• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
A Morte do CIO - artigo Information Management - Maio 2013
 

A Morte do CIO - artigo Information Management - Maio 2013

on

  • 430 views

O modelo atual de TI das empresas não funciona na realidade atual de mercado. O artigo mostra um caso real onde a área de negócio conseguiu o que precisava pagando menos e com prazo mais realista ...

O modelo atual de TI das empresas não funciona na realidade atual de mercado. O artigo mostra um caso real onde a área de negócio conseguiu o que precisava pagando menos e com prazo mais realista que utilizando a área de TI da empresa

Statistics

Views

Total Views
430
Views on SlideShare
430
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    A Morte do CIO - artigo Information Management - Maio 2013 A Morte do CIO - artigo Information Management - Maio 2013 Document Transcript

    • Mercado Mario FariaMario FariaAtua como Big Data TechnicalAdvisor na Bill & MelindaGates Foundation e é membrodo MIT Data Science InitiativeA morte do CIODivulgação“Não é o mais forte que sobrevive, nem o maisinteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças”Charles Darwin(naturalista inglês, 1809 – 1882)Ricardo é o líder do departamento de in-teligência competitiva de uma grandeempresa de bens de consumo. E comotoda área de inteligência que se preza, Ricardoe sua equipe passam grande parte do dia ma-nipulando dados recebidos de diversas fontese empresas de pesquisa, para que as áreas deMarketing e Vendas possam tomar decisõesmais consistentes.No intuito de diminuir a velocidade e o tra-balho manual exigido na geração dos relatórios,Ricardo procurou Antônio, CIO, para a imple-mentação de mais tecnologia a este processo.Antônio entendeu a demanda, foi extrema-mente solícito e disse que seria possível que istofosse feito em um período de 6 meses ao custode algumas centenas de milhares de reais. Sóque como a equipe doAntônio esteve trabalhan-do no limite, a demanda iria entrar para o ba-cklog. Para quem não conhece, backlog é aquelalista de necessidades que a área de TI tem queatender, que nunca para de crescer e onde seuspedidos parecem nunca sair do lugar.Ricardo, como um profissional inconfor-mado como o status-quo, começou a buscaralternativas, resolveu contratar os serviços dearmazenamento e processamento de uma em-presa que oferece o que ele precisava no mode-lo Software as a Service. Pagou com seu cartãode crédito pessoal, e direcionou os dados quemanipula para estes servidores. Em menos deduas semanas estava tudo funcionando, e suaequipe começou a experimentar a nova formade trabalhar. Tudo isto feito sem envolvimentoalgum da área de TI nem do próprio Antônio.E custando algumas centenas de reais por mês.Cloud Computing, consumerização de TIatravés do uso de aplicativos disponíveis naslojas online e dispositivos móveis são algu-mas das principais causas que estão fazendo osCIOs perderem o sono, e ao mesmo tempo per-mitindo que as áreas de negócios das empresasconsigam melhorar seu dia a dia a um baixocusto de utilização.O cargo do CIO está vivendo um momen-to crítico desde sua existência. A partir docomeço dos anos 1980, o gerente do centrode processamento de dados saiu daquela salaenvidraçada, que só algumas pessoas tinhamacesso, e ocupou um espaço relevante dentrodas corporações. Agora, com as decisões dosorçamentos cada vez mais presentes nas áreasde negócio e uma decisão mais descentralizadaem relação a projetos, seu papel tem sido bas-tante discutido, questionado e avaliado.Observa-se vários CIOs envolvidos com odia a dia, porém sem terem um posicionamen-to firme de como serão os agentes de mudançaque as organizações precisam.Assim, ou o CIO assume de vez a função detrazer inovação para a empresa, ou será deixa-do para trás rapidamente.E o Ricardo, do departamento de inteligên-cia competitiva? Acabou conseguindo fazer oque precisava para atender a demanda, foi re-conhecido pelos resultados do projeto e o valorgasto em seu cartão de crédito pessoal foi res-sarcido alguns meses depois.Quanto ao Antônio? Ele aprendeu que, senão buscar algo rápido e com custos baixospara atender a demanda dos seus clientes in-ternos, os próprios clientes irão atender a simesmos, sem precisar dele e de sua equipe.52  INFORMATION MANAGEMENT | MAI / JUN 2013 www.informationmanagement.com.brUntitIM-2IM30IM31IM-3IM_36.indb 52 29/05/13 21:10