Proposta curricular de biologia 2010
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Proposta curricular de biologia 2010

on

  • 3,009 views

 

Statistics

Views

Total Views
3,009
Views on SlideShare
3,009
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
33
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Proposta curricular de biologia 2010 Proposta curricular de biologia 2010 Document Transcript

  • Governo do Estado da Bahia Secretaria de Educação Colégio Estadual Pedro Ribeiro Pessoa Catu - BaProposta Curricular de Biologia Ano Letivo - 2010 Catu, fevereiro de 2010.
  • I. Dados de identificaçãoÁrea do conhecimento: Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.Componente Curricular: Biologia Carga Horária: 02 horas-aula semanaisCurso: Formação Geral Séries: 1ª, 2ª e 3ªProfessores: Antonio Geraldo da Silva Sá Barreto e Vânia Marta NogueiraII. Justificativa A presente proposta curricular voltada à abordagem do ComponenteCurricular Biologia junto aos alunos do Ensino Médio, parte do pressuposto quecabe ao professor estimular o educando dentro do seu estágio social, cientifico eintelectual de desenvolvimento, fazendo dele um parceiro de trabalho, interativo,participativo, produtivo e reconstrutivo para que possa pensar lógica e criticamente,sendo um cidadão autônomo em suas decisões. Assim, a função social da escola deve ser proporcionar um conjunto depráticas preestabelecidas e tem o propósito de contribuir para que os alunos seapropriem de conteúdos sociais e culturais de maneira crítica e construtiva. Em se falando de conteúdos, a escola deve selecioná-los tendo em vista qualcidadão ela quer formar. O mais coerente e que se forme um cidadão integral,crítico, autônomo, reflexivo e participativo. Para isso, deve-se considerar que osconteúdos de aprendizagens são instrumentos de explicitação das intençõeseducativas desta forma, devem ser eleitos como objetos de ensino, conteúdosconceituais, procedimentais e atitudinais que estejam em consonância com asquestões sociais que marcam cada momento da história e que possibilitem aoeducando exercer sua cidadania. Em se tratando especificamente da Biologia é importante ressaltar que seuobjeto de estudo é o fenômeno “VIDA” em toda sua diversidade de manifestações,conforme afirma o PCNEN: O aprendizado da Biologia deve permitir a compreensão da natureza viva e dos limites dos diferentes sistemas explicativos, a contraposição entre os mesmos e a compreensão de que a ciência não tem respostas definitivas para tudo, sendo uma de suas características a possibilidade de ser questionada e de se transformar.[...] O conhecimento de Biologia deve subsidiar o julgamento de questões polêmicas, que dizem respeito ao desenvolvimento, ao aproveitamento de recursos naturais e à utilização de tecnologias que implicam intensa intervenção humana no ambiente, cuja avaliação deve levar em conta à dinâmica dos ecossistemas, dos organismos, enfim, o modo como a natureza se comporta e a vida se processa. Desta forma, na mediação do componente curricular Biologia buscar-se-áuma abordagem por competências na qual os conhecimentos a serem aprendidostornam-se recursos para que o indivíduo, diante de situações de vida, tome umadecisão, identifique ou enfrente um problema, julgue um impasse ou elabore umargumento. Assim, conhecimentos biológicos, relacionados a citologia e genética,por exemplo, deverão instrumentalizar o aluno para que, diante de uma situaçãoreal, como a decisão de um ministro de apoiar a clonagem terapêutica, seja capaz
