Leonardo Guerreiro Azevedo [email_address] Abril de 2011 Arquitetura Orientada a Serviços  e Gestão de Processos de Negóci...
Agenda <ul><li>SOA: Principais conceitos </li></ul><ul><li>Web services </li></ul><ul><li>Enterprise Service Bus </li></ul...
SOA-Motivação <ul><li>Empresas modernas precisam responder de forma efetiva e rápida às oportunidades do mercado  </li></u...
SOA - Desafios Agilidade Manutenção Escalabilidade Descentrali- zação Heterogenei- dade Business/ IT gap Flexibilidade
SOA - Definição <ul><li>SOA é um paradigma para a  realização  e  manutenção  de  processos de negócio  em um grande ambie...
Serviços - Definição <ul><li>“ Serviços” são pedaços de funcionalidades que possuem interfaces expostas, e que são invocad...
Consumidor + Provedor  = Contrato <ul><li>Um serviço tem um tipo de relacionamento (contrato) entre um provedor e um consu...
Perspectiva da TI <ul><li>Serviço </li></ul><ul><ul><li>Representação lógica de uma atividade do negócio que pode ser mape...
Elementos Consumidor do serviço Serviço Política End point Contratos Mensagens adere a governado por liga-se a expõe enten...
[HURWITZ et al., 2007]
Origens e influências de SOA Orientação a objetos:  Princípios similares como reuso, abstração e composição Web services: ...
Padrões para desenvolvimento de serviços Web Services
WS: Padrões (1 a  geração) <ul><li>Web Services </li></ul><ul><ul><li>Principal tecnologia para desenvolvimento de serviço...
WS*: Padrões (2a geração) <ul><li>Algumas das especificações da segunda geração: </li></ul>WS-Coordination WS-Transaction ...
Principal tecnologia em SOA Enterprise Service Bus
Enterprise Service Bus (ESB) <ul><li>ESB é a infra-estrutura que permite alta interoperabilidade entre sistemas distribuíd...
ESB - Responsabilidades Aplicações de empresas Enterprise Service Bus Aplicações customizadas Aplicações customizadas Banc...
ESB suportando workflow <ul><li>Orquestração </li></ul><ul><ul><li>Via serviço de proxy </li></ul></ul><ul><ul><li>Via mot...
ESBs disponíveis <ul><li>ESB comerciais </li></ul><ul><ul><li>IBM WebSphere ESB (http://www-01.ibm.com/software/integratio...
ESBs disponíveis <ul><li>ESBs de código aberto </li></ul><ul><ul><li>OpenESB da Sun (http://www.sun.com/software/javaenter...
Gestão de Processos de Negócio (BPM)
Modelagem de Negócio <ul><li>Integra diversas perspectivas sobre o domínio do negócio </li></ul><ul><ul><li>Processos de t...
Modelagem de Negócio Macroprocesso Diagrama de processo
Modelagem de Negócio Macroprocesso Diagrama de processo Diagrama de Atividade
Exemplo Gerir demanda Diagrama da  atividade
Por que estes conceitos têm grande relação? BPM & SOA
BPM & SOA <ul><li>A combinação de BPM e SOA fecha o gap entre modelos de processos de negócio e os diagramas de TI. </li><...
BPM & SOA Visão  do  processo Visão  do  serviço
BPM & SOA <ul><li>Repositório comum de processos </li></ul><ul><ul><li>Visão integrada dos processos da organização </li><...
Identificação de serviços <ul><li>Identificação de serviços candidatos a partir da modelagem de processos de negócio. </li...
Propostas da literatura <ul><li>Diversas propostas para identificação de serviços a partir da modelagem de processos.  </l...
Método de identificação de serviços 1. Seleção de  atividades (Passo 1) (Passo 2) 2. Identificação e classificação 3. Cons...
Heurística  - regra de negócio Serviço candidato deve ser identificado a partir de uma  regra de negócio . Regra de Negóci...
Heurística de AND  Serviço candidato deve ser identificado a partir de uma estrutura iniciada em um ponto no  workflow  on...
3. Consolidação de serviços candidatos Serviço candidato de lógica Consolidação Princípios de qualidade de serviços, crité...
