0
ORGANIZAÇÃO, MÉTODOS ESISTEMAS – 02/2012AULA 05Professor Euller Barros
Cumbuca!• O Sorteado deverá apresentar, de forma resumida, o conteúdo  ministrado na aula anterior;• Caso o sorteado não e...
REVISÃO – AULA 04• Representações Gráficas  • Organograma  • Funcionograma• Departamentalização  • Tipos de Estrutura
OrganogramaConceito:• “Representação gráfica e abreviada da estrutura da organização”  (CURY, 2012)O organograma visa repr...
OrganogramaTipos de Organograma:•   Clássico ou Tradicional•   Circular•   Em Barras•   Radial                 Fonte: CURY...
FuncionogramaConceito:• “Gráfico de Organização tendo como finalidade principal o  detalhamento das atividades/tarefas que...
TIPOS BÁSICOS DE ESTRUTURASORGANIZACIONAISPor função  Estruturada em função dos trabalhos especializados a   serem execut...
ESTRUTURA POR DIVISIONALEstruturada em função dos resultados finais a serem obtidos, tais como:produto, mercado a servir, ...
AGENDA – AULA 05• Configurações Organizacionais - Mintzberg  • Partes da Organização  • Mecanismos de Coordenação  • Model...
Henry Mintzberg• (1939) é um renomado acadêmico e  autor na área de administração.• Ph.D. pela MIT Sloan School of  Manage...
Cerâmicas S.A.• A senhora Marisa fabricava cerâmica no porão de sua casa. Isso envolvia  um certo número de tarefas distin...
Cerâmicas S.A.• A comunicação funcionou bem, tanto assim que logo dona Marisa  ficou novamente afogada em pedidos. Novos e...
Cerâmicas S.A.• Mesmo com cinco pessoas a coordenação não apresentava problemas.  Entretanto, quando mais dois novos empre...
Cerâmicas S.A.• A empresa continuou crescendo, e maiores mudanças tiveram lugar  quando foi contratado um analista de temp...
Cerâmicas S.A.• A ambição de dona Marisa não tinha limites e, por isso, quando  apareceu a oportunidade de diversificar, e...
AGENDA – AULA 05• Configurações Organizacionais - Mintzberg  • Mecanismos de Coordenação  • Partes da Organização  • Model...
Os 5 Mecanismos de Coordenação• Cinco mecanismos de coordenação podem abranger  as maneiras fundamentais pelas quais as  o...
AGENDA – AULA 05• Configurações Organizacionais - Mintzberg  • Mecanismos de Coordenação  • Partes da Organização  • Model...
A Organização em 5 Partes                    Cúpula                  Estratégica                    Linha                I...
A Organização em 5 PartesNúcleo Operacional                                                                         Núcleo...
A Organização em 5 Partes                                                                               Cúpula            ...
A Organização em 5 Partes                                                     LinhaLinha Intermediária                    ...
A Organização em 5 PartesTecnoestrutura• Na Tecnoestrutura encontramos os analistas que prestam  serviços à organização at...
A Organização em 5 PartesAssessoria de Apoio• Unidades especializadas com o fim de dar apoio para a  organização fora de s...
A Organização em 5 PartesAnalistas que exercem     atividades de      assessoria,                                         ...
AGENDA – AULA 05• Configurações Organizacionais - Mintzberg  • Mecanismos de Coordenação  • Partes da Organização  • Model...
Modelos Organizacionais deMintzbergConsiderando os diferentes estágios das empresas, suascaracterísticas internas e a forç...
Estrutura Simples• Grande amplitude de controle na cúpula estratégica, nenhuma  nas unidades de assessoria e insignificant...
Estrutura SimplesCaracterísticas:• possui pequena ou nenhuma tecnoestrutura,• poucos assessores de apoio,• reduzida divisã...
Estrutura Simples• Principal mecanismo de coordenação: Supervisão direta• Parte chave da organização: Cúpula estratégica• ...
Burocracia Mecanizada• Estrutura administrativa e de apoio plenamente elaborada e  as grandes unidades operacionais, na li...
Burocracia MecanizadaCaracterísticas:• Altamente Especializada• Tarefas Operacionais Rotinizadas• Proliferação de normas, ...
Burocracia Mecanizada• Principal mecanismo de coordenação: Padronização dos processos  de trabalho• Parte chave da organiz...
Burocracia Profissional• Estrutura achatada, linha intermediária estreita e  uma assessoria de apoio plenamente elaborada ...
Burocracia Profissional• Principal mecanismo de coordenação: Padronização das  habilidades• Parte chave da organização: Nú...
Forma Divisionalizada• Uma pequena cúpula estratégica formada pelos altos  dirigentes; uma pequena tecnoestrutura à esquer...
Forma Divisionalizada• Principal Mecanismo de Coordenação: Padronização dos  resultados• Parte chave da Organização: Linha...
Adhocracia• Uma estrutura de forma flexível capaz de se ajustar a  ambientes com mudanças aceleradas,• Apresenta uma estru...
Adhocracia• Principal mecanismo de Coordenação: Ajustamento mútuo• Parte-chave da Organização: Assessoria de apoio• Princi...
Modelos Organizacionais deMintzberg - Resumo             Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo...
Próxima Aula• Departamentalização e Descentralização  • Autoridade x Responsabilidade  • Linha x Assessoria  • Amplitude d...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Oms un b 02 2012 – aula 05

