Your SlideShare is downloading. ×
Oba 2011
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Oba 2011

1,980
views

Published on

zdf

zdf

Published in: Technology, Education

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,980
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
37
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Sistema Solar
  • 2. Sol
  • 3. Mercúrio 4872 Km 5,43 g/cm 3 250 °C Rochoso Vênus 12104 Km 5,25 g/cm 3 447 °C Rochoso Terra 12756 Km 5,52 g/cm 3 22 °C Rochoso Marte 6787 Km 3,94 g/cm 3 - 70 °C Rochoso Júpiter 142800 Km 1,33 g/cm 3 - 150 °C Gasoso Saturno 120536 Km 0,75 g/cm 3 - 180 °C Gasoso Urano 51800 Km 1,29 g/cm 3 - 210 °C Gasoso Netuno 49528 Km 1,71 g/cm 3 - 213 °C Gasoso Planeta Anões Ceres 952 km 2,08 g/cm 3 -106 °C Rochoso Plutão ± 2351 km 2,03 g/cm 3 - 233 °C Rochoso Eris ± 2400 km 2,1 g/cm 3 -243 °C Rochoso Planeta Diâmetro Dens. Méd. Temp. Méd. Composição Dados Físicos
  • 4. Mercúrio 59 dias 88 dias 57,9 milhões Km 7° Vênus 243 dias 225 dias 108,2 milhões Km - 2° Terra 23 h 56 min 365,5 dias 149,6 milhões Km 23° 27’ Marte 24 h 37 min 686,98 dias 227,9 milhões Km 25° Júpiter 09 h 55 min 11,86 anos 778,3 milhões Km 3° 05’ Saturno 10 h 13 min 29,5 anos 1,42 bilhões Km 26° 44’ Urano 17 h 18 min 84 anos 2,9 bilhões Km 98° Netuno 16 h 03 min 164,8 anos 4,5 bilhões Km 28° 48’ Planetas Anões Ceres 0,38 dias 4,6 anos 413,7 milhões Km 4° Plutão 6,38 dias 248 anos 5,9 bilhões Km 120 ° Eris ? 557 anos 10,2 bilhões Km ? Planeta Rotação Translação Dist. Méd. Sol Inclinação Dados Orbitais
  • 5. Lua - origem: colisional - 3500 Km de diâmetro - densidade: 3.3 g/cm3 - rotação síncrona: só vemos 59 % da sua superfície - a Lua se afasta da Terra e rotaciona mais lentamente - última missão: 1972, Apolo 17
  • 6. Mercúrio - precessão orbital: 43”/sec - 176 dias desde um meio-dia até o seguinte. - gases ao redor: Na, He, H
  • 7. Vênus - rotação retrógrada de 243 dias - pressão de 90 atm - efeito estufa: atmosfera de CO2 - nuvens de H 2 SO 4 - vulcões ativos até bem pouco tempo atrás
  • 8. Marte - planeta enferrujado - atmosfera com 95 % CO 2 e 0.03 % de água - os maiores vulcões : 24 Km de altura - 2 satélites: Fobos (25 Km) e Deimos (15 Km) - calotas polares - tempestades de areia
  • 9. Júpiter - 1300 volumes terrestres - 71 % de toda massa planetária - atmosfera de H, He, amônia, metano - rotação de 9:50 horas - muitas luas: Io: vulcões ativos Ganimedes: diam. 5200 Km) - anéis: 100 vezes menos brilhante que o de saturno( esp. 30 Km) - Grande Mancha Vermelha
  • 10. Luas Galileanas
  • 11. Saturno - 79 % H, 19 % He amônia, metano - densidade: 0.75 g/cm3 - Titan: lua com atmosfera - anéis e luas pastoras - rotação: 10 horas - raio: 9.4 terrestre
  • 12. Urano - W. Herschel, 1781 (visto em 1690) - 1977 : anéis - dezenas de luas - rotação: 17 horas - massa: 14.5 terrestre - anéis
  • 13. Netuno - 1800: predição baseada em perturbações sobre Urano - 1846: Adans e Leverrier -> Galle - Galileu (1612-13) viu como estrela - Grande Mancha Escura - anéis: em segmentos - satélites: Triton está caindo
  • 14. Plutão – Planeta Anão - 1930 Tombaugh achou Plutão nas fotos de Lowell de 1905. - diâmetro de 2300 Km - distância: 39.4 u.a., 6 bi Km - translação: 248 anos - rotação: 6.3 dias - densidade: 2 g/cm - Caronte, 1978: 57 % de Plutão 1.3 g/cm 3 3
  • 15. Éris – Planeta Anão
    • Descoberto em 2003 com o nome Provisório de 2003 UB 313
    • - diâmetro de 2400 km
    • - distância: 38 ua. a 98 ua. 10,2 bi Km
    • - translação: 557 anos
    • - rotação: ? dias
    • - densidade: 2,1 g/cm 3
    • - Satélite: Disnomia
  • 16. Tamanhos comparados Sol Lua Terra O tamanho do Sol é 109 vezes maior que o da Terra
  • 17. Distâncias e tamanhos comparados Terra D= 1 cm Lua D = 0,4 cm Sol D = 109 cm 30 cm 100 m
  • 18. Sistema Solar
  • 19. Unidades de distância 384.000 km 300.000 km/s ~1 s.l. Terra Lua Sol 150.000.000 km = 1 UA ~8,25 min.l. 9,5 trilhões de km 1 ano-luz = 1 a.l. = 63.240 UA
  • 20. Órbitas não coplanares Plutão Eclíptica Terra Sol
