Ellen G White - E sua Obra I
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Ellen G White - E sua Obra I

on

  • 2,836 views

Estudo

Estudo

Statistics

Views

Total Views
2,836
Slideshare-icon Views on SlideShare
2,080
Embed Views
756

Actions

Likes
1
Downloads
84
Comments
0

13 Embeds 756

http://fabiooleszczuk.blogspot.com.br 553
http://ministeriovalsantana.blogspot.com.br 117
http://fabiooleszczuk.blogspot.com 60
http://fabiooleszczuk.blogspot.pt 9
http://www.fabiooleszczuk.blogspot.com.br 4
http://fabiooleszczuk.blogspot.fr 4
http://fabiooleszczuk.blogspot.de 2
http://ministeriovalsantana.blogspot.ru 2
http://fabiooleszczuk.blogspot.com.es 1
http://fabiooleszczuk.blogspot.jp 1
http://fabiooleszczuk.blogspot.it 1
http://ministeriovalsantana.blogspot.com 1
http://fabiooleszczuk.blogspot.co.uk 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Ellen G White - E sua Obra I Ellen G White - E sua Obra I Presentation Transcript

    • ELLEN G. WHITEE SUA OBRA – I
    • ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I Infância e Adolescência 1827 - 1844 Por ocasião do desapontamento de 22 de outubro de 1844, Ellen Harmon tinha quase 17 anos. Nasceu em 26 de novembro de 1827, perto de Gorham, Maine. Filha gêmea de Eunice e Roberto Harmon, uma família de fazendeiros com oito filhos. Quando as gêmeas tinham sete anos, a família mudou-se para Ellen G. Harmon - White (1827 – 1915) Portland, Maine, onde o paiElizabeth Harmon – Bangs trabalhou como chapeleiro. (1827 – 1891)
    • Infância e Adolescência ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1827 - 1844Aos nove anos, Ellen sofreu um acidente que iriaafetar grandemente a sua vida. Aos doze anos foibatizada por imersão, pela sua própriainsistência, embora o pastor metodista afirmasseque a aspersão seria igualmente aceitável aDeus.Em 1840 e 1842, Ellen Harmon, com a família,assistiu a pregação de Guilherme Muller emPortland. A aceitação dos ensinos de GuilhermeMuller pela família Harmon causou a suaexclusão da Igreja Metodista em 1843.Participou do desapontamento, em 22 de outubrode 1844, porém não desanimou na fé.
    • ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I O Chamado eMinistério Inicial 1844 - 1848
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 1848Chamado e o InícioEm dezembro de 1844, foi chamada por Deuspara ser profetiza, ocasião em que teve aprimeira visão. (Leia Primeiros Escritos, págs. 13- 20).Em sua segunda visão, uma semana depois, elaviu algumas das dificuldades que experimentariae ela foi instruída a contar aos outros o que lhefora mostrado.Deus continuou a dar-lhe revelações que guiaramos crentes desapontados em sua busca daverdade e contribuíram para unir os sinceros efiéis.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 1848 Em 30 de agosto de 1846, Ellen Harmon uniu-se em matrimônio ao pastor Thiago White. Um ano depois do casamento, o casal teve o primeiro filho de quatro. No mês seguinte o casal Howlands ofereceu para o casal White alguns quartos de sua casa em Topsham, Maine, onde o casal White veio morarEllen Harmon e Thiago White. com móveis emprestados.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 1848A situação era precária. Tiago trabalhava comodiarista, arrastando pedras para a construção daestrada de ferro por “cinqüenta cents” (1/2dólar) ao dia ou cortava lenha, 128 pés cúbicosde lenha (3,62 m3) “por vinte e cinco cents” (1/4dólar).
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 1848Falando daqueles tempos Ellen G. White disse:“Nós preferimos sofrer a fazer dívida. Eu tinha ‘um pint’(0,437 l) de leite por dia para mim e a criança. Umamanhã, ao meu marido sair para o trabalho, ele deixou-me ‘nove cents’ (mais ou menos a décima parte do dólar) Fiquei pensando separa comprar leite para três manhãs.iria comprar o leite para mim e o filhinho, ou compraruma fralda (pedaço de pano) para ele. Desisti do leitepara poder comprar o pano a fim de cobrir os braços nusde meu filho”. Testemonies vol. 1. pág. 83.Muitas vezes o dinheiro foi provido para o maisessencial e para despesas de viagens aos lugares queprecisavam ir para se encontrar com os grupos decrentes.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 Descobrindo a Verdade Bíblica Os anos de 1845- 1848 foi um período de intenso estudo por parte dos que passaram pelo desapontamento e ainda mantinham a fé no segundo advento.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 1848A experiência pela qual passaram em 1844 e sua féna iminente 2ª. Vinda de Jesus, eram os dois laçosfortes que os mantinham juntos. Estavamdeterminados a descobrir verdades adicionais daBíblia. Estas verdades não vieram por meio doEspírito de Profecia, mas antes mediante diligenteestudo da Bíblia, individual e em grupo.O Espírito de Profecia teve lugar vital em trazer luzquando os pioneiros eram defrontados pordificuldades, e as conclusões atingidas pordiligente estudo eram por vezes posteriormenteconfirmadas pela revelação.Seguem em forma de esboço o desenvolvimento deduas doutrinas que indicam a maneira como foramestabelecidas as verdades fundamentais:
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 A Introdução da Verdade do Sábado. 1. O Sábado Aceito pelos Primeiros Adventistas. A verdade do sábado foi primeiramente apresentada por Raquel Oakes Preston (batista do sétimo dia) aos adventistas em Washington, Nova Hampshire. Raquel Oakes Preston
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 Foi aceito por alguns ali por volta de outubro de 1844, isto é, do desapontamento. Em princípios de 1845, o artigo de T. M. Preble sobre o sábado, publicado em The Hope of Israel, foi lido por José Bates, que foi levado a reconhecer a obrigatoriedade do quarto mandamento, aceitou o sábado, e começou a ensiná-lo a outros. (Mensageira da Igreja Remanescente, pág. 73).
