LogíStica Militar2

9,108 views

Published on

Principais conceitos para entender a instituição EB e sua organização logística.

Published in: Business, Travel
3 Comments
16 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
9,108
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
120
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
3
Likes
16
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

LogíStica Militar2

  1. 1. LOGÍSTICA MILITAR Euler França Junior 1º Ten R2 Int
  2. 2. ORGANIZAÇÃO DO EXÉRCITO BRASILEIRO (190.000 homens)
  3. 3. Organização do EB <ul><li>Ministério da Defesa (+ Marinha e Força Aérea) </li></ul><ul><li>Comandos Militares (7) </li></ul><ul><li>Regiões Militares (12) </li></ul><ul><li>Estado-Maior e Departamento de Ensino e Pesquisa </li></ul><ul><li>Força Terrestre (operacional): Divisões, Brigadas e Unidades de Combate e apoio ao Combate. </li></ul>
  4. 4. A Constituição de 1988 determina que o Exército Brasileiro tenha as seguintes missões : - defender a Pátria; - garantir os poderes constituídos, a lei e a ordem; - cooperar com o desenvolvimento nacional e com a defesa civil; - e ainda participar de operações internacionais.
  5. 5. Os Comandos Militares de área são responsáveis pelo planejamento, preparo e emprego das tropas em sua área. As Regiões Militares coordenam as atividades logísticas de suprimento, manutenção, transporte, saúde e pessoal , além de participarem do sistema do Serviço Militar e de realizarem obras nos quartéis, em sua área de jurisdição.
  6. 6. Instituições de Ensino Superior <ul><li>AMAN </li></ul><ul><li>EsAO </li></ul><ul><li>ECEME </li></ul><ul><li>IME </li></ul><ul><li>ESAEx (mulheres em 1992) </li></ul><ul><li>EsSEx </li></ul>
  7. 7. Centros de Formação <ul><li>EsSA </li></ul><ul><li>EsPCex </li></ul><ul><li>EsACosAAe </li></ul><ul><li>CPOR </li></ul><ul><li>NPOR </li></ul>
  8. 8. Armas, Quadros e Serviços <ul><li>Artilharia </li></ul><ul><li>Cavalaria </li></ul><ul><li>Comunicações </li></ul><ul><li>Engenharia </li></ul><ul><li>Infantaria </li></ul><ul><li>Intendência </li></ul><ul><li>Material Bélico </li></ul><ul><li>QAO, QCO, QEM, SAREx </li></ul><ul><li>Saúde </li></ul>
  9. 9. “ Os exércitos marcham sobre seus estômagos”. Napoleão Bonaparte, Imperador francês
  10. 10. &quot;Amadores falam de estratégia, profissionais falam de Logística.”, Ditado Militar americano.
  11. 11. Serviço de Intendência (suprimento, transporte e alimentação) <ul><li>Atividades de suprimento </li></ul><ul><li>Distribuição de uniformes e equipamentos individuais </li></ul><ul><li>Distribuição de munição </li></ul><ul><li>Distribuição de gêneros alimentícios </li></ul><ul><li>Lavanderia e banho </li></ul><ul><li>Administração financeira e contábil </li></ul>
  12. 17. Quadro de Material Bélico <ul><li>Manutenção do material bélico: armamento, viaturas e aeronaves </li></ul><ul><li>Suprimento de peças e conjuntos de reparação </li></ul><ul><li>Suprimento de combustíveis, óleos, graxas e lubrificantes para motores e máquinas. </li></ul>
  13. 25. “ Mais uma vez... o cão da guerra está sendo agarrado pelo seu rabo logístico”, General Schwarzkopf, sobre os preparativos para a Guerra do Golfo, em 1990.
  14. 26. 2º BATALHÃO LOGÍSTICO <ul><li>Unidade que presta apoio logístico à Grande Unidade, isto é, que lhe assistisse nas necessidades de manutenção do armamento e de material motomecanizado, presta apoio de saúde e ainda, que garante ao Grande Comando o suprimento de combustível, peças de material de intendência e toda gama necessária de material bélico. </li></ul>
  15. 32. Considerações Básicas
  16. 33. 1. Por sua atuação na solução de complexos problemas de apoio às forças militares, a logística adquiriu posição de relevo no quadro das operações. Em várias oportunidades, a logística, mais do que outros sistemas operacionais, foi o fator determinante de vitórias e derrotas , evidenciando que o resultado final das operações é claramente influenciado por ela e pela capacidade de melhor executá-la.
