON: desenvolver o interesse pelas atividades e a autoestima.FERNANDO MAÇANEIRO: Despertar noções de responsabilidade;Desenvolver a socialização;Compreender as regras estabelecidas pelo grupo;
  • 25. PROCEDIMENTOS Construção de quadros comparativos sobre os gastos e economias dos recursos naturais utilizados; (informática) Pesquisa de tintas naturais ( informática); Pesquisa de recursos naturais contidos no campus da FCEE; Organização e levantamento dos materiais existentes em sala de aula da reciclagem e demais salas do centro para reaproveitamento na confecção do papel; Reconhecimento através do tato dos espaços físicos ( Bruna); Ariel: auxilio na higiene das mãos, para organizar seu material, participação nas atividades em sala e habilidade motoras finas desabotoando botões, abrindo e fechando zíper, amarrando laços. Este procedimento também é destinado à Geovane Everton; Utilização de poemas, contos, vídeos sobre a reciclgem Participação em palestras Visitas de estudo Aplicação do papel construído.Observação: alguns alunos forma citados especificamente nos objetivos doprojeto, pois através de observações realizadas em sala de aula, estes,apresentam necessidades acentuadas e que são de suma importância para oprosseguimento das atividades e alcance dos demais objetivos já estabelecidos.Cabe ressaltar que as atividades de que estes educandos necessitam, serãotrabalhadas dentro de um contexto e não isoladamente. Estas são dificuldadesbásicas que estão interferindo no processo de aprendizagem. Acredito que,sanadas tais dificuldades, será perceptível uma melhora na qualidade de vida bemcomo o avanço de etapas na construção do conhecimento. Os procedimentos da informática são os mesmos aos demais grupos deartesanato e tecido.
  • 26. AVALIAÇÃOA avaliação será descritiva, elaborada de acordo com o interesse, esforço,participação e desempenho dos educandos nas propostas desenvolvidas.OBS:- Planejamento é flexível podendo sofrer alterações. -A avaliação também será por meio de diálogo com os educandos,destacando seu desempenho.
  • 27. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAShttp://www.serprofessoruniversitario.pro.br/ler.php?modulo=12&texto=1569 acessado dia14/10/2010 as 16:06 Texto de José Manuel Moran Caminhos para a aprendizageminovadora. Texto publicado em 28/03/2005MORAN, José Manuel . O Vídeo na Sala de Aula. Artigo publicado na revistaComunicação & Educação. São Paulo, ECA-Ed. Moderna, [2]: 27 a 35, jan./abr. de1995.não paginado. http://www.eca.usp.br/prof/moran/vidsal.htm acessado dia27/09/2010 as 20:27 hs.________, José Manuel .Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologias. Artigopublicado na revista Informática na Educação: Teoria & Prática. Porto Alegre, vol. 3,n.1 (set. 2000) UFRGS. Programa de Pós-Graduação em Informática na Educação, pág.137-144.________. Caminhos para a aprendizagem inovadora. Texto publicado no livro NovasTecnologias e Mediação Pedagógica, 15ª ed. SP: Papirus, 2009, p.22-24Organização: Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida e José Manuel Moran, PublicaçãoTecnologia, currículo e projetos. Integração das Tecnologias na Educação/ Secretaria deEducação a Distância. Brasília: Ministério da Educação, Seed, 2005http://tvescola.mec.gov.br/images/stories/publicacoes/salto_para_o_futuro/livro_salto_tecnologias.pdf acessado dia 28/09/2010 as 12:57VALENTE, José Armando. Computadores e conhecimento: repensando a educação -Campinas, SP, Gráfica Central da UNICAMP, 1993.

×