Como                       realizar                         a Semana                       do Bebê10 anos priorizando     ...
Como             realizar                a Semana             do Bebê                  em seu            Município10 anos ...
PUBLICAÇÃO                                                                                                              Re...
A Salvador Célia(in memoriam)Por teres sido um visionário e persistires no teu caminho, apesar das dificuldades, hoje nos o...
Sumário
Prefácio Prefácio         Prefácio      8   Canela, um bom exemplo     10   Apresentação UNICEF     1 Capítulo 1    ida Se...
Canela,PREFÁCIOum bom exemplo
Hoje, graças às recentes descobertas da ci-     balho de mobilização da comunidade para osência, é melhor compreendida a i...
APRESENTAÇÃO
É com muita alegria que nós do UNICEF                 O UNICEF reconhece o grande potencialapresentamos esta publicação qu...
CAPÍTULO 1Semana do Bebê:  uma experiência    bem-sucedida
12 | 13Por que investir no bebê?    Os direitos das crianças à sobrevivência, ao de-       No Brasil, os direitos das cria...
de até 4 anos (7,17% da população). A mes-          no da proteção à gestante e à criança, o gran-ma pesquisa revela que, ...
14 | 15 Liderança mundial                     Um inovador                            Um empreendedor O porto-alegrense SAL...
uma visão mais humanizada sobre o relacio-                sileira de Pediatria e professor-adjunto da Ulbra,namento mãe- l...
16 | 17Primeira Passeata dos Bebês, em 2000: atividadereúne as famílias de Canela numa caminhada daPraça Central à Catedra...
cipar da programação e sensibilizam as famí-          na gestante e no bebê. Em 2005, a Semanalias a dar aconchego às gráv...
18 | 19Avanços na SaúdeCanela trabalhou pela redução da mortalidadeinfantil, redução da desnutrição infantil, am-pliação d...
Figura 1 – Mortalidade Infantil (por mil nascidos vivos), 1999-2008. 35,0                                                 ...
20 | 21              Algo muito positivo na              Semana é justamente              reunir a comunidade em          ...
e o de vagas por aproximadamente quatro, no                                                     período de 1999 a 2009. Fo...
22 | 23    A Semana ofereceu às escolas contatos com            Música para bebêsprofessores, acadêmicos e pro ssionais de...
Um olhar diferente                                      A Semana na iniciativa privada    Acadêmicos da área da saúde e at...
24 | 25                                                       Participação popular                                        ...
Primeira Infância Melhor                                A primeira experiência voltada   Em 2003, o governo do Rio Grande ...
26 | 27         Experiência motiva cidades gaúchas              Hoffmann – teve “uma boa recepção, tanto por         A pri...
CAPÍTULO 2  Como realizar a Semana do Bebêem seu município
28 | 29 As quatro etapas do evento    A organização de um evento para dissemi-nar atitudes e práticas inovadoras exige mob...
Planejamento        Entre os membros da comissão inicial, for-                    secretários municipais de Saúde, Educa-m...
30 | 31    Das reuniões realizadas por essa comissão,sairão as decisões de como, quando e onde rea-              Espaços v...
3 . Amplitude do evento                                6. Escolha de subtema         O seu município pode realizar o event...
32 | 33        8. Levantamento das possíveis                        9. Inscrições           fontes de recursos financeiros...
senvolvimento das capacidades motora, cogniti-     va e afetiva da criança. Os espaços dedicados             Espaço:     à...
34 | 35se com estudantes do município em escolas                   da cidade e diploma de Bebê Prefeito à pri-da rede públ...
Mobilização                                                         1. Contato com os meios                               ...
36 | 37    2. Buscar parceiros para                              7. Promover atividades       a distribuição de material i...
Em 2009, 20 lojas participaram   do concurso. O vencedor decorou                                                     Foi a...
38 | 39Evento        Após concluir as fases de planejamento e                  1. Encontros com estudantesmobilização, seu...
br_semanadobebe
br_semanadobebe
br_semanadobebe
br_semanadobebe
br_semanadobebe
br_semanadobebe
br_semanadobebe
br_semanadobebe
br_semanadobebe
br_semanadobebe
br_semanadobebe
br_semanadobebe
br_semanadobebe
br_semanadobebe
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

br_semanadobebe

2,540

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,540
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
20
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "br_semanadobebe"

  1. 1. Como realizar a Semana do Bebê10 anos priorizando em seu a primeira infância em Canela Município
  2. 2. Como realizar a Semana do Bebê em seu Município10 anos priorizando a primeira infância em Canela
  3. 3. PUBLICAÇÃO Representante do UNICEF no Brasil Marie-Pierre Poirier O UNICEF foi criado pela ONU em 1946 como um fundo emergencial para socorrer as crianças Equipe Técnica do UNICEF das nações devastadas pela II Guerra Mundial. Hoje está presente em 191 países e territórios, Coordenação ajudando na sobrevivência e no desenvolvimento Cristina Albuquerque de meninas e meninos. Presente no Brasil desde 1950, o UNICEF atua ao lado dos governos federal, Colaboração: estaduais e municipais; sociedade civil, setor pri- Ana Márcia Diógenes P. Lima, Ana Maria Azevedo, vado, mídia e organizações internacionais, tendo Arineide Guerra, Danielle Bôto, Estela Caparelli, como prioridade a defesa, promoção e proteção Francisca Maria Andrade, Halim Antônio Girade, dos direitos de cada criança e adolescente a so- Jane Santos, Letícia Sobreira, Maria da Conceição Cardozo. breviver e se desenvolver; aprender; ser protegido e se proteger do HIV/aids; crescer sem violência; e estar em primeiro lugar nas políticas públicas. Fundo das Nações Unidas para a Infância - UNICEF Escritório da Representante do UNICEF no Brasil SEPN 510, Bloco A, Ed. Ministério da Saúde – Unidade II – 2º andar Brasília, DF – 70750-521 Telefone: (61) 3035 1900 Fax: (61) 3349 0606 E-mail: brasilia@unicef.org Website: www.unicef.org.br. © 2010 UNICEF Todos os direitos reservados Dados Internacionais de catalogação na fonte - CIP FICHA TÉCNICAC221c CANELA. Prefeitura Municipal PRODUÇÃO EDITORIAL Como realizar a semana do bebê em seu município : 10 anos priorizando a primeira Nubia Silveira Editores infância em Canela / por Prefeitura Municipal de Canela, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA). – Brasília, DF : UNICEF/Brasil, 2010. nubiasilveira@terra.com.br 52 p. : il., fotos color. Inclui referências bibliográ cas. COORDENAÇÃO Apoio: Unicef e RGE. Parceiros: COMDICA, Conselho Tutelar, Câmara de Elizabeth Motta e Nubia Silveira Vereadores, ACM, Lions Club, Rotary Club, Estado do Rio Grande do Sul. ISBN EDIÇÃO 1.Políticas Públicas. 2.Mortalidade Infantil. 3.Primeira Infância Melhor. 4.Organização de Evento. 5.Cuidados com Bebê. 6.Semana do Bebê. 7. Rio Grande do Nubia Silveira Sul, Canela. I. Universidade Luterana do Brasil II. Título. REPORTAGEM CDU 659.27–053.3(816.5Canela) Adélia Porto Silva e Cari Rodrigues Bibliotecária responsável: Débora Dornsbach Soares – CRB-10/1700 FOTOS Nilton Santolin Referência: CANELA. Prefeitura Municipal. Como realizar a semana do bebê em seu município: 10 anos priorizando a primeira infância Banco de Imagem do Jornal de Canela em Canela. Brasília, DF: UNICEF/Brasil, 2010. 52 p.; il. Arquivo Pessoal do psiquiatra Odon Cavalcanti DESIGN GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO Pubblicato Design Editorial pubblicato@pubblicato.com.br PRODUÇÃO E EXECUÇÃO DO CD Marcelo Lemos
  4. 4. A Salvador Célia(in memoriam)Por teres sido um visionário e persistires no teu caminho, apesar das dificuldades, hoje nos olhamdiferente, nos dão atenção, aconchego e oportunidade de sermos bebês e crianças saudáveis.Sem a tua dedicação, capacidade de mobilização e trabalho comunitário, os nossos pais ecuidadores ainda desconheceriam a importância dos vínculos afetivos e dos estímulos para o nossodesenvolvimento integral. Obrigado pelo teu amor e pela tua generosidade.Os Bebês do Brasil
  5. 5. Sumário
