Clipping anuncio aps_dgf_100610

942 views
853 views

Published on

Clipping das principais matérias publicadas sobre o anúncio da aquisição da DGF Investimentos adquirindo a APS Soluções em Energia

Published in: Business, Travel
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
942
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Clipping anuncio aps_dgf_100610

  1. 1. Library.PressDisplay.com - Valor Economico - 9 Jun 2010 - Page #1 http://library.pressdisplay.com/pressdisplay/services/OnlinePrintHandl... 1 de 1 10/06/2010 11:44
  2. 2. Library.PressDisplay.com - Valor Economico - 9 Jun 2010 - Page #16 http://library.pressdisplay.com/pressdisplay/services/OnlinePrintHandl... 1 de 1 10/06/2010 11:46
  3. 3. Library.PressDisplay.com - DGF compra 20% da APS por R$ 10 milhõ... http://library.pressdisplay.com/pressdisplay/services/PrintArticle.ashx?... 1 de 1 10/06/2010 11:47
  4. 4. Fundo da DGF compra 20% da gaúcha APS por R$10 milhões - (none) ... http://portalexame.abril.com.br/negocios/noticias/fundo-dgf-compra-20... Imprimir | Fechar Energia Com os recursos, a empresa de soluções em energia pretende expandir sua atuação no país Beatriz Olivon, 09/06/2010 | 10:52 GERMANO LUDERS/EXAME Obras de barragem de Usina: Estima-se que o mercado de projetos de redução de consumo de energia movimente 17 bilhões de dólares na América Latina até 2012 São Paulo - Após dois anos de negociações, o fundo de investimentos DGF comprou uma participação de 20% na gaúcha APS Soluções em Energia. A operação foi de 10 milhões de reais. O DGF ainda pode chegar a 49% de participação na empresa com investimento de 16 milhões de reais. A APS desenvolve projetos de soluções de eficiência e redução de consumo de energia. A companhia atua com concessionárias e empresas privadas. Com a associação, ela quer expandir sua atuação fora do Rio Grande do Sul. A empresa pretende abrir escritórios em São Paulo e no nordeste até o final do ano, segundo Aldemir Spohr, presidente da APS. Em 2009, 15% dos negócios da empresa foram feitos fora do Rio Grande do Sul. Spohr quer elevar essa porcentagem para 25% nesse ano. Além disso, a APS vê a participação de um fundo como um "carimbo" de transparência da empresa. O faturamento da companhia foi de 30 milhões de reais em 2009. A expectativa é crescer 40% em 2010, segundo seu presidente. Esco A DGF possui três fundos. O veículo pelo qual exerceu a compra foi o Fipac, cujos investidores são BNDES, Finep, BID, Petros, Ceres, Funcef e DGF. O que motivou a DGF a fazer a aquisição foi o interesse no mercado de atuação da APS, chamado no mercado de escos (energy service company). Trata-se de empresas que atuam em soluções de eficiência e redução de consumo de energia. As escos surgiram nos Estados Unidos e no Canadá, há cerca de 20 anos. No Brasil, o mercado movimenta cerca de 350 milhões de reais por ano, segundo Spohr - esse é o valor que as concessionárias de energia têm que investir em eficiência energética. Até 2012, a estimativa é que o mercado de projetos de redução de consumo de energia movimente 17 bilhões de dólares na América Latina, sendo 50% desse valor no Brasil, segundo estudo do BID citado pelo presidente da APS. 1 de 1 10/06/2010 09:48
  5. 5. DGF Investimentos compra 20% de empresa de gaúcha de energia | Diár... http://www.brasileconomico.com.br/noticias/nprint/84419.html Aquisição DGF Investimentos compra 20% de empresa de gaúcha de energia Brasil Econômico - Por João Oliveira/Bloomberg News 09/06/10 08:08 A DGF Investimentos, uma administradora de R$ 430 milhões em fundos de private equity, vai pagar R$ 16 milhões por 20% da APS Soluções em Energia, empresa com sede em Porto Alegre que desenvolve projetos para conservação de energia. A APS planeja usar os recursos para abrir escritórios fora do Rio Grande do Sul, com novas bases no Rio de Janeiro, São Paulo e na Região Nordeste, disse o presidente