Gestao de Midias Digitais

  • 405 views
Uploaded on

Core business X The next big thing : A escolha, adoção e gestão de novas tecnologias e a importância de integrá-las com as estratégias de marketing digital. …

Core business X The next big thing : A escolha, adoção e gestão de novas tecnologias e a importância de integrá-las com as estratégias de marketing digital.

Esta palestra faz parte do curso Gestão de Mídias Digitais da Escola São Paulo

More in: Internet
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
405
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3

Actions

Shares
Downloads
26
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Gestão de Mídias Digitais TECNOLOGIAS DIGITAIS Fábio Flatschart @fabioflat Fábio Flatschart | www.flatschart.com
  • 2. flatschart.com Fábio Flatschart | www.flatschart.com
  • 3. Core business X The next big thing A escolha, adoção e gestão de novas tecnologias e a importância de integrá-las com as estratégia de marketing digital Fábio Flatschart | www.flatschart.com
  • 4. Core business X The next big thing 1. Analógico e Digital 2. Infraestrutura 3. Abertas e Proprietárias 4. Gestão e Concepção 5. Agilidade 6. Presente e Futuro Fábio Flatschart | www.flatschart.com
  • 5. 1. Analógico e Digital Fábio Flatschart | www.flatschart.com
  • 6. Analógico e Digital | Conceitos Fábio Flatschart | www.flatschart.com
  • 7. Analógico e Digital | Conceitos A D Estabelece uma comparação (analogia) direta com o objeto ao qual ele representa Estabelece uma relação de codificação e decodificação baseada em sistemas numéricos (digitais) com o objeto ao qual ele representa digitus > dedo sistema de numeração > decimal > binário > outros Fábio Flatschart | www.flatschart.com
  • 8. Analógico e Digital | Reflexão A construção do mundo digital, binário e conectado não é feita a partir de um reset do velho mundo analógico, é embasada no resultado de milênios de experiência investigativa conduzida à duras penas pelos nossos antepassados. Falar em revolução digital tinha sentido para aqueles que nasceram no mundo analógico e acompanharam a transição dos átomos para os bits, do VHS para o DVD, do vinil para o iPod. Que sentido tem falar em revolução digital para a geração que nasceu após 1990 e não conheceu o mundo sem WEB, MP3 & afins? Fábio Flatschart | www.flatschart.com
  • 9. Analógico e Digital | Provocação Fábio Flatschart | www.flatschart.com
  • 10. Analógico e Digital | Provocação Core Business X Next Big Thing A Amazon prioriza entrega rápida, grande variedade, política amigável de devolução e preços acessíveis. A Nintendo foi criada por Fusajiro Yamauchi em 1889 e fabricava cartas de um tipo de baralho tradicional japonês chamado Hanafuda. Fábio Flatschart | www.flatschart.com
  • 11. Analógico e Digital | Consulta & Pesquisa Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação é o departamento do NIC.br responsável pela coordenação e publicação de pesquisas sobre a disponibilidade e uso da Internet no Brasil. Esses estudos são referência para a elaboração de políticas públicas que garantam o acesso da população às Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs), assim como para monitorar e avaliar o impacto socioeconômico das TICs. http://www.cetic.br Fábio Flatschart | www.flatschart.com
  • 12. Discussão Fábio Flatschart | www.flatschart.com
  • 13. Analógico e Digital | Leituras Os luditas e os gurus da tecnologia http://imasters.com.br/tecnologia/os-luditas-e-os-gurus-da-tecnologia NEGROPONTE, Nicholas. A vida digital. 2 a. edição. São Paulo: Companhia das Letras, 2001. PALFREY, John and GASSER,Urs. Born Digital: Understanding the First Generation of Digital Natives. Basic Books, 2008 BRIGGS, Asa. Uma História Social da Mídia: De Gutenberg à Internet. Rio de Janeiro: Editora Jorge Zahar, 2004. JOHNSON, Steven. Cultura da interface: como o computador transforma nossa maneira de criar e comunicar. Rio de Janeiro. Editora Jorge Zahar, 2001 Fábio Flatschart | www.flatschart.com
  • 14. 2. Infraestrutura
  • 15. Infraestrutura | Cloud Cloud computing é um estilo de computação onde recursos escaláveis e flexíveis de TI são fornecidos como um serviço para os clientes usando tecnologias de Internet Key Attributes Distinguish Cloud Computing Services, March 2009. David W. Cearley and David Mitchell Smith, Gartner.
