Módulo empreendedorismo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Módulo empreendedorismo

on

  • 2,279 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,279
Views on SlideShare
2,277
Embed Views
2

Actions

Likes
2
Downloads
57
Comments
0

2 Embeds 2

http://etealcides.blogspot.com 1
http://etealcides.blogspot.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Módulo empreendedorismo Módulo empreendedorismo Presentation Transcript

    • EMPREENDEDORISMO
    • ConceitoEmpreendedorismo – livre tradução da palavraentrepreneurship, utilizado p/designar os estudosrelativos ao empreendedor.Empreendedor – é aquele que destrói a ordemeconômica existente pela introdução de novosprodutos e serviços, pela criação de novas formas deorganização ou pela exploração de novos recursos emateriais. (Joseph Schumpeter – 1949)Empreender – pôr em execução. (dicionário)
    • O Velho Modelo Econômico (Manufatura) Dirigidos pelos modelos clássicos Recursos escassos eram os materiais raros Força de Trabalho (poder dos músculos) Retornos pequenos Econômia de escala Barreiras de entrada Ativos Físicos Sobrevivência dos Maiores
    • O “novo”modelo econômico(a era da inovação empreendedora) Dirigido por novos modelos de negócios Recursos escassos são imaginação e conhecimento Retornos maiores Baixas barreiras de entrada Ativos intelectuais Poder do Conhecimento Sobrevivência dos Mais Rápidos
    • Porque empreendedorismo?Reino Unido Em 1998 publicou um relatório a respeito do seu futuro competitivo, o qual enfatizava a necessidade de se desenvolver uma série de iniciativas para intensificar o empreendedorismo na região.Alemanha Tem estabelecidos vários programas que destinam recursos financeiros e apoio na criação de novas empresas. Na década de 90, aproximadamente 200 centros de inovação foram criados, provendo espaço e outros recursos para empresas start-ups.França Iniciativa para promover o ensino do empreendedorismo nas universidades, particularmente para engajar os estudantes. Incubadoras baseadas nas universidades estão sendo criadas; uma competição nacional para novas empresas de tecnologia foi lançada; e uma fundação de ensino de empreendedorismo foi estabelecida.
    • Início do Empreendedorismo no Brasil1981 – FGV no Curso de Especialização emAdministração.1984 – foi estendido para a Graduação.1992 – a FEA/USP ofereceu o Programa deFormação de Empreendedores.1995 – UNB criou a Escola deEmpreendedores.1997 – em MG e criado o Programa REUNE.
    • Iniciativas começam a aumentar…SoftexEmpretecBrasil EmpreendedorComeça a haver a figura do capitalista de riscoCrescimento das incubadoras de empresasEnsino de Empreendorismo nas UniversidadesEntidades de apoio ( SEBRAE,Endeavor, Instituto Empreendedor do Ano da Ernst Young, etc.)
    • Realidade BrasileiraValor Negativo do TrabalhoEstigma do FracassoSonho pouco vinculado ao TrabalhoBusca da EstabilidadeAversão ao RiscoCultura da DependênciaImagem negativa do EmpresárioSíndrome do Empregado.
    • Quem são os Empreendedores?O empreendedor tem um “modelo” que o influencia.Tem iniciativa, autonomia, autoconfiança, otimismo,necessidade de realização.O fracasso é visto como um resultado.EnergiaLuta contra padrões impostos. Diferencia-se. Tem acapacidade de ocupar um intervalo não ocupado poroutros no mercado.Tem forte intuição. Como no esporte, o que importanão é o que se sabe, mas o que se faz.Comprometimento. Ele crê no que faz. Orientado pararesultados.
    • Quem são os Empreendedores?Trabalhador incansável.Sonhador realista.É racional, mas usa também a parte direita do cérebro.Líder. Sistema próprio de relações com empregados.“Líder de banda”.Orientado para o futuro.Dinheiro como uma das medidas de desempenhoRede de relações moderadas. Rede interna é tambémmuito importante .Conhecimento do negócio.Cultiva a imaginação e aprende a definir visões
    • Quem é o empr eendedor ? “O empreendedor é alguém capaz de identificar, agarrar e aproveitar oportunidade, buscando e gerenciando recursos para transformar a oportunidade em negócio de sucesso (Timmons) “O empreendedor imagina, desenvolve e realiza visões” (Filion)“O empreendedor é alguém que sonha e tenta transformar o seu sonho em realidade” (Dolabela)
    • Em qualquer definição de empreendedorismoencontra-se, pelo menos, os seguintesaspectos referente ao empreendedor: Iniciativa para criar / inovar e paixão pelo que faz Utilizaos recursos disponíveis de forma criativa transformando o ambiente social e econômico onde vive. Aceita assumir riscos e a possibilidade de fracassar.