  6. 6. Prefácio Prefácio Prefácio 8 Canela, um bom exemplo 10 Apresentação UNICEF 1 Capítulo 1 ida Semana do Bebê: uma experiência bem-sucedida 13 Por que investir no bebê? 14 Histórico da Semana do Bebê: o exemplo de Canela 16 Uma década de mobilização e sensibilização 18 Herança e resultados 2 Capítulo 2 io Como realizar a Semana do Bebê em seu município 30 Planejamento 36 Mobilização 39 Evento 44 Avaliação 46 Glossário 46 Sugestão de Bibliografia 48 Agradecimentos
  7. 7. Canela,PREFÁCIOum bom exemplo
  8. 8. Hoje, graças às recentes descobertas da ci- balho de mobilização da comunidade para osência, é melhor compreendida a importância vital cuidados com as crianças pequenas. Essa cida-dos primeiros anos de vida, para todo o desen- de era Canela. O criador dessa mobilização foivolvimento futuro do ser humano. É no início de o inesquecível pesquisador, professor, médicosua existência que todos os sistemas vitais orga- psiquiatra e exemplo de ser humano sensível,nizam os alicerces de seu funcionamento poste- Salvador Célia.rior. Não é diferente com a nossa espécie. Em Canela, Salvador encontrou o lugar ide- Esse conhecimento cientí co nos leva à ne- al para trabalhar de forma coletiva as questõescessidade de investir cada vez mais em políticas da Primeira Infância, e, junto com a Administra-públicas para o desenvolvimento integral da pri- ção Municipal, criou a Semana do Bebê, e o Diameira infância, se quisermos um mundo melhor do Bebê, trazendo milhares de pessoas para va-para se viver. lorizar, com muitas ações, o início da vida. Am- No Rio Grande do Sul, executamos a mais plamente divulgados, esses eventos se transfor-abrangente política de cuidados nessa área, maram em notícia estadual e nacional e foramexistente no Brasil. Desde 2003, trabalhamos acompanhados de eventos cientí cos que refor-com um programa denominado Primeira Infân- çaram a crença na importância desse trabalho.cia Melhor (PIM). Ele tem como foco os cuida- Atualmente o exemplo se espalhou e se trans-dos integrais nos primeiros anos de vida, visan- formou no Dia e na Semana Estadual do Bebê, re-do, além da sobrevivência, ao desenvolvimento forçando nossas políticas públicas setoriais. Tam-mais adequado de competências cognitivas e bém realizamos seis seminários internacionaissocioemocionais. Sob a coordenação da Secre- para discussão do tema, com os maiores pesqui-taria Estadual de Saúde, as áreas de educação, sadores do mundo, seminários esses que sempredesenvolvimento social e cultura se articularam contaram com a participação ativa do mestre Sal-em âmbito estadual e induziram o mesmo tipo vador Célia, até o seu falecimento.de organização em 250 municípios. Oitenta e Superando o medo recorrente, de que polí-cinco mil crianças pequenas, lhas das famílias ticas públicas relevantes sejam extintas a cadamais pobres, estão sendo acompanhadas se- mudança de governo, conseguimos transformarmanalmente, em casa. A meta é chegar a 150 o PIM em lei estadual. O município de Canelamil crianças o que atingirá todas as famílias de continua sendo nosso grande estímulo, reali-baixa renda no Estado. Professores, assistentes zando a cada ano eventos maiores e mais sig-sociais, enfermeiros, médicos e agentes cultu- ni cativos sobre o desenvolvimento dos nossosrais atuam conjuntamente, num formato inova- bebês. Que vivam cada vez melhor os bebês dedor de acompanhamento domiciliar. Canela, para nos dar o bom exemplo. Mas a nossa fonte inspiradora surgiu numacidade do interior gaúcho, onde, vários anos an- Osmar Terrates de criarmos o PIM, já havia um amplo tra- Secretário Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul
  9. 9. APRESENTAÇÃO
  10. 10. É com muita alegria que nós do UNICEF O UNICEF reconhece o grande potencialapresentamos esta publicação que tem por ob- dessa iniciativa como estratégia de mobilizaçãojetivo compartilhar a experiência da Semana do social em prol da primeira infância e lança estaBebê, que, temos certeza, poderá contribuir com publicação destinada aos gestores municipaisa promoção do direito de toda e cada criança a se e à sociedade. Ela foi construída com base emdesenvolver plenamente. entrevistas com as famílias, pro ssionais da A Semana do Bebê é realizada anualmen- saúde, educação e assistência social, além doste há mais de 10 anos em Canela, município da representantes de todos os segmentos sociaisSerra Gaúcha, e difundida em 25 municípios do que promovem a Semana do Bebê. Em doisRio Grande do Sul, além de cidades em Portugal, capítulos, narra a experiência e orienta sobrena Argentina e no Uruguai. Idealizada e coorde- como realizar todo o processo de mobilização.nada pelos professores Salvador Célia e Odon E para disseminar a iniciativa em outros países,Frederico Cavalcanti Carneiro Monteiro e pelo a publicação contém um CD com uma versão naradialista Pedro Dias, ao longo dos anos foi assi- íntegra em português e espanhol e uma versãomilada pelo poder público e pela comunidade de sintética em inglês.Canela, por colocar a primeira infância no centro A experiência aqui relatada demonstradas atenções e das ações do governo municipal avanços na construção de políticas públicas quee de toda a sociedade. primam pela garantia da sobrevivência e do de- O UNICEF acompanhou a experiência em senvolvimento infantil.vários momentos e identi cou seu potencial agre- A intenção do UNICEF é motivar os gestoresgador de políticas para a primeira infância e a ca- públicos e a sociedade brasileira a garantir o di-pacidade de contribuir com os demais municípios reito ao pleno desenvolvimento de cada criança.brasileiros e outros países na promoção dos di- A Salvador Célia (in memoriam) e seus par-reitos. Com o apoio dos parceiros locais e consul- ceiros, os nossos agradecimentos pela iniciativatas técnicas, foram sistematizados o histórico da voltada ao pleno desenvolvimento infantil e àexperiência e seus resultados com o objetivo de transformação da realidade dos municípios bra-disseminar conhecimentos sobre todo o proces- sileiros.so mobilizador. Marie-Pierre Poirier Representante do UNICEF no Brasil
  11. 11. CAPÍTULO 1Semana do Bebê: uma experiência bem-sucedida
  12. 12. 12 | 13Por que investir no bebê? Os direitos das crianças à sobrevivência, ao de- No Brasil, os direitos das crianças estão ga-senvolvimento, à proteção integral e à participação rantidos pela Constituição Federal, promulgadasão assegurados por organismos internacionais, em 1988, e pelo Estatuto da Criança e do Ado-desde o nal da segunda década do século , lescente, um dos documentos mais avançadosquando a Sociedade das Nações criou, em 1919, o de todo o mundo na efetivação da doutrina deComitê de Proteção da Infância. Setenta anos de- proteção integral às crianças e garantia de di-pois, em 20 de novembro de 1989, a Assembleia reitos, facultando-lhes o desenvolvimento físico,Geral das Nações Unidas adotou a Convenção so- mental, moral, espiritual e social, em condiçõesbre os Direitos da Criança, rea rmando a necessi- de liberdade e de dignidade. A realidade concre-dade de proteção total às pessoas de até 18 anos. ta do País, porém, não re ete ainda essa avan- çada consciência sobre os direitos das crianças. A importância crucial da gestação e dos pri- O Brasil mantém uma grande parte de suasmeiros anos de vida para o desenvolvimento to- crianças vivendo em situação de vulnerabilidadetal do ser humano tornou-se conhecida a partir de e exclusão social. Segundo a Pesquisa Nacio-1950, com as pesquisas realizadas pelos psicana- nal por Amostra de Domicílios (Pnad), realizadalistas John Bowlby, inglês, e René Spitz, austríaco. pelo IBGE em 2008, dos 189.953.000 de bra-Em 1990, o governo norte-americano sancionou a sileiros, 63.924.000 são jovens de até 19 anoslei que instituiu a Década do Cérebro, destinada (33,65% da população) e 13.622.000, criançasa decifrar os 100 bilhões de neurônios do cérebrohumano. Entre as muitas descobertas dos cientis- A primeira infância étas, está a de que o cérebro muda muito na pri- geralmente de nida como o períodomeira infância e se reorganiza, dependendo dos compreendido desde o nascimento atéestímulos que recebe. os 6 anos de idade. Entretanto, o Comitê dos Direitos da Criança, em seu Comentário É na primeira infância que o ser humano Geral nº 7, recomenda que os paísesdesenvolve suas capacidades cognitivas, mo- de nam como a primeira infância o períodotoras, socioafetivas e de linguagem. O investi- compreendido desde o nascimentomento nesse período garante à criança, além de até os 8 anos, como formatodos os direitos de nidos em lei, o direito de de incluir, em nível global, todasser saudável, viver em segurança e no aconche- as crianças até a transiçãogo familiar. Esses direitos são assegurados por para a escola.meio de políticas públicas.
