Livro do projeto bairros de Porto Alegre

4,193
-1

Published on

Livro feito pelas turmas da E.E.E.F. Evarista Flores da Cunha, dentro do projeto Bairros, que visa aprofundar os conhecimentos a respeito dos principais bairros de Porto alegre

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,193
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
17
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Livro do projeto bairros de Porto Alegre

  1. 1. AGRONOMIA TURMA 62 – 6ª SÉRIE PROF.ª LERIANE O bairro Agronomia localiza-se na zona leste da capital e foi oficializado em 21 de setembro de1976, através da lei 4166. Sua origem remonta ao século XVIII, e sua gestação se deve ao tráfego contínuo em duasestradas que foram fundamentais para o desenvolvimento da cidade de Porto Alegre: Caminho do Meio,atual Oswaldo Aranha e Protásio Alves, e estrada do Mato Grosso, atual Bento Gonçalves. O bairro apresenta baixo índice demográfico ainda na atualidade. Por estar localizado entre asduas estradas já citadas, o bairro Agronomia acabou por desenvolver apenas um pequeno comércio local,em nível de subsistência. No que diz respeito aos limites do bairro, encontra-se o município de Viamão, o bairro Partenon eJardim Carvalho. Dentro do bairro, os limites da universidade percorrem uma latitude delimitada pelo ArroioDilúvio e a Av. Bento Gonçalves. O bairro deve o nome à instalação, na região, da Faculdade de Agronomia da UniversidadeFederal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em 1899.História da UFRGS A história da UFRGS começa com a fundação da Escola de Farmácia e Química em 1895 e, emseguida, da Escola de Engenharia. Assim iniciava também a educação superior no Rio Grande do Sul.Ainda no século XIX foram fundadas a Faculdade de Medicina de Porto Alegre e a Faculdade de Direitoque, em 1900, marcou o inicio dos cursos humanísticos no Estado.
  2. 2. Mas, somente em 28 de novembro de 1934 foi criada a Universidade de Porto Alegre, integradainicialmente pelas escolas de Engenharia com os Institutos de Astronomia, Eletrotécnica e QuímicaIndustrial, Agronomia e Veterinária, Filosofia, Ciências, Letras e pelo Instituto de Belas Artes. Faculdade de Agronomia da UFRGS – origem do nome do bairro
  3. 3. ANCHIETA TURMA 23 – 2º ANO PROF.ª MARIA DAS GRAÇAS O nome do bairro é em referência ao padre Anchieta. Em 1970 era considerado um bairro novo,em formação na cidade. Por situar-se em zona baixa com grama em toda a sua extensão, não oferecia atrativos quemotivassem a ocupação imediata. Sob o ponto de vista urbanístico o bairro encontra-se abaixo da cota deconstrução. Dados demográficos  População 203 moradores: o 99 homens o 104 mulheres  Taxa de crescimento 0,5 ao ano.  Área 84 hectares.  Densidade 2 habitantes por hectares.  Número de domicílios 49  Rendimento médio por responsáveis 8,41 salários mínimos. O bairro possui uma linha de ônibus circular, que tem seu terminal de ônibus na Praça RuiBarbosa. Há uma escola de Ensino Fundamental Brigadeiro Eduardo Gomes. Também podemos encontrar a CEASA aberta diariamente. CEASA (Centro de Abastecimento deProdutos de Primeira Necessidade) funciona como órgão de base no abastecimento e de contato entreprodutores e consumidores. Neste bairro podemos encontrar uma república para estudantes japoneses.
  4. 4. Ainda fazem parte do bairro o Laçador e o Aeroporto Internacional Senador Salgado Filho. O Laçador foi tombado como patrimônio histórico em 2001. Em homenagem aos 123 aniversários da Revolução Farroupilha. Pesa 3,8 toneladas e mede quase 5 metros de altura. È um dos principais símbolos da capital. A estátua foi inspirada na figura do tradicionalista Paixão Cortês. Alberto Santos Dumont nasceu em Minas Gerais, era um homem rico e viveu muitos anos na França. Criou 9 balões, dois se tornaram famosos, o Brasil e o Amérique. Ele também inventou o 14 Bis. Era conhecido como o pai da aviação.Aeroporto Internacional Salgado Filho Aeroporto Salgado Filho
  5. 5. ARQUIPÉLAGO TURMA: 43 – 4ª SÉRIE PROF.ª ANDRÉA Região denominada Delgado do Jacuí. Sua fauna é riquíssima, 108 espécies ou um quinto dasespécies de aves de todo o estado, é um ecossistema em constante evolução. Suas terras são planas, comsolo úmido, formado por pântanos e banhados. O bairro Arquipélago é formado por 16 ilhas. A maior parteda população está concentrada na Ilha das Flores, da Pintada, dos Marinheiros e do Pavão. Nessas ilhas faltam: infraestrutura, recursos, esgoto, empregos e alimentação fazendo com que amaioria da população sobreviva da coleta de lixo, catando lixo na rua a pé ou de carroça. ―Um povo sem identidade; uma comunidade sem identidade, não pode viver.‖Algumas informações Uma ponte para pessoas ligando a Av. Mauá até a Ilha da Pintada; As pessoas usavam barcos e canoas para se locomoverem; Houve uma enchente que deixou tudo alagado em 1936; Colônia dos Pescadores fundada em 1921;
  6. 6. Artesanato em extinção feito de taquara;Estaleiro Mabilde está desativado;Em 1914 a empresa constrói casas, escolas e armazéns;Assistência médica e grêmio esportivo;Em 1943 o Mabilde vendeu para o Caden;A luz que vinha para a Ilha era do barco estaleiro Mabilde que tinha um gerador;Depois da greve as pessoas desempregadas foram deixando a Ilha. Ninguém recebeu nadaaté hoje;Grande festa da Nossa Senhora dos Navegantes;Uma imagem fica na Ilha dos Navegantes. É trazida da Ilha dos Navegantes até oGasômetro.
  7. 7. O Verdadeiro Arquipélago O Arquipélago é o lugar escolhido para ser depósito de lixo. Mas o lixo não fica só num lugar, elefica espalhado por todas as ilhas. O Arquipélago é formado por 19 ilhas: Ilha do Pavão, Ilha do Humaitá, Ilha das Garças (pertence aCanoas), Ilha do Oliveira, Ilha grande dos Marinheiros, Ilha do Serafim, Ilha do Limo, Ilha do Lage, Ilha doCipriano, Ilha das Flores, Ilha da casa da Pólvora, Ilha do Chico Inglês, Ilha Coroa dos Bagres(desaparecida), Ilha da Pintada, Ilha das balseiras, Ilha das Pombas, Ilha da Figueira (pertencente aEldorado), as duas últimas ilhas não tem denominação. Essas 19 ilhas, todas muito pobres, têm casas de madeira, hortas, galinhas e porcos, mas quandochove alaga e destrói tudo o que eles possuem. No Arquipélago não tem ponte para ligar uma ilha à outra, tampouco ligando a outros bairros.Muitos moradores não trabalham por causa disso e acabam se alimentando dos restos de lixo.
  8. 8. BELÉM NOVO TURMAS 31 e 32 – 3º ANO PROF.ª SILVIA É com enorme prazer que estamos fazendo esta homenagem a este maravilhoso bairro. Temos nossa infância aqui em Belém Novo com lembranças recheadas de episódios muitas vezesdivertidos e outras vezes dolorosos. Nossos pais, familiares e amigos também passaram a infância, a adolescência e hoje vivem a faseadulta aqui em nosso bairro. Eles trazem na lembrança o Poleto, o Hotel, as carroças de bois, o chão de terra, o carnaval naSaben, o cinema... Mas, enfim o que interessa pra nós é o hoje. E isso só é possível graças à contribuiçãode todos vocês que aqui estão e que pintam de cores vivas e alegres esta época de nossas vidas. Desfrutar deste indescritível prazer é sem dúvida viver intensamente no melhor bairro de PortoAlegre, com seu Guaíba, suas praças, seus campos, os animais. A vocês, pessoas comuns ou não, anônimas ou não, que fazem a diferenças para nosso bairrocrescer e se desenvolver serão guardados nas nossas lembranças pelas atitudes de respeito, amizade,colaboração, contribuição. Aos heróis profissionais que colocam sua vida para nos proteger, nos dando segurança sem mediresforços e sem pedir nada em troca. Aos professores de nossa escola que nos ensinam a sermos pessoasdo bem e principalmente a todas as pessoas que acreditam que Belém Novo é, e sempre será o melhorbairro para se viver. Nossos agradecimentos a todos vocês. Há muito tempo atrás Belém Novo era habitado pelosíndios guaranis. Belém Novo era uma enorme fazenda quepertencia ao senhor Antonio Inácio da Silva o qual doou parte desuas terras para construir a Igreja, a praça central e o cemitério. Nãohavia quase estradas e as pessoas usavam carreta de boi e carroçacomo transporte terrestre. O trapiche localizado atrás da escolaEvarista servia para o transporte fluvial. Nosso bairro fica localizado a 26Km do centro de PortoAlegre. Fazem divisa com Belém Novo: Arroio da Guabiroba, PontaGrossa, Lageado e Lami. Em 1996 foi realizado o último censo emBelém Novo. Sua população é de 13.135 habitantes. Igreja Nª Srª de Belém Belém Novo é um bairro de pescadores e pertence à colônia zonal 4.Antigamente a venda de peixes era feito direto nas canoas. Hoje contamos com algumas peixarias. Os moradores, muito religiosos, construíram em 1876 a Igreja Católica Nossa Senhora de Belém.Atualmente o Frei Padre Paulo Labres administra a Igreja. Hoje contamos com outras religiões. Acomunidade de Belém tem uma grande devoção pela Nossa Senhora de Belém, padroeira do bairro e porNossa Senhora dos Navegantes, protetora dos pescadores.