  17. 34. 2. Todo e qualquer planejamento logístico , independentemente do escalão e do nível de abrangência, deve ter como premissa básica a sua factibilidade , fundamentada na existência de meios reais ou passíveis de mobilização, dentro das condições de tempo e espaço delimitadas naquele planejamento.
  18. 35. 3. A capacidade logística atual deve ser a necessária e suficiente para apoiar o pronto emprego de tropas para enfrentar uma situação emergencial . Será, necessariamente, complementada por mobilização para o apoio a operações de maior duração e/ou envergadura.
  19. 37. Dos US$ 28 bilhões gastos na operação “Iraqi Freedom” - a Guerra do Iraque em 2003 - US$14.2 bi foram para operações de suprimento e US$ 4.9 bi para custos de transporte.
  20. 38. Evolução da Logística <ul><li>Logistikos (grego): habilidade em calcular. </li></ul><ul><li>Logista (latim): administrador. </li></ul><ul><li>Mar chal des logis (francês): autoridade responsável por prover as facilidades de alojamento, fardamento e alimentação nas tropas, nos acampamentos e marchas. </li></ul>
  21. 39. <ul><li>Suécia (1611-1632) – Rei Gustavo Adolfo - criação de comboios de elementos de suprimento e manutenção para o Ap Log (“trens”) </li></ul><ul><li>Logística como ciência e guerra (1836) – estrategista militar Antoine Henri Jomini </li></ul><ul><li>Século XX – grande impulso – evolução geral – 2ª GM (apoio logístico internacional) e Guerra Golfo (localização e complexidade). </li></ul>
  22. 40. <ul><li>Brasil: fardamento (erário Cmte), alimentação (soldadas)–RJ, BA, SP, RS </li></ul><ul><li>1808 – 1822 => órgãos de execução </li></ul><ul><li>Melhora após Proclamação da República </li></ul><ul><li>1896 – Intendência Geral de Guerra e criação Regiões Militares (Log OMs) </li></ul><ul><li>1919 – Missão Militar Francesa desenvolve Log Mil Ter </li></ul><ul><li>1920 – Criação Sv Int </li></ul><ul><li>1942 – aprestamento FEB (1,5 anos) </li></ul>
  23. 41. <ul><li>1955 – Criação QMB </li></ul><ul><li>Sv Int + QMB = experimentação científica e acompanhamento doutrinário </li></ul><ul><li>Desenvolvimento Industrial Brasileiro (2ª metade séc. XX) => Log Mil nacional com criação IMBEL, DGS, DMB e BLogs </li></ul>
  24. 42. O Manual C100-10 APOIO ADMINISTRATIVO , aprovado em 1977 , definia seu objeto como o sendo “o conjunto das atividades nos campos do pessoal, da logística e dos assuntos civis...&quot; Considerava atividades da logística militar aquelas relativas à previsão e provisão de meios materiais e serviços necessários às Forças Armadas , nos campos da saúde, do suprimento, da manutenção, da construção e do transporte.
  25. 43. Em 1986, o SIPLEx-4 (Concepção Estratégica do Exército) estabeleceu novo enfoque para a logística , com a criação do Comando Logístico (COLOG) na Zona do Interior e do Comando Logístico e de Mobilização do Núcleo Central (CLMNC), além dos Cmdo ZA e Distritos Logísticos.
  26. 44. Pouco depois, novos estudos resultaram na adoção da Organização Básica do Exército (OBE), de 1988 , segundo a qual deixava de existir o Apoio Administrativo e era adotada uma nova definição de Logística , apresentada, então, com novas estruturas, dentro de uma visão sistêmica . Nesse conceito, o Sistema Logístico passou a ser constituído pelos subsistemas Comando Logístico, Logística Organizacional e Logística Operacional.
  27. 45. Para atualizar a doutrina e a estrutura preconizadas pelo C100-10 APOIO ADMINISTRATIVO, edição 1977, às mudanças implementadas pela OBE/88, entrou em vigor o Manual de Campanha C 100-10 LOGÍSTICA MILITAR TERRESTRE , edição 1993, que teve como diretriz geral organizar o “apoio logístico condicionado aos meios existentes, aos passíveis de rápida mobilização para os planejamentos de emergência, bem como os de potencial mobilização, para o planejamento normal de médio e longo prazos”.