Associações entre elementos do modelo Granularidade fina Granularidade grossa Relacionamento: regras × requisitos regras ×...
Tabelas de consolidação
Conclusão da metodologia <ul><li>Desafios </li></ul><ul><ul><li>Modelagem, projeto, monitoramento e gestão de serviços. </...
Conclusão da metodologia <ul><li>Desafios </li></ul><ul><ul><li>Modelagem, projeto, monitoramento e gestão de serviços. </...
Resumo <ul><li>Principais conceitos de SOA (motivação, definições, propósito, elementos, padrões) </li></ul><ul><li>Web se...
Referências Bibliográficas <ul><li>AZEVEDO, L., BAIAO, F., SANTORO, F., SOUZA, J., REVOREDO, K., PEREIRA, V., HERLAIN, I. ...
Referências Bibliográficas <ul><li>MARKS, E. A.; BELL, M., 2006,  Service-Oriented Architecture: a planning and implementa...
Relatórios Técnicos <ul><li>AZEVEDO, L.; SOUSA, H. P.; BAIAO, F.; SANTORO, F.  Desenvolvendo web services no BEA Workshop ...
Relatórios Técnicos <ul><li>SOUSA, H.P.; AZEVEDO, L.; SANTORO, F.; BAIAO, F.  Estudos de ESB e OSB . Relatórios Técnicos d...
Arquitetura Orientada a Serviços e Gestão de Processos de Negócio Leonardo Guerreiro Azevedo [email_address] NP2Tec – Núcl...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

AERio 2011 - BPM e SOA - Leonardo Azevedo

1,850 views
1,755 views

Published on

Palestra apresentada no Congresso AE Rio 2011 - RIo de Janeiro - Brasil

Published in: Business
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,850
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
270
Actions
Shares
0
Downloads
82
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

AERio 2011 - BPM e SOA - Leonardo Azevedo

  1. 1. Leonardo Guerreiro Azevedo [email_address] Abril de 2011 Arquitetura Orientada a Serviços e Gestão de Processos de Negócio NP2Tec – Núcleo de Pesquisa e Prática em Tecnologia Departamento de Informática Aplicada (DIA) Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) Av. Pasteur 458, Urca - Rio de Janeiro / RJ - CEP: 22290-240
  2. 2. Agenda <ul><li>SOA: Principais conceitos </li></ul><ul><li>Web services </li></ul><ul><li>Enterprise Service Bus </li></ul><ul><li>BPM </li></ul><ul><li>BPM & SOA </li></ul><ul><li>Identificação de serviços a partir de modelos de processos de negócio </li></ul>
  3. 3. SOA-Motivação <ul><li>Empresas modernas precisam responder de forma efetiva e rápida às oportunidades do mercado </li></ul><ul><ul><li>Competitivo e globalizado – “lei de Darwin”. </li></ul></ul><ul><li>Ao mesmo tempo, processos e sistemas estão cada vez mais complexos. </li></ul>
  4. 4. SOA - Desafios Agilidade Manutenção Escalabilidade Descentrali- zação Heterogenei- dade Business/ IT gap Flexibilidade
  5. 5. SOA - Definição <ul><li>SOA é um paradigma para a realização e manutenção de processos de negócio em um grande ambiente de sistemas distribuídos que são controlados por diferentes proprietários . </li></ul><ul><li>Nicolai M. Josuttis (2007) </li></ul><ul><li>SOA é uma arquitetura conceitual onde funcionalidade do negócio, ou lógica da aplicação , é disponibilizada para usuários SOA, ou consumidores , como serviços compartilhados e reutilizáveis em uma rede de TI. </li></ul><ul><li>Marks e Bell (2006) </li></ul>
  6. 6. Serviços - Definição <ul><li>“ Serviços” são pedaços de funcionalidades que possuem interfaces expostas, e que são invocados via mensagens. </li></ul><ul><li>(Marks e Bell, 2006) </li></ul><ul><ul><li>Funcionalidades </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ligadas diretamente ao negócio </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Podem fazer parte de um ou mais processos </li></ul></ul></ul><ul><li>Exemplos </li></ul><ul><ul><li>Simples: armazenar ou recuperar dados dos funcionários </li></ul></ul><ul><ul><li>Complexa: processo de negócio para tratar pedido do cliente. </li></ul></ul>
