Your SlideShare is downloading. ×
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Portfólio   elda nunes
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Portfólio elda nunes

2,809

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,809
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
38
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. SOBRE O ESTÁGIO SUPERVISIONADO II Alagoinhas - BA 2011
  • 2. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA CAMPUS II – ALAGOINHAS – BA COMPONENTE CURRICULAR: ESTÁGIO SUPERVISIONADO II COLEGIADO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICASEste portfólio está sendo apresentado como requisitoparcial avaliativo ao componente curricular EstágioSupervisionado II, sob regência da Professora CláudiaRegina Teixeira de Souza.
  • 3. “À Educação cabe fornecer, de algummodo, os mapas de um mundo complexo e constantementeagitado e, ao mesmo tempo, a bússola que permita navegar através dele”. Jacques Delores ELDA NUNES DA SILVA Graduação em andamento em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado da Bahia - UNEB. E-mail: elda.biologia@gmail.com
  • 4. SEJAM BEM VINDOS! Boa leitura...
  • 5. ENSINO X APRENDIZAGEMUMA ABORDAGEM NO ENSINO DE BIOLOGIA
  • 6. e acordo com os PCN, oprocesso de ensino eaprendizagem na área deCiências Naturais pode serdesenvolvido dentro de A atuação do professor emcontextos social e sala de aula tem sido alvoculturalmente relevantes, de investigaçãoque potencializem a permanente por parte dosaprendizagem significativa. pesquisadores da áreaOs temas devem ser educacional.flexíveis o suficiente para Infelizmente, compreende-abrigar a curiosidade e as se muito pouco sobre adúvidas dos estudantes, relação entre professor eproporcionando a aluno, na verdade, sabe-sesistematização dos diferentes muita teoria e pouquíssimaconteúdos e seu prática. Os professoresdesenvolvimento histórico, deveriam ser conduzidos, aconforme as características e reflexão na sua próprianecessidades das classes de prática e, especialmente, aalunos, nos diferentes ciclos. uma reflexão sobre ela e obter uma visão crítica do contexto estrutural ou ideológico em que estão a trabalhar.
  • 7. Pois a realidade que não podemos esquecer é que os alunos chegam à escola marcados pela diversidade,O ensino- aprendizagem deve reflexo dosnortear-se pela capacidade de desenvolvimentos cognitivo,instrumentar o aluno, que afetivo e social,será o futuro cidadão com evidentemente desiguais, emqualquer profissão, para virtude da quantidade emelhor compreender a qualidade de suasrealidade onde se insere, experiências e relaçõespossibilitando uma atuação sociais, prévias e paralelas àconsciente sobre ela escola.(DELIZOICOV, 1990).Um professor será maiscompetente quanto maissouber imaginar, refletir,articular as condições quepossibilitem aos alunosaprender melhor e de formamais duradoura, edesenvolver suas estruturascognitivas e seus recursos depensar e agir - de modo a seconstituírem como sujeitospensantes e críticos, ou seja,competentes.
  • 8. O Estágio O Estágio Supervisionado visa fortalecer a relação teoria e prática, baseado no princípio metodológico de que o desenvolvimento de competências profissionais implica em utilizar conhecimentos adquiridos, quer na vida acadêmica quer na vida profissional e pessoal. Sendo assim, o estágio constitui-se em importante instrumento de conhecimento e de integração do aluno na realidade social, econômica e do trabalho em sua área profissional. O estágio funciona como uma “janela do futuro” através do qual o aluno antevê seu próximo modo de viver.
  • 9. O estágio foi realizado no CETEPA – Centro Territorial de Educação Profissional do Agreste de Alagoinhas/Litoral Norte, localizada no município de Alagoinhas -BA A escola apresenta estrutura adequada. Quantoao meu relacionamento com a direção,professores e funcionários considero que houveuma interação com toda a comunidade escolar .É uma instituição mantida pela Prefeitura Municipal de Alagoinhascom parceria com o Estado da Bahia, funciona como a principal escolatécnica da cidade, com corpo docente composto por profissionaisconcursados em áreas específicas, muitos com nível superiorcompleto ou em fase de conclusão, além de coordenadores pedagógicos. As salas de aula são amplas, arejadas, iluminação adequada, as carteiras são conservadas e em quantidade suficiente para todos os alunos. Possui um espaço para a biblioteca, sala de informática, laboratório de Biologia, quadra esportiva, sala de vídeo com TV e DVD, TV pendrive, Possui ainda espaços que servem de secretaria, sala da direção e sala dos professores. Existe ampla quantidade de livros fornecidos pelo MEC. Foto:robertoeducaro.blogspot.com
  • 10. A PROFESORA REGENTE Na primeira visita à escola, fui recebida pela vice-diretora, que me apresentou à professora regente, logo em seguida estabeleci contato com a mesma, iniciando assim, a fase de observação. A minha relação com a Professora Regente foi agradável, ela sempre se mostrou a disposição em ajudar. Agradeço por ter confiado sua turma em minhas mãos durante o estágio.