  13. 13. de até 4 anos (7,17% da população). A mes- no da proteção à gestante e à criança, o gran-ma pesquisa revela que, em 2008, 4,5 milhões de sucesso da Semana do Bebê de Canela.dos trabalhadores tinham entre 5 e 17 anos.São pessoas que perderam o direito de ser A Semana do Bebê serve paracrianças, de brincar, de estudar, de ter uma se pensar e avaliar as condiçõesvida saudável. sociais, educacionais e de saúde que o município oferece aos Ao investir na primeira infância e assegu- bebês que nascem na cidade,rar às crianças o direito à proteção, à saúde e à e com essa avaliaçãoeducação de qualidade, promove-se a redução melhorar os serviços.das desigualdades. Esta, porém, não é tarefaapenas do Estado, mas de toda a sociedade. ODON CAVALCANTI, psiquiatra,E é justamente a união da comunidade em tor- um dos idealizadores da Semana do Bebê de CanelaHistórico da Semana do Bebê:o exemplo de Canela Em janeiro de 2000, no Grande Hotel de nado pelos professores Serge Lebovici, fran-Canela, na Serra Gaúcha, professores da Uni- cês, e J. Armando Barriguette, mexicano. Osversidade Luterana do Brasil (Ulbra), especial- participantes concluíram que os conhecimentosmente os da disciplina O Ciclo da Vida e Psi- adquiridos deveriam ser logo transmitidos àsquiatria, participaram do encerramento do curso comunidades. Surgiu daí a ideia de promover,a distância de Psicopatologia do Bebê, coorde- em Canela, uma semana dedicada ao bebê. Canela, terra de turismo CANELA Município de 42 mil habitantes, Canela situa-se na região serrana do Rio Grande do Sul e vive basicamente do turismo, responsável por 62% do seu PIB. O número de nascimentos na cidade vem diminuindo desde 2000, quando foram PORTO ALEGRE registrados 791 novos canelenses. Em 2008, a cidade ganhou 565 bebês. E, em 2009, 480, segundo a Secretaria Municipal da Saúde. Saiba mais no CD.
  14. 14. 14 | 15 Liderança mundial Um inovador Um empreendedor O porto-alegrense SALVADOR AN- ODON FREDERICO CAVALCAN- PEDRO RAYMUNDO DIAS, nas- TONIO HACKMAN CÉLIA, nascido TI CARNEIRO MONTEIRO nasceu cido em 17 de dezembro de 1935, em 1940, recebeu o prêmio Sonia em 1930, na cidade de São Fran- no distrito de Eletra, em São Fran- Bemporad, da World Association cisco de Paula, na região serrana cisco de Paula, no Rio Grande do for Infant Mental Health (WAIMH), do Rio Grande do Sul. Foi aluno do Sul, é um empresário de sucesso em 2002, e foi o único brasileiro a curso pioneiro de especialização na área da radiodifusão. Em 1978, integrar a Academia Nacional de em psiquiatria realizado no Brasil, assumiu a Rádio Clube de Canela, Medicina do Uruguai. Até a sua de 1961 a 1963, na Faculdade de transformando-a em líder de audi- morte, em 2009, lutou pela aten- Medicina da UFRGS, em Porto ência na Região das Hortênsias e ção à gestante e ao bebê, ban- Alegre, onde se formou médico, no Vale do Paranhana. Em 1993, deira que levou para o exterior. em 1954, e lecionou psiquiatria inaugurou a Rádio Clube FM Orgulhava-se de ter criado o Vida de 1965 a 1995. Na Ulbra, inovou 88,5. Por 16 anos consecutivos, Centro Humanístico, em Porto ao criar as disciplinas O Ciclo da presidiu a Associação Gaúcha de Alegre, destinado a oferecer opor- Vida e Psiquiatria, colocando os Emissoras de Rádio e Televisão tunidades de saúde, educação, alunos para cuidar, desde o pri- – Agert. Sobre Odon e Salvador, cultura e lazer a cidadãos de to- meiro semestre e por todo o curso, seus parceiros na promoção da das as idades. A convite de Odon de uma família em que houvesse Semana do Bebê, Pedro a rma: Cavalcanti, passou a lecionar na uma grávida ou um bebê de até “Eu era a parte local, de divulga- Ulbra. Salvador, a rma o amigo 1 ano. “Se não fosse o espírito do ção, convocando as pessoas a Odon, foi “a grande estrela das 10 doutor Odon e do doutor Salvador, Semanas do Bebê. Ele foi o líder, a Semana do Bebê não teria acon- a cargo dos psiquiatras Salva- o mobilizador, o comunicador”. tecido”, a rma o secretário muni- dor e Odon, dois entusiastas”. Saiba mais no CD. cipal de Saúde Jean Carlo Spall. Saiba mais no CD. Saiba mais no CD. Os professores Odon Cavalcanti e Sal- Bebê de Canela, um evento voltado a estimu-vador Célia caram responsáveis por execu- lar a boa relação entre o bebê e seu cuidador.tar a proposta. O primeiro passo foi procurar oradialista Pedro Dias e solicitar o seu apoio. A Ulbra e Canela abraçaram a ideia. A Uni-Como três mosqueteiros, eles uniram esforços versidade participou com seus professores e alu-para organizar e divulgar a Primeira Semana do nos. O apoio da cidade veio por meio de suas autoridades e da sociedade civil organizada. Quando terminava uma A Semana do Bebê, que vem sensibilizando Semana do Bebê, a toda a comunidade canelense, recebeu apoio gente começava já a de três governos municipais de diferentes par- pensar na seguinte. tidos e passou a integrar o calendário de even- tos da cidade. Em suas 10 edições, a Semana consolidou a parceria entre o município, tra- GORET TOSS HOFFMAN, dicional promotor de eventos culturais, e a primeira coordenadora-geral da Semana Ulbra, dedicada à formação de médicos com
  15. 15. uma visão mais humanizada sobre o relacio- sileira de Pediatria e professor-adjunto da Ulbra,namento mãe- lho. A Semana tem in uencia- Ricardo Halpern diz que “a Semana mudoudo na realização de mudanças nas estruturas o entendimento das famílias a respeito dos cuida-municipais de Saúde e Educação e no com- dos com bebês”. Segundo ele, “mudou até o olharportamento da comunidade. Presidente do De- dos técnicos da saúde em relação ao bebê, o quepartamento de Saúde Mental da Sociedade Bra- é decisivo para o desenvolvimento da criança”.Uma década de mobilizaçãoe sensibilização Sempre realizada em maio, a Semana do Bebê Executivo municipal, foi aprovada pelos vereado-é planejada com antecedência mínima de seis me- res e promulgada pelo prefeito Constantino Orsolin.ses, pela Comissão Organizadora. Integrante doCalendário de Eventos de Canela, a Semana foi A maioria das atividades realizadas du-legalmente instituída pelo município em 2009, ano rante a Semana se repete desde a primeirade sua décima edição. A legislação, proposta pelo edição. Elas mobilizam a comunidade a parti- Íntegra da Lei que instituiu a Semana do Bebê Lei Municipal nº 2.906, de 22 de setembro de 2009 Institui no Município a Semana do Bebê de Canela. O prefeito Municipal de Canela, Estado do Rio Grande do Sul, faz saber que a Câmara Municipal de Vereadores aprovou e eu sanciono e promulgo a seguinte Lei Art. 1º Fica instituída a Semana do Bebê de Canela na segunda semana do mês de maio de cada ano, iniciando suas atividades no domingo que comemora o Dia das Mães. Art. 2º As atividades alusivas serão regulamentadas com as dotações orçamentárias especí cas bem como através de doações de terceiros e repasses advindos do Estado e da União e serão regradas por cronograma a ser elaborado pelo Executivo Municipal em parceria com as instituições que zerem parte de sua organização. Art. 3º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação. Gabinete do Prefeito Municipal de Canela Constantino Orsolin Roberto Basei Prefeito Municipal Secretário Municipal da Administração Registre-se. Publique-se.