da APS, Aldemir Spohr, numa entrevista ontem (8) em São Paulo. "Queremos ser líderes de mercado. E para isso precisamos faturar pelo menos R$ 100 milhões por ano." O consumo total de energia elétrica no Brasil cresceu 9,1% em abril na comparação anual para 35.366 gigawatts- hora, segundo dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) divulgados em 26 de maio. O Brasil deve receber R$ 951 bilhões em investimentos em energia até 2019, sendo R$ 672 bilhões em petróleo e gás, disse a EPE. A APS, que tem cerca de 600 clientes entre empresas privadas, estatais e governos, faturou R$ 30 milhões no ano passado. A meta é aumentar as vendas em 40% ao ano durante os próximos cinco anos, disse Spohr. "Segundo dados do Banco Interamericano de Desenvolvimento, existe um potencial de US$ 17 bilhões em projetos de eficiência energética na América Latina até 2018, sendo metade disso no Brasil," disse Eduardo Pamplona, sócio- diretor da DGF Investimentos. A DGF Investimentos já investiu em 19 empresas dos setores de tecnologia, serviços e saúde desde 2001. 1 de 1 10/06/2010 11:30
  6. 6. DCI - Comércio, Indústria & Serviços http://www.dci.com.br/noticias_imprimir.asp?id_texto=330054 imprimir enviar por e-mail comentar ver comentários matéria-prima 10/06/10 - 00:00 > ENERGIA ELÉTRICA SÃO PAULO - O fundo de investimentos em private equity DGF Fipac comprou uma participação de 20% no capital da empresa gaúcha APS Soluções em Energia, cujo principal negócio é o de projetos de engenharia para consumo eficiente de energia. A operação soma R$ 10 milhões e o investimento pode chegar, no futuro, a um valor total de R$ 16 milhões. A DGF Investimentos administra três fundos com ativos de cerca de R$ 450 milhões e investe nos segmentos de tecnologia, serviços, saúde e açúcar e álcool. O fundo DGF Ficap, que tem recursos totais de R$ 101,5 milhões, possui como investidores BID-Fumim, BNDESPar, Finep, Petros, Ceres, Funcef e DGF Investimentos. Com sede no Rio Grande do Sul, a APS Soluções em Energia foi fundada em 1992 e, no último ano, somou mais de R$ 30 milhões em vendas de projetos. "A previsão para este ano, segundo o nosso plano de negócio, é chegar a um faturamento total de R$ 42 milhões", diz o presidente da empresa, Aldemir Spohr. De acordo com ele, o mercado brasileiro de conservação de energia conta com oportunidades anuais ao redor de R$ 400 milhões dentro da obrigatoriedade das concessionárias de distribuição de aplicar um percentual de sua receita líquida em programas de eficiência energética. A APS já desenvolveu projetos para concessionárias como Celesc, AES Sul, RGE (empresa do grupo CPFL), Light, Energisa e Coelba. No segmento privado, trabalhou para Gerdau, Pirelli, General Motors (GM) e Brasil Telecom, entre outras. Agência Estado 1 de 1 10/06/2010 09:46
  7. 7. DCI - Comércio, Indústria & Serviços http://www.dci.com.br/noticias_imprimir.asp?id_texto=330132 imprimir enviar por e-mail comentar ver comentários matéria-prima 10/06/10 - 00:00 > CONSTRUTORAS SÃO PAULO - A WTorre anunciou ontem a venda de sua participação no Estaleiro Rio Grande (ERG), projeto construído para a Petrobras no sul do País, por R$ 410 milhões, à Engevix Engenharia S.A. e à Fundação dos Economiários Federais (Funcef), fundo dos empregados da Caixa Econômica Federal. A WTorre Properties, que é proprietária do projeto e está em período de silêncio, celebrou contrato de alienação da totalidade das ações da sua subsidiária WTorre ERG Empreendimentos Navais e Portuários S.A.. A esta transação, também está atrelada a alienação da totalidade das ações da WTorre Óleo e Gás Construções Navais às compradoras do ERG. De acordo com a WTorre, a subsidiária é titular de direitos sobre determinadas áreas adjacentes ao estaleiro. Fato relevante divulgado pela companhia informa que a conclusão definitiva do negócio está sujeita à verificação de certas condições suspensivas