• Like
Família e ética  nos meios de comunicação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Família e ética nos meios de comunicação

  • 3,683 views
Published

Palestra bem interessante para pastorais, catequese, movimentos, ministério da igreja, escolas e universidades... que poderá ser ilustrada também com exemplos reais de quanto a mídia interfere …

Palestra bem interessante para pastorais, catequese, movimentos, ministério da igreja, escolas e universidades... que poderá ser ilustrada também com exemplos reais de quanto a mídia interfere diretamente na vida das famílias na atualidade. Muito boa!

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
3,683
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
58
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Família e ética nos meios de comunicação ´´Tudo lhe é permitido, porém nem tudo lhe convém ´´ I Coríntios 6, 12
  • 2.
    • Quando falamos em comunicação , entendemos o relacionamento que se estabelece entre os comunicantes. Se são humanos os que se comunicam, eles existem e agem norteados pelo caráter que os distinguem e pelos princípios que os dirigem. Relacionamentos pressupoem respeito a normas comuns dos que se relacionam.
    • Ética significa CARÁTER, MODO DE SER. Isso vale tanto para indivíduos como para grupos da sociedade. A palavra grega de origem é “ethos” e foi introduzida na filosofia ocidental por Aristóteles. Por extensão, ética diz respeito à organização da vida da pessoa, da família, das instituições, da sociedade como um todo. Inclui liberdade e diferença, pluralismo, escolhas e responsabilidade.
  • 3.
    • Observação: A ética revela, mostra a filosofia das pessoas e da sociedade. Também reforça essa filosofia à medida que aceita e até patrocina que hábitos se tornem atitudes e passem a vigorar como aceitas normalmente.
    • Como se percebe, ao falar de ética, estamos falando de nós mesmos, dos grupos dos quais participamos e da sociedade em que vivemos.
  • 4.
    • b)      Tipos de Ética  
    • Ética pessoal: diz respeito à ação individual. Ter ética é, popularmente falando, ter consciência ou caráter. É ter seus valores e princípios alicerçados nas suas convicções e mundo interior. “Na consciência está a morada de Deus”, diz Santo Agostinho.
    • Ética Pública (ou social): diz respeito à responsabilidade da sociedade como um todo pelo BEM COMUM. Aqui entra a ética política.                                   
    • Ética Profissional: diz respeito à forma específica de agir da pessoa em sua atividade profissional a favor da comunidade.
  • 5. A Comunicação Ética
    • No caso específico dos Meios de Comunicação de massa de grande alcance, o poder político e econômico são determinantes nos relacionamentos a ponto de ditarem as regras. Em primeiro lugar, valem os valores e princípios dos donos ou da organização que dirigem os canais. Em geral, as leis maiores são o lucro e a influência que se possa exercer. Depois, contam as escolhas que se fazem para criar um pseudo mundo “cultural” calcado em modismos, em liberalismos, em atitudes que passam a determinar nova “ética” para a sociedade.
    • A mudança dos costumes se dá através da comunicação de todo o tipo. Já diziam os romanos a respeito da sátira e da comédia: “ridendo castigat mores”, ou seja, é rindo que se corrige os hábitos. Não há dúvida alguma do poder da comunicação.
  • 6. A audiência como critério
    • A disputa de audiência da parte dos meios de comunicação social, especialmente a televisão é bastante polêmica.
    • Vigora regulamentação por faixa horária indicativa da idade adequada para o programa que será apresentado. Mas, são constantes os casos em que esse critério não se aplica porque, mais do que cenas, há mensagens, princípios e atitudes que ultrapassam os limites aceitos pela sociedade como um todo. Do ponto de vista ético, a questão principal a ser discutida é inicialmente se tudo é válido pela conquista de audiência. As principais redes de Tv não têm o menor interesse em discutir esse tipo de coisa e a autoridade competente não tem sabido como agir. Hoje, praticamente, vale tudo. Apelações não faltam.
