Dicas - Esthetic Dentistry - Odontologia Estética
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Dicas - Esthetic Dentistry - Odontologia Estética

on

  • 651 views

 

Statistics

Views

Total Views
651
Views on SlideShare
651
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
4
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Dicas - Esthetic Dentistry - Odontologia Estética Dicas - Esthetic Dentistry - Odontologia Estética Presentation Transcript

  • DICAS de ESTÉTICA O que é necessário? A odontologia adesiva tem evoluído bastante. Reanatomização estética em dentes anteriores com resina composta Por que é importante? • Fotografias faciais e intraorais e modelos de Com isso, tratamentos estéticos com resinas estudo em gesso-pedra compostas diretas são utilizados como um meio • Silicone polimerizado por adição, para a execu- conservador de corrigir alterações na anatomia ção do mock-up e da guia palatina para a rea- dental, desde ângulos incisais, bossas e sulcos de desenvolvimento fora dos padrões até a correção morfológica de dentes conoides. Dessa natomização • Resina bisacrílica para a confecção do mock- -up Mestre em Dentística pela Universidade Guarulhos – UnG Professor do Departamento de Dentística da Universidade Guarulhos – UnG Souza-Junior, Eduardo José Cirurgião-dentista Mestre em Clínica Odontológica (Dentística) Doutorando em Materiais Dentários, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP Gonçalves, Bruna Cirurgiã-dentista em tempo integral no Ateliê Odontológico Dr. Luis Gustavo Barrotte Albino Rodrigues, José Augusto Cirurgião-dentista Mestre e Doutor em Clínica Odontológica (Dentística) pela UNICAMP de integrar e harmonizar o complexo dental es- te cromáticos e acromáticos. Ex.: Filtek Z350 XT (3M ESPE), Opallis (FGM), Charisma (He- face, melhorando a autoestima do paciente e Cirurgião-dentista • Kit de resinas compostas com cores de esmal- tético com os lábios e as demais estruturas da Albino, Luis Gustavo Barrote forma, sua indicação é baseada na necessidade raeus Kulzer) preservando ao máximo a estrutura dental sadia. • Canetas de alta e baixa rotação Essa técnica apresenta como vantagem a previ- • Material para isolamento absoluto sibilidade do tratamento restaurador por meio do • Espátulas para resina composta (Safident, uso de modelos de estudo e enceramentos-diag- Cosmedent) nósticos, e a prova pelo mock-up acompanhado • Sistema adesivo de condicionamento ácido de análises fotográficas. Assim, o cirurgião-den- total (ácido fosfórico e sistema adesivo – 2 ou tista consegue manter o controle clínico, artísti- 3 passos) 1 2 co e criativo do procedimento restaurador. Além • Aparelho fotoativador disso, as restaurações podem ser concluídas • Pontas diamantadas finas e extrafinas, para em sessão única, dispensando a fase de provi- acabamento da resina composta sórios. Todavia, produzir restaurações altamente • Sistemas de acabamento e polimento, com estéticas requer uma compreensão da estrutu- discos de lixa (Sof-Lex Pop On, 3M ESPE), pas- ra dental natural. Somente de posse desses co- ta diamantada (Diamond Excel, FGM) e discos nhecimentos, pode-se assumir o compromisso de feltro (FGM) de reanatomizar estruturas dentais com procedimentos minimamente invasivos, alterando ta- Como fazer? manho, forma, textura e cor, com a finalidade de gráficas da face do paciente, para a análise dentolabial da exposição de lábio em repouso, perda de estrutura, altura da linha de sorriso e convexi- compostas, para garantir a satisfação do pacien- dade formada pela união dos bordos incisais (Fig. te. v.1, n.3, 2012 Primeiramente, deve-se realizar tomadas foto- Assim, o objetivo da reanatomização estética é tético usando uma abordagem direta e resinas 16 17 melhorar a autoestima do paciente.1-3 promover maior naturalidade do complexo es- Professor do Departamento de Dentística da Universidade Guarulhos – UnG A-B), além de fotografias intraorais (Fig. C), para
