Your SlideShare is downloading. ×
tocantins-e-maranho-prospeco-de-mercados-mquinas-e-implementos-agrcolas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

tocantins-e-maranho-prospeco-de-mercados-mquinas-e-implementos-agrcolas

1,389
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,389
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Sul Setorial Metal-Mecânico Arranjo Produtivo Local – APL Pré-Colheita PMN – Prospecção de Mercado Nacional Grupo de Produto Final RELATÓRIO FINAL PROSPECÇÃO DE MERCADO DE 19 A 26 DE JUNHO 2005 NOS ESTADOS DE MARANHÃO E TOCANTINS PARA FABRICANTES DE MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS Evaldo Silva Júnior Consultor Externo Sebrae/RS evaldojunior@viamarketing.com.br Fone/Fax: (51) 575.6000 Celular: (51) 8115.3535
  • 2. ÍNDICE1. INTRODUÇÃO .......................................................................................................................... 42. DADOS SOBRE OS ESTADOS, CIDADES E POTENCIAIS PARCEIROS VISITADOS ........ 52.1. MARANHÃO ........................................................................................................................ 52.1.1. BALSAS ........................................................................................................................... 82.1.1.1. CASA SERTANEJA ..................................................................................................... 92.1.1.2. INDUSTRIAL SANTOS ..............................................................................................102.1.1.3. METAL SANTOS .......................................................................................................102.1.1.4. AGRÍCOLA BALSAS .................................................................................................112.1.1.5. ALPHA MÁQUINAS ..................................................................................................122.1.1.6. PES MÁQUINAS AGRÍCOLAS .................................................................................132.1.1.7. COMARIVE MARANHÃO LTDA ...............................................................................132.1.1.8. NEW AGRO COMERCIAL AGRÍCOLA .....................................................................152.1.1.9. LAVRONORTE ...........................................................................................................162.1.1.10. CASA DO FAZENDEIRO...........................................................................................172.1.1.11. MAQNORTE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS ........................................................172.1.1.12. RIBEIRÃO ADUBOS E SEMENTES .........................................................................172.1.1.13. MONTECH CONSULTORIA AGRONÔMICA LTDA..................................................172.1.1.14. PREFEITURA MUNICIPAL DE BALSAS – Secretaria Agricultura ......................182.1.1.15. JORNAL O CORREIO DE BALSAS ..........................................................................182.1.1.16. SEBRAE / MA...........................................................................................................182.2. TOCANTINS .......................................................................................................................202.2.1. ARAGUAÍNA..................................................................................................................262.2.1.1. TRATORPEÇAS.........................................................................................................292.2.1.2. APIAGRIL ..................................................................................................................292.2.1.3. REMAQ RECUPERADORA ......................................................................................292.2.1.4. AUTO-PEÇAS BRASIL ..............................................................................................292.2.1.5. KARTTEL PEÇAS ......................................................................................................292.2.1.6. AGROMAQ ................................................................................................................302.2.1.7. TORNEARIA SANTANA............................................................................................312.2.1.8. SIREMAK ..................................................................................................................312.2.1.9. SUPRINORTE ............................................................................................................312.2.1.10. AGROPEÇAS.............................................................................................................322.2.1.11. PAMAGRIL ................................................................................................................322.2.1.12. COMAGRIL ................................................................................................................322.2.1.13. COALTO .....................................................................................................................332.2.1.14. PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAGUAÍNA – Secretaria Ind e Com.................342.3. GUARAÍ..............................................................................................................................382.3.1. LOMAZZI AUTO PEÇAS ...............................................................................................382.3.2. AGROFARM ..................................................................................................................392.3.3. SEBRAE GUARAÍ ..........................................................................................................392.4. PEDROAFONSO................................................................................................................412.4.1. COAPA ...........................................................................................................................422.5. PARAÍSODOTOCANTINS .................................................................................................44 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 2
  • 3. 2.5.1. SEBRAE PARAÍSO .......................................................................................................442.6. PALMAS ............................................................................................................................452.6.1. FORMAQ .......................................................................................................................462.6.2. FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA DO TOCANTINS ....................................................462.6.3. SEBRAE PALMAS ........................................................................................................462.7. PORTONACIONAL ............................................................................................................472.7.1. FORMAQ GURUPI ........................................................................................................472.7.2. CURVÃO REPRESENTAÇÕES .....................................................................................482.7.3. LEINDECKER & CIA LTDA ...........................................................................................483. CONCORRÊNCIA ..................................................................................................................494. CONSIDERAÇÕES SOBRE ASPECTOS TÉCNICOS DOS PRODUTOS ..............................505. ROTEIRO DA VIAGEM DE PROSPECÇÃO ..........................................................................516. CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES PARA O GRUPO.....................................................597. ANEXOS .................................................................................................................................60 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 3
  • 4. 1. INTRODUÇÃO O Grupo de Produto Final do Arranjo Produtivo Local - APL Pré-Colheita, doSetorial Metal-Mecânico, é um grupo de empresas fabricantes de máquinas eimplementos, voltados ao mercado Agrícola, formado por 9 empresas, localizadas nascidades de Carazinho, Passo Fundo, Marau e Não-Me-Toque, no estado do Rio Grandedo Sul. As empresas participantes são: AÇOFORMA Indústria Metalúrgica Ltda Indústria DOBEL Ltda Irmãos FEYH Ltda GHIPOL do Brasil Ltda GIHAL Indústria de Implementos Agrícolas Ltda MAX – Irmãos Thonnings Ltda METAL BUSCH – Busch Indústria e Comércio Ltda SODER – Indústria Carazinhense de Tanques Ltda TECNOMA Indústria e Comércio LtdaComo uma das atividades previstas para este ano, dentro do Grupo de Produto Final -APL Pré-Colheita, realizou-se no período de 19 a 26 de Junho de 2005, visitas deprospecção de mercado nas cidades de Balsas no estado do Maranhão e Araguaína,Guaraí, Pedro Afonso, Paraíso do Tocantins, Palmas e Porto Nacional, todas no estadodo Tocantins – cidades estas escolhidas pelo grupo como alvo para a prospecção denovos clientes e a busca de informações.Os representantes do Sebrae e grupo de empresários na prospecção comercial foram:- Cloir Papke Tecnoma Indústria e Comércio Ltda- Leandro Adams Gihal Indústria de Implementos Agrícolas Ltda- Evaldo Silva Júnior Consultor Externo Sebrae/ RS Todas as informações colhidas durante este período estão compiladas nesterelatório, de forma a orientar as empresas participantes do referido projeto a inserirem-se comercialmente nas cidades acima citadas. A concretização de negócios passa inevitavelmente por um comportamento pró-ativo das empresas participantes do APL, no sentido de ajustarem seus produtos eestratégias de comercialização às necessidades expostas pelas empresas contatadasnas cidades alvo da Prospecção de Mercado. Vale ainda ressaltar a importância da pesquisa mais aprofundada sobre aidoneidade comercial e financeira de cada uma das empresas apresentadas, antes daefetivação de qualquer transação comercial. Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 4