  • de se posicionar, ou, pelo menos, apontar, de maneira fundamentada, argumentospró e contra a decisão. É por essa razão, ou seja, porque se aprende e se percebe oaprendido apenas em situações reais, que, numa abordagem por competências, ocontexto e a interdisciplinaridade são essenciais. Desta forma, percebe-se a necessidade em articular o Ensino de Biologia àformação cidadã e, justamente fundamentando-se neste princípio é que elegemosnovos conteúdos por série de acordo com o novo referencial, o PCN+ Ensino Médio,que estrutura as principais áreas de interesse da Biologia em seis temasestruturadores distribuídos nas unidades letivas conforme o quadro a seguir sendoque o tema Qualidade de vida das populações permeará todas as unidades, dadasua relevânciaSérie Unidade Temas Estruturadores Conteúdo I Origem e evolução da vida Hipóteses sobre a origem da vida e a vida primitiva II Identidade dos seres vivos Organização Celular da vida e Funções Celulares Básicas 1ª III Identidade dos seres vivos DNA: a receita da vida, mecanismos de duplicação e seu código IV Identidade dos seres vivos Histologia Organizando a diversidade dos seres vivos I Diversidade da vida Os seres vivos diversificam os processos vitais: Vírus, Reino Monera, Protoctista e Fungi II Diversidade da vida Os seres vivos diversificam os processos vitais: 2ª Reino animal I - invertebrados III Diversidade da vida Os seres vivos diversificam os processos vitais: Reino animal II - vertebrados IV Identidade dos seres vivos Histologia animal e Fisiologia animal comparada e Diversidade e vida I Identidade dos seres vivos Os seres vivos diversificam os processos vitais: reprodução humana e embriologia II Transmissão de vida, ética Os fundamentos da hereditariedade e manipulação gênica 3ª III Transmissão de vida, ética Genética humana e saúde. e manipulação gênica IV Origem e evolução da vida Idéias evolucionistas e evolução biológica Importante ressaltar que, em função do livro didático anteriormente adotado, otema estruturador Interação entre os seres vivos já foi mediado pelos alunos da 3ªsérie, ano letivo de 2010, quando estes cursaram a 1ª série no ano letivo de 2008desta forma não encontra-se referendado o conteúdo.
  • III. Objetivos específicos  Desenvolver a curiosidade e o gosto de aprender, praticando efetivamente o questionamento, a investigação e a valorização da aplicação do vocabulário científico, favorecendo assim o desenvolvimento de posturas e valores que contribuam para a melhoria da qualidade de vida e para a busca de autonomia e da responsabilidade do educando;  Entender a prática cotidiana como objeto de pesquisa, proporcionando oportunidades de troca de idéias entre os educando e educadores;  Criticar, analisar e interpretar fontes documentais da natureza diversa, reconhecendo o papel das diferentes linguagens, dos diferentes agentes sociais e dos diferentes contextos envolvidos em sua produção.  Propor atividades à medida que o objeto de estudo vai colocando necessidades e questionamentos novos que precisam ser desenvolvido ou aprofundado, envolvendo alunos e professores.  Incentivar a formação de pesquisadores e pesquisa;  Educar permanentemente;  Superar a dicotomia ensino – pesquisa.IV. Programa de Disciplina 1ª Série Ensino MédioEmenta● Discute a importância da Biologia para a compreensão das relações do homemcom a natureza e seus recursos.● Reflete sobre a tomada de decisões individuais e coletivas e o que isto acarretarána qualidade de vida do planeta.Estuda a diversidade da vida desde a sua origem até sua evolução, incluindo osprocessos de obtenção de matéria e energia.● Estuda a célula, sua estrutura e organelas com respectivas funções e processosde divisão celular relacionando-o à temas atuais.● Analisa os processos de obtenção de energia pelos sistemas vivos.● Discute a importância da genética na atualidade, a importância e estrutura químicado DNA bem como, as tecnologias para manipulação.● Estuda os mecanismos de reprodução celular que promovem a formação de umnovo ser vivo, bem como a manutenção de seus tecidos.● Estuda os tecidos, bem como suas características, classificação e funções.Objetivos Específicos● Perceber a profunda interdependência entre os seres vivos e o meio ambiente ecomo o homem pode interferir de modo a contribuir com sua preservação oudestruição, o que possibilitará o desenvolvimento de uma consciência ecológico;● Identificar diferentes explicações para origem dos seres vivos, confrontandoconcepções mitológicas, científicas e religiosas.● Analisar experiências e argumentos utilizados por cientistas como F. Redi (1626-1697) e L. Pasteur (1822-1895) para derrubar a teoria da geração espontânea.