  9. 9. Belém Novo é um balneário muito freqüentado pela sua beleza natural. Existia o Hotel Cassino onde as pessoas se hospedavam para desfrutar das praias, carnavais e de toda a sua beleza, ele era um hotel de luxo. Nossa orla apresenta 4 praias: Leblon, Veludo, Copacabana e Arado. A 7ª Delegacia de Policia foi criada no dia 21 de janeiro de 1966 pelo Decreto Lei 17772/66 inaugurando as 13 primeiras delegacias. O delegado atual é o senhor João Carlos S. de Mendonça. Figueira na Praia do Leblon – bairro Belém Novo O corpo de bombeiros foi construído através deum mutirão comunitário e foi fundado em 21 de junho de 1985. O comandante atual é o 1º Tenente Adroirde Andrade Farias. O posto de saúde Unidade de Saúde Belém Novo foi fundado em 1972. A partir de 17de março de 2004 passou a se chamar Unidade de Saúde Dr. Edson de Moura Braga. Contamos com dois Centros de Tradição Gaúcha (CTG): Lanceiros da Zona Sul e Piquete daAmizade. Existem 3 escolas importantes: Escola Estadual de Ens. Fund. Evarista Flores da Cunha, DiretoraRosane Moraes; Escola de Ens. Fund. Madre Raffo, Diretora Irmã Ângela Maria Pientznauer e o ColégioEstadual Dr. Glicério Alves, Diretora Ivanéria Meneses. Existiam três clubes sociais, o Belém Praia Clube, o SABEN Sociedade Amigos de Belém Novo eo Esporte Clube Xavante ainda em atividade. Havia também um cinema que funcionava numa construçãoantiga de madeira onde hoje se localiza o Banco BANRISUL. Um dos pontos turísticos de nosso bairro é a escadaria com 178 degraus, construída pelo GeneralJose Antonio Flores da Cunha. O bairro recebe de vários lugares alunos para o curso de piloto realizado noAeroclube do Rio Grande do Sul. O desenvolvimento foi chegando aos poucos e com ele o 1º ônibus doado por Podalírio Machado.Agora contamos com uma empresa de transporte coletivo Viação Belém Novo.
  10. 10. Apresentação no Salão Paroquial da Igreja Nª Srª de Belém
  11. 11. BELÉM VELHO TURMAS 11 E 13 – 1º ANO PROF.ª ELOISA É um dos bairros mais antigos da cidade e está localizado na zona sul. Foi fundado pordescendentes de açorianos que mantiveram as características como: casas baixas rentes às calçadas, ruasestreitas e a capelinha. O nome Belém Velho deve-se a devoção de Nossa Senhora de Belém. Em 1830 foi construída acapela. Nas terras de Francisca Maria de Jesus. Passados vinte anos a Igreja desabou quase total.Transferiram a sede para as margens do Guaíba, com a instalação em Belém Novo. Belém Velho nãomorreu, mas imobilizou-se no tempo. A população manifestou a vontade de construir outra capela baseada em donativos. Pontos de atração do bairro: Antigo Casario em frente à praça Figueiras centenárias Hospital Parque Belém
  12. 12. Unidade de Ensino Pacheco PratesInstituto São BeneditoAmparo Santa CruzCemitérioFesta da uva e da ameixa
  13. 13. BOM FIM TURMA 37 – 3ª SÉRIE PROF.ª MARLI Bom fim é um bairro da cidade brasileira de Porto alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul,criado pela Lei 2022 de 7 de dezembro de 1959. Dados demográficos: População/2000: 11.351 o Homens: 4802 o Mulheres: 6549 Área: 38 há Densidade: 299 hab/há Taxa de crescimento: 91/2000: (-)0,40% AA Domicílios: 4961 Rendimento médio mensal dos responsáveis pelo domicílio/2000: 15,80 salários mínimos. Histórico O Bom fim teve origem no antigo Campo da Várzea, uma área pública de 69 hectares que servia deacampamento para os carreteiros e na qual permanecia o gado destinado ao abastecimento da cidade. Ocampo de Várzea converteu-se em Campo do Bom Fim devido à construção da Capela do Senhor do BomFim, iniciada em 1867 e concluída em 1872. Até o século XIX não houve grandes alterações no local. Poucas casas velhas e algumas chácarasespalhavam-se na região. Todo o resto, segundo cronistas como Ary Veiga Sanhudo, ―era bom mato, comexcelente caça, onde inúmeras vezes encontravam seguro abrigo os escravos fugidos‖. Após a Aboliçãomuitos libertos, sem ter para onde ir, instalaram-se na região, que passou a chamar-se _extra-oficialmente-de ―Campo da Redenção‖. Por volta do final de década de 1920, os primeiros membros da comunidade judaica começaram ase instalar ao longo da Avenida Bom Fim.
  14. 14. Algumas residências, pequenas lojas e oficinas deram início ao processo de povoamento efetivo dobairro. A diversificação desse pequeno comércio acompanhou o crescimento natural da cidade, vindo oBom Fim a constituir-se como bairro residencial e comercial. Características atuais Atualmente, o Bom Fim constitui-se como bairro residencial e comercial, destacando-se assofisticadas lojas de móveis e o tradicional brique da José do Patrocínio. Apesar da atual diversidade demoradores, o Bom Fim permanece como símbolo da colonização judaica em Porto Alegre. Aos sábados e domingos é um bairro bucólico, com ares de interior, com suas feiras de artesanato,antiguidades e briques. Durante a semana, é um bairro nervoso e rápido em sua larga e extensa Av.Osvaldo Aranha. Freqüentado por intelectuais e integrantes de movimentos alternativos e de contracultura, aatmosfera do bairro é efervescente e diversificada. Nele situam-se universidades, escolas tradicionais,capelas, sinagogas, anfiteatros e parques. O Parque da Redenção é o principal ponto de atração do bairro. Limites atuais Rua Osvaldo Aranha, da esquina da Rua Sarmento Leite até a Rua Felipe Camarão, desta até aRua Castro Alves, desta e seu prolongamento em direção leste-oeste, sempre paralelo à Av. Independênciaaté encontrar o extremo da Praça D. Sebastião, daí pela Rua Sarmento Leite até a Av. Osvaldo Aranha. Av. Osvaldo Aranha, principal Avenida do Bairro Bom Fim
  15. 15. CAVALHADA TURMA 81 – 8ª SÉRIE PROF.ª KÁTIA Cavalhada é um bairro da cidade brasileira de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul e que secaracteriza por ser estreito e comprido. Foi criado pela Lei nº 2022, de 7 de dezembro de 1959. Dados demográficos: População/2000: 19.854 moradores 9 — Homens: 9.085 — Mulheres: 10.769 Área: 357 há Densidade: 56 hab/há Taxa de crescimento 91/2000: 0,10 aa Domicílios: 6.545 Rendimento médio mensal dos responsáveis pelo domicílio/2000: 7,48 salários mínimos. Limites Atuais Rua Campos Velho, da convergência do arroio Passo Fundo até a Avenida Vicente Monteggia,desta até a Estrada Eduardo Prado; desta até a Estrada Juca Batista, por esta, em direção sul/norte até aEstrada Velha da Cavalhada e daí, na direção sul/norte, por uma linha reta, seca e imaginária até o pontode convergência com o limite dos bairros Ipanema e Camaquã defronte à estrada João Salomoni, e daí emdireção Oeste/leste até a convergência da estrada Vila Maria com João Moura, Rua João Moura e seuprolongamento em linha reta, passando pela Rua Jaguari, até encontrar a Rua Cel. Massot esquina comCel. Timóteo e por esta, numa linha reta, seca e imaginária, direção sul/norte, até encontrar o ponto departida do arroio passo Fundo com a Rua Dr. Campos Velho. Histórico do Bairro Cavalhada O bairro Cavalhada, segundo o Censo do IBGE de 2000, continha 19854 moradores, em uma áreade 357 hectares. Apresenta-se no sentido norte-sul, percorrendo uma longa faixa desde o Cristal até VilaNova e Ipanema. A origem do nome do bairro é bastante remota e remete ao século XVIII, quando o sesmeiro AndréBernardes Rangel teve expropriadas suas terras para a constituição de um campo para a guarda dacavalhada pertencente à Fazenda Real, a serviço de Porto Alegre. Por ter atuado por 20 anos com essespropósitos, o local ficou conhecido como Cavalhada d’el Rey ou Campo da Cavalhada. Com a devolução dorincão ao mesmo sesmeiro, a Fazenda Real se transferiu para Viamão. Entretanto, houve denúncias de queAndré teria conseguido a devolução de uma terra pela qual já havia obtido indenização, mas aquelas terrasnão voltaram à posse governamental. Assim como a maioria dos bairros da Zona Sul, a Cavalhada sofria com as dificuldades decomunicação com o centro de Porto Alegre. Os moradores precisavam se deslocar a pé ou por carroças atéo bairro de Teresópolis para conseguir embarcar no bonde que partia da região em direção ao Centro. Aúnica via de acesso então era a Estrada da Cavalhada, que abrangia todas as atuais Avenidas CarlosBarbosa, Teresópolis, Nonoai e Cavalhada, ligando o bairro da Azenha ao Ipanema, então uma região
  16. 16. praticamente rural. A partir da década de 50, com o asfaltamento da Estrada, se tornaram populares nobairro as corridas de ―baratinha‖ (apelido dado aos carros de corrida de Fórmula 1, pelo seu formato), quepercorriam a Rua Otto Niemayer até a Tristeza, passavam pela Pedra Redonda e Ipanema e retornavampela Estrada da Cavalhada, nas chamadas ―12 horas de Porto Alegre‖. Com o crescimento urbano, cada trecho da Estrada da Cavalhada foi separado com umadesignação própria, e a Avenida Cavalhada passou a ser assim denominada por lei de 1957. As facilidadesde acesso ao bairro proporcionou sobremaneira o desenvolvimento da região, que cresceuvertiginosamente a partir de então. No entanto, com o crescimento do Cavalhada, problemas típicos foramse acumulando, principalmente a partir da década de 70: o Arroio Cavalhada, um dos mais longos de PortoAlegre (nasce próximo ao Sanatório Belém, em Belém Velho, até desembocar no Rio Guaíba) se tornouextremamente poluído e sujeito a inundações e desmoronamentos em suas margens. Apesar das inúmerasreclamações dos moradores, em alguns pontos do arroio a canalização acabou ficando porresponsabilidade dos próprios habitantes, enquanto que em outros a Prefeitura canalizou definitivamente ocórrego. Atualmente, o arroio segue com graves problemas de poluição. A presença de instituições de auxílio a populações carentes é marcante, como o Instituto SantaLuzia, entidade de apoio e educação para deficientes visuais, bem como o Cidade de Deus, ligado aoDepartamento do Secretariado de Ação Social da Arquidiocese de Porto Alegre, que desde 1960 auxilia apopulação do bairro na tentativa de melhoras das condições de vida. Fazem parte do bairro grandesloteamentos como Parque Madepinho e Jardim das Palmeiras. A duplicação das Avenidas Cavalhada eEduardo Prado estimulou a construção de condomínios fechados durante a década de 90, diferenciandouma parte do bairro da antiga conformação, na qual se destacavam prédios de menor porte. Com isso, ocomércio, que já se localizava nas principais avenidas do bairro, apresentou um novo crescimento, tornandoo Cavalhada praticamente auto-suficiente nesse sentido. Referências Bibliográficas: AHPAMV, ArquivoHistórico de Porto Alegre Moysés Vellinho. Arroio Cavalhada O Arroio Cavalhada é um dos muitos cursos d’água que cortam Porto Alegre em todas as direções.Sua nascente situa-se no alto do Morro da Pedra Redonda, de onde desce, passando pelo Morro BelémVelho e, atravessando diversos bairros, vai desaguar no Guaíba, próximo ao Cristal. Em seu percurso, ao aproximar-se do bairro Cavalhada, já está bastante poluído. Mas se subirmos na direção de sua nascente, quando nos aproximamos do bairro Belém Velho já podemos encontrá-lo em condições bastante boas. A partir daí, há trechos em que a água ainda desce cristalina entre a vegetação original, serpenteando sobre as pedras, dando-nos uma idéia aproximada de como deveria ter sido antes.
