Paradigmas De Engenharia De Software

13,285 views
12,696 views

Published on

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
13,285
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
82
Actions
Shares
0
Downloads
269
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Paradigmas De Engenharia De Software

  1. 1. Engenharia de Software II Paradigmas de Engenharia de Software Prof. César França FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  2. 2. Engenharia • Métodos • Ferramentas • Procedimentos FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  3. 3. Desenvolvimento Clássico (Cascata / Waterfall) FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  4. 4. Levantamento de Requisitos • Análise de requisitos engloba todas as tarefas que lidam com investigação, definição e escopo de novos sistemas ou alterações. Análise de requisitos é uma parte importante do processo de projeto de sistemas, na qual o engenheiro de requisitos e o analista de negócio, juntamente com engenheiro de sistema ou desenvolvedor de software, identificam as necessidades ou requisitos de um cliente. Uma vez que os requisitos do sistema tenha sido identificados, os projetistas de sistemas estarão preparados para projetar a solução. • Entrevistas com Stakeholder • Workshops • Lista de requisitos: estilo contrato formal • Objetivos Mensuráveis • Protótipos FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  5. 5. Análise de Requisitos • Análise de Requisitos é o estudo das características que o sistema deverá ter para atender às necessidades e expectativas do cliente. • É o Entendimento do Problema • Cada funcionalidade demandada pelo cliente deve ser analisada para verificar os possíveis impactos no desenvolvimento das demais funcionalidades do sistema, e verificado em conjunto com a equipe de desenvolvimento se as necessidades tecnológicas para a sua implementação estão disponíveis FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  6. 6. Projeto • É a parte da engenharia de software que se encarrega de transformar os resultados da Análise de Requerimentos em um documento ou conjunto de documentos capazes de serem interpretados diretamente pelo programador. • Arquitetura de Software • Design Patterns (Padrões de Projeto) • Refatoração FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  7. 7. Implementação • Corresponde à codificação, ou tradução dos requisitos para uma linguagem legível pelas máquinas. • Se o projeto for executado detalhadamente, a codificação pode ser feita mecanicamente, e até mesmo automatizada. FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  8. 8. Testes • O objetivo, por paradoxal que pareça, é encontrar defeitos nos produtos, para que estes possam ser corrigidos pela equipe de programadores, antes da entrega final. • Testes Caixa-Branca ou Caixa-Preta • Testes Unitários, de Integração, de Aceitação, de Produção e de Regressão Processo Simplificado • Descobrir a existência do bug • Isolar o código que causa o bug • Identificar a causa do bug • Determinar uma correção para o bug • Aplicar a correção e testar a correção FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  9. 9. Implantação • Passagem do software para a produção. • Liberação • Instalação • Ativação/Desativação • Risco: Integração com Sistemas Legados!!! FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  10. 10. Desenvolvimento Clássico (Cascata / Waterfall) FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  11. 11. Custo da Mudança Custo Tempo FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  12. 12. Prototipação • Processo que capacita o desenvolvedor a criar um modelo do software que será implementado. • Storyboarding • Protótipo em papel • Mágico de Oz • Máquina de Cenários • Prototipagem Rápida • Prototipagem Evolutiva FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  13. 13. Prototipação • Pontos Positivos – Requisitos adequados – Cliente visualiza a construção • Pontos Negativos – Difícil manutenção – Baixo re-uso – Riscos de projeto – Cliente achar que o projeto está pronto! FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  14. 14. Modelo Iterativo FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  15. 15. Prototipação • Pontos Positivos – Desenvolvimento evolutivo – Projeto componentizado • Pontos Negativos – Custo da mudança – Refactoring FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  16. 16. Modelo Espiral Requisitos Engenharia Implementação Avaliação FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  17. 17. Modelo Espiral • Pontos Positivos – Desenvolvimento Evolutivo – Mudança planejada – Redução de Riscos • Pontos Negativos – Difícil adoção dos clientes – Avaliação de Riscos delicada – Imprevisão de riscos grandes: mudança cara! FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  18. 18. Outros “Paradigmas” • Linguagens de 4ª Geração • RAD – Rapid Application Development FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  19. 19. Qual o melhor? • Desenvolvimento Tradicional • Prototipagem • Iterativo • Espiral • ... DEPENDE!!! FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França
  20. 20. Disponível em... http://es2.cesarfranca.com Prof. César França FASETE, Engenharia de Software II, 2008.1 Prof. César França

×