  • 5. 2. DADOS SOBRE OS ESTADOS, CIDADES E POTENCIAIS PARCEIROS VISITADOS 2.1. MARANHÃO Dados Gerais1 Área: 331.983,293 km² População: 5.651.475 habitantes Capital: São Luís com 870.028 habitantes Densidade demográfica: 17,03 habitantes/km² Distribuição demográfica: urbana: 59,5 % - rural: 40,5 % Localização: região NE do Brasil, entre os paralelos 01º S e 10ºS Hora local: G.M.T. menos 3 (três) horas Temperatura : Apenas pequenas variações no decorrer do ano: média das mínimas: 21ºC média das máximas: 32ºC Precipitação pluviométrica média de 1200 mm a 2000 mm / ano Quantidade de Municípios: 217 PAM - Produção Agrícola Municipal 2003 (IBGE) Tabela 5 - Área plantada, área colhida, quantidade produzida, rendimento médio e produção valor da produção dos principais produtos das lavouras temporárias, segundo as Unidades da Federação - 2003 Área Área Quantidade Rendimento Valor Produtos plantada colhida produzida médio (1000 R$) (ha) (ha) (t) (kg/ha) Maranhão Abacaxi (*) (1) 1.889 1.889 39.236 20.770 10.285 Algodão herbáceo (em caroço) 3.254 3.254 10.564 3.246 32.731 Amendoim (em casca) 24 24 56 2.333 55 Arroz (em casca) 501.964 496.233 689.051 1.388 335.903 Batata-doce 18 18 29 1.611 6 Cana-de-açúcar (1) 27.920 27.920 1.703.087 60.998 91.288 Fava (em grão) 1.130 1.130 298 263 541 Feijão (em grão) 71.850 71.613 32.067 447 43.917 Mandioca (1) 165.202 164.617 1.241.190 7.539 157.529 Melancia 5.276 5.249 40.729 7.759 13.825 Melão 27 22 224 10.181 69 Milho (em grão) 359.550 352.676 381.679 1.082 138.448 Soja (em grão) 275.252 275.252 660.078 2.398 397.205 Tomate 382 382 7.476 19.570 5.968 (*) Quantidade produzida em mil frutos e rendimento médio em frutos por hectare. (1) A área plantada refere-se à área destinada à colheita no ano. PAM - Produção Agrícola Municipal 2002 (IBGE) Tabela 2 - Área plantada, área colhida, quantidade produzida, rendimento médio e1 Disponível na Internet: www.ma.gov.br – 02.07.2005 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 5
  • 6. valor da produção dos principais produtos das lavouras temporárias, segundo as mesorregiões, microrregiões e os municípios Área Área Quantidade Rendimento Valor Mesorregiões, microrregiões e os plantada colhida produzida médio (1000 municípios (ha) (ha) (t) (kg/ha) R$)Soja (em grão) MARANHÃO 238.173 238.173 561.718 2.358 200.343 Centro Maranhense 10 10 24 2.400 7 Alto Mearim E Grajau 10 10 24 2.400 7 Grajaú 10 10 24 2.400 7 Leste Maranhense 3.170 3.170 9.350 2.949 3.838 Chapadinha 550 550 1.320 2.400 509 Anapurus 250 250 600 2.400 228 Buriti 300 300 720 2.400 281 Chapadas do Alto Itapecuru 2.620 2.620 8.030 3.064 3.329 Mirador 850 850 2.720 3.200 767 Pastos Bons 920 920 2.760 3.000 1.332 Sucupira do Norte 850 850 2.550 3.000 1.230 Sul Maranhense 234.993 234.993 552.344 2.350 196.499 Porto Franco 3.870 3.870 9.230 2.385 3.298 Carolina 3.400 3.400 7.820 2.300 2.424 Estreito 470 470 1.410 3.000 874 Gerais de Balsas 168.677 168.677 396.956 2.353 138.935 Alto Parnaíba 7.057 7.057 16.224 2.298 5.678 Balsas 77.619 77.619 186.286 2.400 65.200 Riachão 21.800 21.800 50.140 2.300 17.549 Tasso Fragoso 62.201 62.201 144.306 2.319 50.507 Chapadas das Mangabeiras 62.446 62.446 146.158 2.340 54.266 Benedito Leite 250 250 600 2.400 290 Fortaleza dos Nogueiras 8.345 8.345 19.861 2.379 6.951 Loreto 7.432 7.432 17.094 2.300 5.983 Sambaíba 22.022 22.022 50.664 2.300 17.732 São Domingos do Azeitão 9.150 9.150 22.875 2.500 11.037 São Raimundo dasMangabeiras 15.247 15.247 35.064 2.299 12.272Milho (em grão) MARANHÃO 314.569 313.822 317.108 1.010 91.113 Norte Maranhense 35.055 35.055 20.192 576 6.308 Litoral Ocidental Maranhense 2.324 2.324 1.118 481 341 Rosario 2.523 2.523 1.098 435 342 Lencois Maranhenses 5.288 5.288 2.479 468 907 Baixada Maranhense 14.773 14.773 11.137 753 3.369 Itapecuru Mirim 10.147 10.147 4.360 429 1.350 Oeste Maranhense 78.022 78.022 78.881 1.011 21.539 Gurupi 5.475 5.475 3.810 695 892 Pindare 60.233 60.233 55.422 920 13.577 Imperatriz 12.314 12.314 19.649 1.595 7.070 Centro Maranhense 93.423 93.423 76.717 821 18.310 Medio Mearim 32.907 32.907 19.582 595 4.583 Alto Mearim E Grajau 34.271 34.271 34.645 1.010 9.002 Presidente Dutra 26.245 26.245 22.490 856 4.725 Leste Maranhense 80.312 79.565 43.119 541 13.069 Baixo Parnaiba Maranhense 5.630 5.630 1.932 343 951 Chapadinha 14.154 14.154 10.397 734 3.060 Codo 17.239 17.239 7.810 453 2.240 Coelho Neto 4.246 4.246 1.737 409 530 Caxias 22.455 21.708 6.462 297 1.856 Chapadas do Alto Itapecuru 16.588 16.588 14.781 891 4.432 Sul Maranhense 27.757 27.757 98.199 3.537 31.887 Porto Franco 7.799 7.799 17.853 2.289 6.614 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 6
  • 7. PAM - Produção Agrícola Municipal 2002 (IBGE)Tabela 2 - Área plantada, área colhida, quantidade produzida, rendimento médio e valor da produção dos principais produtos das lavouras temporárias, segundo as mesorregiões, microrregiões e os municípios Área Área Quantidade Rendimento Valor Mesorregiões, microrregiões e os plantada colhida produzida médio (1000 municípios (ha) (ha) (t) (kg/ha) R$) Carolina 994 994 1.861 1.872 651 Estreito 2.485 2.485 5.840 2.350 2.283 Porto Franco 950 950 2.280 2.400 873 São João do Paraíso 2.520 2.520 5.922 2.350 2.221 São Pedro dos Crentes 850 850 1.950 2.294 585 Gerais de Balsas 13.215 13.215 61.090 4.622 19.393 Alto Parnaíba 600 600 1.314 2.190 460 Balsas 3.500 3.500 16.860 4.817 5.901 Feira Nova do Maranhão 1.020 1.020 3.146 3.084 1.101 Riachão 2.395 2.395 9.930 4.146 2.979 Tasso Fragoso 5.700 5.700 29.840 5.235 8.952 Chapadas das Mangabeiras 6.743 6.743 19.256 2.855 5.880Arroz (em casca) MARANHÃO 479.525 478.171 628.672 1.314 254.223 Norte Maranhense 47.010 47.010 55.293 1.176 19.685 Oeste Maranhense 139.229 139.229 198.024 1.422 74.291 Centro Maranhense 115.856 115.856 154.075 1.329 61.001 Leste Maranhense 131.297 129.943 144.665 1.113 64.651 Sul Maranhense 46.133 46.133 76.615 1.660 34.595 Porto Franco 10.211 10.211 16.322 1.598 6.915 Campestre do Maranhão 665 665 936 1.407 374 Carolina 2.445 2.445 3.506 1.433 1.578 Estreito 3.230 3.230 5.523 1.709 2.298 Porto Franco 536 536 940 1.753 392 São João do Paraíso 2.035 2.035 3.287 1.615 1.315 São Pedro dos Crentes 1.300 1.300 2.130 1.638 959 Gerais de Balsas 18.290 18.290 35.196 1.924 15.838 Alto Parnaíba 1.100 1.100 1.016 923 457 Balsas 10.098 10.098 21.327 2.112 9.597 Feira Nova do Maranhão 1.320 1.320 2.550 1.931 1.148 Riachão 2.422 2.422 5.208 2.150 2.344 Tasso Fragoso 3.350 3.350 5.095 1.520 2.293 Chapadas das Mangabeiras 17.632 17.632 25.097 1.423 11.842Feijão (em grão) MARANHÃO 67.541 67.476 29.208 432 36.003 Norte Maranhense 9.672 9.607 3.244 337 4.023 Oeste Maranhense 15.503 15.503 7.583 489 8.236 Centro Maranhense 18.775 18.775 8.760 466 10.979 Leste Maranhense 21.589 21.589 8.034 372 10.875 Sul Maranhense 2.002 2.002 1.587 792 1.889 Porto Franco 694 694 334 481 393 Campestre do Maranhão 83 83 40 481 48 Carolina 15 15 5 333 6 Estreito 244 244 116 475 140 Porto Franco 76 76 36 473 42 São João do Paraíso 191 191 91 476 102 São Pedro dos Crentes 85 85 46 541 55 Gerais de Balsas 736 736 874 1.187 1.049 Alto Parnaíba 8 8 2 250 2 Balsas 200 200 330 1.650 396 Feira Nova do Maranhão 40 40 27 675 32 Riachão 480 480 513 1.068 616 Tasso Fragoso 8 8 2 250 2 Chapadas das Mangabeiras 572 572 379 662 448 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 7
  • 8. 2.1.1. BALSAS Balsas2 é uma cidade tipicamente formada por pessoas de todas as etnias, abrangendo um enorme número de nordestinos e sulistas que aqui descobriram uma região propícia para o trabalho e um povo caloroso e receptivo. Balsas dispõem de uma grande área rural que contem terras muito férteis onde hoje existem grandes fazendas de plantio de soja, milho, algodão e arroz, além da fruticultura. A cidade dispõe de saídas asfálticas para todas as capitais do Norte e Nordeste, além de um aeroporto de pequeno porte. Várias empresas de transporte de cargas e passageiros estão aqui sediadas assim como cooperativas, empresas de desenvolvimento tecnológico, hotéis, restaurantes, empresas de telefonia fixa e móvel, empresas de informática e Internet. AGRICULTURA Tendo seu grande impulso na introdução do cultivo de grãos alimentares, como arroz, a soja e o milho, a agricultura de Balsas evolui e se diversifica com a introdução da fruticultura, algodão, piscicultura e confinamento de gado, alimentado com silagem de milho e sorgo. A produtividade e a facilidade de comercialização dada pela logística, fazem a região ser considerada como a melhor alternativa de investimentos no setor agrícola do Brasil e um dos melhores do mundo. A safra 2003 movimentou, do plantio ate a comercialização dos grãos, um volume de recursos da ordem de U$700.000.000. Junto com o crescimento na área agrícola vêm a reboque o comércio, a construção civil e o setor de serviços. O cultivo de Soja è a grande locomotiva que puxa a economia de Balsas a velocidade de 8.5% ao ano de taxa de crescimento. Existem várias opções de lazer e turismo na cidade de Balsas e em toda a região do Sul do Maranhão. No turismo destacam-se a Cachoeira das Três Marias, Cachoeira do Macapá, Parque Ecológico Santa Luzia. Na região encontram-se outros pontos turísticos como Cachoeira do Cocal e Frutuoso (Riachão), Cachoeiras do Itapecuru e Cachoeira da Pedra Caída (Carolina). No lazer destaca-se a descida de bóia do Rio Balsas, Beira Rio, Ponte de Madeira do Rio Balsas, Ponte de Madeira do Rio Maravilha2 Disponível na Internet: www.balsas.ma.gov.br – 02.07.2005 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 8
  • 9. 2.1.1.1. CASA SERTANEJA Contatos – Sr. Wilson e Sr. Junior Preço Saca de Soja em US$ é bom o problema é o Câmbio Colheita foi boa Compra de insumos lastreados em US$ Queda na venda do comércio de 50% em relação ao ano anterior Soja o plantio é em Novembro e Dezembro Interesses o Betoneiras o Misturador de Ração Tambor, em plástico rotomoldado o Fibra de Vidro – caixas d´água, pias e tanques Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 9
