• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
AE Rio 2011 - Desafio da implantação de arquitetura de TI
 

AE Rio 2011 - Desafio da implantação de arquitetura de TI

on

  • 1,880 views

Palestra apresentada no Congresso AE Rio 2011 - Rio de Janeiro - Brasil

Palestra apresentada no Congresso AE Rio 2011 - Rio de Janeiro - Brasil

Statistics

Views

Total Views
1,880
Views on SlideShare
1,578
Embed Views
302

Actions

Likes
0
Downloads
94
Comments
0

2 Embeds 302

http://www.congresso-ae.com.br 301
http://congresso-ae.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    AE Rio 2011 - Desafio da implantação de arquitetura de TI AE Rio 2011 - Desafio da implantação de arquitetura de TI Presentation Transcript

    • Arquitetura Corporativa
      Desafio em desenvolver Arquitetura de TIC
      PÚBLICO – versão: 1 | Abril / 2011
      Gestor: Tecnologia da Informação e Telecomunicações
    • Agenda
      Um Pouco da Petrobras
      Complexidade
      Alinhamento de TIC ao Negócio
      Papel da Arquitetura de TIC
      Riscos envolvidos
      Ganhos esperados
    • Um pouco da Petrobras
    • A TIC tem um papel fundamental no suporte aos objetivos da Petrobras
    • Para a TIC acompanhar um desafio desses precisa de aperfeiçoamento contínuo
    • Infraestrutura de Alta Complexidade
      Desenvolvimento de Sistemas
      4.000 sistemas em utilização
      Crescimento 350 sistemas/ano
      Helpdesk
      111.724 usuários no Brasil
      6.635 usuários no exterior
      165.781 chamados Helpdesk/mês – Brasil
      8.353 chamados Helpdesk/mês – exterior
      Resolvem 76,6% do volume de solicitações
      Storage
      13petabytes de capacidade de armazenamento
      Equipamentos em Operação
      Servidores
      5.000 servidores físicos
      6.000 servidores lógicos
      11.000 total de servidores (físicos+lógicos)
      Mainframe
      750 usuários simultâneos
      100.000 solicitações diárias via Intranet
      Capacidade de processamento de 1.025Mips
      Praticamente 100% da força de trabalho com acesso à rede interna
      A Central de Atendimento da TIC atende cerca de 240.000 chamadas por mês.
    • Infraestrutura de Alta Complexidade
      Rede de voz
      250 centrais PABX
      2Softswichs
      4.000 telefones IP
      101.446 ramais telefônicos TDM
      22.259 aparelhos celulares
      Operação integrada através de 7 dígitos
      Rede de videoconferência
      780 salas corporativas
      920 terminais de uso pessoal (PVX)
      10 unidades de controle Multiponto (MCU)
      TV corporativa
      245 pontos de recepção
      Rede de comunicação de dados
      1.637 roteadores
      6.775 switches
      127.088 pontos de rede
      Rede de satélite
      285 estações VSAT
      2 HUBs
      Rede de transmissão rádio
      355 estações rádio-repetidoras
      8.500 Km de enlaces de rádio,de média e alta capacidades
      30 rádios SDH
      Rede de transmissão ótica
      500 km de rede ótica submarina
      7.125 km de rede ótica terrestre
      Rede backbone
      587 multiplexadores MTDM
      12 comutadores ATM
      197 multiplexadores SDH
      79 nós de sincronismo
      21 multiplexadores WDM
      123 comutadores MPLS
      A Central de Atendimento da TIC atende 2.200.000 chamadas por ano.
    • Linha do tempo
      Criação Petrobras
      Criação Seorg
      Descentralização Processamento
      Zacman fala sobre EA
      Primeiras iniciativas de mapeamento de processos
    • Complexidade x Valor ao Negócio
      Business
      Technology
      “Parece tão simples —
      Mas não é "
      Negócio
      Tecnologia
    • Arquitetura Corporativa
      Arquitetura de Negócios
      Arquitetura de Negócios
      Mapeamento de Processos
      Modelos Conceituais
      Mapa de Aplicações (VA)
      Lacuna
      Arquitetura de Informação
      Arquitetura de Aplicação
      Arquitetura de Informação
      Arquitetura de Aplicação
      Arquitetura Tecnológica
      Mercado
      Arquitetura Tecnológica
      Domínios da Arquitetura
    • Arquitetura Corporativa
      Arquitetura de Negócios
      Arquitetura de Informação
      Arquitetura de Aplicação
      Arquitetura Tecnológica
      Domínios da Arquitetura
    • Arquitetura Corporativa
      Arquitetura de Negócios
      Mapeamento de Processos
      Modelos Conceituais
      Mapa de Aplicações (VA)
      Lacunas
      Arquitetura de Informação
      Arquitetura de Aplicação
      Arquitetura Tecnológica
      Domínios da Arquitetura
      Tendências
    • Arquitetura de TIC
      “É o processo de tradução da visão do negócio e sua estratégia em mudanças necessárias da TIC através da
      criação, melhorias e comunicação dos princípios e modelos que descrevem o estado futuro da organização, favorecendo a sua evolução gerenciada.”
      [Gartner, 2006]
      Arquitetura = visão futura + caminho
      Mas o futuro é construído HOJE