555

Published on

A atualização do conteúdo é realizada semestralmente! Procure pelo conteúdo do mais atual em: www.slideshare.net/eullerbarros/

Aula 05 da Disciplina Organização, Métodos e Sistemas ministrada pelo Professor Euller Barros na Universidade de Brasília - UnB.

Aula baseada no livro Criando Organizações Eficazes de Henry Mintzberg.

Conteúdo:
Modelos de Coordenação (ajustamento mútuo, supervisão direta, padronização);
Partes das Organizações (Cúpula Estratégica, Linha Intermediária, Núcleo Operacional, Tecnoestrutura e Assessoria de Apoio;
Modelos Organizacionais:

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
555
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
55
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Oms un b 02 2012 – aula 05"

  1. 1. ORGANIZAÇÃO, MÉTODOS ESISTEMAS – 02/2012AULA 05Professor Euller Barros
  2. 2. Cumbuca!• O Sorteado deverá apresentar, de forma resumida, o conteúdo ministrado na aula anterior;• Caso o sorteado não esteja presente, será realizado novo sorteio até que algum aluno presente seja sorteado;• Caso o aluno sorteado se recuse a realizar a cumbuca ou realize de maneira não satisfatória, não será realizado um novo sorteio.
  3. 3. REVISÃO – AULA 04• Representações Gráficas • Organograma • Funcionograma• Departamentalização • Tipos de Estrutura
  4. 4. OrganogramaConceito:• “Representação gráfica e abreviada da estrutura da organização” (CURY, 2012)O organograma visa representar:• os órgãos componentes da empresa;• as relações de interdependência entre os órgãos;• os níveis administrativos que compões a organização ;• a via hierárquica. Fonte: CURY, Antonio. Organização e métodos: uma visão holística. 8ª Ed. São Paulo: Atlas, 2012
  5. 5. OrganogramaTipos de Organograma:• Clássico ou Tradicional• Circular• Em Barras• Radial Fonte: CURY, Antonio. Organização e métodos: uma visão holística. 8ª Ed. São Paulo: Atlas, 2012
  6. 6. FuncionogramaConceito:• “Gráfico de Organização tendo como finalidade principal o detalhamento das atividades/tarefas que compõem uma função, da qual se originou um órgão no organograma.” (CURY, 2012) Fonte: CURY, Antonio. Organização e métodos: uma visão holística. 8ª Ed. São Paulo: Atlas, 2012
  7. 7. TIPOS BÁSICOS DE ESTRUTURASORGANIZACIONAISPor função Estruturada em função dos trabalhos especializados a serem executados.Divisional Estruturada em função dos resultados finais a serem obtidos, tais como: produto, mercado a servir, geografia, classe de cliente, tipo de projeto.Especial Estruturas matriciais, estruturas em rede e estrutura celular.
  8. 8. ESTRUTURA POR DIVISIONALEstruturada em função dos resultados finais a serem obtidos, tais como:produto, mercado a servir, geografia, classe de cliente, tipo de projeto. Principais Tipos: Geográfica: É aquela que leva em conta as condições econômicas, sociais e políticas diferentes, em cada uma das áreas operadas pela organização. Por Produto: É aquela em que agrupamento da organização é feito de acordo com as atividades relativas a cada um dos produtos e serviços da mesma. Por Cliente: É aquela em que a estrutura da organização é definida e orientada em função das características e necessidades de cada grupo de clientes (segmentos).
  9. 9. AGENDA – AULA 05• Configurações Organizacionais - Mintzberg • Partes da Organização • Mecanismos de Coordenação • Modelos Organizacionais
  10. 10. Henry Mintzberg• (1939) é um renomado acadêmico e autor na área de administração.• Ph.D. pela MIT Sloan School of Management.• Professor na McGill University - Quebec, Canadá• Mestre em Gerência no MIT.• Obras sobre estratégia de Gerência e de Negócios, com mais de 140 artigos publicados e treze livros no seu nome.
