Ecologia(ppes ii)2.0
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Ecologia(ppes ii)2.0

on

  • 5,817 views

 

Statistics

Views

Total Views
5,817
Views on SlideShare
5,808
Embed Views
9

Actions

Likes
2
Downloads
138
Comments
0

3 Embeds 9

http://biodocentesuneb.blogspot.com 7
http://biodocentesuneb.blogspot.com.br 1
http://www.biodocentesuneb.blogspot.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Ecologia(ppes ii)2.0 Presentation Transcript

  • 1. ECOLOGIA
  • 2. Noções Iniciais
    • Espécie – Indivíduos semelhantes que produzem descendentes férteis.
    • População – Conjunto de indivíduos da mesma espécie que vivem numa determinada área.
    • Comunidade ou biocenose – Conjunto de populações que vivem numa mesma área geográfica.
  • 3.
    • Ecossistema ou Sistema Ecológico – Conjunto de interações, formado pelo ambiente físico (fatores abióticos) e a biocenose (fatores bióticos).
    • Biosfera – Conjunto de todos os ecossistemas.
    • Habitat – Lugar onde uma espécie pode ser encontrada.
    Noções Iniciais
  • 4. Noções Iniciais
    • Nicho Ecológico – corresponde ao papel que cada indivíduo desempenha no ecossistema.
    • Ecótono – região de transição entre dois ecossistemas, nela encontramos grande quantidade de nichos ecológicos distintos.
  • 5.
    • As espécies que habitam o mesmo ambiente são unidas pela necessidade de alimentarem-se umas das outras formando uma cadeia (níveis tróficos).
    Cadeia Alimentar
  • 6. Cadeia Alimentar
    • Os animais estão divididos em níveis tróficos, correspondentes à sua função na cadeia alimentar.
    • 1º Nível – autótrofos (sintetizam seu próprio alimento); produtores.
    • 2º Nível – heterótrofos; consumidores. Este nível pode subdividir-se em uma cadeia formando outros níveis.
    • Último Nível – heterótrofos; decompositores. Devolvem a matéria orgânica ao ambiente.
  • 7. Níveis Tróficos
  • 8. Teia Alimentar
    • Geralmente consumidores ocupam mais de um nível trófico em várias cadeias, formando assim uma TEIA ALIMENTAR.
  • 9. Pirâmides Ecológicas
    • São representações do fluxo de matéria e energia no ambiente onde são representados os níveis tróficos de uma cadeia alimentar, pode representar-se de 3 formas;
    • Pirâmide de número
    • Pirâmide de biomassa
    • Pirâmide de energia
  • 10. Pirâmides Ecológicas
    • Pirâmides de número
    DIRETA INVERTIDA 2 x 10 7 pés de alfafa 4,5 bezerros 1 criança 420 protozoários 50 pulgões 1 árvore
  • 11. Pirâmides Ecológicas
    • Pirâmide de biomassa
    Criança 45 Kg Bezerros 1040 Kg Alfafa 8.220 kg Zooplâncton 21 g/m² Fitoplâncton 4 g/m² DIRETA INVERTIDA
  • 12. Pirâmides Ecológicas
    • Pirâmide de energia
    Obs: NUNCA PODE SER INVERTIDA. O fluxo energético sempre diminuiu na passagem de um nível trófico para outro. Alfafa 1,50 X 10 7 cal Bezerros 1,20 X 10 6 cal Tecidos humanos 8,4 X 10 3 cal
  • 13. Relações Ecológicas Harmônicas Intra- específicas (mesma espécie) Colônia: União anatômica entre os organismos. Ex: Caravela, corais... Sociedade: Organismos não unidos que apresentam organização com cooperativismo. Ex: Formigas, Abelhas, cupins... Interespecíficas (espécies diferentes) Protocooperação: Benefício recíproco sem dependência obrigatória. Ex:Pássaro paliteiro e crocodilo. Mutualismo:Benefício recíproco com dependência obrigatória. Ex:Cupim e protozoário. Comensalismo: Um organismo é beneficiado (comensal) sem prejuízo ou benefício para o outro (hospedeiro).
  • 14. Relações Ecológicas Desarmônicas Intra – específicas (mesma espécie) Competição intra-específica: disputa pelos mesmos recursos ambientais ou parceiros sexuais. Ex: macho mais forte poderá deixar descendentes mais adaptados. Canibalismo: um animal mata e come outro da mesma espécie. Ex: peixes e leões comem filhotes por falta de caças. Interespecíficas (espécies diferentes) Competição interespecífica: disputa pelos mesmos recursos devido à ocupação de nichos ecológicos similares. Ex: cobras, gaviões e corujas. Predatismo: um animal (predador) ataca e devora o outro (presa). Ex: sapo e inseto, tamanduá e formiga. Parasitismo: um organismo parasita retira substancias nutritivas do hospedeiro. Ex: tênia e ser humano. Amensalismo ou antibiose: produção de substâncias nocivas que inibem o desenvolvimento de outro organismo. Ex: eucalipto, o fungo Penicillium.