  16. 16. 16 | 17Primeira Passeata dos Bebês, em 2000: atividadereúne as famílias de Canela numa caminhada daPraça Central à Catedral de PedraFoto: Arquivo pessoal do psiquiatra Odon Cavalcanti A Semana do Bebê é uma experiência única. Ela abre espaço para o bebê e sua família. A comunidade atua quase como um organismo pensante, unindo seus membros ao redor do bebê. Isso também reforça a autoestima dos pais e dos técnicos que trabalham com essa experiência. VICTOR GUERRA, psicanalista uruguaio
  17. 17. cipar da programação e sensibilizam as famí- na gestante e no bebê. Em 2005, a Semanalias a dar aconchego às grávidas, estimular passou a de nir um subtema para ser deba-os bebês, e a investir na relação mãe- lho. tido pelos participantes. A escolha é feita deÀ programação original, foram sendo agrega- acordo com as necessidades encaminhadasdas outras atividades, todas elas centradas pela população aos agentes comunitários.Herança e Resultados Autoridades municipais e estaduais, pro s- A Semana deixa de herança o aprendizadosionais da área da saúde, professores e acadêmi- do trabalho em rede, uma realidade sem possi-cos não têm dúvidas: a Semana do Bebê mudou bilidades de retrocesso no município, e um novoo comportamento da comunidade de Canela com olhar em relação ao bebê. A principal mensagemrespeito às suas gestantes e crianças e é, hoje, da Semana, absorvida pela comunidade, foi a daexemplo de intervenção para brasileiros e es- importância de cuidar do bebê desde a gestação,trangeiros. Coordenadora da Semana de 2009, a favorecendo uma ligação segura entre mãe e -vice-prefeita e ex-professora Lesli Serres de Oli- lho, indispensável para que a criança desenvolvaveira diz que já é possível notar nas escolas os todo seu potencial cognitivo, motor e socioafetivo.efeitos da relação mãe- lho, pregada pela Sema-na e adotada como programa de orientação àsmães nas unidades de saúde. Lesli a rma que ascrianças estão mais ativas e participantes: “isso énotório nas nossas escolas. Antes tínhamos crian-ças acabrunhadas, quietas ou briguentas. Hojeelas estão mais participantes. Têm carinho da fa-mília, que também se aproxima mais da escola”. Dar segurança afetiva às crianças é indispensável para que, ao longo do desenvolvimento e em todas as idades, elas possam se realizar na sua vida emocional, afetiva e de relacionamento, no seu sistema de interações e de comunicações, nos seus processos de socialização e de adaptação, nos seus processos cognitivos e seus recursos intelectuais.HUBERT MONTAGNER, francês, ex-diretor de pesquisano Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica
  18. 18. 18 | 19Avanços na SaúdeCanela trabalhou pela redução da mortalidadeinfantil, redução da desnutrição infantil, am-pliação da cobertura do Programa Saúde daFamília (PSF), desenvolvendo ações de am- O incentivo ao aleitamentopliação do pré-natal, incentivo ao aleitamento materno é uma prioridade nomaterno, ações de acompanhamento do cres- município, com acompanhamento dascimento e desenvolvimento de menores de 2 crianças até o sexto mês. O percentual deanos, incluindo vacinação. crianças que são alimentadas exclusivamente com leite materno até 1 mês de vida passou de 61,8% (2000) para 87,9% (2007). Na faixa de idade entre 5-6 meses o aleitamento materno duplicou nesse mesmo período, passando de 21,3% (2000) Houve um para 44,4% (2007). aumento na cobertura do Programa Saúde da Família. Atualmente, 52% das áreas mais vulneráveis do O registro de município contam com a nascimento é um direito Estratégia do Saúde humano fundamental, segundo da Família. a Convenção sobre os Direitos da Criança. Em Canela, 98,2% das crianças que nasceram em 2008 tiveram esse direito garantido. Garantir o acesso ao pré-natal é um dos maiores desa os para a redução da mortalidade infantil e materna. A redução da O acesso ao pré-natal completo (mais gravidez na adolescência de seis consultas) duplicou no período merece destaque com a observado, representando um aumento redução de 25,1%. do percentual de mulheres que realizaram O percentual de adolescentes mais de seis consultas, passando que engravidaram passou de 34,9%(1999) de 24,3% (2000) para para 72,7% (2008). 18,2% (2008).
  19. 19. Figura 1 – Mortalidade Infantil (por mil nascidos vivos), 1999-2008. 35,0 30,4 30,0 25,0 20,0 18,4 16,4 15,0 14,0 11,2 10,0 13,6 12,6 8,6 10,6 5,0 8,4 0,0 Fonte: 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 SMS de CanelaFigura 2 – Aleitamento Materno Exclusivo, 2000-2007100,0 90,0 89,4 88,7 88,8 85,9 87,9 82,5 82,5 80,0 70,0 63,2 60,0 58,9 66,5 61,8 59,9 50,0 55,8 48,9 47,9 40,0 44,4 1 mês 39,2 30,0 30,9 30,3 32,9 30,5 26,7 3-4 meses 20,0 21,3 23,8 10,0 5-6 meses 0,0 Fonte: 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 SMS de CanelaClínica do Bebê Em Canela, 100% dos bebês nascidos pelo Na primeira consulta, o bebê recebe as va-SUS têm acompanhamento integral e multidisci- cinas, se submete ao teste do pezinho e a ou-plinar na Clínica do Bebê, que funciona todas as tros exames que determinam se ele é de risco.quartas-feiras, no Centro Materno Infantil. A cria- O bebê considerado de risco permanece emção da Clínica, em 2004, e o estabelecimento de atendimento no Centro Materno Infantil, onde aparcerias com o Hospital de Caridade e a rede Clínica está instalada. Do contrário, é encami-de saúde tiveram por meta diminuir o número nhado à unidade de saúde mais próxima de suade óbitos infantis. A primeira consulta de um casa. Apesar de contar com uma equipe multi-recém-nascido é marcada pelo próprio Hospital disciplinar, sempre pronta a atender as crianças,de Caridade para uma semana após o parto. Na o Centro Materno Infantil pré-agenda apenas asClínica, as crianças são atendidas por enfermei- consultas com pediatra e dentista. Para os be-ro, pediatra, nutricionista, odontólogo e psicó- bês dos 12 aos 18 meses, são pré-agendadaslogo. Em 2008 e 2009, o Hospital encaminhou consultas somente com o pediatra. Dos 2 aos 5à Clínica mensalmente, em média, 40 bebês. anos, com pediatra e dentista. O Centro monitoraO total de atendimentos anuais, segundo dados a frequência e, em caso de não comparecimento,da Prefeitura, mais do que duplicou no período as enfermeiras visitam a família. Catiana Foss,de 2004 a 2008, passando de 180 para 423. coordenadora da Estratégia da Saúde da Família
  20. 20. 20 | 21 Algo muito positivo na Semana é justamente reunir a comunidade em torno dela. NOELI STOPASSOLA, vereadora, presidente da Câmara Municipal de Canelado município, revela a decisão de passar a pré-agendar, também, consultas com enfermeiros.Em 2008, foram atendidos 120 bebês de risco erealizadas 260 visitas domiciliares. Para melhor orientar as futuras mães, com-bater a mortalidade infantil e propiciar o nasci-mento de bebês saudáveis, o Centro Materno periféricos), o trabalho em rede e a criação daInfantil promove o Curso de Gestantes. O pre- Clínica do Bebê levaram à queda da mortalida-feito de Canela, Constantino Orsolin, a rma de infantil no município. Para a ex-secretáriaque o Curso é resultado da Semana do Bebê municipal de Educação Berenice Maria Liedde 2009. As atividades da Clínica do Bebê, Felippetti, o maior avanço obtido pela adminis-segundo o pediatra e ex-secretário municipal tração pública de Canela foi o de “aprender ada Saúde José Agnelo, provocaram aumen- trabalhar em rede, com todos os órgãos mu-to no índice de aleitamento materno. “Hoje, nicipais tendo foco nos programas”.em Canela, cerca de 50% das crianças sãoamamentadas até o sexto mês”, diz ele. A taxa de mortalidade por grupo de mil nasci-Esse índice sobe para 84,51% entre as mães dos vivos baixou de 30,35, em 2004, para 10,62,adolescentes, informa a Secretaria Municipal em 2008, menor do que os 12,75 registrados node Saúde. Rio Grande do Sul. Com as mães mais Combate à mortalidade infantil orientadas sobre a Canela, até a década de 70, registrava umdos maiores índices de mortalidade infantil do as crianças estão maisRio Grande do Sul. De 1970 a 1977 ocorreram, saudáveis e temosem números absolutos, 89 mortes de recém- menos casos de doençasnascidos. Em 1970, a taxa de mortalidade por nos postos de saúde egrupo de mil nascidos vivos foi de 82,66, em nos hospitais.Canela, enquanto a do Estado era de 48,41. Aoferta de mais serviços (nos anos 2000 foram VILMAR SANTOS, secretário municipal de Assistência Socialabertas novas unidades de saúde nos bairros
  21. 21. e o de vagas por aproximadamente quatro, no período de 1999 a 2009. Foram abertas sete creches, perfazendo um total de dez, em que são atendidas crianças de 4 meses a 6 anos, durante dez horas por dia. As vagas nas cre- ches aumentaram de 250 para 950. Mas ainda faltam em torno de 800 vagas para que o mu- nicípio possa atender todas as crianças. O nú- mero de pré-escolas também subiu de três para dez, com aumento de cerca de 75 vagas para 240. Seriam necessárias ainda mais 250 vagas para atender à toda demanda do município. Gravidez na adolescência Além da alta taxa de mortalidade infantil, Ca-nela registrava um índice expressivo de mãesadolescentes, o que levou os organizadores daSemana do Bebê a promoverem palestras nasescolas sobre adolescência, sexualidade e gra-videz. Em 2000, quando foi realizada a PrimeiraSemana do Bebê, a proporção de gravidez entremulheres com menos de 20 anos era de 26,58%,em Canela. A cidade contava com 185 adoles-centes grávidas. Segundo a Secretaria Municipalde Saúde, o número absoluto de adolescentesgrávidas baixou para 107 em 2008 e a propor-cionalidade para 24,45%. Neli Maria Vitancourt,coordenadora das escolas infantis de Canela, as- Escola com mais afetosocia a redução do número de adolescentes grá- Os ensinamentos da Semana do Bebê pro-vidas no município à ação da Semana do Bebê. vocaram mudanças também na forma de os pro-Referindo-se aos encontros sobre sexualidade fessores se relacionarem com as crianças e decom os estudantes, ela a rmou que “foi bom para os pais valorizarem a escola. “A Semana trouxeas meninas e os meninos se conscientizarem para discussão qual é a função da professorada responsabilidade que é ser pai e mãe”. de educação infantil”, diz Neli Maria Vitancourt, coordenadora das escolas infantis na secretaria Mais vagas em creches e pré-escolas municipal de Educação. “Não é só trocar, ali- A Semana do Bebê provocou mudanças es- mentar. Tem que ter uma palavra, o toque, otruturais na área da educação, aumentando a abraço, o carinho. Não se trata de mera esti-oferta de vagas para a primeira infância. O nú- mulação. O olhar atento e afetivo e a sensibi-mero de creches foi multiplicado por mais de três lidade caminham juntos”.