  17. 17. ―Os arroios são rios guris... Vão pulando e cantando dentre as pedras. Fazendo borbulhas d’água no caminho: bonito! (...) e às vezes vão tão devagar que conhecem o cheiro e a cor das flores que se debruçam sobre eles nos matos que atravessam e onde parece quererem sestear.‖ (Do poema ― Os Arroios‖, de Mário Quintana)Cavalhada é DemaisCavalhada é que temUm jeito legalÉ lá que as guriasEtc. e talNas manhãs de domingoNo Zaffari encontrarO Pinheiro MachadoComprando por láCavalhada me fazTão sentimentalCavalhada me dóiNão diga a ninguémCavalhada me temNão leve a malA saudade é demaisÉ lá que eu vivo em pazQuem dera eu pudesseNo shopping passearIr ao Jardim das PalmeirasDar uma volta por láPassear pelas ruasNas noites de verãoJogar um bolicheNo bar RevoluçãoCavalhada me fazTão sentimentalCavalhada me dóiNão diga a ninguémCavalhada me temNão leve a malA saudade é demaisÉ lá que eu vivo em pazCavalhada é demais...Adaptação da música Porto Alegre é Demais, feita pelo aluno Bruno José Melo Farias, turma 81.
  18. 18. CENTRO TURMA 71 – 7ª SÉRIE PROF.ª MÁRCIA O Centro é um bairro da cidade brasileira de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul.Foi criado pela Lei 2022 de 7 de dezembro de 1959 alterada pela Lei 4685 de 21 de dezembro de 1979. Características atuais Por sua antiguidade, o Centro é a área de Porto Alegre que concentra a maior parte dos marcoshistóricos da Capital, e também atuais. Alguns destes marcos são: A Praça da Matriz, atual Praça Marechal Deodoro, onde a história da cidade começou, com a construção da primeira igreja. Ali também teve início a Revolução Farroupilha. Em torno da Praça existem importantes edifícios, como o Palácio Piratini (sede do Governo Estadual), a Catedral Metropolitana de Porto Alegre, a Assembléia Legislativa e o Theatro São Pedro;
  19. 19. Cais do Porto, ponto de contato do Estado com o resto do país e do mundo;Santa Casa de Misericórdia, um marco de quase dois séculos da Medicina no Estado;Biblioteca Pública, que apresenta um raro calendário positivista em sua fachada e, em seuinterior, salas cujas decorações homenageiam culturas tão diversas como a egípcia e amourisca;Prefeitura de Porto Alegre, na Praça Montevidéu, onde está a fonte Talavera de La Reina;Igreja Nossa Senhora das Dores em estilo eclético é a mais antiga da cidade;Museu de Artes do Rio Grande do Sul (MARGS);Prédio Velho dos Correios e Telégrafos ("Correio Velho");Museu Júlio de Castilhos;Casa de Cultura Mario Quintana;Santander Cultural;Museu de Comunicação Social Hipólito José da Costa;Usina do Gasômetro;Museu da Companhia Estadual de Energia Elétrica;Mercado Público de Porto Alegre; O Centro é o lugar onde as denominações originais das principais ruas e praças se mantêm intactas graças ao uso popular. A "Rua da Praia", a mais central, é na verdade a Rua dos Andradas.
  20. 20. Limites atuais Av. Loureiro da Silva, Av. João Goulart até seu encontro com a Av. Mauá; desta até a suaconvergência com a Av. Presidente Castelo Branco; desta até seu encontro com o Largo Vespasiano JúlioVeppo; deste até o Complexo Viário Conceição (túnel, elevadas, acessos e Rua da Conceição) em seuprolongamento até a Rua Sarmento Leite; desta até a Rua Engenheiro Luiz Englert; desta até seu encontrocom a Avenida Perimetral e desta até a confluência da Av. Loureiro da Silva.
  21. 21. CIDADE BAIXA TURMA 10 – CLASSE ESPECIAL PROF.ª MARIA EDUARDA O bairro Cidade Baixa é um bairro da cidade brasileira de Porto Alegre, capital do estado do RioGrande do Sul. Foi criado pela Lei 2022 de 7 de dezembro de 1959 e teve Seus limites alterados pela Lei 4685 de 21 de dezembro de 1979. O bairro faz limites com a Av. Praia de Belas, Getúlio Vargas, Venâncio Aires, João Pessoa e parteda Borges de Medeiros. Apesar das propostas de arruamento desde 1856, boa parte da Cidade Baixa permaneceudesabitada por vários anos, principalmente o trecho entre as atuais rua Venâncio Aires e Rua da República.Consistia em um terreno baixo e acidentado, cortado por árvores e capões, que dificultavam o trânsito efacilitavam os esconderijos. O lugar abrigava tanto escravos fugidos quanto bandidos. Em meados do século XIX, ―Cidade Baixa‖ foi a designação utilizada para toda a região situada aosul da colina da Rua Duque de Caxias. Mas, o território que hoje é conhecido como bairro Cidade Baixapossuiu vários nomes associados ao seu território: Arraial da Baronesa, Emboscada e ilhota. A implantação das linhas de bonde de tração animal, através do Caminho da Azenha (Av. JoãoPessoa) e da Rua da Margem (João Alfredo) contribuiu para a urbanização do local. A partir de 1880 novasruas foram inauguradas, como a Lopo Gonçalves e a Luiz Afonso. A atual Rua Joaquim Nabuco também foioficialmente aberta nessa época, batizada de Rua Venezianos, pois sediava o famoso grupo carnavalescocom o mesmo nome. O carnaval da Cidade Baixa era reconhecido e prestigiado na época, com destaquespara os coros que movimentavam as ruas. Características Atuais Atualmente, o bairro se caracteriza pela grande quantidade de bares e é conhecido por ser o localpreferido dos boêmios da cidade, principalmente nas ruas General Lima e Silva, República e João Alfredo. Shopping Nova Olaria Bar Opinião
  22. 22. Situa-se próximo ao Parque Farroupilha (também conhecido como Redenção), uma das áreas mais arborizadas da capital gaúcha. A proximidade do campus antigo da UFRGS Favorece a concentração de universitários, intelectuais e artistas. Parque Farroupilha ou Redenção O terreno baixo é irregular como define o próprio nome do bairro Cidade Baixa, deixou o bairroisolado por muitos anos apesar das várias tentativas de ocupação que surgiram desde 1856. Da Azenha(atual João Pessoa), e da Rua da Margem (atual João Alfredo), onde, na época chegava, o rio. Da Rua daMargem saíam várias ruelas todas conhecidas por becos. Muitas delas se tornariam famosas por seusnomes estranhos tais como: Beco do Vintém, Beco do Curral das Éguas, Beco dos Coqueiros e BecoAjuda-me a viver. Apesar de projetos de arruamento terem sido propostos desde 1856, boa parte da Cidade Baixa permaneceu desabitada por vários anos, principalmente entre os trechos entre as atuaisVenâncio Aires e Rua da República, conhecido pelo nome de ―Emboscadas‖. A partir da década de 1880, novas ruas foram abertas como a Lopo Gonçalves e a Luiz Afonso quehomenageavam vereadores da cidade. A Joaquim Nabuco, chamada também de Rua dos Venezianos, foiaberta nesta época. O nome era uma homenagem a um famoso grupo carnavalesco. Aliás, o carnaval daCidade Baixa era um dos mais reconhecidos e prestigiados da época. Outra característica marcante dobairro era a atmosfera familiar que imperava. As famílias de classe média costumavam colocar cadeiras nacalçada, assistiam matinês no cinema Capitólio e frequentavam armarinhos em busca de secos e molhados. Avenida Praia de Belas A origem do nome da Avenida Praia de Belas é controvertida. A via de cerca de 2,3 mil metros eque batiza o bairro nasceu as margens do Guaíba. Já no século XIX, a faixa de terra à beira d água eraconhecida como Caminho de Belas. A versão mais aceita é a de que o nome refere-se a Antônio Rodrigues Belas, comerciante emorador da região. Avenida Venâncio Aires Em 11/12/1889, quando a Rua do Imperador mudou para a Rua da República, a Rua da Imperatrizmudou para Rua Venâncio Aires, em homenagem ao ilustre paulista: Venâncio de Oliveira Aires, político ejornalista, cunhado de Pinheiro Machado, propagandista da República e diretor do jornal ―Federação‖. Avenida João Pessoa A Avenida João Pessoa inicia no centro da Capital, na Avenida Salgado Filho.Limite: à leste o Bairro Cidade Baixa, Bairro Farroupilha/Redenção, Bairro Santana e finaliza na Av. Bento