  • 16. Custo Agilidade Segurança Flexibilidade Escalabilidade Infraestrutura | Cloud Nuvem
  • 17. Infraestrutura | Cloud Hospedagem de aplicativos Backup e armazenamento Distribuição de conteúdo Hospedagem Web TI Corporativa Banco de Dados http://aws.amazon.com/pt
  • 18. Infraestrutura | Cloud https://cloud.google.com Google Cloud Platform
  • 19. Infraestrutura | Big Data “A Ciência da Informação que é uma área interdisciplinar que trata desde a construção do conteúdo informacional, da origem, produção, coleta, seleção, interpretação, da sua compreensão, de suas propriedades, do seu comportamento, organização, armazenamento, transformação, tratamento, filtragem, fluxo, mediação, representação, de sua comunicação, disseminação, transmissão, de seu acesso e acessibilidade, de sua recuperação, uso e usabilidade levando em consideração também os aspectos tecnológicos no tratamento destas questões” CUSIN, C. A. Acessibilidade em ambientes informacionais digitais. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2010.
  • 20. Infraestrutura | Big Data • Informação-como-processo: ao se informar alguém, seus conhecimentos são modificados. Assim, informação é o ato de informar; • Informação-como-conhecimento: para se denotar o que se é compreendido na informação-como-processo, usa-se o termo informação. Também pode ser dito que a informação-como- conhecimento é aquela que reduz a incerteza; • Informação-como-coisa: o termo informação é também atribuído para objetos, dados e documentos. BUCKLAND, Michael K. Information as thing. Journal of the American Society for Information Science (JASIS), 1991.
  • 21. Infraestrutura | Big Data • Eficácia: lida com a informação relevante e pertinente para o processo de negócio bem como a mesma sendo entregue em tempo, de maneira correta, consistente e utilizável; • Eficiência: relaciona-se com a entrega da informação através do melhor (mais produtivo e econômico) uso dos recursos; • Confidencialidade: está relacionada com a proteção de informações confidenciais para evitar a divulgação indevida; • Integridade: relaciona-se com a fidedignidade e totalidade da informação bem como sua validade de acordo os valores de negócios e expectativas; Texto do amigo Dr. Cesar Cusin
  • 22. Infraestrutura | Big Data • Disponibilidade: relaciona-se com a disponibilidade da informação quando exigida pelo processo de negócio hoje e no futuro; • Conformidade: lida com a aderência a leis, regulamentos e obrigações contratuais aos quais os processos de negócios estão sujeitos, isto é, critérios de negócios impostos externamente e políticas internas; • Confiabilidade: relaciona-se com a entrega da informação apropriada para os executivos para administrar a entidade e exercer suas responsabilidades fiduciárias e de governança. Texto do amigo Dr. Cesar Cusin
  • 23. Muitos dados armazenados Tempo de resposta rápido Big Data Infraestrutura | Big Data • Transformar rapidamente dados em informações estratégicas para gerar vantagem competitiva • Big Data é ciência 
  • 24. Infraestrutura | Big Data Y Y Y volume velocidade variedade