  • ● Reconhecer a célula como menor parte de um ser vivo, distinguindo sua estrutura,organelas e funções.● Identificar a natureza do material hereditário em todos seres vivos, analisando suaestrutura química para avaliar a universalidade dessa molécula no mundo vivos.● Identificar e caracterizar os tipos de tecidos que constituem os seres vivos;● Analisar esquemas que relacionam os diferentes tipos de ácidos nucléicos, asorganelas celulares e o mecanismo de síntese de proteínas, bem como o processode divisão celular para a constituição dos tecidos● Identificar e caracterizar os tipos de tecidos que constitui os seres vivos; Conteúdos Programáticos por Unidade. 1. Introdução à Biologia 1.1 A Biologia em nossa marcha pela Terra 1.2 O fluxo de matéria e energia entre os seres vivosI Unidade 2. Origem da Vida 2.1. Geração Espontânea ou abiogênese 2.2. Biogênese 2.3. As primeiras formas de vida da Terra: Criação Divina, Panspermia e Evolução Química 2.4. Evolução do Metabolismo: Hipótese autotrófica e Hipótese heterotrófica 1. Célula 1.1. Teoria celular 1.2. Célula eucariota e célula procariotaII Unidade 1.3. Bioquímica celular: água, sais minerais, carboidratos, lipídios, proteínas, vitaminas e ácidos nucléicos. 1.4. Envoltórios celulares: parede celular e membrana plasmática 1.5. Citoplasma e suas organelas 1.6. Metabolismo celular: transporte transmembrana, fotossíntese, respiração celular, quimiossíntese e fermentação. 1. Núcleo celular 1.1. Componentes nucleares: carioteca, cariolinfa, cromatina e nucléoloIII Unidade 1.2. DNA, cromossomos e genes. 2. Síntese de proteínas 3. Divisão Celular: mecanismo e implicações 3.1. Mitose 3.2. Meiose 4. Câncer e atualidades em genética 1. Histologia Animal: estrutura e funçõesIV Unidade 1.1. Tecido epitelial 1.2. Tecido conjuntivo 1.3. Tecido muscular 1.4. Tecido nervoso 2. Histologia Vegetal: estrutura e funções 2.1 Tecidos meristemáticos 2.2 Tecidos de revestimento 2.3 Tecidos parenquimáticos 2.4 Tecidos de sustentação 2.5 Tecidos de transporte.
  • 2ª Série Ensino MédioEmenta● Estuda a diversidade da vida desde a sua origem até sua evolução, incluindo osprocessos vitais dos seres vivos.● Analisa a classificação dos seres vivos, distribuindo-os em reinos, suasrespectivas características e exemplos, bem como o papel de cada ser na natureza.● Estuda a fisiologia animal, comparando todos os seres vivos.Objetivos Específicos● Reconhecer a importância da classificação biológica para a organização ecompreensão da enorme diversidade de seres vivos;● Conhecer e utilizar os principais critérios de classificação, regras de nomenclaturae categorias taxonômicas reconhecidas atualmente.● Identificar e listar as características dos seres vivos;● Reconhecer as principais características dos representantes de cada um dos cincoreinos, identificando especificidades relacionadas às condições ambientais.● Compreender a estrutura e mecanismo de funcionamento dos principais sistemasvitais bem como sua ação conjunta na manutenção da vida;● Discutir o processo evolutivo dos seres vivos nos Reinos Animal e Vegetal.● Levar o aluno a descobrir o funcionamento do seu corpo comparando-o com osdemais grupos animais, de forma que possam reconhecer o processo evolutivo peloqual os sistemas orgânicos passaram, bem como valorizar os conteúdosnecessários a manutenção da saúde e da qualidade de vida; Conteúdos Programáticos por Unidade. 1. Taxonomia: classificação dos Seres Vivos. 1.1. Histórico 1.2. TáxonsI Unidade 1.3. Regras de classificação para espécie. 1.4. Cinco Reinos – visão geral 1.5. Classificação filogenética ou cladística 2. Reino Monera, Protista e Fungi e os Vírus.  Características, anatomia, fisiologia, classificação e relação com o homem 1. Reino Animal: Invertebrados  Filos: Poríferos, Celenterados, Platelmintos, Asquelmintos, Anelídeos, Artrópodes, Moluscos e Equinodermos: anatomia, fisiologia, classificaçãoII Unidade e evolução das espécies. 1. Reino Animal: VertebradosIII Unidade  Filos: Peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos: Anatomia, fisiologia e evolução das espécies. 1. Histologia AnimalIV Unidade  Tecido epitelial, Tecido conjuntivo, tecido musular e tecido nervoso. Função e distribuição no corpo.