    • O que é o empreendedor ALTA INVENTOR EMPREENDEDORCriatividade einovação A GRANDE GERENTE, MAIORIA ADMINISTRADOR BAIXA ALTA Habilidades Gerenciais e know how em Business
    • “Quem escolhe o que faz tem 50 vezes mais chance de ficar milionário”Mark Albion, “Making a Life, Make a Living” (VOCÊ s.a.) Investigou 1.500 profissionais com diploma de MBA nas melhores escolas americanas, há 20 anos Primeira opção de emprego: 83% (1245) escolheram emprego por causa do salário, depois fariam o realmente desejavam; 17% fariam o que lhes interessavam, não importa qual o montante de $$. 20 anos depois: entre os 1500, encontrou 101 multimilionários. Somente 1 pertencia ao primeiro grupo
    • Relatório da Global Entrepeneurship Monitor 2002Elaborado em 37 paises (incluindo o brasil)Descreve e analisa processosempreendedoresClassifica empreendedores como empresasque estão nascendo ou tem menos de 42meses de existencia
    • Síntese do Brasil - 200214,4 milhões de pessoas estavamenvolvidas com alguma atividadeempreendedora, ou seja, 1 em cada 7brasileiros estava empreendedo.Em 2000 era o Primeiro colocado(20,4%), em 2001 quinto colocado(14,2) e em 2002 o sétimo lugar nomundo, com uma taxa (TAE) de 13,5%Representa 5% dos 286 milhões deempreendedores nos 37 paises.
    • Síntese do Brasil - 2002Desse total, 42% o são por oportunidade e55,6 por necessidade. É o país com omaior índice de empreendedores pornecessidade.Apenas 24% desses empreendedoresvoltaram-se para novos mercados.Mais de 50% são empresas familiares(média mundial é um pouco mais de 1/3).42% do total de empreendedores sãomulheres.
    • EMPREENDEDORESNO MUNDO
    • Empreendedorismo por Regiões do Mundo
    • Distribuição Mundial Atividade Empreendedora eForça de trabalho - por Região
    • Análise Regional do Brasil
    • Distribuição dos Empreendedores por segmentos - no Brasil
    • Distribuição dos Empreendedorespor segmentos e regiões no Brasil
    • Distribuição dos Empreendedores por Sexo e Faixa Etária no Brasil
    • Taxa de Atividade Empreendedora no Brasil
    • Análise dos Empreendedores por Classificação de Empresa
    • Oportunidades X Necessidade
    • Oportunidades X Necessidade Por Região do Brasil
    • Perspectivas
    • Aspectos Positivos do Brasil
    • As pessoas lembram-se As pessoas lembram-se de: de: m u e lêe do q m10 % ouve o que %d m 20 e vêe m d o qu ouve 3 0% ê em e ue v do q pete m 0% 5 ue re e do q etem 70% e rep d o qu 90% re fazem
    • Hoje onde podemos encontrar oportunidades de NEGÓCIOS ?INFELIZMENTE, MUITAS VEZES NOS ENGANAMOS
    • Há três coisas que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida É melhor estar preparado para uma oportunidade e não ter nenhuma do que ter Um otimista vê uma uma oportunidade eoportunidade em cada não estar preparado calamidade. Um pessimista vê uma calamidade em cada oportunidade
    • Idéia e oportunidade Idéias não são necessariamente oportunidades A oportunidade deve se ajustar ao empreendedor Características da oportunidade:  atraente,  durável,  tem uma hora certa,  é ancorada em um produto ou serviço que cria ou adiciona valor para o seu comprador É um alvo móvel. Se alguém a vê, ainda há tempo de aproveitá-la. Um empreendedor habilidoso dá forma a uma oportunidade onde outros nada vêem, ou vêem muito cedo ou tarde. Não é questão de usar técnicas, checklists e outro métodos
    • Fontes de idéias Pesquisa universitária Olhar nas ruas Idéias que deram certo em outros lugares Experiência enquanto consumidores Experiência no emprego Mudanças demográficas e sociais Caos econômico, crises, atrasos Como usar as capacidades e habilidades pessoais Franquias
