cbg_03-2014_softlivre

273 views

Published on

Palestra sobre Software Livre ministrada no curso de Biblioteconomia da UFRJ.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
273
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

cbg_03-2014_softlivre

  1. 1. Fabrícia Sobral* fabricia.protic@gmail.com Rio de Janeiro Março/2014 *Profissional de Tecnologia da Informação e Comunicação (SuperTIC/UFRJ) Especialização em Sistemas de Informação com Ênfase em Internet (NCE/UFRJ) Mestrado em Ciência da Informação (PPGCI/UFF) SOFTWARE LIVRE & SOFTWARE OPEN SOURCE
  2. 2. 1. Breve história do Unix 2 • 1965 - é formado um consórcio entre as empresas AT&T (Laboratórios Bell), General Electric (GE) e MIT (Massachussets Institute of Technology), para criar o Multics, sistema utilizado no equipamento GE645. • Sistema de tempo compartilhado – MULTICS. • 1969 - o Multics foi reescrito por Ken Thompson, AT&T, usando linguagem Assembly e batizado de Unics. Mais tarde foi rebatizado de UNIX por Brian Kernighan. • 1973 - Dennis Ritchie e Ken Thompson reescreveram o Unix usando a linguagem C, para ser utilizado no equipamento PDP-11 (computador de pequeno porte, da Digital). • 1977 - a AT&T forneceu o Unix para instituições comerciais. Ken Thompson e Dennis Ritchie em um computador PDP-11
  3. 3. 1. Breve história do Unix (Continuação) 3 • Peter Weiner conseguiu da AT&T licença para transportar e comercializar o Unix para o computador Interdata 8/32 para ambiente de automação de escritório. • O Unix saía da linha das máquinas PDP, da Digital Equipament Corporation (DEC), demonstrando a relativa facilidade de migração (transporte) para outros computadores • O Unix se tornou vendável e encorajou outros fabricantes a seguirem o mesmo curso. Iniciava-se a abertura do chamado mercado Unix. • Devido à disponibilidade do código fonte do Unix, muitos fabricantes alteraram o sistema gerando variantes personalizadas a partir do Unix básico licenciado pela AT&T. Interdata 8/32
  4. 4. 2. Projeto GNU - Gnu is Not Unix 4 • 1984 – Richard Stallman • Criação de um sistema operacional totalmente livre • Usar • Estudar • Modificar • Redistribuir • Compatível com o Unix, porém, sem utilizar seu código fonte • Desenvolvimento de partes do SO (compiladores, editores, etc) • Kernel (núcleo do SO)
  5. 5. 3. Free Software Foundation (FSF) 5 • 1985 – Richard Stallman • Liberdade para o usuário – o software é livre porque o usuário é livre • Cópia • Entendimento • Modificação • Redistribuição • Inicialmente, desenvolvimento de software • Atualmente, aspectos legais e estruturais da comunidade de software livre •Licenças de software – General Public License (GPL) •Licenças de documentação – GNU Free Documentation License (GFDL)
  6. 6. 4. Software Livre 6 • Definição criada pela Free Software Foundation (FSF). • Movimento social que apóia a liberdade para o usuário • A liberdade para executar o programa (liberdade nº 0); • A liberdade de estudar o funcionamento e readaptá-lo (liberdade nº 1) • A liberdade de redistribuir cópias (liberdade nº 2); • A liberdade de aperfeiçoar o programa e liberar os seus aperfeiçoamentos • Qualquer programa de computador onde o usuário tenha essas liberdades. • Se opõe ao conceito de software proprietário e é diferente de gratuito. • Está sob a Licença GPL.
  7. 7.  GPL: General Public License • Designação da licença para software livre. • Permite que programas sejam distribuídos e reaproveitados, mantendo, porém, os direitos do autor. • Para que essas liberdades sejam reais, elas devem ser irrevogáveis. • Não permite que sejam impostas restrições que impeçam que o programa seja distribuído da mesma maneira que foi adquirido. 5. Licenças em Software Livre • Copyleft - qualquer um que distribui o software (…) tem que passar adiante a liberdade de copiar e modificar novamente o programa • O código-fonte deve ser disponibilizado em local de onde possa ser acessado, ou deve ser entregue ao usuário, se solicitado, sem custos adicionais (exceto transporte e mídia) • Nem todas as licenças de Software Livre incluem a cláusula Copyleft.