  • 11. O LIVRO Para a elaboração dos planos de aula foram utilizados livros didáticos, além de sites para elaboração de atividades práticas. A turma não possuía o livro, sendo necessário sempre preparar módulos contendo os conteúdos estudados na unidade. Para a elaboração do módulo, utilizei o livro adotado pela instituição, bem como o auxilio de outras referência bibliográficas. Livro adotado pela escola PAULINO, Wilson Roberto. Biologia, Volume 1: Citologia/ Histologia. 1º Ed. São Paulo: Editora Ática, 2009.
  • 12. A TURMA O estágio foi desenvolvido em umaturma do 3º ano, Técnico emEnfermagem. Aparentemente os alunos serelacionam bem e não ouve durante oestágio nenhum atrito entre eles,mantendo entre si um bom diálogo. A relação professor/aluno foi muitoagradável. Confesso que fui premiadaao escolher essa turma, embora nãoos conhecia. Em relação ao cumprimento das regras e a resolução de atividades, uma grande maioria eram indisciplinados não realizando tanto as atividades de casa como as de classe. Contudo, havia um percentual considerável de alunos que faziam todas as atividades trabalhadas em sala.
  • 13. AS AULAS As aulas de biologia são geralmente cercadas de muita expectativa e interesse por parte dos alunos. Hoje, e cada vez mais no futuro, a ciência e os resultados de suas aplicações tecnológicas Entretanto, segundo estão permeando a nossa Delizoicov 1990, tal vida, interferindo no conhecimento não pode ser processo social. administrado numa Considerando os objetivos perspectiva de simples mais amplos da educação, transmissão. Ele deve ser principalmente dar garantido numa abordagem condições para o exercício crítica, caracterizando o pleno da cidadania, um empreendimento científico mínimo de formação básica como uma atividade humana, em biologia deve ser não neutra, financiada e com desenvolvido, de modo a vinculações econômicas e fornecer instrumentos que políticas. possibilitem uma melhor compreensão da sociedade em que vivemos.
  • 14. OBSERVAÇÃOAs ações desenvolvidas durante o período de observaçãoapresentam de forma crítica e reflexiva a trajetória dessaexperiência proporcionada durante o estágio, o que favoreceu deforma significativa para o desenvolvimento da regência. Aobservação é de suma importância, pois é o primeiro contato quetemos com os futuros alunos.
  • 15. AS AULAS OBSERVADASPeríodo de 05 de Outubro a 12 de Outubro de 2010. Nas aulas observadas, a Diante das aulas observadas, professora passou exercícios e fez acredito que a professora correção das atividades decorrente da deveria utilizar de métodos unidade. Sendo estes pontuados de que incentivasse o aluno a acordo com as atividades realizadas estudar, pesquisar, a buscar A Professora Regente avisa aos cada vez aprimorar seusalunos o dia que será realizada a última conhecimentos, despertandoavaliação da unidade. Foi possível o interesse de cada um emobservar que os alunos sentiram aprender, uma vez que se odificuldades no momento da prova, aluno não encontra essasendo que a maioria entrou em branco. motivação na sala de aula, tão pouco ele despertará sozinho. Não devemos esquecer que os alunos são marcados pela diversidade, e muitos estão ali somente para concluir o Ensino Médio ou o Ensino Profissionalizante. EsseFUNDAMENTAÇÃO pensamento deve ser mudado,TEÓRICA e cabe ao professor, instruir o aluno, para além do mercado Para Moura e Vale (2003), os de trabalho, ou seja conduzi- professores devem enfatizar atividades los ao sucesso profissional e que favoreçam a espontaneidade do pessoal. aluno e seus conceitos cotidianos, permitindo que (o aluno) construa noções necessárias para a compreensão da ciência.