  • 10. 2.1.1.2. INDUSTRIAL SANTOS Contato – Sr. Manoel Santos A colheita foi boa Preço ruim Trabalha com metalúrgica e esquadrias Seus Clientes são agricultores Interesses o Silos, baias, transportadores o Lâmina Patrola2.1.1.3. METAL SANTOS Contato – Sr. Manoel Santos Mesmo dono da Industrial Santos Trabalha com ferramentas, tubos, chaparias Interesses o Peças e Componentes para máquinas agrícolas Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 10
  • 11. 2.1.1.4. AGRÍCOLA BALSAS Contato – Sr. Nilton A empresa é revenda Agrale Visitou Agrishow na Bahia Informou que a região dispõe de 2 milhões h.a. agricultáveis para soja, sendo que até agora existe plantado somente 350 mil h.a., ou seja, perspectiva de grande crescimento O mercado vem crescendo a taxa de 20% a.a. Faturou em 2004, cerca de R$ 5 milhões. Em 2005 está com 20% do total de 2004, mas está com boas expectativas para o 2º semestre Iniciou trabalho com Stara – modelo 6150 – máquina grande de 140 cv – cujo preço é em torno de R$ 140 mil Também trabalha com a plantadeira Tatu ao preço de R$ 31 mil Conhece as empresas MAX e Busch Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 11
  • 12. Interesses o Guinchos para Big Bag o Fornos Campeiros o Pulverizador Auto-Propelido o Lâmina Patrola o Plantadeiras2.1.1.5. ALPHA MÁQUINAS Contato – Sr. Nivaldo Pecharki Revenda Massey Ferguson Tem unidades em Imperatriz, Chapadinha e São Luis no Maranhão, e em Teresina no Piauí Faturamento de R$ 9 milhões em 2002, R$ 16 milhões em 2003 e R$ 29 milhões em 2004 Vendeu em 2004, 56 tratores e 28 Colheitadeiras Interesse o Pulverizador Auto-Propelido Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 12
  • 13. 2.1.1.6. PES MÁQUINAS AGRÍCOLAS Contato – Sr. João Carlos Pés Revenda CASE IiI Trabalha com Plantadeiras grandes 24 linhas È importante efetuar demonstrações de produtos Interesse o Guinchos para Big Bag2.1.1.7. COMARIVE MARANHÃO LTDA Contato – Sr. Francisco Duarte de Medeiros (Chico) Revenda VALTRA Inicialmente era filial de Ponta Grossa - PR O mercado absorve plantadeiras maiores de 15 linhas para mais – 18, 21, 25 linhas Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 13
  • 14. Plantio ocorre de 25 de Novembro a 15 de Dezembro Concorrentes com os quais tem contato o Grazmeq o Vence Tudo o Valmet o Tatu o Jumil o Kepler Weber o Consilos o Jan o Stara o Jataí Considera que atualmente o mercado do Piauí é maior que o mercado do Maranhão Grande problema do mercado é logístico, pela distância de 3.500 km Salienta que há uma carência enorme no mercado para Fundição e Usinagem, embora esteja próximo do fornecimento de matéria-prima, o ferro gusa de Açailândia Colocou que já vendeu muitos equipamentos MAX no Paraná, principalmente Boca de Milho 40 a 50 cm, mas hoje não tem mais contato algum Interesses o Silos – mas há necessidade de atuação local ou regionalizada para poder atender o mercado o Guinchos para Big Bag Frontal o Forno Campeiro o Betoneira para uso como misturador de semente o Distribuidor de Calcário o Plantadeira para uso tanto em soja quanto em trigo, sem precisar ajustar ou trocar componentesConsultor Externo – Evaldo Silva Junior 14
  • 15. 2.1.1.8. NEW AGRO COMERCIAL AGRÍCOLA Contato – Sr. Célio Antônio Weiler Revenda New Holland Presidente da FAPCEN - Fundação de Apoio à Pesquisa do Corredor de Exportação Norte (Porto Franco – São Luís), que agrega vários setores da sociedade e que desenvolve pesquisas na área agrícola Conhece a linha de produtos da MAX Considera o mercado com grande perspectiva de crescimento Ressaltou que, em termos logísticos, a proximidade com a cidade de Porto Franco, facilita o escoamento inclusive para exportação via São Luís do Maranhão Interesses o Pulverizador Auto-Propelido o Lâmina Patrola Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 15
  • 16. o Betoneira para mistura de sementes o Guincho para Big Bag2.1.1.9. LAVRONORTE Contato – Sr. Nelson Revenda John Deere Projeta grande crescimento do soja, pelos próximos 3 anos, em Maranhão, Tocantins e Piauí No Piauí, indica a cidade de Urussuí e no Maranhão - Alto Parnaíba, como bons mercados de prospecção; entretanto são áreas grandes de investidores de Teresina-PI, da Bahia e do Distrito Federal O mercado é para Plantadeiras acima de 12 linhas Indicou que Plantadeiras só com a caixa de semente têm sido solicitadas pelos Clientes Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 16
  • 17. Considera o frete para o atendimento à região o grande obstáculo, pois custa cerca de 6% do RS para SP + 7% de SP para o Maranhão Avaliou que os preços, das Plantadeiras das empresas participantes, estão excelentes O preço da saca de soja no mercado está em US$ 12,50 que é muito bom, mas o problema é a taxa de câmbio Há espaço no mercado para diversificação de atividades, tais como criação de porcos, frangos, peixes, e também a instalação de frigoríficos Ressaltou também as vantagens logísticas pela proximidade com a cidade de Porto Franco, que facilita o escoamento da produção, inclusive para exportação via São Luís do Maranhão Sua unidade faturou R$ 52 milhões em 2004 e até o momento já vendeu 17 colheitadeiras grandes e tratores de 140 cv Interesses o Silos, têm grande mercado, pois somente as grandes companhias, tipo BUnge, tem disponível o Lâmina Patrola o Guinchos para Big Bag2.1.1.10. CASA DO FAZENDEIRO Contato – Sr. José Carlos Eduardo Feitosa Loja de materiais de construção que vende alguns itens para a área agrícola Tem entre seus clientes também lavoureiros da região2.1.1.11. MAQNORTE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Contato – Sra. Isaura Revenda Stihl motosseras da região Faz parte do grupo da empresa New Agro - Sr. Célio2.1.1.12. RIBEIRÃO ADUBOS E SEMENTES Contato – Sr. José Antônio Gorgen Seus armazéns gerais têm capacidade de armazenar 30.000 toneladas de grãos Tem 1 misturadora de adubos e 3 ensacadeiras que produzem 8 sacos por minuto, de 50 kg cada, e uma balança de 1 tonelada para carregamento em “big bag”2.1.1.13. MONTECH CONSULTORIA AGRONÔMICA LTDA Contato – Sr. Márcio Montechese É o Secretário da Agricultura do município de Balsas Forneceu informações à cerca do município, do setor agrícola e das perspectivas mercadológicas da região Indicou como fortes na região os fabricantes Jumil e John Deere A área agricultável da região é de 2 milhões de há, sendo atualmente plantados somente 400 mil/h.a. de soja e 100 mil/h.a. de trigo/arroz Diretor do FAPCEN – Fundação de Apoio à Pesquisa do Corredor de Exportação Norte (Porto Franco – São Luís) Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 17
  • 18. Interesses o Coletor de Amostras de Solo o Silos o Tanques o Materiais em Fibra de Vidro o Forno Campeiro o Betoneira para semente e adubo o Lâmina Patrola o Plantadeiras2.1.1.14. PREFEITURA MUNICIPAL DE BALSAS – Secretaria Agricultura Contatos – Srs. Erivaldo Alves Fonseca / Paulo Fonseca Apresentaram toda a infra-estrutura disponível no município para atração de empresas que desejam instalar-se em Balsas no Maranhão Disponibilizaram viaturas e acompanharam as visitas às empresas Organizaram conjuntamente com o Sebrae/MA os agendamentos na cidade2.1.1.15. JORNAL O CORREIO DE BALSAS Contato – Sra. Maria dos Reis Efetuou entrevista com os empresários e consultor Sebrae/RS, divulgando a prospecção de mercados2.1.1.16. SEBRAE / MA Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 18
  • 19. Contatos – Srs. Mauro Andrade e Joelma Araújo Pinheiro Organizaram os agendamentos com as empresas da região e a interação com a Prefeitura Municipal de Balsas Disponibilizaram viatura e motorista para acompanhar as visitas de prospecção Forneceram todo o suporte logístico necessário ao bom andamento dos trabalhos Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 19
  • 20. 2.2. TOCANTINS O Estado do Tocantins3 está localizado no Centro Geodésico do Brasil, e possui uma área de 278.420,7 Km2. Com uma população de 1.157.098 (IBGE 2000), o Estado faz divisa com seis Estados: Pará, Maranhão, Piauí, Bahia, Mato Grosso e Goiás. Por estar em uma área de transição, apresenta características climáticas e físicas tanto da Amazônia Legal quanto na zona central do Brasil, com duas estações: seca e chuvosa. O clima é tropical e a vegetação predominante é o cerrado, que cobre 87,8% da área total do Estado. O restante é ocupado por florestas. O relevo tocantinense é formado por depressões na maior parte do território, planaltos a Sul e Nordeste, e planícies na região central. O ponto mais elevado é a Serra Traíras (1.340 metros). O Tocantins é dono de muitas belezas naturais, entre elas a Ilha do Bananal, a maior ilha fluvial do mundo, localizada na região sudoeste do Estado, onde também estão o Parque Nacional do Araguaia e o Parque Nacional Indígena. A atividade comercial é concentrada nos principais centros urbanos, dada a proximidade da BR-153 (rodovia Belém-Brasília). A indústria ainda é iniciante, mas com predomínio das atividades alimentares. A autonomia energética e a pavimentação asfáltica da maioria das estradas estaduais estão facilitando a entrada de novos investidores na área industrial. O Estado tem cinco distritos industriais. O comércio no Tocantins tem força nos gêneros de primeira necessidade: produtos alimentícios, vestuário, calçados e produtos químico-farmacêuticos. O Tocantins também possui grande potencial agrícola. Segundo um levantamento do projeto Radam-Brasil, 60% da superfície do Estado são de solos agricultáveis e mais de 25% apresentam condições de produção se utilizada a tecnologia já disponível. Técnicas de preparo do solo e correção de acidez, assim como fórmulas de fertilização, para algumas culturas como a soja, desenvolvidos pela pesquisa genética, já são conhecidas e utilizadas largamente nos solos do cerrado. A cada ano, surgem novas fronteiras agrícolas no Estado. A soja é o carro chefe. Só nos últimos quatro anos a produção saltou de 20 mil toneladas para 263 mil toneladas. Só o Prodecer III, em Pedro Afonso, projeto estimulado e incentivado pelo Governo do Estado, foi responsável, em 2002, por 40% da área plantada. O Estado possui recursos hídricos em abundância, com estação chuvosa bem definida e balanço hídrico favorável nos meses mais secos. É no Tocantins que se encontra a maior área contínua apta para a cultura irrigada, com aproximadamente 1,2 milhão de hectares no3 Disponível na Internet: www.to.gov.br 03.07.2005 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 20