  28. 46. A presente versão do C100-10 LOGÍSTICA MILITAR TERRESTRE tem justamente o propósito de adaptar-se a tais mudanças, tendo como cenários a atual conjuntura do País e as novas características dos conflitos, que tornam obsoleta a concepção do apoio logístico baseada numa lenta transição da situação de paz para a de guerra. Traz, enfim, uma doutrina e um sistema de apoio adequados às possibilidades da F Ter e que atende suas reais necessidades, tanto na paz como na guerra.
  29. 48. Fundamentos de Logística Militar
  30. 49. 1. Logística Militar <ul><li>Conjunto de atividades relativas à previsão e à provisão de recursos humanos, materiais e animais, quando aplicável, e dos serviços necessários à execução das missões das FA. </li></ul>
  31. 50. 2. Logística Militar Terrestre <ul><li>Conjunto de atividades relativas à previsão e à provisão de meios necessários ao funcionamento organizacional do Exército e às operações da F Ter. </li></ul>
  32. 51. 3. Função Logística <ul><li>É a reunião , sob uma única designação, de um conjunto de atividades logísticas afins , correlatas ou de mesma natureza. </li></ul><ul><li>São 7 (sete) as funções logísticas: Recursos Humanos, Saúde, Suprimento, Manutenção, Transporte, Engenharia e Salvamento. </li></ul>
  33. 52. 4. Atividade Logística <ul><li>É um conjunto de tarefas afins , reunidas segundo critérios de relacionamento, interdependência ou de similaridade. </li></ul>
  34. 53. 5. Tarefa Logística <ul><li>É um trabalho específico e limitado no tempo , que agrupa passos, atos ou movimentos interligados segundo uma determinada seqüência e visando à obtenção de um resultado definido. </li></ul><ul><li>FUNÇÃO LOGÍSTICA ⇒ ATIVIDADES LOGÍSTICAS ⇒ TAREFAS </li></ul>
  35. 55. Princípios Básicos <ul><li>Objetivo </li></ul><ul><li>Continuidade </li></ul><ul><li>Controle </li></ul><ul><li>Coordenação </li></ul><ul><li>Economia de meios </li></ul><ul><li>Flexibilidade </li></ul><ul><li>Interdependência </li></ul><ul><li>Objetividade </li></ul><ul><li>Oportunidade </li></ul><ul><li>Prioridade </li></ul><ul><li>Segurança </li></ul><ul><li>Simplicidade </li></ul><ul><li>Unidade de Comando </li></ul>
  36. 56. Fases da Logística <ul><li>1. Determinação das necessidades </li></ul><ul><ul><li>Fase inicial </li></ul></ul><ul><ul><li>Recompletamento e manutenção </li></ul></ul><ul><ul><li>Reserva </li></ul></ul><ul><ul><li>Fins especiais </li></ul></ul>
  37. 57. Fases da Logística <ul><li>2. Obtenção </li></ul><ul><ul><li>Identificação das fontes </li></ul></ul><ul><ul><li>Tomar medidas para a aquisição de recursos e serviços necessários </li></ul></ul><ul><ul><li>Recursos humanos: movimentação, concurso, formação, convocação, treinamento, mobilização, recrutamento </li></ul></ul><ul><ul><li>Recursos materiais:doação, compra, contratação de serviços, confisco, contribuição, pedido, requisição, desenvolvimento, troca, empréstimo, “leasing”, transferência. </li></ul></ul>
  38. 58. Fases da Logística <ul><li>3. D istribuição </li></ul><ul><li>consiste em fazer chegar aos usuários, oportuna e eficazmente , todos os recursos fixados pela determinação das necessidades. </li></ul><ul><li>A distribuição dos recursos materiais pode compreender o recebimento, o armazenamento, o transporte e a entrega. </li></ul>
  39. 59. Sistema Logístico Militar Terrestre
  40. 61. Objetivos do Sistema Logístico <ul><li>Prever, prover e manter os meios em recursos humanos, materiais, animais e os serviços, desempenhando todas as funções logísticas necessárias, de acordo com a situação vigente (paz, crise ou guerra). </li></ul><ul><li>Definir as necessidades logísticas para fim de mobilização. </li></ul>
  41. 62. Níveis de Apoio Logístico <ul><li>Estratégico - É o mais alto nível em que é praticada a Logística Militar. Aplicada em situações de conflito ( esforço de guerra nacional). </li></ul><ul><li>Operacional - É o nível constituído pela logística desenvolvida no interior do TOT. </li></ul><ul><li>Tático - É a logística desenvolvida pelas divisões de exército (DE), brigadas (Bda) e escalões inferiores e seus correspondentes nas demais Forças Singulares. </li></ul>
