Modelos epistemológicos competências-4 pilares.

6,458 views

Published on

Published in: Technology, Education
0 Comments
8 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
6,458
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
8
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Modelos epistemológicos competências-4 pilares.

  1. 1. Modelos Epistemológicos a) Empirismo – A pressão do meio social sobre o sujeito determina nele, mecanicamente as estruturas do conhecer. b) Apriorismo – A bagagem hereditária já traz em si programados os instrumentos do conhecimento esperando apenas sua maturação. c) Construtivismo – (desequilíbrio) o sujeito refaz seus instrumentos de assimilação em função da novidade. Esse refazer do sujeito sobre si mesmo é acomodação. Cria-se algo novo – o que melhora assimilações: equilíbrio majorante (novo equilíbrio mais consistente que o anterior). Daí o sujeito constrói seu conhecimento. Professor e aluno aprendem sempre. Quadro comparativo BECKER. Fernando. Educação e construção do conhecimento. Modelo epistemológico Empirismo Apriorismo Construtivismo Equações S O S O S O Sala de aula Carteiras enfileiradas Muita disciplina Local de se fazer o que se quer Local de construção e descoberta do novo. Professor Dono do saber Facilitador não intervém Acredita que o aluno aprende sempre. Aluno (Sujeito) Tábua rasa/ passivo aprende o que o professor ensina. Traz o saber Constrói sem conhecimento. Conteúdo /Conhecimento Reproduzido repetido A não aprendizagem é um déficit herdado da bagagem hereditária. É aprendido qdo o aluno agir e problematizar sua ação (significativo) Disciplina rígida Não é cobrada É negociada Regras de convivência. Objeto (meio físico) Age sobre o aluno. Não influencia o aluno Interage com o sujeito para construir seu conhecimento Modelo (Relação pedagógica) Diretiva Não diretiva Relacional Equações AP AP A P Mudar um modelo pedagógico – Só com a crítica epistemológica. Modelos Psicológicas: Associacionismo – Edward Thorndike – 1ª teoria de aprendizagem: Lei do efeito  behavior (comportamento)  Behaviorismo  Watson: Estados Unidos aplicação prática  fato psicológico. Base: Condicionamento operante e o respondente (estímulo e reforço).
  2. 2. Psicologia de Gestall – mais ligada a filosofia. Carl Rogers  Surge na Europa como negação da fragmentação das ações e processos humanos. Postula necessidade de compreender o homem na sua totalidade. Concepção humanística enfoque no sujeito de forma particular. O professor cria condições facilitadoras. Psicologia Genética  Piagget. Modelos Sociológicos Positivismo (Sinônimo: Neopositivo e empirismo lógico)  COMTE (fundador) – Reduz a filosofia a limites e métodos científicos. Acreditava que os estudos das sociedades deviam ser feitos com espírito científico e objetividade. Ordem e Progresso Lema da nossa bandeira, criado por Benjamin Constant é inspiração positivista. Tradição empirista associada ao formalismo lógico matemático, método axiomático X linguagem. Idealismo  Tendência atitude ou doutrina que em graus e sentidos diversos, reduz o ser ao pensamento ou a alguma entidade de ordem subjetiva, considerando que o espírito ou a consciência, ou a idéia ou a vontade, etc. Idealismo transcendental Kant  doutrina em que se considere os fenômenos sem exceção, como simples representação e não como coisas em si. Dialética Está pautado na psicologia Vigotsky e Wallon: recupera a importância dos aspectos emocionais. Diálogo: “a ciência da formação sócio-histórica de atividade mental e as estruturas dos processos mentais passam a depender das formas básicas de práticas sociais presentes nas etapas de desenvolvimento histórico da sociedade”. (Lúria 1950).  Marx Processo de descrição exato do real- Diálogo, discussão, argumentação.  Hegel natureza verdadeira e única da razão e do ser que são identificados um ao outro e se definem segundo o processo racional que pela união incessantes de contrários – tese e antítese – Síntese. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES A partir do momento em que alguém fizer “o que deve ser feito” sem sequer pensar, pois já o fez, não se fala mais em competências, mas sim em habilidades ou hábitos. Esses últimos fazem parte da competência. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES Uma competência é o envolvimento de diversos esquemas de percepção, pensamento, avaliação e ação, que suportam inferências, antecipações, transposições analógicas, generalizações, apreciação de probabilidades, estabelecimento de um diagnóstico a
