Docência e aprendizagem na sala de aula online

1,102 views

Published on

Palestra proferida por Marco Silva, no Conecta 2011

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,102
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Docência e aprendizagem na sala de aula online

  1. 1. Docência e aprendizagem na sala de aula online Marco Silva
  2. 2. O boom da EOL na confluência de cinco fatores boom da EOL na confluência de cinco fatores <ul><ul><li>Maior acesso ao ciberespaço (pc, laptop, tablet, cel online) </li></ul></ul><ul><ul><li>Demanda por inclusão e flexibilidade espaço-temporal na graduação </li></ul></ul><ul><ul><li>Legislação favorável (LDB art. 80, §4º, 1996; Port. 4059/04 “dos 20%”; Decr. 5.622/2005) </li></ul></ul><ul><ul><li>Interesses de mercado no filão (caráter massivo) </li></ul></ul><ul><ul><li>Políticas públicas de inclusão (UAB, CEDERJ, UNIVERSP, VEREDAS ETC) (caráter massivo) </li></ul></ul>
  3. 3. - 2009
  4. 4. Interações no fórum em 95%... Interação sem articulação Interação com baixa articulação Enunciado 1 Mensagem 1 Mensagem 2 Enunciado 1 Mensagem 1 Mensagem 2 Mensagem 1.1 Mensagem 1.2 Mensagem 2.1
  5. 5. Interatividade no fórum/chat/wiki/blog/twitter ... Enunciado 1 Mensagem 1 Mensagem 2 Mensagem 3
  6. 6. Dois paradigmas comunicacionais <ul><li>Sala de aula interativa </li></ul><ul><li>(todos-todos) </li></ul><ul><li>Sala de aula unidirecional </li></ul><ul><li>(um-todos) </li></ul>
  7. 7.   EAD (o modelo que prevalece) EOL (possibilidades na Web 2.0) Desenho didático Pré-definido, fechado, linear, controlado por uma fonte emissora. Textos, audiovisuais e multimídia unidirecionais. Predefinido e redefinido de forma colaborativa, co-regulada. Hipertextos e hipermídia multidirecional, em rede. Tecnologias de informação e comunicação (TIC) Tecnologias unidirecionais e reativas (impressos, rádio, TV, DVD e até o computador online, quando subutilizado em suas potencialidades comunicacionais e hipertextuais). Tecnologias interativas online (computador, celular, internet em múltiplas interfaces: chats, fóruns, wikis, blogs, fotos, Twitter, Facebook, podcast, videologs etc.) para expressão uni, bi e multidirecional em rede. Pedagogia Instrucionista, transmissiva, tarefista, aprendizagem solitária, autoinstrução. Construcionista, interacionista, interativa, colaborativa. Mediação da aprendizagem Relações assimétricas, verticais: autor/emissor separado de aprendiz/receptor. Cursista não interage com cursista. Modelo um-todos. Relações horizontais: hibridização e coautoria. Os cursistas se encontram com o decente e constroem a comunicação e o conhecimento. Modelo todos-todos. Avaliação da aprendizagem Avaliação unidirecional: o professor avalia os alunos. Pontual e somativa. Trabalhos e testes individuais durante e no final do curso. Autoavaliação, heteroavaliação coavaliação. Somativa e formativa. Definição coletiva de critérios e rubricas de avaliação. Uso de múltiplas interfaces para avaliação da participação (wikis, fóruns, mapas colaborativos, webquests, blogs, chat, podcasting etc.).
  8. 8. Comunicar na cibercultura, na web 2.0 O emissor não emite mais no sentido que se entende habitualmente, uma mensagem fechada. Ele oferece um leque de elementos e possibilidades à manipulação do receptor. A mensagem não é mais &quot;emitida&quot;, não é mais um mundo fechado, paralisado, imutável, intocável, sagrado. É um mundo aberto, modificável na medida em que responde às solicitações daquele que a consulta. O receptor não está mais em posição de recepção clássica. Ele é convidado à livre criação. A mensagem ganha sentido sob sua intervenção. (Marie Marchand, 1985)
  9. 9. Que é interatividade três fundamentos imbricados Escher
  10. 10. Participação-intervenção <ul><li>O professor pressupõe a participação-intervenção do aprendiz. Participar é muito mais que responder “sim” ou “não”, é muito mais que escolher uma opção dada. Participar é modificar, é interferir na mensagem. </li></ul>
  11. 11. Bidirecionalidade-hibridação <ul><li>Comunicar pressupõe recursão da emissão e recepção. A comunicação é produção conjunta da emissão e da recepção. O emissor é receptor em potencial e o receptor é emissor em potencial. Os dois pólos codificam e decodificam. </li></ul>
  12. 12. Permutabilidade-potencialidade <ul><li>O professor disponibiliza a possibilidade de múltiplas redes articulatórias. Ele não propõe uma mensagem fechada, ao contrário, oferece informação em redes de conexões permitindo ao receptor ampla liberdade de associação e significações. </li></ul>