  11. 11. Cerâmicas S.A.• A senhora Marisa fabricava cerâmica no porão de sua casa. Isso envolvia um certo número de tarefas distintas, como: amontoar a argila; dar-lhe forma de vaso; modelar com uma ferramenta enquanto úmida; preparar e depois aplicar o esmalte e; por fim, cozer os vasos no forno. A coordenação de todas essas tarefas não apresentava problemas, pois ela própria as executava.• O problema era ser ambiciosa e fazer vasos lindos cujos pedidos excediam sua capacidade de produção. Por essa razão, ela contratou a senhorita Bisque, interessada em aprender como fazer vasos. Isto exigia que dona Marisa fizesse a divisão do seu trabalho. Nesse ínterim, as lojas de artesanato continuavam pedindo as cerâmicas, motivo pelo qual dona Marisa decidiu que a senhorita Bisque deveria amontoar a argila e preparar o esmalte, enquanto ela faria o restante. Foi, então, necessária a coordenação das tarefas, na verdade, um pequeno problema na micro empresa de duas pessoas, onde elas simplesmente comunicavam-se informalmente. Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995 (Com adaptações).
  12. 12. Cerâmicas S.A.• A comunicação funcionou bem, tanto assim que logo dona Marisa ficou novamente afogada em pedidos. Novos empregados foram necessários, ocasião que, prevendo o dia no qual eles mesmos deveriam modelar os vasos, dona Marisa decidiu admiti-los diretamente da escola de cerâmica do lugar. Isso porque considerou o tempo que foi preciso para treinar a senhorita Bisque, enquanto os três novos empregados já de início sabiam exatamente o que fazer e misturar corretamente. Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  13. 13. Cerâmicas S.A.• Mesmo com cinco pessoas a coordenação não apresentava problemas. Entretanto, quando mais dois novos empregados foram contratados os problemas de coordenação surgiram. Um dia a senhorita Bisque tropeçou em um balde de esmalte, quebrando cinco vasos e, em outro, dona Marisa, abrindo o forno, descobriu que os suportes para plantas tinham sido esmaltados na cor fúcsia por engano. Neste ponto, ela compreendeu que sete pessoas em uma pequena fábrica de cerâmica não coordenam suas tarefas por meio do mecanismo simples de comunicação informal. O que tornou as coisas ainda piores foi o fato de dona Marisa, chamando para si própria de presidente de Cerâmicas Ltda., ser forçada a gastar mais e mais tempo com os clientes. Na verdade, nesses dias ela estava mais para ser vista com vestido chique do que usando jeans. Por isso, ela nomeou a senhorita Bisque gerente de oficina, com o tempo ocupado integralmente para supervisionar e coordenar o trabalho dos cinco operários da cerâmica. Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  14. 14. Cerâmicas S.A.• A empresa continuou crescendo, e maiores mudanças tiveram lugar quando foi contratado um analista de tempos e movimentos. Ele recomendou mudanças, segundo as quais cada pessoa executava uma só tarefa dentro de uma das linhas de produtos (de vasos, cinzeiros, suportes para plantas e animais de cerâmica). Dessa maneira, a primeira fazia um bloco, a segunda lhe dava forma, a terceira modelava e assim por diante. Com isso, a produção compunha quatro linhas de montagem, nas quais cada indivíduo obedecia a um conjunto de instruções padronizadas previamente preparadas para assegurar a coordenação de todos trabalhos. É claro que a Cerâmicas Ltda. não mais vendeu para compradores de artesanatos, e dona Marisa passou a aceitar pedidos somente por atacado, muitos dos quais vinham de cadeias de lojas de departamentos. Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  15. 15. Cerâmicas S.A.• A ambição de dona Marisa não tinha limites e, por isso, quando apareceu a oportunidade de diversificar, ela não a deixou escapar. No começo foram telhas de barro, depois acessório para banheiros e finalmente tijolos prensados. Subsequentemente, a empresa foi separada em três divisões: produtos de consumo; produtos de construção; e produtos industriais. Do seu escritório no quinquagésimo quinto andar da Torre da Cerâmica ela coordenava as atividades das divisões pelo acompanhamento de seus desempenhos em cada trimestre do ano, e pessoalmente atuava quando os números dos lucros e taxas de crescimento caíam abaixo do que tinha sido previsto. Foi quando em um dia, sentada em sua mesa examinando esses orçamentos, que dona Marisa, fitando os arranha-céus dos arredores, decidiu mudar o nome de sua empresa para “Cerâmicas S.A”. Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  16. 16. AGENDA – AULA 05• Configurações Organizacionais - Mintzberg • Mecanismos de Coordenação • Partes da Organização • Modelos Organizacionais