  • 2. Fisiologia Animal  Digestão, Circulação, Excreção, Respiração, Coordenação nervosa e Regulação hormonal. Função, evolução no sistema fisiológico nos grupos. 3ª Série Ensino MédioEmenta● Estuda os mecanismos de transmissão das características hereditárias bem comoas doenças ligadas aos fatores genéticos● Discute os processos históricos que embasaram as teorias de origem e evoluçãoda vida, analisando-os e comparando-os com pensamentos atuais.● Analisa os fatores responsáveis pelos processos de especiação bem como afreqüência gênica em populações.● Estuda a diversidade da vida desde a sua origem até a sua evoluçãoObjetivos Específicos● Analisar a 1ª e 2ª leis de Mendel.● Identificar e apropiar-se de códigos usados convencionalmente no estudo dagenética (heredograma, indivíduo homozigoto dominante e recessivo, heterozigoto eoutros)● Identificar e discutir as principais doenças e/ou distúrbios autossômicos (herançamendeliana)● Analisar a importância do aconselhamento genético.● Reconhecer a importância da polialelia na manifestação de característicasfenotípicas dos seres vivos.● Discutir os principais casos de interação e ligação gênica: pleiotropia, epistasia,herança quantitativa e herança ligada ao sexo.● Comparar as idéias evolucionistas de C. Darwin (1809-1882) e J.B.Lamarck (1744-1829) apresentadas em textos científicos e históricos, identificando as semelhançase as diferenças.● Elaborar explicações sobre a evolução das espécies, considerando osmecanismos de mutação, recombinação gênica e seleção natural.● Identificar alguns fatores – migrações, mutações, seleção natural, deriva genética– que interferem na constituição genética das populações.● Comparar a freqüência de genes de determinada população, ao longo do tempo,relacionando as alterações encontradas com o processo evolutivo.● Traçar as grandes linhas da evolução dos seres vivos a partir da análise deárvores filogenéticas.
  • Conteúdos Programáticos por Unidade. 1. Reprodução humana 1.1. Sistema genital masculino 1.2. Sistema genital femininoI Unidade 1.3. Gametogênese 1.4. Fecundação 2. Embriologia 2.1. Tipos de óvulos 2.2. Segmentação ou clivagem 2.3. Gastrulação 2.4. Organogênese 2.5. Anexos embrionários 1. Fundamentos da genética 1.1. Conceitos 1.2. Convenções: genótipo, fenótipo e meio ambienteII Unidade 1.2. Monoibridismo e modificações fenotípicas: ausência de dominância e genes letais 1.3. Noções de probabilidade 1.4. Heredograma 1. DiibridismoIII Unidade 2. Polialelia: Grupos sanguíneos 3. Genética pós-Mendel 3.1. Interação gênica: pleiotropia, epistasia e herança quantitativa 3.2. Ligação gênica: herança ligada ao sexo, herança holândrica, herança influenciada pelo sexo e herança limitada ao sexo 4. Genética de populações: migrações, mutação, seleção natural e deriva genética 5. Freqüência de genes 1. Evolução da vidaIV Unidade 2. Conceito de adaptação 3. Mecanismo evolutivo 3.1. Lamarck 3.2. Darwin 3.3. Neodarwinismo 4. Especiação 5. Evidências da evolução: homologia, analogia, órgãos vestigiais, semelhanças embrionárias e fósseis.V. Procedimentos Metodológicos Visando a aprendizagem do aluno e contando com maior apreensão dosconteúdos a serem discutidos, de forma que eles venham a construir e reconstruirnoções dos mesmos poderão ser inseridos como procedimentos metodológicos astécnicas descritas abaixo, de acordo com a necessidade das turmas trabalhadas.  Painel integrado: Equipes irão trabalhar assuntos diversificados e em uma segunda fase vão montar novas equipes com um componente de cada
