• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Habilidades sociais assertivas 1
 

Habilidades sociais assertivas 1

on

  • 1,725 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,725
Views on SlideShare
1,725
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
28
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Habilidades sociais assertivas 1 Habilidades sociais assertivas 1 Document Transcript

    • HABILIDADES SOCIAIS ASSERTIVAS 1. Conceito de assertividade. A assertividade é considerada uma habilidade de enfrentamento, defesa de direitos e exercício de cidadania. A definição mais aceita é “a afirmação dos próprios direitos e expressão dos pensamentos de maneira direta, honesta e apropriada, que não viole o direito das outras pessoas” Para Max Gehringer “O assertivo não enrola, não inventa, não distorce e não diz uma vírgula além do necessário.” Dessa forma, ser assertivo é expressar idéias e opiniões de uma maneira empática, respeitando as pessoas. A comunicação assertiva alivia o estresse e constrói um ambiente harmônico e de respeito. 2. Os três estilos de comportamento. Segundo o psicólogo sul-africano Joseph Wolpe, em seu Treinamento Assertivo, existem três estilos de comportamento: Passivo - Assertivo - Agressivo 2.1 Estilo Passivo Características:: • Dificuldades de tomar decisões; • Pouca expressividade nos sentimentos positivos (ternura, carinho) e negativos (aborrecimento, raiva);
    • • Temem desagradar os outros; • Evitam recusar pedidos; • Guardam suas opiniões para si; • Fala suave , volume baixo, pausada, as vezes ocorre bradilalia (excessivamente lenta); • Evitam o contato visual (olham para baixo e para os lados); • Ombros rebaixados • Demonstram nervosismo e tensão com movimentos das mãos e braços; • Evitam conflito interpessoal, cedem mesmo estando corretas em suas opiniões; • São percebidas pelos demais como: tímidas, submissas, fracas, com pouca auto-estima, manipuláveis Não significa que as pessoas com predominância de estilo passivo se comportarão sempre dessa maneira e também podem mudar de estilo com ajuda de tratamento terapêutico e mesmo com o estímulo de outros indivíduos. 2.2 O Estilo Agressivo Características: • Autoritarismo; • Intransigência e coerção; • Pavio curto • Impulsiva e incisiva; • Autovalorização excessiva; • Desvalorização do outro; • Ameaça velada e explícita do interlocutor (verbal e física);
    • • Fluência verbal, voz alta e rápida, ocorrência de taquilalia (velocidade excessiva da fala) • Expressão facial: cenho carregado, contato visual intenso (intimidação), cabeça e ombros levantados, indicador em riste; • Objetivo é vencer, independente dos sentimentos das demais pessoas. A agressividade se opõe à passividade e ao comportamento assertivo. 2.3 Estilo Assertivo. Características: • Afirmação pessoal com respeito ao interlocutor; • Contato visual; • Volume de voz audível, firme e modulado conforme seus sentimentos; • Gestualidade adequada às diferentes situações interpessoais; • Postura comedida, sem ser submissa ou desafiante; • Defesa dos seus próprios direitos sem desrespeitar os direitos dos outros; As duas classes gerais de comportamento assertivo: Assertividade reativa e pró-ativa. Assertividade Reativa (reação) é aquela em que a pessoas que se sentiu prejudicada pela ação outra tenta restabelecer o equilíbrio na relação. Assertividade pró-ativa a própria pessoa inicia a interação conforme objetivos anteriormente definidos. Os comportamentos assertivos não se opõem aos principais valores da religião. Não devemos confundir passividade com humildade, servidão com amor, aceitação ingênua com tolerância, fraqueza com perdão. Por outro lado temos que não fazer confusão entre defesa do que é simplesmente de interesse pessoal e a defesa do que é de fato direito justo e legítimo. Direitos e deveres são faces de uma mesma moeda.
