Your SlideShare is downloading. ×
0
AnáLise E ComentáRio CríTico
AnáLise E ComentáRio CríTico
AnáLise E ComentáRio CríTico
AnáLise E ComentáRio CríTico
AnáLise E ComentáRio CríTico
AnáLise E ComentáRio CríTico
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

AnáLise E ComentáRio CríTico

343

Published on

Published in: Education, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
343
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização (conclusão) Eudora Pereira AMOSTRA DE RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO EXTERNA – análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO EXTERNA REFERÊNCIAS À BE IGE Agrupamento de Escolas de Santa Agrupamento Vertical de Escolas de Agrupamento de Escolas Eng.º Nuno Capítulos Catarina – Caldas da Rainha (2006.07) Arrifana e Escapâes – Santa Maria da Mergulhão – Portimão (2008.09) Feira (2007.08) I. INTRODUÇÃO II. CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO (…) O Agrupamento dispõe apenas de (…) Para além das salas de aula, dos uma Biblioteca Escolar/Centro de laboratórios de Ciências e de Físico- Recursos Educativos (BE/CRE) ligada à Química e de salas específicas, dispõe entre outros espaços, de refeitório, Rede Nacional de Bibliotecas Escolares bufete, biblioteca/centro de recursos (…) (BE/CRE) e auditório (…) III. CONCLUSÕES DA AVALIAÇÃO POR DOMÍNIO 1. RESULTADOS 2. PRESTAÇÃO DO SERVIÇO EDUCATIVO 3. ORGANIZAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR (…) A Escola Sede encontra-se bem (…) De referir, ainda, a pouca equipada, disponibilizando os seus abrangência do horário da Biblioteca espaços, designadamente o seu centro Escolar e do Centro de Recursos (…) de recursos a todas as crianças e alunos do agrupamento (…) 4. LIDERANÇA 5. CAPACIDADE DE AUTO-REGULAÇÃO E MELHORIA DO AGRUPAMENTO
  • 2. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização (conclusão) Eudora Pereira AMOSTRA DE RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO EXTERNA – análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO EXTERNA REFERÊNCIAS À BE IGE Agrupamento de Escolas de Santa Agrupamento Vertical de Escolas de Agrupamento de Escolas Eng.º Nuno Capítulos Catarina – Caldas da Rainha (2006.07) Arrifana e Escapâes – Santa Maria da Mergulhão – Portimão (2008.09) Feira (2007.08) IV AVALIAÇÃO POR FACTOR 1.1 SUCESSO ACADÉMICO 1.2 PARTICIPAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CÍVICO (…) Os alunos conhecem as actividades desenvolvidas pela Biblioteca Escolar (…) 1.3 COMPORTAMENTO E DISCIPLINA 1.4 VALORIZAÇÃO E IMPACTO DAS APRENDIZAGENS 2. PRESTAÇÃO DO SERVIÇO EDUCATIVO 2.1 ARTICULAÇÃO E SEQUENCIALIDADE (…) Os alunos conhecem as actividades desenvolvidas pela Biblioteca Escolar (…) 2.2 ACOMPANHAMENTO DA PRÁTICA LECTIVA EM SALA DE AULA 2.3. DIFERENCIAÇÃO E APOIOS 2.4 ABRANGÊNCIA DO CURRÍCULO E (…) A Biblioteca é um espaço muito VALORIZAÇÃO DOS SABERES E DA dinâmico, tanto no desenvolvimento APRENDIZAGEM das actividades do Plano Nacional de Leitura como no desencadear de outras iniciativas (“Passaporte para a Leitura”, “Semana da Leitura”, “Circulendo”, Feira do Livro, dramatizações, peças de teatro, leitura de poemas, histórias), destinadas às crianças e alunos do Agrupamento, sendo algumas abertas à comunidade local (…)
  • 3. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização (conclusão) Eudora Pereira AMOSTRA DE RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO EXTERNA – análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO EXTERNA REFERÊNCIAS À BE IGE Agrupamento de Escolas de Santa Agrupamento Vertical de Escolas de Agrupamento de Escolas Eng.º Nuno Capítulos Catarina – Caldas da Rainha (2006.07) Arrifana e Escapâes – Santa Maria da Mergulhão – Portimão (2008.09) Feira (2007.08) 3. ORGANIZAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR 3.1 CONCEPÇÃO PLANEAMENTO E DESENVOLVIMENTO DA ACTIVIDADE 3.2 GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS 3.3 GESTÃO DOS RECURSOS MATERIAIS E (…) O centro de recursos é um espaço (…) As dinâmicas da BE/CRE alargam-se Os alunos manifestaram o seu FINANCEIROS polivalente e bem equipado, permitindo às EB1 e aos JI do Agrupamento, através desagrado quanto ao horário da que os alunos desenvolvam das maletas pedagógicas (…) BE/CRE, uma vez que não cobre o competências diversificadas (leitura, período diário das actividades lectivas escrita, pesquisa em diferentes (…) suportes, expressões), se realizem actividades lúdicas e outras. Nesse espaço são guardados registos de actividades e projectos desenvolvidos no Agrupamento, que vão constituindo a sua memória colectiva e que podem ser disponibilizados a quem os queira consultar. Os alunos são acompanhados de forma a utilizar correctamente os recursos disponíveis. O bom funcionamento deste espaço, integrado na Rede de Bibliotecas Escolares, está também relacionado com a formação específica dos responsáveis e da auxiliar de acção educativa que nele presta serviço (…) 3.4 PARTICIPAÇÃO DOS PAIS E OUTROS ELEMENTOS DA COMUNIDADE EDUCATIVA