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 18482. Aceito por Tiago e Ellen White.a) Primeira Introdução. Ellen Harmon, com sua irmã e Tiago White, achavam-se em Nova Bedford em princípios de 1846. O pastor Bates insistiu com eles quanto as suas idéias a respeito do sábado, porém eles não lhe aceitaram os ensinos.b) Não foi Sentida a Importância. “Eu não sentia sua importância, e pensava que ele errava em dar mais atenção ao quarto mandamento do que aos outros nove”. Idem, pág. 73.c) Aceito por Provas Escriturísticas. Em agosto de 1846, José Bates publicou seu folheto de quarenta e oito páginas – “The Seventh- Day Sabbath a Perpetual Sign” ( O Sábado do Sétimo Dia um Sinal Perpétuo) Tiago e Ellen G. White receberam um exemplar do mesmo por volta do tempo de seu casamento. Pela demonstração escriturística apresentada, tomaram sua decisão. “No outono de 1846, começamos a observar o sábado bíblico, e a ensiná-lo e defendê-lo”. Ibidem, pág. 74.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 1848d) Aceito Antes da Visão Sobre o Sábado. “Cri na verdade acerca da questão do sábado antes de ter visto qualquer coisa em visão com referência a esse assunto. Meses depois de haver começado a observar o sábado é que me foi mostrada sua importância e seu lugar na terceira mensagem angélica”. Ibidem, pág. 7.e) Visão relativa à importância do Sábado. A 1 de abril de 1847, o Senhor lhe deu uma visão, na qual viu os 10 mandamentos no santíssimo e o quarto mandamento era circundado por uma auréola de glória (Leia Primeiros Escritos págs. 32 – 35). Assim a verdade vital do sábado não foi apresentada por revelação direta, mas foi vista primeiro mediante o estudo da Bíblia.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 O Tempo de Começar a Observância do Sábado Vários tempos de início do sábado foram seguidos por diversas pessoas: 1. Seis Horas da Tarde. Por dez anos os adventistas observadores do sábado guardaram-no geralmente das 6 da tarde de 6ª. feira às 6 da tarde de sábado. O pastor Bates era o defensor desta idéia.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 18482. O Tempo do Nascer do Sol Defendido em Maine. Baseavam-se em Mt. 28:1, “E no fim do sábado, quando já despontava o 1 dia da semana.”3. O Erro de Princípio Divinamente Corrigido. Ameaçava então se introduzir um erro com respeito ao início da observância do sábado que foi combatido por meio do Espírito de Profecia. Em visão, Ellen White ouviu o anjo citar as palavras da Escritura: “Duma tarde à outra tarde, celebrareis o vosso sábado”. Lev. 23:32. Isso assentou a questão no que respeitava ao engano do tempo ao nascer do sol, porém o corpo de crentes continuou com a observância de seis horas, até que esse erro foi posteriormente corrigido por demonstração bíblica.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 18484. O Tempo Afinal Posto em Dúvida. Conversos dentre os batistas do sétimo dia, e possivelmente outros, observaram o tempo do pôr-do-sol, e levantavam de quando em quando a questão quanto a ser ou não direito a atitude de observá- lo de seis às seis horas segundo era feito pelo grupo.5. O Estudo da Bíblia sobre o Ponto Doutrinal. No verão de 1855, João Andrews foi solicitado pelo pastor White a investigar o assunto. Suas conclusões, baseadas em provas escriturísticas, foram lidas na assembléia geral em Battle Creek em novembro de 1855, no culto da manhã do sábado. O Pastor Andrews demonstrou com nove textos do Velho Testamento e dois do Novo, que a “tarde” queria dizer o mesmo que pôr-do-sol.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 18486. Aceito o Testemunho Escriturístico. O tempo do pôr-do-sol foi então aceito por quase todos os presentes à assembléia de 1855. José Bates e Ellen G White foram exceções, mantendo ambos a atitude da observância das seis horas.7. Confirmado pela Revelação, Assentando as Opiniões em Desacordo. “Ao termo da assembléia em Battle Creek (1855), acima mencionada, os ministros e outros especialmente interessados na causa, tiveram um período especial de oração, e naquela reunião a sra. White teve uma visão, na qual um ponto foi que o tempo do pôr-do-sol estava correto. Isto assentou a questão quanto ao irmão Bates e aos outros, reinando desde então geral harmonia entre nós nesta questão”. Ibidem, pág 77.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 Fica Demonstrado o Lugar das Visões na Igreja Relativamente à questão do tempo de começar o sábado, escreveu Tiago White:
