Estrutura geológica

1,889 views
1,664 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,889
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
21
Actions
Shares
0
Downloads
58
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Estrutura geológica

  1. 1. Prof. Hugo Morais GEOGRAFIA DE UM JEITO MAIS SIMPLES www.hugomorais.com.br www.conexao.com
  2. 2. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais ESTRUTURA INTERNA DA TERRA A crosta da Terra é dividida em três partes: Crosta, manto e núcleo
  3. 3. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais ESTRUTURA INTERNA DA TERRA Como sabemos qual a estrutura interna da Terra se não podemos chegar no seu centro? Aonde se localizam os vulcões na Terra?
  4. 4. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais TECTÔNICA DE PLACAS E A DERIVA CONTINENTAL
  5. 5. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais TECTÔNICA DE PLACAS E A DERIVA CONTINENTAL
  6. 6. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  7. 7. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  8. 8. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  9. 9. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  10. 10. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais FORÇAS OU AGENTES INTERNOS Os agentes internos ou endógenos são as forças que atuam no interior da Terra de forma lenta e contínua provocam deslocamentos de materiais: São tres os agentes internos do globo: TECTÔNICA ou DIASTROFISMO (DISTORÇÃO), O VULCANISMO E OS ABALOS SÍSMICOS.
  11. 11. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais FORÇAS OU AGENTES INTERNOS TECTÔNICA ou DIASTROFISMO (DISTORÇÃO). São os lentos deslocamentos das placas tectônicas, que podem ser vertical ou horizontal. Movimentos orogenéticos Movimentos epirogenéticos Pode ocorrer choque horizontal (Movimento convergente) Afastamento horizontal (Movimento divergente) Originam cadeias de Montanha e o afastamento do assoalho do Choque lateral e atrito de blocos tectônicos Originam os falhamentos. Terremotos e Tsunami
  12. 12. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais AGENTES INTERNOS OROGÊNESE corresponde aos deslocamentos de grande intensidade da crosta terrestre no sentido horizontal.
  13. 13. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Alpes
  14. 14. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Alpes
  15. 15. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Andes
  16. 16. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Andes
  17. 17. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Andes
  18. 18. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  19. 19. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  20. 20. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  21. 21. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  22. 22. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  23. 23. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  24. 24. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  25. 25. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  26. 26. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  27. 27. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  28. 28. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais AGENTES INTERNOS EPIROGÊNESE corresponde ao rebaixamento e soerguimento da crosta. Quando essas forças atuam verticalmente em camadas de rochas que apresentam certa rigidez, podem ocasionar deslocamentos de camadas que se levantam ou abaixam, constituindo fraturas ou falhas e drobras.
  29. 29. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais AGENTES INTERNOS Falhas - Quando se ultrapassa o limite de plasticidade a rocha cede e entra em rotura, fraturando. Nestas superfícies de fratura ocorrem movimentos relativos entre dois blocos, e podem-se identificar alguns elementos geométricos característicos:
  30. 30. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais AGENTES INTERNOS De acordo com o movimento relativo entre os dois blocos da falha (tecto e muro), as falhas podem ser normais, inversas e de desligamento (como a falha de Santo André).
  31. 31. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais AGENTES INTERNOS
  32. 32. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais AGENTES INTERNOS DOBRAS - Quando se ultrapassa o limite de elasticidade das rochas estas deformam-se permanentemente e em resposta a forças compressivas formam-se dobras. Uma dobra é uma deformação em que se verifica o encurvamento de superfícies originalmente planas. Resultam de rochas com comportamento dúctil. Podem ser caracterizadas pelos seguintes elementos:
  33. 33. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais AGENTES INTERNOS As dobras podem ser classificadas de acordo com a sua disposição espacial e a idade das rochas que as constituem.
  34. 34. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais AGENTES INTERNOS ABALOS SÍSMICOS são temores na superfície terrestre causados pelo movimento das placas tectônicas ou em virtude da grande energia liberada pelo vulcanismo.
  35. 35. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais AGENTES INTERNOS Os terremotos de terra que ocorrem no fundo dos oceanos são chamados de maremotos. Esses distúrbios sísmicos podem promover os tsunamis
  36. 36. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  37. 37. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Estruturas geológicas O tipo de terreno de um lugar (sua origem e as rochas que o compõem) constitui a sua estrutura geológica. O embasamento rochoso são três tipos: Dob. Modernos, Escudos cristalinos e Bacias Sedimentares
  38. 38. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Dob. Modernos Escudos Cristalinos/ Plataformas Continentais/ Maciços Antigos Bacias Sedimentares Planalto Cristalino Planície Montanha Estrutura Geológica Forças Interna Forças Externas Erosão Transporte Sedimentação/ Acumulação Escudos cristalinos (ou maciços antigos) São blocos de rochas cristalinas muito antigos. Bacias sedimentares são depressões preenchidas por sedimentos de áreas.