  23. 23. Gonçalves/Bairro Azenha. João Pessoa Cavalcante de Albuquerque nasceu na Paraíba, em 1878 foi grandeadvogado e político, trabalhou na Justiça Militar, foi Auditor Geral da Marinha e Ministro do SupremoTribunal Militar. Largo Zumbi dos Palmares O Largo Zumbi dos Palmares, constituiu-se em espaço privilegiado de convivência comunitária. Arealização de uma das maiores feiras-livres do Rio Grande do Sul consolida-se como tradição no bairro.Como costuma acontecer com as feiras-livres, a Feira ali realizada auxilia na regulação dos preços aoconsumidor, além de ser um ponto de encontro entre os moradores do bairro e arredores. Rua da República A antiga Rua do Imperador inicia na Avenida João Pessoa e vai até a Praia de Belas. Sua criação foi proposta pelo vereador Luiz da Silva Flores, em 23/l1/1945, para homenagear a visita do Imperador D. Pedro II e D. Tereza Cristina, a Imperatriz que pela mesma razão e ocasião, originou a criação da Rua da Imperatriz (atual Av. Venâncio Aires). A proposta foi analisada pela Câmara Municipal em 30/10/1845, que aprovou a abertura destas duas ruas. As Rua da República copas das árvores se uniram formando um lindo túnel. Travessa dos Venezianos Travessa inicia na Rua Lopo Gonçalves e termina na Rua Joaquim Nabuco – unindo-as. Em 06 dejulho de 1936, quando a Rua Venezianos mudou seu nome para Joaquim Nabuco, conservou adenominação original TRAVESSA VENEZIANOS, para esta pequena ligação constituída de um conjunto de casas em fita/açorianos que foram tombadas pelo Patrimônio Cultural do Município. Estas casas são ditas, em fita, por possuírem telhado contínuo e, apenas uma parede divisória comum entre elas. O módulo, de um grupo lateral, tem duas janelas e uma porta central. No outro lado, o módulo apresenta apenas uma porta e uma janela. A distância entre estes módulos tem a largura de apenas 09 metros, para trânsito calmo e social. A denominação VENEZIANOS faz nos crer, constituir Travessa dos Venezianos
  24. 24. uma homenagem a Sociedade Carnavalesca alojada naquele local e que disputava nos desfilesclassificação com a Sociedade Carnavalesca Esmeralda. Entretanto, relatos históricos referem às inundações ocorridas copiosamente, em época de chuvas,num passado distante, lembrando Veneza (Itália). PONTOS TURISTICOS DO BAIRRO CIDADE BAIXA Ponte de Pedra – Foto Antiga Ponte de Pedra Atualmente Casario antigo – Rua João Alfredo Igreja Sagrada Família
  25. 25. História do Príncipe Negro Custodio Joaquim de Almeida O Príncipe Custódio, morou na rua Lopo Gonçalves, 498, bairro Cidade Baixa. CUSTODIO JOAQUIM DE ALMEIDA, nasceu no antigo reino de DAOMÉ (atual BENIN), em uma fortaleza portuguesa chamada São João Batista de Ajudá. Seu nome verdadeiro era OSUANLELE OKIZI ERUPÊ. Quando o país foi invadido em 1897 pela Inglaterra, os ingleses fizeram um acordo: Custodio poderia viver em qualquer lugar do mundo, sendo custeado pela coroa inglesa, mas não poderia pisar em solo Africano. Evitando o massacre do seu povo. Custodio partiu para o exílio, foi para o Brasil, chegou com 70 anos. Primeiro foi para Salvador, depois Rio de Janeiro, chegou ao Rio Grande do Sul, indo para Rio Grande, Pelotas e finalmente instalou-se em PortoAlegre, a convite de Julio de Castilhos, que possuía câncer na garganta. O Príncipe teve 8 filhos: 5 meninas e 3 meninos. Aos poucos a família foi crescendo já eram 26pessoas vivendo com o Príncipe. Carlinda, esposa de Borges de Medeiros, procura o Príncipe, ela vai pedir proteção para seumarido, está preocupada com as lutas entre Chimangos e Maragatos. As festas que aconteciam na casa do Príncipe duravam 3 dias e 3 noites, com muita comida ebebida do bom e do melhor. Ricos e pobres compareciam as festas. No verão, o programa era ir para a praia de Cidreira, naquela época uma viagem que duravamalguns dias, o Príncipe levava semanas, pois era aguardado com festas em muitos lugares. Mas a maior festa que o bairro CIDADE BAIXA já viu, foi quando o Príncipe completou 100 anos.Muita gente ―de bem‖ foi abraçá-lo em sua casa. Para mostrar aos convidados que estava bem de saúde,ele montou num cavalo e saiu a galopar. O Príncipe andou a cavalo até dias antes de morrer. No dia 26 de maio de 1936, morre o Príncipe Negro Custodio Joaquim de Almeida aos 104 anos. Verdade ou mentira? Historia ou lenda? O Príncipe Negro Custodio Joaquim de Almeida, existiu ounão? Será que estas perguntas ficarão eternamente sem respostas? O Príncipe existiu, hoje ainda estãovivos um filho que mora em Porto Alegre e duas filhas uma São Paulo e outra no Rio de Janeiro.
  26. 26. Participaram desta peça: Príncipe – Nilson Mãe e esposa do Príncipe – Camila Carlinda - esposa de Borges de Medeiros – Jaqueline Empregado - Greisso Julio de Castilhos – Henrique Filho do Príncipe – Renan Narradora – Professora Maria Eduarda A Turma 10/Classe Especial agradece a professora Silvia, por nos ceder às alunas Camila eJaqueline, a professora Eloísa por nos ceder o aluno Renan e agradecemos aos alunos por colaboraremconosco.
  27. 27. CRISTAL TURMA 52 – 5ª SÉRIE PROF.ª CRISTINA Há duas versões para o bairro ter o nome de Cristal: a primeira fala que o General Bento Gonçalvesda Silva e sua tropa, anos antes da Revolução Farroupilha, teria repousado sob a sombra de uma figueirana região – esta, conservada até hoje pelos moradores do bairro situada na confluência da Rua Curupaiticom a Av. Dr. Campos Velho. Como Bento possuía uma estância denominada Cristal, pode ter sido este omotivo do nome do bairro. A segunda versão trata do fato de que, no espaço onde se consagrou o bairro, havia uma ricaconcentração de quartzos, que brilhavam no solo da região, fazendo com que a terra, brilhasse aos olhosdos navegadores no rio, levando-os a apelidar a zona de ―cristal‖. Apesar de a área fazer parte, primeiramente, da Sesmaria do Tenente Sebastião Francisco Chavese ter como denominação Estância São José, uma ocupação mais efetiva do arraial, posteriormente bairro,iniciou somente no século XIX, com a chegada de famílias italianas que cultivavam pomares e hortas. Háregistros, também, que apontam para a existência, nesta mesma época, de charqueadas na região.