  • 21. vale do Rio Javaés. As condições climáticas são favoráveis à fruticultura, inclusive para a exportação, além do cultivo de especiarias e essências amazônicas do cerrado, a expansão de corantes vegetais, como o urucum. A necessidade brasileira de aumentar a produção de alimentos para os mercados interno e externo coloca o Tocantins como a fronteira agrícola em excelentes condições em relação ao circuito produtivo da economia nacional. PAM - Produção Agrícola Municipal 2002 (IBGE) Tabela 2 - Área plantada, área colhida, quantidade produzida, rendimento médio e valor da produção dos principais produtos das lavouras temporárias, segundo as mesorregiões, microrregiões e os municípios Área Área Quantidade Rendimento Valor Mesorregiões, microrregiões e os plantada colhida produzida médio (1000 municípios (ha) (ha) (t) (kg/ha) R$)Soja (em grão) TOCANTINS 107.377 107.377 244.329 2.275 93.149 Ocidental do Tocantins 26.147 26.147 63.227 2.418 19.711 Araguaina 104 104 208 2.000 97 Araguaína 104 104 208 2.000 97 Miracema do Tocantins 4.570 4.570 10.746 2.351 3.876 Fortaleza do Tabocão 100 100 240 2.400 96 Guaraí 270 270 540 2.000 151 Pequizeiro 200 200 400 2.000 114 Presidente Kennedy 450 450 900 2.000 252 Tupirama 2.700 2.700 6.966 2.580 2.786 Tupiratins 850 850 1.700 2.000 476 Rio Formoso 14.770 14.770 36.604 2.478 11.026 Dueré 1.450 1.450 3.095 2.134 932 Formoso do Araguaia 12.840 12.840 32.357 2.520 9.748 Lagoa da Confusão 480 480 1.152 2.400 346 Gurupi 6.703 6.703 15.669 2.337 4.713 Alvorada 1.740 1.740 4.176 2.400 1.258 Brejinho de Nazaré 1.900 1.900 4.180 2.200 1.254 Crixás do Tocantins 200 200 480 2.400 145 Figueirópolis 600 600 1.500 2.500 452 Peixe 250 250 437 1.748 132 Santa Rita do Tocantins 600 600 1.320 2.200 396 Sucupira 163 163 326 2.000 98 Talismã 1.250 1.250 3.250 2.600 979 Oriental do Tocantins 81.230 81.230 181.102 2.229 73.438 Porto Nacional 38.310 38.310 97.302 2.539 37.640 Aparecida do Rio Negro 670 670 1.608 2.400 531 Bom Jesus do Tocantins 2.900 2.900 7.482 2.580 2.993 Monte do Carmo 1.500 1.500 3.600 2.400 1.080 Palmas 2.000 2.000 4.200 2.100 1.092 Pedro Afonso 30.300 30.300 78.174 2.580 31.270 Porto Nacional 880 880 2.112 2.400 634 Silvanópolis 60 60 126 2.100 42 Jalapao 33.220 33.220 67.149 2.021 28.661 Campos Lindos 20.000 20.000 48.000 2.400 22.368 Itacajá 200 200 400 2.000 106 Mateiros 13.020 13.020 18.749 1.440 6.187 Dianopolis 9.700 9.700 16.651 1.716 7.137 Almas 200 200 300 1.500 138 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 21
  • 22. PAM - Produção Agrícola Municipal 2002 (IBGE) Tabela 2 - Área plantada, área colhida, quantidade produzida, rendimento médio e valor da produção dos principais produtos das lavouras temporárias, segundo as mesorregiões, microrregiões e os municípios Área Área Quantidade Rendimento Valor Mesorregiões, microrregiões e os plantada colhida produzida médio (1000 municípios (ha) (ha) (t) (kg/ha) R$) Dianópolis 5.150 5.150 7.725 1.500 3.561 Novo Jardim 800 800 1.200 1.500 533 Santa Rosa do Tocantins 2.260 2.260 5.464 2.417 2.022 São Valério da Natividade 90 90 162 1.800 49 Taguatinga 1.200 1.200 1.800 1.500 835Sorgo granífero (em grão) TOCANTINS 960 960 1.375 1.432 201 Ocidental do Tocantins 960 960 1.375 1.432 201 Araguaina 260 260 325 1.250 49 Araguaína 260 260 325 1.250 49 Gurupi 700 700 1.050 1.500 152 Alvorada 700 700 1.050 1.500 152Milho (em grão) TOCANTINS 64.280 64.160 126.700 1.974 35.951 Ocidental do Tocantins 43.405 43.325 72.186 1.666 19.511 Bico do Papagaio 8.580 8.580 10.996 1.281 3.296 Araguatins 1.500 1.500 2.070 1.380 662 Augustinópolis 900 900 1.350 1.500 432 Araguaina 10.693 10.693 14.440 1.350 3.611 Araguaína 4.220 4.220 5.540 1.312 1.296 Filadélfia 800 800 960 1.200 264 Wanderlândia 1.000 1.000 1.100 1.100 256 Miracema do Tocantins 9.560 9.530 16.014 1.680 4.582 Colméia 2.500 2.500 4.500 1.800 1.283 Goianorte 1.400 1.400 2.520 1.800 718 Guaraí 450 450 810 1.800 231 Rio Formoso 6.990 6.940 15.490 2.231 4.308 Araguaçu 800 800 1.680 2.100 391 Chapada de Areia 80 80 120 1.500 32 Cristalândia 900 900 1.620 1.800 535 Dueré 750 750 1.572 2.096 366 Fátima 100 100 210 2.100 63 Formoso do Araguaia 1.000 1.000 1.800 1.800 419 Lagoa da Confusão 950 950 4.600 4.842 1.380 Nova Rosalândia 400 400 640 1.600 211 Oliveira de Fátima 300 300 450 1.500 135 Paraíso do Tocantins 350 350 560 1.600 168 Pium 450 450 810 1.800 267 Pugmil 60 60 108 1.800 36 Sandolândia 850 800 1.320 1.650 304 Gurupi 7.582 7.582 15.246 2.010 3.714 Aliança do Tocantins 380 380 646 1.700 151 Alvorada 557 557 1.183 2.123 272 Brejinho de Nazaré 520 520 1.040 2.000 343 Cariri do Tocantins 400 400 680 1.700 156 Crixás do Tocantins 150 150 247 1.646 58 Figueirópolis 825 825 1.945 2.357 447 Gurupi 900 900 1.800 2.000 405 Jaú do Tocantins 400 400 600 1.500 140 Palmeirópolis 350 350 490 1.400 114 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 22
  • 23. PAM - Produção Agrícola Municipal 2002 (IBGE) quantidade Tabela 2 - Área plantada, área colhida, quantidade produzida, rendimento médio e valor da produção dos principais produtos das lavouras temporárias, segundo as mesorregiões, microrregiões e os municípios Área Área Quantidade Rendimento ValorMesorregiões, microrregiões e os plantada colhida produzida médio (1000 municípios (ha) (ha) (t) (kg/ha) R$) Peixe 800 800 1.360 1.700 313 Santa Rita do Tocantins 900 900 1.350 1.500 405 São Salvador do Tocantins 150 150 225 1.500 52 Sucupira 300 300 450 1.500 105 Talismã 950 950 3.230 3.400 753 Oriental do Tocantins 20.875 20.835 54.514 2.616 16.441 Porto Nacional 4.960 4.920 12.769 2.595 4.098 Aparecida do Rio Negro 400 400 850 2.125 281 Bom Jesus do Tocantins 100 100 150 1.500 40 Ipueiras 200 200 400 2.000 108 Lajeado 40 40 50 1.250 16 Monte do Carmo 600 600 1.200 2.000 396 Palmas 350 350 780 2.228 187 Pedro Afonso 470 430 2.064 4.800 826 Porto Nacional 1.480 1.480 4.440 3.000 1.465 Santa Maria do Tocantins 400 400 640 1.600 182 Silvanópolis 830 830 2.075 2.500 560 Tocantínia 90 90 120 1.333 37 Jalapao 5.355 5.355 7.621 1.423 2.094 Barra do Ouro 250 250 275 1.100 64 Campos Lindos 1.500 1.500 1.950 1.300 454 Centenário 250 250 400 1.600 112 Goiatins 700 700 784 1.120 183 Itacajá 350 350 700 2.000 200 Itapiratins 300 300 500 1.666 143 Lagoa do Tocantins 100 100 150 1.500 50 Lizarda 70 70 70 1.000 18 Mateiros 215 215 442 2.055 146 Novo Acordo 100 100 150 1.500 50 Ponte Alta do Tocantins 500 500 750 1.500 248 Recursolândia 400 400 650 1.625 185 Rio Sono 260 260 260 1.000 68 Santa Tereza do Tocantins 300 300 450 1.500 149 São Félix do Tocantins 60 60 90 1.500 27 Dianopolis 10.560 10.560 34.124 3.231 10.249 Almas 300 300 840 2.800 254 Arraias 500 500 1.500 3.000 454 Aurora do Tocantins 400 400 1.680 4.200 483 Chapada da Natividade 200 200 560 2.800 167 Combinado 400 400 1.320 3.300 381 Conceição do Tocantins 200 200 520 2.600 160 Dianópolis 380 380 1.045 2.750 329 Lavandeira 150 150 450 3.000 133 Natividade 300 300 900 3.000 26 Novo Alegre 170 170 540 3.176 157 Novo Jardim 120 120 325 2.708 97 Paranã 450 450 675 1.500 157 Pindorama do Tocantins 3.000 3.000 9.000 3.000 2.970 Ponte Alta do Bom Jesus 400 400 1.600 4.000 473 Porto Alegre do Tocantins 250 250 750 3.000 223 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 23
  • 24. Agrícola PAM - Produção Agrícola Municipal 2002 (IBGE) Tabela 2 - Área plantada, área colhida, quantidade produzida, rendimento médio e valor da produção dos principais produtos das lavouras temporárias, segundo as mesorregiões, microrregiões e os municípios Área Área Quantidade Rendimento Valor Mesorregiões, microrregiões e os plantada colhida produzida médio (1000 municípios (ha) (ha) (t) (kg/ha) R$) Rio da Conceição 60 60 120 2.000 36 Santa Rosa do Tocantins 110 110 264 2.400 87 São Valério da Natividade 170 170 255 1.500 59 Taguatinga 2.800 2.800 11.200 4.000 3.430 Taipas do Tocantins 200 200 580 2.900 173 casca)Arroz (em casca) TOCANTINS 146.908 138.986 309.979 2.230 118.119 Ocidental do Tocantins 103.488 97.886 246.673 2.520 93.315 Bico do Papagaio 10.940 10.940 14.415 1.317 6.669 Araguatins 2.100 2.100 3.024 1.440 1.512 Esperantina 1.000 1.000 1.320 1.320 528 Palmeiras do Tocantins 800 800 1.056 1.320 528 Araguaina 6.540 6.440 8.118 1.260 3.007 Aragominas 300 200 220 1.100 95 Araguaína 600 600 660 1.100 286 Babaçulândia 700 700 840 1.200 353 Bandeirantes do Tocantins 400 400 600 1.500 180 Filadélfia 600 600 720 1.200 288 Wanderlândia 1.000 1.000 1.200 1.200 480 Xambioá 240 240 288 1.200 115 Miracema do Tocantins 12.040 11.650 16.476 1.414 5.187 Caseara 1.000 920 1.196 1.300 359 Divinópolis do Tocantins 1.000 920 1.196 1.300 398 Dois Irmãos do Tocantins 1.000 1.000 1.200 1.200 360 Guaraí 400 400 640 1.600 192 Marianópolis do Tocantins 2.000 1.820 2.730 1.500 928 Rio Formoso 59.220 54.580 179.796 3.294 68.819 Cristalândia 1.200 1.200 2.970 2.475 1.247 Dueré 5.210 5.010 14.954 2.984 4.860 Formoso do Araguaia 16.770 13.530 53.382 3.945 17.429 Lagoa da Confusão 24.900 23.750 82.080 3.456 34.474 Nova Rosalândia 1.600 1.600 1.920 1.200 806 Paraíso do Tocantins 600 550 770 1.400 256 Pium 6.500 6.500 20.100 3.092 8.442 Gurupi 14.748 14.276 27.868 1.952 9.633 Brejinho de Nazaré 3.000 3.000 5.400 1.800 1.998 Crixás do Tocantins 1.100 1.100 3.980 3.618 1.294 Figueirópolis 1.200 1.080 1.080 1.000 324 Gurupi 955 943 1.126 1.194 366 Peixe 1.600 1.600 1.520 950 456 Santa Rita do Tocantins 3.200 3.200 9.800 3.062 3.626 Oriental do Tocantins 43.420 41.100 63.306 1.540 24.804 Porto Nacional 12.885 12.675 22.625 1.785 8.492 Monte do Carmo 1.800 1.800 3.780 2.100 1.588 Palmas 1.000 1.000 1.500 1.500 480 Pedro Afonso 2.240 2.100 5.040 2.400 1.678 Porto Nacional 3.110 3.110 5.598 1.800 2.351 Silvanópolis 2.175 2.175 3.263 1.500 1.207 Jalapao 18.440 16.530 23.571 1.425 9.715 Campos Lindos 8.000 8.000 12.000 1.500 5.196 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 24