que são usuais em operações de mesma natureza, com a aprovação submetida às autoridades do sistema brasileiro de concorrência econômica. A Engevix afirmou que só irá comentar a transação depois de sua confirmação. A WTorre já investiu mais de R$ 840 milhões no projeto, que terá 440 mil metros construídos em 550 mil metros de área total. Por ser dona do terreno em que o projeto está sendo construído, foi escolhida em licitação realizada pela Petrobras para abrigar a montagem de plataformas para exploração de petróleo e gás. A construção teve início em 2006 e a entrega oficial, que ocorreria no próximo dia 31, foi adiada pelo presidente Luis Inácio Lula da Silva. Energia O fundo de investimentos em private equity DGF-FIPAC está adquirindo uma participação de 20% no capital da empresa gaúcha APS Soluções em Energia, que atua em projetos de engenharia para o consumo eficiente de energia. O fundo está capitalizando a APS em R$ 10 milhões, com previsão de chegar a R$ 16 milhões. Com os recursos, a empresa projeta um crescimento de 40% nos próximos cinco anos. Segundo Aldemir Spohr, presidente da APS, a expectativa é de que este ano a empresa alcance um faturamento total de R$ 42 milhões, ante os R$ 30 milhões registrados no ano passado, e abra filiais nas Regiões Sudeste e Nordeste. Cynara Escobar 1 de 1 10/06/2010 09:50
  8. 8. Energia Hoje > APS vende 20% de seu capital http://www.energiahoje.com/pops/materia.php?id=412144 [10.06.2010] 11h46m / Antonio Carlos Sil O fundo de investimentos DGF-Fipac adquiriu participação de 20% no capital da gaúcha APS Soluções em Energia, especializada em projetos de eficiência energética. A capitalização inicial é de R$ 10 milhões, com previsão de chegar a R$ 16 milhões. Fundada em 1992, a APS teve receita de R$ 30 milhões em 2009 e projeta alcançar R$ 42 milhões este ano. Conta com portfólio de 600 clientes, entre os quais concessionárias de distribuição e companhias como GM, Pirelli, Gerdau e Brasil Telecom. A injeção de recursos dará impulso aos negócios nos próximos cinco anos, com planos que incluem contratação de mais profissionais e abertura de filiais no Sudeste e Nordeste. O mercado brasileiro de projetos de eficiência é estimado em R$ 400 milhões. A DGF investimentos tem R$ 450 milhões em ativos sob sua gestão. Opera nos segmentos de tecnologia, serviços, saúde, açúcar e etanol. O Fundo DGF-Ficap soma recursos da ordem de R$ 101 milhões. Entre os participantes estão Finep, Petros, Funcef, BNDESpar e BID-Fumim. http://www.energiahoje.com//index.php?ver=mat&id=412144 © Editora Brasil Energia É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste website sem a nossa autorização. 1 de 1 10/06/2010 17:42
  9. 9. ABIAPE http://www.abiape.com.br/noticia.asp?id=20918 10 de junho de 2010 | home | mapa DGF compra 20% da APS por R$ 10 milhões | 09/06/2010 | Valor Econômico Alberto Komatsu, de São Paulo 09/06/2010 Depois de investir em negócios tão distintos como usinas de açúcar e álcool, empresas de TI e "vending machines", a DGF Investimentos, administradora de ativos da ordem de R$ 430 milhões, está aplicando R$ 10 milhões na compra de 20% do capital da APS Soluções em Energia, que atua em projetos de eficiência energética. O negócio pode ser ampliado para R$ 16 milhões para a compra de até 49% de participação, dependendo do desempenho e da necessidade de recursos da APS daqui para a frente, segundo o sócio da DGF, Eduardo Pamplona. A APS atua em duas frentes. A primeira é desenvolver e implementar projetos de eficiência energética (para economizar energia) para distribuidoras de energia elétrica - empresas como Light e CPFL, que são obrigadas pelo marco regulatório do setor a desenvolver programas nesse sentido. A segunda linha de negócios da APS, batizada de contratos de performance, é voltada para a indústria e grandes redes de varejo. Num contrato padrão, a APS assume o risco da