  3. 3. partir de um conjunto de índices, busca das informações pertinentes, formação de uma decisão, etc. OS 10 DOMÍNIOS DE COMPETÊNCIAS RECONHECIDAS COMO PRIORITÁRIAS NA FORMAÇÃO CONTÍNUA DOS PROFESSORES REFERENCIAIS. Competências de referências Competências específicas a trabalhar 1. Organizar e dirigir situações de aprendizagem Conhecer os conteúdos a serem ensinados e sua tradução em objetivos de aprendizagem. Trabalhar a partir das representações dos alunos. Trabalhar a partir dos erros e dos obstáculos à aprendizagem. Construir e planejar dispositivos e seqüências didáticas. Envolver os alunos em atividades de pesquisa, em projeto de conhecimento. 2. Administrar a progressão das aprendizagens Conceber e administrar situações- problema ajustadas ao nível e às possibilidades dos alunos. Adquirir uma visão longitudinal dos objetivos do ensino. Estabelecer laços com as teorias subjacentes às atividades de aprendizagem. Observar e avaliar os alunos em situações de aprendizagem, de acordo com uma abordagem formativa. Fazer balanços periódicos de competências e tomar decisões de progresso. 3. Conceber e fazer evoluir os dispositivos de diferenciação Administrar a heterogeneidade no âmbito de uma turma. Abrir, ampliar a gestão de classe para um espaço mais vasto. Fornecer apoio integrado, trabalhar com alunos portadores de grandes dificuldades. Desenvolver a cooperação entre os alunos e certas formas simples de ensino mútuo. 4. Envolver os alunos em sua aprendizagem e em seu trabalho Suscitar o desejo de aprender, explicitar a relação com o saber, o sentido do trabalho escolar e desenvolver no aluno a capacidade de auto-avaliação. Instituir e fazer funcionar um conselho de alunos e negociar com eles diversos tipos de regras e de contratos. Oferecer atividades opcionais de
  4. 4. formação, à la carte. Favorecer a definição de um projeto pessoal do aluno. 5. Trabalhar em equipe Elaborar projetos de equipe, representações comuns. Dirigir um grupo de trabalho, conduzir reuniões. Formar e renovar equipe pedagógica. Enfrentar e analisar em conjunto situações complexas, práticas e problemas profissionais. Administrar crises ou conflitos interpessoais. 6. Participar da administração da escola Elaborar, negociar projeto da instituição. Participar da administração dos recursos da escola. Coordenar e dirigir uma escola com todos os seus parceiros (serviços paraescolares, bairro, associação de pais, etc). Organizar e fazer evoluir, no âmbito da escola, a participação dos alunos. 7. Informar e envolver os pais Dirigir reuniões de informação e debate. Fazer entrevistas. Envolver os pais na construções dos saberes. 8. Utilizar novas tecnologias Utilizar editores de textos. Explorar as potencialidades didáticas dos programas em relação aos objetivos do ensino. Comunicar-se à distância por meio da telemática. Utilizar as ferramentas multimídia no ensino. 9. Enfrentar os deveres e dilemas éticos da profissão Prevenir a violência na escola e fora dela. Lutar contra os preconceitos e as discriminações sexuais, étnicas e sociais. Participar da criação de regras de vida comum referentes à disciplina na escola, às sanções e à apreciação da conduta. Analisar a relação pedagógica, a autoridade, a comunicação em aula. Desenvolver o senso de responsabilidade, a solidariedade e o sentimento de justiça. 10. Administrar sua própria formação contínua Saber explicitar as próprias práticas. Estabelecer seu próprio balanço de competências e seu programa pessoal de formação contínua. Negociar um projeto de formação comum com os colegas (equipe, escola, rede). Envolver-se em tarefas em escala de uma
  5. 5. ordem de ensino ou do sistema educativo. Acolher a formação dos colegas e participar delas. CARACTERIZAÇÃO DOS CONTEÚDOS 1. CONTEÚDOS CONCEITUAIS  O que os alunos aprendem a dizer (declarativo)  Tendem a desenvolver um conhecimento conceitual  São específicos de cada área do conhecimento. É explícito e acessível à consciência.  São os fatos, teorias, conceitos, explicações. 2. CONTEÚDOS PROCEDIMENTAIS  O que os alunos aprendem a fazer (aprender a aprender).  Tendem a desenvolver o conhecimento procedimental.  São as destrezas, técnicas e estratégias para se aprender.  São mais gerais e é interdisciplinar. É mais implícito e menos consciente. 3. CONTEÚDOS ATITUDINAIS  As formas com que os alunos aprendem a se comportar (ser e estar).  Tendem a desenvolver valores, atitudes e normas que têm a ver com as formas de comportamento.  São mais gerais que os conceituais e procedimentais e são transversais.  São mais conscientes e acessíveis. RELAÇÃO ENTRE A FORMA DE APRENDER OS DIFERENTES TIPOS DE CONTEÚDOS, SUA DURAÇÃO E POSSIBILIDADE DE TRANSFERÊNCIA: CONCEITUAIS: rapidamente aprendidos, facilmente ensinados, difícil de transferí-los e lembra-los. PROCEDIMENTAIS: aprende-se mais lentamente, têm maior área de transferência e são mais difíceis de esquecer. ATITUDINAIS: aprende-se mais lentamente, são mais duradouros e só mudam com muita dificuldade.