  42. 66. Função Logística RH <ul><li>A função logística Recursos Humanos (RH) refere-se ao conjunto de atividades relacionadas com o gerenciamento dos recursos humanos . Tem a seu cargo planejar, integrar e controlar as atividades de administração, levantamento das necessidades, procura e admissão, preparação e bem-estar do pessoal, além da manutenção do moral militar , desde o tempo de paz e em apoio à F Ter em operações. </li></ul>
  43. 67. Curiosidades – Função Logística RH <ul><li>Bem-estar e manutenção do moral militar - atividade destinada a fazer com que o RH se refaça do desgaste físico, mental e emocional provocado por longos períodos de combate e trabalho extremado sob pressão . São suas tarefas: </li></ul><ul><li>(1) repouso; </li></ul><ul><li>(2) recuperação; </li></ul><ul><li>(3) recreação; </li></ul><ul><li>(4) suprimento reembolsável; </li></ul><ul><li>(5) assistência religiosa; </li></ul><ul><li>(6) assistência social; </li></ul><ul><li>(7) serviço postal; </li></ul><ul><li>(8) serviço de banho; </li></ul><ul><li>(9) serviço de lavanderia; e </li></ul><ul><li>(10) sepultamento. </li></ul>
  44. 68. Curiosidades <ul><li>A tarefa de sepultamento, em apoio às operações militares, compreende os seguintes passos: </li></ul><ul><li>(1) busca, coleta e evacuação dos restos mortais do pessoal militar e, quando necessário, de civis, aliados e inimigos; </li></ul><ul><li>(2) identificação e inumação provisória dos cadáveres; </li></ul><ul><li>(3) coleta e processamento de pertences pessoais (espólios); </li></ul><ul><li>(4) estabelecimento, funcionamento e manutenção de cemitérios militares temporários; e </li></ul><ul><li>(5) preparação de registros e relatórios referentes aos passos acima. </li></ul>
  45. 69. Curiosidades <ul><li>Mão-de-obra civil, embora não seja definida como atividade da função logística RH, poderá tornar-se atividade complementar importante, especialmente quando houver necessidade da utilização de auxiliares civis no TOT, liberando os efetivos militares para o desempenho de funções e encargos privativos do pessoal militar. </li></ul>
  46. 70. Curiosidades <ul><li>Fatores que influem nas perdas </li></ul><ul><li>(1) localização das forças (ZA, Z Cmb, em contato e outros); </li></ul><ul><li>(2) natureza da operação; </li></ul><ul><li>(3) terreno; </li></ul><ul><li>(4) características do inimigo; </li></ul><ul><li>(5) condições meteorológicas e climáticas; </li></ul><ul><li>(6) condições da tropa; </li></ul><ul><li>(7) experiência de combate; e </li></ul><ul><li>(8) situação logística (níveis de suprimento, estado moral, nível de manutenção do armamento), entre outros. </li></ul>
  47. 71. Curiosidades <ul><li>Recompletamento - É distribuição de indivíduos ou de organizações para o preenchimento de claros. Também são chamados de recompletamentos os indivíduos ou unidades destinados a essa ação. </li></ul><ul><li>Serviço Militar Obrigatório e sua mobilização é um recompletamento. </li></ul>
  48. 72. Curiosidades <ul><li>Repouso, recuperação e recreação são tarefas da atividade bem-estar e manutenção do moral militar que tratam do pessoal, individualmente ou por unidades, permitindo que se refaça do desgaste físico, mental e emocional , provocado por longos períodos de combate, de trabalho extenuante e sob pressão. A execução bem dosada dessas tarefas contribui para a conservação do potencial humano. </li></ul>
  49. 73. Função Logística Saúde <ul><li>A função logística saúde refere-se ao conjunto de atividades relacionadas com a conservação dos recursos humanos nas condições adequadas de aptidão física e psíquica , por meio de medidas sanitárias de prevenção e de recuperação, bem como à conservação da saúde dos animais pertencentes ao Exército. </li></ul>
  50. 74. <ul><li>Medicina preventiva </li></ul><ul><li>(1) saneamento (2) higiene (3) controle de doenças transmissíveis e não transmissíveis (4) imunização (5) educação sanitária (6) psiquiatria preventiva (7) prevenção de acidentes (8) controle médico periódico (9) gerência de ambientes adversos (10) apoio de veterinária (11) assistência odontológica </li></ul>