  • 25. PAM - Produção Agrícola Municipal 2002 (IBGE) Tabela 2 - Área plantada, área colhida, quantidade produzida, rendimento médio e lavouras valor da produção dos principais produtos das lavouras temporárias, segundo as mesorregiões, microrregiões e os municípios Área Área Quantidade Rendimento Valor Mesorregiões, microrregiões e os plantada colhida produzida médio (1000 municípios (ha) (ha) (t) (kg/ha) R$) Mateiros 4.840 2.990 3.767 1.259 1.582 Ponte Alta do Tocantins 1.600 1.600 2.880 1.800 1.210 Dianopolis 12.095 11.895 17.110 1.438 6.597 Pindorama do Tocantins 5.000 5.000 9.000 1.800 3.330 Santa Rosa do Tocantins 1.200 1.200 1.920 1.600 710Feijão (em grão) TOCANTINS 6.746 6.746 3.807 564 3.722 Ocidental do Tocantins 5.466 5.466 2.855 522 2.782 Bico do Papagaio 2.760 2.760 1.608 582 1.620 Araguatins 600 600 396 660 396 Augustinópolis 180 180 108 600 108 Axixá do Tocantins 170 170 102 600 102 Buriti do Tocantins 120 120 72 600 72 Esperantina 220 220 132 600 132 Praia Norte 170 170 102 600 102 São Bento do Tocantins 100 100 60 600 60 São Miguel do Tocantins 130 130 78 600 78 São Sebastião do Tocantins 90 90 54 600 54 Sítio Novo do Tocantins 100 100 60 600 60 Tocantinópolis 70 70 42 600 42 Araguaina 1.320 1.320 492 372 499 Aragominas 60 60 21 350 21 Araguaína 180 180 100 555 125 Babaçulândia 100 100 40 400 41 Colinas do Tocantins 100 100 40 400 35 Filadélfia 120 120 45 375 46 Muricilândia 60 60 24 400 24 Nova Olinda 100 100 25 250 23 Miracema do Tocantins 1.130 1.130 307 271 299 Rio Formoso 130 130 171 1.315 170 Lagoa da Confusão 110 110 165 1.500 165 Nova Rosalândia 20 20 6 300 5 Gurupi 126 126 277 2.198 194 Sucupira 126 126 277 2.198 194 Oriental do Tocantins 1.280 1.280 952 743 940 Porto Nacional 470 470 630 1.340 686 Aparecida do Rio Negro 80 80 204 2.550 187 Palmas 190 190 152 800 122 Pedro Afonso 60 60 60 1.000 30 Porto Nacional 80 80 202 2.525 337 Santa Maria do Tocantins 60 60 12 200 10 Jalapao 810 810 322 397 254 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 25
  • 26. 2.2.1. ARAGUAÍNA O município de Araguaina4, segundo estimativas do IBGE (agosto de 2003) possui 120.213 (cento e vinte mil duzentos e treze) habitantes e está localizado na região norte do Estado do Tocantins. Com 46 (quarenta e seis) anos de emancipação, a cidade é o maior centro econômico do Estado. A macro região de Araguaina possui uma população estimada em 2.000.000 (dois milhões) de habitantes e está diretamente associada à construção da rodovia Belém-Brasília, agroindústria, educação superior e qualidade em saúde. Atualmente ela é considerada um importante pólo-econômico de negócios5, tanto para o Estado do Tocantins como para os Estados vizinhos como Maranhão e Pará.4 Disponível na Internet: www.araguaina.to.gov.br – 03.07.20055 Disponível no Anexo - fornecido pela Secretaria de Indústria e Comércio de Araguaína / TO Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 26
  • 27. Informações detalhadas no anexoHistóricoOs Silvícolas da tribo Carajás, foram os primitivos habitantes daregião compreendida entre os Rios andorinhas e Lontra, afluentespela margem direita do Rio Araguaia.Mais tarde,formou-se opovoado com o nome de Lontra.Em 1949, o povoado Lontra passou a integrar o recém-criadomunicípio de Filadélfia. No mesmo ano, sua denominação foimudada para Araguaina, em decorrência do Rio Araguaia. Em1953, foi transformado o Distrito e, em 1958, foi criado oMunicípio de Araguaina pela Lei Estadual nº 2.125/58 de14/11/58, instalado em 1959.Em 1960, com a implantação da rodovia Belém-Brasília, aeconomia do município começou a desenvolver-se comdinamismo, apoiada nas atividades do setor primário, basicamentea pecuária. Atualmente, é uma das maiores cidades do Estado esua população advém de várias regiões do país, na maioria deEstados vizinhos, Maranhão e Pará.Aspectos DemográficosPopulação Total: 137.051 habitantes (Conforme dados SIABMUN(Out/03)) e 120.213 habitantes (Conforme estimativas IBGEAgo/2003)ASPECTOS FÍSICOSEspaço GeográficoO município de Araguaina é atualmente, um dos mais populososde todo o estado do Tocantins. O senso de 2000 confere aomunicípio 113.000 habitantes, segundo dados colhidos pelo IBGE,e atualmente a última estatística levantada pelo mesmo institutorelata 120.213 habitantes residentes em Araguaina, até agosto de2003. Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 27
  • 28. O município possui uma área de 3.920,01Km2 e está situada naregião ocidental do Tocantins, entre as paralelas 5º e 10º.Araguaina está localizado no extremo norte tocantinense a 7º 11’28” de latitude 48º 12’ 26” de longitude oeste de Greenwich enuma altitude de 227m. RelevoO município é bastante variado destacando-se o planalto sem apresença de grandes elevações. Altitude média dos morros variade 100 a 300mts, parte das serras das cordilheiras, completa aforma de relevo do município. ClimaO município é tropical úmido. Apresenta temperaturamagatérmico mantendo-se quente todo o ano, comtemperatura média, máxima de 32ºC, mínima de 20ºC.Pluviometria – Estação definida de chuva entre os meses denovembro a maio, e uma estação seca entre os meses de junho aoutubro, com precipitação anual acima de 1.700mm. VegetaçãoApresenta forma irregular, caracterizando-se pelo cerrado ouchapada, matas ciliares e matas tropicais. Tendo como vegetaçãonativa: palmeira de babaçu, pequizeiro, buriti, bacaba, caju, mangae outros. HidrografiaA hidrografia do município é formada pelo Rio Araguaia e seusafluentes.O Araguaia exerceu considerável influencia a economialocal, devido à fartura de peixes, fertilizando a terra as suasmargens propícia à agricultura. Além de promover lazer para osveranistas, principalmente em Garimpinho, considerada uma áreaecológica.O principal afluente é o Rio Lontra,onde se localiza a hidrelétrica doCorujão formando a bacia hidrográfica, temos ainda o rio Preto, riaLontra, córrego Lava-Pés, córrego Xixebal, córrego Cará, córregoTiúba, córrego Jacuba e Jacubinha.Limites TerritoriaisA área total do município de Araguaina era de 9.097km2 até acriação dos municípios de Aragominas, Araguanã, Carmolândia,Muricilândia e Santa Fé do Araguaia que faziam partes domunicípio de Araguaina. Atualmente, os limites territoriais deAraguaina estão assim dispostos: Norte - Santa Fé do Araguaia,Muricilândia, Carmolândia e Aragominas; Sul - Pau-D’arco,Arapoema e Nova Olinda.Leste - Wanderlândia e Babaçulândia Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 28
  • 29. 2.2.1.1. TRATORPEÇAS Contatos – Sr. Dílson Trabalha com venda de tratores, peças de reposição para máquinas e implementos agrícolas Tem interesse em contato com as empresas do grupo de peças, componentes e serviços2.2.1.2. APIAGRIL Contatos – Sr. José Nilton Atua com peças de reposição para máquinas e implementos agrícolas Também atua como representante comercial de peças e componentes Tem interesse em contato com as empresas do grupo de peças, componentes e serviços2.2.1.3. REMAQ RECUPERADORA Contatos – Srs. Roniere e Pedro Trabalha basicamente com esteiras para trator Tem interesse em contato com as empresas do grupo de peças, componentes e serviços2.2.1.4. AUTO-PEÇAS BRASIL Contatos – Srs. Valdoneide e Carlito Trabalha com peças para tratores de esteira, patrola e pá mecânica Tem interesse em contato com as empresas do grupo de peças, componentes e serviços Interesse o Lâmina Patrola2.2.1.5. KARTTEL PEÇAS Contato – Sr. Toninho Trabalha com peças para máquinas e implementos agrícolas CAT e Komatsu Tem interesse em contato com as empresas do grupo de peças, componentes e serviços Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 29
  • 30. 2.2.1.6. AGROMAQ Contato – Sr. Arlindo Trabalha com peças para tratores Ford, Massey Ferguson, Valmet e CBT, implementos, tratores de esteira e lubrificantes Tem grande interesse em abrigar as empresas do Grupo, em uma área que dispõem ao lado de sua empresa (foto acima); construindo, inclusive um pavilhão viabilizando a instalação imediata e com aluguel subsidiado Considera que o estado do Pará também está se desenvolvendo bastante e que, pela proximidade geográfica, Araguaína constitui-se o centro comercial da região Interesses Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 30
  • 31. o Carretas o Caixas D’Água o Tanques o Distribuidor de Esterco Líquido o Distribuidor de Esterco Líquido para outra aplicação que é a de apagar incêndios nos períodos de seca o Betoneiras2.2.1.7. TORNEARIA SANTANA Contato – Sr. Durval Trabalha na recuperação de Implementos Agrícolas, rodante de esteira, com serviços de solda em geral e prensa de pino e bucha Pensa que já fez negócios anteriormente com a Tratormaq de Passo Fundo, comprando cabines para trator2.2.1.8. SIREMAK Contatos – Sr. Renato Miranda Ramalho e Dasil Lopes Revendedor New Holland Conhece produtos da MAX e GIHAL Destaca que o mercado quer plantadeiras com 15 linhas para mais Vendeu 6 unidades da Lâmina-Patrola da Stara em 2004 Considera situação ruim no setor agrícola, não em função da colheita que foi boa, mas sim pelo preço da saca A operação conjunta Lavoura/Pecuária já é realidade na região Teceu considerações quanto aos problemas políticos da UDR x Sem Terra Também as dificuldades impostas pela Lei Ambiental, em função de estar localizados na Amazônia Legal O mercado de construção civil na região está em franca expansão Necessidade de instalação de fundição na região, inclusive para aproveitar o fornecimento de matéria-prima, ferro- gusa, localizada em Açailândia – 330 km de Araguaína O estado por pertencer à região Norte do País, dispõe de recursos para investimentos com taxas e prazos convidativos, bem como ICMS reduzido até 2010 Interesses o Silos, considera carência total na região o Pulverizador Auto-Propelido, conhecia da Montana com custo de R$ 400 mil o Tanques o Guinchos para Big Bag, conheciam Tatu o Betoneira, em rotomoldado, para trabalhar como misturador de sal proteinado, para pecuária, sugestão de 100 a 200 litros o Betoneira, para misturar adubo e semente2.2.1.9. SUPRINORTE Contato – Sr. Domingos Rodrigues dos Santos Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 31