  28. 28. No decorrer do século XIX, o Cristal passou a abrigar importantes instituições como a Hospedariapara Imigrantes em 1881, que cedeu lugar, dezoito anos depois, ao alojamento do 3o Batalhão de Infantariada Brigada Militar e onde, posteriormente, foi construída a Enfermaria da Brigada. Neste mesmo período, háum fato que tornou a área pouco atraente para novos moradores: tratava-se de local escolhido pelo PoderPúblico para o despejo dos chamados cubos, depósitos usados para carregar dejetos humanos da áreacentral para a Ponta do Melo, também conhecida como Ponta do Asseio. Durante a primeira metade do século XX, o Cristal insere-se no caráter de urbanização emodernização concebido pela Capital, visto ter sido escolhido para abrigar o Hipódromo, o que se traduziaem urbanização, modernidade e status. Outras instituições posteriormente se instalaram no bairro, como oEstaleiro Só e a fábrica de garrafas térmicas Termolar. Em função desse amplo estágio de urbanização, avenidas foram asfaltadas, ruas foram abertas e novas edificações construídas. Como pontos turísticos do bairro estão, além do Jockey Clube, o Clube Veleiros do Sul, o Iate Clube Guaíba , o Museu Iberê Camargo, Barra Shopping Sul , Hipermercado Big, a TV Cristal e não esquecendo do lindo pôr do sol às margens do Guaíba. Museu Iberê Camargo
  29. 29. FARRAPOS TURMA 83 – 8ª SÉRIE PROF.ª RENATA Farrapos é um bairro da cidade brasileira de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul.Foi criado pela Lei 6218 de 17 de novembro de 1988. Dados demográficos: População/2000: 17.019 moradores o Homens: 8.193 o Mulheres: 8.826 Área: 165 ha Densidade: 103 hab/ha Taxa de crescimento 91/2000: 2,6% aa Número de domicílios: 4.814 Rendimento médio mensal dos responsáveis pelo domicílio/2000: 3,00 salários mínimos Rendimento médio mensal do chefe do domicílio/1991: 2,2 salários mínimos Limites atuais Ao norte, desde o limite da faixa portuária seguindo pela Av. Padre Leopoldo Brentano em toda asua extensão; ao leste, a partir do ponto de encontro das avenidas Padre Leopoldo Brentano e aA.J.Renner seguindo na extensão desta até a Rua Dona Teodora; ao sul, pela Rua Dona Teodora, desde aAv. A.J.Renner até o ponto de encontro com D. Teodora com a Rua Voluntários da Pátria, seguindo emlinha perpendicular até e no sentido do Cais Marcílio Dias; a oeste, a partir do Cais Marcílio Dias, na alturada Rua D. Teodora, daí seguindo no sentido da Rua João Moreira Maciel até o limite da faixa portuária. A Av. Farrapos foi aberta em 1940 e estava prevista no ―Plano de Melhoramentos‖ do eng. JoãoMoreira Maciel desde 1914. Histórico O bairro teve início pela Estrada da Floresta (atual Cristóvão Colombo), que ligava o centro aolongínquo morro coberto de densa vegetação arbustiva, verdadeira mata virgem. Com o tempo, esta florestafoi virando lenha para os fogões domésticos ou servindo de matéria-prima para madeireiras da região.Assim, o morro foi sendo pelado, a estrada habitada e o bairro foi sendo gerado. Em dezembro de 1849, no topo do morro ainda bastante arborizado, foi inaugurado um hospital, aCasa de Saúde Bela Vista. Mais de cinqüenta anos depois, em 1903, o hospital foi adquirido pelo Exército,tornando-se o Hospital Militar da Terceira Região, que contribuiu para o desenvolvimento urbano da região,mas que atualmente não pertencendo mais aos limites do bairro. Em 1888 foi construída a Igreja de São Pedro. Com a construção da igreja, em terreno doado poruma senhora muito religiosa, Dona Carmen, a urbanização da região tomou novo impulso.
  30. 30. Com o passar do tempo, observou-se a tendência industrial da região, abrigando, entre outras, aBopp, Sasse, Ritter e Cia. Ltda. e a Cervejaria Brahma. Nas redondezas das fábricas, os funcionários foramconstruindo suas casas. Em 1925 o bairro foi remodelado, modernizando sua estrutura. Hoje, conta com grande variedadecomercial, preservando ainda algumas de suas indústrias e não deixou de ser residencial. Outras igrejasforam erguidas, católicas e protestantes, respeitando a homogeneidade de seus moradores. Características atuais Atualmente, possui muitos prédios, na maioria antigos. Este bairro é conhecido principalmente peloaltíssimo índice de prostituição, tanto nas avenidas principais, quanto em ruas paralelas. Pode-se acharuma quantidade enorme de boates, além da chamada "prostituição de rua", à noite. Durante o diacaracteriza-se por ser um grande bairro comercial, com moradias humildes e pitorescas, em razão dosprédios antigos, em sua maioria das décadas de 1950, 1960 e 1970, tendo os mesmo pouca ou, às vezes,nenhuma conservação. Em virtude de sua história arquitetônica (imóveis de grande porte) juntamente com a desvalorizaçãoque o bairro sofreu em virtude do descaso da prefeitura, oportunidades surgiram. Muitos empreendimentosde grande porte, como o Shopping Total e o Shopping Floresta, bem como a migração de muitas empresasde médio porte, estão contribuindo de forma significativa para o melhoramento do bairro. Outro fator importante é que sua proximidade com o centro da capital gaúcha proporciona àsempresas e aos seus moradores facilidades no manejo e logística. Atualmente com os aportes financeirosde capital privado, espera-se que o bairro encontre novo impulso rumo ao progresso do passado. Localização Próximo ao centro de Porto Alegre, e sendo via principal do aeroporto para o centro, este bairro temem como principais avenidas: Farrapos, Cristóvão Colombo, São Pedro e Voluntários da Pátria. Faz divisa,além do centro, com os bairros Moinhos de Vento, Higienópolis e São Geraldo.
  31. 31. FLORESTA Foi pela Estrada da Floresta ( Cristóvão Colombo ), que tudo começou, ― ligando o centro aolongínquo morro coberto de densa vegetação arbustiva, verdadeira mata virgem...‖ Com o tempo, estafloresta foi virando lenha para os fogões domésticos ou servindo de matéria-prima para madeireiras daregião. Assim, o morro foi sendo pelado, a estrada habitada e o bairro se gerando. Em 1849, no topo do morro ainda bastante arborizado, construiu-se um prédio que em dezembro do mesmo ano, inaugurou um hospital, a Casa de Saúde Bela Vista. Mais de cinqüenta anos depois, em 1903, o hospital foi adquirido pelo Exército para tornar- se o Hospital Militar da Terceira Região, não pertencendo mais aos limites do bairro Floresta, mas que ao seu tempo, contribuiu para o desenvolvimento urbano de toda aquela região. A instalação de um hospital por aquelas terras gerou a necessidade de abrir-se vias de acesso. Assim, ano após ano, via-se surgindo em torno da Estrada da Floresta e demais vielas, casas e, logo em seguida, algumas pequenas fábricas, principalmente madeireiras e serralherias. Logo surgiu ali um espírito de comunidade, e com ele a inspiração de se ter uma igreja. Em 1888 foi construída a Igreja de São Pedro, legitimando o processo de desenvolvimento comunitário do bairro. Ainda por esse tempo, o único acesso com acidade era a Estrada da Floresta, isolando a região do centro da cidade. Com a construção da igreja, emterreno doado por uma senhora muito religiosa, Dona Carmen, a urbanização da região toma novo impulsoe já pelo início deste século vê-se alguns bondinhos passar por lá. É então que o nome da estrada principalse espalha e estende-se a todo território, inspirando o surgimento do bairro Floresta. Desde o final do século passado, observa-se a tendência industrial da região, abrigando, entreoutras, a Bopp, Sasse, Ritter e Cia. LTDA., onde hoje é a Brahma. Nesta cervejaria fabricaram-se asfamosas Continental e a Elefante, que há seus tempos foram as melhores cervejas que se tinha.
  32. 32. Não demorou muito para que os funcionários destes inúmeros postos de serviço construíssem suascasas pelas redondezas de suas fábricas. Em 1925 o bairro é remodelado, modernizando sua estrutura. Hoje, conta com grande variedade comercial, preserva ainda algumas de suas indústrias e nãodeixou de ser residencial. Outras igrejas foram erguidas, católicas e protestantes, respeitando ahomogeneidade de seus moradores.
  33. 33. GLÓRIA TURMA 72 – 7ª SÉRIE PROF.ª ELISA Glória é um bairro da cidade brasileira de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul. Foicriado pela Lei 2022 de 7 de dezembro de 1959, com limites alterados pela Lei 2681 de 21 de dezembro de1963. Dados demográficos População/2000:8.809 moradores o Homens: 3.996 o Mulheres: 4.813 Área: 105 ha Densidade: 84 hab/ha Taxa de crescimento 91/2000: (-)0,4% aa Número de domicílios: 2.750 Rendimento médio mensal dos responsáveis pelo domicílio/2000: 10,37 salários mínimos Histórico Aspecto ainda semi-rural dos arredores do Morro da Glória, também conhecido como Morro daPolícia O arraial da Glória nasceu, no final do século XIX, por iniciativa da família Silveira Nunes, que doouao poder público um terreno através do qual foi aberta uma via de ligação entre duas estradas paralelas,hoje conhecidas como Av. Carlos Barbosa e Av. Oscar Pereira. A denominação Glória, segundo a tradição, remete à figura de Dona Maria da Glória, esposa docoronel Manoel Py, o proprietário de um sobrado que servia como ponto de referência na região.
  34. 34. Antes do processo de urbanização, o bairro correspondia a um campo vasto, repleto de árvores degrande porte. Nessa época, o único caminho existente era a Estrada de Belém - que ligava Porto Alegre àpovoação de Belém Velho - posteriormente chamada de Estrada da Cascata e, atualmente, de AvenidaProfessor Oscar Pereira. A inauguração da linha de bondes Glória, em 1896, contribuiu para o crescimento do bairro. Umdesenvolvimento mais intenso, todavia, se daria apenas a partir de 1935, quando o serviço regular deabastecimento de água foi implantado. Entre 1893 e 1894 foi construída uma pequena capela que foi substituída, em 1915, pela Igreja de Nossa Senhora da Glória. No bairro também se localiza o Morro da Glória, mais conhecido como Morro da Polícia (com 287 metros de altitude) que, junto com a Igreja da Glória, se constituem em símbolos do bairro. O Morro da Glória oferece magníficos panoramas de todo entorno, desimpedidos de qualquer obstáculo visual em todas as direções salvo pelos lados Leste e Nordeste, e ainda em certas partes apresenta características quase Igreja Nª Srª da Glória rurais, mesmo distando relativamente pouco do Centro da cidade. Bem sobre o cume foi erguido o Santuário católico da Mãe de Deus. O bairro também é conhecidopor lá ter morado o cantor Teixeirinha. Limites atuais Rua Nunes da ponte sobre o Arroio Cascata até a Avenida Professor Oscar Pereira; por esta até aRua João VI seguindo até o Arroio Águas Mortas; pelo talvegue deste até encontrar a Rua Allan Kardec eseu prolongamento por uma linha reta, seca e imaginária, na direção norte-sul, até encontrar a RuaManduca Nunes; por esta até encontrar a Rua Ascensão; desta, em direção sul, até a Rua Domício daGama e desta até a Rua Madre Ana indo, por esta última via pública, até a Rua Professor Carvalho deFreitas; desta até a Avenida Cel. Aparício Borges seguindo até o ponto sobre o Arroio Cascata e, pelotalvegue deste arroio, no sentido sul/norte, até a ponte da Rua Nunes na junção com a Rua Irmãos Calvet.Roteiro de Peça de Teatro Apresentada por alunos da Turma 72Victória - Oi gente! Nós da turma 72 estamos conhecendo e aprendendo a história do bairro GlóriaGraziele pergunta pra Victória – Victória tu sabe dizer como era antigamente o bairro Glória?Victória – Ah eu sei que lá pelo Século XIX (19) era conhecido como Arraial da GlóriaGraziele – Mas, Luan conta pra nós como nasceu o bairro Glória?Luan – Bom, foi assim: uma família chamada Silveira Nunes doou um terreno para o poder público e foramabertas duas estradas. Você sabe Paula, quais eram estas estradas?