  17. 17. Os 5 Mecanismos de Coordenação• Cinco mecanismos de coordenação podem abranger as maneiras fundamentais pelas quais as organizações coordenam suas tarefas:• Ajustamento Mútuo• Supervisão Direta• Padronização: • Padronização dos Processos de Trabalho • Padronização das Saídas • Padronização das Habilidades Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  18. 18. AGENDA – AULA 05• Configurações Organizacionais - Mintzberg • Mecanismos de Coordenação • Partes da Organização • Modelos Organizacionais
  19. 19. A Organização em 5 Partes Cúpula Estratégica Linha Intermediária Núcleo Operacional Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  20. 20. A Organização em 5 PartesNúcleo Operacional Núcleo Operacional• Envolve operadores que executam o trabalho básico diretamente relacionado à fabricação dos produtos e à prestação dos serviços.• Função: Execução (Atividade Fim)• Exemplos: Operadores de Máquinas, Montadores, Vendedores Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  21. 21. A Organização em 5 Partes Cúpula EstratégicaCúpula Estratégica• Assegura que a organização cumpra sua missão de modo eficaz e também que atenda às necessidades dos que a controlam.• Função: Estratégia (Objetivos, Missão/Visão, Planos)• Exemplos: Presidente, Conselho de Administração, Diretoria Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  22. 22. A Organização em 5 Partes LinhaLinha Intermediária Inter mediá ria• Conecta a cúpula estratégica ao núcleo operacional pela cadeia de gerentes intermediários que possui autoridade formal.• Função: Coordenação• Exemplos: Gerentes de Fábrica, Coordenadores de áres etc. Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  23. 23. A Organização em 5 PartesTecnoestrutura• Na Tecnoestrutura encontramos os analistas que prestam serviços à organização atuando sobre as tarefas dos outros. Estes analistas estão fora do fluxo de trabalho operacional e da linha de autoridade formal.• Os analistas de controle da tecnoestrutura efetivam as formas de padronização da organização.• Função: Padronização• Exemplos: Qualidade, Programação da Produção, Apoio Técnico Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  24. 24. A Organização em 5 PartesAssessoria de Apoio• Unidades especializadas com o fim de dar apoio para a organização fora de seu fluxo de trabalho operacional.• Função: Suporte• Exemplos: Assessoria Jurídica, Relações Públicas, Pesquisa e Desenvolvimento, Folha de Pagamento. Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  25. 25. A Organização em 5 PartesAnalistas que exercem atividades de assessoria, Cargos com responsáveis por Cúpula responsabilidade total pela delinear, planejar e Estratégica organização, encarregados treinar os indivíduos de assegurar que a na execução do organização cumpra sua trabalho missão de maneira eficaz. Unidades de assessoria, que provêm serviços indiretos à Linha organização. Intermediária Núcleo Operacional Hierarquia de autoridade Pessoas que executam o formal, situada entre o trabalho básico de fabricar núcleo operacional e a produtos ou prestar cúpula estratégica serviços. Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  26. 26. AGENDA – AULA 05• Configurações Organizacionais - Mintzberg • Mecanismos de Coordenação • Partes da Organização • Modelos Organizacionais
  27. 27. Modelos Organizacionais deMintzbergConsiderando os diferentes estágios das empresas, suascaracterísticas internas e a força que cada uma exerce,Mintzberg propõe a existência de cinco configuraçõesestruturais: • Estrutura Simples • Burocracia Mecanizada • Burocracia Profissional • Forma Divisionalizada • Adhocracia Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  28. 28. Estrutura Simples• Grande amplitude de controle na cúpula estratégica, nenhuma nas unidades de assessoria e insignificante na linha intermediária Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  29. 29. Estrutura SimplesCaracterísticas:• possui pequena ou nenhuma tecnoestrutura,• poucos assessores de apoio,• reduzida divisão do trabalho,• diferenciação mínima entre suas unidades,• pequena hierarquia administrativa,• pouco do seu comportamento é formalizado,• mínimo uso de planejamento, treinamento e instrumentos de interligação