  • 16. CO-PARTICIPAÇÃO O educador é hoje peçafundamental para entendimento domundo e para criação de hábitossaudáveis de vida que gerem idéias devalorização dos seres humanos, derespeito à diversidade das vidas, deanálise das possíveis transformações ede busca plena por um mundo ondereinem ideais éticos. É dentro dessas reflexões que O trabalho de co- o educador procura melhorar a suaparticipação e planejamento sintetiza o maneira de ensinar, mostrando adesempenho que foi desenvolvido importância dos saberes, nodurante o período do Estagio II. Esse interior da sua pratica docente,.período de co-participação foi degrande importância para odesenvolvimento das potencialidades,talentos e preparação para enfrentar osdesafios profissionais e como cidadão.
  • 17. REGÊNCIA O Professor é um profissional cuja atividade principal é o ensino. Sua formação inicial visa propiciar os conhecimentos, as habilidades e as atitudes requeridas para levar adiante o processo de ensino e aprendizagem nas escolas. O estágio de regência teve início dia 05 de outubro, no qual juntamente com a professora regente procurei desenvolver atividades que despertassem a atenção dos alunos.
  • 18. 1ª Semana19 de Outubro de 2010 Apresentação da Turma; Inicialmente conversei com aturma, sobre como seria a unidade eporque eu estaria ali. Apresentei ocronograma da IV unidade. Depois fizuma dinâmica para melhor conhecê-los e também como forma deaproximar de cada um. Os alunosinteragiram com a atividade proposta.Acrescentei falando da importância dese trabalhar em grupo, como tambéma importância da união em sala deaula. Em seguida prossegui com oconteúdo programado. FUNDAMENTAÇÃOEsse foi meu primeiro contato como TEÓRICAprofessora estagiária com a turma,confesso que me senti confiável, De acordo comtendo a certeza que iria fazer o melhor KRASILCHIK (2004) ospara que o estágio fosse bem objetivos do ensino dedesenvolvido. Fui bem recebida pelos biologia seriam: aprenderos alunos, onde estes demonstraram conceitos básicos, analisar orespeito e carinho. processo de pesquisa científica e analisar as implicações sociais da ciência e da tecnologia.
  • 19. 2ª SEMANA26 de Outubro de 2010Foi proposta uma atividade em sala A aula consistiu da exposiçãode aula que teve como objetivo oral e utilização da apostilapropiciar aos alunos uma dinamicamente preparada comoportunidade de se familiarizar com imagens e gravuras.conceitos relativos ao número, formae classificação dos cromossomos de A aula foi maravilhosa, os alunosforma lúdica. Como proposto aos colaboraram com a proposta dealunos, eles formaram grupos. Para trabalho, o que favoreceu de formacada grupo foram entregue os significativa para omateriais necessários para realização aprofundamento do conteúdo. Asda atividade. Eles se mostraram aulas eram sempre preparadas comentusiasmados com a atividade, logo a finalidade de incentivá-los cadaapareceram as dúvidas, mas fui vez mais a despertar a curiosidadevisitando cada grupo, e auxiliando-os. no estudo a Biologia. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Segundo Fernandes (1998), a maioria dos alunos vê a biologia apresentada em sala, como uma disciplina cheia de nomes, ciclos e tabelas a serem decorados, enfim, uma disciplina “chata”. Assim, a questão que se coloca é: como atrair os alunos ao estudo e como estimular seu interesse e participação?
  • 20. 3 ª SEM ANA02 de Novembro de 2010 . FERIADO..... Estudo dirigido sobre Alterações Cromossômicas na Espécie HumanaUma das dificuldades que encontreidurante o estágio, foi devido aosferiados que caíram bem no dia dasaulas de Biologia. Procurei semprepassar atividades, como estudosdirigidos para que os alunos pudessemfazer pesquisas, bem como responderquestões sobre os conteúdos estudados,tendo por objetivo aprimorar seusconhecimentos FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA O professor, assim como o aluno, também é movido pela curiosidade. Ela é a mola propulsora do aprendizado e do ensino do educador, da construção e produção de conhecimentos. Proporciona um diálogo entre o professor e o aluno, mas este diálogo não pode ser um simples vai-e-vem de perguntas, momentos reflexivos devem existir neste diálogo (FREIRE, 1996). É necessário sobre tudo estimular o aluno a chegar a suas próprias conclusões.