  • 7. A censura
    • Quando se fala de censura, em geral o tema é reduzido ao cerceamento da liberdade política e da produção cultural, o que se dá por meio do poder vigente ou de poderes que interferem na organização social
    • Outro sentido para a censura – pouco levado em consideração – é o da necessária estrutura que deve ter a sociedade no que diz respeito aos relacionamentos que vão se construindo. Certamente, não há como pregar liberdade absoluta para o ser humano uma vez que esse necessariamente precisa de uma estrutura para viver.
    • Na prática, o caminho para se conviver com a natural e necessária censura enquanto estrutura que garanta direitos e deveres é a preservação de valores e princípios perenes. Uma sociedade que tenha escolhido ideais e os preserve não tem nem precisa de censura. Do ponto de vista da ética, a censura aparece para ocupar um lugar que já é de direito dos valores dos quais cada sociedade nunca deveria abrir mão.
  • 8. "Os meios de comunicação de massa na família: um risco e uma riqueza"
    • Este tema convida a uma reflexão sobre o uso que as famílias fazem dos meios de comunicação e, em contrapartida, do modo como os meios de comunicação de massa tratam as famílias e suas necessidades.
    • Como o próprio Senhor disse, é da abundância do coração que a boca fala (cf. Mt 12, 34-35). As pessoas crescem ou diminuem de estatura moral, de acordo com as palavras que elas pronunciam e com as mensagens que preferem ouvir. Consequentemente, a sabedoria e o discernimento no uso dos meios de comunicação de massa são exigidos de maneira particular da parte dos profissionais das comunicações, dos pais e dos educadores, uma vez que as suas decisões influenciam enormemente as crianças e os jovens, pelos quais eles são responsáveis e que, em última análise, são o futuro da sociedade.
  • 9.
    • As famílias no mundo inteiro, mesmo as mais modestas, têm acesso, no seu próprio lar, dos meios de comunicação. Elas têm oportunidades virtualmente ilimitadas nos campos da informação, da educação, da expansão cultural e até mesmo do crescimento espiritual – oportunidades estas que excedem em grande medida as que eram disponíveis para a maioria das famílias no passado recente.
    • E stes mesmos meios de comunicação possuem a capacidade de causar prejuízos graves às famílias, apresentando uma visão inadequada e mesmo deformada da vida, da família, da religião e da moral.
  • 10.
    • Por um lado, o matrimônio e a vida familiar são freqüentemente descritos de maneira sensível e realista, mas também com simpatia, de modo a exaltar virtudes como o amor , a fidelidade , o perdão e a abnegação generosa em prol dos outros . Também reconhecem-se os fracassos e as desilusões, inevitavelmente experimentados pelos cônjuges e pelas famílias – tensões, conflitos, derrotas, escolhas negativas e atos prejudiciais – mas, ao mesmo tempo, fazem um esforço em vista de separar o justo do injusto , de distinguir o amor verdadeiro das suas imitações e de mostrar a importância insubstituível da família como unidade fundamental da sociedade.
    • Por outro lado, a família e a vida familiar são também, com muita freqüência, descritas de maneira inoportuna pelos meios de comunicação. A infidelidade, a atividade sexual fora do matrimônio e a ausência de uma visão moral e espiritual do vínculo matrimonial são descritas de maneira não crítica, enquanto às vezes se apresentam de modo positivo o divórcio, a contracepção, o aborto e a homossexualidade. Estas visões, promovendo as causas contrárias ao matrimônio e à família, são prejudiciais para o bem comum da sociedade.
  • 11. Papel fundamental dos pais
    • ProibirXDesenvolver crítica
    • Até mesmo as crianças muito jovens podem receber lições importantes sobre os meios de comunicação: que os mesmos são produzidos por pessoas ansiosas de transmitir mensagens; que estas são com frequência mensagens para agir de um modo específico – para comprar um produto, para assumir um comportamento ambíguo – que não corresponde aos melhores interesses da criança, nem está em sintonia com a verdade moral; que as crianças não deveriam aceitar ou imitar sem crítica aquilo que encontram nas novelas, nos desenhos, programas e comerciais televisivos.