  30. 30. Estrutura Simples• Principal mecanismo de coordenação: Supervisão direta• Parte chave da organização: Cúpula estratégica• Principais parâmetros para delinear: Centralização• Fatores situacionais: • Pequena e jovem • Sistema técnico pouco elaborado • Ambiente simples e dinâmico • Cúpula da organização briga pelo poder Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  31. 31. Burocracia Mecanizada• Estrutura administrativa e de apoio plenamente elaborada e as grandes unidades operacionais, na linha intermediária para refletir a hierarquia de autoridade vertical Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  32. 32. Burocracia MecanizadaCaracterísticas:• Altamente Especializada• Tarefas Operacionais Rotinizadas• Proliferação de normas, regulamentos e comunicações através da organização• Unidades ao nível operacional com grandes dimensões• Confiança na base funcional para agrupar tarefas• Poder relativamente centralizado para a tomada de decisão• Administração elaborada com uma nítida distinção entre linha e assessoria Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  33. 33. Burocracia Mecanizada• Principal mecanismo de coordenação: Padronização dos processos de trabalho• Parte chave da organização: Tecnoestrutura• Principais parâmetros do Design: • Grandes unidades operacionais, • Centralização • Descentralização vertical e horizontal • planejamento das ações• Fatores Situacionais: • Organização madura • Sistema técnico regulado, normatizado • Ambiente estável • Controle sobre as tarefas Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  34. 34. Burocracia Profissional• Estrutura achatada, linha intermediária estreita e uma assessoria de apoio plenamente elaborada Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  35. 35. Burocracia Profissional• Principal mecanismo de coordenação: Padronização das habilidades• Parte chave da organização: Núcleo operacional• Principais parâmetros de Design: Descentralização vertical e horizontal• Fatores Situacionais: • Ambiente estável e complexo; • sistema técnico não regulado e não sofisticado; Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  36. 36. Forma Divisionalizada• Uma pequena cúpula estratégica formada pelos altos dirigentes; uma pequena tecnoestrutura à esquerda, envolvida no design e na operação do sistema de controle de desempenho, um grupo maior de assessores de apoio à direita.• Quatro divisões aparecem abaixo do escritório central representadas como Burocracias Mecanizadas Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  37. 37. Forma Divisionalizada• Principal Mecanismo de Coordenação: Padronização dos resultados• Parte chave da Organização: Linha intermediária• Principais parâmetros de Design: • Agrupamento baseado no mercado, • sistema de controle do desempenho, • descentralização vertical• Fatores situacionais: • Mercados diversificados; • empresa antiga e de grande porte; • Poder nos gerentes intermediários; Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  38. 38. Adhocracia• Uma estrutura de forma flexível capaz de se ajustar a ambientes com mudanças aceleradas,• Apresenta uma estrutura orgânica, que tem participação nas tarefas multidisciplinares, um papel de ligação e integração com complexidade baixa e moderada, com pouca formalização na tomada de decisão. Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  39. 39. Adhocracia• Principal mecanismo de Coordenação: Ajustamento mútuo• Parte-chave da Organização: Assessoria de apoio• Principais parâmetros de Design: • Instrumentos de interligação, • estrutura orgânica, • especialização do profissional, • agrupamentos funcionais• Fatores situacionais: • Ambiente complexo e dinâmico; • Jovem e Flexivel; • Sistema técnico sofisticado e muitas vezes automatizado Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  40. 40. Modelos Organizacionais deMintzberg - Resumo Fonte: MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes. São Paulo: Atlas, 1995.
  41. 41. Próxima Aula• Departamentalização e Descentralização • Autoridade x Responsabilidade • Linha x Assessoria • Amplitude de Comando• Revisão para a Prova
  1. Gostou de algum slide específico?

    Recortar slides é uma maneira fácil de colecionar informações para acessar mais tarde.

×