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 1848“Não parece ser desejo do Senhor ensinar Seupovo pelos dons do Espírito em assuntosbíblicos enquanto Seus servos não houverempesquisado diligentemente Sua palavra”.“As Sagradas Escrituras nos são dadas comoregra de fé e dever, e é nos ordenadopesquisá-las”.“Tenham os dons seu próprio lugar na igreja.Deus nunca os colocou bem na frente,ordenando-os que olhemos para eles comoguias na senda da verdade e no caminho para oCéu. Ele engrandeceu Sua palavra. AsEscrituras do Velho e do Novo Testamento sãoa lâmpada para alumiar sua estrada para oreino”. Ibidem, pág 78.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 Confirmação da Declaração de Tiago White “Eu vi que é exatamente assim: ‘Duma tarde a outra tarde, celebrareis o vosso sábado.’ Disse o anjo: ‘Tomai a palavra do Senhor, lede-a, entendei, e não podeis errar. Lede cuidadosamente e aí encontrareis o que é tarde, e quando é”.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848“Perguntei ao anjo se o desagrado deDeus estivera sobre Seu povo porcomeçar o sábado como haviam feito.Indaguei por que fora assim, queprecisássemos mudar o tempo do começodo sábado em tempo assim tardio”.“Disse o anjo: ‘Compreendereis, mas nãoainda, não ainda’. ‘Caso venha a luz e elaseja posta de lado ou rejeitada, então vema condenação e o desagrado de Deus;mas antes que sobrevenha a luz, não hápecado, pois não há luz para elesrejeitarem.” Ibidem, pág 78.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 A Verdade do Santuário É outra ilustração de como se desenvolveu a verdade e a sua relação com o Espírito de Profecia
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 1. Primeiramente Percebida por Hirão Edson. Na manhã seguinte à decepção, em Nova York ocidental, disse Hirão Edson:
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 “Vi distinta e claramente que em vez de nosso Sumo Sacerdote sair do santíssimo do santuário celeste para a Terra no décimo dia do sétimo mês, ao fim dos 2300 dias, Ele entrou naquele dia no segundo compartimento daquele santuário, e que Ele tinha uma obra a realizar no santíssimo antes de vir à Terra; que Ele foi às bodas ou, em outras palavras, ao Ancião de dias, para receber um reino, domínio e glória; e que devemos esperar Sua volta das bodas”. Ibidem pág. 79.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 2. Estudo em Conjunto da Escritura por Hirão Edson, Dr. Hahn, e O. R. L. Croiser. O Grupo foi levado à conclusão de que as duas fases do ministério no serviço do santuário terrestre eram um tipo do ministério de Cristo no santuário celeste. Portanto, os acontecimentos que deviam ocorrer em 22 de outubro de 1844, eram acontecimentos que teriam lugar no céu. Este estudo do grupo estendeu-se por um período de meses.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 18483. Publicação de Conclusões Colhidas do Estudoda Bíblia.Sentindo que tinham luz que ajudava aosdecepcionados adventistas, Edson, Crosier e Hahnpublicaram suas conclusões em Day-Down(Canandaigua, Nova York) no inverno de 1845 – 1846.Foram também tomadas providências para imprimir umartigo mais compreensivo do Day-Star (Cincinnati,Ohio), o qual apareceu como um “Extra”, datado de 7de fevereiro de 1846, sob título: “The Law of Moses”.Este conclusivo artigo escrito, que salientava a verdadedo santuário do ponto de vista de provasescriturísticas, chegou às mãos de muitos adventistas.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 1848Numa carta à Eli Curtis, em 24 de abril de 1847, EllenG. White declarou:“O Senhor mostrou-me em visão, há mais de um ano,que o irmão Croiser tinha a verdadeira luz quanto àpurificação do santuário, etc., e que era Sua vontade queo irmão C. escrevesse o ponto de vista que ele nos deuno Day-Star Extra, a 7 de fevereiro de 1846. Sinto-meplenamente autorizada pelo Senhor a recomendar esseExtra a todo santo”. E. G. White, A Word to the LittleFlock, pág. 12.Assim foi ratificada por visão a verdade do santuário,que bem antes da visão fora apresentada por HiramEdson, Crossier, Hahn, como resultado unicamente doseu estudo da Bíblia, bem antes do conhecimento davisão de Ellen G. White.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 As Conferências acerca do Sábado em 1848 É importante lembrar que durante o período inicial (1844 – 1848) os pioneiros estavam ligados por dois fortes laços: a experiência do desapontamento e a fé do iminente segundo advento de Cristo.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848Gradualmente outros traços da verdade foram sendodesdobrados diante deles, que por sua vez, eramproclamados a outros. O pastor José Bates liderava o ensinoda verdade sabática. Hiram Edson e seus companheirosdescobriram e estavam proclamando a verdade do santuário.À Ellen G. White, eram feitas divinas revelações, queestabeleciam confiança na direção de Deus no movimentoadventista. Havia também visões que enfrentavam erros efanatismos e outras que confirmavam e enriqueciam ospontos doutrinais básicosChegava o tempo da convergência dessas verdades numsó corpo de doutrina. Isto foi efetuado por volta de 1848,mediante uma série de conferências acerca do sábado.Cinco delas foram de valor particular no processounificador. Duas foram realizados em Rocky Hill(Connecticut) outras em Volney (New York), Port Gibson(New York) e Topsham (Maine). É importante notar-se o quefoi feito nestas reuniões, bem como a parte que E. G. Whiteteve nelas.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 Os que haviam sido levados a certas conclusões doutrinárias pelo estudo da Bíblia, apresentaram suas descobertas ao grupo de obreiros reunidos nestas conferências. Estavam unidos em alguns pontos, mas em outros eles a princípio tinham largas divergências de idéias. Numa das primeiras reuniões, “dificilmente dois concordavam. Cada um era firme em seus pontos de vista”. (Spiritual Gifts, vol. 2 pág. 97).