    • Frases para PensarEsta “geringonça” tem inconvenientes demais para serlevada a sério como meio de comunicação. Ela não temnenhum valor para nós. (Memorando interno da Western Unionsobre o telefone em 1876)Quem pagaria para ouvir uma mensagem enviada aninguém em particular? (Sócios de David Sarnof, fundador da RCA,em resposta a sua consulta urgente sobre investimentos em rádio nosanos 20)O conceito é interessante e bem estruturado, mas, paramerecer uma nota melhor do que 5, a idéia deveria serviável. (Examinador da Univ.de Yale sobre tese de Fred Smithpropondo um serviço confiável de malote. – Smith viria a ser o fundadorda Federal Express)
    • Frases para PensarQuem se interessaria em ouvir os atores? (H.M.Warner, daWaner Brothers, no auge do cinema mudo em 1927)Se eu tivesse pensado a respeito disso, não teria feito aexperiência. A literatura está cheia de exemplos mostrandoque isso não pode ser feito. (Spencer Silver, sobre seu projetoque resultou nos adesivos Post-It da 3M)Tudo que poderia ser inventado já o foi. (Charles H. Duell,diretor do Departamento de Patentes dos EUA em 1899, ao propor ofechamento da seção de registro de novas patentes)
    • Conjunto de RealizaçãoBusca de Oportunidades e iniciativa: Faz as coisas antes de solicitado ou forçado pelas circunstâncias; Age para expandir o negócio a novas áreas, produtos ou serviços; Aproveita oportunidades fora do comum para começar um negócio, obter financiamento, equipamentos, terrenos, local de trabalho ou assistência.
    • Conjunto de Realização Persistência: Age diante de um obstáculo significativo;  Age repetidamente ou muda de estratégia, a fim de enfrentar um desafio ou superar um obstáculo; Assume responsabilidade pessoal pelo desempenho necessário ao atingimento de metas e objetivos.
    • Conjunto de RealizaçãoCorrer riscos calculados: Avalia alternativas e calcula riscos deliberadamente; Age para reduzir os riscos ou controlar os resultados; Coloca-se em situações que implicam desafios ou riscos moderados.
    • Conjunto de RealizaçãoExigência de qualidade e eficiência: Encontra maneiras de fazer as coisas melhor, mais rápido, ou mais barato; Age de maneira a fazer coisas que satisfazem ou excedem padrões de excelência; Desenvolve ou utiliza procedimentos para assegurar que o trabalho seja terminado a tempo ou que o trabalho atenda padrões de qualidade previamente combinados.
    • Conjunto de RealizaçãoComprometimento: Faz um sacrifício pessoal ou despende um esforço extraordinário para completar uma tarefa; Colabora com os empregados ou se coloca no lugar deles se necessário para terminar um trabalho. Seesmera em manter os clientes satisfeitos e coloca em primeiro lugar a boa vontade a longo prazo, acima do lucro a curto prazo.
    • Conjunto de Planejamento Busca de Informações:  Dedica-se pessoalmente a obter informações de clientes, fornecedores e concorrentes;  Investiga pessoalmente, como fabricar um produto ou fornecer um serviço;  Consulta especialistas para obter assessoria técnica ou comercial.
    • Conjunto de Planejamento Estabelecimento de Metas:  Estabelecemetas e objetivos que são desafiantes e que têm significado pessoal;  Definemetas de longo prazo, claras e específicas;  Estabelece objetivos de curto prazo mensuráveis.
    • Conjunto de Planejamento Planejamento e monitoramento sistemático:  Planejadividindo tarefas de grande porte em subtarefas com prazos definidos;  Constantemente revisa seus planos levando em conta os resultados obtidos e mudanças circunstanciais;  Mantém registros financeiros e utiliza-os para tomar decisões.
    • Conjunto de PoderPersuasão e rede de contatos: Utiliza estratégias deliberadas para influenciar ou persuadir os outros; Utiliza pessoas-chave como agentes para atingir seus próprios objetivos; Agepara desenvolver e manter relações comerciais.
    • Conjunto de PoderIndependência e autoconfiança: Busca autonomia em relação a normas e controles de outros; Mantém seu ponto de vista mesmo diante da oposição ou de resultados desanimadores; Expressa confiança na sua própria capacidade de complementar uma tarefa difícil ou de enfrentar um desafio.
    • O que o futuro empreendedor acha... Que vai ser?Que é?
