Apostila ..
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Apostila ..

on

  • 4,945 views

 

Statistics

Views

Total Views
4,945
Views on SlideShare
4,945
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
56
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Apostila .. Apostila .. Document Transcript

  • FÍSICAAnalise a tabela a seguir para responder aos testes 01 e 02. Questão 03 Espaço Tempo de Um gato vai partir do repouso e descrever uma trajetória retilí- Nome da prova nea. Uma lata é amarrada ao rabo do gato e cada vez que o gato percorrido (m) prova Atletismo Corrida 100 9,69s ouve a lata bater no solo ele, instantaneamente, aumenta sua ve- Nado livre 50 21,30s locidade de 10m/s. Esse é o único fato que faz o gato aumentar Atletismo Corrida 1500 4 min 1,63s sua velocidade. 14 min Nado livre 1500 Considere os seguintes dados: 41,54s Volta de classificação de 5200 1min29,619s I- Velocidade com que a luz se propaga no vácuo: 3,0 . 108m/s. um carro de Fórmula 1 II- Velocidade com que o som se propaga no ar: 3,4 . 102m/s.Questão 01 III- Velocidade da Terra em seu movimento orbital: 30km/s. IV- Velocidade da Lua em seu movimento orbital: 1,0km/s.De acordo com os dados da tabela e com seus conhecimentos V- Velocidade de um satélite geoestacionário: 3,0km/s.sobre unidades e escalas de tempo, assinale a alternativa correta. A máxima velocidade teórica que o referido gato poderia atingira) A diferença de tempo entre as provas de 1500m do nado li- é: vre e de 1500m do atletismo é de dez minutos, quarenta se- gundos e novecentos e dez milésimos de segundo. a) 3,0 . 108m/sb) O tempo da prova de 50m do nado livre é de vinte e um se- b) 3,4 . 102m/s gundos e trinta décimos de segundo. c) 30km/sc) O tempo da prova de 1500m do nado livre é de quatorze d) 1,0km/s minutos, quarenta e um segundos e quinhentos e quarenta e) 3,0km/s centésimos de segundo.d) A diferença de tempo entre as provas de 100m do atletismo RESOLUÇÃO: e a de 50m de nado livre é de onze segundos e sessenta e Quando o gato atingir a velocidade do som, 3,4 . 102m/s, ele um centésimos de segundo. deixará de ouvir o som da lata batendo no chão e sua veloci-e) A volta de classificação da Fórmula 1 é de um minuto, vin- dade não aumentará mais, permanecendo igual a 3,4 . 102m/s. te e nove segundos e seiscentos e dezenove centésimos de segundo. Resposta: BRESOLUÇÃO: Questão 04a) (F) Δt = 14 min + 41,54s – 4 min + 1,63s Δt = 10 min + 39,91s Newton também contribuiu para o estudo do movimento dosb) (F) Vinte e um segundos e trinta centésimos de segundo. corpos na Terra, formulando leis que estão referidas na suac) (F) Quatorze minutos, quarenta e um segundos e cin- obra Principia. quenta e quatro centésimos de segundo.d) (V) Δt = 21,30s – 9,69s O gráfico a seguir representa a velocidade escalar v de um ho- Δt = 11,61s mem que se desloca numa trajetória retilínea em função do Onze segundos e sessenta e um centésimos de segundo. tempo t.e) (F) Um minuto, vinte e nove segundos e seiscentos e de- zenove milésimos de segundo.Resposta: DQuestão 02Conforme os dados da tabela, assinale a alternativa que mais seaproxima da velocidade escalar média, em km/h, para a modali-dade nado livre 1500m.a) 3b) 6c) 9d) 12e) 15 Analise as proposições a seguir.RESOLUÇÃO: I- No intervalo de tempo representado de 0 a 50,0s, o homem s 1500mVm    1,7 m/s permaneceu em repouso durante10,0s. t 881,54s II- Nos instantes t1 = 5,0s e t2 = 38,0s, o homem está com mo-Vm = 1,7 . 3,6km/h = 6,1km/h vimento retardado. III- No instante de t3 = 40,0s, a aceleração escalar do homemResposta: B vale 0,08m/s2. – 27
  • IV- No intervalo entre 25,0s e 35,0s, o movimento do homem é Questão 06 uniforme e retrógrado. Num dia de verão, ao entardecer, registrou-se o número de ve-Está correto o que se afirma em: zes que se ouviu um grilo cantar e estimaram-se, com base na lei de Dolbear, os valores da temperatura ambiente em dois pe-a) I e II, apenas. ríodos de tempo: das 18 horas e 15 minutos às 18 horas e 16b) III e IV, apenas. minutos e das 19 horas e 44 minutos às 19 horas e 45 minutos.c) I, II e IV, apenas.d) II, III e IV, apenas. Verificou-se que o grilo cantou menos sete vezes no segundoe) I, II, III e IV. período de tempo que no primeiro.RESOLUÇÃO: Determine a diferença entre os valores estimados para a tempe-I- (V) Somente entre 10,0s e 20,0s, o homem está em repou- ratura ambiente naqueles dois intervalos de tempo. so (velocidade nula).II- (V) De 0 a 10,0s e de 35,0s a 40,0s, o módulo da velocida- a) 1°C de diminui e o movimento é retardado. b) 2°CIII- (V) De 35,0s a 50,0s, o movimento é uniformemente vari- c) 3°C ado: a aceleração escalar é constante e é dada por: d) 4°C v 1,2m/s e) 5°C     0,08m/s 2 t 15 ,0sIV- (V) A velocidade escalar é constante e negativa. RESOLUÇÃO: n  40 T1   10(°C)Resposta: E 7 n  7  40 T2   10(°C)(GAVE) Enunciado para os testes 05 e 06. 7 7 T  T 1  T 2  (°C)  1C Os grilos são insetos conhecidos pelo seu canto peculiar 7– as estridulações, sons vibrantes produzidos com as asas ante-riores. Há diversos países onde se faz a criação de grilos em Resposta: Acativeiro com fins comerciais. No verão, é possível estimar o valor da temperatura am- Questão 07biente ouvindo as estridulações emitidas pelos grilos. Em 1897, o americano Amos Dolbear verificou experi- Numa receita para se fazer o café bombom, muito apreciado pormentalmente que a frequência das estridulações dos grilos au- pessoas que não se importam em ganhar algumas calorias ex-menta com a subida da temperatura ambiente, quando esta va- tras, estava escrito o seguinte: “misturam-se três partes de leiteria entre determinados valores. Dolbea chegou a uma relação condensado, com duas partes de café e uma parte de leite; sirvaque permite estimar, muito aproximadamente, o valor da tem- à temperatura a gosto.” Considere que esses três líquidos têmperatura ambiente, T, em graus Celsius (°C), a partir do núme- densidade e calor específico sensível iguais. Ao misturarmosro de vezes, n, que um grilo canta, por minuto. numa caneca de capacidade térmica desprezível, sendo 20°C, 80°C e 50°C as temperaturas do leite condensado, do café e doEssa relação, conhecida por lei de Dolbear, é dada por: leite, respectivamente, a temperatura de equilíbrio térmico do café bombom será: n  40 T(n)   10 a) 25°C 7 b) 40°C c) 45°CQuestão 05 d) 50°CNuma noite de verão, durante um minuto, ouviu-se um grilo e) 55°Ccantar 45 vezes em cada 15 segundos. Estime o valor da tempe-ratura ambiente, em graus Celsius, naquele minuto, com base na RESOLUÇÃO:lei de Dolbear. Q 1 + Q2 + Q3 = 0 3mc(f – 20) + 2mc(f – 80) + mc(f – 50) = 0a) 10°C 3f – 60 + 2f – 160 + f – 50 = 0b) 11°C 6f = 270c) 20°C f = 45°Cd) 30°Ce) 40°C Resposta: CRESOLUÇÃO: Questão 08I- Em 1 minuto, temos n = 45 . 4 = 180 Ilhas de calor. Uma ilha de calor é um fenômeno climático que 180  40 ocorre nos centros das grandes cidades devido aos seguintesII- T   10(°C)  T  30C fatores: 7Resposta: D  Elevada capacidade de absorção de calor de superfícies urbanas, como o asfalto, paredes de tijolo ou concreto, te- lhas de barro e de amianto... .28 –
  •  Falta de áreas revestidas de vegetação, prejudicando o al- Questão 09 bedo, o poder refletor de determinada superfície (quanto maior a vegetação, maior é o poder refletor) e logo levan- Num livro de eletricidade, você encontra três informações: do a uma maior absorção de calor. I- Isolantes são materiais que não permitem a passagem da Impermeabilização dos solos pelo calçamento e desvio da corrente elétrica. água por bueiros e galerias, o que reduz o processo de II- O ar é isolante. evaporação, assim não usando o calor, e sim absorvendo. III- Um raio constitui-se de uma descarga elétrica correspon- dente, em média, a uma corrente de 10000 ampères que Concentração de edifícios que interfere na circulação dos desloca da nuvem à terra uma carga de 20 coulombs. ventos. – Poluição atmosférica que retém a radiação do ca- lor causando o aquecimento da atmosfera (Efeito estufa). Pode-se concluir que essas três informações são: Utilização de energia pelos veículos de combustão interna, a) coerentes, e que o intervalo de tempo médio de uma des- pelas residências e pelas indústrias, aumentando o aque- carga elétrica é de 2,0 . 10–3s. cimento da atmosfera. b) conflitantes, e que o intervalo de tempo médio de uma des- carga elétrica é de 2,0 . 10–3s.Devido a esses fatores, o ar atmosférico na cidade é mais quen- c) coerentes, e que o intervalo de tempo médio de uma des-te que nas áreas que circundam essa cidade. O nome “ilha de carga elétrica é de 2,0 . 10–4s.calor” dá-se pelo fato de uma cidade apresentar em seu centro d) conflitantes, e que o intervalo de tempo médio de uma des-uma taxa de calor muito alta, enquanto, em suas redondezas, a carga elétrica é de 2,0 . 10–6s.taxa de calor é normal. Ou seja, o poder refletor de calor de e) conflitantes, e que não é possível avaliar o intervalo desuas redondezas é muito maior que no centro dessa cidade. tempo médio de uma descarga elétrica. (Fonte: sites.uol.com.br) RESOLUÇÃO:Em São Paulo, as ilhas de calor, localizadas em certas regiões Q Q 20da cidade, chegam a ter um acréscimo de temperatura de or- I- i  t   (s) t i 10000dem de 3°C, em relação as suas redondezas, explicando a vio- ∆t = 2,0 . 10–3slência das chuvas em tais regiões. II- A informação III é conflitante em relação à II, pois se o ar fosse isolante não permitiria a passagem de correnteNas mesmas condições de temperatura, umidade e pressão, uma elétrica.região terá uma situação de otimização de conforto térmico se: Resposta: Ba) as ruas forem pavimentadas com material de baixo calor específico sensível, pois, ao receber uma dada quantidade Questão 10 de calor, quanto menor o calor específico sensível do mate- rial menor será a sua variação de temperatura. Por mais estranho que pareça, a história a seguir é verídica.b) as ruas forem pavimentadas com material de alto calor es- Leia-a com atenção. pecífico sensível, pois, ao receber uma dada quantidade de calor, quanto maior o calor específico sensível do material Um dia, tarde da noite, Dr. Milton Helpern, médico- menor será a sua variação de temperatura. legista da cidade de Nova York, recebeu um telefonema a res-c) as ruas forem pavimentadas com material de baixo calor peito de uma família que estava muito chocada: um de seus específico sensível, pois, ao receber uma dada quantidade membros havia morrido naquela noite na estação de metrô de de calor, quanto maior o calor específico sensível do mate- Nova York, aparentemente saltando da plataforma para os tri- rial menor será a sua variação de temperatura. lhos. Nesse sistema, o terceiro trilho é “quente” e forneced) houver um sistema de vaporização de água de modo a tor- energia aos trens do metrô. Ao que tudo indicava, a vítima ti- nar o ar mais úmido, devido ao fato de que a água tem pe- nha sido eletrocutada ao se colocar entre o terceiro trilho e pe- queno calor específico sensível, o que torna a variação de lo menos um dos outros dois, o que aterrou o terceiro trilho e temperatura mais lenta. permitiu a passagem de uma grande corrente elétrica pelo seue) houver um sistema de sucção de vapor-d’água de modo a corpo. A pedido da família, o Dr. Helpern realizou a autópsia tornar o ar mais seco, o que conduz melhor o calor. da vítima, mas não encontrou sinais de derrame ou ataque car- díaco que indicassem que a vítima teria caído nos trilhos porRESOLUÇÃO: acidente. Encontrou, porém, curiosas queimaduras no polegarDe acordo com a relação Q = mcΔθ, percebemos que para um e no indicador, bem como nas partes íntimas da vítima. O Dr.dado valor de Q e para uma dada massa m, quanto maior o Helpern começou a investigar o histórico do homem e desco-valor do calor específico sensível c de um material menor será briu que a vítima ficava agressiva quando bebia. Para extrava-a sua variação de temperatura, atenuando os efeitos da for- sar a agressividade, muitas vezes, urinava em público. O Dr.mação da ilha de calor. Em relação à umidade, o ar seco é Helpern concluiu que o último ato de agressividade da vítimaisolante térmico e faz com que os efeitos da ilha de calor se- tinha sido urinar nos trilhos.jam maiores. Em relação ao ar úmido, o valor elevado do ca-lor específico sensível é que vai atenuar a variação de tempe- Dr. Helpern chegou a essa conclusão porque:ratura. a) mesmo que ele estivesse em contato com o condutor “quen-Resposta: B te”, o corpo humano é isolante e o homem nada sofreria. b) a urina é dielétrica e isso fez com que faíscas elétricas saís- sem do trilho e saltassem diretamente para o corpo do ho- mem. – 29