  22. 22. 22 | 23 A Semana ofereceu às escolas contatos com Música para bebêsprofessores, acadêmicos e pro ssionais de di- Na Semana do Bebê de 2009, o Departamentoversas áreas. Hoje, se a criança apresenta uma de Música do Instituto de Artes da UFRGS realizoudi culdade – como sonolência, por exemplo –, a o cinas musicais para os pequenos. A experiênciaescola procura a família, tenta investigar o moti- foi tão positiva que será repetida em 2010 e a Se-vo. “Até então”, diz Neli, cretaria Municipal de Educação decidiu adotar asquieta no cantinho, ninguém se preocupava. o cinas de música nas creches e escolas infantis,Hoje, o professor se dá conta de que aquilo transformando a experiência em política pública.não é normal”. Os instrumentos utilizados nas o cinas vão além dos musicais – pianos, pandeiros, chocalhos, triân- gulos. Há também bolas, bolinhas de massagem, balões, bonecos e fantoches. Durante uma hora, o cuidador canta para o bebê, conta-lhe histórias e A Semana foi o pontapé lhe faz massagens. Esses encontros fortalecem o inicial, abriu para a vínculo com os pais ou com quem exerce a função questão da sensibilidade de cuidador, contribuindo para o desenvolvimento e do afeto. integral do bebê, tornando-o mais sociável, pois NELI MARIA VITANCOURT, pedagoga, ele observa como as demais crianças estão can- coordenadora das escolas infantis na tando para poder entrar no ritmo. A música tam- Secretaria Municipal de Educação de Canela bém ajuda a desenvolver a coordenação motora e ensina a criança a escutar, a ter senso estético, a ser mais sensível e segura.
  23. 23. Um olhar diferente A Semana na iniciativa privada Acadêmicos da área da saúde e até mes- Uma ex-aluna da Ulbra aplicou na empresamo pro ssionais egressos da Ulbra asseguram da família os conhecimentos adquiridos na Se-que a participação na Semana do Bebê mudou mana do Bebê. Em 2001, ela criou o programao seu modo de ver a relação médico-paciente. Kinder Kur, destinado especi camente às mãesAprenderam a ver o outro, a colocar-se no lu- que querem voltar à forma física, sem perder ogar do paciente para melhor tratá-lo. Todos se contato com os bebês. O programa oferece a es-dizem mais sensibilizados e determinados a sas mães acomodações especiais e a possibili-dar continuidade à proposta da Semana de au- dade de fazer exercícios na companhia do bebê.mentar os vínculos entre as mães e os bebês. O trabalho conjunto nas escolas e nas uni-dades de saúde leva os alunos a perceberem anecessidade de atuar em parceria com outraspro ssões. Eles também passam a valorizar osrecursos da comunidade, bem como o poten-cial da família e o seu próprio papel como mo-delo para os pacientes. Juliana Hartz Trevisan, odontóloga, par-ticipou de duas Semanas do Bebê e a rma:“Conheci outras realidades e aprendi que o cuidadocom a saúde bucal do bebê não depende só da Odon-tologia. Temos que trabalhar em conjunto com ou-tras profissões”. Juliane Luz de Campos, alunade Medicina, diz que o evento mudou sua vida Ecos no Congressoem vários sentidos. “Na Semana, tu aprendes a te Os participantes do 1º Encontro Social Regio-igualar ao teu paciente, porque tu não estás ali para nal, Encontro Parlamentar e 2º Fórum Municipalser superior a ele. Estás ali para ajudá-lo, de igual dos Direitos da Criança e do Adolescente, reali-para igual”. zados em 2005, como parte da programação da Semana do Bebê, assinaram a Carta de Canela. Nela, comprometem-se, entre outras coisas, a “buscar atendimento integral à gestante, ao Não tenho dúvidas pai do bebê e à família, com vistas à formação de que os alunos de uma rede de apoio que possa fortalecer a se tornam mais ”. O documento foi di- sensíveis para vulgado nacionalmente pela deputada Maria do o exercício de Rosário, integrante da Frente Parlamentar Nacio- medicina. nal em Defesa dos Direitos da Criança e do Ado- lescente no Congresso Nacional. Ela leu a Carta CARMEN NUDELMANN, professora de Medicina da Ulbra na tribuna da Câmara Federal.
  24. 24. 24 | 25 Participação popular De 2007 a 2009, o número de participantes da Semana do Bebê de Canela teve um cresci- mento médio de 10% ao ano, sendo necessário oferecer novas o cinas a um público que chegou, em 2009, a 5 mil pessoas, equivalentes a 12% da população de Canela. Foram necessárias 25 pessoas para montar a logística do evento: re- cepção de convidados, assessoria de imprensa, distribuição de folhetos, operação de equipamen- tos de som, entre outras atividades. Em relação à primeira edição, quando não havia equipe de apoio, o crescimento foi de cerca de 70%. Nos ar- O Encontro Parlamentar tornou possível a quivos da Primeira Semana do Bebê, consta que,parceria entre a Ulbra e a Frente Parlamentar em 2000, houve a participação de 2 mil estudan-Nacional em Defesa dos Direitos da Criança e tes, nos encontros realizados nas escolas, e dedo Adolescente, na publicação de uma cartilha mil pessoas na Passeata do Bebê, que encerrasobre os Cuidados com o Bebê, produzida pelos a programação da Semana. O cálculo é de quecursos de graduação de Medicina, Odontologia, aproximadamente 22 mil estudantes da 5ª sériePsicologia, Fisioterapia e Enfermagem, e distri- do ensino fundamental à 3ª do ensino médio te-buída, desde 2007, aos agentes comunitários de nham sido bene ciados pelos encontros com ossaúde de Canela e aos pro ssionais presentes acadêmicos. Nas 10 edições, participaram 264em seminário internacional. Saiba mais no CD. acadêmicos da área de saúde da Ulbra. A Se- mana atrai para o município, segundo dados da prefeitura, entre 300 e 400 pessoas. Na Semana do Bebê, aprendi que um dos temas relevantes de saúde pública que não são ainda tratados devidamente no Brasil é de que cerca de 30% das mulheres no mundo têm algum traço de depressão pós-parto. Apoiar a mãe para superar a depressão é essencial. MARIA DO ROSÁRIO, deputada federal (PT/RS)
  25. 25. Primeira Infância Melhor A primeira experiência voltada Em 2003, o governo do Rio Grande do para o desenvolvimento dosSul criou o Programa Primeira Infância Melhor bebês foi a de Canela. Ela foi(PIM), inspirado em várias experiências. A se- um marco histórico para quecretária estadual adjunta da Saúde e ex-coor- criássemos o Programa Primeiradenadora do PIM, Arita Bergmann, a rma que Infância Melhor, em 2003.a Semana do Bebê foi um “marco histórico” Baseados em Canela, criamos apara a criação do Programa, cuja metodologia Semana Estadual do Bebê.é uma adaptação da iniciativa cubana Educa a ARITA BERGMANN, secretária adjuntatu hijo. O propósito do Programa é promover da Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sulo desenvolvimento cognitivo, motor, socioafeti-vo e da linguagem em crianças de até 6 anos. a seu cargo um grupo de 25 famílias e é super-Para isso, as famílias são acompanhadas por visionado por um monitor. Em janeiro de 2010,visitadores. Eles orientam as gestantes e ensi- o Programa contava com 2.174 visitadores quenam as técnicas de estímulo para o estabeleci- atendiam, em 233 municípios, 54,3 mil famílias,mento de vínculos afetivos. Cada visitador tem com 6.522 gestantes e 81.525 crianças. Programa comunitário: Educa a tu hijo Chancelado pelo UNICEF, o programa cubano Educa a tu hijo destina- se a crianças de até 6 anos, não atendidas pelo ensino formal, visando ao seu desenvolvimento integral, do nascimento ao ingresso na escola. Segundo documento da Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura, as famílias, consideradas um excelente núcleo de educação, são capacitadas por pro ssionais, geralmente voluntários, a promover o desenvolvimento de grávidas e crianças. Pedagogos, psicólogos, pediatras, especialistas em crescimento e desenvolvimento, desporto, recreação e cultura, entre outros, são responsáveis pela pedagogia adotada por esse programa comunitário. Famílias com crianças de até 2 anos recebem orientações em casa, uma ou duas vezes por semana. O/a orientador/a ensina como estimular o desenvolvimento dos bebês. A atenção às crianças de 2 a 6 anos é coletiva. As famílias e os bebês se reúnem em um local da comunidade, onde o/a orientador/a estimula as crianças e orienta as famílias como seguir com as atividades em casa. Crianças de 5 e 6 anos, de zonas rurais ou montanhosas, podem receber atendimento individual ou coletivo. Estas crianças, duas vezes por semana, são levadas às escolas primárias por suas famílias. Ali são atendidas por um/a professor/a e pelo/a orientador/a, que realiza atividades com as crianças e demonstra às famílias como realizar as atividades em casa. Essencial para o programa de educação não formal é o sistema de capacitação, atendendo todas pessoas participantes do programa, apesar de sua diversidade. Saiba mais no CD.