    • Mas na verdadetem que estabelecerrelações com...
    • Então ele passa de César...a rezar
    • Na verdade, o empreendedor emergente tem que conseguir ainterdependência com cada um destes grupos em condições de incerteza
    • O processo de aprendizagem do empreendedor na pequena empresa Solucionando problemas Fazendo sob pressão Interação com os pares e outras pessoas Trocas com o ambiente Aproveitando oportunidades Copiando outros empreendedores Pelos próprios erros: é uma área em que se podem cometer erros (pequenos) porque há liberdade. Através do feedback dos clientes
    • Peculiaridades da pequena empresa (Allan Gibb ) Dominada pelo líder. Papeis multifuncionais para os gerentes Equipe de gerenciamento muito pequena. Sistemas de controle informais. Controle limitado do meio ambiente e poucos recursos para pesquisá-lo. Capacidade limitada de obtenção de capital Processo tecnológico limitado, em escala de produção. Faixa de produtos limitada, embora grande flexibilidade dentro da faixa. Mercado limitado e, freqüentemente, parte pequena deste mercado
    • Fases do empreendimento Do Empre- Do Plano Da produto endedo- Da Da Da Da à nego- decisão ao rismo moti- idéia perplexidadeperplexidade ciação ao nasci- vação ao à motivaçãoà motivação pro- à Plano mento duto/se ideía rviço Empre- endedo- rismo Do nasci mento à sobrevivência + Gerência Gerência + Da Da Crescimento Crescimento Crescimento Empre- sobrevivência sobrevivência Estágio I Estágio II endedo- Estágioao crescimento n ao crescimento rismo
    • ADMINISTRAÇÃO DO TEMPOFATORES MAIS COMUNS DE PERDA DE TEMPO:  Interrupções por outras pessoas; Interrupções telefônicas; Fazer o serviço de outros empregados; Reuniões desnecessárias; Protelação dos trabalhos; Espera pelos outros p/tomar medidas; Falta de objetivos, prioridades e prazos finais; Administração de crises – preocupa-se com o urgente, ao invés de com o que é importante.
    • ADMINISTRAÇÃO DO TEMPOCOMO VOCÊ ELIMINA: Enumere itens por ordem de importância; Não Protele; Seja Pontual Identifique e concentre-se em poucos itens – cerca de 20%, representam 80% de importância; Defina prazos finais; Defina políticas e procedimentos Faça as tarefas desagradáveis primeiro; Mantenha a perspectiva – relacione a tarefa de hoje com o objetivo de amanhã; Mantenha os projetos visíveis
    • PLANO DE NEGÓCIOS
    • O que é um Plano de Negócios ? É antes de tudo, o processo de validação de uma idéia, que o empreendedor realiza através do planejamento detalhado da empresa. É um documento usado para descrever umempreendimento e o modelo de negócios que sustentam a empresa. Sua elaboração envolve um processo de aprendizagem e auto-conhecimento, e, ainda, permite ao empreendedor situar-se no seu ambiente de negócios.
    • A importância do Plano de NegóciosÉ uma ferramenta para oempreendedor expor suas idéias e,principalmente, que mostre viabilidadee probabilidade de sucesso em seumercado.É uma ferramenta dinâmica, que deveser atualizada constantemente, pois oato de planejar é dinâmico ecorresponde a um processo cíclico.
    • Através do Plano é possível:Entender e estabelecer diretrizes para o seunegócio;Gerenciar de forma mais eficaz a empresa etomar decisões acertadas;Monitorar o dia-a-dia da empresa e tomarações corretivas quando necessário;Conseguir financiamentos e recursos junto abancos, governo, Sebrae, investidores, etc.Identificar oportunidades e transformá-las emdiferencial competitivo para a empresa; etc.
    • A quem se destina o Plano ? Mantenedores das incubadoras (Sebrae, Universidades, Prefeituras, Governo, etc.) Parceiros: para definição de estratégias e discussão de formas de interação entre as partes. Bancos: para outorgar financiamentos para equipamentos, capital de giro, imóveis, etc. Investidores: empresas de capital de risco, pessoas jurídicas, BNDES, etc. Fornecedores: para negociação na compra de mercadorias, formas de pagamento. A Empresa Internamente: para comunicação da gerência com os empregados. Os Clientes: para venda do produto/serviço e publicidade da empresa. Sócios: para convencimento em participar do empreendimento.