  • A B C D E E F G Fotografia de face do paciente sorrindo (A). Fotografia de face do paciente com lábios em repouso (B). Fotografia intraoral do paciente evidenciando tanto desarmonia gengival quanto dental (C). Materiais utilizados para um correto planejamento da reanatomização estética com resina composta (D). Guia em silicone posicionado no modelo de gesso, onde se pode observar as demarcações de área de desgaste e a altura final das restaurações(E). Mock-up em resina bisacrílica posicionado mostrando a previsão do tratamento restaurador (F). Utilização da guia de silicone vestibular, onde se pode avaliar os desgastes necessários e os já realizados sobre as estruturas dentais (G).
  • H I J K L Posicionamento da guia de silicone palatina, para facilitar a inserção da resina composta para a reanatomização (H). Aspecto branco opaco dos dentes após o condicionamento ácido (I). Confecção das camadas de resina opaca simulando a dentina, já com a confecção dos mamelos dentinários (J). Aplicação de uma resina translúcida clara como última camada simulando o esmalte superficial na superfície vestibular dos dentes tratados (K). Aspecto imediato do sorriso, sem a etapa de acabamento e polimento, já evidenciando uma nítida melhora na naturalidade de formato e cor dos dentes (L). Demarcação intraoral das áreas de reflexão e dispersão de luz com lápis (M). 18 19 v.1, n.3, 2012 M View slide
  • avaliação precisa da condição do complexo esté- de forma a promover um aspecto natural para a 37% por 15 segundos, com posterior lavagem e tico (análise gengival e análise dental). No caso valorização do procedimento. secagem, e aplicação de adesivo de frasco único apresentado, nota-se claramente uma desarmo- Alguns excessos e ajustes são realizados, e ou- Adper Single Bond 2 (3M ESPE) (Fig. I). O con- nia da estética vermelha (tecidos periodontais), tra dica que valoriza o ensaio é a caracterização dicionamento com o ácido deve ser feito sobre fratura do bordo incisal do dente 11, além de uma do mock-up com pigmentos. Nessa fase é crucial toda a região a ser reanatomizada. Logicamente, alteração de formato no dente 12. No entanto, a que o paciente observe as mudanças propostas o adesivo também necessita ser aplicado sobre queixa principal do paciente era possuir um sor- em frente a um espelho por no mínimo 5 minu- toda essa área condicionada, em uma fina pelí- riso “triste”, diagnosticado como invertido, o que tos, tendo a possibilidade de aprovar ou rejeitar cula, para que a restauração não fique amarela- influenciava negativamente a estética facial e as mudanças (Fig. F). da e para que a linha de transição dente-resina dentolabial e, consequentemente, o psicológico. Após sua aprovação e em uma nova sessão, é não fique nítida. O próximo passo é o estudo do modelo de gesso muito importante que o profissional faça somen- Inicia-se, então, o processo restaurador com a e o planejamento das áreas que deverão ser rea- te a análise cromática. O grande desafio nesse confecção da concha palatal e das arestas proxi- natomizadas com subsequente reanatomização caso é reproduzir a riqueza de detalhes e a poli- mais, com uma resina de cor clara e de transluci- do modelo por meio do enceramento-diagnós- cromia que um dente natural apresenta. Portan- dez intermediária (A1 Body, Z350 XT, 3M ESPE). É tico. Em seguida são confeccionadas as guias to, para o mapeamento cromático, o clínico deve importante lembrar que a guia palatina-muralha para auxiliar na delimitação de áreas a serem observar as fotografias, delimitando