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 Nestas conferências, as doutrinas distintas foram novamente estudadas, e os vários pontos da verdade foram enfeixados em uma crença unida. Foi aí que foram lançados os fundamentos da doutrina adventista do 7º. Dia. E aí novamente Deus empregou o Espírito de Profecia para proteger e ajudar o Seu povo, dando uma ou duas visões em cada uma dessas conferências. Essas visões, todavia, não constituíam substituto para o estudo da Bíblia. E. White escreveu acerca dessas conferências:
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 1848“Muitos de nosso povo não compreendem quãofirmemente foi lançado o fundamento de nossafé. Meu esposo, o pastor José Bates, o PaiPierce, o pastor Edson e outros que eramperspicazes, nobre e sinceros, achavam-se entreos que, depois de 1844, investigaram a verdadecomo a tesouros escondidos.Reunia-me com eles, e estudávamos e orávamosfervorosamente. Muitas vezes ficávamos juntosaté tarde da noite, e por vezes durante a noiteinteira, orando por luz e estudando a Palavra”.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 1848“Repetidamente esses irmãos se ajuntavam paraestudar a Bíblia, de modo a saberem sua significação, eestarem preparados a ensiná-la com poder. Aochegarem, em seu estudo, ao ponto em que diziam:‘Não podemos fazer nada mais’, o Espírito do Senhorvinha sobre mim, eu era tomada em visão, e umaexplanação clara das passagens que vínhamosestudando me era concedida, com instruções quanto àmaneira por que devíamos trabalhar e ensinar comeficácia. Assim nos era dada luz que nos ajudava acompreender as Escrituras com relação a Cristo, Suamissão e Seu sacerdócio. Uma corrente de verdade quese estendia daquela época até ao tempo em quehavemos de entrar na cidade de Deus, foi-me tornadaclara, e dei aos outros a instrução que o Senhor mehavia dado”.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 1848“Durante todo esse tempo eu não podiacompreender o raciocínio dos irmãos. Minha menteestava por assim dizer trancada, e eu não podiacompreender o sentido das Escrituras queestávamos estudando. Isto era uma das maiorestristezas de minha vida. Eu me achei nesse estadode espírito até que todos os principais pontos denossa fé nos foram aclarados à mente, emharmonia com a Palavra de Deus. Os irmãos sabiamque, quando não estava em visão, eu não podiacompreender esses assuntos, e aceitaram como luzdiretamente do Céu, as revelações dadas”. Ellen G.White, Special Testimony, Série B, n0. 2, págs. 56 e57.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 A compreensão das doutrinas básicas (o 2º. Advento de Cristo, o sábado, as 3 mensagens angélicas, o ministério de Cristo no santuário celestial e a mortalidade da alma), a que se chegou durante as conferências de 1848 é essencialmente a mesma de hoje. Um sólido fundamento foi construído baseado nas Escrituras e os estudantes da Bíblia chegaram a interpretações corretas da Bíblia ajudados pelas revelações dadas a Ellen White.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 Esta jovem mulher teve uma parte importante em estabelecer a estrutura das doutrinas Bíblicas adotadas pelos pioneiros adventistas. O relatório deste período seria incompleto sem a menção das visões de William Foy e Hazen Foss. (Leia um resumo em E. G. White, Mensageira da Igreja Remanescente, págs. 65- 66).
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 1848William FoyWilliam Foy, membro da Igreja Batista do LivreArbítrio, estava se preparando para o ministério,recebeu duas visões em Boston, uma em 18 dejaneiro e outra em 04 de fevereiro de 1842. Naprimeira revelação, Foy viu a gloriosa recompensados fiéis e o castigo dos pecadores.Não sendo instruído para contar aos outros o quevira, ficou em silêncio Mas não teve paz de espírito.Na 2ª. visão ele testemunhou as multidões diante dojuízo celestial. Foi-lhe dito que contasse aos outros oque vira. Dois dias depois desta revelação o pastorde Boston lhe pediu que relatasse as visões.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I 1844 - 1848Embora fosse um excelente orador, ele relutou, temendo queo preconceito contra visões e o fato de ser mulato,dificultassem seu trabalho. Mas animado com o resultado doseu relatório na igreja de Boston, ele viajou três mesesrelatando a sua mensagem em auditórios superlotados.Próximo ao desapontamento de 1844 ele recebeu uma 3ª.visão na qual foram-lhe apresentadas 3 plataformas. Nãocompreendendo a visão à luz de sua fé na iminente volta deCristo, ele cessou sua obra pública.Quando Ellen Harmon relatou as suas primeiras visões, Foy ainterrompeu com um grito, exclamando que foi exatamente oque havia visto. Foy não viveu por muito tempo depois desteincidente.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 Hazen Foss Bem próximo ao desapontamento de 1844, Hazen Foss um jovem adventista talentoso, recebeu uma revelação de Deus acerca da experiência do povo do advento. Após o desapontamento foi-lhe pedido para contar o que vira. Mas isto ele não estava inclinado a fazer.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 Deus o advertiu sobre as conseqüências de sua recusa e foi-lhe dito que se recusasse, a luz, seria dado a outro. Alegando que havia sido enganado com o desapontamento decidiu não relatar as suas visões. Então, teve sentimentos estranhos e uma voz lhe disse: “Você entristeceu o Espírito Santo”.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 Horrorizado decidiu contar as suas visões, mas quando tentou fazê-lo a um grupo de crentes, ele não conseguiu lembrar-se e em desespero exclamou: “Foi-se, não consigo dizer nada e o Espírito do Senhor me abandonou”. Testemunhas descreveram esta reunião “como a mais terrível que já assistiram”.
    • O Chamado e Ministério Inicial ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I1844 - 1848 No início de 1845, quando Ellen Harmon relatou a sua 1ª. visão, ele reconheceu ser o mesmo que lhe fora revelado. Encorajou a Ellen para ser fiel, dizendo: “Eu creio que as visões são tiradas de mim e dadas a você. Não recuse obedecer a Deus, pois será perigoso para a sua alma. Sou um homem perdido. Você é escolhida por Deus; cumpra fielmente a sua obra, e a coroa que poderia ser minha será dada a você”. Se bem que Hazen Foss vivesse até 1893, nunca mais manifestou interesse em assuntos religiosos.
    • ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I Ministério Num Movimento em Crescimento 1849 - 1863
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 A Obra de Publicações
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863Pouco se havia feito no sentido das publicações.Agora, que os adventistas observadores do sábadose achavam de posse de bem definido corpo deverdades essenciais, para eles conhecidas como a“mensagem do terceiro anjo” ou “a verdadepresente”, era conveniente que eles dessem osdevidos passos para anunciarem essa mensagem aomundo.Pouco depois das conferências acerca do sábado,enquanto E. White estava em Dorchester,Massachusetts, em novembro de 1848, foi-lhe dadauma visão na qual lhe foi revelado o dever dos irmãosde publicarem a luz que receberam.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863“Ao sair da visão, eu disse ao meu marido: tenho umamensagem para você. Você deve começar a imprimir umpequeno jornal e enviá-lo ao povo. Pequeno no começo,mas ao povo lê-lo, enviarão recursos para imprimi-lo eserá um sucesso desde o começo. Deste pequenocomeço foi-me mostrado que se tornarão como raios deluz ao redor do mundo”. Life Scketches, pág. 125.Nos oito meses seguintes Tiago pensou em trabalhar nocampo de feno a fim de conseguir os meios para aimpressão. Porém, foi mostrado a Ellen White que seumarido “devia escrever, escrever, escrever, e andar pelafé”. Ibidem, pág. 103.No verão de 1849, Tiago White teve a convicção de que otempo de seguir a instrução da visão chegara.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863O primeiro número de “Present Truth” (Verdade Presente)publicado em Middletown, Connecticut, em julho de 1949,foi amplamente enviado aos adventistas.Em harmonia com a predição da visão de que o jornalreceberia apoio financeiro, escreve Tiago White:“Enquanto eu publicava os quatro primeiros números emConnecticut, os irmãos enviaram mais meios do que eranecessário para manter o jornal”. Ibidem. pág. 104Mais tarde, no outono, a publicação foi suspensa enquantoos Whites assistiram à reuniões.Quando Tiago recomeçou a publicação novamente, elepercebeu que o jornal não teve a aceitação como no início.Assim decidiu parar o projeto. Até José Bates odesencorajou de continuar a publicação.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 O jornal continuou e em adição, outro jornal, The Advent Review, foi publicado no verão de 1850. Em dezembro de 1850 o jornal foi aumentado e mudado o seu nome para Second Advent Review and Sabbath Herald (Revista do Segundo Advento e Arauto do Sábado), o qual tem continuado a ser publicado por 156 anos.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 Nas visões e instruções dadas a Ellen White através dos anos, encontramos a motivação que resultou na rede mundial de Casas Publicadoras que hoje fornecem livros, folhetos, periódicos em aproximadamente duzentas línguas.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863 Tiago EdsonOutro evento importante que ocorreu em 1849 no lardos White foi o nascimento do segundo filho, TiagoEdson, em 28 de julho de 1949.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863Os Whites eram pais normais em seu amor ecuidado de seus filhos. Foi uma experiênciadolorosa para eles ter que deixar os pequenosenquanto cumpriam numerosos compromissos comos grupos de crentes em diversos lugares.Numa ocasião, depois de uma extensa ausência decasa, ela escreveu um incidente que bem refleteseus sentimentos: “O meu pequeno está comigo;ele me reconheceu ao chegar em casa. Eu estiveausente por dois meses. Ele primeiro olhou-me, eentão estendeu os seus bracinhos ao redor do meupescoço”. E. G. White, Carta 8, 1850.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863Primeiros LivrosDurante estes anos iniciais as mensagens de Ellen Whiteeram enviadas ao grupo de crentes ainda não organizados,na forma de cartas particulares e artigos na The PresentTruth. Nenhum livro seu tinha sido publicado. O primeirolivro, de 64 páginas, saiu em 1851, sob o título, A Sketch ofthe Christian Experience and Views of Ellen G. White.Views significava as visões que haviam sido dadas a ela.Este livro agora compõe a primeira parte do livro PrimeirosEscritos. Quatro anos depois, foi impresso o primeiro deuma série de panfletos, intitulado Testimony for the Church.Num tempo apropriado, estes foram ajuntados, republicadoseventualmente alcançaram a sua forma presente nos novevolumes dos Testemunhos para a Igreja.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 Mudança para Battle Creek
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863O casal White mudava-se freqüentemente de um lugarpara outro. Durante os primeiros anos eles saíram deGorham, Portland, e Topshcm, em Maine. Então trêsmeses ficaram em Rocky Hill (Connecticut), e seismeses em Oswego (New York). De lá foram paraAuburn (New York) e depois para Paris (Maine) eSaratoga Springs (New York) e finalmente paraRochester (New York), onde realizaram o projeto depublicação por 3 anos. Em 1855 eles se mudaram paraBattle Creek (Michigan) onde o escritório depublicações permaneceu por 48 anos. As mudançassempre foram causadas por interesses da obra. EllenWhite descreveu algumas de suas atividades enquantoviviam em Rochester que bem refletem o padrão detodo o período.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863“De tempos em tempo nós saíamos para assistirConferências em diferentes partes do campo. Meumarido pregava, vendia livros e trabalhava paraampliar a circulação do jornal. Nós viajávamoscom meio de transporte particular, e parávamosnosso cavalo à beira do caminho para comer onosso lanche. Então com papel e caneta, sobre atampa da nossa caixa de lanche ou no topo doseu chapéu, meu esposo escrevia artigos para aReview e Instructor. O Senhor grandementeabençoou nosso trabalho e a verdade alcançoumuitos corações”. Testimonies vol 1 pág. 91