  • 4. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização (conclusão) Eudora Pereira AMOSTRA DE RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO EXTERNA – análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO EXTERNA REFERÊNCIAS À BE IGE Agrupamento de Escolas de Santa Agrupamento Vertical de Escolas de Agrupamento de Escolas Eng.º Nuno Capítulos Catarina – Caldas da Rainha (2006.07) Arrifana e Escapâes – Santa Maria da Mergulhão – Portimão (2008.09) Feira (2007.08) 3. ORGANIZAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR 3.5 EQUIDADE E JUSTIÇA (…) Até à implementação das actividades de enriquecimento do currículo era prática a participação dos alunos do 1º ciclo dos outros estabelecimentos do Agrupamento em projectos e actividades extracurriculares na “escola grande”, usufruindo dos seus espaços e equipamentos. Os pais e encarregados de educação destes alunos manifestaram que a nova realidade constitui uma perda para os seus educandos, em termos de abrangência das aprendizagens e da socialização. Para de alguma forma minimizar esta ruptura, que não lhe é imputável, os órgãos de gestão decidiram trazer esses alunos às actividades consideradas de maior interesse como, por exemplo, a Semana da Leitura. Também o projecto Circulendo é uma forma de fazer chegar às escolas do 1.º ciclo os livros da Biblioteca da Escola Sede (…)
  • 5. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização (conclusão) Eudora Pereira AMOSTRA DE RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO EXTERNA – análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO EXTERNA REFERÊNCIAS À BE IGE Agrupamento de Escolas de Santa Agrupamento Vertical de Escolas de Agrupamento de Escolas Eng.º Nuno Capítulos Catarina – Caldas da Rainha (2006.07) Arrifana e Escapâes – Santa Maria da Mergulhão – Portimão (2008.09) Feira (2007.08) 4. LIDERANÇA 4.1 VISÃO ESTRATÉGICA 4.2 MOTIVAÇÃO E EMPENHO 4.3 ABERTURA À INOVAÇÃO 4.4 PARCERIAS, PROTOCOLOS E PROJECTOS (…) O Agrupamento dinamiza também actividades diversificadas no âmbito de outros projectos e programas nacionais, entre os quais (…) Rede de Bibliotecas Escolares (…) 5. CAPACIDADE DE AUTO.REGULAÇÃO E MELHORIA DO AGRUPAMENTO 5.1 AUTO.AVALIAÇÃO 5.2 SUSTENTABILIDADE DO PROCESSO V – CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • 6. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização (conclusão) Eudora Pereira AMOSTRA DE RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO EXTERNA – análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE Comentário crítico aos relatórios escolhidos Começaria por referir que a minha primeira escolha incidiu sobre Escola/Agrupamento de Santa Catarina porque é onde exerço funções desde o ano lectivo de 1995.96 e por ter sido uma das cinco escolas/Agrupamentos classificadas com Muito Bom em todos os parâmetros da avaliação. As outras escolhas foram meramente aleatórias, apenas tive o cuidado de seleccionar relatórios de anos diferenciados com a finalidade de verificar progressos na importância atribuída às BE pela IGE uma vez que já tinha conhecimento das referências à BE no relatório da minha Escola/Agrupamento. Conforme se constata no quadro acima as referências às BE, nos 3 relatórios analisados, são pouco significativas e curiosamente a Escola/Agrupamento de Santa Catarina, sendo das primeiras (2006.07) a ser submetida à avaliação externa, é a que apresenta mais referências. Pelo que pude constatar olhando, embora que duma forma enviesada, para outros relatórios mais recentes, para além dos que analisei, as referências à auto-avaliação das BE são praticamente inexistentes apesar de numa fase experimental, algumas escolas/agrupamentos já terem submetido, a sua biblioteca à auto-avaliação. Essa constatação é reveladora, de que a Inspecção Geral de Educação ainda não valoriza devidamente o papel da BE na Escola/Agrupamento. Recordo, que aquando da avaliação externa na minha Escola/Agrupamento, não houve lugar a entrevista da Coordenadora da Biblioteca e apenas houve uma conversa meramente informal numa visita ao espaço da biblioteca, pelas inspectoras. Os dados que surgem no relatório foram fornecidos pelo então, Presidente do Conselho Executivo, actual Director da Escola/Agrupamento. Apesar de o processo se encontrar ainda numa fase embrionária, a implementação do modelo de Auto-Avaliação conduzirá à mudança e em breve as BE serão uma EVIDÊNCIA. O próprio Modelo impõe, a apresentação de um resumo dos resultados de auto- avaliação a integrar no relatório de auto-avaliação da escola, indicando (Tópicos de apresentação da Escola à IGE) e a referenciar na entrevista com a Inspecção Geral de Educação, tal como sugestões para enquadramento dos resultados de auto-avaliação da BE nos tópicos descritores dos campos em análise no Relatório da Escola, pelo que será mais fácil o reconhecimento do seu valor.

×