  • 25. Infraestrutura | Big Data | Leitura BYOD (Bring Your Own Device) http://www.ibm.com/midmarket/br/pt/articles_byod_como_comecar.html BYOC (Bring Your Own Cloud) http://www.tiespecialistas.com.br/2012/10/a-vez-do-byoc-bring-your-own-cloud Consumerização de TI http://www.microsoft.com/pt-br/windows/enterprise/customer-stories/consumerization-of-it.aspx A Toolkit to Support Federal Agencies Implementing Bring Your Own Device (BYOD) Programs http://www.whitehouse.gov/digitalgov/bring-your-own-device
  • 26. Discussão  O que hoje vemos de significado filtrado pelas redes sociais é apenas a crista da onda de dados, um oceano de informações está esperando para ser explorado.  Não é a toa que Big Data, Social Computing e Mobilidade nascem como palavras de ordem para esta segunda década do século XXI que tem como desafio transformar dados (commodities) em significados (conhecimento, produtos e serviços) Fábio Flatschart | www.flatschart.com
  • 27. 3. Abertas e Proprietárias
  • 28. Abertas e Proprietárias | Conceitos Abertas Proprietárias
  • 29. Abertas e Proprietárias | Conceitos Aberto ≠ Gratuito Ubiquidade Compatibilidade e Portabilidade Acessibilidade não é caridade Sustentabilidade Legado
  • 30. Abertas e Proprietárias | Leitura WILLIAMS, Anthony D. , TAPSCOTT, Don. Radical Openness: Four Unexpected Principles for Success.TED Conferences,2013
  • 31. Discussão O maniqueísmo tecnológico é medieval e macunaímico ! Fuja dele ! Fábio Flatschart | www.flatschart.com
  • 32. 4. Gestão e Concepção
  • 33. Gestão e Concepção | Paradigmas “O futuro não é um mundo maniqueísta com indivíduos usando o lado esquerdo ou lado direto do cérebro. Na era conceitual todos necessitamos dos dois hemisférios” Daniel Pink PINK, Daniel H. A Whole New Mind: Why Right-brainers Will Rule the Future.Riverhead Books, 2005
  • 34. Gestão e Concepção | Evolução Era Agrícola Era Industrial Era da Informação Era Conceitual PINK, Daniel H. A Whole New Mind: Why Right-brainers Will Rule the Future.Riverhead Books, 2005
  • 35. Gestão e Concepção | Evolução agricultores operários operários do conhecimento criativos & empathizers PINK, Daniel H. A Whole New Mind: Why Right-brainers Will Rule the Future.Riverhead Books, 2005
  • 36. Gestão e Concepção | Cenários Cenário dos 3As PINK, Daniel H. A Whole New Mind: Why Right-brainers Will Rule the Future.Riverhead Books, 2005 Abundância Automação Ásia
  • 37. Gestão e Concepção | Abordagens Gestalt Big Picture Metáfora Sistêmica Holística
  • 38. Gestão e Concepção | Estratégias Design Story SymphonyEmpathy Play Meaning PINK, Daniel H. A Whole New Mind: Why Right-brainers Will Rule the Future.Riverhead Books, 2005
  • 39. Gestão e Concepção | Leituras PINKER, Steven. Como a mente funciona. São Paulo: Companhia das Letras, 1999. PINK, Daniel H. A Whole New Mind: Why Right-brainers Will Rule the Future.Riverhead Books, 200 VIANNA,Maurício. Design thinking : inovação em negócios. Rio de Janeiro : MJV Press, 2012.  Artes Plásticas, Música, Literatura, Cinema, Teatro, Gastronomia, Esporte, Quadrinhos, Video Games 
  • 40. Discussão Músicos, sociólogos, designers, historiadores, jornalistas, físicos, biólogos, antropólogos, pedagogos, engenheiros, editores, diagramadores, atores, sonhadores, programadores e todos os demais seres humanos e exatos : Juntos fazemos sentido !