  7. 7. Consumidor + Provedor = Contrato <ul><li>Um serviço tem um tipo de relacionamento (contrato) entre um provedor e um consumidor. </li></ul><ul><li>Provedor se compremete em realizar determinadas tarefas com resultados pré-estabelecidos. </li></ul><ul><li>Consumidor se compromete em usar o serviço da forma contratada. </li></ul>Consumidor Provedor Troca de mensagens
  8. 8. Perspectiva da TI <ul><li>Serviço </li></ul><ul><ul><li>Representação lógica de uma atividade do negócio que pode ser mapeada em: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Entrada – processamento – saída </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Deve estar alinhado ao negócio </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Atender necessidade representada em um processo da organização </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Operacionalmente independente </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Fornecer os mesmos resultados para uma mesma entrada </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Permitir composição </li></ul></ul><ul><ul><li>Atômico </li></ul></ul><ul><ul><li>Garantir consistência das informações </li></ul></ul><ul><ul><li>Eventualmente, persistir resultados </li></ul></ul>
  9. 9. Elementos Consumidor do serviço Serviço Política End point Contratos Mensagens adere a governado por liga-se a expõe entende implementa envia/recebe envia/recebe descreve serve
  10. 10. [HURWITZ et al., 2007]
  11. 11. Origens e influências de SOA Orientação a objetos: Princípios similares como reuso, abstração e composição Web services: i nfluenciou e promoveu abstração, baixo acoplamento e capacidade de composição de serviços Business Process Management: essencial em SOA. Enterprise Application Integration: Conceitos importantes como brokers, serviços sem estado, abstração, baixo acoplamento e capacidade de composição de serviços Aspect Oriented Programming: Preocupação em construir soluções lógicas transversais, agnósticas a processos de negócio e altamente reutilizáveis
  12. 12. Padrões para desenvolvimento de serviços Web Services
  13. 13. WS: Padrões (1 a geração) <ul><li>Web Services </li></ul><ul><ul><li>Principal tecnologia para desenvolvimento de serviços </li></ul></ul><ul><ul><li>Padrões de primeira geração </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Extensible Markup Language (XML) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>XML Schema Definition Language (XSD) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Extensible Stylesheet Language Transformations (XSLT) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>XML Path Language (XPath) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>XML Query Language (XQuery) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Web Services Description Language (WSDL) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Simple Object Access Protocol (SOAP) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Universal Description, Discovery, and Integration (UDDI) </li></ul></ul></ul>
  14. 14. WS*: Padrões (2a geração) <ul><li>Algumas das especificações da segunda geração: </li></ul>WS-Coordination WS-Transaction WS-BPEL WS-ReliableMessaging WS-Addressing WS-Policy WS-PolicyAssertions WS-PolicyAttachments WS-Attachments SOAP with Attachments (SwA) <ul><li>Especificações para segurança: </li></ul><ul><li>WS-Security Framework </li></ul><ul><li>Extensible Access Control Markup Language (XACML) </li></ul><ul><li>Extensible Rights Markup Language (XrML) </li></ul><ul><li>Security Assertion Markup Language (SAML) </li></ul><ul><li>.NET Passport </li></ul><ul><li>XML-Encryption </li></ul><ul><li>Secure Sockets Layer (SSL) </li></ul><ul><li>XML-Signature </li></ul><ul><li>WS-Trust </li></ul><ul><li>WS-Privacy </li></ul><ul><li>WS-SecurityConversation </li></ul><ul><li>WS-Federation </li></ul><ul><li>WS-Authorization </li></ul>