  • 21. 4ª SEMANA 09 de Novembro de 2010Aula expositiva dialógica com demonstraçãodidática Utilizei durante a aulaexposição de vídeos na TVPendrive sobre Divisão Celular. Aexposição de slides na TVPendrive consistiu na explicação Os alunos gostaram da aula, elesdas fases da Mitose e mostrando começaram a interagir cada vez mais,detalhes sobre as diferenças de participando e esclarecendo suascada fase. dúvidas. Para mim, isso é um ponto positivo, pois quando os alunos participam, interagem, a aula se torna bem mais produtiva e interessante.FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICAOs slides permitem uma projeção de alta resolução, enfatizando cores,beleza e detalhes, visíveis de qualquer ponto de uma sala de aula.FERNANDES (1998).Segundo o mesmo autor, argumenta também que as imagens em si nãoasseguram nenhum aprendizado e que devem vir acompanhadas de umanova abordagem, de sensibilização do aluno para o mundo natural. Umenfoque naturalista e aventureiro, mas que não se limite a isso: que tambémfaça com que esse aluno aprenda, pense, questione e principalmente queirasaber mais.
  • 22. COMENTANDO... O DIA QUE FUI OBSERVADA  Surpresa Embora no dia anterior tenha tido contato com a professora orientadora, a sua visita no dia seguinte foi uma surpresa, porém agradável. A professora orientadora me transmitiu tranqüilidade, o que em momento algum me deixou desconfortável diante de sua presença, isso facilita para que a aula prossiga como planejado. É muito bom saber que alguém acredita e confia no nosso potencial como profissional..... PROFESSORA  Feliz
  • 23. 5ª SEMANA16 de Novembro de 2010Elaboração de resumos e esquemas.com os temas: Núcleo Celular e DivisãoCelular As aulas prosseguem de forma clara e objetiva, o que é importante para que os planos de aula sejam cumpridos. Me sinto feliz em realizar o estágio de forma satisfatória, acredito que tanto para a professora regente, como para toda a escola, que tem confiado no meu trabalho. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA O desafio dos educadores é estimular, no ambiente escolar, oenvolvimento da mídia nos objetivos educacionais para desenvolver valorese atitudes que contribuam para a construção da reflexão e do entendimentodos educadores (VIGLUS, 2007).
  • 24. 6ª SEMANA 23 de Novembro de2010 As apresentações dos seminários foram enriquecedoras. Na apresentação dos seminários problematizamos temas da atualidade como transgênicos, células tronco, reprodução humana assistida e genética que são conteúdos que estão na mídia e que o aluno pergunta mas o professor tem dificuldade de trabalhar. Houve uma interação da turma, onde foram aberto para perguntas, para que cada um tirassem suas dúvidas. Aproveitando a oportunidade levei uma simples lembrancinha para cada um, onde agradeci a eles por terem me acolhido e recebidos tão bem. Como a professora da aula seguinte não iria da aula, aproveitei para ficar mais um pouquinho com a turma, pois já havíamos combinado para o intervalo, tiramos fotos e fizemos a filmagem com a parodiaFUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA O bom senso propõe para o “Ensinar exige bom senso”; o professor uma reflexão na relaçãoprofessor tem que estar consciente de que professor/ aluno; para adquirir bomsuas atitudes podem influenciar senso é necessário exercitá-lo, deprofundamente a vida de um aluno, forma prática, a nossa capacidade depositivamente ou negativamente, este indagar, de comparar, de duvidar, deprofessor deve estar sempre avaliando a sua aferir tanto mais curioso quanto maisprática pedagógica. crítico (FREIRE,1998).
  • 25. 7ª SEMANA30 de Novembro de 2010 A atividade realizada (parodia), teve um ótimo aproveitamento, pois, além de aprender mais sobre o conteúdo estudado (Divisão celular: Mitose e Meiose), foi proposto a criação de uma nova parodia sobre um tema estudado na IV unidade, que ficará a escolha do próprio aluno. A grande maioria mostrou-se interessado. Os alunos participaram, e foi um momento divertido entre a turma, pudemos interagir, sem perder o foco: APRENDER....aprendemos com a música, onde eles mesmo relataram: “Jamais esqueceremos professora”. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICAAntigamente se pensava que era preciso memorizar para aprender. Hojesabemos que, ao contrário, só memorizamos aquilo que realmenteaprendemos. Essa mudança de prisma é fundamental para que o professor,não mais centro do processo, mas sempre protagonista das inovaçõesescolares, defina as melhores estratégias para levar o aluno a construir oconhecimento, exercendo a sua autonomia intelectual e tornando-se maiscapaz de gerar novos saberes, a partir da produção coletiva iniciada noespaço da sala de aula.A música é abordada como recurso para odesenvolvimento nas várias fases da vida desdeo início com o pulsar das células se dividindodentro do corpo da mãe, até no adultomantendo uma ligação emocional significativacom eventos e pessoas (BRÉSCIA, 2003).