  • 41. 5. Agilidade
  • 42. Agilidade | Por que ? • A organização como um software : Editável, Compartilhável e Flexível • Paradoxo do mundo real ( o famoso isso não funciona ) • Não seguir um plano é perigoso, mas seguir cegamente um plano sem nenhuma relação com a realidade é desastroso • Tamanho não é documento
  • 43. Agilidade | Metodologia A Metodologia Ágil nasceu dentro da indústria de desenvolvimento de software por volta da metade dos anos 90 Foi uma resposta aos métodos tradicionais de gerenciamento de projetos e processos (então considerados pesados e engessados) pelos engenheiros e programadores que buscavam soluções mais flexíveis neste segmento onde os ciclos de vida dos produtos e de inovação tornavam-se cada vez mais curtos.
  • 44. Agilidade | Metodologia Inovação, nowism, crowdsourcing e ubiquidade são algumas das características que a indústria de softwares / aplicativos hoje compartilha com os todos os segmentos de produtos e serviços das áreas que permeiam o universo da tecnologia da informação e suas respectivas interfaces com o marketing, sobretudo nas implicações com o mercado digital. A abordagem sistêmica e semântica que o marketing digital demanda pede por processos rápidos e atentos às mínimas oscilações das tendências comportamentais do mercado.
  • 45. Agilidade | Manifesto Ágil “Nós estamos descobrindo maneiras melhores de se desenvolver software, desenvolvendo e ajudando outras pessoas a desenvolver” Nós valorizamos: ( + ) Indivíduos e interações ( - ) processos e ferramentas ( + ) Software operante ( - ) documentações completas ( + ) Colaboração do cliente ( - ) negociações contratuais ( + ) Responder à mudanças ( - ) seguir um planejamento http://manifestoagil.com.br
  • 46. Agilidade | Manifesto Ágil I. Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente, através da entrega adiantada e contínua de software de valor. II. Aceitar mudanças de requisitos, mesmo no fim do desenvolvimento. Processos ágeis se adéquam a mudanças, para que o cliente possa tirar vantagens competitivas. III. Entregar software funcionando com frequência, na escala de semanas até meses, com preferência aos períodos mais curtos. IV. Pessoas relacionadas à negócios e desenvolvedores devem trabalhar em conjunto e diariamente, durante todo o curso do projeto. V. Construir projetos ao redor de indivíduos motivados. Dando a eles o ambiente e suporte necessário, e confiar que farão seu trabalho. VI. O Método mais eficiente e eficaz de transmitir informações para, e por dentro de um time de desenvolvimento, é através de uma conversa “cara a cara”. http://manifestoagil.com.br
  • 47. Agilidade | Manifesto Ágil VII. Software funcional é a medida primária de progresso. VIII. Processos ágeis promovem um ambiente sustentável. Os patrocinadores, desenvolvedores e usuários, devem ser capazes de manter indefinidamente, passos constantes. IX. Contínua atenção à excelência técnica e bom design, aumenta a agilidade. X. Simplicidade: a arte de maximizar a quantidade de trabalho que não precisou ser feito. XI. As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de times auto- organizáveis. XII. Em intervalos regulares, o time reflete em como ficar mais efetivo, então, se ajustam e otimizam seu comportamento de acordo. http://manifestoagil.com.br
  • 48. Agilidade | Ferramentas http://www.google.com/enterprise/apps/business https://trello.com http://basecamp.com
  • 49. Agilidade | Leitura Manifesto Ágil http://manifestoagil.com.br RIES, Eric. The Lean Startup: How Today's Entrepreneurs Use Continuous Innovation to Create Radically Successful Businesses. Crown Business, 2011 MATHIS, Bryan. Agile Project Management for Beginners: Mastering the Basics. Smashwords Edition, 2013 Marketing Digital Ágil http://quadrodosbemois.com.br/marketing-digital-agil
  • 50. Discussão EaaS - Everything as a Software Algorithm Marketing
  • 51. 6. Presente e Futuro
  • 52. Presente e Futuro | Semântica É DISSO QUE ESTAMOS FALANDO ! Todo conteúdo publicado na WEB pode ser interligado semanticamente pelos seus significados oferecendo novas soluções e formatos para o engajamento, fidelização e mensuração do comportamento do usuário, uma tarefa multidisciplinar que vai do planejamento estratégico à marcação rigorosamente estruturada do código. http://marketingsemantico.com.br/conferenciaweb
  • 53. Presente e Futuro | Semântica MCLUHAN - 1960 / 1980 Os suportes da comunicação e as tecnologias são determinantes na mensagem : Os conteúdos modificam-se em função dos meios que os veiculam.