  • c) os trilhos funcionam como uma gaiola de Faraday, aumen- estação sismográfica e o epicentro do terremoto pode ser de- tando a possibilidade de o homem levar choques. terminada pelo registro, no sismógrafo, do intervalo de tempod) a urina é condutora de eletricidade e isso explica o fato de decorrido entre a chegada da onda P e a chegada da onda S. ele queimar a mão e suas partes íntimas, já que, com uma voltagem adequada e uma grande presença de sais na urina, Considere uma situação hipotética, extremamente simplificada, o fato realmente pode ocorrer. na qual, do epicentro de um terremoto na Terra são enviadase) não há nenhuma possibilidade de um meio isolante se tor- duas ondas, uma transversal, que viaja com uma velocidade de, nar um meio condutor, isto é, a rigidez dielétrica nunca po- aproximadamente, 4,0km/s, e outra longitudinal, que viaja a de ser vencida. uma velocidade de, aproximadamente, 6,0km/s. Supondo-se que a estação sismográfica mais próxima do epicentro esteja situadaRESOLUÇÃO: a 1200km desse, qual é a diferença de tempo transcorrido entreA urina é condutora de eletricidade e a diferença de potencial a chegada das duas ondas no sismógrafo?elétrico entre o trilho e o solo terrestre provocou uma correnteelétrica capaz de produzir queimaduras no polegar e no indi- a) 600scador, bem como nas partes íntimas. b) 400s c) 300sResposta: D d) 100s e) 50sQuestão 11 RESOLUÇÃO:Os valores, em ohms, de resistências elétricas de resistores a Sendo a velocidade de propagação de cada onda constante,carvão são indicados nos mesmos por um código de cores, con- temos:forme sugere a figura a seguir. s s vP    t1   t1 vP s s vS   t 2  t 2 vS s s t   vS vPAs cores das faixas 1 e 2 indicam, respectivamente, a dezena e aunidade de um número que deve ser multiplicado pela potência 1200 1200 t   (s)de dez com expoente dado pela cor da faixa 3. A faixa 4 indica 4 ,0 6 ,0a tolerância, fator relativo à qualidade do resistor e não será  t  300s  200s   t  100sabordada nessa questão. O código usado, de forma parcial, estácontido na tabela a seguir. Resposta: D Cor Preto Marrom Vermelho Laranja Amarelo Verde Questão 13 Número 0 1 2 3 4 5 A corrente elétrica que chega até nossas residências é transpor- tada por meio de linhas de transmissão constituídas de cobre,Quais são as cores que representam, da esquerda para a direita cuja resistência, à temperatura de 20°C, é de 120Ω e o coefici-(como na figura), um resistor de resistência igual a 320000? ente de temperatura dessa resistência é α = 3,9 . 10–3°C–1.a) Laranja, vermelho e preto.b) Vermelho, laranja e preto.c) Preto, vermelho e laranja.d) Laranja, vermelho e amarelo.e) Amarelo, laranja e vermelho. Em um dia quente de verão, a uma temperatura de 35°C, esseRESOLUÇÃO: mesmo condutor passará a ter resistência, em ohms, com um va-320000Ω = 32 . 104Ω lor mais próximo a:Faixa 1 = algarismo das dezenas = 3 (cor laranja) a) 107Faixa 2 = algarismo das unidades = 2 (cor vermelha) b) 110Faixa 3 = expoente da potência de 10 = 4 (cor amarela) c) 120 d) 127Resposta: D e) 135 Dado: R2 = R1 (1 + αΔθ)Questão 12 RESOLUÇÃO:Nos últimos meses, assistimos aos danos causados por terremo- R2 = R1 (1 + αΔθ)tos. O epicentro de um terremoto é fonte de ondas mecânicas R2 = 120 (1 + 3,9 . 10–3 . 15) (Ω)tridimensionais que se propagam sob a superfície terrestre. Es- R2 = 120 + 120 . 3,9 . 15 . 10–3 (Ω)sas ondas são de dois tipos: longitudinais e transversais. As R2 = 120 + 7,02 (Ω)ondas longitudinais viajam mais rápido que as transversais e, R2 = 127Ωpor atingirem as estações sismográficas primeiro, são tambémchamadas de ondas primárias (ondas P); as transversais são Resposta: Dchamadas de ondas secundárias (ondas S). A distância entre a30 –
  • Questão 14Em um circuito, três lâmpadas idênticas, dimensionadas paraoperarem com tensão de 110V, foram ligadas como indica a fi-gura a seguir.Uma delas “queimou” por excesso de tensão (sobretensão).Analisando-se o circuito e aplicando- se seus conhecimentossobre a lei de Ohm, é possível afirmar que:a) “queimou” L1 , pois sua resistência elétrica é maior que a da associação de L2 e L3, tendo como consequência maior tensão sobre ela.b) “queimou” L2, por estar no meio do caminho, pois passará Com respeito à intensidade do brilho da lâmpada L1 , deveria por ela maior corrente. ser esperado que fosse:c) “queimou” L3, pois terá que sustentar toda a tensão aplica- da em L1 e em L2. a) a mesma nos três circuitos.d) “queimaram” as três lâmpadas, pois, sendo idênticas, todas b) maior no circuito I e igual nos circuitos II e III. terão excesso de tensão. c) menor no circuito II e igual nos circuitos I e III.e) não há como determinar qual lâmpada irá queimar, pois, d) menor no circuito I e igual nos circuitos II e III. sendo idênticas, a tensão será dividida igualmente para to- e) maior no circuito I e menor no circuito III. das. RESOLUÇÃO:RESOLUÇÃO: Nos circuitos I e III, as lâmpadas estão sob a mesma tensãoComo as lâmpadas são idênticas, elas têm a mesma resistência elétrica e terão brilhos iguais. No circuito II, com as lâmpadaselétrica R. em série, a intensidade de corrente elétrica é a metade daquela do circuito I e o brilho da lâmpada será menor. Resposta: C Questão 16 Nas instalações elétricas domésticas, lâmpadas (L) são ligadas ao circuito por meio de um interruptor (l). No quarto de Viní- cius, há um interruptor que pode fazer duas lâmpadas (L1 e L2) acenderem e apagarem simultaneamente. Se uma delas se quei- mar, a outra pode funcionar normalmente, até que a lâmpada queimada seja substituída por uma nova. Assinale a alternativa em que o diagrama representado corres- ponde ao circuito elétrico do quarto de Vinícius. U1 a)U1   220 2 3U 1  220 2 440U1  V  147V 3 b)A lâmpada L1 foi dimensionada para operar com 110V e estásob tensão de 147V e vai “queimar”.Resposta: AQuestão 15 c)Observou-se que uma pequena lâmpada, L1 , ao ser ligada auma pilha de 1,5V, produziu um determinado brilho (figura I).Em seguida, usando-se a mesma pilha, ligou-se essa mesmalâmpada a outra idêntica, L2, de dois modos diferentes (figurasII e III). – 31
  • d) Questão 17 Considerando-se que a velocidade do automóvel permaneceu inalterada durante o tempo de reação tR, é correto afirmar que a distância dR é de a) 3,0me) b) 12,0m c) 43,2m d) 60,0m e) 67,5m RESOLUÇÃO: ∆s = v . t (MU) 54,0 4 dR   (m)  d R  12,0mRESOLUÇÃO: 3,6 5As lâmpadas devem estar ligadas em paralelo e o interruptorlocalizado entre a fonte de energia elétrica F e as lâmpadas. Resposta: BResposta: B Questão 18Texto para os testes de 17 a 19. Ao reagir à situação de perigo iminente, o motorista aciona os freios, e a velocidade do automóvel passa a diminuir gradativa-O tempo de reação tR de um condutor de um automóvel é defi- mente, com aceleração constante de módulo 7,5m/s2, até parar.nido como o intervalo de tempo decorrido entre o instante em Nessas condições, é correto afirmar que a distância dF é de:que o condutor se depara com uma situação de perigo e o ins-tante em que ele aciona os freios. a) 2,0m b) 6,0m(Considere dR e dF, respectivamente, as distâncias percorridas c) 15,0mpelo veículo durante o tempo de reação e de frenagem; e dT, a d) 24,0mdistância total percorrida. Então, dT = dR + dF). e) 30,0mUm automóvel trafega com velocidade constante de módulo v = RESOLUÇÃO:54,0km/h em uma pista horizontal e retilínea. Em dado instante, v2 = v02 + 2γΔs (MUV)o condutor visualiza uma situação de perigo, e seu tempo de re- 0 = (15,0)2 + 2 (–7,5)dFação a essa situação é de (4/5)s, como ilustrado na sequência de 225 = 15,0dF ⇒ dF = 15,0mfiguras a seguir. Resposta: C Questão 19 Em comparação com as distâncias dR e dF, já calculadas, e lem- brando que dT = dR + dF, considere as seguintes afirmações so- bre as distâncias percorridas pelo automóvel, agora com o dobro da velocidade inicial, isto é, 108km/h. I- A distância percorrida pelo automóvel durante o tempo de reação do condutor é de 2dR. II- A distância percorrida pelo automóvel durante a frenagem é de 2dF. III- A distância total percorrida pelo automóvel é de 2dT. Está correto o que se afirma em: a) I, apenas. b) II, apenas. c) I e II, apenas. d) I e III, apenas. e) I, II e III. RESOLUÇÃO: I- (V) Quando v0 duplica, dR também duplica, pois o tempo de reação é o mesmo e dR e v0 são proporcionais. II- (F) A distância de freada é proporcional ao quadrado de v0; quando v0 duplica, dF quadruplica. III- (F) Somente seria verdadeira se dF também duplicasse. Resposta: A32 –
  • Questão 20 e) o processo de transformação de gelo em vapor é chamado evaporação. Água em Marte? RESOLUÇÃO:A questão “água líquida na superfície de um planeta” se con- a) (F) De acordo com o texto, a água está nos estados sóli-funde com a questão “vida no planeta”. Pelo que acreditamos, dos e de vapor.a presença de água líquida na superfície de um planeta não é b) (V)apenas condição necessária, como também é um elemento “for- c) (F) A temperatura é muito baixa, da ordem de – 60°C.te”, em favor do desenvolvimento de vida nesse planeta. d) (F) A pressão atmosférica é baixa, da ordem de 0,6% da pressão atmosférica terrestre.À medida que a “exploração” de Marte avança, vamos desco- e) (F) É chamado sublimação.brindo novas evidências da presença de água em sua superfície.A sonda Mars Global Surveyor (MGS), pouco depois que en- Resposta: Btrou na órbita de Marte, em dezembro de 1998, não apenas ob-teve dados que confirmam a presença atual de água sólida e de Questão 21vapor-d’água na superfície desse nosso vizinho, como tambémreforçou a ideia da presença passada de grandes quantidades Luísa, uma garota esperta e prestativa, tem, entre suas tarefasde água líquida em sua superfície. Recentemente, a NASA pu- em casa, encher as forminhas de gelo com água e colocá-las noblicou novas imagens obtidas pela MGS, que sinalizam a pre- congelador. Em determinado dia, a menina usou 250g de água,sença de água no subsolo marciano. Parte dessa água, espora- à temperatura de 20°C, para congelar. Seu congelador utiliza adicamente, fluiria por sua superfície nos dias atuais. potência constante de 5,0cal/s para formar o gelo, cujo calor la- tente específico de solidificação é igual a 80cal/g. Sendo o calor específico sensível da água igual a 1,0cal/g°C, para encontrar a água colocada totalmente convertida em gelo, Luísa deverá abrir o congelador em, no mínimo: a) 1000s b) 2000s c) 3000s d) 4000s e) 5000s RESOLUÇÃO: I- |Q1| = m . c |Δθ| |Q1| = 250 . 1,0 . 20cal = 5000cal II- Q2 = m . Ls Q2 = 250 . 