  15. 15. Principal tecnologia em SOA Enterprise Service Bus
  16. 16. Enterprise Service Bus (ESB) <ul><li>ESB é a infra-estrutura que permite alta interoperabilidade entre sistemas distribuídos via serviços. </li></ul><ul><li>Processos distribuídos executando em múltiplos sistemas usando diferentes plataformas e tecnologias. </li></ul>Aplicações de empresas Enterprise Service Bus Aplicações customizadas Aplicações customizadas Bancos de dados Aplicações WebSphere, .Net Aplicações Java Mainframe e aplicações legadas Multi-plataforma Aplicações customizadas [Papazoglou, 2007]
  17. 17. ESB - Responsabilidades Aplicações de empresas Enterprise Service Bus Aplicações customizadas Aplicações customizadas Bancos de dados Aplicações WebSphere, .Net Aplicações Java Mainframe e aplicações legadas Multi-plataforma Aplicações customizadas [Papazoglou, 2007] Conectividade Adaptadores Padrões de troca de mensagens Independência de protocolo Transformações Roteamento Monitoramento Orquestração
  18. 18. ESB suportando workflow <ul><li>Orquestração </li></ul><ul><ul><li>Via serviço de proxy </li></ul></ul><ul><ul><li>Via motores BPEL </li></ul></ul><ul><li>Recomendação </li></ul><ul><ul><li>ESB disponibilize uma máquina de workflow para composição de serviços </li></ul></ul><ul><ul><li>Exemplo BPEL para Web Services. </li></ul></ul><ul><li>Vantagem </li></ul><ul><ul><li>ESB pode incluir uma representação gráfica dos processos em execução. </li></ul></ul>
  19. 19. ESBs disponíveis <ul><li>ESB comerciais </li></ul><ul><ul><li>IBM WebSphere ESB (http://www-01.ibm.com/software/integration/wsesb/) </li></ul></ul><ul><ul><li>Microsoft BizTalk Server (http://www.microsoft.com/biztalk/en/us/default.aspx) </li></ul></ul><ul><ul><li>Sonic ESB (http://www.sonicsoftware.com/products/sonic_esb_family/index.ssp) </li></ul></ul><ul><ul><li>TIBCO BusinessWorks (http://www.tibco.com/software/soa/default.jsp) </li></ul></ul><ul><ul><li>Oracle SOA Suite (http://www.oracle.com/technologies/soa/soa-suite.html) </li></ul></ul>
  20. 20. ESBs disponíveis <ul><li>ESBs de código aberto </li></ul><ul><ul><li>OpenESB da Sun (http://www.sun.com/software/javaenterprisesystem/javacaps/esb_suite.jsp) </li></ul></ul><ul><ul><li>Mule ESB da MuleSource (http://www.mulesoft.org/display/MULE/Home) </li></ul></ul><ul><ul><li>Apache ServiceMix (www.servicemix.org) </li></ul></ul><ul><ul><li>Fuse ESB (http://open.iona.com/products/fuse-esb/) </li></ul></ul>
  21. 21. Gestão de Processos de Negócio (BPM)
  22. 22. Modelagem de Negócio <ul><li>Integra diversas perspectivas sobre o domínio do negócio </li></ul><ul><ul><li>Processos de trabalho (como?) Conceitos do domínio (O quê?) </li></ul></ul><ul><ul><li>... Quality Questions 5W1H </li></ul></ul>
  23. 23. Modelagem de Negócio Macroprocesso Diagrama de processo
  24. 24. Modelagem de Negócio Macroprocesso Diagrama de processo Diagrama de Atividade
  25. 25. Exemplo Gerir demanda Diagrama da atividade
  26. 26. Por que estes conceitos têm grande relação? BPM & SOA
  27. 27. BPM & SOA <ul><li>A combinação de BPM e SOA fecha o gap entre modelos de processos de negócio e os diagramas de TI. </li></ul><ul><li>Combinação entre BPM e SOA permite às empresas automatizar, otimizar, adaptar e controlar processos de negócios através de componentes reusáveis, integrando sistemas complexos e heterogêneos. </li></ul><ul><li>[Klückmann, 2006] </li></ul>
