5 climas do brasil
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

5 climas do brasil

on

  • 371 views

 

Statistics

Views

Total Views
371
Views on SlideShare
336
Embed Views
35

Actions

Likes
0
Downloads
19
Comments
0

1 Embed 35

http://hugomorais.com.br 35

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

5 climas do brasil 5 climas do brasil Presentation Transcript

  • Prof. Hugo MoraisGEOGRAFIA DE UM JEITO MAIS SIMPLESwww.hugomorais.com.br www.conexao.com
  • www.hugomorais.com.brProf. Hugo MoraisQuando uma abandona a região onde seformou, leva consigo suascaracterísticas climáticas aos lugarespara onde se move.As massas de ar estão sempre sedeslocando.As massas de ar correspondem a grandes porções da atmosfera onde aspropriedades do ar são homogêneas ou semelhantes.Existem dois tipos principais de massas de ar: as continentais e asoceânicas. Elas podem ser frias ou quentes, dependendo de onde seformam.MASSAS DE AR TEMPERATURA UMIDADEEQUATORIAL COTROPICAL COPOLAR CO
  • www.hugomorais.com.brProf. Hugo Morais
  • www.hugomorais.com.brProf. Hugo Morais
  • www.hugomorais.com.brProf. Hugo MoraismEcmTamPaEquador Térmico
  • www.hugomorais.com.brProf. Hugo MoraismEcmTamPaFrentes friasFriagemEquador Térmico
  • www.hugomorais.com.brProf. Hugo MoraisEquatorial úmido mEcmEcLitorâneo úmidomEamTaTropicalsemi-áridoTropicalmTcmTcSubtropicalmPaseca
  • www.hugomorais.com.brProf. Hugo Morais
  • www.hugomorais.com.brProf. Hugo MoraisClima EquatorialClima Tropical TípicoClima Semi-ÁridoClima Tropical ÚmidoClima Subtropical
  • www.hugomorais.com.brProf. Hugo MoraismEcmEamTa
  • www.hugomorais.com.brProf. Hugo MoraismEcmEafFa
  • www.hugomorais.com.brProf. Hugo MoraisVentosChuva orográficaPlanalto daBorboremaZona da MataLitoralAgresteZona de TransiçãoSertãoO relevo localizado na porção leste da região Nordeste também exerce influênciano clima do Sertão. Entre as formas de relevo existentes, esta o Planalto daBorborema, que funcionam como um bloqueio aos ventos de leste, quentes eúmidos. Esse planalto impede que as massas de ar avancem do oceano para ointerior.Região de BarlaventoRegião de Sotavento
  • www.hugomorais.com.brProf. Hugo Morais
  • www.hugomorais.com.brProf. Hugo Morais
  • www.hugomorais.com.brProf. Hugo Morais1. UMIDADE LOCALIZADAO clima quente e a umidade abundante fazem da Amazônia a região mais úmida do país. A área declima equatorial é cortada por rios volumosos que facilitam as constantes tempestades. Esse tipo deaguaceiro, porém, não tem força para chegar ao sertão nordestino. No máximo, os ventos úmidosalcançam o oeste do Maranhão. No resto do estado, o clima e a vegetação refletem a transiçãoentre a floresta equatorial e a caatinga do semi-árido.2. SOPRO DESNUTRIDONo litoral nordestino, o índice de chuvas é maior por causa da umidade que vem do oceanoAtlântico. O mesmo vento poderia levar água para o sertão, já que o semi-árido nordestino não écercado por cadeias de montanhas que barrem os ventos úmidos. Entretanto, a brisa marítima nãoé forte o suficiente para provocar chuvas numa região maior que os 100 quilômetros da faixacosteira.3. FRIO BLOQUEADONas regiões Sul e Sudeste, as frentes frias que nascem no sul da América abaixam a temperaturarapidamente no inverno e causam torós poderosos na primavera e no verão. Entretanto, por causasde mudanças na circulação atmosférica, essas massas de ar ficam "presas" no Sul, descarregandotoda a chuva nessa área. As frentes frias quase nunca chegam ao Nordeste — as mais intensasatingem o sul da Bahia, mas são pouco freqüentes.4. PROCURAM-SE RIOSA parte mais afetada pela falta de chuvas é o chamado Polígono das Secas, uma área de mais de 1milhão de km2, espalhados por oito estados nordestinos (só o Maranhão fica fora) e pelo norte deMinas Gerais. Nessa região, onde vivem 27 milhões de pessoas, não há rios cauladosos ou grandeslagoas capazes de fornecer umidade para provocar chuvas locais.
  • TRANSPOSIÇÃO RIO SÃO FRANCISCOTrata-se do bombeamento de água do rio em duas áreas de captação.Com o objetivo de tornar perene alguns rios temporários e aumentar aoferta de água em alguns reservatórios para atender áreas críticas.Grande discussão em relação ao real benefício da obra (Existência depropostas alternativas)Esse projeto gera forte polêmica entre técnicos, ambientalistas epolíticos.www.hugomorais.com.brProf. Hugo Morais
  • www.hugomorais.com.brProf. Hugo MoraisUma outra classificação, a de Wilhelm Köppen, estuda separadamente oselementos do clima. Ela baseia-se, predominantemente, na temperatura, nasprecipitações e na distribuição dos valores destes dois elementos doclima durante as estações do ano.Significado dos símbolos da classificação de Köppen1ª letra – maiúscula, representa a característica geral do clima de uma região:A – clima quente e úmidoB – clima árido ou semi-áridoC – clima mesotérmico ( subtropical e temperado)2ª letra – minúscula, representa as particularidades do regime de chuva:f – sempre úmidom – monçônico e predominantemente úmidos – chuvas de invernos’ - chuvas do outono e invernow – chuvas de verão3ª letra - minúscula, representa a temperatura característica de um região:h – quentea – verões quentesb – verões brandos
  • www.hugomorais.com.brProf. Hugo MoraisCLIMOGRAMAmeses do ano J F M A M J J A S O N Dpluviogramamm500100150200250300oC26242220181614temperatura
  • Prof. Hugo MoraisGEOGRAFIA DE UMA MANEIRA SIMPLESwww.hugomorais.com.br www.conexao.com