as áreas re- é necessária nessa etapa para guiar o tamanho desgastadas (Fig. D-E). É importante, nessa eta- ferenciadas pelo corpo de dentina, esmalte cro- cervicoincisal. Já na região cervical uma resina pa, analisar a guia vestibular, já que ela ditará o mático e esmalte acromático. Além disso, faz-se opaca de alta saturação, bem amarelada, deve quanto de material restaurador será necessário necessário o uso da escala VITA e a prova com ser utilizada (OA3,5, Charisma, Heraeus, Kulzer). para realizar o tratamento proposto, ampliando a pequenos incrementos da resina, que será utili- Para a cópia do corpo de dentina, usa-se a refe- visão do clínico para a necessidade de nenhum zada na face vestibular, tornando a análise cro- rência do mapa cromático, criando um dégradé ou de mínimo desgaste de estrutura dental. mática fidedigna. Outra dica importante é anotar de cores A2 para A1 na direção da cervicoincisal Compilando o maior número de dados possível, as cores selecionadas bem como as resinas, se- e ao mesmo tempo confeccionando-se os ma- executa-se a prova do enceramento, simulan- guindo o plano de cores na hora do procedimen- melos dentais (Fig. J). do o resultado a ser alcançado. Para confec- to, de maneira copiosa, uma vez que o substrato Os efeitos incisais devem ser trabalhados para cionar a prova ou mock-up, deve-se moldar o dental estará desidratado. produzir a policromia necessária para conferir enceramento-diagnóstico com a pasta pesada Feito isso, inicia-se a transposição do modelo de naturalidade (A1 Body, Z350 XT, 3M ESPE, con- do silicone polimerizado por adição, obtendo-se, estudo para a real situação clínica, direcionan- fecção do halo opaco; Blue Translucent BT, Z350 assim, uma matriz. Sequencialmente, insere-se do os preparos para o mínimo desgaste possí- XT, 3M ESPE, nos ângulos incisoproximais e T- a resina bisacrílica e leva-se o conjunto matriz- vel, sempre com base nas guias de referências -Orange, Opallis, FGM, nos ângulos vestibuloin- -resina em posição na boca. Decorrido o tempo (Fig. G-H).4,5 Em seguida, para a realização dos cisais mesiais). Uma cobertura final com resi- de reação de presa, cuidadosamente se remove procedimentos adesivos, um isolamento abso- na translúcida clara (CT Z350 XT, 3M ESPE) foi a matriz. Uma importante dica durante essa eta- luto modificado deve ser instalado, e o protoco- aplicada na última camada, referenciando a face pa é, imediatamente após sua remoção, passar lo adesivo com a técnica convencional deve ser vestibular (Fig. K). A cada inserção de incremen- uma gaze com álcool para retirar a resina não feito. No caso apresentado foi realizado condi- to de resina composta, deve-se fotoativar os polimerizada pelo contato direto com o silicone, cionamento do esmalte com ácido fosfórico a incrementos de acordo com as especificações View slide
  • Q N O R P Dentes anterossuperiores após o protocolo de acabamento e polimento (N). Aspecto intraoral do tratamento finalizado. Note que o sorriso apresenta naturalidade e harmonia com os tecidos moles do paciente (O). Sorriso do paciente com a finalização do tratamento (P). Fotografias do sucesso clínico do tratamento restaurador com compósito nos dentes anteriores após 1 ano de acompanhamento (Q-R). 20 21 v.1, n.3, 2012