troca de sistemas de ar-condicionado e iluminação, por exemplo. Os recursos com a economia são rateados meio a meio, entre a APS e o cliente. Os projetos desenvolvidos para distribuidoras respondem atualmente por 85% do faturamento da APS, que em 2009 foi de R$ 30 milhões. Os 15% restantes são dos contratos de performance. Sphor diz que este ano, quando as vendas da APS deverão aumentar para R$ 42 milhões, a proporção do faturamento proveniente de distribuidoras deverá recuar para 75%. Os contratos de performance passarão para 25% das vendas. Até o fim de 2012, essa relação deverá ficar equilibrada em 50%. "O nosso investimento é dinheiro novo na APS para a sua capitalização e fortalecimento de sua estrutura de capital", diz Pamplona. Os recursos são de um dos três fundos de private equity da DGF, o Fundo de Participação e Consolidação (Fipac). Esse fundo tem capital de cerca de R$ 100 milhões de investidores como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). "Os recursos serão utilizados para a expansão, novos escritórios e formação de profissionais", diz o proprietário da APS, Aldemir Sphor. A APS tem sede em Porto Alegre e filial em São Paulo. Segunhdo Sphor, até o fim do ano a ideia é abrir subsidiárias no Rio de Janeiro e na região Nordeste. 1 de 2 10/06/2010 17:56
  10. 10. ABRACE > Notícias > Clipping http://www.abrace.org.br/port/noticias/ler.asp?id=15763 Home > Notícias > Clipping 10/06/2010 - Negócios WTorre vende estaleiro à Engevix por R$ 410 mi A WTorre anunciou ontem a venda de sua participação no Estaleiro Rio Grande (ERG), projeto construído para a Petrobras no sul do País, por R$ 410 milhões, à Engevix Engenharia S.A. e à Fundação dos Economiários Federais (Funcef), fundo dos empregados da Caixa Econômica Federal. A WTorre Properties, que é proprietária do projeto e está em período de silêncio, celebrou contrato de alienação da totalidade das ações da sua subsidiária WTorre ERG Empreendimentos Navais e Portuários S.A.. A esta transação, também está atrelada a alienação da totalidade das ações da WTorre Óleo e Gás Construções Navais às compradoras do ERG. De acordo com a WTorre, a subsidiária é titular de direitos sobre determinadas áreas adjacentes ao estaleiro. Fato relevante divulgado pela companhia informa que a conclusão definitiva do negócio está sujeita à verificação de certas condições suspensivas que são usuais em operações de mesma natureza, com a aprovação submetida às autoridades do sistema brasileiro de concorrência econômica. A Engevix afirmou que só irá comentar a transação depois de sua confirmação. A WTorre já investiu mais de R$ 840 milhões no projeto, que terá 440 mil metros construídos em 550 mil metros de área total. Por ser dona do terreno em que o projeto está sendo construído, foi escolhida em licitação realizada pela Petrobras para abrigar a montagem de plataformas para exploração de petróleo e gás. A construção teve início em 2006 e a entrega oficial, que ocorreria no próximo dia 31, foi adiada pelo presidente Luis Inácio Lula da Silva. Energia O fundo de investimentos em private equity DGF-FIPAC está adquirindo uma participação de 20% no capital da empresa gaúcha APS Soluções em Energia, que atua em projetos de engenharia para o consumo eficiente de energia. O fundo está capitalizando a APS em R$ 10 milhões, com previsão de chegar a R$ 16 milhões. Com os recursos, a empresa projeta um crescimento de 40% nos próximos cinco anos. Segundo Aldemir Spohr, presidente da APS, a expectativa é de que este ano a empresa alcance um faturamento total de R$ 42 milhões, ante os R$ 30 milhões registrados no ano passado, e abra filiais nas Regiões Sudeste e Nordeste. Fonte: DCI Autor: Cynara Escobar "As informações disponibilizadas no site da ABRACE são obtidas de fontes entendidas como confiáveis. A ABRACE não responde, com relação às informações constantes das páginas, por quaisquer erros ou omissões, dado que toda informação é disponibilizada aos usuários "tal como está" sem nenhuma garantia, por parte da ABRACE, de qualquer espécie." 1 de 1 10/06/2010 18:03