  51. 75. <ul><li>Medicina Curativa </li></ul><ul><li>(1) primeiros socorros (2) triagem(3) evacuação médica (4) hospitalização (5) tratamento ambulatorial(6) apoio de veterinária (7) assistência odontológica (8) apoio laboratorial </li></ul>
  52. 76. Função Logística Suprimento <ul><li>A função logística suprimento refere-se ao conjunto de atividades que trata da previsão e provisão do material de todas as classes , necessário às organizações e às forças apoiadas. Tem como atividades o levantamento das necessidades, a obtenção e a distribuição. </li></ul>
  53. 80. Função Logística Manutenção <ul><li>A função logística manutenção refere-se ao conjunto de atividades que são executadas visando a manter o material na melhor condição para emprego e, quando houver avarias, reconduzi-lo àquela condição. </li></ul>
  54. 82. Função Logística Transporte <ul><li>A função logística transporte refere-se ao conjunto de atividades que são executadas, visando ao deslocamento de recursos humanos, materiais e animais por diversos meios, em tempo e para os locais predeterminados, a fim de atender às necessidades. </li></ul>
  55. 83. Características <ul><li>Rodoviário </li></ul><ul><li>Ferroviário </li></ul><ul><li>Dutoviário </li></ul><ul><li>Aquaviário </li></ul><ul><li>Aéreo </li></ul><ul><li>Terminais de trnp </li></ul><ul><li>Áreas de estacionamento, de trânsito e pontos baldeação </li></ul><ul><li>Cargas </li></ul>
  56. 84. Função Logística Engenharia <ul><li>É o conjunto de atividades que estão orientadas para o planejamento e a execução de obras ou serviços com o objetivo de obter e adequar a infra-estrutura física e as instalações existentes às necessidades da F Ter. </li></ul>
  57. 85. Função Logística de Salvamento <ul><li>A função logística salvamento é o conjunto de atividades que são executadas, visando à salvaguarda e ao resgate de recursos humanos e materiais, suas cargas ou itens específicos. </li></ul>
  58. 86. <ul><li>&quot;Amadores falam de estratégia, profissionais falam de Logística.”, Ditado Militar americano. </li></ul><ul><li>“ Logística, eu não sei nada de Logística, mas quero tê-la.”, General Patton. </li></ul><ul><li>“ Há duas grandes diferenças entre Wal-Mart e Logística Militar. Wal-Mart tem lucro na distribuição de bens de consumos, e ninguém está tentando explodir suas linhas de suprimento e empregados no meio do caminho.”, General Smith, Guerra do Golfo. </li></ul><ul><li>“ Mais uma vez... o cão da guerra está sendo agarrado pelo seu rabo logístico”, General Schwarzkopf, sobre os preparativos para a Guerra do Golfo, em 1990. </li></ul><ul><li>Dos US$ 28 bilhões gastos na operação “Iraqi Freedom” - a Guerra do Iraque em 2003 - US$14.2 bi foram para operações de suprimento e US$ 4.9 bi para custos de transporte. </li></ul>
  59. 87. Conclusão <ul><li>Os últimos conflitos ratificaram a importância cada vez maior do papel da Logística como interface entre todos os níveis do espectro estratégico-operacional. Mais do que multiplicador de combate, a Logística passou a ser definidora do curso das guerras. </li></ul>
  60. 88. No próximo século, os exércitos evoluirão à medida que sejam capazes de assimilar doutrina e organização modernas, bem como treinamento e uso intensivo de tecnologia avançada. A Logística militar do século XXI terá como características fundamentais: agilidade, visibilidade, flexibilidade, confiabilidade, previsão e pronta resposta , sendo também fruto de relacionamento com a indústria e a pesquisa.
  61. 89. Devemos ter em mente que a má logística do material pode resultar em derrota militar e em efeitos devastadores sobre o moral da tropa. O sucesso na guerra depende, em grande parte, do Apoio Logístico .
  62. 90. Fontes: http://www.exercito.gov.br/ http://pt.wikipedia.org/wiki/Ex%C3%A9rcito_Brasileiro Manual C100-10 Logística Militar Terrestre -2ª Edição 2003

×