Your SlideShare is downloading. ×
Relevo do Brasil
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Relevo do Brasil

798
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
798
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
33
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Prof. Hugo Morais GEOGRAFIA DE UM JEITO MAIS FACIL www.hugomorais.com.br www.conexao.com
  • 2. O Brasil está totalmente contido na Plataforma Sul- Americana (o que explica a relativa estabilidade tectônica), cuja evolução geológica é marcada por dois fatores principais: -A inexistência de dobramentos modernos. -Antigas formações geológicas, desgastadas pelo longo e intenso processo erosivo (o que explica as baixas altitudes). Assim, o embasamento rochoso do país acha-se exposto em grandes escudos cristalino (36% da superfície dos país), separados entre sei por coberturas de rochas sedimentares (58% da superfície). www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  • 3. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais PLANALTO PLANÍCIE DEPRESSÃO ALTITUDE PROCESSOS DE IMTEMPERIMSO QUANTIDADE DE UNIDADES TIPOS OU GRUPOS Altos Entre 200 e 2000 metros Baixos e planos Variam Erosão Sedimentaçã o Erosão 11 unidades 6 unidades 11 unidades 4 2 Costeiros e Continentais 3 Depr. Periférica Depr. Interplanáltica Depr. Marginal
  • 4. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Planaltos - Apresentam superfícies irregulares ou mais ou menos planas. Os processos de erosão predominam e superam os de sedimentação. Situam-se acima de 200 m, podendo ultrapassar os 2 mil metros de altitude. Em suas bordas, aparecem escarpas, comumente chamadas de serras.
  • 5. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Planícies - Superfícies pouco acidentadas, mais ou menos planas, geralmente situadas a poucos metros do nível do mar, mas que podem ocorrer em altitudes maiores. Tipos de Planície: Planícies costeiras ou marinhas; Planícies continentais
  • 6. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Chapada Relevo sedimentar de forma tabular e topo plano.
  • 7. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Depressão Superfície mais plana, com altitudes entre 100 e 500 metros, apresentando inclinação suave, resultante do processo erosivo sobre rochas cristalinas ou sedimentares. Formas residuais
  • 8. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Década de 40 (AROLDO DE AZEVEDO). Nível altimétrico (Critério) PLANALTOS: Superfícies aplainadas com mais de 200 metros de altitude. PLANÍCIES: Superfícies aplainadas com menos de 200 metros de altitude. 8 unidades de relevo; 4 planaltos (59%) e 4 planícies (41%) Dividiu o Brasil em 8 unidades de relevo: quatro planaltos e três planícies.
  • 9. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Década de 50 (AZIZ AB’SABBER). Tipo de alteração dominante na superfície, processo de erosão ou de sedimentação. (Critério morfoclimático) PLANALTO: Superfície aplainada, onde o processo de erosão estaria predominando sobre o sedimentar. PLANÍCIE: o inverso, sedimentar sobre o erosivo. Dividiu o Brasil em 10 unidades: 7 planaltos (75%), e 3 planícies (25%) Mares de Morro
  • 10. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  • 11. www.hugomorais.com.br www.conexao.com Prof. Hugo Morais GEOGRAFIA DE UM JEITO MAIS FACIL