  • dos fabricantes. Uma dica importantíssima é a (Fine Cosmedent), de granulação média e, sub- utilização de um fotoativador de LED com alta sequentemente, granulação fina; depois, escova densidade de potência, cerca de 1.500 mw/cm2, de carbeto de silício e pasta diamantada (Dia- para que se obtenha uma excelente conversão mond Excel, FGM) sobre disco de feltro aplicada dos monômeros em polímeros. Tal procedimen- de maneira intermitente sobre a resina compos- to é imprescindível não somente para atingir as ta. propriedades físico-químicas ótimas, mas tam- Dessa forma, consegue-se realizar uma reana- bém para assegurar uma alta performance clíni- tomização estética com resina composta dire- ca. ta, devolvendo a integração dentogengival (Fig. Na mesma sessão, o acabamento inicial é reali- N-O), com procedimentos previsíveis e minima- zado com discos Sof-Lex Pop On (3M ESPE) ou mente invasivos. Nota-se, então, a harmonia es- similares, lâminas de bisturi nº 12 e lixas inter- tética do sorriso do paciente após interação da proximais. Nessa fase já é observado o aspecto estética dentária com os lábios e gengiva (Fig. melhorado do sorriso, porém sem as caracteri- P). Depois de 1 ano de acompanhamento, nota- zações superficiais (Fig. L). -se que a estética e a função devolvidas com o A mais complicada das etapas é a confecção de tratamento remodelador com resina composta abertura das ameias interproximais, de modo apresentaram sucesso clínico (Fig. Q-R). Referências 6 que se criem pontos de contatos crescentes anteroposteriores para dimensionar a convexidade Considerações finais do sorriso. Outra dica importante, para o refinamento do formato anatômico, é a realização de A reanatomização estética do sorriso é uma re- demarcações das áreas de reflexão e dispersão alidade na clínica odontológica, sendo uma téc- de luz, com lápis, diretamente nos dentes do pa- nica eficaz e com garantia de previsibilidade do ciente (Fig. M). Isso faz com que os discos de óxi- tratamento. Deve-se levar em consideração o do de alumínio de granulação média e fina sejam desejo e a opinião do paciente sobre seu sorriso, manuseados com maior precisão e garantam uma vez que o conceito de estética é algo pes- um resultado mais previsível. soal e muda de acordo com a região e a cultura. Para as caracterizações verticais, são utilizadas Ainda, o conhecimento sobre os materiais den- brocas multilaminadas de 36 lâminas ou pontas tários utilizados na odontologia adesiva atual é diamantadas finas e extrafinas (#3195). Já para necessário para que o tratamento cosmético as caracterizações horizontais (estrias horizon- seja realizado com maestria e garanta harmonia, tais), utiliza-se a ponta diamantada #3195F, a naturalidade do sorriso e satisfação do paciente. uma angulação de 45° com a estrutura do dente, na superfície vestibular.7 Finalizando o processo, pós-estabilização do tecido gengival, inicia-se a etapa do polimento, com pontas siliconadas D 1. Faria JP, Velasco AF. Enceramento diagnóstico: uma alternativa atual como fator de visualização tridimensional do caso clínico finalizado. Rev Dent Press Estét. 2010;7(4):38-41. 2. Albino LGB, Rodrigues JA. Solução conservadora para o restabelecimento do equilíbrio estético e funcional de dentes anteriores. Rev Dent Press Estét. 2012;9(1):96-105. 3. Fahl N Jr. Coronal reconstruction of a severely compromise central incisor with composite resin: a case report. J Cosmet Dent. 2010;26(1):92-113. 4. Souza-Junior EJ, Borges BCD, Bertoldo CES, Lovadino JR, Aguiar FHB, Paulillo LAMS. Restauração estética direta de dente anterior fraturado: relato de caso clínico. Rev Dent Press Estét. 2010;7(4):42-51. 5. Azevedo CGS, De Goes MF. Planejamento como instrumento de sucesso no restabelecimento do sorriso. Rev Clínica. 2011;7(3):302-10. 6. Albino LGB, Rodrigues JA, Kawano Y, Cassoni A. Knoop microhardness and FT-Raman evaluation of composite resins: influence of opacity and photoactivation source. Braz Oral Res. 2011 MayJun;25(3):267-73 7. Pena CE, Viotti RG, Dias WR, Santucci E, Rodrigues JA, Reis AF. Esthetic rehabilitation of anterior conoid teeth: comprehensive approach for improved and predictable results. Eur J Esthet Dent. 2009;4(3):210-24.