  28. 28. BPM & SOA Visão do processo Visão do serviço
  29. 29. BPM & SOA <ul><li>Repositório comum de processos </li></ul><ul><ul><li>Visão integrada dos processos da organização </li></ul></ul><ul><ul><li>Relacionamentos estão entre processos (e seus modelos) são explícitos </li></ul></ul><ul><ul><li>Elementos estão ligados entre si através de interfaces </li></ul></ul><ul><ul><li>Elementos compartilham artefatos globais </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Informações, regras de negócio, requisitos de negócio etc. </li></ul></ul></ul>
  30. 30. Identificação de serviços <ul><li>Identificação de serviços candidatos a partir da modelagem de processos de negócio. </li></ul><ul><li>Serviço candidato </li></ul><ul><ul><li>Abstração (não implementada) de serviço a qual, durante a fase de projeto em um modelo de ciclo de vida de serviço, pode ser escolhida para ser implementada como um serviço ou como uma funcionalidade de uma aplicação [Erl 2005]. </li></ul></ul>
  31. 31. Propostas da literatura <ul><li>Diversas propostas para identificação de serviços a partir da modelagem de processos. </li></ul><ul><ul><li>[Erl 2005; Papazoglou e Heuvel 2006; Marks e Bell 2006; McBride 2007; Jamshidi et al. 2008] </li></ul></ul><ul><li>Porém... </li></ul><ul><ul><li>Não apresentam passo-a-passo estruturado </li></ul></ul><ul><ul><li>Ou propõem princípios sem definir explicitamente como alcançá-los; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ou têm como premissa um nível de refinamento dos modelos de processos muito detalhado, difícil de ser obtido na prática. </li></ul></ul>
  32. 32. Método de identificação de serviços 1. Seleção de atividades (Passo 1) (Passo 2) 2. Identificação e classificação 3. Consolidação (Passo 3) Serviço candidato de lógica
  33. 33. Heurística - regra de negócio Serviço candidato deve ser identificado a partir de uma regra de negócio . Regra de Negócio Descrição Valor de limite de crédito O limite de crédito do cliente é igual a 20% da sua renda menos o valor mensal referentes às parcelas ainda em aberto dos créditos anteriormente concedidos ao cliente. Serviço Candidato Nome Calcular limite de crédito Tipo Lógica Entrada CPF do cliente Saída Limite de crédito do cliente Origem Regra de negócio “Valor de limite de crédito” Atividade Verificar limite de crédito do cliente Descrição O limite de crédito do cliente é igual a 20% da sua renda menos o valor mensal referentes às parcelas ainda em aberto dos créditos anteriormente concedidos ao cliente.
  34. 34. Heurística de AND Serviço candidato deve ser identificado a partir de uma estrutura iniciada em um ponto no workflow onde um fluxo de controle simples divide-se em fluxos de controle múltiplos, que podem ser executados em paralelo , e finalizada em um ponto no workflow onde os múltiplos fluxos paralelos convergem em um fluxo de controle simples, sincronizando-os, ou onde ramificações terminem em evento final. Serviço Candidato Nome Obter informações para avaliação de pedido de contrato Tipo Lógica Entrada Cliente Saída Histórico do cliente; Informações financeiras; Informações sobre roubo; Informações sobre sinistros Origem Heurística de AND Atividades Obter histórico do cliente; Obter informações financeiras; Obter informações de roubo; Obter informações de sinistros Descrição
  35. 35. 3. Consolidação de serviços candidatos Serviço candidato de lógica Consolidação Princípios de qualidade de serviços, critérios de qualidade definidos pela organização Serv Cand 1 Serv Cand 2 Serv Cand 3