80cal = 20000calImagem obtida pela MGS. As formações fotografadas parecem corresponder a III- Q = Q1 + Q2 = 25000cal rios e lagos antigos. Q 25000 IV- Pot   5 ,0  t tTermodinâmica é a parte da Física que estuda o fluxo de calor Δt = 5000sentre os corpos e os seus efeitos. Segundo a termodinâmica,água pode ser encontrada estável na superfície de Marte ape- Resposta: Enas como gelo ou vapor. Pode até existir água líquida na super-fície de Marte, porém em locais muito específicos e durante in- Questão 22tervalos de tempo muito curtos. Se, de alguma maneira, colo-cássemos uma certa quantidade de água líquida em Marte, essa Numa área de praia, a brisa marítima é uma consequência daágua líquida rapidamente se transformaria em gelo ou vapor, diferença no tempo de aquecimento do solo e da água, apesardependendo do local onde a colocássemos. de ambos estarem submetidos às mesmas condições de irradia-Isso acontece devido, principalmente, à baixa pressão atmosfé- ção solar. No local (solo) que se aquece mais rapidamente, o arrica na superfície de Marte (cerca de 0,6% da pressão atmosfé- fica mais quente e sobe, deixando uma área de baixa pressão,rica na superfície da Terra); assim como à sua baixa tempera- provocando o deslocamento do ar da superfície que está maistura (–60 graus Celsius em média) (...) (Profº Renato Las Casas. <http://www.observatorio.ufmg.br/pas27.htm>.) fria (mar).Com base no texto apresentado, podemos concluir que:a) a água encontrada atualmente na superfície de Marte está no estado líquido.b) a água encontrada atualmente na superfície de Marte está no estado sólido e no estado gasoso, e evidencia a possibi- À noite, ocorre um processo inverso ao que se verifica durante lidade de “vida no planeta” em épocas passadas. o dia.c) a água líquida, na superfície de Marte, seria transformada rapidamente em gelo ou vapor, em virtude da elevadíssima temperatura nesse local (muito maior que na Terra).d) a água líquida, na superfície de Marte, seria transformada rapidamente em vapor, em virtude da elevadíssima pressão atmosférica nesse local (muito maior que na Terra). – 33
  • Como a água leva mais tempo para esquentar (de dia), mas Questão 24também leva mais tempo para esfriar (à noite), o fenômeno no-turno (brisa terrestre) pode ser explicado da seguinte maneira: O Brasil é um país tropical e grande parte do seu território está sujeita a temperaturas bastante elevadas.a) o ar que está sobre a água se aquece mais; ao subir, deixa uma área de baixa pressão, causando um deslocamento de A figura a seguir ilustra algumas técnicas simples e econômicas ar do continente para o mar. de se proteger o telhado de uma residência do aquecimento pro-b) o ar mais quente desce e se desloca do continente para a vocado pela radiação solar. água, a qual não conseguiu reter calor durante o dia.c) o ar que está sobre o mar se esfria e dissolve-se na água; forma-se, assim, um centro de baixa pressão, que atrai o ar quente do continente.d) o ar que está sobre a água se esfria, criando um centro de alta pressão que atrai massas de ar continental.e) o ar sobre o solo, mais quente, é deslocado para o mar, equilibrando a baixa temperatura do ar que está sobre o mar.RESOLUÇÃO: As explicações corretas para os efeitos refrescantes do papelDurante a noite, a água mantém-se aquecida pelo calor rece- laminado, das placas de isopor e das aberturas no telhado são,bido durante o dia; o ar aquecido sobe, formando uma zona respectivamente:de baixa pressão. Ao mesmo tempo, em terra, o rápido esfria-mento da superfície forma uma zona de alta pressão e o ar a) conduzir calor de uma telha para outra, impedir a conduçãocontinental começa, então, a se deslocar para o mar em virtu- do calor para o interior da casa, retirar calor por convecçãode da diferença de pressão, formando a brisa terrestre. do ar. b) dificultar a passagem da radiação solar, dificultar a convec-Resposta: A ção do ar dentro da casa, conduzir calor de uma telha para outra.Questão 23 c) dificultar a passagem da radiação solar, impedir a condução do calor para o interior da casa, retirar calor por convecçãoO senhor Francisco dispõe de 10 lâmpadas incandescentes e de- do ar.seja montar uma estrutura em sua propriedade rural para manter d) retirar calor das telhas por condução, irradiar calor de voltasuas galinhas aquecidas no inverno. Para gastar a menor quanti- para as telhas, retirar calor por convecção do ar.dade de energia e não correr o risco de que o sistema se desative e) conduzir calor de uma telha para outra, irradiar calor decom a queima de apenas uma lâmpada, e suas galinhas correrem volta para as telhas, dificultar o aquecimento por convec-o risco de morrerem de frio, ele deve associar: ção.a) todas as lâmpadas do sistema em série. RESOLUÇÃO:b) todas as lâmpadas do sistema em paralelo. I- O papel laminado reflete a radiação solar e, portanto, di-c) em paralelo, duas séries de cinco lâmpadas. ficulta a passagem da radiação solar.d) em série, cinco paralelos de duas lâmpadas. II- As placas de isopor são isolantes térmicos e, portanto, im-e) em série ou paralelo pois nada interfere no sistema citado. pedem a condução de calor para o interior da casa. III- As aberturas no telhado permitem a convecção do arRESOLUÇÃO: aquecido (menos denso), que escapa para o exterior deAs lâmpadas não poderiam estar todas associadas em série, modo a retirar o calor por convecção do ar.pois, se isso ocorresse, a queima de apenas uma das lâmpadasiria desativar toda a estrutura. Resposta: CAs lâmpadas não podem estar todas ligadas em paralelo, por-que o gasto de energia elétrica seria máximo. Questão 25Restam as opções “C” e “D”. Quatro lâmpadas idênticas (60W – 110V) são ligadas a uma fonte de tensão de 220V de três maneiras diferentes, representa- das pelas figuras A, B e C. 5RReq  2 5RReq   Pot D  PotC 2Se apenas uma das lâmpadas queimar, teremos:Rc = 5R e RD = 3R.A potência em D seria maior e o gasto de energia elétricatambém.Resposta: C34 –
  • Com relação a essa situação, analise as afirmações a seguir. Questão 27I- Na situação da figura A, as quatro lâmpadas dissiparão po- Um grupo de alunos dispõe de uma fonte de tensão e 4 lâmpa- tência maior que a nominal, e queimar-se-ão. das de lanterna iguais. As especificações nominais da fonte sãoII- Na situação da figura B, as quatro lâmpadas fornecerão a 3,0V; 300mA e as das lâmpadas são 1,5V; 150mA. Eles devem maior claridade possível, sem se queimar. montar um circuito, com essa fonte, em que todas as lâmpadasIII- Na situação da figura C, todas as lâmpadas terão brilho são utilizadas e acendem de acordo com suas especificações. maior que o normal, porém, nenhuma se queimará. Assinale a alternativa cujo esquema representa esse circuito.Podemos afirmar que: a)a) apenas as afirmações I e II estão corretas.b) apenas as afirmações I e III estão corretas.c) apenas as afirmações II e III estão corretas.d) as afirmações I, II e III estão corretas.e) as afirmações I, II e III estão incorretas.RESOLUÇÃO:I- (V) Na figura “A”, as quatro lâmpadas estão ligadas em b) paralelo, a uma tensão de 220V. Como a tensão no- minal de cada lâmpada é de 110V, as quatro lâmpa- das vão se queimar.II- (V) Na figura “B”, temos dois conjuntos de duas lâmpa- das em série, ligadas em 220V. Cada lâmpada supor- tará 110V e funcionará em condições normais com c) sua potência de 60W. d)III- (F) Na figura “C”, as quatro lâmpadas estão ligadas em série, cada uma suportará uma tensão elétrica d 220V  U2   55V e terá potência  P   de 15W, 4  R  com brilho muito abaixo do normal e nenhuma se queimará.Resposta: A e)Questão 26Durante a partida de um motor de automóvel, o motor de arran-que demanda uma corrente elétrica da ordem de 20A, e a tensãonos terminais da bateria cai do valor normal, de 12V para 8V. Épor essa razão que as luzes ficam fracas e o rádio, se estiver li-gado, deixa de funcionar. Os carros modernos têm um disposi-tivo que desliga automaticamente, durante a partida, todos os RESOLUÇÃO:circuitos não necessários. No esquema “B”, cada conjunto de duas lâmpadas em série está sob tensão de 3,0V e cada uma suporta 1,5V, que é suaO valor da resistência interna dessa bateria é, em ohm: tensão nominal, e, portanto serão percorridas por corrente elétrica de intensidade 150mA.a) 0,4Ωb) 0,2Ω A corrente total fornecida pela fonte será de 300mA.c) 0,06Ωd) 0,04Ω Resposta: Be) 0,02Ω Questão 28RESOLUÇÃO:U=E–r.I No recente blecaute que afetou a vida de milhões de brasileiros,8 = 12 – r . 20 um vestibulando de São Paulo, estado mais afetado pelo apa-20r = 4 gão, decidiu usar sua lanterna a pilha. Essa lanterna funcionar = 0,2Ω com 3 pilhas comuns (1,5V cada), associadas em série, que vão constituir uma fonte de 4,5V de tensão. Como a luminosidadeResposta: B fornecida pela lâmpada não lhe fosse suficiente e ele dispusesse de outra lâmpada idêntica, resolveu usar ambas simultaneamen- te, improvisando uma associação. – 35
  • Para conseguir a luminosidade desejada, mais intensa, o vesti- Questão 30bulando deve ter associado as lâmpadas em: O sistema circulatório é de certa maneira semelhante aos cir-a) série, sabendo que, assim, as pilhas durariam a metade do cuitos elétricos. tempo em comparação ao seu uso com uma lâmpada apenas.b) série, sabendo que as pilhas durariam o mesmo tempo que A seguir, temos uma tabela de correspondência entre os elemen- duram quando alimentam uma lâmpada apenas. tos do sistema circulatório e os elementos do circuito elétrico.c) paralelo, sabendo que as pilhas durariam menos tempo que duram quando alimentam uma lâmpada apenas. Sistema circulatório Circuito elétricod) paralelo, sabendo que as pilhas durariam o mesmo tempo que duram quando alimentam uma lâmpada apenas. I. Coração α Carga elétricae) paralelo, sabendo que as pilhas durariam mais tempo em comparação ao seu uso com uma lâmpada apenas. II. Sangue β Potencial elétricoRESOLUÇÃO: III. Pressão sanguínea γ Fios IV. Vasos sanguíneos Δ Bateria elétrica V. Fluxo sanguíneo ε Corrente elétrica Assinale a alternativa que apresenta a associação correta. a) I – Δ; II – α; III – β; IV – ε; V – γ. b) I – α; II – Δ; III – β; IV – γ; V – ε. c) I – Δ; II – α; III – ε; IV – γ; V – β. d) I – Δ; II – α; III – β; IV – γ; V – ε.As duas lâmpadas vão operar sob tensão de 4,5V e, portanto, e) I – ε; II – α; III – β; IV – γ; V – Δ.com brilho normal, porém as pilhas reduzirão o seu tempo devida à metade, porque terão de fornecer o dobro de corrente RESOLUÇÃO:elétrica. O coração é a fonte de energia e corresponde à bateria. (I – Δ)Resposta: C O sangue é o elemento transportado e corresponde à cargaQuestão 29 elétrica. (II – α)Sem a menor dúvida de que ganharia, um coelho aposta com A pressão sanguínea é a causa da movimentação do sangue euma tartaruga que chegaria antes dela à cidade vizinha, distante corresponde à diferença de potencial elétrico. (III – β)2,4km. Iniciada a corrida, o coelho e a tartaruga assumem, ime-diatamente, movimentos de velocidades constantes, com módu- Os vasos sanguíneos são por onde o sangue circula e corres-los respectivamente iguais a 40m/min e 2,0m/min. Convencido pondem aos fios de ligação. (IV – γ)da vitória, o coelho para em determinado local da trajetóriacombinada e põe-se a descansar, acabando por dormir. O tempo O fluxo sanguíneo é a corrente elétrica. (V – ε)máximo que o coelho poderá dormir, retornando em seguida àcorrida, com a mesma velocidade constante com a qual havia Resposta: Diniciado, vencendo-a, é, em horas, mais próximo de: Questão 31a) 20b) 19 “Por um momento, ninguém entendeu. Por que Pelé não pas-c) 18 sou? Por que atirava de tão espantosa distância? E o goleiro custou a perceber que era ele a vítima. Seu horror teve qualquerd) 17e) 16 coisa de cômico. Pôs-se a correr, em pânico. De vez em quando, parava e olhava. Lá vinha a bola. Parecia uma cena dos Três Patetas. E, por um fio, não entra o mais fantástico gol de todasRESOLUÇÃO: as Copas passadas, presentes e futuras. Os tchecos parados, os1) Tempo gasto pela tartaruga: brasileiros parados, os mexicanos parados – viram a bola tirar o Δ1 = V t (MU) maior fino da trave. Foi um cínico e deslavado milagre não ter 2,4 . 103 = 2,0 T1 ⇒ T1 = 1,2 . 103min se consumado esse gol tão merecido. Aquele foi, sim, um mo- mento de eternidade do futebol.”2) Tempo gasto pelo coelho, sem parar: (Nelson Rodrigues, À Sombra das Chuteiras Imortais. Companhia das Letras, Δs = V t (MU) 1993. p . 172.) 2,4 . 103 = 40 T2 ⇒ T2 = 60min O texto, de Nelson Rodrigues, descreve o “gol que Pelé não3) Para que o coelho ganhe a corrida: fez” chutando de antes do meio de campo na partida Brasil vs. T2 + Tp < T1 Tchecoslováquia pela Copa do Mundo de 1970, em Guadalaja- 60 + Tp < 1200 ra. O goleiro, que estava muito adiantado quando Pelé chutou, Tp < 1140 min viu a bola descrever uma trajetória levando aproximadamente Tp < 19h 3,0 segundos para percorrer uma distância horizontal de 60 me- tros desde o lançamento até o seu retorno ao solo.Resposta: B (AGUIAR E RUBINI, 2004.)36 –
