• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Casas de taipa de pilão e pau a pique
 

Casas de taipa de pilão e pau a pique

on

  • 22,387 views

Este trabalho foi organizado com a finalidade de ressaltar o tipo de arquiteturas na região norte do Brasil logo no inicio da colonização lusa!

Este trabalho foi organizado com a finalidade de ressaltar o tipo de arquiteturas na região norte do Brasil logo no inicio da colonização lusa!

Statistics

Views

Total Views
22,387
Views on SlideShare
22,387
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
112
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Casas de taipa de pilão e pau a pique Casas de taipa de pilão e pau a pique Presentation Transcript

    • Taipa de mão ou pau-a-pique A técnica da taipa de mão, também conhecida como pau-a-pique, barro armado, taipa de sopapo ou taipa de sebe, consiste em armar uma estrutura de ripas de madeira ou bambu com uma mistura de barro. É uma técnica simples de construção, muitas vezes tratada com preconceito pela aparência rústica. No Brasil, foi trazida pelos portugueses e, desde então, é muito utilizada no meio rural, no sertão central e nordestino
    • Casas de taipa de mão ou pau a pique
    • Casas de taipa de mão ou pau a pique
    • Casas de taipa de mão ou pau a pique
      • pau-a-pique
      • Técnica construtiva tradicional da arquitetura brasileira, o pau-a-pique é utilizado ainda hoje. O pau-a-pique também conhecido como taipa de mão, é empregado em divisórias internas e recebe o nome porque é feito com estrutura de madeira roliça, disposta vertical e horizontalmente, amarrada com cipó ou cravo e depois preenchida com barro socado.
    • Casas de taipa de mão ou pau a pique
      •  
      • Antigamente, muito usada pela facilidade de se utilizar recursos naturais próximos, porém com o tempo observou-se que o barbeiro agente da doença de chagas, se proliferava nestas casas, nas fendas deixados pelo barro.
    • taipa de pilão
      • Taipa de pilão
      • A técnica de taipa de pilão consiste em levantar paredes de barro, comprimida com golpes de pilão entre placas de madeira . É uma técnica de origem árabe muito utilizada ainda hoje em países com clima seco. Na Austrália e em certas regiões dos Estados Unidos, a taipa é muito utilizada, sendo trabalhada com mais tecnologia e melhor rendimento que as construções tradicionais. O processo atualmente, quando feito com tecnologia mecanizada, produz paredes tão resistentes quanto às de concreto. De qualquer forma, as construções com taipa de pilão são mais resistentes que aquelas feitas com adobe, isto porque a compressão faz com que as paredes, depois de seca, fiquem compactas, sólidas e menos impermeáveis. A compactação faz com que as paredes tenham baixa retração, assim não apresentem muitas trincas e rachaduras.
    • taipa de pilão
      • Piloamento
      • Detalhe construtivo de uma parede de Taipa de Pilão da Capela do Morumbi
    • taipa de pilão
      • Paredes de taipa de Pilão
      • Uma das técnicas de construção alternativa mais difundida ao redor do globo, utiliza-se de uma mistura de solo e cimento socada dentro de fôrmas de ferro ou madeira. As fôrmas são montadas no local e devem resistir a pressão exercida pela terra quando esta for socada. A matéria prima é o subsolo do local adicionado de 10% de cimento formando uma mistura chamada de solo-cimento. Cerca de 90% do material de construção das paredes pode ser proveniente do próprio local da obra, reduzindo drasticamente os custos da construção. Além de todas as vantagens em termos de eficiência térmica da construção em terra.
    • taipa de pilão
      • Igreja do Pilar Velho Marco Histórico do Grande ABC, construída em taipa de pilão no século XVI, pelos imigrantes italianos do antigo Núcleo Colonial, bairro Santa Clara, ao lado da Pedreira de mesmo nome, de onde foram retiradas as pedras para calçamento das principais vias da capital paulista, entre elas a Paulista e a Consolação. Foto: FAVassellucci (Panoramio)
    •  
    • Engenho Tupinambá,
      • Instalações do Engenho Tupinambá, em Barbalha, que representam o ciclo da cana de açúçar na Região do Cariri, na Bacia Sedimentar do Araripe (Ceará).
      • Organização: Patrícia Ventura.