  • 32. Trabalha com peças para caminhões, tratores de pneus, tratores de esteiras, colheitadeiras, plantadeiras e implementos agrícolas Tem algumas representações na região Tem interesse em contato com as empresas do grupo de peças, componentes e serviços2.2.1.10. AGROPEÇAS Contato – Sr. Elias Trabalha com peças e acessórios para tratores marcas New Holland, Massey Ferguson, CBT, Valmet e implementos agrícolas marcas Tatu, Vicom, Inroda Já teve contato com Lâmina Patrola Stara Tem interesse em contato com as empresas do grupo de peças, componentes e serviços Interesse o Lâmina Patrola2.2.1.11. PAMAGRIL Contatos – Srs. José Alves e Ricardo Costa Revenda Massey Ferguson Forneceu informações sobre Auto-Propelidos o Americano MF R$ 700 mil o Montana R$ 280 mil o Uniport Jato R$ 238 mil Já teve contato com Lâmina Patrola Stara de 3 metros, cujo preço gira em torno de R$ 9.500,00 Interesses o Pulverizador Auto-Propelido o Guincho Concha o Betoneira, para uso como misturador de sal mineral, adubo e semente2.2.1.12. COMAGRIL Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 32
  • 33. Contato – Srs. Geraldo Bezerra e Douglas Revenda Valtra Já vendeu Lâmina Patrola Stara Informou que existem 5,5 milhões de áreas agricultáveis, sendo que somente 10% destas estão abertas Interesses o Lâmina Patrola o Silos, cuja carência é muito grande no mercado2.2.1.13. COALTO Contato – Sr. Alexandre Araújo Moura Iniciando operações no comércio de grãos Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 33
  • 34. Instalados no DAIARA – Distrito Agro-Industrial de Araguaína Também são Lavoureiros Construíram Silos com Kepler Weber, Comil, Pajé Interesses o Silos o Plantadeiras2.2.1.14. PREFEITURA MUNICIPAL DE ARAGUAÍNA – Secretaria Ind e Com Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 34
  • 35. Contato – Sr. José Manganelli Organizou e acompanhou as visitas nos agendamentos na cidade de Araguaína Apresentou toda a infra-estrutura disponível no município para atração de empresas que desejam instalar-se em Araguaína no Tocantins Disponibilizou viatura da Prefeitura para as visitas Ressaltou que o estado do Tocantins, por pertencer à região Norte do País, dispõem de recursos para investimentos, fixos e capital de giro associados, com carências de até 3 anos, com taxas muito atrativas e com prazo de até 10 anos para pagamento Os impostos municipais contam com isenção total de todos os tributos por 10 anos O ICMS reduzido, sob forma de incentivos fiscais, chega até 1% para vendas externas ao estado e até 2% para vendas internas; para as indústrias instaladas no DAIARA - Distrito Agro-Industrial de Araguaína, até 2010 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 35
  • 36. Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 36
  • 37. Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 37
  • 38. 2.3. GUARAÍGUARAí código: 1709306 Descrição Valor UnidadePessoas Residentes – Total 20.018 PessoasPessoas Residentes - Área Urbana 17.587 PessoasPessoas Residentes - 10 anos ou mais de idade - Rendimento Nominal Médio 36.555 ReaisMulheres Residentes - 10 anos ou mais de idade - Rendimento Nominal Médio 32.141 ReaisPessoas Residentes - 10 anos ou mais de idade - Sem instrução ou menos de 1 ano deestudo 1.787 PessoasEsgoto - Domicílios particulares permanentes com banheiro ligado à rede geral 21 DomicíliosÁgua - Domicílios particulares permanentes com abastecimento ligado à rede geral 4.378 DomicíliosLixo - Domicílios particulares permanentes com lixo coletado 4.154 DomicíliosÓbitos hospitalares – Homens 4 ÓbitosÓbitos hospitalares – Mulheres 7 ÓbitosÓbitos hospitalares - Doenças infecciosas e parasitárias 3 ÓbitosÓbitos hospitalares - Causas externas - ÓbitosEstabelecimentos de saúde - Total 10 EstabelecimentosEstabelecimentos de saúde - Prestadores de serviços ao SUS 7 EstabelecimentosLeitos hospitalares 80 LeitosLeitos hospitalares disponíveis ao SUS 60 LeitosMatrículas - Ensino Fundamental 4.476 MatrículasMatrículas - Ensino Médio 1.648 MatrículasDocentes - Ensino Fundamental 210 DocentesDocentes - Ensino Médio 74 DocentesNascimentos registrados no ano 550 NascimentosCasamentos registrados no ano 79 CasamentosSeparações judiciais registradas no ano 16 SeparaçõesEleição Municipal - Partido do candidato eleito PSDBEleição Municipal - Número de eleitores 13.399 EleitoresUnidades Locais - Empresas com CNPJ EmpresasAgências bancárias 3 AgênciasValor das Aplicações ReaisÁrea da unidade territorial 226.815 Km² 2.3.1. LOMAZZI AUTO PEÇAS Contatos – Srs. Kleuber Marcelo Lomazzi e Kenia Revenda de autopeças Massey Ferguson, Valtra-Valmet, CBT, Volvo, Mercedes Benz e Scania Iniciou trabalho de revenda com a Semeato; entretanto está desgostoso, tendo em vista o atendimento recebido e a falta de parceria na abertura do mercado Demonstrou enorme interesse em representar / revender as empresas participantes em sua região6 Disponível na Internet: http://www.ibge.gov.br/cidadesat/default.php – 03.05.2005 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 38
  • 39. 2.3.2. AGROFARM Contato – Sr. Jair Aparecido Francisco Dias Revenda de Máquinas e Implementos Agrícolas localizada em Guaraí – TO Visitada na Feira de Porto Nacional2.3.3. SEBRAE GUARAÍ Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 39
  • 40. Contato – Sra. Maria Ivanilde Machado da Penha Organizou os agendamentos com as empresas de Guaraí e Pedro Afonso Acompanhou as visitas de prospecção Forneceu o suporte necessário ao bom andamento dos trabalhos Informou a cerca de outra área em expansão no Tocantins que é a cidade de Campos Lindos que fica na divisa com o Maranhão Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 40
  • 41. 2.4. PEDROAFONSO PEDRO AFONSO código: 1716507 Descrição Valor Unidade Pessoas Residentes - Total 9028 Pessoas Pessoas Residentes - Área Urbana 7328 Pessoas Pessoas Residentes - 10 anos ou mais de idade - Rendimento Nominal Médio 36533 Reais Mulheres Residentes - 10 anos ou mais de idade - Rendimento Nominal Médio 26519 Reais Pessoas Residentes - 10 anos ou mais de idade - Sem instrução ou menos de 1 ano de estudo 828 Pessoas Esgoto - Domicílios particulares permanentes com banheiro ligado à rede geral 5 Domicílios Água - Domicílios particulares permanentes com abastecimento ligado à rede geral 1818 Domicílios Lixo - Domicílios particulares permanentes com lixo coletado 1585 Domicílios Óbitos hospitalares - Homens 4 Óbitos Óbitos hospitalares - Mulheres 3 Óbitos Óbitos hospitalares - Doenças infecciosas e parasitárias 0 Óbitos Óbitos hospitalares - Causas externas 0 Óbitos Estabelecimentos de saúde - Total 3 Estabelecimentos Estabelecimentos de saúde - Prestadores de serviços ao SUS 3 Estabelecimentos Leitos hospitalares 26 Leitos Leitos hospitalares disponíveis ao SUS 26 Leitos Matrículas - Ensino Fundamental 2202 Matrículas Matrículas - Ensino Médio 828 Matrículas Docentes - Ensino Fundamental 104 Docentes Docentes - Ensino Médio 42 Docentes Nascimentos registrados no ano 303 Nascimentos Casamentos registrados no ano 22 Casamentos Separações judiciais registradas no ano 5 Separações Eleição Municipal - Partido do candidato eleito PTB Eleição Municipal - Número de eleitores 5481 Eleitores Unidades Locais - Empresas com CNPJ Empresas Agências bancárias 2 Agências Valor das Aplicações Reais Valor do Fundo de Participação dos Municípios 165.783.731,00 Mil Reais Valor do Imposto Territorial Rural 1.602.654,00 Reais Área da unidade territorial 201089 Km²7 Disponível na Internet: http://www.ibge.gov.br/cidadesat/default.php - 03.05.2005 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 41
  • 42. 2.4.1. COAPA Contatos – Leonardo Queiroz Marques, Ricardo Benedito Khoury, Cristina Carvalho de Oliveira, José Edgar A COAPA é a Cooperativa Agrícola de Pedro Afonso – TO Reúne 86 produtores rurais Tem uma área plantada de 50 mil h.a. O potencial total é de 300 mil h.a. A produção foi de 150 mil toneladas Culturas: Soja principalmente, sorgo e milho safrinha Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 42
  • 43. Os concorrentes mais presentes na região são a Jumil, Tatu e Baldan, sendo que 90% delas têm unidade montadora na região, através dos revendedores A revenda Jumil de Pedro Afonso é a campeã de vendas da empresa em todo o Norte e Nordeste do País A cooperativa tem idéia de também desenvolver no futuro, a Fruticultura, com melão, melancia e abacaxi Tem carências de soluções de irrigação para a Fruticultura Já dispõem também de viveiros de mudas, visando o desenvolvimento de floricultura, principalmente com flores tropicais A área média plantada na Cooperativa é de 500 h.a., a maioria oriunda do Projeto de Incentivo PRODESER, onde eram fornecidos lotes de 1.000 h.a., sendo obrigatório o plantio em no mínimo 500 h.a. Efetuaram visitas técnicas ao estado do Paraná, nas Cooperativas COAMA, COCAMAR e COOPERVALE, nas cidades de Medianeira, Maringá e Campo Mourão Ressaltada pelo Cliente a necessidade dos equipamentos terem linhas de financiamento tipo Finame, Pronaf, etc A Cooperativa de antemão convidou o grupo para participar da FESTSOJA em Pedro Afonso, a realizar-se de 28/08 a 04/09/2005 A maioria dos integrantes da Cooperativa são imigrantes do estado do Paraná – Medianeira, e de Minas Gerais – Patrocínio e Unaí A cooperativa central dispõe de área total de 35 mil h.a. Os investimentos previstos na expansão da Cooperativa são da ordem de R$ 40 milhões Com a expansão da Cooperativa para agroindústria, serão construídas de imediato 4 a 6 unidades, que utilizarão silos de 1.000 toneladas e de 15.000 toneladas Já dispõem de unidade grande de 60.000 toneladas Interesses o Pulverizador Auto-Propelido o Transformação de tratores em Auto-Propelido o Coletor de Amostras de Solo o Silos o Baias para suinocultura e avicultura o Guincho para Big Bag com bandeja de controle de fluxo o Betoneira, misturador para inoculação das sementes o Lâmina PatrolaConsultor Externo – Evaldo Silva Junior 43