  36. 36. Associações entre elementos do modelo Granularidade fina Granularidade grossa Relacionamento: regras × requisitos regras × regras
  37. 37. Tabelas de consolidação
  38. 38. Conclusão da metodologia <ul><li>Desafios </li></ul><ul><ul><li>Modelagem, projeto, monitoramento e gestão de serviços. </li></ul></ul><ul><li>Metodologia </li></ul><ul><ul><li>Análise top-down dos modelos de processos de negócio, identificando serviços a partir das regras de negócio, requisitos de negócio e de fluxos de atividades. </li></ul></ul><ul><ul><li>Abordagem sistemática </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Identifica conjunto de serviços candidatos consolidado </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Consolida informações sobre: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Granularidade, Dependência, Reuso, Associações entre elementos etc. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Processo pode ser automatizado (ferramenta já implementada) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Resultado serve como entrada para as fase de análise e projeto de serviços </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Auxilia a decidir como serviço candidato será implementado </li></ul></ul></ul>
  39. 39. Conclusão da metodologia <ul><li>Desafios </li></ul><ul><ul><li>Modelagem, projeto, monitoramento e gestão de serviços. </li></ul></ul><ul><li>Metodologia </li></ul><ul><ul><li>Análise top-down dos modelos de processos de negócio, identificando serviços a partir das regras de negócio, requisitos de negócio e de fluxos de atividades. </li></ul></ul><ul><ul><li>Abordagem sistemática </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Identifica conjunto de serviços candidatos consolidado </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Consolida informações sobre: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Granularidade, Dependência, Reuso, Associações entre elementos etc. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Processo pode ser automatizado (ferramenta já implementada) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Resultado serve como entrada para as fase de análise e projeto de serviços </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Auxilia a decidir como serviço candidato será implementado </li></ul></ul></ul>
  40. 40. Resumo <ul><li>Principais conceitos de SOA (motivação, definições, propósito, elementos, padrões) </li></ul><ul><li>Web services </li></ul><ul><li>ESB: principal tecnologia para uma abordagem SOA </li></ul><ul><li>Relação entre os conceitos BPM e SOA </li></ul><ul><li>Identificação de serviços candidatos a partir da modelagem de processos de negócio </li></ul>
  41. 41. Referências Bibliográficas <ul><li>AZEVEDO, L., BAIAO, F., SANTORO, F., SOUZA, J., REVOREDO, K., PEREIRA, V., HERLAIN, I. 2009a. Identificação de serviços a partir da modelagem de processos de negócio . In: Simpósio Brasileiro de Sistemas de Informação (SBSI), Brasília. </li></ul><ul><li>AZEVEDO, L., SANTORO, F., BAIAO, F., SOUZA, J., REVOREDO, K., PEREIRA, V., HERLAIN, I., 2009b. A Method for Service Identification from Business Process Models in a SOA Approach . In: 10th International Workshop on Business Process Modeling, Development, and Support (BPMDS), 2009, Amsterdam. Enterprise, Business-Process, and Information Systems Modelling. v. 29. </li></ul><ul><li>AZEVEDO, L. , Sousa, H. P., SOUZA, J. F., SANTORO, F., BAIAO, F. 2009c. Identificação Automática de Serviços Candidatos a partir de Modelos de Processos de Negócio. In: Conferência IADIS Ibero-Americana WWW/Internet, Alcalá-Madrid. v. 1. p. 