A sexualidade
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

A sexualidade

on

  • 11,282 views

 

Statistics

Views

Total Views
11,282
Views on SlideShare
11,282
Embed Views
0

Actions

Likes
5
Downloads
108
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    A sexualidade A sexualidade Document Transcript

    • E.B. 2,3 Pintor Mário Augusto A Sexualidade Trabalho Realizado Por: Pedro Oliveira nº13 6ºD Gonçalo Dias nº6 6ºD Carlos Rebelo nº4 6ºD Carina Azevedo nº15 6ºD
    • A Sexualidade Índice Introdução.............................................................................................................................................................2 As Doenças Sexualmente Transmissíveis...............................................................................................................4 A sexualidade na adolescência..............................................................................................................................7 A violência sexual................................................................................................................................................10 A Sexualidade......................................................................................................................................................12 Vamos conhecer o Ser Humano .................................................................................................................14 Conclusão............................................................................................................................................................15 Bibliografia ..........................................................................................................................................................16 Introdução Área de Projecto
    • A Sexualidade No âmbito da disciplina de Área de Projecto elaboramos um trabalho subordinado ao tema a sexualidade, nomeadamente as doenças sexualmente transmissíveis, a sexualidade na adolescência e a violência sexual. Para concretizar o nosso trabalho pesquisamos informação na internet, nas revistas e nos livros. Área de Projecto
    • A Sexualidade As Doenças Sexualmente Transmissíveis As doenças sexualmente transmissíveis (DST), actualmente, são um grande problema sanitário, já que, apesar de na maioria dos casos existir cura, todos os anos aumenta o número de pessoas infectadas devido à mudança de hábitos sexuais dos jovens e ao aparecimento da SIDA. Além disso, em muitos casos a falta de informação faz com que se desconheçam os sintomas, que se mantêm escondidos, o que contribui para a sua transmissão. As principais doenças sexualmente transmissíveis são: gonorreia, sífilis, uretrite e vulvovaginite, herpes genital, hepatite B, sida, candidíase, tricomoníase e pediculose púbica. Os principais sintomas da gonorreia são a inflamação do colo do útero, os transtornos menstruais, a uretrite no homem e a secreção amarelada. Esta doença pode transmitir-se através do contacto sexual, roupa interior e toalhas. Tem como principais consequências a esterilidade nos homens, a inflamação da pélvis, esterilidade e possível cegueira do recém nascido, nas mulheres. A sífilis tem como agente transmissor uma bactéria chamada treponema pallidum. As úlceras genitais que não curam são os sintomas iniciais. Posteriormente aparecem lesões na pele e mucosas. Pode transmitir-se através do contacto sexual e pela via placentária. Tem como principais consequências as lesões no sistema circulatório e nervoso, a Área de Projecto
    • A Sexualidade malformação ou morte do recém- nascido. A uretrite e vulvovaginite têm como agente transmissor uma bactéria chamada clamydia trachomatis. Os sintomas são o corrimento acinzentado, espumoso, com cheiro a peixe. Nos homens, dor ao urinar. Pode transmitir- se através do contacto sexual, roupa interior e toalhas. As consequências são artrites e infecções nos olhos, pele e boca. O herpes genital tem como agente transmissor um vírus chamado hominis. Os sintomas são lesões vesiculares nos órgãos genitais e externos. Pode transmitir-se através do contacto sexual. Tem como principais consequências o contágio do feto e aumenta o risco de cancro do colo do útero. A hepatite B tem como agente transmissor vários tipos de vírus. Os sintomas são lesões hepáticas, hepatite e cirrose. Pode transmitir-se através do sangue, do esperma, da secreção vaginal, via placenta, leite materno e saliva. Pode originar graves problemas no fígado e causar a morte. A Sida tem como agente transmissor um vírus chamado VIH. Os sintomas são a anemia, febre, perda de peso e alterações imunitárias. Pode transmitir-se através do sangue, do esperma, da secreção vaginal, via placenta e leite materno. Pode transmitir-se ao feto e originar infecções Área de Projecto