  • equipe anterior; tem como objetivo discutir em grupo vários temas sob o ponto de vista dos alunos. É encerrado com discussão em grupo e pequena dramatização ou apresentação dos temas. Aulas expositivas e participativas, demonstrações didáticas e aulas práticas: Apesar de parecer tradicional, podem ser usado sob outra ótica, pois os métodos têm pontos positivos pois traz a discussão, levantamento de hipóteses e a participação interativa / participativa do aluno. Leva em conta a experiência do aluno. Seminários: Pode ser adaptada á realidade dos nossos alunos, criando oportunidade para que os alunos desenvolvam a investigação, a crítica e a independência intelectual. Este método estimula a produção de conhecimento e a interação professor / aluno. Pesquisa: É de vital importância, pois aciona várias fontes de consulta permitindo uma análise crítica sobre as mesmas. É importante valorizar consultas a fontes originais. Esta seleção de informações deve desencadear no aluno o pensamento reflexivo para que ampliem e transformem a informação recebida. Experiências: Devem ser práticas e levantar problemas, relacionando-os a uma situação real, aplicando princípios teóricos para sua resolução; concilia teoria / prática (Demonstração didática e/ou aulas práticas). Mesa redonda: Promove a discussão e busca no diálogo a solução dos problemas levantados. Desencadeia nas várias áreas de ensino a interdisciplinaridade, nos vários níveis de educação, criando oportunidade dos alunos analisarem problemas reais. Aulas práticas: Abre novas perspectivas para que o aluno possa expor verdadeiras questões, permitindo-lhe progredir. Excursões/ Estudo do meio: Incentiva a participação ativa do aluno visto que lhe abre novos horizontes. Textos informativos: Cria oportunidade de interdisciplinaridade, visto que envolve compreensão, comentários e interpretação das informações recebidas. Estudo dirigido: estimula o educando a seguir orientações didáticas, permitindo que o mesmo seja mais independente. Jogos: Permite que o educando aprenda com o lúdico. Exercícios em grupo: Integra o indivíduo fazendo-o discutir dando-lhe condições de autonomia individual e no grupo, após a socialização do que foi pesquisado. Resumo / esquemas: Cria o hábito de estudar fazendo anotações que poderão ser utilizadas para tirar dúvidas posteriores. Visita a laboratórios: estimula a capacidade de assimilação e a curiosidade científica Elaboração de um dicionário científico: Leva o aluno a investigar o desconhecido fazendo-o melhor entender os termos que serão usados corriqueiramente durante seu processo ensino-aprendizagem. Elaboração de álbum seriado: Faz o aluno aprender com prazer, construir através da pesquisa de imagens e textos, material didático para estudos posteriores. Debates: Levam o aluno a expor seu ponto de vista sobre determinado assunto.
  •  Dramatizações: Trazem o lúdico para sala de aula estimulando o conhecimento.  Redações: Estimulam o hábito de escrever, além de desenvolver o raciocínio.  Desenhos: É de grande valia, pois desenvolve a coordenação, o gosto pela arte, além de aprender com prazer.  Leituras diversas: Estimula o raciocínio e amplia o vocabulário.VI. Avaliações Tendo em vista que avaliação é um processo contínuo que consiste emobservar, perceber o aluno, o caminho que ele percorre, a avaliação usada serámediadora, que tem como pressuposto qualidade total e desenvolvimento do alunocom objetivos claros e sem limites pré-estabelecidos, pois visa conhecer melhor oaluno desafiando-o e se fixa na autonomia, consciência crítica e competência domesmo (qualidade). Desta forma, serão verificados os conhecimentos dos alunoscom vários instrumentos: mini-testes, trabalhos de pesquisa, experiências, debates,painéis integrados, testes e provas, dentre outros. Daí se retoma, de onde o objetivonão foi atingido fazendo com que o aluno obtenha acesso ao saber, superando oestágio do senso comum (desorganização e o conteúdo) para consciência crítica(sistematização dos conteúdos) e utilização dos mesmos para resolver problemas docotidiano. Quantitativamente as competências analisadas terão que perfazer umescore de 50% para aprovação em unidade e 50% em recuperação final.VII. Recursos  Data-show, telão, sala ambiente, caixa amplificada.  Aparelho de DVD;  Televisão;  Mídias de DVDs;  Quadro branco;  Pincel atômico, apagador;  Livro texto do aluno e outro textos;  Retroprojetor;  Transparências;  Material de laboratório;  Atlas (fotos);  Espaço da sala de aula, Sala de ciências.  Maquetes diversas;  Computador;  Impressora Multifuncional;  Máquina de xerox;  Material de papelaria.