  • Considerando-se esses dados, assinale a alternativa que descre- Questão 33ve o movimento que a bola teve após o chute, desprezando-se oefeito do ar e considerando-se g = 10m/s2. Um aluno, utilizando um voltímetro, mede a tensão nos termi- nais de duas pilhas de lanterna, uma velha e uma nova, isolada-a) Um movimento uniformemente variado com aceleração es- mente, e obtém o mesmo valor para cada uma, 1,5V. No entanto, calar de 10m/s2. a lanterna só acende quando nela se coloca a pilha nova. Parab) Um movimento cuja velocidade tem uma componente hori- justificar o que aconteceu, ele propõe as seguintes explicações: zontal constante de módulo 72km/h.c) Um movimento cuja velocidade tem componente vertical I- A pilha velha não fornece a corrente elétrica necessária pa- constante de módulo 72km/h. ra acender a lâmpada, porque sua resistência interna é mai-d) Um movimento em que a bola atingiu uma altura máxima or do que a resistência interna da pilha nova. de 22,5m. II- O voltímetro não detecta diferença de tensão nos terminaise) Um movimento retardado durante a subida que durou 2,0s. das pilhas, porque, em ambas as situações em que as medi- das são feitas, a corrente que atravessa as pilhas é muitoRESOLUÇÃO: pequena.a) Falsa. III- As pilhas velhas sempre estabelecem mau contato com os O movimento balístico não é uniformemente variado. circuitos em que elas se inserem, o que não acontece comb) Verdadeira. as pilhas novas. O movimento horizontal é uniforme com velocidade cujo módulo V0x é dado por: Está correto o que se afirma em: D 60m V0 x    20m/s  72km/h T 3,0s a) I, II e III.c) Falsa. b) I e II, apenas. A velocidade vertical é variável. c) I e III, apenas.d) Falsa. d) II e III, apenas. 1) Vy = V0y + γy t ⇒ 0 = V0y – 10 . 1,5 ⇒ V0y = 15m/s e) I, apenas. 2) V y2  V02y  2 y  s y RESOLUÇÃO: 225 I- (V) Na pilha velha, a resistência interna é muito grande e 0 = 225 + 2 (–10) H ⇒ H = (m) = 11,25m 20 a corrente elétrica fornecida é insuficiente parae) Falsa. acender a lâmpada da lanterna. A subida durou 1,5s (metade do tempo de voo).Resposta: BQuestão 32 II- (F) O voltímetro detecta tensão de 1,5V nos terminais de cada pilha.Um velocímetro comum de carro mede, na realidade, a veloci- III- (F)dade angular do eixo da roda e indica um valor que correspon-deria à velocidade do carro. O velocímetro para um determina- Resposta: Edo carro sai da fábrica calibrado para uma roda de 20 polegadasde diâmetro (isso inclui o pneu). Um motorista resolve trocar as Questão 34rodas do carro para 22 polegadas de diâmetro. Assim, quando ovelocímetro indica 100km/h, a velocidade real do carro é Uma dona de casa vai a um supermercado e pega um carrinho de compras de massa 10,0kg e vai enchê-lo de produtos, coma) 160km/h massa total de 10,0kg.b) 120km/h A dona de casa empurra o carrinho cheio com uma força hori-c) 110km/h zontal constante de intensidade 30,0N.d) 90km/h A força total de atrito que o piso exerce no carrinho tem inten-e) 80km/h sidade de 20,0N.RESOLUÇÃO:A velocidade angular é a mesma: V1 V  2 R1 R2 R2V2   V1 R1 22V2   100 (km/h) 20V2  100km/h A aceleração da gravidade tem módulo g = 10,0 m/s2 e o efeito do ar é desprezível.Resposta: C A aceleração do carrinho terá módulo igual a: a) zero b) 0,5m/s2 – 37
  • c) 1,0m/s2 Questão 36d) 1,5m/s2e) 2,0m/s2 Se uma pessoa tem reserva apreciável de gordura, ela pode “queimá-la” parcialmente, se os alimentos ingeridos não foremRESOLUÇÃO: suficientes para a realização de todas as transformações meta-PFD: F – Fat = M a bólicas e do trabalho eventualmente realizado. Os regimes de30,0 – 20,0 = 20,0a emagrecimento são em geral uma aplicação deste fato.a = 0,5m/s2 O homem pode ser imaginado com uma máquina com rendi- mento de 25% transformando energia química dos alimentosResposta: B em trabalho. Com base no texto, analise as proposições a seguir:Questão 35 I- É possível emagrecer por meio de refeições contendo pou-Observe o quadrinho. cas calorias acompanhadas de realização de trabalho. II- Os sorvetes não podem ser ricos em calorias porque são ge- lados. III- Quando um homem sobe rapidamente uma escada com su- as forças musculares realizando trabalho, ele se aquece, pois a cada caloria gasta na forma de trabalho restam três calorias na forma de energia térmica para aquecer o seu corpo. Somente está correto o que se afirma em: a) I b) II c) III d) I e II e) I e IIIConsidere as massas do recruta Zero, do sargento Tainha e da RESOLUÇÃO:bigorna, respectivamente iguais a 55kg, 80kg e 35kg. Sendo I- Verdadeiro.constante a intensidade de todas as forças atuantes e sabendo-se É a essência do texto.que, no primeiro quadrinho, a reação normal do solo sobre o re- II- Falso.cruta Zero tem intensidade de 50N e que a aceleração da gravi- O conteúdo energético pode ser grande (muitas calorias)dade local tem módulo g = 10m/s2, a máxima intensidade da mesmo com temperaturas baixas.aceleração, em m/s2, com que o sargento Tainha é levado para o III- Verdadeiro.alto é, mais próximo de Como o rendimento é de 25%, para cada caloria aprovei- tada, três calorias são dissipadas na forma térmica.a) 0,13b) 0,63 Resposta: Ec) 5,0d) 6,3e) 11,0 Questão 37RESOLUÇÃO: Leia o texto. As estrelas que de noite eu via Todas elas lá no céu estão Mesmo sem vê-las durante o dia Estão no céu com o sol gordão São trilhares de estrelas e eu nem sabia Que estão lá no céu até mesmo de dia Como pode o céu ter tanta estrela? Como pode? Parece um mar de areia... Nesse trecho da música “Trilhares” de Paulo Tatit e Edith Der- dyk (Canções Curiosas – Palavra Cantada), os autores afirmam que as estrelas estão presentes no céu, tanto de dia como de noi- te. Essa afirmação está a) correta porque as estrelas estão mais distantes da Terra du-Resposta: B rante o dia e não podem ser vistas. b) correta porque as estrelas são ofuscadas pelo brilho do Sol durante o dia e não podem ser vistas.38 –
  • c) incorreta porque, devido ao movimento de rotação da Ter- c) V V F F V ra, a única estrela presente no céu durante o dia é o Sol. d) F V F V Fd) incorreta porque, devido ao movimento permanente das es- e) V V F V V trelas, elas aparecem à noite e desaparecem de dia.e) incorreta porque, devido ao efeito gravitacional da Terra RESOLUÇÃO: sobre as estrelas, elas giram ao redor da Terra, aparecendo (1) Falsa. à noite e desaparecendo de dia. O espelho usado deve ser côncavo (foco real). (2) Verdadeira.RESOLUÇÃO: (3) Falsa.Durante o dia, a luz solar muito intensa ofusca a luz proveni- Rente das estrelas. f  2 (4) Verdadeira.Resposta: B (5) Verdadeira. p = 6,0mQuestão 38 f = 4,0m 1 1 1 1 1 1 3,0  2,0 1,0O flagelo das secas no Sertão nordestino e a inclemência do sol       têm levado fome e sofrimento à região. Agora o sol começa a p 6 ,0 4 ,0 p 4 ,0 6 ,0 12,0 12,0ser um aliado. Vários projetos sobre o uso da energia solar pe- p  12,0mnetram na caatinga e tiram proveito do sol abundante na região.Um deles é o fogão solar. O fogão transforma a irradiação solarem calor para o preparo de alimentos. Concentradores de raiossolares, dispostos em forma de espelhos esféricos, convergem aenergia para um ponto central. A temperatura alcançada depen-derá de dois fatores: a qualidade do material utilizado para re-vestir o espelho e sua correta posição em relação ao sol. A tem-peratura chega a mais de 350ºC, mais do que suficiente para ocozimento de alimentos ou aquecimento de água. Resposta: B Questão 39 Um novo tipo de roupa inteligente que se adapta a variações de temperatura para manter o usuário confortável foi desenvolvida por pesquisadores ingleses. A roupa utiliza a última palavra em microtecnologia para produzir um material que permite que o ar resfrie o usuário quando a temperatura está alta, e expulse o ar quando a temperatura cai. O tecido inteligente consiste de uma camada superior de pequenos picos de material que absorve o suor, cada um medindo apenas cinco micrômetros de diâmetro. Quando a pessoa se aquece e começa a suar, os pequenos picos do material reagem com a umidade e o calor e se abrem auto- maticamente, permitindo que o ar exterior flua e resfrie a pes- soa. Quando ela para de transpirar, os picos se fecham nova-Com base no texto e em conhecimentos sobre o assunto, avalie mente, e o ar deixa de entrar.as afirmativas, classificando-as como verdadeiras (V) ou falsas(F).(1) O funcionamento do fogão solar se baseia no princípio de reflexão da luz num espelho convexo.(2) A posição de aquecimento de uma panela com água deve ser o foco do espelho, local onde ocorre a convergência dos raios solares que incidem paralelos ao eixo principal do es- pelho, nas condições de Gauss.(3) Se o espelho utilizado para a reflexão dos raios solares for perfeitamente esférico, teremos, para um raio de 2,0m, uma posição focal de 4,0m em relação ao vértice do espelho.(4) A panela, se colocada na região focal do espelho, não pode- rá ser vista por reflexão, já que sua imagem é imprópria (localizada no infinito).(5) Se um pássaro se encontra a 6,0m do vértice do espelho (de raio 8,0m), sobre o eixo principal, sua imagem será real e estará a 8,0m da panela, localizada no foco.A sequência correta de V e F é:a) V F V F Fb) F V F V V – 39
