09 h45 3a. 28.07 frederico duraes (noticias banner)

465 views
389 views

Published on

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
465
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
51
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

09 h45 3a. 28.07 frederico duraes (noticias banner)

  1. 1. Focando em soluções: da biomassa à energia Diversificação e Fontes Alternativas de Matérias-Primas: Matérias- óleos e biodiesel Frederico O. M. Durães Chefe-Geral Embrapa Agroenergia In: 2011 Biodiesel Congress. Beyond B5. São Paulo, SP, 28Jul./2011 (www.biodieselcongress.com.br)
  2. 2. CONTEÚDO . Visão Agrícola e Industrial da Agroenergia -Arranjos (institucionais, técnico-científicos, produtivos) . Gargalos biodiesel (desafios técnico-científicos e M-P) . Matérias-Primas (domínio e não-domínio tecnológico) Aumentar a Oferta de Óleos e Gorduras com Sustentabilidade: Matérias-primasCom Domínio Tecnológico Sem Domínio TecnológicoAções de Fortalecimento de Ações de Pesquisa,Cadeia Produtiva Desenvolvimento e Inovação• Palma de Óleo (Dendê) • Palmeiras Oleíferas Brasileiras• Canola • Pinhão-Manso (Jatropha curcas L.)• Girassol SP-SP, 28Jul2011 (09h00-10h00) Diversificação e Fontes Alternativas de Matérias-Primas . A importância das alternativas à soja• Mamona . Iniciativas do governo: O que está sendo feito a respeito do cultivo de outras oleaginosas? . Quais são as commodities que podem seguir o caminho da soja? . Pesquisas e progressos da Embrapa• Amendoim . Iniciativas que estão dando certo . Quais são as últimas novidades em matérias-primas alternativas? Algas, Gordura Animal, Esgoto, Açúcar
  3. 3. Desenvolvendo oleaginosas alternativas:- plantas que se destacam; - iniciativas colocadas em prática; - importância das alternativas a soja; - particularidades de cada região. MP – Matéria-Prima SP – Sistema de Produção UI - Unidade Industrial BAG-espécie BPA-manejo UI-processo conversão teor de óleo produção de óleo extração de óleo conteúdo: (% ou kg / kg) conteúdo: (kg ou l / kg ou área) conteúdo: (kg ou l / kg) 20-22% 18-20% 42% 38% l óleo / t produto, l óleo / t produto, l óleo / ha l óleo / ha f (espécie/genótipo/cultivar) f (genótipo*ambiente) f (método*taxa de extração-conversão) Visão agrícola ARRANJOS (institucionais, técnico-científicos, produtivos) Visão industrial Perfil de ácidos graxos Rotas, processos, utilidades
  4. 4. Biodiesel: matérias-primas, óleos, resíduos (e afins)Oportunidades e Riscos - Necessidades Áreas estratégicas para PD&I em Biodiesel
  5. 5. 0,225 M t *(0,225 M t)
  6. 6. Matérias-primas para Biodiesel• Soja Em uso• Mamona• Girassol• Algodão• Dendê (Elaeis guineensis e oleifera)• Pinhão Manso (Jatropha curcas L.)• Macaúba (Acrocomia spp)• Amendoim• Canola• Babaçu (Orbignya phalerata)• Buriti Em avaliação• Óleos residuais• Gordura animal (sebo)• Nabo forrageiro• Crambe• Sésamo• Inajá (Maximiliana maripa (Aublet) Drude• Linhaça (semente)• Pequi• Tucumã (Astrocaryum spp)• Resíduos industriais• Tungue
  7. 7. Programa Biodiesel Brasil 10 Anos Considerações sobre o esforço correnteOs desafios nacionais na área da produção de alimentos,biomassa energética e de florestas (fibras/papel/celulose)são focados em cinco dimensões: econômico, social,ambiental, inserção regional e globalização.O programa biodiesel necessita incorporar plenamente adimensão energética (produção de energia renovável, combase em biomassa).Decididamente, o Brasil necessita consolidar o programabiodiesel em 10 anos. O ordenamento e gestão territorial,matéria-prima, logística agrícola-industrial, arranjos . Soja e outras espécies, com domínio tecnológico (girassol, mamona, algodão, amendoim, canola, ...). . Gorduras animais (sebo, gorduras de suinos e aves).produtivos regionais serão elementos definidores do êxito . Extrativismo sustentável de espécies nativas (p.ex., palmeiras oleíferas) para ingresso de novasdeste programa. matérias-primas, não erosão genética e busca de variabilidade genética, domesticação e cultivares comerciais para novos sistemas produtivos sustentáveis).