  26. 26. 26 | 27 Experiência motiva cidades gaúchas Hoffmann – teve “uma boa recepção, tanto por A primeira cidade a seguir o exemplo de Cane- parte das autoridades de saúde pública e de-la e criar a sua Semana do Bebê foi São Marcos, a senvolvimento humano quanto por parte da160 quilômetros de Porto Alegre. Um ano depois, comunidade, organizada em associações, co-a Secretaria Estadual de Saúde lançou a Semana operativas e clubes esportivos”.Estadual do Bebê. Realizada há sete anos, inspi-rou-se na pioneira Semana de Canela. Em 2009, Em Portugal, a primeira edição reuniu as cida-24 outras cidades realizaram suas Semanas, em des de Covilhã e Fundão, em 2007. No ano seguin-parceria com o Programa Primeira Infância Melhor: te, Belmonte tornou-se a terceira comunidade por-Balneário Pinhal, Cambará do Sul, Dois Irmãos, tuguesa a repetir a Semana, que chegou a Olhão,Ibirapuitã, Imbé, Júlio de Castilhos, Manoel Viana, no Algarve, em 2009. A cidade do Porto tambémMuliterno, Porto Alegre, Quaraí, Redentora, Santa pretende organizar a sua Semana. Os resultadosCruz do Sul, Santiago, Santo Antônio da Patrulha, são animadores: a comunidade engaja-se nas ativi-São Francisco de Assis, São Lourenço do Sul, São dades e se descobre responsável pela saúde, pelaPedro do Sul, Sapiranga, Selbach, Soledade, Ta- proteção e pelo bem-estar dos bebês. Na primeirapejara, Teutônia, Três Passos e Vacaria. Semana de Olhão, por exemplo, participaram cerca de 3.500 pessoas e 49 instituições comunitárias.Passeata do Bebê, realizada no municípiogaúcho de São Marcos, em 2002 A Prefeitura de Montevidéu também se inspi-Foto: Arquivo pessoal do psiquiatra Odon Cavalcanti rou na Semana do Bebê para realizar, em setem- bro de 2009, o evento La Infância es Capital, que contou com 140 atividades, entre elas, um semi- nário, apresentações de teatro de rua e espetácu- los musicais dirigidos às crianças e suas famílias. A Semana uruguaia, apesar de ter um formato di- ferente, seguiu o espírito da Semana de Canela, a rma lvaro Paciello, chefe do Plano de Ação para Alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio de Montevidéu. O resultado sempre foi um somatório Exemplo que se espalha pelo mundo de pontos positivos: melhora o Médicos estrangeiros convidados a partici- conhecimento, a divulgação dopar da Semana, em Canela, e outros que toma- conhecimento, envolvimento daram conhecimento do evento em congressos e comunidade, junto com a universidadeencontros internacionais entusiasmaram-se com e o poder público. A iniciativa de parara proposta e lideraram a realização de eventos para discutir bebês se reproduziu emsemelhantes em seus países. A primeira Sema- vários lugares e despertou o interessena argentina aconteceu, em 2009, em Brandsen, do Estado, do País e do Exterior.na Província de Buenos Aires, com grande acei- RICARDO HALPERN, Pós-doctor fellow em Desenvolvimento e Comportamento de Crianças etação. La Semana de la Infância – conta Miguel Adolescentes e professor-adjunto da Ulbra
  27. 27. CAPÍTULO 2 Como realizar a Semana do Bebêem seu município
  28. 28. 28 | 29 As quatro etapas do evento A organização de um evento para dissemi-nar atitudes e práticas inovadoras exige mobi-lização, convocação de vontades das pessoasque vão planejar todas as ações, disciplina,perseverança, adesão e envolvimento da co-letividade. A exemplo de qualquer outro evento, a re-alização da Semana do Bebê depende de lide-rança. E, neste caso, também de paixão pelosbebês. Depende de voluntários que dediquemhoras e dias à mobilização da comunidade sobrea importância de investir na gestante e no bebê.São essas pessoas que levarão a proposta aoConselho Municipal dos Direitos da Criança e doAdolescente (CMDCA), às autoridades executi-vas e legislativas do município, aos empresários,às associações, às ONGs, aos líderes religiosose às demais lideranças e entidades, solicitandoque, ao aceitar o convite para se unir na promo-ção do evento, indiquem o(s)/a(s) integrante/sda Comissão Organizadora. Formada a comissão inicial, é hora de arrega-çar as mangas e começar a trabalhar. A organi-zação passa, essencialmente, por quatro fases: Planejamento Mobilização Evento Avaliação
  29. 29. Planejamento Entre os membros da comissão inicial, for- secretários municipais de Saúde, Educa-mada por representantes do poder executivo ção e Assistência Social,municipal, das entidades de ensino e das demais representantes da universidade ou institui-instituições que aderirem à proposta de realizar a ção de ensino do município,Semana do Bebê, serão escolhidos os integran- professores (o ideal é que sejam dois).tes da Comissão Executiva, que deverá se reunir representante do conselho da Criança e dosemanalmente para planejar a Semana. Se hou- Adolescente (CMDCA).ver necessidade, no mês que precede o even- É imprescindível garantir a participaçãoto, poderão ser feitas duas reuniões semanais. dos conselhos municipais, especialmente oO calendário de reuniões deve ser montado já na dos Direitos das Crianças e dos Adolescentesprimeira reunião da comissão, comprometendo (CMDCA).os seus integrantes. Essa é uma etapa em que há muitos deta- Comissãolhes a acertar. É preciso de nir: Em Canela, até a terceira edição, a Prefeitura apoiava o evento, sem 1. Comissão Executiva participar da organização. A partir Os integrantes dessa comissão serão res- da quarta, integrou-se totalmente aoponsáveis pelo bom andamento de todas as fa- processo, destacando funcionários dasses do evento. Dela devem fazer parte: áreas de turismo e comunicação a prefeitura, por meio do prefeito ou seu re- para trabalhar na preparação presentante, da Semana.Salvador Célia (D), Odon Cavalcanti (E) e Pedro Dias (terceiroda E para D) participam de reunião da Comissão ExecutivaFoto: Banco de Imagem / Jornal de Canela
  30. 30. 30 | 31 Das reuniões realizadas por essa comissão,sairão as decisões de como, quando e onde rea- Espaços variadoslizar a Semana do Bebê. A comissão indicará os Canela realiza as atividadesnomes dos/das coordenadores/coordenadoras da Semana do Bebê em espaçosgeral, executivo/a, das atividades paralelas e do públicos e privados: CâmaraSeminário, seja ele de âmbito local, estadual, Municipal, Casa de Pedra, prédionacional ou internacional, segundo as possibili- para eventos culturais, unidadesdades nanceiras. de saúde, associações de bairro e hotéis. O número de participantes das reuniõespode aumentar gradualmente, dependendo dosconvites feitos pela comissão executiva, com tamento dos indicadores sociais do município,a nalidade de mobilizar pessoas e entidades. acompanhando a sua evolução nos anos se-É importante a integração dos agentes comu- guintes. É importante levantar, principalmente:nitários de saúde, que atuarão como mediado- taxa de mortalidade infantil, inclusive ares entre a organização e a comunidade. Eles neonatal,apresentam aos coordenadores do evento as número de partos normais,dúvidas e as preocupações das famílias sobre número de cesarianas,a relação com as gestantes e os bebês. proporção de gestantes com seis ou mais A cada semana um novo grupo pode ser consultas de pré-natal,convidado: proporção de gestantes com menos de clubes de serviço, 20 anos, ONGs voltadas para a proteção da crian- número de leitos hospitalares para partu- ça e do adolescente, rientes e para bebês, entidades de classe de trabalhadores e hospitais de referência em outros muni- empresariais, cípios, associações de bairro, percentual de bebês com aleitamento igrejas, materno exclusivo até o sexto mês, meios de comunicação, número de creches existentes, escritores, atores, produtores, cineastas, número de pré-escolas existentes, todos que trabalhem com cultura, vagas oferecidas pelas creches e pré- grupos de jovens, escolas, outros grupos que ajudem a unir a comu- se as vagas são su cientes para atender nidade em torno de um mesmo objetivo. todas as crianças do município, taxa de escolaridade das gestantes, 2. Objetivos a ser alcançados número de unidades de saúde, Além de incentivar um novo comportamen- população atendida com saneamentoto em relação às gestantes e aos bebês, a Se- básico (água tratada, esgoto, coleta demana pode propor o incentivo ao aleitamento lixo),materno exclusivo até os 6 meses e o levan- sub-registro de nascimento.