  • Considerando-se o texto e conhecimentos sobre Termologia, as- c) no centro de curvatura de E2 e antes do foco de E1 e 20cm.sinale a opção falsa. d) no centro de curvatura de E2 e no foco de E1 e 25cm. e) no foco de ambos os espelhos e 30cm.a) O processo que permite ao corpo ser resfriado pela absor- ção do suor no tecido é endotérmico, ou seja, retira calor do RESOLUÇÃO: corpo.b) O ar seco proveniente do exterior, além de reduzir a tempe- ratura, é um excelente condutor térmico.c) Se o corpo humano permite eliminar por 1,0g de suor apro- ximadamente uma quantidade de energia de 0,6kcal (quilo- calorias), ao eliminarmos 10,0g de suor perderemos a ener- gia necessária para elevar em 60°C a temperatura de 100g de água no estado líquido (calor específico sensível da água 1,0cal/g°C).d) O aumento de temperatura do corpo provoca a dilatação dos picos do tecido. Sendo o coeficiente de dilatação linear do tecido igual a 7,0.10–5°C–1, podemos concluir que, para um aumento de 0,07% no diâmetro do pico, é necessária O filamento deve estar no centro de curvatura C2 do espelho uma variação de temperatura de 10°C. E2 para que os raios provenientes do filamento voltem sobre sie) Se aumentar a umidade do ar externo, a velocidade de eva- mesmos e incidam em E1. O filamento deve estar no foco de E1 poração do suor absorvido pelo tecido será menor. para que raios que passam por F1 possam refletir-se parale- lamente ao eixo principal dos espelhos.RESOLUÇÃO: d = R2 + f1 = 10cm + 15cma) Verdadeira. d = 25cmb) Falsa. Resposta: D O ar seco é isolante térmico. Questão 41c) Verdadeira. 1,0g ............. 0,6 kcal Considere os circuitos com duas lâmpadas, L1 e L2, de mesma 10,0g ............. Q tensão nominal, mas diferentes resistências elétricas. Sob uma Q = 6,0kcal tensão de 120V, a lâmpada L1 apresenta resistência elétrica de Q = m c Δθ 180Ω e a lâmpada L2, de 144Ω. Se ambas as lâmpadas ficam 6,0 . 103 = 100 . 1,0 . Δθ ⇒ Δθ = 60°C acesas nesses circuitos, pode-se dizer qued) Verdadeira. ΔL = L0 α Δθ L   L0 0 ,07  7 ,0  10 5     10C 100e) Verdadeira. Quanto maior a umidade do ar, menor é a velocidade de a) L1 brilha mais que L2 no circuito 1, mas menos que L2 no evaporação, que se anula quando a umidade relativa for circuito 2. de 100%. b) L1 brilha mais que L2 no circuito 2, mas menos que L2 no circuito 1.Resposta: B c) L1 brilha mais que L2 em ambos os circuitos. d) as lâmpadas brilham com a mesma intensidade no circuito 1.Questão 40 e) as lâmpadas brilham com a mesma intensidade no circuito 2.Os refletores de faróis, holofotes e lanternas podem ser espelhos RESOLUÇÃO:esféricos côncavos, embora os refletores parabólicos sejam mais No circuito 1, as lâmpadas estão em série e são percorridasvantajosos. Considere um holofote de jardim constituído de dois pela mesma corrente elétrica.espelhos esféricos, um maior, E1, e um menor, E2. Para aumen- O brilho da lâmpada está ligado à sua potência elétrica:tar a eficiência luminosa, um filamento luminoso é colocado en- P = R I2tre os dois espelhos esféricos côncavos, de mesmos eixos prin- Como I1 = I2 e R1 > R2, resulta P1 > P2 e a lâmpada L1 brilhacipais e voltados um para o outro, de modo que todos os raios mais que L2.emergentes do filamento que incidem em E2 se refletem no es- No circuito 2, as lâmpadas estão em paralelo e suportam apelho maior E1 e se projetam paralelos para o espaço. Suponha mesma tensão elétrica.que o raio de curvatura de E1 é igual a 30cm e é o triplo do raio U2de curvatura do espelho E2. Nesse caso, a posição do filamento P Rluminoso e a distância entre os espelhos são, respectivamente, Como U1 = U2 e R1 > R2, resulta P1 < P2 e a lâmpada L1 brilha menos que L2.a) no centro de curvatura de E1 e no foco de E2 e 10cm.b) no centro de curvatura de ambos os espelhos e 15cm. Resposta: A40 –
  • Questão 42 Questão 43A Lei de Ohm se expressa da seguinte maneira: “Mantendo-se Dínamos de bicicleta, que são geradores de pequeno porte, econstante a temperatura de um elemento passivo de um circuito, usinas hidrelétricas funcionam com base no processo de indu-o material do elemento é dito ôhmico (isto é, segue a Lei de ção eletromagnética, descoberto por Faraday. As figuras repre-Ohm) se a razão entre a diferença de potencial entre os termi- sentam esquematicamente o funcionamento desses geradores.nais do elemento, e a intensidade da corrente que o percorre, ti-ver um valor constante”.Com o dispositivo mostrado na figura, estuda-se como varia aintensidade da corrente que atravessa uma lâmpada de lanterna(de 1,5V) em função da diferença de potencial entre os seusterminais. Admita que a temperatura foi mantida constante. Ob-tém-se o gráfico, reproduzido a seguir: Nesses dois tipos de geradores, a produção de corrente elétrica ocorre devido a transformações de energia a) mecânica em energia elétrica. b) potencial gravitacional em energia elétrica. c) luminosa em energia elétrica. d) potencial elástica em energia elétrica. e) eólica em energia elétrica. RESOLUÇÃO:Tendo-se em vista as informações fornecidas e os resultados da Em um dínamo, há transformação de energia cinética emexperiência, qual(is) das seguintes afirmações está(ão) certa(s)? energia elétrica. Em uma usina hidrelétrica, há transformação de energia po-I- O material do filamento da lâmpada não é um material ôh- tencial gravitacional da água em energia cinética e, em segui- mico. da, em energia elétrica.II- A potência máxima dissipada na lâmpada, nessa experiên- cia, foi aproximadamente 0,39W. Resposta: AIII- Para uma diferença de potencial de 0,5V, a resistência apa- Questão 44  U  rente  R ap   da lâmpada é 2,0Ω.  I  Uma crescente preocupação com economia de energia tem ocorrido no desenvolvimento de novas tecnologias. Esse é o ca-a) I, II, III so dos novos aparelhos televisores de cristal líquido (LCD) comb) somente I iluminação feita por meio de diodos emissores de luz (LED) emc) somente II vez de lâmpadas fluorescentes das TVs LCD normais. Além ded) somente I e II normalmente consumirem menos energia, os LEDs não perma-e) somente II e III necem ligados a todo instante, permitindo uma grande econo- mia no consumo de energia elétrica.RESOLUÇÃO: Considere um LED cujo funcionamento segue a curva caracte-I- Verdadeira. rística representada. Admitindo-se a temperatura constante, a função I = f (U) deveria ser proporcional para o resistor ser ôhmico e o gráfico seria um segmento de reta passando pela origem.II- Verdadeira. P=UI Pmáx = Umáx . Imáx Pmáx = 1,4 . 0,28 (W) ≅ 0,39WIII- Verdadeira. U 0 ,5V Rap    2,0  I 0 ,25 AResposta: A – 41
  • A potência dissipada pelo LED, quando a tensão sobre ele for Considere o texto, as figuras e os conhecimentos sobre o temaU = +0,6V (polarização direta), vale: para assinalar a opção correta.a) 10mW a) No chuveiro elétrico, a água é aquecida pelo resistor dob) 12mW chuveiro, fenômeno físico denominado Efeito Joule.c) 20mW b) Quanto maior a potência do chuveiro, maior será o aqueci-d) 12W mento da água e menor será o consumo de energia.e) 20W c) O chuveiro desenvolvido pela empresa reduz o consumo de energia elétrica por causa da troca de calor por radiação naRESOLUÇÃO: serpentina.1) Leitura do gráfico: d) De acordo com o texto, se o kWh custar R$ 0,40, podemos U = 0,6V ⇔ I = 20 . 10–3A considerar uma economia de R$ 0,60 por hora no uso do2) P = U I chuveiro elétrico que utiliza esse dispositivo. P = 0,6 . 20 . 10–3W e) Após alguns segundos, a água da caixa (fria) começa a en- P = 12 . 10–3W trar em contato com a água do banho (quente), de forma in- P = 12mW direta, absorvendo a energia térmica da água por meio do trocador de calor. Chega ao chuveiro preaquecida e faz comResposta: B que ele trabalhe com menor potência, aumentando a corren- te elétrica no resistor do chuveiro.Questão 45 RESOLUÇÃO:Uma empresa mineira desenvolveu um chuveiro que recicla o a) Verdadeira.calor da água usada no banho – tecnologia que proporciona uma b) Falsa. Quanto maior a potência do chuveiro, maior será oexpressiva economia de até 50% de energia relativa ao uso de consumo de energia para o mesmo tempo de uso.chuveiros aquecidos (elétricos, a gás, caldeira, aquecimento so- c) Falsa. A troca de calor na serpentina não é por radiação.lar etc.). Ao abrir o registro (de água fria), através de uma cone- d) Falsa. Em uma hora, a economia será de 2,0kWh e a re-xão instalada na parede, a água é desviada por mangueiras espe- dução de custo será de R$ 0,80.ciais e conduzida para baixo até a plataforma, entrando em um e) Falsa. Trabalhando com menor potência, a corrente elé-trocador de calor em forma de serpentina; depois, sobe nova- trica no resistor vai diminuir.mente até a conexão e é aquecida pelo chuveiro. O processo depreaquecimento da água gera um ganho de 2,0kW na potência Resposta: Ado chuveiro elétrico. Questão 46 (INEP) – “Quatro, três, dois, um... Vá!” O relógio marcava 9h32min (4h32min em Brasília) na sala de comando da Organi- zação Europeia de Pesquisa Nuclear (CERN), na fronteira da Suíça com a França, quando o narrador anunciou o surgimento de um flash branco nos dois telões. Era sinal de que o experi- mento científico mais caro e mais complexo da humanidade ti- nha dado seus primeiros passos rumo à simulação do Big Bang, a grande explosão que originou o Universo. A plateia, formada por jornalistas e cientistas, comemorou com aplausos assim que o primeiro feixe de prótons foi injetado no interior do Grande Colisor de Hádrons (LHC – Large Hadrons Collider), um túnel de 27km de circunferência construído a 100m de profundidade. Duas horas depois, o segundo feixe foi lançado, em sentido con- trário. Os feixes vão atingir velocidade próxima à da luz e, en- tão, colidirão um com o outro. Essa colisão poderá ajudar a de- cifrar mistérios do Universo. CRAVEIRO, R. “‘Máquina do Big Bang’ é ligada”. Correio Braziliense, Brasí- lia, 11 set. 2008, p. 34 (com adaptações).Esquema de funcionamento Segundo o texto, o experimento no LHC fornecerá dados que possibilitarão decifrar os mistérios do Universo. Para analisar esses dados provenientes das colisões no LHC, os pesquisado- res utilizarão os princípios de transformação da energia. Saben- do desses princípios, pode-se afirmar que a) as colisões podem ser elásticas ou inelásticas e, em ambos os casos, a energia cinética total se dissipa na colisão. b) a energia dos aceleradores é proveniente da energia libera- da nas reações químicas no feixe injetado no interior do Grande Colisor. c) o feixe de partículas adquire energia cinética proveniente das transformações de energia ocorridas na interação do FONTE: Rewatt feixe com os aceleradores.42 –
  • d) os aceleradores produzem campos magnéticos que não inte- Questão 48 ragem com o feixe, já que a energia preponderante das par- tículas no feixe é a energia potencial. (UFRN) – Numa feira de ciências, Renata apresentou um dis-e) a velocidade das partículas do feixe é irrelevante nos pro- positivo simples capaz de gerar energia elétrica. O dispositivo cessos de transferência de energia nas colisões, sendo a apresentado, conhecido como gerador homopolar, era constituí- massa das partículas o fator preponderante. do por um disco metálico girando com velocidade angular cons- tante em um campo magnético constante e uniforme cuja ação éRESOLUÇÃO: extensiva a toda área do disco, como mostrado na figura a se-Os prótons são acelerados por campos elétricos e em seguida guir. Para ilustrar o aparecimento da energia elétrica no gerador,executam movimentos circulares e uniformes orientados por Renata conectou uma lâmpada entre a borda do disco e o eixocampos magnéticos. metálico de rotação.Resposta: CQuestão 47Nos chuveiros elétricos, transformamos energia elétrica emenergia térmica em virtude do Efeito Joule que ocorre quando acorrente elétrica atravessa o resistor do chuveiro.A temperatura da água está ligada à potência elétrica do chuvei-ro, que vai depender da resistência elétrica de seu resistor.Sendo U a tensão elétrica utilizada (110V ou 220V), I a intensi-dade da corrente elétrica e R a resistência elétrica do resistor, apotência P é dada pelas relações: Considerando-se o dispositivo apresentado, é correto afirmar U2 P  UI  RI 2  que RUma chave seletora pode ocupar as posições A, B ou C indica- a) a força eletromotriz é originada devido à Força de Lorentz.das na figura, que correspondem, não respectivamente, às posi- b) a força eletromotriz é originada pela variação de fluxoções de morno, quente ou muito quente para a temperatura de- magnético no disco.sejada para o banho. c) a corrente que aparece no circuito acoplado ao gerador ho- mopolar é alternada. d) a intensidade da diferença de potencial no gerador depende do sentido de rotação do disco. e) a corrente é consequência do fenômeno de indução eletro- magnética. RESOLUÇÃO: Como a área do disco está totalmente imersa no campo mag- nético, não há variação do fluxo magnético que atravessa o disco e não há indução eletromagnética. A Força de Lorentz que atua nos elétrons livres do disco metá- lico vai deslocá-los para a periferia do disco originando a cor-Escolhendo a equação adequada para o cálculo da potência P, rente elétrica.assinale a opção correta que faz a associação entre as posiçõesA, B e C e a temperatura desejada para a água. Resposta: Aa) A – quente; B – morno; C – muito quenteb) A – quente; B – muito quente; C – mornoc) A – muito quente; B – morno; C – muito quente Questão 49d) A – morno; B – quente; C – muito quentee) A – morno; B – muito quente; C – quente (UFRN) – Mauro ouviu no noticiário que os presos de Catan- duva, em São Paulo, estavam comandando, de dentro da cadeia,RESOLUÇÃO: o tráfico de drogas e fugas de presos de outras cadeias paulistas,Na posição A: RA = R por meio de telefones celulares. Ouviu também que uma solu- R ção possível para evitar os telefonemas, em virtude de ser difícilNa posição B: RB = 2 controlar a entrada de telefones no presídio, era fazer uma blin- dagem das ondas eletromagnéticas, usando telas de tal formaNa posição C: RC = 2R que as ligações não fossem completadas. Mauro ficou em dúvi-Para o mesmo valor de U, a potência P é inversamente pro- da se as telas eram metálicas ou plásticas. Resolveu, então, comporcional à resistência: seu celular e o telefone fixo de sua casa, fazer duas experiências RB < RA < RC ⇔ PB > PA > PC bem simples.Posição A: quente 1ª – Mauro lacrou um saco plástico com seu celular dentro. Pe-Posição B: muito quente gou o telefone fixo e ligou para o celular. A ligação foi comple-Posição C: morno tada. 2ª – Mauro repetiu o procedimento, fechando uma lata metálicaResposta: B com o celular dentro. A ligação não foi completada. – 43