  8. 8. Canola, Canadian oil low acid (Brassica napus L.)59,1 mil ha (RS e PR, MS, MG, SC)Rendimentos (Kg/ha de óleo):. Etapa de adaptação: alvo de 1.800. Melhores lavouras: até 2.400. Após domínio tecnológico: 4.50043% óleo na sementePrós:- Nichos regionais para desenvolvimento agroindústria- Óleo de canola: alimento funcional . apenas 7% de ácidos graxos saturados (reduz mau colesterol) . > 60% de ác. graxos monoinsaturados (reduz risco de cardiopatias) . vitamina E e ácidos graxos essenciais (p.ex., Ômega 3)- Demandas PNPB (mais óleos e biodiesel especificado)Desafios:. Genética e cultivares adaptadas. Acordos cooperação: matéria-prima e indústria
  9. 9. Palma de Óleo (Dendê) Dendê: Elaeis guineensis (Jacq.)4.000 litros óleo/ha70,0 mil ha (atual), 350 mil e 1 milhão de ha (incremental)Espaçamento 9m x 8m ≅ 140 plantas por haPrós:- domínio tecnológico- alta produtividade- subprodutosOportunidades: PNA 2006-2011- Zondendê (PP)- Germoplasma (PPP)Contras: - Alta exigência hídrica e de luminosidade - Amarelecimento Fatal, AF - Aspectos Fundiários - Legislação Florestal/Ambiental
  10. 10. Macaúba: Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. ex Mart.3.500 litros óleo/ha11,5 milhões de haespaçamento 8m x 6m ≅ 200 plantas por hasafra: de junho a março (região de Brasília-DF) (*)Prós:- ápto a regiões onde o dendê não pode ser cultivado- alta rusticidade e produtividade- possibilidade de extrativismo sustentável- subprodutos (*) frutificação ocorre durante todo o ano e o frutos amadurecem, principalmente, entre setembro e janeiro- (Lorenzi, 2006).Contras:- dificuldades de colheita, sazonalidade e maturação irregular dos frutos no cacho- necessidade de processamento rápidoY = 5 t de óleo (oléico-palmítico) e 1,4 t de óleo (laúrico), com 200 plantas/ha (Lleras & Coradin, 1985).
  11. 11. Pré-Melhoramento de Palmeiras, p.ex., Macaúba (Acrocomia aculeata)
  12. 12. Melhoramento Genético de Palmeiras, p.ex., Macaúba (Acrocomia aculeata)
  13. 13. Pinhão-Manso: Jatropha curcas (L.)1.500-2000 litros óleo/ha 34-40% conteúdo óleo30-50 mil ha (?) 6 a 9 m2/plantaespaçamento 4m x 2m ≅ 1.250 plantas por haPrós:- rusticidade - longevidade- precocidade - qualidade do óleo- produtividade - facilidade de prensagem- adaptabilidadeContras: (falta domínio tecnológico)- genética e cultivares - fator toxidez semente (66% de cascas) amêndoa (50% de óleo, extração-hexano ou éter de petróleo; e, 35% extração-prensagem)- colheita (desuniforme) produtividade da cultura (8.000 kg de sementes/ha ≅ 3990 kg de óleo/ha - estimado)
  14. 14. MATÉRIA-PRIMALinhas de pesquisa: zoneamento pedoclimático;variedades vegetais e oleaginosas; economia emodelagem de sistemas; processamento etransformação; algas e microorganismos; etc. Ações em Destaque: 1. Encomenda MCT/FINEP (Embrapa Agroenergia) – Pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) em pinhão-manso (Jatropha curcas L.) para a produção de biodiesel - Investimento de R$ 7 milhões; 2. Edital MCT/CNPq 2008 – Oleaginosas de Ciclo curto de desenvolvimento como fonte de matéria-prima para o biodiesel – Investimento de 4,5 milhões; 3. Encomenda MCT/CNPq/MPA 2008 – Aqüicultura e Uso de Microalgas para a produção de matéria-prima para o biodiesel -– Investimento de 6 milhões. Fonte: slide preparado para Audiência Pública Biodiesel PR/Casa Civil, Jun 2011
  15. 15. Focando em soluções: da biomassa à energia OBRIGADO ! GRACIAS ! THANKS ! Embrapa Agroenergia (www.cnpae.embrapa.br, Telefone: +55 61 3448-4246) F.O.M.Durães, Embrapa Agroenergia 27/Outubro/2010

×