139-146. </li></ul><ul><li>AZEVEDO, L., SANTORO, F., BAIAO, F., 2010. Processos para Governança SOA baseado em Arquitetura de Tecnologia de Informação. In: Conferência IADIS Ibero Americana WWW/INTERNET 2010, Algarve, Portugal. (a ser publicado) </li></ul><ul><li>BPMINSTITUTE, 2009. State of Business Process Management. Disponível em <http://www.bpminstitute.org/uploads/media/2006_State_of_BPM_-_EOY.pdf>. Acesso em: 3 out. 2009. </li></ul><ul><li>ERL, T., 2005, Service-Oriented Architecture: concepts, technology, and Design , Prentice Hall. </li></ul><ul><li>GUIDE BUSINESS RULE PROJECT (2008) http://www.businessrulesgroup.org/first_paper/br01c1.htm#s1e (acessado em agosto de 2008) </li></ul><ul><li>GU, Q., LAGO, P., 2007, A stakeholder-driven Service Life Cycle Model for SOA , ACM, IW-2nd International Workshop on Service Oriented Software Engineering (SOSWE’07), Dubrovnik, Croácia, 3 de setembro. </li></ul><ul><li>HEWITT, E., 2009. Java SOA Cookbook , O’Reilly. </li></ul><ul><li>HURWITZ, J., BLOOR, R., BRAOUDI, C., KAUFMAN, M., 2007. Service Oriented Architecture for Dummies. Wiley Publishing Inc. </li></ul><ul><li>JOSUTTIS, N. M., 2007, SOA in practice: The Art of Distributed System Design . O’Reilly. </li></ul><ul><li>KLÜCKMANN, J., 2006, On the way to SOA . ARIS Expert Paper, Disponível em <http://www.ids-scheer.com/set/6473/ARIS_Expert_Paper-SOA-Way_to_SOA_-_Klueckmann_2006-09_en.pdf>. (acessado em junho de 2008). </li></ul>
  42. 42. Referências Bibliográficas <ul><li>MARKS, E. A.; BELL, M., 2006, Service-Oriented Architecture: a planning and implementation guide for business and techonology , John Willey & Sons Inc. </li></ul><ul><li>MARKS, E. A., 2008. Service-Oriented Architecture Governance for the Services Driven Enterprise . John Willey & Sons Inc., New Jersey, USA. </li></ul><ul><li>MCBRIDE, G., 2007. The role of SOA quality management in SOA service lifecycle management . DeveloperWorks, Rational SOA Go to Market Manager, IBM. ftp://ftp.software.ibm.com/software/rational/web/articles/soa_quality.pdf. (acessado em agosto 2008). </li></ul><ul><li>OASIS, 2006. Reference Model for Service Oriented Architecture 1.0”, Disponível em http://docs.oasis-open.org/soa-rm/v1.0/soa-rm.pdf. (acessado em outubro de 2009) </li></ul><ul><li>PAPAZOGLOU, M. P., van den HEUVEL, W. J., 2006. Service-oriented design and development methodology . Int. Journal Web Engineering and Technology (IJWET), vol. 2(4), p.412–442. </li></ul><ul><li>PAPAZOGLOU, MIKE P.; HEUVEL, WILLEM-JAN, 2007, Service oriented architectures: approaches, technologies and research issues , VLDB Journal, Springer-Verlag. </li></ul><ul><li>RUSSELL, N., ter HOFSTEDE, A.H.M., EDMOND, D., van der AALST, W.M.P.:, 2004. Workflow Data Patterns. QUT Technical report , FIT-TR-2004-01, Queensland University of Technology, Brisbane. </li></ul><ul><li>SCHEER, A.-W., 2000. ARIS - Business Process Modelling . Springer, Berlin, Alemanha. </li></ul><ul><li>SHARP, A., MCDERMOTT, P., 2001. Workflow Modeling: Tools for Process Improvement and Application Development , Artech House. </li></ul><ul><li>Van der AALST, W. M. P., ter HOFSTEDE, A. H. M., KIEPUSZEWSKI, B., BARROS, A. P., 2000. Advanced workflow patterns . In Proceedings of the 7th International Conference on Cooperative Information Systems (CoopIS 2000), vol. 1901 of Lecture Notes in Computer Science, pp. 18–29. </li></ul><ul><li>Van der AALST, W. M. P., Ter HOFSTEDE, A. H. M., KIEPUSZEWSKI, B., BARROS, A. P., 2003. Workflow patterns . In Distributed and Parallel Databases vol. 14(1), p.5–51. </li></ul><ul><li>ZHANG, L-J 2007. Services Computing. Beijin: Springer. </li></ul>