  6. 6. CONTEÚDOS CONCEITUAIS FATOS: Um fato é algo que é ou ocorre em um determinado momento e a partir do qual é possível descrever ou referir a realidade e as circunstâncias. O conhecimento factual serve como uma base de dados para poder entender a realidade. CONCEITOS: Os conceitos constituem representações das relações estabelecidas entre alguns objetos, fatos ou símbolos, graças à identificação dos traços considerados essenciais de acordo com a intenção que orienta a atividade de conhecer. PRINCÍPIOS: Os princípios são conceitos muito gerais e estruturados com um alto nível de abstração. Os princípios e as relações que estabelecem mutuamente conformam o tecido das teorias elaboradas para atribuir significado aos diferentes aspectos da realidade. CONTEÚDOS PROCEDIMENTAIS PROCEDIMENTOS: Um procedimento é definido como um determinado conjunto de ações ordenadas para atingir algum objetivo proposto. CONTEÚDOS ATITUDINAIS VALORES: Um valor é um princípio normativo que preside e regula, proporcionando sentido ao comportamento das pessoas em qualquer momento ou situação. ATITUDES: Os valores concretizam-se em atitudes ou tendências, para que o indivíduo se comporte de uma maneira consistente e persistente diante de determinadas situações, objetos, fatos e pessoas. As atitudes traduzem, no âmbito do comportamento, o grau de assunção de determinados valores – maior ou menor – em relação a algumas normas concretas ou regras de conduta. CONTEÚDOS CONCEITUAIS Os conteúdos referentes a fatos, conceitos e princípios designam conjuntos de objetos, acontecimentos e símbolos com características comuns definem relações entre conceitos. Trata-se de alguns conhecimentos com os quais dizemos ou declaramos coisas (das coisas, das pessoas, da natureza, dos números, dos grupos sociais, dos objetos, dos símbolos, do passado, etc). (...) Por isso diz-se que aprender fatos, conceitos e princípios (poder dizer ou declarar coisas sobre as pessoas, acontecimentos, objetos, etc.) equivale a reconhece-los, entender o seu significado, compreende-los, relaciona-los, estabelecer novas conexões, etc., de maneira que esse conhecimento declarativo, uma vez evocado, possa servir para entender coisas novas dessas pessoas, acontecimentos, etc., às quais está se referindo ou às outras às quais se aplicam esses conhecimentos. CONTEÚDOS PROCEDIMENTAIS Os conteúdos procedimentais designam conjuntos de ações, de formas de agir e de chegar a resolver tarefas. Trata-se de conhecimentos referentes ao saber fazer coisas
  7. 7. (com as coisas ou sobre as coisas, as pessoas, a informação, as idéias, os números, a natureza, os símbolos, os objetos, etc.) Fazem referências às ações para solucionar problemas, para chegar a objetivos ou metas, para satisfazer propósitos e para obter novas aprendizagens. (...) Aprender conhecimentos referentes a procedimentos significará, fundamentalmente, que se saberá usa-los ou aplica-los em outras situações. CONTEÚDOS ATITUDINAIS Definimos atitudes como tendências ou disposições adquiridas e relativamente duradouras a avaliar de um modo determinado um objeto, pessoa, acontecimento ou situação e a atuar de acordo com essa avaliação. As atitudes possuem, portanto, três componentes básicos e definitórios que refletem a complexidade da realidade social. A formação e a mudança de atitudes operam sempre com esses três componentes: Componente cognitivo (conhecimento e crenças); Componente afetivo (sentimentos e preferências); Componente de conduta (ações manifestas e declaração de intenções). OS QUATRO PILARES DA EDUCAÇÃO PARA O SÉCULO XXI Aprender a conhecer – “ o que também significa aprender a aprender, para beneficiar-se das oportunidades oferecidas pela educação ao longo de toda a vida” Aprender a fazer – “a fim de adquirir, não somente uma qualificação profissional, mas de uma maneira mais ampla, competências que tornem a pessoa apta a enfrentar numerosas situações e a trabalhar em equipe”. Aprender a viver juntos – “desenvolvendo a compreensão do outro e a percepção das interdependências – realizar projetos comuns e preparar-se para gerir conflitos – no respeito pelos valores do pluralismo, da compreensão mútua e da paz”. Aprender a ser – “Para melhor desenvolver a sua personalidade e estar à altura de agir com cada vez maior capacidade de autonomia de discernimento e de responsabilidade pessoal”.

×