    • A Sexualidade generalizadas e morte. A cadidíase tem como agente transmissor um fungo chamado cândida albicans. Os sintomas são picados ao urinar, comichão, fluxo vaginal muito abundante. Pode transmitir-se através do contacto sexual, roupa interior, toalhas e roupa húmida. Não têm consequências. A tricomoníase tem como agente transmissor um protozoário chamado trichomona vaginalis. Os sintomas são o ardor, comichão e fluxo vaginal amarelo. Pode transmitir-se através do contacto sexual, roupa interior e toalhas. Pode causar infecções urinárias na mulher e uretrite no homem. A pediculose púbica tem como agente transmissor um artrópode chamado phtirius púbis. Os sintomas são lesões na pele e picadelas na zona púbica. A falta de higiene, lençóis, toalhas e contacto sexual permitem a sua transmissão. Não tem consequências se desparasitar a pele e desinfectar a roupa em água a ferver. Área de Projecto
    • A Sexualidade A sexualidade na adolescência A sexualidade normal e transtornos sexuais “A sexualidade na adolescência faz parte do desenvolvimento harmonioso dos adolescentes”. As primeiras relações sexuais começam geralmente entre os 16 a 20 anos. A sexualidade é o efeito normal da puberdade, mas o contexto cultural determina o reconhecimento social do direito à sexualidade. O comportamento sexual humano é diversificado e determinado por uma combinação de vários factores tais como os relacionamentos do indivíduo com os outros, pelas próprias circunstâncias de vida e pela cultura na qual Área de Projecto
    • A Sexualidade ele vive. Por isso é muito difícil conceituar o que é "normal" em termos da sexualidade. O que se pode afirmar em relação a isso é que a normalidade sexual está relacionada ao fato da sexualidade ser compartilhada de forma que o casal esteja de acordo com o que é feito, sem carácter destrutivo para o indivíduo ou para o parceiro e não afronta regras comuns da sociedade em que se vive. A anormalidade pode ser definida quando há uma fixação em determinada forma de sexualidade ou em determinada pessoa, ou ainda quando a pessoa não consegue desfrutar de outras formas de prazer. A anormalidade pode ser definida quando: Há uma fixação em determinada forma de sexualidade; A pessoa não consegue ter relacionamento sexual com outras pessoas. IMPORTANTE: “A SEXUALIDADE É NO ADOLESCENTE UMA MANEIRA DE AFIRMAR A PROPRIA AUTONOMIA. Área de Projecto
    • A Sexualidade A SEXUALIDADE NORMAL E TRANSTORNOS SEXUAIS O comportamento sexual humano é diversificado e determinado por uma combinação de vários factores tais como os relacionamentos do indivíduo com os outros, pelas próprias circunstâncias de vida e pela cultura na qual ele vive. Por isso é muito difícil conceituar o que é "normal" em termos da sexualidade. O que deve ser lembrado é que a sexualidade humana envolve, além do ato sexual em si, outras actividades, como fantasias, pensamentos eróticos, carícias e masturbação. As fantasias sexuais são pensamentos representativos dos desejos sexuais mais ardentes de uma pessoa e tem a função de complementar e estimular a sexualidade, tanto da realização do ato sexual com um parceiro quanto da estimulação auto-erótica. A masturbação também é componente normal da sexualidade, e consiste no toque de si mesmo, em áreas que dão prazer ao indivíduo (áreas erógenas), que incluem os genitais e/ou outras partes do corpo, com a finalidade de obter prazer. Área de Projecto
    • A Sexualidade A violência sexual A violação é a forma mais violenta de violência sexual. A violação está também associada à gravidez não desejada e às doenças sexualmente transmissíveis, incluindo o HIV/SIDA. Área de Projecto