    • Estrutura do Plano de Negócios Não existe uma estrutura rígida e específica para se escrever um plano de negócios, pois cada negócio tem particularidades e semelhanças, sendo impossível definir um modelo padrão, que seja universal e aplicado a qualquer negócio.
    • Estrutura do Plano de NegóciosCAPA: apesar de não parecer, é umadas partes mais importantes do PN,pois é a 1a parte que é visualizada,devendo portanto ser feita de maneiralimpa e com informações necessárias epertinentes.
    • Estrutura do Plano de NegóciosSUMÁRIO: deve conter o título de cadaseção e a página respectiva onde seencontra, bem como os principaisassuntos relacionados em cada seção.
    • Estrutura do Plano de NegóciosSUMÁRIO EXECUTIVO: principalseção, fará o leitor decidir se continuaráou não a ler o PN. Deve conter umasíntese das principais informações queconstam no PN.
    • Estrutura do Plano de NegóciosANÁLISE ESTRATÉGICA: sãodefinidos os rumos da empresa, suavisão e missão, sua situação atual, aspotencialidades e ameaças externas,suas forças e fraquezas, suas metas eobjetivos de negócio.
    • Estrutura do Plano de NegóciosDESCRIÇÃO DA EMPRESA:descreve-se a empresa, seu histórico,crescimento, faturamento dos últimosanos, sua razão social, impostos,estrutura organizacional e legal,localização, parcerias, certificações dequalidade, serviços terceirizados, etc.
    • Estrutura do Plano de NegóciosPRODUTOS E SERVIÇOS: como sãoproduzidos, quais os recursosutilizados, o ciclo de vida, os fatorestecnológicos envolvidos, o processo deP&D, se a empresa possui marca e/oupatente de algum produto, etc.
    • Estrutura do Plano de NegóciosPLANO OPERACIONAL: apresentaras ações que a empresa estaplanejando em seu sistema produtivo eo processo de produção; deve conterinformações operacionais atuais eprevistas de fatores como: percentualde entregas a tempo, rotatividade doinventário, índice de refugo, etc.
    • Estrutura do Plano de NegóciosPLANO DE RECURSOS HUMANOS:apresentar os planos dedesenvolvimento e treinamento depessoal, o nível educacional e aexperiência dos executivos, gerentes efuncionários operacionais, etc.
    • Estrutura do Plano de NegóciosANÁLISE DO MERCADO: deve mostraro quanto os executivos conhecem domercado consumidor do seuproduto/serviço, como está segmentado,o crescimento do mercado, ascaracterísticas do consumidor e sualocalização, se há sazonalidade e comoagir nesse caso, etc.
    • Estrutura do Plano de NegóciosESTRATÉGIA DE MARKETING: deve-semostrar como a empresa pretende venderseu produto/serviço e conquistar seusclientes. Deve-se abordar métodos decomercialização, diferenciais doproduto/serviço, política de preços,principais clientes, canais de distribuição,estratégias de promoção, etc.
    • Estrutura do Plano de NegóciosPLANO FINANCEIRO: deveapresentar em números todas as açõesplanejadas para a empresa e ascomprovações, através de projeçõesfuturas de sucesso do negócio. Deveconter demonstrativo de fluxo de caixa;balanço patrimonial; análise do pontode equilíbrio; necessidade deinvestimentos; faturamento previsto,etc
    • Estrutura do Plano de NegóciosANEXOS: deve conter informaçõesadicionais julgadas relevantes paramelhor entendimento do PN. Ex.:Curriculum vitae dos sócios, fotos deprodutos, material de divulgação,contrato social, planilhas financeiras,etc.