  11. 11. Andrade & Canellas - DGF adquire 20% da APS Soluções em Energia http://www.andradecanellas.com.br/default.asp?id_materia=4041 " O nosso negócio é cuidar bem da sua e EMPRESA SERVIÇOS EQUIPE OBRAS IMPRENSA PUBLICAÇÕES CL DGF adquire 20% da APS Soluções em Energia O fundo de investimentos em private equity DGF Fipac comprou uma participação de 20% no capita Soluções em Energia, cujo principal negócio é o de projetos de engenharia para o consumo eficien soma R$ 10 milhões e o investimento pode chegar, no futuro, ao total de R$ 16 milhões. A DGF Investimentos administra três fundos com ativos de cerca de R$ 450 milhões e investe nos serviços, saúde e açúcar e álcool. O fundo DGF Ficap, que tem recursos totais de R$ 101,5 milhões o BID-Fumim, BNDESPar, Finep, Petros, Ceres, Funcef e DGF Investimentos. Com sede no Rio Grande do Sul, a APS Soluções em Energia foi fundada em 1992 e, no último a milhões em vendas de projetos. "A previsão para este ano, segundo o nosso plano de negócio, é total de R$ 42 milhões", diz o presidente da empresa, Aldemir Spohr. De acordo com ele, o mercado brasileiro de conservação de energia conta com oportunidades a milhões dentro da obrigatoriedade das concessionária de distribuição de aplicar um percentual programas de eficiência energética. A APS já desenvolveu projetos para concessionárias com (empresa do grupo CPFL), Light, Energisa e Coelba. No segmento privado, trabalhou para Gerda (GM) e Brasil Telecom, entre outras. Conforme a DGF, os recursos do fundo darão impulso nos negócios da APS para os próximos an crescimento anual de seu faturamento ao redor de 40% num período de cinco anos. Além da ab estados das regiões Sudeste e Nordeste, a previsão é de ampliar a contratação de mão de obra es novos clientes. [Voltar] COPYRIGHT - 2010 - ANDRADE&CANELLAS ENERGIA S.A. FONE: 2122-0400 - FAX: 2122-0440 1 de 1 10/06/2010 18:08
  12. 12. Intelog http://www.newslog.com.br/site/imprimir.asp?TroncoID=907492&Sec... 9/6/2010 DGF Investimentos compra 20% de empresa de gaúcha de energia Empresas A DGF Investimentos, uma administradora de R$ 430 milhões em fundos de private Nota equity, vai pagar R$ 16 milhões por 20% da APS Soluções em Energia, empresa com sede em Porto Alegre que desenvolve projetos para conservação de energia. 0 votos A APS planeja usar os recursos para abrir escritórios fora do Rio Grande do Sul, com novas bases no Rio de Janeiro, São Paulo e na Região Nordeste, disse o presidente da APS, Aldemir Spohr, numa entrevista ontem (8) em São Paulo. "Queremos ser líderes de mercado. E para isso precisamos faturar pelo menos R$ 100 milhões por ano." O consumo total de energia elétrica no Brasil cresceu 9,1% em abril na comparação anual para 35.366 gigawatts- hora, segundo dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) divulgados em 26 de maio. O Brasil deve receber R$ 951 bilhões em investimentos em energia até 2019, sendo R$ 672 bilhões em petróleo e gás, disse a EPE. A APS, que tem cerca de 600 clientes entre empresas privadas, estatais e governos, faturou R$ 30 milhões no ano passado. A meta é aumentar as vendas em 40% ao ano durante os próximos cinco anos, disse Spohr. "Segundo dados do Banco Interamericano de Desenvolvimento, existe um potencial de US$ 17 bilhões em projetos de eficiência energética na América Latina até 2018, sendo metade disso no Brasil," disse Eduardo Pamplona, sócio-diretor da DGF Investimentos. A DGF Investimentos já investiu em 19 empresas dos setores de tecnologia, serviços e saúde desde 2001. Por Brasil Econômico - Por João Oliveira/Bloomberg News Qual a sua avaliação? 0 Comentários - Faça o seu comentário Voltar Recomendar Imprimir Pesquisa de Mercado 1 de 2 10/06/2010 18:05

×