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863A mudança para Battle Creek foi um marco nodesenvolvimento do movimento do advento. Pelaprimeira vez estabeleceu-se uma sede permanente.Um prédio foi construído para a Casa Publicadora esuporte financeiro foi prometido. Os crentes da cidadeajudaram os Whites adquirir o terreno e construir umacasa, que se tornou o lar do casal nos próximos 17anos.Considerando que o centro da obra agora estava emMichigan, tornou-se possível aos Whites dar maisatenção ao trabalho no Centro-oeste. De maneira quese dirigiram aos estados de Illinois, Iowa e Ohio.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 Visão do Grande Conflito Foi durante uma viagem à Ohio em 1858 que E. White recebeu à visão do grande conflito entre Cristo e Satanás
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863No dia 14 de março de 1858, Tiago White estava dirigindo umserviço fúnebre no edifício escolar em Lovett´s Grove. Aseguir ao sermão de seu esposo, a sra Ellen G. White dissealgumas palavras de conforto aos enlutados. Enquanto elafalava, foi tomada em visão e por duas horas, durante asquais a congregação permaneceu no edifício, o Senhor, pordivina revelação, desenrolou diante dela muitos assuntos deimportância para a igreja. A esse respeito ela escreveu:“Na visão de Lovett´s Grove, a maior parte da matéria que euvira dez anos atrás quanto ao grande conflito dos séculosentre Cristo e Satanás, foi repetida e fui instruída a escrevê-la. Foi-me mostrado que, ao passo que eu teria de contendercom os poderes das trevas pois Satanás faria vigorososesforços para me impedir, devia não obstante por minhaconfiança em Deus, e os anjos não me abandonariam noconflito”. Life Sketches of Ellen G. White, pág. 162.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 No dia seguinte, Tiago e Ellen G. White viajaram para casa. No trem, recapitulavam as recentes experiências por que haviam passado, e combinavam os planos quanto a escrever a visão, e publicar a parte relativa ao grande conflito. Isto, foi resolvido, seria o primeiro trabalho da sra. Ellen G. White depois de chegar à casa.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 Mal sabiam eles a ira de Satanás por causa desta revelação de seu caráter e ardis, ou a intensidade de sua determinação de entravar os planos para escrever e publicar o livro proposto. Chegando a Jackson, Michigan, de caminho para Battle Creek, eles visitaram seus velhos amigos no lar de Daniel R. Palmer. Por esta época a sra. Ellen G. White estava de regular saúde, e o seguinte incidente, segundo foi relatado em suas próprias palavras, veio como uma completa surpresa:
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 “Enquanto eu conversava com a irmã Palmer, minha língua recusou- se a emitir o que eu desejava dizer, e parecia grande e entorpecida. Uma estranha sensação de frio me tomou o coração, passou-me pela cabeça, e desceu-me pelo lado direito. Por algum tempo, fiquei insensível, mas fui despertada pela voz de fervorosa oração. Procurei usar meus membros esquerdos, porém estavam de todo inúteis”. Ibidem
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 Ao lembrar-se que este era o terceiro ataque de paralisia que experimentava, a sra Ellen G. White perdeu por algum tempo a esperança de se restabelecer; mas em resposta às contínuas e ferventes orações dos irmãos, as forças lhe foram parcialmente restauradas, e ela foi habilitada a prosseguir na viagem para casa. Se bem que sofrendo intensamente em conseqüência desse ataque, ela começou a delinear as cenas do grande conflito, segundo lhe haviam sido reveladas. A este respeito escreveu ela:
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 “A princípio, eu não podia escrever senão uma página por dia, descansando depois por três dias; mas à medida que ia avançando as forças aumentavam. O adormecimento na cabeça não parecia toldar-me a mente, e antes de eu terminar aquele trabalho (Spiritual Gifts, vol. 1), o efeito do ataque me havia deixado por completo”. Idem, pág. 163.11 Quando ela estava terminando o trabalho do manuscrito para o livro, em junho de 1858, a sra Ellen G. White recebeu esclarecimento quanto a que se passara com ela em casa do irmão Palmer, e diz relativamente a isso:
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 “Foi-me mostrado em visão que no súbito ataque em Jackson, Satanás intentava tirar- me a vida, a fim de impedir a obra que eu estava para escrever; porém anjos de Deus foram enviados em meu socorro”. Ibidem. Em setembro daquele mesmo ano de 1858, foi anunciado que o Spiritual Gifts – The Great Controversy Between Christ and Satan (Dons Espirituais – O Grande Conflito entre Cristo e Satanás), estava pronto para disseminação. Suas 219 páginas tocavam apenas brevemente os pontos altos da história do conflito. Esta primeira obra, Spiritual Gifts, vol. 1, está ao alcance de todos, pois constitui a seção Dons Espirituais, vol. 1 do livro Primeiros Escritos, págs. 129 – 295.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 Desenvolvendo Um Sistema de Organização
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863Ligado ao crescimento da obra de publicações nesteperíodo, havia o crescente senso da necessidade dealgum tipo de organização através do qual todos osaspectos do movimento pudessem ser dirigidos. Pelofato de todos estarem empenhados na propagação damensagem, pouca atenção se deu à necessidade pororganização.De 1844 – 1849, praticamente era impossível alcançaroutros fora do círculo dos crentes. O desapontamentoestava na lembrança de todos. Além disso, os crentesainda não tinham compreendido a sua responsabilidadede alcançar os outros com a mensagem.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863Depois de 1849 as portas começaram a se abrir esurgiram grandes oportunidades de levar amensagem. Mas não havia organização ou plano paraa propagação da mensagem. Outro fator complicou asituação. Muitos pregadores Mileritas criam que nãodevia-se formar uma nova organização, pois temiamque qualquer nova instituição se tornaria parte deBabilônia e o chamado era de sair de Babilônia.Parece que esta idéia predominava entre eles.Por outro lado, a medida que o movimento crescia, onúmero de razões para se ter uma organização semultiplicava. Uma visão de E. White em 24 dedezembro de 1850 focalizou essa necessidade:
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863“Vi quão grande e santo era Deus. Disse o anjo:‘Andai cuidadosamente diante dEle, pois é alto esublime, e o séqüito de Sua glória enche otempo’. Vi que tudo no Céu estava em perfeitaordem. Disse o anjo: ‘Olhai, Cristo é a cabeça,procedei com ordem, procedei com ordem.Tende uma significação para tudo’. Disse o anjo:‘Contemplai e conhecei quão perfeita, quão belaa ordem no Céu; segui-a.’ ”. E. G. White MS. 11,1850. Dezembro de 1850.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 Um dos passos nesta direção foi tomado na assembléia geral realizada em Washington (New Hampshire) iniciada em 31 de outubro de 1851. Surgiram problemas com alguns que apresentavam pontos de vista fantasioso em torno de profecias por cumprir-se, que causaram discórdia entre os irmãos. Note a instrução que inspirou a convicção crescente de que devia haver um sistema de ordem eclesiástica para enfrentar as necessidades práticas. Tiago White relata a história:
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863“A preocupação da assembléia era a ordemeclesiástica, indicando os erros de .... e .... e aimportância da ação da igreja quanto à direção dealguns irmãos. Ellen teve uma visão. Viu que odesagrado de Deus estava sobre nós como um povoporque o anátema se achava no acampamento, isto é,havia erros entre nós, e que a igreja precisava agir; e aúnica maneira de fazer bem aos irmãos... e ... eraretirar-lhes a qualidade de membros em sua atualposição. Todos agiram segundo a luz concedida.Todos aceitaram a visão, e mesmo individualmente,todos ergueram a mão para retirar deles a comunhãode membros”. Carta de Tiago White, 11 de novembro de1851. Record Book, 1, págs. 162 e 163.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 Relatando sobre a Assembléia Geral na Review and Herald de 25 de novembro de 1851, Tiago declara que “foi escolhida uma comissão de sete para atender às necessidades dos pobres, em harmonia com Atos cap. 6”. Na seguinte Assembléia Geral, que começou a 7 de novembro de 1851, a mesma Review dá o seguinte relatório:
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863“Foram considerados também a ordem evangélica e aperfeita união entre os irmãos, especialmente entre os quepregam a Palavra, e todos pareceram sentir a importânciade seguir nosso guia perfeito, a Bíblia, tanto nessesassuntos como em todos os outros”. Ibidem pág. 163.Levou tempo a induzir os crentes em geral a apreciarem asnecessidades e o valor de um sistema de ordemeclesiástica. De maneira que não foi senão uma décadadepois que foram dados passos mais amadurecidos para aorganização da igreja.Indubitavelmente um fator de primeira importância emlevar os esforços a darem resultados, foi umcompreensivo artigo intitulado: “Ordem Evangélica”,publicado no segundo folheto de Ellen G. White, emjaneiro de 1854.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863“O Senhor me tem mostrado que a ordem evangélicatem sido demasiado negligenciada e temida. Que sedeve evitar a formalidade; mas, que assim fazendonão se deve negligenciar a ordem. Há ordem no Céu.Havia ordem na igreja quando Cristo estava na Terra;e após Sua partida foi estritamente observada ordementre Seus apóstolos. E agora, nestes últimos dias,enquanto Deus está levando Seus filhos à unidade dafé, há mais necessidade real de ordem do que nuncadantes”. Supplement to Christian Experience andViews of Ellen G. White, 1 de janeiro de 1854, pág. 15A citação acima se encontra agora no livro PrimeirosEscritos pág. 97.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863Após este chamado “Ordem Evangélica”, o artigo tratacom problemas de obreiros não habilitados enviados aocampo, a responsabilidade da igreja, o exemplo da igrejaprimitiva, o tipo de homens necessitados ao ministério, e anecessidade de penetrar em novas áreas.Alguns anos se passaram antes que a atual organizaçãofoi desenvolvida, mas a instrução dada através de EllenWhite já tinha focalizado a atenção para esta necessidadee mostrado a atitude de Deus em favor de umaorganização.Na primavera de 1863, igrejas de vários estadosresponderam favoravelmente ao conselho e se unirampara formar as Associações Estaduais. Elegeram líderespara dirigir os trabalhos em cada Associação.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863Então a Associação de Michigan convidou as outrasAssociações para enviar delegados para umaAssembléia Geral em Battle Creek. A data combinadafoi 20 - 23 de maio de 1863. Nesta sessão, aConferência Geral dos Adventistas do Sétimo Dia foiformada e aceitou-se a sugestão do nome Adventistado Sétimo Dia, feita anteriormente numa reunião emBattle Creek, em 1860. Assim a longa luta de trazer aordem do caos produziu o seu resultado. Deus indicouque devia estabelecer e manter uma organização, masnão revelou como deveria ser alcançada e nemmostrou o tipo que devia ser. Isto foi deixado para quehomens piedosos, sob oração, recebessem asabedoria para estabelecê-la.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863Raramente Deus prescreveu detalhes de um padrãoespecífico que deveria ser seguido. Princípios foramdados, que se seguidos, levariam a resultados práticose factíveis.Os testemunhos de Ellen G. White não foram dedicadosinteiramente para guiar o desenvolvimento da igreja esua obra. Freqüentemente havia necessidade deadmoestações e reprovações a serem dadas e medidasde sugestões sugeridas. Seu testemunho para a igrejaera de natureza de admoestação geral para a igreja epara os ministros em particular.