  8. 8.  LGPL: Lesser General Public License 5. Licenças em Software Livre http://www.softwarelivre.gov.br/Licencas/gnu-lesser-general-public-license
  9. 9.  LGPL: Lesser General Public License 5. Licenças em Software Livre • Visa a regulamentação do uso de bibliotecas de código, mas pode ser empregada na regulamentação de aplicações http://www.softwarelivre.gov.br/Licencas/gnu-lesser-general-public-license
  10. 10. • Permite ao usuário do programa fazer qualquer coisa com o software. • Não exige que programas derivados sejam licenciados pela mesma licença ou que mudanças sejam disponibilizadas. • Exige que os direitos de cópia e as atribuições ao original sejam mantidos. 6. Características das Licenças Não restritiva • Se o usuário distribui o software modificado, somente poderá fazê-lo compartilhando suas mudanças segundo a mesma licença pela qual obtivera o programa. • Se alguém usa um código-fonte licenciado pela GPL em qualquer de seus programas e distribui este novo programa, este novo torna-se sujeito à GPL. Reciprocidade • Exige que trabalhos originais e contribuições sejam licenciados sob a mesma licença. • Permite que trabalhos sejam combinados com outros softwares e licenciados novamente como um "trabalho maior". Reciprocidade Fraca
  11. 11. 7. GNU Linux ou Linux 11 • 1991 - Sistema Operacional criado por Linus Torvald, Departamento de Ciência da Computação da Universidade de Helsinki, Finlândia. • Desenvolveu um kernel que podia usar todas peças do sistema operacional GNU da FSF. • Baseado na arquitetura Unix. É um software livre e de código aberto. Inicialmente, lançado sob uma licença que proibia qualquer uso comercial. Isso foi mudado de imediato para a Licença Pública Geral GNU • É mantido por grupo de usuários que compõe a comunidade de software livre e código aberto. • Distribuição Linux: uma coleção de software livre (e por vezes não-livres) criados por indivíduos, grupos e organizações de todo o mundo. • Grupos de usuários (comunidades) alteram o código-fonte do sistema gerando versões customizadas e passam a ser mantenedores da distribuição.
  12. 12. 8. Software Open Source 12 • 1998 - Termo cunhado pela OSI (Open Source Iniciative) e se refere ao mesmo software também chamado de software livre. • Pela FSF • Os movimentos de Software Livre e Open Source possuem visões diferentes. O primeiro apóia a questão social e o segundo, a questão técnica, a metodologia de desenvolvimento. • Pela OSI • A promessa do Open Source é melhor qualidade, alta confiabilidade, mais flexibilidade, baixo custo e o fim da venda predatória de códigos “trancados”. • Potencial de cooperação para depuração coletiva, capaz de neutralizar pressões mercadológicas
  13. 13. 9. Software Open Source (Continuação) 13  Definição de Código Aberto 1. Distribuição livre A licença não deve restringir qualquer das partes de vender ou integrar o software como componente (...). A licença não deve exigir royalties ou qualquer outro tipo de custo para venda. 2. Código fonte O programa deve incluir o código fonte, e precisa permitir a distribuição na forma de código fonte bem como compilada. 3. Trabalhos Derivados A licença deve permitir modificações e trabalhos derivados, e deve permitir que eles sejam distribuídos sobre os mesmos termos da licença original.
  14. 14. 9. Software Open Source (Continuação) 14  Definição de Código Aberto 4. Integridade do autor do código fonte (…) A licença deve explicitamente permitir a distribuição do programa construído a partir do código fonte modificado. Contudo, a licença pode ainda requerer que programas derivados tenham um nome ou número de versão diferentes do programa original. 5. Não discriminação contra pessoas ou grupos A licença não pode ser discriminatória contra qualquer pessoa ou grupo de pessoas. 6. Não discriminação contra áreas de atuação A licença não deve restringir qualquer pessoa de usar o programa em um ramo específico.