  • O fato de a ligação não ter sido completada na segunda experi- geralmente as rodas do automóvel travam e se arrastam pela su-ência justifica-se porque o interior de uma lata metálica fecha- perfície de apoio.da Assinale a alternativa correta em função do texto e de seus co- nhecimentos de Dinâmica.a) permite a polarização das ondas eletromagnéticas, dimi- nuindo a sua intensidade. a) Os atritos são forças que sempre se opõem ao movimento.b) fica isolado de qualquer campo magnético externo. b) No deslizamento, a força de atrito é sempre a favor do mo-c) permite a interferência destrutiva das ondas eletromagnéti- vimento. cas. c) Durante uma frenagem com freios ABS, dotados de meca-d) fica isolado de qualquer campo elétrico externo, fato co- nismos que impedem o travamento das rodas, a distância nhecido com o nome de blindagem eletrostática. percorrida por um carro é menor do que aquela proporcio-e) permite a interferência construtiva das ondas eletromagné- nada por freios convencionais, supondo-se que os automó- ticas. veis estejam em situações idênticas. d) A força de atrito depende da área de contato dos pneus comRESOLUÇÃO: o piso.No interior de uma estrutura metálica, o campo elétrico é nulo e) A força de atrito é igual à massa do automóvel que estáe não podemos receber uma onda eletromagnética que é for- deslocando-se.mada por um campo elétrico e um campo magnético propa-gando-se no espaço. RESOLUÇÃO: a) Falsa.Resposta: D A força de atrito se opõe à tendência de escorregamento dos sólidos em contato, porém pode ser responsável peloQuestão 50 movimento de um corpo. b) Falsa.(SIMULADO UNICAMP – 2011) – Forças eletrostáticas estão No escorregamento, a força de atrito tem sentido opostopresentes no fenômeno da polinização de uma flor. Ao se apro- ao do deslocamento.ximar da flor, um grão de pólen com carga eletrostática faz com c) Verdadeira.que elétrons se acumulem na ponta do estigma da flor, o que 1) PFD: Fat = m a = μmgpor sua vez atrai o pólen, levando à fecundação da flor. a = μgA intensidade da força elétrica entre duas cargas é dada por 2) V2 = V02 + 2γΔs k e q1q 2 0 = V02 + 2 (–μg)dF , em que ke = 9 x 109Nm2/C2. d2 V02 −14Se q1 = q2 = 4,0 x 10 C são as cargas do grão e do estigma e a d 2 gmassa do grão de pólen é mp = 1,0 . 10–4kg, a distância d entre ogrão de pólen e o estigma para que a intensidade da força elétri- d varia inversamente com μca atrativa entre eles se iguale à intensidade do peso do grão é freio ABS: μEde freio convencional: μd(Considere g = 10m/s2) μE > μd ⇒ d E < d D d) Falsa.a) 0,12μm Não depende da área.b) 3,6μm e) Falsa.c) 0,14mmd) 1,4m Resposta: Ce) 14mDado: 1μm =10–6m Questão 52RESOLUÇÃO: Um deficiente está sendo empurrado em uma cadeira de rodas eF=P deve atingir um nível superior a uma altura H acima do solo ho- rizontal. ke q1q2 Sem o uso de uma rampa inclinada, a pessoa que conduz o ca-  mg d2 deirante deveria exercer uma força vertical para cima com in- k qq 9  10 9  16 ,0  10 28 tensidade ligeiramente maior que o peso total P do sistema for-d2  e 1 2  mg 1,0  10 4  10 m  2 mado pela cadeira com o deficiente. Contudo, se houver uma rampa inclinada de θ, ligando o solo aod2 = 9 . 16,0 . 10–16(m2) nível mais elevado, a força a ser aplicada, paralela à rampa, de-d = 12 . 10–8m ve ter intensidade ligeiramente maior que a componente do pesod = 0,12 . 10–6m paralela à rampa: P sen θ.d = 0,12μmResposta: AQuestão 51Uma aplicação tecnológica importante do atrito diz respeito àdiferença entre o atrito estático e dinâmico de deslizamento.A força de atrito estático, quando na iminência de movimento, émaior que a força de atrito cinético de deslizamento. Em veícu-los com sistema de freios convencionais, durante uma freada,44 –
  • Desprezando-se o atrito entre a cadeira e o chão e supondo-se do carro e o asfalto vale 0,60. Com que velocidade escalar má-que a subida da rampa seja feita com velocidade constante, o xima o carro pode-se deslocar ao longo da circunferência paravalor de F será: não derrapar?a) 400N a) 6,0m/sb) 600N b) 12,0m/sc) 800N c) 36,0m/sd) 1 000N d) 40,0m/se) 1 200N e) 50,0m/s 1Dados: P = 1 200N; θ = 30°; sen θ = RESOLUÇÃO: 2RESOLUÇÃO: 1F = Pt = P sen θ = 1 200 . N = 600 N 2Resposta: B 1) FN = P = mgQuestão 53 mV 2 2) Fat = Fcp = RUm jogador de futebol de massa M = 90kg, inicialmente em re- 3) Fat ≤ μE FNpouso, chuta uma bola que se aproxima horizontalmente, rente mV 2ao chão, com velocidade de módulo V1 = 10,0m/s. Imediata- ≤ μE mgmente após o chute, a bola tem velocidade na mesma direção e R 2sentido oposto com módulo V2 = 8,0m/s. A bola tem massa de V ≤ μE g R0,5kg e o impacto dura um intervalo de tempo Δt = 2,0 . 10–2s. V   E gRAdmita ser constante a força que o jogador aplica na bola. Omínimo coeficiente de atrito estático entre a chuteira e o solo Vmáx   E gRpara que o jogador continue parado após o chute, vale: Vmáx  0 ,60  10  6 ,0 ( m/s )a) 0,20 Vmáx  6 ,0m/sb) b) 0,40c) c) 0,50 Resposta: Ad) d) 0,80e) 0,90Considere g = 10,0m/s2. Questão 55RESOLUÇÃO: V Denomina-se dispersão o fenômeno de decomposição de uma1) PFD: F = M |a| = M t luz complexa nas luzes monocromáticas que a constituem. 18 ,0 A dispersão da luz branca pode ocorrer quando ela atravessa um F  0 ,5   N   4 ,5  10 2 N prisma e sofre o fenômeno de refração. 2 ,0  10 2 O poder dispersivo k do material que constitui o prisma é dado2) F  Fatdestaque por: F ≤ μE Mg nF  nC k 450 ≤ μE . 900 nD 1 μE ≥ 0,50 nF = índice de refração absoluto do material para a luz azul. μE (mín) = 0,50 nC = índice de refração absoluto do material para a luz verme- lha.Resposta: C nD = índice de refração absoluto do material para a luz amarela.Questão 54 O poder dispersivo tem valores compreendidos no intervalo en- tre 0,014 e 0,05, aproximadamente.(UFU-MG-2011) – Com o crescimento das cidades, a quanti- Quando um prisma é feito de uma substância de alto poder dis-dade de carros trafegando nas ruas tende a aumentar. Assim, os persivo, ele tem a capacidade de separar bem as diferentes corescondutores de veículos precisam estar cada vez mais preparados que compõem a luz branca.para lidar com situações adversas no trânsito. Os conceitos deCinemática e Dinâmica são bastante úteis para melhorar o trân- Analise as proposições a seguir baseado em seus conhecimentossito e evitar acidentes. e nas informações do texto:Considere dois automóveis, A e B, de massas mA = 500kg emB = 2 000kg, respectivamente. I- Devemos ter sempre nF > nC.Desconsidere a resistência do ar e adote g = 10 m/s2. II- O poder dispersivo é uma grandeza adimensional.O motorista do carro B, ao longo do seu trajeto de casa para o III- Devemos ter sempre nD + nC – nF > 1.trabalho, percorre uma rotatória fazendo com que o carro des- IV- Quanto maior o poder dispersivo, menor será o ângulo for-creva um movimento circular e uniforme em um plano horizon- mado entre os raios vermelho e violeta que emergem dotal de raio 6,0m. O coeficiente de atrito estático entre os pneus prisma. – 45
  • Estão corretas apenas: Este tipo de espelho, chamado convexo, é utilizado com o obje- tivo de ampliar o campo visual do motorista, já que no Brasil sea) I, II e III adota a direção do lado esquerdo e, assim, o espelho da direitab) I, II e IV fica muito mais distante dos olhos do condutor.c) II, III e IV Disponível em: http://noticias.vrum.com.br. Acesso em: 3 nov. 2010 (adaptado).d) I e IIe) III e IV Sabe-se que, em um espelho convexo, a imagem formada está mais próxima do espelho do que este está do objeto, o que pare-RESOLUÇÃO: ce estar em conflito com a informação apresentada na reporta-I. Verdadeira. gem. Essa aparente contradição é explicada pelo fato de Como k > 0 e nD > 1 (o índice de refração absoluto é sem- pre maior que 1), resulta nF > nC. a) a imagem projetada na retina do motorista ser menor doII. Verdadeira. que o objeto. O índice de refração absoluto é adimensional. b) a velocidade do automóvel afetar a percepção da distância.III. Verdadeira. c) o cérebro humano interpretar como distante uma imagem De acordo com os dados, temos: pequena. k < 1 ⇒ n D – 1 > nF – n C d) o espelho convexo ser capaz de aumentar o campo visual n D + nC – n F > 1 do motorista.IV. Falsa. e) o motorista perceber a luz vinda do espelho com a parte la- Quanto maior o poder dispersivo, maior será a separação teral do olho. entre as cores. RESOLUÇÃO:Resposta: A Em um espelho esférico convexo, a imagem de um objeto real é virtual, direta e reduzida. O fato de a imagem ser reduzidaQuestão 56 não permite ao cérebro uma avaliação correta das distâncias, com a sensação de que a imagem está menor porque o objeto(VUNESP-2011) – Com uma bicicleta bastante danificada, um visado está muito distante.menino desceu, a partir do repouso, sem pedalar nem derrapar,por uma prancha de madeira de comprimento 5,0m, apoiada em Resposta: Cum muro de 3,0m de altura. Quando sua bicicleta chegou ao fimda rampa e tocou o chão horizontal, a corrente se quebrou, tra-vando a roda traseira. Mesmo assim, o menino manteve-se so-bre a bicicleta, enquanto a roda traseira escorregava contra o Questão 58chão horizontal, por um percurso de 4,0m, até parar completa-mente. Desconsiderando-se perdas devidas à resistência do ar (UFRN) – A miopia é um defeito da visão originado por exces-ou mesmo ao atrito das peças móveis da bicicleta, o valor abso- siva curvatura da córnea. Na fantástica estrutura que compõe oluto do trabalho da força de atrito aplicada pelo chão, foi, em J, olho humano, a córnea representa um elemento fundamental noaproximadamente, processo de formação de imagem, sendo uma espécie de lente delgada convexo-côncava que – admitiremos – satisfaz a equa-a) 1 500 ção dos fabricantes de lentes apresentada.b) 1 250c) 1 000 Equação dos fabricantes de lentes:d) 950 1  1 1 e) 750   n  1    . Em que f  R1 R2 Dados: massa do garoto com sua bicicleta = 50kg; módulo da aceleração da gravidade = 10m/s2. f: distância focal; n: índice de refração do material da lente em relação ao meioRESOLUÇÃO: externo; R1 e R2 são raios de curvatura das faces da lente, cuja conven- ção de sinais é: faces convexas, raio positivo e faces côncavas, raio negativo. O olho míope induz no cérebro a percepção de imagem sem ni-TEC: τtotal = ΔEcin tidez devido à focalização da imagem de objetos distantes antesτP + τat = 0 da retina. Com o auxílio da tecnologia do raio laser, os médicosmg H + τat = 0 conseguem realizar cirurgias na córnea, corrigindo sua curvatu-τat = –mg H = –50 . 10 . 3,0 (J) ra excessiva. Nesse caso, modificam apenas o valor do raio ex-τat = –1 500J terno R1. Outra possibilidade para a correção da miopia é a in- dicação do uso de óculos. Admita que a figura a seguir repre-Resposta: A sente a córnea de um paciente cujo exame oftalmológico apre- sentou uma determinada miopia.Questão 57(ENEM-2010) – Os espelhos retrovisores, que deveriam auxili-ar os motoristas na hora de estacionar ou mudar de pista, muitasvezes causam problemas. É que o espelho retrovisor do lado di-reito, em alguns modelos, distorce a imagem, dando a impres-são de que o veículo está a uma distância maior do que a real. Representação esquemática da córnea46 –