  • ReferênciasAMABIS e MARTHO. Conceitos de Biologia. Vol. 1, São Paulo SP, Ed. Moderna,2001ARATANGY.L.R Sexualidade-A difícil arte do encontro.3ª ed.São Paulo: Ática,197.ART, Heny.1998, W. Dicionário de Ecologia e Ciências Ambientais. Tradutor.Mary Amazonas Leite de Barros. 1 ed. São Paulo: Melhoramento.582p.AZEVEDO, L: LEMOS, R; Souza, A.A Identidade Sexual. Salvador : Fator, 1989.BAIR,COLLIN.2002. Química Ambiental.2ed.Porto Alegre:Bookman.622p.BEAUVOIR, S. Segundo Sexo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.BIZZO. Nélio. Ciências: Fácil ou difícil?. Palavra do professor. São Paulo: Ática,1998.BOFF, Leonardo.1999. Saber Cuidar-Etica do Humano- Compaixão pela Terra.Petrópolis,RJ:Vozes. P33-42BRANCO,Samuel Nurgel.1995. Poluição do Ar, SP, Brasil: Moderna,1995,87p.il(Coleção polêmica)BRASIL Ministério da Educação/ Secretaria de Educação Media e Tecnológica.Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio: OrientaçõesComplementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Ciências da Natureza,Matemática e suas Tecnologias. Brasília, DF: [2000?]___________________. Congresso Nacional, Lei n° 9.394/1996: Lei de Diretrizes eBases da Educação Nacional. Brasília, DF: Congresso Nacional, 1996.__________________. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média eTecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio: Bases Legais.Brasília, DF, 1999.__________________. Ministério da educação. Secretaria de EducaçãoFundamental. Parâmetros em Ação: análise e perspectivas. Brasília, DF, 2002.__________________. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica.Fundo Nacional de Desenvolvimento da educação. Biologia: Catálogo do ProgramaNacional do livro para o Ensino Médio. PNLEM/ 2007. Brasília, DF: IBEP, 2006.BUFFA. Ester; ARROYO, Miguel, NOSELLA, Paolo: Educação e cidadania: quemeduca o cidadão? 8ª ed. São Paulo: Cortez, 2000. p. 95 (Questões de nossa época.v.19)
  • CAMPOS, Maria Cristina da Cunha e NIGRO Rogério Gonçalves. Didática deCiências. O ensino-aprendizagem como investigação. São Paulo – FTD, 1999.CAPRA,Fritijf.1996. A teia da vida. Uma nova Compreensão Científica dos SistemasVivos. SP: Cufrix.p.23-29CAVALCANTI Ricardo C. Saúde Sexual e Reprodutiva. Ensinando a ensinar.CÉSAR e CEZAR. Biologia. Vol. 1, 2 e 3 Ed. Saraiva, São Paulo, SP, 1995.CHASSOT. Attico. A ciência através dos tempos. Coleção Polêmica. EditoraModerna – São Paulo, 1997.DEMÉTRIO DELIZOICO V., José André Angiotti. Metodologia do Ensino deCiências. São Paulo: Cortez, 1990.DIAS, Genebaldo F. Educação Ambiental: princípios e práticas. São Paulo: Gaia,1992. p 400.___________. Elementos para a Percepção das Questões Ambientais. Projetode Educação Ambiental da Universidade Católica de Brasília – Proex. Taguatinga ,DF: Petry.DORST,j1973.Antes que A natureza Morra.São Paula:EDUSP, Edgard Blucher.ESSLINGER I e KOVÁCS M.J – Adolescência: Vida ou Morte? São Paulo: Ática,1999.ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DA BAHIA . Nós e o Estatuto:EGBA,1990.FAZENDA, I ( org) . Práticas Interdisciplinares na escola. 