Comunicação digital acolhimento de familiares
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
425
On Slideshare
424
From Embeds
1
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 1

http://www.index-f.com 1

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Acolhimento de familiares de pessoas em unidade de terapia intensiva: uma perspectiva para a promoção do conforto Autoras: Mariana de Almeida Moraes Gibaut Luisa Mayumi Rocha Hori Kátia Santana Freitas Fernanda Carneiro Mussi VII Encuentros Internacionales de la Casa de Mágina INVESCOM-2013 III Reunión Internacional de Investigación en Salud Comunitaria Casa de Mágina (España) 18-20 de julio 2013
  • 2. Introdução  A hospitalização de um dos membros da família representa, para muitos familiares, um momento de fragilidade, insegurança e medo em decorrência da ameaça gerada pela doença e tratamento¹.  Ante esta perspectiva, a família passou a se constituir em objeto de investigação ao mesmo tempo em que passou a ser delineada como objeto de trabalho, e, portanto, como objeto do cuidado em enfermagem².  Por ocasião da admissão em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), tanto o membro internado como os familiares experimentam uma das maiores crises de sua vida¹
  • 3.  Identifica-se como razões para essa crise desconfortos como a privação do convívio com o ente, a possibilidade de sua perda, a mudança na rotina da vida familiar, a carência de informação acerca do estado de saúde do seu membro e a necessidade de adequação às normas e rotinas impostas pela instituição.  Diante de tantas situações desconfortáveis o familiar precisa ser confortado. O acolhimento pode apresentar-se como uma perspectiva para a promoção deste conforto  Acolher, no contexto dos serviços de saúde, é “receber bem, ouvir a demanda, buscar formas de compreendê-la e solidarizar-se com ela. Introdução
  • 4.  Ao acolher, permitimos o encontro, o estar presente, o relacionamento, a criação de vínculo entre a família/membro internado e equipe de saúde. O acolhimento gera as relações humanizadas entre quem cuida e quem é cuidado, pois é uma ferramenta imprescindível no cuidado em saúde. Acolher implica em promover conforto.  Esta reflexão foi baseada na experiência das autoras com o cuidado à família com um membro internado em unidade de terapia intensiva e discussões e reflexões teóricas entre as mesmas, orientadas pela análise da literatura.  Objetivo: Refletir sobre o acolhimento como uma perspectiva para a promoção do conforto de familiares de pessoas em unidade de terapia intensiva. Introdução
  • 5. Metodologia  Trata-se de levantamento bibliográfico  Estratégias de busca online no periodo de janeiro a junho de 2012  Bases de dados: Biblioteca Virtual de Saúde: LILACS, MEDLINE e Biblioteca Cochrane e Portal CAPES  Unitermos: Acolhimento, Conforto, Enfermagem, UTI e Família.
  • 6. Resultados A INTERAÇÃO DA FAMÍLIA COM O CONTEXTO DA UTI: IMPLICAÇÕES PARA O ACOLHIMENTO Profissionais da UTI devem estabelecer um bom relacionamento com a rede familiar, o que inclui uma abordagem afetuosa e delicada. Isso pode facilitar sua participação no tratamento do parente, minimizando seu sofrimento, e favorecer a percepção de que os familiares são importantes e respeitados pela equipe de atendimento hospitalar. A enfermagem possui um importante papel no acolhimento dos usuários nos serviços de saúde, uma vez que, os trabalhadores da enfermagem permanecem mais tempo em contato com eles. Humanizar a existência da profissão e a existência do outro é humanizar o viver em Enfermagem.
  • 7. ACOLHIMENTO COMO DIMENSÃO DO CONFORTO: UMA PERSPECTIVA HUMANÍSTICA É necessário valorizar o acolhimento aos familiares e adotar um sistema eficaz de comunicação com informações periódicas sobre o estado do seu membro. Tornam-se significativos os espaços como sala de espera com melhor acomodação para que sejam promovidos encontros entre os profissionais da UTI e as pessoas da família e, ainda, se repensar urgentemente a necessidade de se estabelecer horários de visita mais flexíveis. Entende-se que o conforto decorre do processo de cuidar ético, humanístico e técnico científico, é a meta a ser alcançada pela integração entre sensibilidade e racionalidade no processo de cuidar do indivíduo e família. Resultados
  • 8.  Os familiares precisam ser considerados seres humanos, que sofrem diante da internação do ente na UTI e tem necessidade de interações sensíveis com os profissionais do hospital e direitos a serem respeitados, devendo ser garantido práticas de acolhimento assegurando a dignidade ética. Reside aí o começo de um caminho em direção à promoção do conforto. Referências 1.Lourenço EC, Neves EP. As necessidades de cuidado e conforto de visitantes em UTI oncológica: uma proposta fundamentada em dados de pesquisa. Revista brasileira de cancerologia. 2008;54 (3):213-220. 2. Bub LIR, et al. Marcos para a prática da enfermagem com famílias. Florianópolis: UFSC, 195 p, 1994. 3. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde . Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Acolhimento nas práticas de produção de saúde. Brasília(DF); 2006. 4. Beck CLC, et al. Humanização da assistência de enfermagem: percepção de enfermeiros nos serviços de saúde de um município. Rev Gaúcha Enferm. 2009;30(1):54-61. 5. Maffesoli M. A conquista do presente. Rio de Janeiro: Rocco, 1984. Considerações finais