  39. 39. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Escudo cristalino Bacia de Sedimentos Dobramento moderno Arqueozóico Proterozóico MesozóicoPaleozóico Cenozóic o Escudos cristalinos ou maciços antigos correspondem aos primeiros núcleos de rochas que afloram desde o início da formação da crosta terrestre. É formado por rochas cristalinas (magmáticas / metamórficas) Nos maciços ocorrem as jazidas de minerais metálicos (ferro, manganês, cobre, estanho, alumínio). EX: Escudo canadense, Alpes escandinavos, São depressões na superfície que, com o tempo, foram sendo preenchidas por sedimentos de antigos planaltos junto com restos de animais (fósseis). Os detritos ou sedimentos podem ter diferentes origens: fluvial, marinha, glacial, eólica, lacustre e vulcânica. Nessas áreas, podem ser encontrados petróleo ou carvão mineral. São montanhas ou formações geológicas formadas recentemente. São áreas de elevada altitude, sujeitas aos abalos sísmicos (terremotos). São resultantes da ação tectônica horizontal sobre as bacias
  40. 40. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais O Brasil está totalmente contido na Plataforma Sul- Americana (o que explica a relativa estabilidade tectônica), cuja evolução geológica é marcada por dois fatores principais: -A inexistência de dobramentos modernos. -Antigas formações geológicas, desgastadas pelo longo e intenso processo erosivo (o que explica as baixas altitudes). Assim, o embasamento rochoso do país acha-se exposto em grandes escudos cristalino (36% da superfície dos país), separados entre sei por coberturas de rochas sedimentares (58% da superfície).
  41. 41. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  42. 42. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  43. 43. Escudos cristalinos (36% do território) Formação pré-cambriana Arqueozóico (32%) granitóides de elevações como a Serra do Mar. Proterozóicos (4%) rochas metamórficas (jazidas de ferro e manganês, como as localizadas na serra dos Carajás, no Pará) www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  44. 44. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Bacias sedimentares (58% do território) Formação mais recente (Ex: Bacia amazônica) Porém, nas áreas de formação paleozócia apresentam jazidas carboníferas do sul. Áreas mesozóicas há depósitos petrolíferos do litoral.
  45. 45. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Petróleo O termo petróleo, a rigor, envolve todas as misturas naturais de compostos de carbono e hidrogênio, os denominados hidrocarbonetos, incluindo o óleo e o gás. O petróleo é formado em depressões da crosta terrestre após o acúmulo de sedimentos trazidos pelos rios das partes mais elevadas, ao seu redor, em ambiente aquoso. Dentre diversas teorias existentes para explicar a origem do petróleo, a mais aceita, atualmente, é a de sua origem orgânica, ou seja, tanto o petróleo como o gás natural, são combustíveis fósseis. Sua origem se dá a partir de matéria orgânica, animal e vegetal (principalmente algas), soterrada pouco a pouco por sedimentos caídos no fundo de antigos mares ou lagos, em
  46. 46. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  47. 47. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  48. 48. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  49. 49. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  50. 50. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Terrenos Vulcânicos (6% do território) Áreas que durante a era Mesozóica sofreram intensos derrames vulcânicos. Na Bacia do Paraná, as lavas esparramaram-se por cerca de 1 milhão de quilômetros quadrados e originaram rochas como o basalto e diabásio. Nas áreas de ocorrência dessas rochas, é comum o presença de um tipo de solo fértil (terra rocha).
  51. 51. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Minerais: são substâncias sólidas não orgânicas, encontradas na crosta terrestre. Existem mais de 2000 minerais conhecidos; Rochas: conjunto de substâncias minerais, que estão na litosfera;
  52. 52. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais ROCHAS MAGMÁTICA OU ÍGNEAS Formam-se a partir do resfriamento do magma. Quando a rocha se forma no interior da crosta, o resfriamento se processa lentamente. Outras vezes o material do interior chega à superfície, em temperaturas muito altas, e o resfriamento é acelerado. É o caso do material expelido por um vulcão durante as erupções. NA SUPERFÍCIE: formando rochas extrusivas, exógenas ou vulcânicas, como o basalto, o diabásio e o diorito. EM PROFUNDIDADE: formam-se rochas intrusivas ou plutônicas, como o granito e sienito.
  53. 53. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  54. 54. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais ROCHAS SEDIMENTARES OU ESTRATIFICADAS Formam-se à superfície, devido à ação das águas e do vento. O material arrancado pela ação da água e do vento é transportado para as regiões mais baixas onde irá se depositar. O material carregado por último vai comprimindo o que já está depositado. O peso dos novos depósitos vai compactando o que está embaixo. É assim que se formam as diferentes camadas de uma rocha sedimentar. Conforme o tipo de material que lhe dá origem, as rochas sedimentares poder ser classificadas em: INORGÂNICAS: areia, arenito, argila, seixo. ORGÂNICAS: calcário, recife de coral, hulha. QUÍMICAS: sal-gema, cloreto de sódio depositado em áreas onde possivelmente houve águas do mar.
  55. 55. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  56. 56. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais ROCHAS METAMÓRFICAS OU CRISTALOFILIANA As rochas que se formam à superfície são, muitas vezes, levadas para regiões mais profundas, onde entram em contato com as temperaturas mais elevadas do interior. O material que forma as rochas se transforma em contato com essas temperaturas, dando origem a novos tipos de rochas - as chamadas rochas metamórficas. A palavra metamórfica é derivada de metamorfose, que significa mudança ou transformação. O mármore e a gnaisse estão entre os melhores exemplos de rochas metamórficas.
  57. 57. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais
  58. 58. www.hugomorais.com.br Prof. Hugo Morais Dob. Modernos Escudos Cristalinos/ Plataformas Continentais/ Maciços Antigos Bacias Sedimentares Planalto Cristalino Planície Montanha Estrutura Geológica Forças Interna Forças Externas Erosão Transporte Sedimentação/ Acumulação Escudos cristalinos (ou maciços antigos) São blocos de rochas cristalinas muito antigos. Bacias sedimentares são depressões preenchidas por sedimentos de áreas.
  59. 59. Prof. Hugo Morais GEOGRAFIA DE UMA MANEIRA SIMPLES www.hugomorais.com.br www.conexao.com

×