  • 26. O Desenvolvimento da Atividade emSala de aula As fotos mostram os alunos interpretando a letra da música mitose e meiose. A atividade teve um ótimo aproveitamento, pois, além de aprender mais sobre o conteúdo estudado (Divisão celular: Mitose e Meiose), passamos a ter conhecimento do talento dos alunos, como o da aluna Liliane.
  • 27. Parodia sobre Divisão Celular criada porLiliane (aluna da turma)PARODIA:MITOSE : DIVIDIDINHAMitose é o processo de divisão celularem que uma célula se divide e forma um parmas pra ficar fácil seu entendimento veja como eu lhe contarExistem 4 fases é só parar e pensar PRÓFASE e METÁFASE e mais 2 que vou contarANÁFASE e TELÓFASE só faltavam para completarExiste muita coisa para fixarMeu Deus como vou fazer pra estudar?Divisão é a chave para o “saber”, então todos vamos lá aprenderO jeito é da uma estudadinha com você, o jeito é dá uma estudada com você, se você quer saber o que vai acontecer primeiro se divide e depois a gente vê. (REFRÃO)Oh, Oh, Oh, Oh, Oh, Oh, Oh, Oh, OhPRÓFASE é onde tudo vai começar,onde os cromossomos irão se condensar,logo vem a METÁFASE após a carioteca se desintegrarNa ANÁFASE os centrômeros irão se separar,na TELÓFASE os cromossomos irão se descondensar,ocorre a citocinese e a cariocinese também logo vai ocorrerO jeito é da uma estudadinha com você, o jeito é da uma estudada com você, se você quer saber o que vai acontecer primeiro se divide e depois a gente vê. (REFRÃO)Oh, Oh, Oh, Oh, Oh, Oh, Oh, Oh, OhAutora: Liliane Santos Souza
  • 28. 8ª SEMANA09 de Dezembro de 2010 A prova consistiu em 10questões objetivas e discursivassobre Núcleo Celular;Divisão Celular;Biotecnologia do DNA: Serestransgênicos e Clonagem. A salafoi arrumada com as cadeiras emfileiras com uma distânciaconsiderada uma da outra. Na correção da prova foi possívelnotar que os alunos que prestavamatenção na aula tiveram um É possível considerar que aexcelente resultado, enquanto maioria dos alunos Teve um bomaqueles que não assistiam as aulas, desempenho na IV unidade,ou não prestavam atenção, não porém vale ressaltar também quetiveram um resultado muito aqueles que não freqüentavam asfavorável. aulas, por já se considerarem perdidos nas outras unidades, não tiveram como serem avaliados em sala de aula. A avaliação se deu durante todo o processo, procurei usar estratégias de verificação de aprendizagem que desenvolvessem o raciocínio, a criatividade dos alunos, considerando a participação e compromisso nas atividades propostas. O conjunto de todas as atividades produzidas durante o estágio e a prova constituíram a nota final dos alunos.
  • 29. A avaliação deve ser uma forma de permitir ao aluno demonstrar o seu conhecimento. Gardner (1989), sugere que a avaliação deve fazer jus à inteligência, isto é, deve dar crédito ao conteúdo da inteligência em teste. Se cada inteligência tem um certo número de processos específicos, esses processos têm que ser medidos com instrumento que permitam ver a inteligência em questão em funcionamento. Para Gardner, a avaliação deve ser ainda ecologicamente válida, isto é, ela deve ser feita em ambientes conhecidos e deve utilizar materiais conhecidos Segundo a LDB, o processo de avaliaçãodeve ter como objetivo detectar problemase servir como diagnóstico da realidade em função da qualidade a atingir. Nesse sentido, pode-se dizer que aavaliação é retrospectiva, mas voltada para o futuro.
  • 30. REFLEXÕES DURANTE OESTÁGIO A experiência adquirida durante o Estágio me fez ver aimportância que este representa na formação docente. Foi o momento emque procurei ver com outros olhos a teoria sendo posta em prática na salade aula. Foi possível observar no dia-a-dia da escola, como se dá oprocesso de ensino-aprendizagem e a relação professor e aluno. O períododestinado a etapa de observação permitiu conhecer um pouco sobre arealidade dos alunos, da escola etc. As aulas desenvolvidas durante o Estágio Supervisionado II, meproporcionaram experiências enriquecedoras tanto no que se refere aosconteúdos trabalhados, quanto ao uso de metodologias que foramsignificativas para os alunos. Através do Estágio pude perceber de forma mais clara as dificuldades enfrentadas pela escola pública, as dificuldades de aprendizagem dos alunos. Enquanto professor precisamos adotar posicionamentos alternativos para tentar superar os obstáculos encontrados.