  15. 15. 9. Software Open Source (Continuação) 15  Definição de Código Aberto 7. Distribuição da Licença Os direitos associados ao programa devem ser aplicáveis para todos aos quais o programa é redistribuído sem a necessidade de licenças adicionais a estas partes para sua execução. 8. Licença não específica à um produto Os direitos associados ao programa não devem depender deste ser parte de uma distribuição particular de software. 9. Licença não restrinja outros programas A licença não pode colocar restrições em outros programas que são distribuídos juntos com o programa licenciado. 10. Licença neutra em relação a tecnologia Nenhuma cláusula da licença pode estabelecer uma tecnologia individual, estilo ou interface a ser aplicada no programa.
  16. 16. 10. Tecnologia da informação: Biblioteca e Software Livre SOFTWARE LIVRE PEDE LICENÇA NA BIBLIOTECA [Julho/2005] - http://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=227 “ O título, deste texto, intenta destacar a atenção que os bibliotecários devem ter no uso do software livre de código fonte aberto. A abordagem do tema decorre da manifestação de colegas que no contato informal sobre a questão do software livre alegam ser uma alternativa buscada pelo aspecto da gratuidade se comparado com softwares proprietários e comerciais. (...) No ambiente da Internet, os bibliotecários podem obter programas variados sob a premissa da gratuidade. Entretanto, qualquer tipo de programa apresenta algum custo (direto ou indireto). Uma biblioteca que venha a adotar software de código fonte aberto, irá necessariamente, precisar de algumas competências, como por exemplo, recursos humanos capacitados para customizar o programa e mesmo realizar sua manutenção. Sob este aspecto, nenhum software livre e de código fonte aberto é realmente de graça para quem o utiliza. Pensar unicamente sobre este prisma é um erro. (...) Com relação ao conceito do software livre, seu uso na biblioteca implica uma outra atenção da parte do bibliotecário. É a licença, permissão esta que define a liberdade de uso em relação às mudanças, alterações, melhorias feitas e implicações resultantes. É, neste aspecto, que a compreensão da terminologia torna-se importante, como também do licenciamento que orienta a utilização do software de código de fonte aberto. ”
  17. 17. 11. Conclusão 17  Software Livre e Software Open source tratam dos mesmos programas com abordagens diferentes.  “O software é livre quando o usuário é livre”, isto é, possui os quatro tipos de liberdade.  Software Livre não é preço zero.  Para ser designado como Open Source, o software deve contemplar os critérios definidos pela OSI.  Há licenças para Software Livre como, por exemplo, a GPL e há licenças para Código Aberto.  O movimento Open Source é uma alternativa ao software proprietário utilizado nas empresas, favorencendo o desenvolvimento do mercado.  Software Open Source pode ser utilizado no Sistema Operacional Windows como, por exemplo, o navegador Mozilla Firefox.
  18. 18. http://pt.wikipedia.org/wiki/Unix http://pt.wikipedia.org/wiki/GNU http://pt.wikipedia.org/wiki/Free_Software_Foundation http://pt.wikipedia.org/wiki/Software_livre http://pt.wikipedia.org/wiki/GNU_Lesser_General_Public_License http://www.pdp11.org/ http://www.fsf.org/ http://www.softwarelivre.org/ http://www.gnu.org/ http://www.gnu.org/philosophy/free-sw.html http://www.opensource.org/ http://www.opensource.org/docs/definition.php http://www.openit.com.br/?module=displaystory&story_id=641&format=html http://br-linux.org/faq-softwarelivre/?q=faq-softwarelivre http://www.viadigital.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=60&Itemid=8 12. Referências
  19. 19. Iniciativas de Software Livre no Governo
  20. 20. Iniciativas de Software Livre no Governo
  21. 21. Software para gestão de acervos
  22. 22. Software para gestão de acervos
  23. 23. Software para gestão de acervos
  24. 24. Software para gestão de acervos

×