  • 54. Presente e Futuro | Semântica PÓS - MCLUHAN O mesmo conteúdo está em todos os lugares. As mídias e os aparelhos se confundem.
  • 55. Presente e Futuro | Semântica POR QUE SEMÂNTICA ? É o estudo dos significados. Está presente na linguística, ciência, literatura, música...Procura estabelecer a relação entre palavras, frases, sinais, códigos, símbolos e aquilo que eles representam. Faz a ponte entre o físico e o virtual. Dados semânticos facilitam a importação e o compartilhamento de informações por quaisquer aplicações e sistemas. - Fluid Knowledge -
  • 56. Presente e Futuro | Semântica Falando de Web Semântica http://imasters.com.br/midia-e-marketing-digital/falando-de-web-semantica O HTML5 pode transformar o conteúdo em estruturas semânticas abertas Microdados  Google Structured Data Testing Tool http://www.google.com/webmasters/tools/richsnippets  Schema & Open Graph http://schema.org | https://developers.facebook.com/tools/debug Content Marketing
  • 57. Presente e Futuro | Open Web Platform PLATAFORMA ABERTA DA WEB A Plataforma Aberta da Web - Open Web Platform - é mais do que um conjunto de tecnologias abertas. É um ecossistema semântico de pessoas, conteúdos, ferramentas e metodologias que permitem uma abordagem holística da nossa relação com o mundo digital, impactando a maneira como nos relacionamos, comunicamos, produzimos e consumimos.
  • 58. Open Web Platform |Leituras Fábio Flatschart | www.flatschart.com
  • 59. Presente e Futuro | Era Pós Device ERA PÓS DEVICE As pessoas devem se preparar para um mundo onde o dispositivo não importa. O que importa é a experiência humana, a interface. Clécio Bachini
  • 60. Presente e Futuro | Era Pós Device Wearable Computing http://www.interaction-design.org/encyclopedia/wearable_computing.html Internet of Things Grafeno Internet of Everything http://www.cisco.com/web/about/ac79/innov/IoE.html
  • 61. Internet of Things Bill of Rights  Open is better than closed; this ensures portability between Internet of Things devices.  Consumers, not companies, own the data collected by Internet of Things devices.  Internet of Things devices that collect public data must share that data.  Users have the right to keep their data private.  Users can delete or back up data collected by Internet of Things devices. Fábio Flatschart | www.flatschart.com http://www.nytimes.com/roomfordebate/2013/09/08/privacy-and-the-internet-of-things/a-bill-of-rights-for-the-internet-of-things
  • 62. Presente e Futuro | Pontos Chaves  Padrões e formatos abertos  Big Data - Volume + Variedade + Velocidade + Veracidade + Valor - Cezar Taurion  Cloud + Social Computing - Sistemas preparados para a coleta, representação, utilização, manipulação e distribuição da informação "incrustada" nas redes. São dados ligados à pessoas que por sua vez estão ligadas a outras pessoas, que por sua vez...  Mobile - Era Pós Device 
  • 63. Presente e Futuro | Para quem ?  Para pessoas que acreditam que a tecnologia está a serviço da construção de um futuro ético e sustentável, baseado em soluções abertas e colaborativas.  Para pessoas que enxergam a tecnologia como um meio e não como um fim.  Para pessoas visionárias e empreendedoras.  Para pessoas. Muito obrigado, um grande abraço  Fábio Flatschart @fabioflat