  • Com o objetivo de corrigir a miopia, o médico pode Questão 60a) intervir cirurgicamente diminuindo o raio R1 da córnea ou A lupa, mostrada na figura, é um instrumento óptico que consis- indicar óculos com lentes convergentes apropriadas. te em uma lente biconvexa, de pequena distância focal, que, porb) intervir cirurgicamente diminuindo o raio R1 da córnea ou sua capacidade de ampliar imagens, também é chamada de mi- indicar óculos com lentes divergentes apropriadas. croscópio simples.c) intervir cirurgicamente aumentando o raio R1 da córnea ou indicar óculos com lentes convergentes apropriadas.d) intervir cirurgicamente aumentando o raio R1 da córnea ou indicar óculos com lentes divergentes apropriadas.e) intervir cirurgicamente aumentando o raio R1 da córnea ou indicar óculos com lentes cilíndricas apropriadas.RESOLUÇÃO:a) Falsa. As lentes corretivas devem ser divergentes e o raio R1 deve ser aumentado.b) Falsa. A correção deve ser feita de modo a aumentar a distância focal (reduzir a vergência) e portanto devemos aumentar Com relação a esse instrumento óptico, julgue os itens a seguir. R1 (reduzir a curvatura).c) Falsa. I- A lente que constitui uma lupa é divergente. Lentes divergentes. II- A ampliação produzida por uma lupa depende da distânciae) Falsa. do objeto à lupa. As lentes devem ser esféricas. III- Quando uma lente biconvexa é usada como lupa, a um ob- jeto real corresponderá sempre uma imagem virtual ampli-Resposta: D ada. IV- A imagem produzida por uma lente biconvexa não pode serQuestão 59 projetada em um anteparo.(CEDERJ ) – No trecho da letra da música destacado a seguir, Estão certos apenas os itenso compositor, usando a linguagem poética, menciona a forma-ção de imagens no olho humano. a) I e II. b) I e III. “... Eu quero c) II e III. Ser exorcizado d) III e IV. Pela água benta e) I e IV. Desse olhar infindo Que bom ser fotografado RESOLUÇÃO: Mas pelas retinas I. Falso. Desses olhos lindos...” A lente de aumento só pode ser convergente. (“Disritmia”, Martinho da Vila, 1974) II. Verdadeiro. fA fotografia a que o compositor se refere é a imagem formada A A depende de p f Ppela córnea e pelo cristalino na retina do olho. Identifique a op-ção que melhor descreve as características dessa imagem. III. Verdadeiro. Quando a lente é usada como lupa, o objeto é posicionadoa) Virtual, menor e invertida em relação ao objeto que deu entre o seu foco objeto e o seu centro óptico e a imagem origem à imagem. resulta virtual, direta e ampliada.b) Real, menor e invertida em relação ao objeto que deu ori- IV. Falso. gem à imagem. Se a lente não for usada como lupa, a imagem poderá serc) Real, menor e direta em relação ao objeto que deu origem à real e ser projetada em um anteparo. imagem.d) Virtual, maior e invertida em relação ao objeto que deu ori- Resposta: C gem à imagem.e) Real, maior e invertida em relação ao objeto que deu ori- Questão 61 gem à imagem. (PISA) – Consumo de EletricidadeRESOLUÇÃO: Sempre que ligamos o computador, a televisão, uma lâmpadaA imagem formada na retina é de natureza real (projetada em ou a torradeira elétrica, consumimos energia elétrica. A quanti-um anteparo, que é a retina). Como objeto e imagem têm dade de energia elétrica consumida (E), em watts-hora (Wh), émesma natureza (ambos reais), a imagem é invertida e como a dada pela fórmula:imagem está mais próxima do cristalino que o objeto, ela é re- E=P.tduzida. em que P é a potência em watts (W) e t é o tempo de utilizaçãoResposta: B em horas. Dado: 1kWh = 1000Wh – 47
  • Uma dona de casa decidiu substituir 5 lâmpadas incandescentes, Questão 63todas com igual potência, por lâmpadas de baixo consumo de11 watts cada. Ficou agradavelmente surpreendida, pois o con- O gráfico I, apresentado a seguir, mede a velocidade escalarsumo do mês seguinte (30 dias) diminuiu 22,05kWh, apesar de média de um ônibus em função da quantidade de km de lentidãoos outros gastos serem idênticos. Sabendo-se que, em média, a em virtude do congestionamento, em um determinado dia.utilização diária das lâmpadas incandescentes substituídas erade 3h, qual era a potência dessas lâmpadas?a) 20Wb) 50Wc) 60Wd) 100We) 200WRESOLUÇÃO:E = P . ∆t∆E = ∆P . ∆t O gráfico II mostra a evolução do congestionamento com o ho-22,05kWh = ∆P5 90h rário, ao longo do dia.∆P5 = 0,245kW = 245W (5 lâmpadas)  P5 P1   49W 5∆P1 = P – 11W  P = 49W + 11W  P = 60WResposta: CQuestão 62(OLIMPÍADA PAULISTA DE FÍSICA) – Em laboratório,podemos usar o circuito para estudar a condutividade elétrica desoluções aquosas. O ônibus faz um mesmo percurso de 10km às 7h da manhã e às 7h da noite. Às 7h da manhã, o percurso foi feito em um tempo T1 e, às 7h da noite, em um tempo T2. T A razão 2 vale: T1 a) 0,4 b) 0,5 c) 1 d) 2 e) 2,5 RESOLUÇÃO:Ao se acrescentar um determinado soluto ao líquido contido no 7h da manhã → 50km de lentidão → vm = 25km/hcopo, a lâmpada acende, consumindo a potência elétrica de 7h da noite → 200km de lentidão → vm = 10km/h60W. Nessas circunstâncias, a resistência da solução correspon- s s vm   t de a cerca de: t vm 10a) 14 T1  h  0 ,4h 25b) 28c) 42 10 T2  h  1,0hd) 56 10e) 70 T2  2,5 T1RESOLUÇÃO:Se a lâmpada opera com potência de 60W, ela está sob tensãode 120V e é percorrida por uma corrente elétrica de intensida- Resposta: Ede: Questão 64 P 60W I   0 ,5 A U 120V Os conceitos de calor e temperatura são fundamentais no estudoComo a tensão elétrica total é de 127V, a tensão elétrica su- da Termologia. No entanto, há ainda muita confusão sobre elesportada pela solução aquosa é de 7,0V e a sua resistência é quanto são usados na linguagem do dia-a-dia. Os itens que se-dada por: guem procuram relacionar estes conceitos e suas aplicações. U 7 ,0V Classifique-os como verdadeiros (V) ou falsos (F). R   R  14  I 0 ,5 A ( ) A queimadura causada por 10 gramas de vapor d’água aResposta: A 100°C é muito mais grave do que a ocasionada pela48 –
  • mesma quantidade de água, também a 100°C, visto que, c) 45m/s na mudança de estado de vapor para líquido, há liberação d) 50m/s de grande quantidade de energia térmica. e) 60m/s( ) A sensação de frio que temos ao pegar a maçaneta de me- tal de uma porta está relacionada ao fato de recebermos RESOLUÇÃO: do metal uma substância chamada flogístico, que provoca Quando a caixa sai do helicóptero: a sensação de frio. Ec  10v 2  Ec1  10  ( 30 )2 ( J )  9,0  10 3 J( ) O cozimento de carne ou feijão, mais rapidamente e de modo mais econômico, feito com uma panela de pressão, E p  200h  E p1  200  80( J )  16 ,0  10 3 J se deve ao aumento da pressão de vapor no interior dela e E1  Ec1  E p1  25 ,0  10 3 J à consequente elevação da temperatura do líquido na pa- nela (aumenta o ponto de ebulição). Quando a caixa estiver chegando ao solo:( ) No inverno, usamos, de preferência, roupas de lã (de co- h  0  E p2  0 res escuras!) porque, em virtude da composição química E 2  Ec2  10v2 2 desta, há uma constante troca de calor entre a lã e o corpo da pessoa. Conservação da energia mecânica: E2 = E1a) F–F–V–F 10v 2  25 ,0  10 3 2b) V–F–V–V v 2  25 ,0  10 2  v 2  50m/s 2c) F–V–V–Fd) V–V–V–Fe) V–F–V–F Resposta: DRESOLUÇÃO: Questão 661. Verdadeiro. A condensação é um processo exotérmico. A válvula de segurança de uma panela de pressão limita a pres-2. Falso. A sensação de frio resulta da passagem de calor de são no interior da panela, evitando desastres como o estouro de- nossa mão para a maçaneta. la. Uma panela de pressão contendo água e alimento é tampada3. Verdadeiro. Quanto maior a pressão externa, maior será e colocada ao fogo. Depois de certo tempo, começa a jorrar va- a temperatura de ebulição do líquido. por d’água pela válvula de segurança, indicando que a água no4. Falso. O papel da lã é o de isolante térmico, evitando tro- seu interior se encontra em ebulição. As pessoas com prática cas de calor entre a pessoa e o meio externo. conhecem o tempo de cozimento de cada alimento e desligam o fogo que aquece a panela no tempo adequado.Resposta: E Assinale a alternativa que melhor expressa o funcionamento daQuestão 65 panela de pressão.Um helicóptero está voando horizontalmente numa altitude H = a) A panela de pressão é usada para aumentar o tempo de co- 80m com velocidade constante V de módulo 30m/s. Ele trans- zimento.porta uma caixa de medicamentos que deve chegar a um náu- b) A válvula de segurança impede que a pressão no interior dafrago na superfície terrestre. panela ultrapasse o valor da pressão atmosférica existente na cozinha. c) Como no interior de uma panela de pressão a temperatura de ebulição da água ultrapassa 100°C, o tempo de cozimen- to dos alimentos diminui. d) Por causa da válvula de segurança, a panela de pressão di- minui a temperatura de ebulição da água. e) Uma panela de pressão consome mais energia do que uma panela comum para cozinhar uma mesma quantidade de feijão. RESOLUÇÃO:Para um referencial no solo terrestre, a caixa, após ser abando- A finalidade da panela de pressão é aumentar a pressão no in-nada do helicóptero, tem uma energia cinética Ec e uma energia terior da panela, tornando-a maior que a pressão atmosféricapotencial gravitacional Ep dadas, em unidades do SI, por: local. Dessa forma, a temperatura de ebulição da água fica maior que 100°C e, com este aumento, o tempo gasto para co- zinhar os alimentos diminui, o que acarreta menor gasto de Ec = 10v2 e Ep = 200h energia elétrica para a mesma potência da chama.em que h e v representam a altura e o módulo da velocidade da Resposta: Ccaixa.Sabe-se ainda que, desprezando-se o efeito do ar, a energia me- Questão 67cânica (Ec + Ep) do pacote em sua queda até o solo permanececonstante. Isto posto, quando a caixa estiver chegando ao solo, Imagine uma colisão entre dois carros A e B que batem de fren-sua velocidade terá módulo igual a: te ao percorrerem uma mesma rua retilínea. O gráfico a seguir representa as velocidades escalares dos carros A e B antes, du-a) 30m/s rante e após a colisão.b) 40m/s – 49