  • 21. Obliquidade
  • 22. Fases da Lua
  • 23. FÍSICA-OBA
  • 24. SOMBRA E PENUMBRA Fonte extensa SOMBRA PENUMBRA
  • 25. As fases da Lua
  • 26. Eclipse solar
  • 27. Eclipse lunar
  • 28. JN
  • 29. DECOMPOSIÇÃO DA LUZ BRANCA : Vermelho Alaranjado Amarelo Verde Azul Anil Violeta
  • 30. CORRIDA ESPACIAL
  • 31. CORRIDA ESPACIAL X A conquista da Lua designa o principal objetivo da Corrida Espacial entre os Estados Unidos e a URSS , ocorrida na década de 1960 , e é considerada pela maioria do público como um dos episódios mais emocionantes da história da exploração espacial .
  • 32. CORRIDA ESPACIAL
    • 1950 – Criação da NASA – EUA;
    • Lidera a equipe de pesquisa aero-espacial dos EUA o alemão Werner von Braun ;
    • Desenvolvimento do projeto de lançamento SATURNO V ;
  • 33. CORRIDA ESPACIAL
  • 34. CORRIDA ESPACIAL
    • Historicamente, a exploração espacial começou com o lançamento do satélite artificial Sputnik pela URSS a 4 de outubro de 1957 , no Cosmódromo de Baikonur ;
    • O primeiro ser vivo no espaço não foi um homem, mas a cadela Russa Kudriavka , da raça laika . Ela subiu ao espaço em 3 de novembro de 1957 a bordo da nave espacial Sputnik II .
  • 35. CORRIDA ESPACIAL Cadela Laika dentro da sonda SPUTNIK II
  • 36. CORRIDA ESPACIAL
    • Yuri Gagarin ( 1934 - 1968 ) foi o primeiro homem no espaço, em um vôo orbital de 48 minutos, a bordo da nave Vostok I . O vôo de Gagarin ocorreu em 12 de Abril de 1961 . Neste vôo ele disse a famosa frase: "A Terra é azul, e eu não vi Deus".
  • 37. CORRIDA ESPACIAL Lançamento Yuri Gagarin Vostok I
  • 38. CORRIDA ESPACIAL von Braum V 2 Lançamento Bumper II - 1950
  • 39. CORRIDA ESPACIAL Lançamento Redstone Lançamento Vanguard
  • 40. CORRIDA ESPACIAL
    • Num famoso discurso de 1961 , John F. Kennedy lançou o desafio de "enviar homens à Lua e retorná-los a salvo" antes que a década terminasse.
    • "Nós decidimos ir a Lua. Nós decidimos ir à Lua nesta década e fazer as outras coisas, não porque elas são fáceis, mas porque elas são difíceis".
  • 41. CORRIDA ESPACIAL Chegada de Alan Shepard – Cosmonauta do Projeto Gemini - 1961
  • 42. CORRIDA ESPACIAL
    • A missão Apollo 11 pousou na superfície lunar em 20 de Julho de 1969 , em um local chamado "Sea of Tranquility" (Mar da Tranquilidade). Neil Armstrong e Edwin E. "Buzz" Aldrin tornaram-se os primeiros homens a caminhar no solo lunar.
    Lançamento Saturno V
  • 43. CORRIDA ESPACIAL Neil Armstrong Aqui os homens do planeta Terra pisaram pela primeira vez na Lua. Julho de 1969. Viemos em paz, em nome de toda a humanidade
  • 44. CORRIDA ESPACIAL
    • Razões para o fracasso em chegar na Lua:
    • Morte prematura do engenheiro-chefe do programa, Sergei Korolev em 1966;
    • Morte em 1967 do cosmonauta Vladimir Komarov;
    • Explosão, na plataforma de lançamento, o N1 em 1969.
  • 45. CORRIDA ESPACIAL Vladimir Mikhailovich Komarov
  • 46. CORRIDA ESPACIAL
    • Foram construídas cinco espaçonaves deste tipo, chamadas Columbia , Challenger, Discovery, Atlantis e Endeavour , que foram usadas em diversas missões no espaço. Destas apenas a Discovery , a Atlantis e a Endeavour ainda existem, já que as outras acabaram destruídas em acidentes que se tornaram tragédias da história da exploração espacial.
  • 47. CORRIDA ESPACIAL
  • 48. CORRIDA ESPACIAL
  • 49. CORRIDA ESPACIAL
  • 50. CORRIDA ESPACIAL X-33 NASA
  • 51. CORRIDA ESPACIAL M I R
  • 52. CORRIDA ESPACIAL
    • Mir se despedaça sobre o pacífico após 15 anos em órbita na Terra.
    • A estação espacial, que já foi um dos orgulhos da extinta União Soviética, caiu no Oceano Pacífico, a uma distância de 3 mil quilômetros da Austrália, no dia 23 de março de 2001.
  • 53. CORRIDA ESPACIAL ISS - International Space Station
  • 54. CORRIDA ESPACIAL ESTAÇÃO ESPACIAL INTERNACIONAL
  • 55. CORRIDA ESPACIAL Soyuz acoplada na ISS
  • 56. CORRIDA ESPACIAL PROGRAMA ESPACIAL BRASILEIRO
  • 57. CORRIDA ESPACIAL
    • programa espacial brasileiro se iniciou em 1961 com a criação da Missão Espacial Brasileira (MEB) ;