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 Os Reclamos de Ellen G. White Como entendia E. G. White a natureza do trabalho que lhe fora confiado por Deus? O que ela reclamava acerca de si mesma e de sua obra? Ao descrever a sua primeira visão, Ellen White disse: “Sendo que Deus me tem mostrado as jornadas do povo do advento para a cidade Santa.... pode ser de meu dever dar-vos um breve esboço do que Deus me tem revelado”. Primeiros Escritos pág. 13, 14.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 Repetidamente através dos seus escritos aparecem tais expressões como: “Eu vi”, “O Senhor me mostrou”, e “Foi-me mostrado”, indicando que ela reclamava receber revelações sobrenaturais de Deus, as quais ela cria ter o dever de transmitir aos indivíduos, grupos, igrejas, ou para a igreja como um todo. Ela relatou um grande número de visões e sonhos que teve e deu instruções específicas enviadas por Deus para guiar o povo do advento.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 Na introdução de um de seus livros de maior circulação ela informa a fonte de sua informação. “Mediante a iluminação do Espírito Santo, as cenas do prolongado conflito entre o bem e o mal foram patenteadas á autora destas páginas. De quando em quando me foi permitido contemplar a operação, nas diversas épocas, do grande conflito entre Cristo, o Príncipe da vida, o Autor de nossa salvação, e Satanás, o príncipe do mal, o autor do pecado, o primeiro transgressor da santa lei de Deus”. G. C. pág. 10.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 “À medida que o Espírito de Deus me ia revelando à mente as grandes verdades de Sua Palavra, e as cenas do passado e do futuro, era-me ordenado tornar conhecido a outros o que assim fora revelado – delineando a história do conflito nas eras passadas, e especialmente apresentando-a de tal maneira a lançar luz sobre a luta do futuro, em rápida aproximação”. G. C. pág. 11.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 Pelo fato de haver recebido tantas revelações e mensagens, que posição ela reclamava ter? “Não tenho nenhum pretensão” escrevia Ellen G. White em 1896, “somente que fui instruída de que sou a mensageira do Senhor; de que Ele me chamou na minha mocidade para ser Sua mensageira, para receber Sua palavra e para dar uma mensagem clara e determinada no nome do Senhor Jesus”. Review and Herald, 26 de julho de 1906.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863Diante dessa declaração, levantou-se posteriormenteum debate sobre se ela era ou não uma profetiza.“Ela própria, diante de um grande ajuntamento emBattle Creek, expôs que sua obra compreendia muitomais que a de uma profetisa, e nessa ocasião afirmara:‘Não pretendo ser uma profetisa’. E no debate sobresua obra, continua ela no artigo da Review:“Ainda em minha mocidade, várias vezes fui inquiridacom esta pergunta: Sois uma profetisa? Semprerespondi: Sou a mensageira do senhor. Sei que muitosme chamam profetisa, porém jamais reclamei estetítulo. Meu Salvador, declarou que sou Suamensageira”.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863“’Tua obra’, instruiu-me Ele, ‘é levar a Minha palavra.Surgirão coisas estranhas, e na tua mocidade te separeipara levar a mensagem aos que erram, levar a palavra aosdescrentes, e mediante a pena e a voz reprovar pelaPalavra os atos que não são corretos. Exorta pelaPalavra...“Não temas o homem, porque Meu escudo te protegerá.Não és tu quem fala; é o Senhor quem dá mensagens deadvertência e reprovação. Não te apartes da verdade, sobnenhuma circunstâncias. Transmite a luz que te darei. Asmensagens para estes últimos dias devem ser escritas emlivros e devem ser perpetuadas para testificar contra osque uma vez se regozijaram na luz, mas que foramlevados a abandoná-la por causa das sedutorasinfluências do mal”.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – I em Crescimento 1849 - 1863“Por que não pretendi ser uma profetisa? – Porquenestes dias, muitos que ousadamente pretendem serprofetas são um vitupério para a causa de Cristo; eporque minha obra inclui muito mais do que significa apalavra “profeta”.“Ter a pretensão de ser uma profetisa é algo quejamais fiz. Se outros assim me chamam, não entro emcontrovérsia alguma com eles. Minha obra, porém, temabrangido tantos aspectos que não posso denominar-me outra coisa a não ser uma mensageira, enviada adar a mensagem do Senhor a Seu povo, e assumirtrabalho em qualquer setor que Ele determinar”.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 A obra de um profeta, no conceito popular, era limitada ao significado de predizer o futuro. Mas, no conceito bíblico este era apenas um aspecto de seu trabalho. A sua função era mais ampla. Inclui qualquer espécie de mensagem (reprovação, admoestação ou ensino) ou ação por parte daquele que se apresenta como um mensageiro de Deus ao povo. A palavra no original hebraico é “Nabi” que quer dizer aquele que é a “boca de Deus”.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 No conceito popular, nos dias de Ellen G. White, o termo não só tinha um sentido limitado como também estava em descrédito devido aos falsos profetas. Então Deus usou uma abordagem mais adequada para as mentes das pessoas com quem trataria. Por isso usou outra palavra com o mesmo sentido que facilmente podia ser compreendido e não estava desacreditado.
    • Ministério Num Movimento ELLEN G. WHITE E SUA OBRA – Iem Crescimento 1849 - 1863 Ellen G. White não se considerava um líder da igreja. Na realidade, ela nunca ocupou uma posição oficial na igreja. Sua obra era receber mensagens de Deus e então, no tempo apropriado e na maneira adequada, por inspiração do Espírito Santo, ela transmitiria a quem devido. Esta função ela realizou por mais de setenta anos. E deve ser conservado em mente ao se considerar sua vida e obra na Igreja Adventista do Sétimo Dia.