  • 31. CONSIDERAÇÕES FINAIS O estágio é um período em que buscamos vincular aspectos teóricos com aspectos práticos. Foi um momento em que a teoria e a prática se mesclaram para que fosse possível apresentar um bom resultado. E, sobretudo, perceber a necessidade em assumir uma postura não só crítica, mas também reflexiva da nossa prática educativa diante da realidade e a partir dela, para que possamos buscar uma educação de qualidade para todos, que é garantido em lei (LDB - Lei nº 9394/96). Pois afinal de contas um professor competente é aquele que desenvolve capacidade de mobilizar recursos cognitivos (conhecimentos aprofundados, operações mentais, capacidade crítica), capacidades relacionais, procedimentos, técnicas, atitudes para enfrentar situações problemáticas e dilemas. Esta noção vale tanto para caracterizar o trabalho do professor quanto para explicitar objetivos de aprendizagem para os alunos.
  • 32. A DISCIPLINAPercebe-se que a disciplina EstágioSupervisionado II, vem cumprindo suafinalidade, que é aperfeiçoar o acadêmicocomo futuro professor. O EstágioSupervisionado tem exercido de formaeficiente o papel entre os mundos acadêmicoe profissional possibilitando através do Cláudia Reginaestágio a oportunidade de o aluno obter Professora da Disciplina Estágio Supervisonado IIconhecimento através da vivência doexercício da prática profissional. ATENDIMENTO INDIVIDUAL O atendimento oferecido durante o estágio foi de suma importância. Foi um momento em que permitiu esclarecer todas as dúvidas que apareciam durante a elaboração dos planos de aula. A orientação foi totalmente satisfatória, onde a professora da disciplina de estágio contribuiu de forma significativa para o bom desempenho do estágio, sempre com ótimas sugestões. As atividades realizadas e os esclarecimentos durante o atendimento individual foram essenciais, tanto pelos aspectos pedagógicos, como pelos esclarecimentos das técnicas de ensino na formação do professor.
  • 33. AGRADECIMENTOSAgradeço primeiramente a DEUS por ter me dado forçaspara vencer mais uma etapa.A Professora Regente, pela confiança em meu estágio.A Direção do CETEPA – Centro Territorial de EducaçãoProfissional do Agreste de Alagoinhas/Litoral Norte, por teraceitado meu estágio nesta instituição.Aos colegas professores pelo respeito.A professora Orientadora da Disciplina EstágioSupervisionado II, Cláudia Regina Teixeira de Souza. Muito Obrigado!
  • 34. REFERÊNCIABRASIL. Ministério da Educação de Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: ensinofundamental. Brasília: MEC/SEC. 1997.Brasil. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Ciências Naturais/Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC / SEF, 1998.BRESCIA, VERA. L. P. Educação Musical. Bases psicológicas e ação preventiva. PNA Campinas, SP:Átomo, 2003.DELIZOICOV, Demétrio. ANGOTTI, André J. Metodologia do Ensino de Ciências. Serie Formação doProfessor. São Paulo: Cortez, 1990.DELORS, Jacques. (org.) Educação: Um Tesouro a Descobrir UNESCO, MEC, São Paulo: Cortez,1999.FREIRE, Paulo; SHOR, Ira. Pedagogia da Indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo:UNESP, 2000.GAINZA, Violeta. H. Estudos de Psicopedagogia Musical. Summus, São Paulo: Novas buscasemeducação, 1988.GARDNER. H.;Hatcb, T. Multiple intelligences go to school: educational implications of the theory ofMultiple Intelligences. Educational Researcher, v.18, n.8. p.4-10, 1989.KRASILCHIK, M. Prática de Ensino de Biologia. 4. ed. São Paulo: Edusp, 2004.197MORIN, Edgar. Os sete Saberes Necessários à Educação do Futuro 3a. ed.. São Paulo: Cortez, 2001.MOURA, G. R. S.; VALE, J. M. F. do. O ensino de ciências na 5ª e na 6ª séries daescolaPIMENTA, Selma Garido, LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e Docência. São Paulo: Cortez, 2004ZABALLA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998. 23-28.

×