    • sucedida pela Missão Espacial Completa Brasileira (MECB) em 1980 , seguindo-se a implantação do Centro Espacial de Lançamentos de Alcântara
  • 58. CORRIDA ESPACIAL
    • Com custo estimado em US$ 700 mi e prazo de execução para 17 anos (2022), o programa possibilitará ao Brasil a independência no transporte espacial de satélites de pequeno à grande porte.
    • O programa, que prevê uma evolução gradativa dos seus veículos para alcance de melhores desempenhos e de maiores capacidades para o transporte de carga útil, terá como um de seus maiores desafios o desenvolvimento e fabricação de motores à propulsão líquida de médio e grande porte.
  • 59. CORRIDA ESPACIAL
    • A Soyuz TMA-8 é a nave espacial do vigésimo nono vôo tripulado à Estação Espacial Internacional (ISS).
    • Foi lançada em 30 de março de 2006 pelo veículo de lançamento Soyuz , a partir do Cosmódromo de Baikonur.
  • 60. CORRIDA ESPACIAL Pavel Vinogradov e Jeffrey Williams , junto com Marcos César Pontes , o primeiro brasileiro a viajar para o espaço.
  • 61. CORRIDA ESPACIAL Principal significado da viagem do astronauta brasileiro é mostrar que o Brasil tem uma importante contribuição a dar na área da tecnologia espacial, diz o professor Agenor Fleury, da Escola Politécnica da USP. Para ele, o que falta é a continuidade dos programas e mais estímulo para os pesquisadores A Missão Centenário durou dez dias e, pelo menos no que diz respeito ao vôo do astronauta brasileiro Marcos César Pontes, foi encerrada no dia 8 de abril, quando a nave russa Soyuz TMA-7, que o trouxe da Estação Espacial Internacional (ISS, sigla em inglês), pousou no Cazaquistão. Porém, o debate sobre os reais benefícios científicos da missão e seu papel na continuidade das atividades espaciais brasileiras está longe de acabar. Ainda antes da decolagem da nave, no final de março, uma saraivada de críticas foi disparada de várias frentes.
  • 62. CORRIDA ESPACIAL
    • O astrônomo Ronaldo Rogério de Freitas Mourão, por exemplo, disse que “o vôo de Marcos Pontes é, na realidade, uma grande jogada eleitoreira do governo”. A opinião ganhou eco em veículos como o jornal O Estado de S. Paulo, que em editorial qualificou a missão como “passeio” e “peça propagandística a ser utilizada pelo presidente Lula em sua campanha reeleitoral”.
    • Outras críticas partiram do presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Ennio Candotti. “A meu ver, faltou situar esse projeto dentro do programa espacial brasileiro: o que está sendo planejado, o que foi planejado nos últimos dez anos e o que está sendo cumprido, quais os financiamentos e o que significam US$ 10 milhões. Será que é muito ou pouco?”, perguntou Candotti em entrevista ao programa Observatório da Imprensa. “O que está em jogo com essa viagem é uma pressão muito grande sobre a opinião pública para que o Brasil se associe a esse programa de construção da Estação Espacial. Isso causará prejuízos graves ao bom encaminhamento daquilo que sabemos fazer e em que estamos ganhando a consideração mundial, que é fazer satélites bem-feitos. E, também, na própria execução do programa de construção de um veículo lançador”, completou.
  • 63. CORRIDA ESPACIAL
    • Os argumentos a favor da missão também foram lançados na mídia – o que talvez tenha inspirado o presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Sergio Gaudenzi, a dizer que a imprensa fez um “carnaval sideral” em torno do assunto. O ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Machado Rezende, em artigo na Folha de S. Paulo, afirmou que a viagem “servirá à popularização da ciência e do programa espacial e à atração de jovens talentos para a pesquisa científica, a engenharia e a astronáutica”
    • Henrique Lins de Barros, pesquisador do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), escreveu em O Globo: “A viagem de Marcos Pontes mal começou. Agora, com os pés no chão, ele terá que iniciar a segunda fase, contribuindo para a divulgação da ciência em nosso país”.