    • A partir do Planejamento Estratégicoa TIC desenvolve a sua Focalização
    • Esferas de atuação da Arquitetura de TIC
      Estratégico
      Operacional
      Tático
      Governar
      Processos
      Negócio
      Plano Estratégico Petrobras
      Tratar Demandas
      Governar
      Arquitetura
      de TIC
      Plano Tático
      Foc. Estratégica TIC
      Implementar Soluções
      Plano de
      Arquitetura
      de TIC
      Mercado TIC
      Visibilidade dos benefícios para o negócio
      • Dependência dos “Imperativos” de Negócio
      • (Planejar os investimentos estruturantes de TIC considerando mercado e negócio)
      • Mapeamento de processos de negócio
      • (TIC precisa conhecer os processos em detalhes adequados para produzir soluções melhores)
      • Organização de Negócio e TIC com visão Crítica e Analítica
      • (Direcionamento Alinhado na Priorização)
      • Visão dos Custos e benefícios envolvidos com as mudanças
      • (Custo e Benefício)
      • Garantir que a produção de soluções considere a visão de Arquitetura
      • (O processo arquitetural deve ser compensado na produtividade)
      Para um bom alinhamento de TIC ao Negócio
    • Visão geral da Cadeia de Valor da TIC
      CLIENTE
    • Principais Desdobramentos de Ações Estruturantes
      • Implantação de um CCI – Centro de Competência em Integração
      • Implantação de desenvolvimento usando BPMS
      • Mapeamento de dados e aplicações para Refinarias
      • Implantação de Governança de Dados
      • Implantação de Gerenciamento de Identidades
      • Implantação de arquitetura de referência para Regras de Negócio
      • Prospecções tecnológicas nas áreas de Cloud, Comunicação Unificada, Mobilidade
      Plano de
      Arquitetura
      de TIC
    • Rede de Arquitetos
      Não adianta apenas o trabalho conceitual,éfundamental o acompanhamento no campo
      A manuteção dos modelos de dados, mapa de aplicações e dos processos é uma atividade permanente
    • Ações de dia a dia necessárias para uma Arquitetura sustentável
      Governar
      Arquitetura
      de TIC
      • Manter os modelos conceituais, lógicos e físicos de dados atualizados e alinhados ao negócio.
      • Manter o acervo de aplicações atualizados e alinhados ao negócio incluindo sua criticidade, valor para o negócio e custo.
      • Avaliar quanto à maturidade, funcionalidade e custo, a utilização de novos componentes de tecnologia para melhor suporte aos processos
    • Ações de dia a dia necessárias para uma Arquitetura sustentável
      Governar
      Processos de
      Negócio
      • Manter os mapas de processo atualizados e no nível de abstração adequados gerando análise da TIC dos modelos conceituais, lógicos e físicos se for o caso.
      • Implementar a gestão dos portfólios de projetos, sempre considerando os aspectos do negócio, mas promovendo a participação da TIC como parceiro e não como um mero implementador
    • Riscos envolvidos
      • A organização da Cia em processos demorar na sua consolidação
      • A área de TIC não investir significativamente na produção e utilização dos modelos conceituais devido ao maior foco em demandas pontuais
      • Dificuldades na definição de prioridades dos projetos de TIC
      • Abordagem tímida na adequação dos legados
      • A tecnologia não mostrar os ganhos esperados nos processos de produção de soluções de TIC.
    • Ganhos esperados
      Simplificação
      Redução da complexidade (redução de custos e prazos) x proliferação injustificada de produtos concorrentes, acarretando custos excessivos de manutenção de infraestrutura fora dos padrões.
      Estruturação em Novos Serviços
      Estruturação das diretrizes, padrões e de novos serviços para determinado escopo, facilitando a reutilização
      Organização das Informações – fluidez
      Gestão eficiente de conteúdo, armazenamento e a recuperação de informações estruturadas ou não, provendo as informações com a qualidade (intrínseca, tempo, significado) apropriada para as decisões.
      Otimização da carteira de aplicações – objetividade
      Administração do acervo de software adquirido e desenvolvido, conforme as necessidades dos processos de negócio e com maximização do retorno sobre os investimentos.
    • KERS - Kinetic Energy Recovery System
      “Gastar” em tempo voltado à organização e planejamento é como investir agora para gastar na hora certa
    • PERGUNTAS ?
      Orlando Pinna
      pinna@petrobras.com.br
      Tecnologia de Informações e Comunicações
      Integração da Demanda, Tecnologia e Arquitetura
      PÚBLICO – versão: 1 | Abril / 2011
      Gestor: Tecnologia da Informação e Telecomunicações
    • Obrigado
      Orlando Pinna
      pinna@petrobras.com.br
      Tecnologia de Informações e Comunicações
      Integração da Demanda, Tecnologia e Arquitetura
      PÚBLICO – versão: 1 | Abril / 2011
      Gestor: Tecnologia da Informação e Telecomunicações