  • 44. 2.5. PARAÍSODOTOCANTINS PARAíSO DO TOCANTINS código: 1716108 Descrição Valor Unidade Pessoas Residentes - Total 36130 Pessoas Pessoas Residentes - Área Urbana 34379 Pessoas Pessoas Residentes - 10 anos ou mais de idade - Rendimento Nominal Médio 63963 Reais Mulheres Residentes - 10 anos ou mais de idade - Rendimento Nominal Médio 35085 Reais Pessoas Residentes - 10 anos ou mais de idade - Sem instrução ou menos de 1 ano de estudo 2932 Pessoas Esgoto - Domicílios particulares permanentes com banheiro ligado à rede geral 19 Domicílios Água - Domicílios particulares permanentes com abastecimento ligado à rede geral 6854 Domicílios Lixo - Domicílios particulares permanentes com lixo coletado 8353 Domicílios Óbitos hospitalares - Homens 21 Óbitos Óbitos hospitalares - Mulheres 16 Óbitos Óbitos hospitalares - Doenças infecciosas e parasitárias 3 Óbitos Óbitos hospitalares - Causas externas 2 Óbitos Estabelecimentos de saúde - Total 14 Estabelecimentos Estabelecimentos de saúde - Prestadores de serviços ao SUS 11 Estabelecimentos Leitos hospitalares 89 Leitos Leitos hospitalares disponíveis ao SUS 61 Leitos Matrículas - Ensino Fundamental 7514 Matrículas Matrículas - Ensino Médio 3207 Matrículas Docentes - Ensino Fundamental 372 Docentes Docentes - Ensino Médio 129 Docentes Nascimentos registrados no ano 911 Nascimentos Casamentos registrados no ano 148 Casamentos Separações judiciais registradas no ano 27 Separações Eleição Municipal - Partido do candidato eleito PSDB Eleição Municipal - Número de eleitores 21748 Eleitores Unidades Locais - Empresas com CNPJ Empresas Agências bancárias 4 Agências Valor das Aplicações Reais Valor do Fundo de Participação dos Municípios 315712200 Mil Reais Valor do Imposto Territorial Rural 1513300 Reais Área da unidade territorial 129702 Km² 2.5.1. SEBRAE PARAÍSO Contatos – Srs. José Daniel Rodrigues e Fábio Henrique Cruz Troca de informações mercadológicas com os Analistas Sebrae que indicaram a região da Lagoa da Confusão como próspera para a agricultura Deixados kits de material das empresas para que os mesmos divulguem em seus encontros setoriais8 Disponível na Internet: http://www.ibge.gov.br/cidadesat/default.php - 03.05.2005 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 44
  • 45. 2.6. PALMAS A pedra fundamental de Palmas foi lançada no dia 20 de maio de 1989, dando início à construção da última cidade planejada do século. A capital definitiva do Estado do Tocantins foi instalada no dia 1º de janeiro de 1990 e os poderes constituídos foram transferidos da capital provisória, Miracema, para o plano diretor da nova cidade. O nome Palmas foi escolhido em homenagem a Comarca de São João da Palma, sede do primeiro movimento separatista da região, instalada em 1809 na barra do rio Palma com o rio Paranã. Palmas desfruta de uma posição privilegiada, funcionando como um elo entre a região Norte e o restante do País. A cidade é localizada no coração do Brasil e é cercada pelas serras do Carmo, Lajeado e pelo rio Tocantins. PALMAS código: 1721009 Descrição Valor Unidade Pessoas Residentes - Total 137355 Pessoas Pessoas Residentes - Área Urbana 134179 Pessoas Pessoas Residentes - 10 anos ou mais de idade - Rendimento Nominal Médio 75440 Reais Mulheres Residentes - 10 anos ou mais de idade - Rendimento Nominal Médio 53500 Reais Pessoas Residentes - 10 anos ou mais de idade - Sem instrução ou menos de 1 ano de estudo 5829 Pessoas Esgoto - Domicílios particulares permanentes com banheiro ligado à rede geral 5984 Domicílios Água - Domicílios particulares permanentes com abastecimento ligado à rede geral 32458 Domicílios Lixo - Domicílios particulares permanentes com lixo coletado 32552 Domicílios Óbitos hospitalares - Homens 255 Óbitos Óbitos hospitalares - Mulheres 175 Óbitos Óbitos hospitalares - Doenças infecciosas e parasitárias 36 Óbitos Óbitos hospitalares - Causas externas 39 Óbitos Estabelecimentos de saúde - Total 81 Estabelecimentos Estabelecimentos de saúde - Prestadores de serviços ao SUS 59 Estabelecimentos Leitos hospitalares 267 Leitos Leitos hospitalares disponíveis ao SUS 221 Leitos Matrículas - Ensino Fundamental 29589 Matrículas Matrículas - Ensino Médio 12777 Matrículas Docentes - Ensino Fundamental 1330 Docentes Docentes - Ensino Médio 540 Docentes Nascimentos registrados no ano 4983 Nascimentos Casamentos registrados no ano 638 Casamentos Separações judiciais registradas no ano 0 Separações Eleição Municipal - Partido do candidato eleito PFL Eleição Municipal - Número de eleitores 76118 Eleitores Unidades Locais - Empresas com CNPJ Empresas Agências bancárias 16 Agências Valor das Aplicações Reais Valor do Fundo de Participação dos Municípios 8822561588 Mil Reais Valor do Imposto Territorial Rural 4165287 Reais Área da unidade territorial 221893 Km²9 Disponível na Internet: http://www.ibge.gov.br/cidadesat/default.php - 03.07.2005 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 45
  • 46. 2.6.1. FORMAQ Contatos – José Carlos e João Neto Revenda New Holland Considerações à cerca do mercado quanto à colheita boa e o preço da saca ruim2.6.2. FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA DO TOCANTINS Contato – Sr. Antônio Batista de Sá – Presidente Deixado kit de material das empresas para que seja divulgado entre todos os participantes em suas assembléias2.6.3. SEBRAE PALMAS Contato – Sra. Nilce Maria F. Gomes Organizou os agendamentos com as empresas de Palmas Forneceu o suporte necessário ao bom andamento dos trabalhos Deixados kits de material das empresas para que a mesma divulgue através do Centro de Documentação que é muito requisitado como fonte de informações de fornecedores Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 46
  • 47. 2.7. PORTONACIONAL PORTO NACIONAL código: 17182010 Descrição Valor Unidade Pessoas Residentes - Total 44991 Pessoas Pessoas Residentes - Área Urbana 38766 Pessoas Pessoas Residentes - 10 anos ou mais de idade - Rendimento Nominal Médio 45988 Reais Mulheres Residentes - 10 anos ou mais de idade - Rendimento Nominal Médio 39660 Reais Pessoas Residentes - 10 anos ou mais de idade - Sem instrução ou menos de 1 ano de estudo 4416 Pessoas Esgoto - Domicílios particulares permanentes com banheiro ligado à rede geral 29 Domicílios Água - Domicílios particulares permanentes com abastecimento ligado à rede geral 8375 Domicílios Lixo - Domicílios particulares permanentes com lixo coletado 7391 Domicílios Óbitos hospitalares - Homens 17 Óbitos Óbitos hospitalares - Mulheres 9 Óbitos Óbitos hospitalares - Doenças infecciosas e parasitárias 0 Óbitos Óbitos hospitalares - Causas externas 1 Óbitos Estabelecimentos de saúde - Total 32 Estabelecimentos Estabelecimentos de saúde - Prestadores de serviços ao SUS 30 Estabelecimentos Leitos hospitalares 99 Leitos Leitos hospitalares disponíveis ao SUS 60 Leitos Matrículas - Ensino Fundamental 11162 Matrículas Matrículas - Ensino Médio 3373 Matrículas Docentes - Ensino Fundamental 468 Docentes Docentes - Ensino Médio 132 Docentes Nascimentos registrados no ano 1464 Nascimentos Casamentos registrados no ano 117 Casamentos Separações judiciais registradas no ano 22 Separações Eleição Municipal - Partido do candidato eleito PFL Eleição Municipal - Número de eleitores 25955 Eleitores Agências bancárias 4 Agências Área da unidade territorial 444989 Km² 2.7.1. FORMAQ GURUPI Contato – Sr. Alessandro Empresa do mesmo grupo Formaq de Palmas Participante da Feira com expositor Abordada a possibilidade de divulgação das empresas participantes na prospecção, na região Sul do Tocantins - Gurupi Também efetuará a divulgação para as demais filiais da empresa10 Disponível na Internet: http://www.ibge.gov.br/cidadesat/default.php - 03.07.2005 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 47
  • 48. 2.7.2. CURVÃO REPRESENTAÇÕES Contato – Sr. Rômulo Trabalha com irrigação, tratores, máquinas e implementos agrícolas usados Tem interesse em representar / revender os produtos das empresas do grupo de prospecção Tem interesse em contato com as empresas do grupo de peças, componentes e serviços2.7.3. LEINDECKER & CIA LTDA Contato – Sr. Volnei Adriano Sabini Empresa fornecedora de sementes, fertilizantes, defensivos, produtos veterinários, hortaliças e ferramentas Também tem lavouras na região de Natividade - TO Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 48