    • A Sexualidade Quem é violado, muitas das vezes, não denuncia tal situação por vergonha. A violação é uma ameaça para as mulheres e raparigas durante um conflito armado, assim como outras formas de violência com base no sexo, nomeadamente, a prostituição, humilhação e mutilação sexual, tráfico e violência doméstica. Podem ser vítimas de violência, num conflito, mulheres de todas as idades, mas são as adolescentes que mais estão sujeitas à violação porque são mais jovens e vulneráveis. As mulheres e raparigas correm riscos em toda a parte, quer seja em casa, durante a fuga ou nos acampamentos para onde fugiram à procura de segurança. As crianças afectadas pela violência com base no sexo também englobam as que presenciaram a violação de um membro da família. A maior parte das crianças vítimas de violência e abuso sexual são raparigas, mas os rapazes também são afectados e os casos de rapazes que foram violados ou forçados à prostituição são mal conhecidos. Por exemplo, na Bósnia e Herzegovina, filhos e pais foram forçados a cometer crueldades sexuais uns contra os outros. Nalguns casos, rapazes traumatizados pela violência cometeram, posteriormente, violência sexual contra raparigas. A falta de denúncia e condenação da violação em tempo de guerra deve-se em parte à sua indevida caracterização como atentado à honra ou ataque pessoal em vez de um crime contra a integridade física da vítima. Apresentamos agora alguns dados sobre a violação das mulheres no mundo. Área de Projecto
    • A Sexualidade • Na África do Sul cerca de 147 mulheres são violadas diariamente. • Nos E.U.A cerca de 90 segundos uma mulher é violada. • Na França cerca de 25 000 mulheres são violadas todos os anos. • No Ruanda entre 250.000 a 500.000 mulheres ou cerca de 20 % das mulheres, foram violadas durante o genocídio de 1994 (Relatório Internacional da Cruz Vermelha, 2002) • Na Serra Leoa 94 % das famílias deslocadas que foram sujeitas a um inquérito, tinham sofrido agressões sexuais, incluindo violação, tortura e escravatura sexual (Physicians for Human Rights, 2002) • No Iraque pelo menos 400 mulheres e raparigas, com pouco mais de 8 anos, foram violadas em Bagdad, durante ou depois da guerra, desde Abril 2003 (Estudo da Human Rights Watch, 2003) • Na Bósnia e Herzegovina entre 20.000 a 50.000 mulheres foram violadas durante os cinco meses de conflito em 1992 (IWCT, Women’s GlobalNet, 23 Outubro 2003) • Em algumas aldeias do Kosovo, 30% a 50% das mulheres, em idade fértil, foram violadas pelas forças servias. (Amnistia Internacional, 27 Maio 1999) A Sexualidade a) Como se subdividem os órgãos sexuais da mulher? Área de Projecto
    • A Sexualidade Os órgãos sexuais que ficam no interior do nosso corpo são chamados “órgãos sexuais internos”. Todos os órgãos sexuais que ficam no exterior denominados “órgãos sexuais externos”. Também podemos subdividi-los em órgãos sexuais “primários” (existentes na altura do nascimento; por exemplo, o útero) e “secundários” (desenvolvidos mais tarde; por exemplo, o peito). b) Quais os órgãos sexuais da mulher? Os órgãos sexuais internos incluem os dois ovários, as trompas de Falópio, o útero, e a vagina. Os órgãos sexuais externos incluem o peito, os lábios pequenos e grandes, e o clítoris. Área de Projecto
    • A Sexualidade Vamos conhecer o Ser Humano Nos reinos animal e vegetal a reprodução é o grande objectivo de todos os seres vivos. Para o ser humano a reprodução também se reveste de grande importância, embora menos do que no passado. Ainda há pouco tempo era habitual as famílias terem muitos filhos. Este facto tem a ver também com o sustento dos mais velhos. Num tempo em que não havia pensões de reforma, os idosos eram sustentados pelos filhos. Com a segurança social, esta situação alterou-se e deixou de ser preciso trazer tanta gente ao mundo. Actualmente as pessoas também têm acesso a meios de contracepção melhores do que os existentes outrora. Área de Projecto
    • A Sexualidade Conclusão Com este trabalho aprendemos que existem várias doenças sexualmente transmissíveis, nomeadamente gonorreia a sífilis, uretrite e vulvovaginite, herpes genital, hepatite B, Sida, candidíase, tricomoníase e pediculose púbica. Relativamente à sexualidade na adolescência concluímos que a sexualidade é o efeito normal da puberdade, mas o contexto cultural determina o reconhecimento social do direito à sexualidade. Sobre a violência sexual verificamos que a violação é a forma mais violenta de violência sexual. A violação está também associada à gravidez não desejada e às doenças sexualmente transmissíveis, incluindo o HIV/SIDA. Neste trabalho aprendemos muita coisa sobre a sexualidade que desconhecíamos e gostamos muito de realizar este trabalho. Área de Projecto
    • A Sexualidade Bibliografia http://www.esec-tondela.rcts.pt/sexualidade/DST.htm Http://wwwabcdasaude.combr/artigophp? http://www.parana-online.com.br/editoria/mundo/news/22507/? noticia=167+MULHERES+VIOLADAS+POR+DIA+NA+INGLATERRA http://www.amnistia- internacional.pt/index.php? option=com_content&task=view&id=1055&Itemid=98 Naumam & Gobel “O ser humano”- Edições Literal Azul Área de Projecto
    • A Sexualidade Fim!!! Área de Projecto