  • Questão 69 Corrida de 100m rasos Podemos pensar numa corrida de 100m rasos (sem barreiras) como estando dividida em três fases sequenciais: (1) Fase de aceleração: o atleta percorre 60,0m, atingindo sua velocidade escalar máxima de 16,0m/s, com aceleração es- calar constante. (2) Fase de velocidade máxima: o atleta percorre 20,0m com sua velocidade escalar máxima de 16,0m/s. (3) Fase final: o atleta percorre os 20,0m finais com movimentoObserve que, após a colisão, durante um breve intervalo de uniformemente retardado cruzando a linha de chegada comtempo (t3 – t2), os carros permaneceram juntos com velocidade velocidade escalar de 9,0m/s.constante.Nessa forma de colisão, chamada perfeitamente inelástica, há O gráfico a seguir traduz a velocidade escalar do atleta em fun-conservação de uma grandeza física denominada quantidade de ção do tempo.movimento, de natureza vetorial, definida como o produto damassa pela velocidade.Com os dados do gráfico e impondo a conservação da quantida-de de movimento do sistema formado pelos dois carros A e B, mAcalcule a razão entre as massas dos dois carros. mB 1a) 4 1b) 2c) 1 Os valores de T1, T2 e T3 (medidos em segundos) são, respec-d) 2 tivamente iguais a:e) 4 a) 7,50; 8,75; 10,35RESOLUÇÃO: b) 7,50; 8,75; 10,00Qapós = Qantes c) 7,00; 8,00; 10,00(mA + mB)Vf = mAVA + mBVB d) 7,20; 8,80; 10,00(mA + mB)10 = mA20 + mB (– 30) e) 7,40; 8,60; 10,20mA + mB = 2mA – 3mB mA RESOLUÇÃO:mA = 4mB  =4 Δs = área (V x t) mB 16 ,0 1) 60,0 = T1 .  T1  7 ,50Resposta: E 2 2) 20,0 = (T2 – T1) . 16,0 1,25 = T2 – 7,50  T2 = 8,75 3) 20,0 = (16,0 + 9,0)  T3  T2 Questão 68 2 1,60 = T3 – 8,75José, vestindo uma camiseta amarela (quando vista iluminada T3 = 10,35pela luz do sol), entra numa casa noturna cujo ambiente internoé iluminado apenas por uma lâmpada que emite luz monocro- Resposta: Amática azul. Nestas condições, um observador dentro da casanoturna veria a camiseta de José na cor Questão 70a) verde. (VUNESP) – Um veículo de passeio, trafegando numa estradab) amarela. pavimentada, retilínea e de topografia plana, molhada em razãoc) azul. de chuvas que caíam naquele momento, teve sua trajetória in-d) branca. terceptada por um pedestre que, inadvertidamente, deslocava-see) preta. do acostamento em direção ao lado oposto da via. Diante do pe- rigo iminente, o condutor do veículo aciona violentamente osRESOLUÇÃO: freios do seu conduzido, travando as rodas, e os pneus deixamA camiseta absorve totalmente a luz azul e a camiseta fica preta. sobre o asfalto 62,5m de vestígios de frenagem característicos, quando atropela a vítima. Sabendo-se que o coeficiente de atritoResposta: E dinâmico entre a pista e os pneus do carro naquelas condições é de 0,50 e que a aceleração da gravidade tem módulo igual a 10,0m/s2, o perito criminal designado para o levantamento do50 –
  • local determinou, com os elementos técnicos disponíveis, que o d) os coeficientes de dilatação térmica dos dois recipientes.veículo envolvido trafegava com velocidade mínima, em km/h, e) as condutividades térmicas dos dois recipientes.de módulo, aproximadamente, igual a RESOLUÇÃO:a) 70 Os metais em geral possuem maior condutividade térmica dob) 80 que o vidro. Assim, quando tocamos uma lata e uma garrafac) 90 de cerveja, ambas geladas, temos a sensação de que a lata estád) 100 mais fria do que a garrafa (de vidro), pois o fluxo de calor dae) 110 nossa mão para a lata é maior do que para a garrafa. Atenção para o fato de que a sensação de frio que sentimosRESOLUÇÃO: quando tocamos um corpo está diretamente relacionada com a1) PFD: Fat = m a rapidez com que a energia térmica é transferida da nossa mão μdmg = ma  a = μdg = 5,0m/s2 para o referido corpo.2) V2 = V02 + 2γ∆s Resposta: E V2 = V02 – 2 . 5,0 . 62,5 V2 = V02 – 625 Questão 73 Como V2 ≥ 0, vem V02 – 625 ≥ 0 V02 ≥ 625 V0 ≥ 25m/s (VUNESP) – O gráfico mostra como varia o módulo da veloci- V0 ≥ 90km/h dade de um paraquedista em seu salto vertical a partir de um he- licóptero parado em relação ao solo. V0(mín) = 90km/hResposta: CQuestão 71(VUNESP) – Um chuveiro elétrico tem um seletor que lhepermite fornecer duas potências distintas: na posição “verão” ochuveiro fornece 2,7kW, na posição “inverno” fornece 4,8kW.José, o dono deste chuveiro, usa-o diariamente na posição “in-verno”, durante 20 minutos. Surpreso com alto valor da conta Sabendo-se que ele toca o solo um minuto após ter iniciado ode energia elétrica, José resolve usar o chuveiro com o seletor salto, pode-se afirmar quesempre na posição “verão”, pelos mesmos 20 minutos diários.Supondo-se que preço do quilowatt-hora seja de R$0,20, isto a) no ponto A do gráfico, o módulo da aceleração do paraque-representará uma economia diária em reais, de: dista é menor que no ponto B. b) no ponto C do gráfico, o paraquedista está caindo livre deb) R$ 0,14 resistência do ar.c) R$ 0,20 c) no ponto D do gráfico, a força resultante sobre o paraque-d) R$ 1,40 dista aponta para cima.e) R$ 2,00 d) o módulo da maior velocidade que o paraquedista atingiuf) R$ 20,00 em seu salto, vale, aproximadamente, 90km/h. e) o paraquedista abriu seu paraquedas no instante 20s, apro-RESOLUÇÃO: ximadamente.1) ΔE = ΔP . Δt 1 RESOLUÇÃO: ΔE = (4,8kW – 2,7kW) h 3 a) Falsa. ΔE = 0,7kWh Antes de abrir o paraquedas, a aceleração vai diminuindo até se anular quando a força de resistência do ar equili-2) 1kWh ........... R$ 0,20 brar o peso. Portanto, aA > aB > aC. 0,7kWh ........ C b) Falsa. C = R$ 0,14 No ponto C, a força resultante é nula e o paraquedista tem velocidade constante.Resposta: A c) Verdadeira. Quando o paraquedas abre, a força de resistência do arQuestão 72 fica maior que o peso e a velocidade vai diminuir até o módulo da resistência do ar novamente tornar-se igual ao(VUNESP) – Uma garrafa de cerveja e uma lata de cerveja do peso, porém com uma velocidade limite bem menorpermanecem durante vários dias numa geladeira. Quando se pe- que no ponto C.gam com as mãos desprotegidas a garrafa e a lata para retirá-las d) Falsa.da geladeira, tem-se a impressão de que a lata está mais fria do A velocidade máxima é próxima de 50 m/s = 180km/h.que a garrafa. Este fato é explicado pelas diferenças entre e) Falsa. O paraquedas abriu em torno de t = 35s.a) as temperaturas da cerveja na lata e da cerveja na garrafa.b) as capacidades térmicas da cerveja na lata e da cerveja na Resposta: C garrafa.c) os calores específicos sensíveis dos dois recipientes. – 51
  • Questão 74 Questão 75Em um parque de diversões, existe um brinquedo chamado ro- (UEL-PR) – Ao trafegar por uma estrada com uma velocidadetor no qual as pessoas ficam em pé no interior de um anel cilín- de módulo 108km/h em um carro de passeio, de 800kg, o con-drico com 16m de diâmetro. dutor depara-se com uma placa advertindo que existe um radarQuando o anel está com velocidade angular ω adequada, ele se na estrada e que a velocidade máxima permitida é de 72km/h.inclina até ficar girando em rotação uniforme em um plano ver- Imediatamente freia o veículo e permanece com as rodas trava-tical e a pessoa fica “grudada” na parede do anel. das até atingir a velo cidade permitida. Considere que toda a energia cinética perdida pelo veículo seja convertida em calor e usada para aquecer os pneus, que a temperatura dos pneus, antes da freada, seja de 50°C, que a massa de um pneu seja de 25kg e que o seu calor específico sensível seja de 500J/kg°C. Ao tér- mino da freada, a temperatura do pneu aumentou para: a) 51°C b) 54°C c) 89°C d) 100°C e) 125°C RESOLUÇÃO: M 800Quando a pessoa passa pelo ponto mais baixo de sua trajetória, 1) Ecin perdida  2   V02  V 2  2 ( 900  400 )( J )ela fica submetida às forças indicadas na figura. Ecin perdida  2,0  10 5 J 2) Ecin perdida  Q  m c  2,0 . 105 = 100 . 500 . ∆θ ∆θ = 4°C 3) θf = θ0 + ∆θ = 54°C Resposta: B Questão 76Quando a pessoa passa pelo ponto mais alto de sua trajetória, (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS) – As composições me-ela fica submetida à forças indicadas na figura. troviárias percorrem trilhos que unem as estações e para ilumi- ná-los utilizam lâmpadas incandescentes de 600W. Suponha que a resistência da lâmpada é invariável e que a bateria que a alimenta tenha força eletromotriz de 120V e resistência interna de 6,0Ω. Nestas condições, a resistência da lâmpada, em ohms, vale: a) 3,0 b) 6,0 c) 9,0 d) 12,0Se a pessoa tiver peso com intensidade P = 800N, a diferença   e) 30,0F1 – F2 entre as intensidades das forças normais F1 e F2 seráigual a: RESOLUÇÃO: 1) P = UIa) zero U = E – rIb) 800N Pc) 1600N  E  rI Id) 2400N P = EI – rI2e) 3200N 600 = 120I – 6,0I2 6,0I2 – 120I + 600 = 0RESOLUÇÃO: I2 – 20I + 100 = 0  I = 10ANo ponto mais baixo: F1 – P = FcpNo ponto mais alto: F2 + P = Fcp 2) P = RI2 600 = R . 100Como a pessoa está em movimento circular e uniforme, a for- R = 6,0Ωça resultante centrípeta terá intensidade constante e, portanto:F1 – PF2 + P Resposta: BF1 – F2 = 2P = 1600NResposta: C52 –
  • Questão 77 nacionais não possuem a função de desmagnetização automática do tubo de imagem. Acerca desse tema, julgue os itens.(UFRJ) – No circuito desenhado, é possível ligar lâmpadas emsérie e em paralelo usando bocais colocados nas tomadas dos (1) A força magnética (suposta não nula) sobre uma partículapontos 1 a 5. O circuito está ligado à rede elétrica no ponto E. eletrizada em movimento é sempre perpendicular ao vetorCada um dos números indica uma tomada. velocidade. (2) Um campo magnético pode ser usado para separar prótons e elétrons com a mesma velocidade. (3) Para corrigir a distorção da imagem provocada pela passa- gem do ímã em frente à tela de TV, basta passar o ímã em sentido contrário. (4) O feixe de elétrons de um tubo de televisão gera um campo magnético que afeta os objetos que dele estão próximos, como, por exemplo, fitas VHS, podendo danificá-las. (5) A radiação eletromagnética não tem nenhum efeito sobre elétrons, sejam eles livres ou não. (6) A atmosfera da Terra é transparente à radiação de todo o espectro eletromagnético. Somente está correto o que se afirma em:Na tomada 1, é colocada uma lâmpada de 60W.Marque a afirmativa correta. a) 3, 5 e 6. b) 1, 2 e 6.a) Uma outra lâmpada, de 15W, é colocada na tomada 5. Nes- c) 1, 4 e 6. ta situação, a lâmpada de 60W brilhará menos que a lâm- d) 1, 2 e 4. pada de 15W. e) 3, 4 e 5b) Uma outra lâmpada, de 15W, é colocada na tomada 3, e fe- cha-se um curto na tomada 2. Nesta situação, a lâmpada de RESOLUÇÃO: 60W brilhará mais que a lâmpada de 15W. (1) Verdadeiro.c) Uma outra lâmpada, de 15W, é colocada na tomada 4, e fe- (2) Verdadeiro. cha-se um curto na tomada 2. Nesta situação, a lâmpada de Fmag = Fcp 60W apresentará seu brilho habitual.d) Uma outra lâmpada, de 15W, é colocada na tomada 5, e fe- mV 2 mV | Q |VB   R cha-se um curto na tomada 2. Nesta situação, a lâmpada de R |Q| B 60W brilhará mais do que a lâmpada de 15W, pois sua re- (3) Falso. sistência é maior do que a da lâmpada de 15W. (4) Verdadeiro.e) Uma outra lâmpada de 15W é colocada na tomada 3; as du- (5) Falso. A radiação eletromagnética se propaga na forma as lâmpadas terão brilhos iguais. de fótons que podem interagir com os elétrons, como, por exemplo, no efeito fotoelétrico ou no efeito Compton.Nota: As lâmpadas têm resistência elétrica constante e foram (6) Falso. Pela ação do efeito estufa, as radiações infraver-dimensionadas para operarem sob mesma tensão elétrica. melhas são barradas.RESOLUÇÃO: Resposta: D U2 U2 R P 15 1P R  1  2   R P R2 P1 60 4A lâmpada de 15W tem resistência elétrica quatro vezes maiorque a da lâmpada de 60W.a) Verdadeira. As lâmpadas ficarão em série (mesma corren- te elétrica) e a de 15W brilhará mais porque tem resistên- cia elétrica maior (P = RI2).b) Falsa. As duas lâmpadas ficarão apagadas porque estão curto-circuitadas.c) Falsa. A lâmpada de 60W ficará apagada porque está curto-circuitada.d) Falsa. A lâmpada de 60W ficará apagada.e) Falsa. Sob mesma tensão, a lâmpada de 60W brilha mais.Resposta: AQuestão 78(UnB) – Ao se passar um ímã em frente a uma tela de TV, po-de-se distorcer a imagem. Apesar de ser uma experiência diver-tida, ela pode danificar o aparelho. As recomendações de qual-quer fabricante de TV são para que não se use dispositivo de in-dução magnética próximo ao tubo de imagem, como ímãs de al-to-falantes, telefones, videocassetes etc. Muitos equipamentos – 53