    • 3. Algumas habilidades assertivas. As mais importantes são: opinar, solicitar mudança de comportamento, iniciar e encerrar conversação, fazer e recusar pedidos e lidar com críticas. Dentre as habilidades assertivas, as de fazer e recusar pedidos e lidar com críticas, são consideradas as mais difíceis de serem exercitadas de forma competente. 3.1 Fazer e recusar pedidos Cotidianamente, sem maiores dificuldades, fazemos, aceitamos e recusamos pedidos que estão relacionados aos diferentes papeis sociais que desempenhamos. Um pedido pode ser considerado abusivo quando extrapola os desempenhos próprios do papel social da outra pessoa, ou quando fere a sua dignidade e viola algum de seus direitos. Alguns fatores podem dificultar a recusa de um pedido abusivo e explorador: • Receio de provável conseqüência negativa; • Não aprendizagem de habilidades de recusar; • Ansiedade excessiva; • Sentimento de culpa quanto à recusa. O sentimento de culpa se desenvolve pela educação e é modelado na relação pais e filhos. Muitos pais não aceitam que seus filhos possam lhes recusar qualquer pedido e os fazem sentirem-se culpados por recusar. Usam as estratégias do: • Apelo à autoridade (Eu sou seu pai); • Dever (Cabe a você, como filho, fazer o que eu estou lhe pedindo);
    • • Sentimento (Quantas noites eu não perdi o sono para cuidar de você). Os principais componentes envolvidos na habilidade de recusar são: • Dizer não (Não é possível fazer o que você me solicita); • Apresentar breve justificativa para o não atendimento ( O dinheiro que tenho é suficiente para minhas despesas); • Esclarecer o interlocutor quanto à impropriedade de sua solicitação (Isto contraria as normas de trabalho e penso que você deveria evitar esse tipo de pedido); Atender ou não um pedido não depende apenas de nossa possibilidade, mas também da avaliação que fazemos sobre a conveniência, a real necessidade, a forma e a ocasião em que ele foi apresentado. Em geral, o estilo passivo tem dificuldade em recusar pedidos, e o agressivo não. Atender pedidos na medida do possível, considerando as observações sobre justeza, forma e ocasião em que foram feitos, é, igualmente, uma habilidade social importante. Demonstra sensibilidade às necessidades do outro 3.2 Lidar com Críticas Em geral, as pessoas têm grande dificuldade no domínio dessa habilidade. Ela envolve três componentes: • Aceitar críticas; • Rejeitar/rebater críticas; • Fazer críticas Os três critérios da para fazer uma crítica:
    • • Veracidade (o que eu pretendo dizer a respeito de alguém é verdadeiro?); • Utilidade (minha crítica vai contribuir para o crescimento dessa pessoa?) • Adequação (Estou certo de ter escolhido as palavras adequadas, o tom de voz apropriado e a melhor ocasião?). Se feita corretamente a crítica pode ter resultados positivos para os dois lados, para quem faz e para quem recebe. A crítica pode ser uma forma de amor ao próximo quando na perspectiva do aforismo ama ao próximo como a ti mesmo. 4. Quando a assertividade não deve ser usada O comportamento assertivo deve ser evitado nas situações abaixo: • No caso de alta probabilidade de reação violenta do interlocutor àquele que emite o comportamento assertivo, podendo tal reação lhe ser bastante danosa; • Em uma situação em que o interlocutor realiza tarefas profissionais, com desempenho abaixo do esperado por razões outras, que excluem a má- vontade ou displicência e os danos e/ou aborrecimentos causados são pequenos; • Quando a assertividade contrasta notavelmente com as práticas culturais e pode ser considerada abusiva, equivocada ou agressiva. A assertividade pode ser considerada uma habilidade social cristã. Constitui uma forma adequada de colocar nossa indignação e nossa raiva a serviço da vida. 5. Jesus assertivo
    • Autonegação do eu e sentimento de culpa forma pessoas passivas que podem se tornarem incapazes de amar verdadeiramente. Jesus é o modelo mais perfeito de expressão de amor autêntico, que conseguiu equilibrar mansuetude e firmeza, coragem e paciência. Jesus reagia assertivamente às provocações de seus adversários, como podemos ver em Mateus 12: 10-11 (É lícito curar no sábado?) e Lucas 11;42- 46 (Mestre, falando assim, tu nos insultas também!). As primeiras reações de Jesus às provocações dos fariseus foram do tipo assertiva branda e posteriormente foram se tornando mais severas (essa é a fase mais avançada da assertividade). A essa graduação dá-se a denominação de assertividade em escalada, o que ele fez para neutralizar a esperteza dos fariseus.