  43. 43. Relatórios Técnicos <ul><li>AZEVEDO, L.; SOUSA, H. P.; BAIAO, F.; SANTORO, F.  Desenvolvendo web services no BEA Workshop for WebLogic Platform . Relatórios Técnicos do DIA/UNIRIO (RelaTe-DIA), RT-0014/2009, 2009. </li></ul><ul><li>AZEVEDO, L.; SOUZA, J. F.; BAIAO, F.; SANTORO, F.  Inspeção da Ferramenta Oracle BPEL PM . Relatórios Técnicos do DIA/UNIRIO (RelaTe-DIA), RT-0016/2009, 2009. </li></ul><ul><li>AZEVEDO, L; PEREIRA, V.; REVOREDO, K.; SOUZA, J. F.; SANTORO, F.; BAIAO, F.; SOUSA, H. P.  Metodologia de identificação de serviços a partir da modelagem de processos de negócio .  Relatórios Técnicos do DIA/UNIRIO (RelaTe-DIA), RT-0021/2009, 2009. </li></ul><ul><li>AZEVEDO, L.; DUARTE, D.; PUNTAR, S.; ROMEIRO, C.; BAIAO, F.; CAPPELLI, C.  Conceituação em BRMS .  Relatórios Técnicos do DIA/UNIRIO (RelaTe-DIA), RT-0022/2009, 2009. </li></ul><ul><li>AZEVEDO, L.; SANTORO, F.; BAIAO, F.  Estudo dos Principais Conceitos sobre Service Component Architecture (SCA) . Relatórios Técnicos do NP2TEC/UNIRIO, RT-0003/2010, 2010. </li></ul><ul><li>SOUSA, H.; AZEVEDO, L.; SANTORO, F.; BAIAO, F.  Avaliação de Evoluções de Serviços em Conexões Ponto-a-Ponto . Relatórios Técnicos do DIA/UNIRIO (RelaTe-DIA), RT-0007/2010, 2010. </li></ul><ul><li>AZEVEDO, L.; SANTORO, F.; BAIAO, F.  XML-Schema e Modelo de Dados em SOA . Relatórios Técnicos do DIA/UNIRIO (RelaTe-DIA), RT-0009/2010, 2010. </li></ul><ul><li>AZEVEDO, L.; PEREIRA, V.; SANTORO, F.; BAIAO, F.  Processos de Governança SOA no ponto de vista da Arquitetura de Tecnologia da Informação . Relatórios Técnicos do NP2TEC/UNIRIO, RT-0001/2010, 2010. </li></ul><ul><li>FARIA, F.S.; AZEVEDO, L.;  Um Estudo sobre Mashup para o Desenvolvimento de Aplicações em uma Abordagem SOA . Relatórios Técnicos do DIA/UNIRIO (RelaTe-DIA), RT-0010/2010, 2010. </li></ul><ul><li>FURTADO, C.; PEREIRA, V.; AZEVEDO, L.; BAIAO, F.; SANTORO, F.  Arquitetura Orientada a Serviço: Conceituação . Relatórios Técnicos do DIA/UNIRIO (RelaTe-DIA), RT-0012/2009, 2009. </li></ul><ul><li>REVOREDO, K.; AZEVEDO, L.; SANTORO, F.; BAIAO, F.  Estudos do Profile SoaML . Relatórios Técnicos do DIA/UNIRIO (RelaTe-DIA), RT-0006/2010, 2010. </li></ul>
  44. 44. Relatórios Técnicos <ul><li>SOUSA, H.P.; AZEVEDO, L.; SANTORO, F.; BAIAO, F. Estudos de ESB e OSB . Relatórios Técnicos do NP2TEC/UNIRIO, RT-0007/2010, 2010. </li></ul><ul><li>SOUZA, J.; AZEVEDO, L.; BAIAO, F.; SANTORO, F.; CAPPELLI, C.; MAGDALENO, A.; NUNES, V.  Modelagem de serviços web: uma proposta para modelagem de serviços candidatos e físicos . Relatórios Técnicos do DIA/UNIRIO (RelaTe-DIA), RT-0002/2009, 2009. </li></ul><ul><li>SOUZA, J.; AZEVEDO, L.; BAIAO, F.; SANTORO, F.  Arquitetura Orientada a Serviço: Metodologias para Criação de Serviços Orquestrados . Relatórios Técnicos do DIA/UNIRIO (RelaTe-DIA), RT-0010/2009, 2009. </li></ul><ul><li>SOUZA, J.; AZEVEDO, L.; BAIAO, F.; SANTORO, F.  Estudo de ferramentas da BEA para SOA . Relatórios Técnicos do DIA/UNIRIO (RelaTe-DIA), RT-0015/2009, 2009. </li></ul><ul><li>SOUZA, J. F.; AZEVEDO, L; FURTADO, C.; BAIAO, F.; SANTORO, F.  Estudos do Módulo Aris for SOA . Relatórios Técnicos do DIA/UNIRIO (RelaTe-DIA), RT-0020/2009, 2009. </li></ul><ul><li>SOUZA, J. F.; AZEVEDO, L; BAIAO, F.; SANTORO, F.  Metodologia para Análise e Projeto de Serviços em uma abordagem SOA .  Relatórios Técnicos do DIA/UNIRIO (RelaTe-DIA), RT-0023/2009, 2009. </li></ul>
  45. 45. Arquitetura Orientada a Serviços e Gestão de Processos de Negócio Leonardo Guerreiro Azevedo [email_address] NP2Tec – Núcleo de Pesquisa e Prática em Tecnologia Departamento de Informática Aplicada – DIA Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

×