  35. 35. Paula – Sei sim, a Av. Carlos Barbosa, que passa em frente ao Estádio Olímpico e a Estrada da Cascata, que atualmente se chama Profº Oscar Pereira, aquela onde tem vários cemitérios. Graziele - Ouvi falar de umas Chácaras no bairro... Victória - Ah sim, existiam muitas, pois com o inicio do bairro, as famílias vinham passar as férias ou fins de semana, já que o bairro era muito afastado do centro da cidade. Integrantes da peça e Professora ElisaGraziele – Alguém sabe dizer por que o bairro se chama Glória?Luan - Existem duas hipóteses:A primeira é que nome foi dado em homenagem a Dona Maria da Glória, esposa de um proprietário dobairro, coronel Manoel PyPaula – E a segunda é que foi devido a ―Gloriosa‖ Proclamação da República, um ano antes.
  36. 36. HIGIENÓPOLIS TURMA 82 – 8ª SÉRIE PROF.ª ELISA Higienópolis é um bairro da cidade brasileira de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande doSul. Foi criado pela Lei 2022 de 7 de dezembro de 1959. Dados demográficos População/2000: 9096 moradores o Homens: 4211 o Mulheres: 4885 Área: 103 ha Densidade: 88 hab/ha Taxa de crescimento 91/2000: 0,1% aa Domicílios: 3396 Rendimento médio mensal dos responsáveis pelo domicílio/2000: 17,53 salários mínimos Características atuais Neste bairro localizam-se algumas escolas, entre as quais o Colégio Pastor Dohms, fundado em1931, e o Colégio Dom Bosco, fundado em 1952, que também é faculdade desde 2003. A paróquia católicaestá localizada ao lado da escola. No bairro também está localizado o Cemitério São João Batista e a sede de uma paróquia luterana,a Igreja Martin Luther, existente desde 1934.Em 1983 foi construída uma nova sede. A paróquia dispõe deum órgão de tubos, e por isso ali são realizados diversos concertos. Entre as suas praças, está a Praça Província de Shiga.
  37. 37. Praça Província de Shiga Limites atuais Avenida Plínio Brasil Milano, da esquina da Av. Carlos Gomes até a Rua Mal. José Inácio da Silva;desta até a Travessa Mal. Semeão e Travessa Humaitá, e por esta e seu prolongamento até encontrar aRua Américo Vespúcio; desta até a Rua São Francisco da Califórnia; desta até a Rua Cristóvão Colombo epor esta até a Rua Dom Pedro II; desta até o seu projetado prolongamento até a Av. Carlos Gomes noentroncamento com a Av. Plínio Brasil Milano.
  38. 38. HÍPICA TURMAS 34 E 36 – 3ª SÉRIE PROF.ª GISELE Hípica é um bairro da cidade brasileira de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul. Foicriado pela Lei 6893 de 12 de setembro de 1991. Seu nome é atribuído a presença em seus limite daSociedade Hípica Porto alegrense. Sociedade Hípica Porto-alegrense Dados demográficos População/2000: 10.363 moradores o Homens: 5.065 o Mulheres: 5.298 Área: 447 ha Densidade: 23 hab/ha Taxa de crescimento: - Número de domicílios: 2.924 Rendimento médio mensal dos responsáveis pelo domicílio/2000: 4,85 salários mínimos
  39. 39. Limites atuais Estrada Cristiano Kraemer com Av. Juca Batista e desta última até o Arroio do Salso; pelo arroio, nadireção da foz, até o seu ponto de encontro com a rua Dorival Castilhos Machado; deste ponto, por umalinha reta, seca e imaginária, até o encontro da Rua Agenor com Beco do Osório; deste ponto, por umalinha imaginária, coincidindo com a rua projetada Diretriz 6315 do Plano Diretor, até o prolongamento da ruaGiorgio Negroni; por esta rua e seu prolongamento até a esquina da estrada Cristiano Kraemer com a Av.Juca Batista. Novos limites foram propostos para o bairro no projeto de lei PLL No 053/08.
  40. 40. Urbanização O bairro atualmente está em crescimento demográfico, contando com loteamentos de boainfraestrutura, tais como Vila Nova Ipanema, Urubatã, Nova Ipanema, Moradas da Hípica, Moradas do Sul eParque Amazônia.
  41. 41. IAPI TURMA 41 – 4ª SÉRIE PROF.ª CRISTIANI O IAPI (pronuncia-se I-A-P-I, letra por letra), foi um dos primeiros bairros operários de Porto Alegre, erguido na década de 40. Foi criado durante o governo do prefeito Ildo Meneghetti, seu nome tem origem no Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Industriários (IAPI), que financiou projetos de habitação popular em grandes cidades do Brasil. A residente mais ilustre foi Elis Regina, que nasceu e cresceu no lugar. É um bairro predominantemente de classe-média baixa e pobre, mas tem muitas construções interessantes. A Vila do IAPI, berço de personagens como Elis Regina e David Coimbra, é um conglomerado deprédios e casas de arquitetura peculiar e semelhante a um grande loteamento, localizado na cidadebrasileira de Porto Alegre. Reportagens Elis Regina – trazidas pela turma
  42. 42. Localização O bairro localiza-se entre os bairros Passo dAreia, Boa Vista, Higienópolis e São João, e suasprincipais referências são as avenidas Plínio Brasil Milano e Assis Brasil. Não é um bairro oficial de PortoAlegre, estando na verdade localizado no bairro Passo dAreia. Neste bairro surgiu a escola de samba União da Vila do IAPI. Escola de Samba União da Vila IAPI
  43. 43. INDEPENDÊNCIA TURMA 55 – 5ª SÉRIE PROF.ª CERES Localizado próximo ao Centro de Porto Alegre, o bairro Independência tem suas origens nosegundo quartel do século XVIII. Seu eixo principal, Avenida Independência, foi um caminho que surgiu espontaneamente, como uma das saídas da vila de Porto Alegre para a Aldeia dos Anjos (atual cidade de Gravataí). Neste período, tem início a povoação da região, impulsionada pela construção do moinho de vento e fundação da Igreja da Conceição, em 1858. Na mesma época, é fundada a Beneficência Portuguesa, que se instala, primeiramente, numa sala cedida pela Santa Casa, passando, em 1858, para sua sede própria, na rua da Figueira, atual Cel. Genuíno, aguardando a construção do Hospital, que é inaugurado em 1870. No mesmo local até os dias de hoje, o prédio matriz conserva seus traços originais, mesmo após suas instalações receberemampliações e reformas. Em finais do século XVIII é implantada linhas de bondes na região. Localizado emparte elevada da metrópole, o bairro começa a tornar-se local preferido da classe média porto-alegrense, noinício do século, sobretudo a Av. Independência. As construções ali realizadas – de destacada arquitetura - demonstram o crescimento industrial ecomercial da cidade. Aos poucos, a partir da décadade 1940, o desenvolvimento e urbanização de outrosarrabaldes em Porto Alegre fez com a classe médiadiminuísse seu interesse por ali residir, e as casasresidenciais dão lugar a grandes prédios deapartamentos e comerciais. Ainda assim, mantém-secomo um bairro tradicional, com antigos moradoresainda ali residindo, oriundos das famílias que seinstalaram em seus primeiros tempos. Oficializado emdezembro de 1959 pela lei nº 2.022, atualmentedispõe de um variado comércio e serviços, mesclando ares de bairro residencial e comercial. Além da Beneficência Portuguesa, está ali situado o hospital Presidente Vargas, inaugurado em1947, mas desde 1978 presta serviços especializados no atendimento de adolescentes, de grávidas de altorisco e com uma bem equipada UTI neo-natal; também presta atendimento na área da saúde mental. Boaparte do Hospital Moinhos de Vento está sediada no bairro. No início da primeira década de 2000, oHospital da Criança Santo Antônio, antiga instituição de Porto Alegre, é transferido para Av. Independência,esquina com a rua Sarmento Leite. Também dispõe de instituições de ensino tradicionais como os Colégios
  44. 44. Bom Conselho (fundado em 1905) e Nossa Senhora do Rosário, fundado em 1904, mas no prédio queocupa até hoje desde 1926. Duas antigas praças fazem parte do bairro: a praça Dom Sebastião, em frente à Igreja da Conceição,que possui este nome desde 1884, e a Praça Júlio de Castilhos, que é assim conhecida desde 1890.