  31. 31. 3 . Amplitude do evento 6. Escolha de subtema O seu município pode realizar o evento sozi- A Semana tem por tema o bebê e o mundo nho ou juntamente com um ou mais municípios que o cerca, podendo debater um subtema, que da mesma região. Para isso, o melhor é promo- deve ser de nido na fase de planejamento. ver uma reunião entre as autoridades municipais, detectando se o investimento na gestante e no bebê é prioritário em todos e se há interesse na Subtema: promoção conjunta da Semana do Bebê. Sugestões da comunidade Em 2005, a Semana do Bebê de Canela 4. Levantamento e divulgação passou a ter como título um subtema ligado de indicadores sociais à questão do bebê. O assunto é debatido por Na fase de planejamento, é preciso levantar todos os participantes. As sugestões de subtemas os indicadores educacionais, sociais e de saúde são encaminhadas à comissão executiva pelas do município, que serão divulgados durante a unidades de saúde, que as recebem dos agentes Semana do Bebê, com o objetivo de melhorá- comunitários de saúde, em contato permanente los a cada ano. com os moradores e em condições de avaliar os assuntos que mais 5. Públicos que serão atingidos interessam à população. A programação da Semana do Bebê deve ser montada de forma a atingir todos os públicos da comunidade, independente de classe social e nível cultural.Quem participa 7. Estabelecimento de parceriasA programação da Semana de Canela atinge As parcerias com o setor empresarialtoda a comunidade: e instituições locais, nacionais e interna- os estudantes participam dos encontros sobre adoles- cionais são importantes para a realização cência, sexualidade e gravidez, de um evento de qualidade. É essencial servidores da saúde e da educação assistem a o cinas contar entre os parceiros com uma insti- especí cas e ao Seminário Internacional, tuição de ensino, cujos alunos poderão famílias em situação de vulnerabilidade social são bene - colaborar nas atividades dirigidas aos ciadas pelas o cinas realizadas nas unidades de saúde e adolescentes. associações de bairro, para gestantes e cuidadores, são promovidos encontros nas salas de espera das unidades de saúde, acadêmicos, cientistas, médicos, enfermeiros, agentes comunitários de saúde e professo- res compõem o público do Semi- nário Internacional.
  32. 32. 32 | 33 8. Levantamento das possíveis 9. Inscrições fontes de recursos financeiros A participação nas atividades da Semana para execução do evento do Bebê pode ser gratuita ou, eventualmente, O quanto de recurso será necessário para cobrada. Para que toda a comunidade tenha a realizar a Semana dependerá do tamanho do oportunidade de participar, o ideal é que as ins- evento e das parcerias estabelecidas. As verbas crições sejam gratuitas. No caso de cobrança podem ser só públicas ou apenas privadas ou pú- de alguma taxa, é preciso de nir quem se res- blicas e privadas. ponsabilizará tanto pelas inscrições quanto pela administração e aplicação dos recursos rece- bidos. O montante arrecadado poderá ser utili- Origem da receita zado a critério do município e do Conselho dos No caso da cidade gaúcha, as Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) principais fontes são os poderes exe- e destinado a projetos voltados para garantir o cutivo e legislativo municipais. A Semana direito das crianças. do Bebê está incluída nos orçamentos da Pre- feitura e da Câmara Municipal. Também cola- boram órgãos estaduais e grupos empresariais. Inscrições É missão dos organizadores conseguir patro- Em Canela, é cobrada uma cinadores da iniciativa privada. Nestes casos, taxa diferenciada para alunos e demais sempre é bom fazer um pequeno projeto, in- participantes do Seminário Internacional. formando os objetivos da Semana, quando Os funcionários municipais da Saúde e da ela acontecerá, a que público se desti- Educação estão liberados do pagamento. na e de quanto necessitam. Os recursos arrecadados são destinados a apoiar entidades sem ns lucrativos. A Ulbra se encarrega de administrar as inscrições.Alunos de MedicinaEm Canela, os alunos de Medicina da Ulbraforam os primeiros a participar da Semana doBebê. Eles já mantinham uma relação especial com 10 . Programação pré-eventoo município. Durante três anos, no dia de vacinação, A programação de nida para ser reali-haviam avaliado, na cidade, a interação mãe-bebê. zada antes do evento destina-se a divulgarGradativamente, começaram a participar da Semana a Semana e mobilizar a comunidade (ver noacadêmicos dos demais cursos da área da saúde – item Mobilização).Odontologia, Serviço Social, Fisioterapia, Enfermagem, Psicologia, Fonoaudiologia e Pedagogia. A atividade 11. Programação do evento virou um programa interdisciplinar de extensão da As atividades realizadas durante a Sema- Universidade. Saiba mais no CD. na do Bebê têm por objetivo informar sobre a importância de investir na primeira infância, mo- bilizando toda sociedade a apoiar as gestantes, promover o vínculo mãe-bebê e estimular o de-
  33. 33. senvolvimento das capacidades motora, cogniti- va e afetiva da criança. Os espaços dedicados Espaço: às atividades cientí cas e comunitárias devem Encontro e Fórum ser proporcionais. Os organizadores podem ofe- Em Canela, o professor Salvador Célia recer espaço na programação para que a co- convidou parlamentares a realizarem munidade expresse suas preocupações e expo- o Encontro Parlamentar e professores nha suas propostas. e universitários a promoverem o Fórum Universitário. O Encontro e o Fórum, até Exemplos de atividades que podem ser pro- 2010, se alternavam na programação da gramadas: Semana do Bebê. palestras, encontros, simpósios, seminários, 12. Horário das atividades concursos, Elas ocorrem nos três turnos do dia. A suges- mesas-redondas, tão é dividi-las da seguinte forma: o cinas, Manhã exibição de lmes que tratem das relações o cinas nas unidades de saúde, familiares, palestras nas escolas, apresentações culturais sobre o tema da painéis de eventos paralelos (Encontro Semana, Parlamentar e Fórum Universitário), passeata dos bebês, simpósios cientí cos. bênção comunitária. Tarde encontros nas escolas,Universitários preparados por exibição de um lme e posterior debate,professores o cinas para gestantes, mães e servido-Os alunos da Ulbra que vão às escolas são res de Saúde e de Educação,orientados pelo professor Odon Cavalcanti . “Tenho dois passeata dos bebês, no último dia da Se-encontros com os estudantes de Medicina e dou a eles, mana,para lerem e debaterem, um trabalho sobre adolescência”, bênção ecumênica, no último dia da Se-a rma o professor. O índice de aceitação desses encontros mana, ao nal da passeata dos bebês.pelos adolescentes ca entre 90% e 95%. Os acadêmicos queparticipam da Semana são unânimes em quali car a experiência Noitecomo signi cante, grati cante e inesquecível. A rmam que palestras promovidas pelos parceiros,os adolescentes se sentem mais tranquilos em falar sobre jantar de confraternização, sexualidade e gravidez com alguém mais próximo deles. solenidade de encerramento da Semana. Os acadêmicos a rmam que para responder às questões precisam superar alguns preconceitos. 13. Encontros com adolescentes A maior curiosidade é sobre métodos Estudantes de nível médio ou universitá- anticoncepcionais, ciclo menstrual e rio, preparados por professores, encontram- primeira relação sexual.