    • Estrutura do Plano de NegóciosSumário Executivo Declaração de Missão Declaração de Visão Propósitos Gerais e Específicos Estratégia de Marketing Processo de Produção Equipe Gerencial Investimentos e Retornos Financeiros
    • Produtos e Serviços Descrição dos Produtos ou Serviços  Características e Benefícios Previsão de Lançamentos de Novos Produtos e ServiçosAnálise do Negócio Análise do Setor Diferenciais Competitivos Análise da Concorrência Diferenciais Competitivos
    • Plano de Marketing Estratégiade Marketing (preço, produto, praça e promoção) Canais de Venda e Distribuição Projeções de VendaPlano Operacional Análise das Instalações Equipamentos e Máquinas Necessárias Funcionários e Insumos Necessários Processo de Produção Terceirização
    • Estrutura da Empresa EstruturaOrganizacional Assessorias Externas (jurídica, contábil) Equipe de GestãoPlano Financeiro Investimentos Necessários (Descrição) Fluxo de Caixa Demonstrativo de ResultadosAnexos
    • BibliografiaEmpreendedorismo –Jose Carlos Assis Dornelas – Ed.CampusBoa Idéia! E Agora – Fernando Dolabela/Jacques Filion –Ed. CulturaO Segredo de Luísa – Fernando Dolabela – Ed. CulturaO Fenômeno do Empreendedorismo – Emanuel Leite –Ed. BagaçoCriação de Novos Negócios – Takeshy e Marília – Ed.FGVPorque os Empreendedores Falham – James W.Halloran – Ed. Makron BooksDesafios do Empreendedor – Sue Birley/Daniel Muzyka– Ed. Makron Books
    • INTRA-EMPREENDEDORISMO OU EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO
    • ConceitoIntra-empreendedores são os sonhadoresque fazem acontecer. Aqueles queassumem a responsabilidade de criar einovar dentro de qualquer tipo deorganização. Eles podem ser os criadoresou inventores, mas são sempre ossonhadores que entendem comtransformar uma idéia em algo real elucrativo.
    • Síndrome do Empregado É dependente, no sentido de que necessita de alguém para se tornar produtivo; para trabalhar. Descuida de outros conhecimentos que não sejam voltados à sua especialidade. Domina somente parte do processo. Não é auto-suficiente; exige supervisão e espera que alguém lhe forneça o caminho. Não busca conhecer o negócio como um todo: a cadeia produtiva, a dinâmica dos mercados, a evolução do setor. Não se preocupa com o que não existe ou não é feito; tenta entender, especializar-se e melhorar somente o que existe. Não se preocupa em transformar as necessidades dos clientes em produtos/serviços.
    • Síndrome do EmpregadoNão sabe ler o meio ambiente externo: ameaças,oportunidades;Não é pró-ativo;Raramente é agente de inovações, não é criativo, não geramudanças e não muda a si mesmo;Faz mais do que aprende;Não se preocupa em formar a sua rede de relações,estabelece baixo nível de comunicações;Tem medo do erro, (que é punido em nosso sistema deensino e em nossa sociedade) e não o toma como fonte deaprendizagem.Prioriza o que se passa dentro da organização, emdetrimento do que acontece fora.
    • Gerente XEmpreendedor
    • Gerente x empreendedor Diferenças nos sistemas de atividades Gerente EmpreendedorTenta otimizar os recursos Estabelece uma visão e objetivospara atingir metas e depois localiza os recursosA chave é adaptar às mudanças A chave é iniciar a mudançasOpera dentro de uma estrutura Define tarefa e papéis que criamexistente uma estrutura de organizaçãoÊnfase no hemisfério esquerdo Ênfase no dois hemisférios
    • Gerente x empreendedor Diferenças nos sistemas de atividades Gerente EmpreendedorBusca aquisição de conhecimentos Apóia-se na auto-imagem geradoragerenciais e técnicos. de visão, inovação. Aquisição de know how e know whoPadrão de trabalho implica análise Padrão de trabalho implicaracional. imaginação e criatividadeTrabalho centrado em processos Trabalho centrado no planejamentoque levam em conta o meio em de processos que resultam de umaque ele se desenvolve visão diferenciada do meioApoiado na cultura da afiliação Apoiado na cultura da liderança
    • ExercícioAnalise o Estudo de Caso e identifiquede acordo com as caracteristicas doEmpreendedor, quais se destacamneste estudo justificando-as
    • Desenvolvendo seu Plano Empreendedor1 – Faça uma auto-análise Com base na definição de empreendedorismo, analise suas habilidades empreendedoras mais marcantes. Destaque as principais O que você precisa fazer para aprimorar ou desenvolver um cmportamento empreendedor?
    • Desenvolvendo seu Plano Empreendedor2 – Olhe o seu local de trabalho Quão empreendedor é sua organização e sua equipe de trabalho? Com que ênfase sua organização e sua equipe assumem riscos e buscam recompensar a inovação? Quanto de autonomia você tem em seu local de trabalho Que mudanças você pode exercer pessoalmente buscando criar um ambiente mais empreendedor em sua organização?
    • Desenvolvendo seu Plano EmpreendedorCrie seu Plano de Ação Escreva um plano de ação para que você adquira um comportamento mais empreendedor e para que sua organização possua um ambiente mais empreendedor.