  45. 45. IPANEMA TURMA 44 – 4ª SÉRIE PROF.ª CRISTIANE O bairro Ipanema foi criado por lei que data de 1959. As origens do bairro remontam ao início dadécada de 1930, quando o Ipanema não passava de uma grande zona rural de Porto Alegre. Locaisvizinhos como a Pedra Redonda, Tristeza e Cavalhada já apresentavam ocupação anterior a esta data, maso Ipanema ainda era uma região desabitada. Dessa forma, Oswaldo Coufal comprou uma parte dapropriedade então pertencente a Otto Niemayer, para em seguida loteá-la. O bairro era caracterizado por ser uma zona de cultivo de arroz, milho, aipim e frutas, além dapresença de gado leiteiro. Toda essa produção era obtida através da irrigação que o Arroio Capivara proporcionava à região. A única possível via de acesso ao Ipanema era pela Estrada da Cavalhada. O bairro foi assim batizado por Oswaldo Coufal, que desejava homenagear a homônima praia de Ipanema, na capital carioca. Com a chegada dos primeiros moradores ao local, a idéia da construção da Igreja de Nossa Senhora Aparecida tomou corpo em 1937, com o forte incentivo de Dea Coufal (esposa de Oswaldo e hoje nome de uma ruado bairro). No entanto, algo que parece deixar claro o quanto o bairro permaneceu ainda um tantodesconhecido é o fato de que o primeiro pároco da Igreja assumiu seu posto apenas em 1959. Com estiloespanhol colonial, da Igreja parte a tradicional procissão dos motoqueiros, no dia 12 de outubro. Durante as décadas de 50 e 60, o Ipanema passou a ser um bairro não apenas de veraneio, mastambém residencial. Moravam às margens do Guaíba alguns dos profissionais liberais mais bem sucedidosda capital, como médicos e advogados, o que dava um caráter aristocrático ao bairro. Por estascaracterísticas balneárias, o bairro se tornou local de várias sedes campestres, como a da AABB e a daFundação Rubem Berta. No entanto, ao final da década de 60, a região perde sua balneabilidade devidoaos progressivos problemas de poluição que começavam a criar dificuldades em Porto Alegre. Passandopelos mesmos problemas ambientais da maioria das demais praias da capital, o Ipanema ficou esquecidopelas autoridades durante a década de 1970 e início da de 1980. Com isso, reclamações da populaçãoenvolvendo o Arroio Capivara, como constantes alagamentos e mau cheiro foram deixadas de lado.Entretanto, o córrego foi canalizado em algumas partes. A partir da segunda metade da década de 80, oIpanema volta a ser motivo de atenção, graças aos projetos de Prefeitura sobre a construção de um aterro,que aumentaria a largura da faixa de areia da praia. No entanto, o projeto não foi adiante pela discordânciaentre a população do bairro e o governo municipal.
  46. 46. Calçadão do bairro Ipanema No início da década de 1990, a Prefeitura elaborou um novo projeto paisagístico e urbanístico parao Ipanema, dentro do programa Guaíba Vive. No entanto, a retirada dos bares irregularmente instalados nabeira da praia foi extremamente longa, tendo sido essa polêmica iniciada em 1989 e somente encerrada em2000. Entretanto, a própria Prefeitura pôs o antigo plano em banho-maria, pois acreditou ser necessário umnovo projeto que abarcasse o planejamento de toda a orla do Guaíba conjuntamente, e não cada bairro terseu próprio modelo. No início de 2004, o Morro do Osso, localizado no norte do bairro, foi ocupado por cerca de 25famílias de índios caingangues, que afirmam ser antigos moradores do local, devido à presença de umcemitério indígena na região. Até os dias de hoje, a situação não foi definida. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: AHPAMV, Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho. FRANCO, Sérgio da Costa. PortoAlegre: Guia histórico. Porto Alegre: Ed. da Universidade/UFRGS, 1992. Http://www.portoalegre.rs.gov.br
  47. 47. JARDIM BOTÂNICO TURMA 33 – 3ª SÉRIE PROF.ª ROSEMARI Jardim Botânico é um bairro da cidade brasileira de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grandedo Sul. Foi criado pela Lei 2022 de 7 de dezembro de 1959. Dentro deste bairro fica o Jardim Botânico dePorto Alegre Dados demográficos População/2000: 11.494 moradores o Homens: 5163 o Mulheres: 6331 Área: 203 ha Densidade: 57 hab/ha Taxa de crescimento 91/2000: (-)0,6% aa Domicílios: 4171 Rendimento médio mensal dos responsáveis pelo domicílio/2000: 12,32 salários mínimos Limites atuais Do ponto de convergência da Av. Ipiranga (talvegue do Arroio Dilúvio) com a Rua Gen. Tibúrcio;desta pela Rua Eça de Queiroz, Rua Itaboraí e Rua Machado de Assis; desta até a Rua Felizardo atéencontrar a Rua Felizardo Furtado; desta até o limite norte com o Jardim Botânico e por este limite semprepor uma linha reta, seca e imaginária, direção oeste/leste, até a Avenida Cristiano Fischer; por esta até aAv. Ipiranga seguindo pela linha do Arroio Dilúvio até o ponto de convergência com a Rua Gen. Tibúrcio.
  48. 48. LAMI TURMA 42 –46ª SÉRIE PROF.ª KARLA O bairro Lami até a década de 70 era bastante isolado do restante da cidade e seus moradoreseram, em sua maioria, pescadores que retiravam do Guaíba seu sustento, uma vez que as águas erampróprias para pesca. O bairro não possuía vias de ligação com o centro da cidade e isso dificultava uma maior integraçãoeconômica entre os pescadores e os locais de venda de seus produtos. A partir da década de 70, a construção da estrada ligando Lami e Belém Novo contribuiu para umavalorização do bairro.
  49. 49. Também foram fatores que contribuíram para o crescimento do bairro Lami: Constituição da Reserva Ecológica do Lami Incentivo ao turismo Reserva indígena Guarani Instalação do aterro sanitário Projeto de urbanização e paisagismo Calçadão Novo sistema de iluminação públicaEm 1992 o Lami foi o primeiro bairro de Porto Alegre a ter suas águas liberadas para banho.
  50. 50. MENINO DEUS TURMA 63 – 6ª SÉRIE PROF.ª LUCY É um dos bairros mais antigos e tradicionais da cidade de Porto Alegre. O nome do bairro originou-se da capela construída junto às ruas José de Alencar e Avenida Getúlio Vargas. Os caminhos que cruzaram esta zona eram raros. Havia um principal que margeava o Guaíba, eque se chamava Caminho de Belas. Por se tratar de um bairro aprazível, aos domingos, principalmente nosdias quentes, muita gente em pesados carros ou a cavalo visitavam o bairro que naquela época possuíauma vegetação exuberante e poucos habitantes. Em 1853 com visita do bispo Dom Feliciano Prates a esta capital, ordena que se construa umaCapela do Menino Deus principalmente nas noites de 24 de dezembro a fim de comemorar o natal.
  51. 51. As festas na Capela se tornaram muito conhecidas e com isso o desenvolvimento do bairro foi seacelerando. Inicialmente eram bondes com tração animal da Companhia Carris, sendo que o primeiro bonde em 1881, no seu percurso do centro da cidade até o final do Menino Deus demorou seis horas. Hoje o bairro Menino Deus é considerado um dos bairros mais agradáveis para se morar. Tem como característica o comércio, casa de cultura e lazer, com residências modernas e antigas que dão um charme especial ao bairro.
  52. 52. MOINHOS DE VENTO TURMA 61 – 6ª SÉRIE PROF.ª GRACIELA Moinhos de Vento é um dos mais belos e antigos bairros de nossa cidade, com uma área de 96hectares, relevo formado basicamente por rochas elevadas, limitando-se com bairros Auxiliadora,Mont’Serrat e Rio Branco. Ganhou este nome devido aos moinhos trazidos pelas famílias de açorianos que ali seestabeleceram, era também o lugar onde plantavam e moíam trigo. Fatores que contribuíram para o crescimento do bairro: Implantação da linhas de bonde pela companhia CARRIS em 1893. Criação do Prado Independência em 1894 (atual hipódromo) que mais tarde foi transferido para o bairro Cristal, surgindo em seu lugar o Parque Moinhos de Vento (atual Parcão) que se tornou o maior atrativo da região. Construção da Hidráulica Moinhos de Vento em 1904, e com ela trouxe a abertura de várias ruas nas suas proximidades.
  53. 53. A inauguração em 1927 do Hospital Alemão, hoje muito conhecido por Hospital Moinhos de Vento,na divisa com o bairro Independência. População/2000: 8067 moradores Homens: 3469 Mulheres: 4598 Área: 82 há Densidade: 98 hab/há Taxa de crescimento 91/2000: (-) 0.2% AA Números de domicílios: 3187 Rendimento médio mensal dos responsáveis pelo domicílio/2000: 29,664 salários mínimos Taxa de alfabetização da população com 15 anos e mais: 99,318%. Características atuais Um dos bairros mais elegantes de Porto Alegre foi bastante modificado nos últimos anos através daconstrução de muitos edifícios residenciais e com a grande expansão do comércio, com a construção deshoppings, lojas, bares e restaurantes ao longo de suas calçadas. Há seis anos, o Moinhos de Vento também abriga um dos melhores hotéis da cidade, ointernacionalmente reconhecido Hotel Sheraton. O Moinhos, conforme é chamado pelos seus freqüentadores, possui bastante arborização,residências, diversas lojas e prédios comerciais, e muitas opções de diversão e lazer. Abriga a AvenidaGoethe e a Rua Fernando Gomes, conhecida como a ―Calçada da Fama‖ local perfeito para um happy ourcom os amigos. Ambas são locais para curtir a noite porto-alegrense, pois apresentam grande quantidade de barese restaurantes, e por onde passa muita gente bonita e famosa. Também encontramos no Moinho de Ventoa Rua Padre Chagas, a rua mais badalada de Porto Alegre, com diversos bares, restaurantes e lojas degrifes famosas. O parque moinhos de Vento (ou ―Parcão‖) é um ótimo lugar para a prática de exercícios, além decenário para várias atrações culturais – inclusive, há no local um moinho de verdade. No bairro tambémestão localizados clubes tradicionais como associação Leopoldina Juvenil e o Grêmio Náutico União.