  • 12.
    • Os pais precisam também regular o uso dos meios de comunicação em casa. Isto incluiria um plano e uma programação, limitando estritamente o tempo que os filhos dedicam aos meios de comunicação, fazendo da diversão uma experiência familiar, eliminando de forma total alguns deles e, periodicamente, excluindo todos eles, em vantagem de outras atividades em família. Sobretudo, os pais deveriam dar bons exemplos aos filhos, através de um uso ponderado e seletivo dos meios de comunicação.
    • Os meios de comunicação social têm uma enorme potencialidade positiva para promover valores humanos e familiares sólidos e, desta maneira, contribuir para a renovação da sociedade. Considerando o seu grande poder de formar idéias e de influenciar comportamentos,
  • 13.
    • Que as famílias sejam sempre capazes de encontrar nos meios de comunicação uma fonte de ajuda, de encorajamento e de inspiração, enquanto lutam para viver como comunidade de vida e de amor, para formar os jovens nos valores morais sólidos e para fazer progredir uma cultura de solidariedade, liberdade e paz.
  • 14. Mídia exterior
    • A mídia exterior é o único meio de comunicação que nem o pai mais cuidadoso pode evitar ao transitar com seu filho pelas ruas da cidade.
    • Já em relação a qualquer outro meio, ele pode exercer a sua autoridade (na verdade, se conta que ele a exerça) e vetar ou limitar a leitura desta ou daquela revista ou jornal e as horas dos filhos diante do rádio, TV e internet. Os pais, é bom lembrar, seguem sendo o elo mais importante na formação dos filhos.
  • 15. A boa comunicação entre pais e filhos
    • A paternidade é uma das mais sublimes missões da humanidade, e uma das mais complexas. Há muitos homens que ganharam notoriedade na sociedade e perderam seus filhos. Galgaram os degraus da fama e do sucesso e sofreram derrotas fragorosas dentro do lar. Há aqueles, também, que jamais subiram ao pódio da fama, mas construíram famílias sólidas e edificaram relacionamentos saudáveis dentro do lar.
  • 16.
    • Ser pai não é uma missão simples. A paternidade responsável exige preparo, análise, avaliação e inteira dependência de Deus.
    • Os pais cristãos precisam voltar-se para a Palavra de Deus, a verdade infalível, inerrante e suficiente, para forjar o caráter de seus filhos.
    • Nossos filhos precisam ter caráter no meio de uma geração onde a corrupção trafega desde as mais altas cortes até as choupanas mais pobres.
    • Precisam aprender a ser verdadeiros no meio de uma geração que tem vergonha de ser honesta.
    • Precisam aprender a prática da justiça onde os escândalos de toda ordem são a principal atração dos meios de comunicação de massa.
    • Precisam aprender a amar , mesmo num mundo marcado pelo ódio e pelas guerras.
    • Construir o caráter dos nossos filhos é mais importante do que construir impérios. Nossos filhos precisam mais de ensino e sabedoria do que de fortunas. O bom nome vale mais do que riquezas.
  • 17.
    • Os pais precisam ser modelos para os seus filhos. Não ensinamos apenas com palavras, mas, sobretudo, com exemplo. Um exemplo vale mais do que mil palavras. O exemplo não é apenas uma forma de ensinar, mas a única forma eficaz de fazê-lo. Os pais precisam ser coerentes. Eles precisam viver o que ensinam e ensinar o que vivem. Eles precisam ser o espelho de seus filhos. O espelho é mudo, mas é eloqüente.
  • 18.
    • Os pais precisam orar pelos seus filhos, eles devem não apenas falar de Deus para os seus filhos, mas, principalmente, falar de seus filhos para Deus.
    • Nenhum sucesso compensa o fracasso dos filhos. De nada adianta os pais ganharem o mundo inteiro e perderem os seus filhos.
    • A comunicação precisa ser restabelecida no relacionamento entre os pais e os filhos. O lar precisa ser um lugar de refúgio, e não um campo de batalhas.