  • 49. 3. CONCORRÊNCIA Basicamente, em termos de concorrência para as máquinas do Grupo deProspecção de Produto Final, do APL Pré-Colheita, o que existe é a presença dasgrandes empresas nacionais e multinacionais, bem como uma certa quantidadede empresas de serviços e revendedoras de peças para essas máquinas. Há reclamações de parte de revendedores quanto ao atendimento ruim efalta de parceria dos grandes fabricantes para com eles. Percebe-se ainda, grande espaço para empresas de peças, componentese serviços de Usinagem, Fundição, Estamparia, Matrizaria, Moldes, Dispositivosde Solda, Molas Espiral, Rotomoldados e Fibra de Vidro, Cilindros Hidráulicos eVálvulas, Mangueiras e Engrenagens, pois as regiões prospectadas têm seu fortena Agropecuária e no Comércio; praticamente, comprando grande parte do Sul eSudeste do país. A maior dificuldade, em termos de concorrência, é o custo do frete para oatendimento a esses mercados que ficam a cerca de 3.500 km de distância doRio Grande do Sul, pois as grande empresas, muitas vezes, tem logística própriajustamente para compensar esses custos. Alternativa para essa dificuldade, é a operação de frete de formacooperada entre as micro e pequenas empresas, bem como a instalação depequenas unidades montadoras, em forma de condomínio empresarial,aproveitando todos os benefícios fiscais e tributários, tanto municipais quantoestaduais, fornecimento de infra-estrutura completa nos distritos industriaisoferecida pelas prefeituras, bem como linhas de crédito para investimento fixo ecapital de giro associado, com carências, prazos e taxas de juros, bastanteatrativas através do FNO – Fundo Constitucional de Financiamento do Norte. Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 49
  • 50. 4. CONSIDERAÇÕES SOBRE ASPECTOS TÉCNICOS DOS PRODUTOS As considerações técnicas importantes sobre os produtos do Grupo deProspecção são: Plantadeiras o o mercado opera com as máquinas acima de 12 linhas e chegando a superar 20 linhas o fornecer a Plantadeira somente com a caixa de semente Guincho para Big Bag o Importante que tenha dispositivo bandeja de controle de vazão Betoneira Misturadora o Para utilização em aplicações diferenciadas tais como misturador de ração, de sal mineral, adubo e semente o Feita em plástico rotomoldado ou fibra de vidro, para minimizar os efeitos da corrosão do sal e facilidade de operação o Capacidade de 100 a 200 litros Distribuidor de Esterco Líquido o Aplicação diferenciada para utilização como carro-pipa para apagar incêndios nos períodos de seca Silos o Utilização de tamanhos variados, tais como 1.000, 15.000 e 60.000 toneladas Auto-Propelido o Há bom mercado para transformação de tratores; contudo a questão logística precisa ser resolvida com frete competitivo ou através de filial regional Fibra de Vidro o Em função da quantidade de lagos e rios, aplicações de jet- ski, caiaques, barcos tem bom mercado o Existe grande quantidade de motocicletas nas cidades visitadas que geram demanda para Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 50
  • 51. 5. ROTEIRO DA VIAGEM DE PROSPECÇÃO O roteiro da viagem de prospecção atendeu os meios de transportedisponíveis para cada região e que, mesmo assim, exigiu em certos momentos,criatividade para o cumprimento do roteiro em função de quebras, atrasos,cancelamentos. Cabe colocar que, para a região, “dar um pulinho” pode representar umdeslocamento rodoviário de até 800 km, como é o caso de Balsas/MA a SãoLuís/MA, ou ainda, ter um determinado horário agendado e somente conseguirchegar 2 horas após, em função das condições de determinados trechos deestradas, mas que são entendidos e até esperados, muitas vezes., pelosvisitados.Segue abaixo o roteiro da viagem de prospecção:19/07/2005 Deslocamento aéreo Porto Alegre a Imperatriz/MA, com escalas em Curitiba e Brasília, com saída às 15:45 e chegada no destino 23:30 Pernoite em Imperatriz/MA Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 51
  • 52. 20/07/2005 Vista da cidade de Imperatriz/MA Deslocamento “aéreo”, Imperatriz/MA a Balsas/MA, em avião “teco-teco” que opera a serviço do Banco do Brasil, com partida prevista para as 08:00, mas que efetivamente somente ocorreu às 11:30, pois o malote do banco oriundo de Belém do Pará, atrasou. Chegada ao destino às 13:30, pois o aeroporto de Balsa/MA está interditado e, então, tivemos que aterrissar em uma pista de pouso, de chão batido, a 20 km do centro da cidade Início das visitas de prospecção em Balsas/MA21/07/2005 Continuação das Visitas de Prospecção em Balsas/MA22/07/2005 Deslocamento de Balsas/MA para Araguaína/TO, acompanhando algumas lavouras Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 52
  • 53. Saída às 08:00 horas, com nossa “infundada” previsão dechegar no destino às 12:00 horas , pois a distância é em tornode 400 kmVários imprevistos ocorreram, tais como o carro cedido pelaPrefeitura de Balsas/MA ter estragado, e tenhamos queconseguir meios alternativos de transporte em Riachão/MAConsultor Externo – Evaldo Silva Junior 53
  • 54. Já em Carolina/MA, foi necessário atravessar o Rio Tocantinsde balsa para a cidade de Filadélfia/TOEm Filadélfia/TO, conseguimos um ônibus para nos levar atéAraguaína/TOConsultor Externo – Evaldo Silva Junior 54
  • 55. Finalmente a chegada no hotel, em Araguaína/TO, às 18:00 horas, agora bem mais relaxados23/07/2005 Visitas de prospecção na cidade de Araguaína/TO24/07/2005 Ás 07:30, início do deslocamento rodoviário de Araguaína/TO para Palmas/TO, via Guaraí, Pedro Afonso e Paraíso do Tocantins. Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 55
  • 56. Chegada a Pedro Afonso/TOPassagem por Paraíso do Tocantins, visita ao Sebrae local.Chegada a Palmas/TO, indo diretamente ao Sebrae/TOConsultor Externo – Evaldo Silva Junior 56
  • 57. 25/07/2005 Visitação às revendas de Palmas Visitação a Feira de Porto Nacional/TO Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 57
  • 58. 26/07/2005 Deslocamento aéreo Palmas/TO a Porto Alegre/RS, com escala em Brasília, com saída às 05:00 horas e chegada no destino às 14:00 horas Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 58
  • 59. 6. CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES PARA O GRUPO Consideramos a Prospecção de Mercado Nacional do Grupo de ProdutoFinal, do APL Pré-Colheita, do Setorial Metal-Mecânico, cumpriu seu objetivo umavez que propiciou aos integrantes do Grupo a obtenção de valiosas informaçõesde mercado, tais como potencial de crescimento das áreas prospectadas,alterações em produtos solicitadas pelos potenciais Clientes, atuação daconcorrência na região e, principalmente, reais possibilidades de efetivação denegócios. Também, ressaltamos o interesse demonstrado pelos potenciais Clientes,pelos produtos dos fornecedores participantes do Grupo; pela alternativa defornecimento em relação as grandes empresas e pela competitividade em preçodemonstrada pelos participantes do Grupo. Como recomendação fundamental, ressaltamos solicitação apresentadapelos potenciais Clientes de que há a necessidade de demonstração dosprodutos divulgados, pois, em se tratando de marcas novas na região, talprocedimento será efetivamente um alavancador de negócios. Reiteramos também que o aspecto logístico é outro ponto importante nosplanejamentos futuros das empresas participantes, pois em função da distânciade cerca de 3.500 km, os custos de frete são bastante representativos. Outrossim, pode ser levado também em consideração, o incentivo ebenefício fiscal, tributário e financeiro, oferecido pelos estados e municípios dosmercados de prospecção, pois mesmo uma filial, com uma pequena estrutura demontagem de máquinas, irá gerar um diferencial competitivo importante emrelação à concorrência. Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 59
  • 60. 7. ANEXOSConsultor Externo – Evaldo Silva Junior 60
  • 61. RELAÇÃO DE ANEXOS7.1. IBGE - PIB REGIÕES - MUNICÍPIOS 1999 - 2002 - MA7.2. CARTÕES DE VISITA BALSAS-MA7.3. IBGE - PIB REGIÕES - MUNICÍPIOS 1999 - 2002 - TO7.4. CARTÕES DE VISITA ARAGUAÍNA-TO7.5. DADOS SOCIOECONÔMICOS DE ARAGUAÍNA.20057.6. MAPA ARAGUAÍNA-TO7.7. DADOS ECONÔMICOS PREFEITURA DE ARAGUAÍNA - TOCANTINS7.8. CARTÕES DE VISITA DIVERSOS-TO7.9. MAPA PALMAS-TO7.10. FEIRAS AGROPECUÁRIAS NO TOCANTINS 20057.11. IBGE - PRODUÇÃO SOJA 1996 – 20027.12. IBGE - PRODUÇÃO SOJA BRASIL 20037.13. ANFAVEA - Concessionárias Máquinas Agrícolas7.14. ANFAVEA PRODUÇÃO DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS7.15. ANFAVEA VENDAS MÁQUINAS AGRÍCOLAS7.16. ANFAVEA VENDAS MÁQUINAS AGRÍCOLAS POR ESTADO7.17. ANFAVEA VENDAS MÁQUINAS AGRÍCOLAS POR FABRICANTE7.18. CADASTRO DE CLIENTES DO ESTADO DO TOCANTINS7.19. CADASTRO DE CLIENTES DO ESTADO DO MARANHÃO Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 61
  • 62. 7.1. IBGE - PIB REGIÕES - MUNICÍPIOS 1999 - 2002 - MA Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 62
  • 63. 7.2. CARTÕES DE VISITA BALSAS-MA Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 63
  • 64. 7.3. IBGE - PIB REGIÕES - MUNICÍPIOS 1999 - 2002 - TO Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 64
  • 65. 7.4. CARTÕES DE VISITA ARAGUAÍNA-TO Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 65
  • 66. 7.5. DADOS SOCIOECONÔMICOS DE ARAGUAÍNA.2005 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 66
  • 67. 7.6. MAPA ARAGUAÍNA-TO Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 67
  • 68. 7.7. DADOS ECONÔMICOS PREFEITURA DE ARAGUAÍNA - TOCANTINS Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 68
  • 69. 7.8. CARTÕES DE VISITA DIVERSOS-TO Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 69
  • 70. 7.9. MAPA PALMAS-TO Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 70
  • 71. 7.10. FEIRAS AGROPECUÁRIAS NO TOCANTINS 2005 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 71
  • 72. 7.11. IBGE - PRODUÇÃO SOJA 1996 – 2002 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 72
  • 73. 7.12. IBGE - PRODUÇÃO SOJA BRASIL 2003 Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 73
  • 74. 7.13. ANFAVEA - Concessionárias Máquinas Agrícolas Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 74
  • 75. 7.14. ANFAVEA PRODUÇÃO DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 75
  • 76. 7.15. ANFAVEA VENDAS MÁQUINAS AGRÍCOLAS Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 76
  • 77. 7.16. ANFAVEA VENDAS MÁQUINAS AGRÍCOLAS POR ESTADO Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 77
  • 78. 7.17. ANFAVEA VENDAS MÁQUINAS AGRÍCOLAS POR FABRICANTE Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 78
  • 79. 7.18. CADASTRO DE CLIENTES DO ESTADO DO TOCANTINS Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 79
  • 80. 7.19. CADASTRO DE CLIENTES DO ESTADO DO MARANHÃO Consultor Externo – Evaldo Silva Junior 80