2ª ed. São Paulo :Cortez, 1994.FENWICK.E. & L. WALKER. R. O sexo em sua vida. 4ª ed. São Paulo: Ática, 1997.FERRI, Mário G. Ecologia Geral. Belo Horizonte: Itatiaia, 1980. p. 71.GRÜN, Mauro. Ética e educação ambiental – a conexão necessária. s.ed.Campinas: Papirus. 1996. p 120. (Magistério: formação e trabalho pedagógico)IACOCCA. Liliane e Michelle. O livro do adolescente. 1ª ed. São Paulo: Ática, 2003LAGO.A e PADVA.J.A. O que é Ecologia. Coleção Primeiros Passosn°116.2001.SP.Brasiliense.LAURENCE, J. Biologia: ensino médio, volume único/ J. Laurence, - 1.ed.- SãoPaulo: Nova Geração, 2005.LOPES. Sônia Bio 3. São Paulo – SP, Saraiva, 16ª ed. 1995
  • MARTINS, Jorge S. O trabalho com projetos de pesquisas do ensinofundamental ao ensino médio. 3ª .ed. Campinas: Papirus, 2001.p. 149.MEDINA.N.M e Santos.E.C. Educação Ambiental. Uma Metodologia Participativade Formação.1999.RJ.VOZES.MILITÃO, Rose e Abbigenor. Jogos, Dinâmicas e Vivências Grupais. Rio deJaneiro: Quality Mark, 2000.MOUVIER,Gerard.A poluição Atmosférica.Série Domínio.1997.SP.Atica.MÜSTHOF.Descobrir o sexo .10ª ed. São Paulo: Ática, 1998.NERICI, g. Imideo. Metodologia do Ensino: uma introdução - São Paulo: Atlas,1981.NUNES,Edeci et al.Poluentes Atmosféricos. Ponto de Apoio.1999.SP.Scipione.NOVAIS,V.L.D>Ozônio: aliado e inimigo. Ponto de Apoio.1998.SP.ScipioneOTTWAY, J.M.A.1982.Bioquímica da Poluição. Tradução: Luiz Pitombo e SergioManaro.São Paulo: EPU,EDUSP.PAULINO, Wilson Roberto. Biologia. Vol. 01. São Paulo: Ática, 2008.PAULINO, Wilson Roberto. Biologia. Vol. 02. São Paulo: Ática, 2008.PAULINO, Wilson Roberto. Biologia. Vol. 03. São Paulo: Ática, 2008.PEDRINI, Alexandre G. (Org.).Educação Ambiental: reflexões e práticascontemporâneas. 4ª ed. Petrópolis: Vozes.2001. p . 203.PENTEADO, Heloísa D. Meio Ambiente e formação de professores. 3ª .ed. SãoPaulo: Cortez,2000.119p (Questões de nossa época v.38)PINTO, Vicente Paulo e Zacarias, Rachel.2002.Educação Ambiental emPerspectiva.Juiz de Fora: FEME.p9-98.PORTO GONÇALVES, Carlos W. Os (des) caminhos do meio ambiente. 10ª . ed.São Paulo: Contexto, 2002.148p.RAPPAPORT.C.Encarando a adolescência. 6 ed..São Paulo: Ática, 1998.REIGOTA, Marcos (Org.). Verde Cotidiano: o meio ambiente em discussão. 2ª.ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001. p.149. (O sentido da escola)___________. O que é educação ambiental. São Paulo: Brasiliense, 1994. p. 62.(Primeiros passos)
  • SANTANNA. I. M. Por que avaliar? Como avaliar? Critérios e instrumentos?Petrópolis – Rio de Janeiro, Vozes, 1995.SARIEGO, José C. Educação Ambiental – As ameaças ao Planeta Azul. s.ed.São Paulo:Scipione,1994. p. 208.SATO, Michèle. Educação Ambiental. São Carlos: RIMA, 2003. p. 66.________. O Planeta Eu. Conversando sobre sexo. 4ª ed. São Paulo: Ática, 1999.TUCKER, P. e Money, J.Os Papeis Sexuais. São Paulo: Brasiliense, 1981.VEIGA, Ilma Passos Alencastro (Org) Técnicas de Ensino. Por que não?Campinas – São Paulo: Papírus, 1992.VIOLA, E e; et alli.1998.Meio Ambiente desenvolvimento e Cidadania: Desejospara Ciências Sociais e Comercialização.São Paulo: Córtex.220.p.