    • Os pais precisam a aprender a falar com seus filhos. Falar a verdade com amor. Falar na hora certa, com a motivação certa, com o tom de voz certo. Os pais precisam disciplinar os seus filhos com brandura, com coerência e com espírito de amor e mansidão. Não devem provocá-los à ira, mas encorajá-los, ensiná-los e abençoá-los.
  • 19.
    • Deus está procurando pais segundo o seu coração, pais que amem seus filhos, que vivam para os seus filhos e os ensinem a viver uma vida digna de Deus no meio em que vivem.
  • 20. V Encontro Mundial das Famílias com o Papa
    • VIAGEM APOSTÓLICA DO PAPA BENTO XVI A VALÊNCIA (ESPANHA)
    • PALAVRAS DO SANTO PADRE DURANTE A VIGÍLIA DE ORAÇÃO Sábado, 8 de Julho de 2006
  • 21.
    • A família é um bem necessário para os povos, um fundamento indispensável para a sociedade e um grande tesouro dos esposos durante toda a sua vida. É um bem insubstituível para os filhos, que hão-de ser fruto do amor, da doação total e generosa dos pais. Proclamar a verdade integral da família, fundada no matrimónio, como Igreja doméstica e santuário da vida é uma grande responsabilidade de todos.
  • 22.
    • Este V Encontro Mundial convida-nos a reflectir sobre um tema de particular importância e que encerra uma responsabilidade para nós: "A transmissão da fé na família".
    • Junto com a transmissão da fé e do amor do Senhor, uma das maiores tarefas da família é a de formar pessoas livres e responsáveis. Por isso os pais devem ir desenvolvendo nos seus filhos a liberdade, da qual durante algum tempo são tutores.
  • 23.
    • Como escutámos, sou o avô do mundo. Desejo referir-me agora aos avós, tão importantes nas famílias. Eles podem ser e muitas vezes são garantes do afecto e da ternura que todo o ser humano necessita de dar e receber. Eles dão às crianças a perspectiva do tempo, são memória e riqueza das famílias. Deus queira que, por nenhuma razão, sejam excluídos do círculo familiar. São um tesouro que não podemos arrebatar às novas gerações, sobretudo quando dão testemunho da fé diante da proximidade da morte.
  • 24. Oração pelas famílias
    • Oh, Deus, que na Sagrada Família nos deixastes um modelo perfeito de vida familiar vivida na fé e na obediência da vossa vontade. Ajudai-nos a ser exemplo de fé e amor dos vossos mandamentos.
    • Socorrei-nos na nossa missão de transmitir a fé aos nossos filhos. Abri seu coração para que cresça neles a semente da fé que receberam no baptismo. Fortalecei a fé dos nossos jovens, para que cresçam no conhecimento de Jesus.
    • Aumentai o amor e a fidelidade em todos os casais, especialmente naqueles que passam por momentos de sofrimento ou dificuldade. (...) Unidos com José e Maria, Pedimos-vos por Jesus Cristo vosso Filho, nosso Senhor. Amém.
  • 25.
    • Referencias:
    • http://www.familiaemeios.com.br/index . php ? option =com_content&task=view&id=33& Itemid =37
    • http://www.comunidadeshalom.org.br/interatividade/entretenimento/riquezas_web/artigos/os_mass_media_na_familia.html
    • http://www.conar.org.br/html/artigos/orlando.htm
    • http://www.melodia.com.br/pages/dinamico . php ?id_canal=8&id_texto=322& acao = materia
    • http://intervox.nce.ufrj.br/~edpaes/familia.htm
    • http://www.radioaparecida.com.br/paletra/5Tema.htm
  • 26.
    • Dicas:
    • Guia Para os Pais Sobre a Segurança na Internet
    • (De acordo com normas de segurança do FBI )
    • http://www.starnews2001.com.br/seguranca.html
    • www.portaldafamilia.org.br
    • www.pastoralfamiliarcnbb.or.br