  • 15. Biomas Terrestres BIOMA LOCALIZAÇÃO E CLIMA FLORA FAUNA TUNDRA Círculo Polar Ártico. Inverno de 9 A 10 meses e verão com aproximadamente 2 meses. Musgos, liquens e pequenos arbustos se multiplicam no verão. Insetos, pássaros, boi-almiscarado, rena, caribu, raposa do Ártico, urso polar, lemingues. TAIGA (coníferas) Sul da Tundra: regiões do Alasca, Canadá, Estado Unidos e Sibéria. Duas estações anuais. Chuvas moderadas e muitos lagos e lagoas. Floresta de coníferas (abetos, pinheiros e cedros), arbustos e herbáceas. Insetos, aves e mamíferos (urso, alce, lince, lebre, lobo, marta, caribus, roedores). As aves emigram durante o inverso. FLORESTAS TEMPERADAS Regiões de clima temperado: leste dos EUA, oeste da Europa, pedaço da China, Sudeste da Sibéria, leste da Ásia, Japão e Coréia. Quatro estações bem definidas. Árvores: faias, nogueiras, carvalhos, arbustos. Insetos, veados, esquilos, linces, ursos, lobos, aves insetívoras, raposas, cobras, anfíbios.
  • 16. FLORESTAS TROPICAIS Entre os trópicos: ao norte e sul do Equador na América do Sul, América Central, África, Ásia e ilhas do Pacífico. Clima quente com chuvas freqüentes e elevadas taxas de umidade. Árvores de grande porte e numerosas epífitas. Insetos, répteis, aves e mamíferos (macacos, morcegos, roedores, ouriços, esquilos, preguiças, tatus, antas, veados, capivaras, pacas, onças). CAMPOS Região Centro-Oeste dos EUA, Austrália, Brasil (pampas), Argentina, estepes na Rússia, pradarias nos EUA, savanas na África. Boa luminosidade e grandes variações de temperatura Vegetação rasteira formada pelas gramíneas, arbustos e pequenas árvores esparsas. Zebras, antílopes, cavalos selvagens, leões, leopardos, aves corredoras (ema e avestruz), répteis, aves, tatus e roedores. DESERTO Deserto do Saara (África), Austrália, Arábia Saudita, Chile, EUA e México. Clima seco, solo árido e poucas chuvas. Vegetação pobre, com plantas adaptadas ao clima seco (cactáceas). Fauna escassa: répteis, aves, insetos, roedores com adaptação ao calor e à seca.
  • 17. Biomas Brasileiros BIOMA LOCALIZAÇÃO E CLIMA FLORA FAUNA FLORESTA AMAZÔNICA Pará, Amazonas, Acre, Roraima, Amapá e Rondônia, norte do Mato Grosso e Goiás. 40% da superfície do Brasil. Ecologicamente apresenta três tipos de vegetação: mata de igapós, matas de várzeas e matas de terra firme. Apresenta clima pluvial tropical. Árvores de grande porte. Castanheiro-do-pará, cedro, mata-pau, seringueira e plantas epífitas como samambaias, orquídeas e bromélias. Tamanduá, lagartos, cobras, cobras, rãs, uma diversidade enorme de artrópodes, macacos, bicho-preguiça, tatu, gambá, cutia, onça pintada. CERRADO Brasil Central, parte de São Paulo, Paraná e Amazônia. 25% da superfície do país. Solos áridos com alta taxa de alumínio . Arbustos e árvores com galhos tortuosos, caule com casca grossa e folhas coriáceas. Pequi, ipê, jacarandá-do-campo e capim-gordura. Veado e roedores como capivara, paca, cutia e preá. Lobo-guará, cachorro-do-mato, cobras e aves. Os cupinzeiros são muito comuns.
  • 18. BIOMA LOCALIZAÇÃO E CLIMA FLORA FAUNA CAATINGA Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí, Maranhão e Norte de Minas Gerais. 15% do território brasileiro. Clima semi-árido, temperatura elevada, chuva escassa e irregular Mandacaru, Xiquexique, Faveleira, Barriguda, Angico, Catingueira, Juazeiro... Veados, guaxinim, tatu, tamanduá. MATA ATLÂNTICA Ocorre ao longo das costas brasileiras, acompanhando as cadeias montanhosas desde o Nordeste até o Rio Grande do Sul. Fisionomicamente bastante parecida com a Floresta Amazônica, sendo também bastante úmida. Canelas, figueiras, jequitibás, quaresmeiras, cedro, manacá... Macacos, onças, preguiças e aves, como araras, tucanos, papagaios
  • 19. BIOMA LOCALIZAÇÃO E CLIMA FLORA FAUNA PANTANAL Abrange Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Bolívia e Paraguai. Região plana, com pouco declive, onde a água do rio Paraguai transborda nos meses de cheia, inundando extensas áreas. Piúba, angico, jenipapeiro,ingazeiro, imbaúba, aguapé. Grande diversidade de aves, répteis e artrópodes. PAMPAS Rio Grande do Sul, Uruguai e Argentina. Vegetação herbácea e principalmente gramíneas Aves como Seriema, Quero-quero e répteis. MANGUEZAIS Ocupam a costa Brasileira entre o Amapá e Santa Catarina. Vegetais principalmente com raízes respiratórias. Grande diversidade de peixes, ostras, camarões e siris.
  • 20. Ciclos Biogeoquímicos
  • 21. Ciclo do Carbono
  • 22. Ciclo do Nitrogênio
  • 23. Ciclo do Fósforo
  • 24. PARA REFLETIR
    • Uma área de plantio  alimenta 100 pessoas
    • Mesma área para bovinos  alimenta 5 pessoas
    • Concluímos então que os consumidores primários estão melhor servidos de energia do que os demais níveis da pirâmide energética.
    X Populações e Impactos Ambientais
  • 25. Referencias Bibliográficas
    • Adolfo, Augusto, Biologia: volume único: ensino médio. 2ª Edição. São Paulo: IBEP, 2005.