  34. 34. 34 | 35se com estudantes do município em escolas da cidade e diploma de Bebê Prefeito à pri-da rede pública e privada. O tema do encontro meira criança nascida na Semana,– adolescência, sexualidade e gravidez – ajuda receber a imprensa regional e nacional ea conscientizar os ouvintes sobre a responsabili- mediar os contatos com as fontes.dade paterna e materna e a diminuir o índice deadolescentes grávidas. A grade com os locais e 15. Oficialização da Semanahorários dos encontros deve ser montada ainda A elaboração de uma lei que torne a Semanana fase de planejamento. do Bebê um evento o cial da cidade, integrando o calendário de eventos, pode ser tratada com 14. Responsáveis pela infraestrutura as autoridades municipais, tanto do executivo A divulgação do evento pode ser feita com quanto do legislativo. (Ver legislação de Canelasimplicidade, e a realização do evento exige a no Capítulo I, página 16).de nição de quem se responsabilizará pelas se-guintes atividades: confeccionar material de divulgação, como Simplicidade folhetos com a programação, jornal, convi- A Semana do Bebê de tes, cartazes, faixas e outdoors, se a legis- Canela iniciou com folhetos lação municipal permitir, simples, fotocopiados. Não providenciar o transporte para palestrantes é preciso pensar em grandes convidados e para famílias em situação de produções, mas em algo que vulnerabilidade social, que desejem partici- motive a população a estar par das atividades, presente. providenciar a recepção e hospedagem dos convidados, buscar parcerias para a confecção de bo- nés, camisetas, bandanas, pulseiras e ou- tros objetos que divulguem o evento, confeccionar diplomas, que serão entre- gues aos participantes, e troféus, com os quais serão homenageadas pessoas que tiveram desempenho positivo em favor dos bebês e das gestantes, enviar convites, con rmar presenças, visitar os locais das atividades, con rman- do as suas boas condições, encaminhar à coordenação-geral o número nal de participantes nas atividades, de nir o padrinho do Bebê Prefeito, preparar a visita das autoridades ao hospi- tal para que o/a prefeito/a entregue a chave
  35. 35. Mobilização 1. Contato com os meios de comunicação A segunda fase é de mobilização. Ela objeti- Para que o maior número possível de pes-va sensibilizar todas as pessoas da cidade a parti- soas tome conhecimento, ao mesmo tempo, dacipar da Semana do Bebê. O foco são as famílias importância e da programação do evento é es-com mulheres grávidas e/ou bebês. O importante sencial buscar o apoio dos meios de comuni-é atrair todos/as para atuar no objetivo comum cação: jornais, revistas, rádios, estações de TV,de estimular a relação mãe-bebê. Cada atividade sites. É recomendável o contato direto com osprecisa ser atrativa e capaz de emocionar a co- jornalistas, informando-os do objetivo da Sema-munidade. A seguir sugestões de mobilização: na do Bebê, sensibilizando-os para que possam mobilizar a comunidade. Meios de comunicação Em Canela, o chamamento é feito pelos Jornal de Canela, Jornal Integra- ção e Rádio Clube. Nas primeiras edi- ções, a Rádio chegou a promover sorteio de eletrodomésticos entre as famílias par- ticipantes e a patrocinar a impressão e divulgação de fotos de bebês de famílias em situação de vulnerabilidade social, nas vitrines do comercio local, como forma de sensibilizar e mobilizar as pessoas. Na primeira edição da Semana, o Jornal Bebês prefeitos Kelvin da Silva (acima) de Canela abriu espaço em sua última pá- e João Felipe Kasper, em 2009 gina para que os alunos criassem dese- Fotos: Nilton Santolin nhos sobre o evento, que também foram exibidos nas lojas. Ao nal, foram expos- tos 400 fotos e 3.500 desenhos. Em 2009, a coordenação da Semana do Bebê de Canela editou um jornal sobre o evento, que foi distribuído nas unida- des de saúde e em todas as residências da cidade, em especial nos seis bairros de maioria de moradores em situação de vulnerabilidade social.
  36. 36. 36 | 37 2. Buscar parceiros para 7. Promover atividades a distribuição de material im- que entusiasmem a população presso A promoção de atividades voltadas às mães Agentes comunitários de saúde, servido- e aos bebês motivam a comunidade a tomar par-res responsáveis pelo Bolsa Família, comércio, te, envolvendo-se com a Semana do Bebê, antesescolas, clubes, associações, sindicatos, cine- mesmo que ela aconteça. Várias atividades po-mas, teatros, clubes esportivos e igrejas podem dem ser programadas: concursos de vários tiposajudar na distribuição dos folhetos com a pro- (fotos, redações, música, poemas, desenhos, pin-gramação da Semana. Os cartazes com infor- turas, esculturas e muitos outros, sempre sobre omações simples e direta sobre o evento (data, tema da Semana), premiação da primeira criançalocal e objetivo) podem ser colocados em lo- a nascer na semana, exibição de fotos de be-jas, bares, supermercados, farmácias, hospi- bês nas vitrines do comércio local. Cada um dostais, órgãos públicos, associações, sindicatos, apoiadores da Semana, como os clubes de servi-escolas, universidades e clubes esportivos. ço, pode se responsabilizar por uma atividade.A exibição de faixas e outdoors será feita de acor-do com a legislação municipal. Atividades programadas Na cidade gaúcha, antes da Semana, 3. Camisetas, bonés e bandanas são promovidas diversas atividades, A confecção deste material dá visibilidade ao movimentando a cidade em torno do evento:evento. Por ser um material mais caro, deve ser concurso de vitrines – a Associação Co-distribuído, prioritariamente, entre os que traba- mercial e Industrial de Canela (Acic) trabalhalham na organização e execução da Semana. para que seus associados decorem as vitri- nes com temas alusivos à Semana, partici- 4. Apoio das Igrejas pando do concurso de melhor vitrine, organi- Solicitar aos líderes religiosos que, em seus zado pelo Lions Club de Canela. A comissãosermões, cultos e reuniões, falem sobre a Se- julgadora é composta por 15 pessoas. Elasmana do Bebê e incentivem suas comunidades visitam todas as casas comerciais, fazendoa participar. a inscrição no concurso. Depois, escolhem a mais bonita e criativa. Os comerciantes utili- 5. Carros de som zam fotos de bebês, oferecidas pelas famí- Às vésperas da Semana, um carro de som lias, e os produtos que vendem para comporpode circular pela cidade divulgando a progra- a decoração.mação e chamando a população a participar. Os agentes comunitários de saúde informam a Prefeitura sobre as famílias em situação 6. Visita aos bairros de vulnerabilidade social que desejam ver No m de semana anterior à realização do as fotos de seus bebês exibidas em algumaevento, é possível montar pequenos grupos de vitrine. O setor de fotogra a da Prefeituravoluntários para visitar todos os bairros da cida- se encarrega de fotografar essas crianças ede e falar sobre a Semana do Bebê. encaminhar o material para o comércio.
  37. 37. Em 2009, 20 lojas participaram do concurso. O vencedor decorou Foi a única vez que vi uma sua vitrine com com fotos que contavam situação em que a comunidade a história de vida de seus clientes desde era o ator principal. Os bebês. organizadores atuam não concurso de redações – os alunos de como diretores, mas dão apoio toda a rede pública e particular de ensino preparam para que a comunidade atue. redações sobre o tema da Semana. Os melhores A iniciativa do prefeito bebê é recebem um certi cado. Em Canela, esta promoção uma experiência única, assim ca a cargo do Rotary Club. como o trabalho em rede, que bebê prefeito* – em Canela já é tradição: a primei- no Brasil é diferente de todo o ra criança a nascer no Hospital de Caridade, du- mundo. rante a Semana do Bebê, recebe o título de Bebê Prefeito. As autoridades municipais visitam a mãe e RICARDO GORODISH, psiquiatra e psicanalista argentino a criança no hospital e entregam ao recém-nascido as chaves da cidade e um diploma que o declara Bebê Prefeito. Por uma semana, ele reinará sobre a cidade. O bebê também ganha um “padrinho da cidadania”, que tem por missão zelar pelo a lhado, proporcionando-lhe acesso à saúde e à educação de qualidade. Atualmente, o padrinho é escolhido entre os vereadores. Jociane Salles de Oliveira (2000) Amanda Rech Livi (2001)Kelvin Oliveira da Silva (2002) Natiele da Silva (2003) Alexandrina Nunes Cegoni (2004) Bianca Pacheco Fabro (2005)Gabriel Dias Palhano (2006) João Felipe dos Reis Kasper (2007) Alan da Silva (2008) Maria Eduarda Pimel Velho (2009)
  38. 38. 38 | 39Evento Após concluir as fases de planejamento e 1. Encontros com estudantesmobilização, seu município está apto a realizar a Os encontros para discutir adolescência,Semana do Bebê. A seguir, alguns exemplos de sexualidade e gravidez ocorrem nas escolas doatividades que podem compor a programação município. Dois acadêmicos ou dois alunos dodo evento. ensino médio substituem os professores nas sa- las de aula, orientando os estudantes e respon- dendo a perguntas. 2. Oficinas para todos Acadêmicos e professores da área de saú- de realizam o cinas nas unidades de saúde diri- gidas tanto para os funcionários quanto para os que esperam atendimento. Em suas palestras, mostram como os cuidadores devem estimular os bebês, o que é percebido como um momen- to mágico. Nos centros comunitários, reúnem a comunidade para participar de uma palestra ou para ver e debater um lme. Os agentes comu- nitários de saúde – atores importantes na divul- gação da Semana e na sua organização – estão sempre presentes. Momento Mágico Em Canela, nos encontros nas unidadesIsabel Fillardis (C) participa da Passeata do Bebê, em 2002Foto: David Keller / Banco de Imagem / Jornal de Canela de saúde, as gestantes e as mães também aprendem a distinguir o choro do bebê, se é de fome, dor, raiva ou frustração. E os pais são Programação do evento encorajados a participar do parto, pegar o bebê no As programaões das dez colo nas suas primeiras horas de vida e olhar em edições da Semana do Bebê seus olhos. Este – dizem acadêmicos e pro ssionais em Canela estão discriminadas – é um momento mágico. Há trabalhos cientí cos no CD. A íntegra revela quais que provam: pais que abraçam seus lhos atividades se mantiveram e as e olham em seus olhos, logo após o que foram sendo agregadas nascimento, são os que menos com o passar dos anos. Saiba abandonam os lhos. mais no CD.

×