  13. 19. A pedagogia do parangolé ou como cuidar da materialidade da comunicação interativa no desenho didático e na mediação docente <ul><li>Garante no AVA uma riqueza de funcionalidades específicas </li></ul><ul><li>Disponibiliza múltiplas experimentações, múltiplas expressões </li></ul><ul><li>Promove uma montagem de conexões em rede que permite múltiplas ocorrências </li></ul><ul><li>Provoca situações de inquietação criadora </li></ul><ul><li>Arquiteta percursos hipertextuais </li></ul><ul><li>Mobiliza a experiência do conhecimento </li></ul><ul><li>Desenvolve rubricas de avaliação formativa </li></ul>contatos
  14. 20. <ul><li>Intertextualidade = conexões com outros sites ou documentos </li></ul><ul><li>Intratextualidade = conexões no mesmo documento </li></ul><ul><li>Multivocalidade = multiplicidade de pontos de vista </li></ul><ul><li>U sabilidade = percursos de fácil navegabilidade intuitiva </li></ul><ul><li>Hipermídia = uma linguagem que resulta da convergência de vários suportes midiáticos abertos a novos links e agregações e de várias linguagens (som, texto, imagens, vídeo, mapas). </li></ul>voltar
  15. 21. <ul><li>Promove oportunidades de trabalho em grupos colaborativos. </li></ul><ul><li>Desenvolve o cenário das atividades de aprendizagem de modo a possibilitar a participação livre, o diálogo, a troca e a articulação de experiências. </li></ul><ul><li>D isponibiliza games, mapas conceituais, simulações, objetos de aprendizagem e conexão com celular. </li></ul>voltar
  16. 22. <ul><li>Garante um território de expressão e aprendizagem labiríntico com sinalizações que ajudam o aprendiz a não perder-se, mas que ao mesmo tempo não o impeça de perder-se. </li></ul><ul><li>Desenvolve, com a colaboração de profissionais específicos, um ambiente intuitivo, funcional, de fácil navegação e que poderá ser aperfeiçoado na medida da atuação dos aprendiz. </li></ul><ul><li>Propõe a aprendizagem e o conhecimento como espaços abertos a navegação, colaboração e criação, possibilitando ao aprendiz conduzir suas explorações. </li></ul>voltar
  17. 23. <ul><li>Promove ocasiões que despertem a coragem do enfrentamento em público diante de situações que provoquem reações individuais e grupais. </li></ul><ul><li>Elabora problemas que convoquem os estudantes a apresentar, defender e, se necessário, reformular seus pontos de vista constantemente. </li></ul><ul><li>Formula problemas voltados para o desenvolvimento de competências que possibilitem ao aprendiz ressignificar idéias, conceitos e procedimentos. </li></ul>voltar
  18. 24. <ul><li>Articula o percurso da aprendizagem em caminhos diferentes, multidisciplinares e transdisciplinares, em teias, em vários atalhos, reconectáveis a qualquer instante por mecanismos de associação. </li></ul><ul><li>Explora as vantagens do hipertexto: disponibiliza os dados de conhecimento exuberantemente conectados e em múltiplas camadas ligadas a pontos que facilitam o acesso e o cruzamento de informações e de participações. </li></ul><ul><li>Implementa no roteiro do curso diferentes desenhos e múltiplas combinações de linguagens e recursos educacionais retirados do universo cultural do estudante e atentos aos seus eixos de interesse </li></ul>voltar
  19. 25. <ul><li>“ Modela os domínios do conhecimento como espaços conceituais, onde os alunos podem construir seus próprios mapas e conduzir suas explorações, considerando os conteúdos como ponto de partida e não como ponto de chegada no processo de construção do conhecimento”. </li></ul><ul><li>Desenvolve atividades que propiciem não só a livre expressão, o confronto de idéias e a colaboração entre os estudantes, mas, que permitam também, o aguçamento da observação e da interpretação das atitudes dos atores envolvidos. </li></ul><ul><li>Implementa situações de aprendizagem que considerem as experiências, conhecimentos e expectativas que os estudantes já trazem consigo. </li></ul>voltar
  20. 26. <ul><li>Estimula a autoria cooperativa de formas, instrumentos e critérios de avaliação </li></ul><ul><li>C ria e assegura a ambiência favorável à avaliação formativa </li></ul><ul><li>Promove avaliação contínua nas interfaces </li></ul>voltar
  21. 27. Loyola 2ª ed. 2011 Loyola 5ª ed. 2010 Loyola 3ª ed. 2010 Gedisa 1ª ed. 2005 WAK 1ª ed. 2010
  22. 28. Obrigado! <ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>www.saladeaulainterativa.pro.br </li></ul>

×