  54. 54. Localização É contornado pelas ruas 24 de Outubro, Mostardeiro, Comendador Caminha, Quintino Bocaiúva eCortado pela Av. Goethe. Informações Gerais O Parcão, como também é conhecido pelos porto-alegrenses, foi oficialmente criado em 1972,possui 115 mil metros quadrados e localiza-se no sofisticado bairro que leva o mesmo nome. O nome ―moinho de vento‖ lhe foi atribuído em virtude da existência, em sua área, de moinhos quetransformavam o trigo em farinha. O Rio Grande do Sul foi o maior produtor de trigo no Brasil no final doséculo XVIII e na segunda década do século XIX. Um fator positivo para o desenvolvimento do bairro foi a abertura do Prado Independência(hipódromo) em 1894. Sua remoção para o bairro Cristal, em 1957, propiciou a implantação do ParqueMoinhos de Vento.
  55. 55. NAVEGANTES TURMA 21 E 24 – 2º ANO PROF.ª DÓRISPrincipais Pontos e características do Bairro Tem o nome da Santa Padroeira Localização: entre o Centro da cidade e o Vale dos Sinos Ponte do Guaíba Shopping DC Navegantes Igreja Nossa Senhora dos Navegantes Parque mais próximo: marechal Mascarenhas de Moraes Principal rua: Frederico Mentz Seis escolas: quatro estaduais, uma municipal e uma particular Quilombos: antigamente o povoado negro tocava os tambores e as outras pessoas aproximavam-se para assistir Albergue Municipal Tinha um trem de ferro que levava as pessoas até Novo Hamburgo Posto de Saúde e Farmácia Distrital que atende os bairros mais próximosO bairro possui várias retíficas e metalúrgicas por isso é muito poluído.
  56. 56. O Bairro Navegantes é um dos mais antigos da cidade. Sua localização já era nítida nas plantas dacidade no final do século XIX. As origens e ocupação da região estão ligadas ao trajeto para as colôniasalemãs a partir 1824 e, em meados do século XIX, a ocupação do bairro já era digna de nota. Desde seuinício, o bairro Navegantes já demonstrava sua importância devido à ligação que fazia entre o Centro dacidade e a região de imigração (vale do Rio dos Sinos), além da antiga Estrada de Baixo em direção aGravataí, Santo Antonio e Osório. Em 1874, houve a implantação da Estrada de Ferro Porto Alegre – Novo Hamburgo, o quedinamizou bastante o bairro, sobretudo após a inauguração da primeira Estação Navegantes, por volta de1886. Ainda no século XIX, a região revelou-se com forte vocação industrial, e especialmente a partir de1890, quando várias indústrias da Capital instalam-se no bairro. O crescimento industrial contribuiu para oaumento da população, pois seus moradores, em sua maioria operários, passaram a habitá-lo em função daproximidade com seus locais de trabalho. Em 1875, é criada a capela consagrada a Nossa Senhora dos Navegantes, devoção introduzida pelos imigrantes portugueses poucos anos antes. No entanto, a construção da capela só ficou pronta em 1897, erguida em terreno doado pela senhora Margarida Teixeira de Paiva, dona de vastos terrenos na região. A capela foi elevada a condição de Paróquia em 1919, já na sua atual sede. Em frente à Igreja, está localizada a Praça Navegantes, onde é realizada uma das maiores expressões religiosas da cidade: de acordo com a fé católica, é comemorado no dia 2 de fevereiro a devoção a Santa Padroeira da Capital – Nossa Senhora dos Navegantes. Um dos grandes impactos urbanísticos para a região do bairro Navegantes foi a construção daponte sobre o Rio Guaíba, inaugurada em 1958. Com a nova edificação, a tradicional Praça Navegantesficou em baixo de uma das elevadas, mas se manteve centro dos festejos realizados anualmente em honrada Santa Padroeira.
  57. 57. Oficialmente, o bairro Navegantes foi criado pela lei nº 2022 de 07/12/1959, sendo seus limitesoficiais assim estabelecidos: rua Voluntários da Pátria, da esquina da Av. Brasil até o seu prolongamentopor uma linha na direção oeste/leste, seguindo a margem atual do rio até encontrar a rua Dona Teodora;desta até a Praça do Bombeador; deste segue pela avenida Ceará até a avenida Brasil; desta até encontrarnovamente a rua Voluntários da Pátria. Porém em 1988 o decreto de lei nº 6218 altera os limites norte dobairro que passa a ser definido a partir do Cais Marcílio Dias no sentido até o ponto de encontro das ruasVoluntários da Pátria e Dona Teodora. Atualmente, a região mantém seu caráter industrial, entretanto ampliou o setor de serviços. Nobairro está localizado um dos maiores centros comerciais da cidade, o Shopping DC Navegantes, queatende tanto aos moradores do bairro quanto à redondeza, com seu comércio, restaurantes, teatro e, maisrecentemente, um campus de faculdade gaúcha. Referências Bibliográficas: FRANCO, Sérgio da Costa. Porto Alegre: Guia Histórico. 2º edição.Porto Alegre: Editora da Universidade/UFRGS, 1992. MACEDO, Francisco Riopardense de. Porto Alegre :Origem e Crescimento. Porto Alegre, Livraria Sulina, 1968. http://www.portoalegre.rs.gov.br/spm
  58. 58. PARTENON TURMA 12 – 1º ANO PROF.ª MARILENE Este bairro foi criado pela Lei 2022 de 7/12/59, com limites ampliados no sentido leste, pela Lei6572 de 08/01/90. Os bairros que se avizinham são: Vila João Pessoa, São José, Santo Antônio, Glória,Santana, Santa Cecília, Petrópolis, Jardim Botânico, Jardim do Salso, Jardim Carvalho e Agronomia. Onome faz referência ao templo Partenon, localizado em Atenas, Grécia, que tinha por objetivo homenageara Deusa Minerva. Em Porto Alegre, o nome Partenon foi adotado por um grupo de literatos, que criou a―Sociedade do Partenon Literário‖, fundada no ano de 1868. Seus associados sonhavam construir ali umaréplica do Partenon Grego. Notícias da época dão conta que, em 1873, onde hoje é a Igreja Santo Antônio, nos altos da rua Luis de Camões, foi solenemente lançada a pedra fundamental do templo, que se manteve somente nessa inauguração. Na mesma conjuntura em que estava sendo planejado o Partenon, se estabelecia também um grande plano de urbanização e loteamento para a área, valorizando a natureza e o clima agradável da região. Em função de um acordo, o loteamento usufruiria do nome Partenon e a sociedade receberia parte do terreno a ser loteado, o que não aconteceu. Mas, em 1899, a sociedade se dissolve e doa seus terrenos a Santa Casa de Misericórdia. Afora este plano piloto, o loteamento recebeu outros impulsos para a sua urbanização, dentre eles o bonde que, apesar de levar mais deuma hora para completar o trajeto do centro ao bairro, facilitou muito a vida dos moradores da região. Ainda no século XIX, o bairro tornou-se cenário do primeiro hospital psiquiátrico do Estado: 41alienados inauguraram os pavilhões do Hospício São Pedro, que teve sua primeira pedra assentada no dia02/12/1879, e foi inaugurado formalmente em 1884. Atualmente, o bairro é cortado pela a Av. BentoGonçalves, que se tornou uma das principais artérias da cidade de Porto Alegre, era conhecida por ―Estradado Mato Grosso‖. Às margens desta avenida se desenvolveu uma ampla rede comercial, que vai depequenos estabelecimentos a hipermercados reconhecidos nacionalmente.
  59. 59. A mesma diversificação de oferta se dá também no que se refere à educação onde, na mesmaavenida, encontramos desde escolas de segundo grau estaduais e particulares, até a PontifíciaUniversidade Católica do Rio Grande do Sul, que inaugurou seu Campus em 1968, ocupando uma grandeárea dentro do bairro. O Partenon tem com uma de suas marcas os grandes contrastes em termosresidenciais, talvez em função de sua grande área, que perfaz 470 ha. Observa-se nele diferençasmarcantes, como por exemplo, caracterizam as áreas da Intercap e a vila Maria da Conceição: a primeirapossui belas praças, amplas ruas pavimentadas e arborizadas, com residências bem distribuídas no espaçoe, em sua grande maioria, construídas em alvenaria, e a Conceição, possui casas distribuídas de acordocom as possibilidades do morro, geralmente construídas em madeira e com estrutura precária.
  60. 60. RESTINGA TURMA: 43 – 4ª SÉRIE PROF.ª ANDRÉA Restinga é um bairro da cidade brasileira de Porto Alegre, capital do estado do Rio Grande do Sul.Foi criado pela Lei 6571 de 8 de janeiro de 1990, que denomina de Bairro Restinga as atuais Vila Pitinga,Vila Restinga Nova, Vila Restinga Velha, Vila Mariana, Barro Vermelho, Chácara do Banco, Vila Flor daRestinga, Vila Monte Castelo e Vila Santa Rita Dados demográficos População/2000: 50.020 moradores Homens: 24.008 Mulheres: 26.012 Área: 2.149 ha Densidade: 23 hab/ha Taxa de crescimento 91/2000: 4,6% aa Número de domicílios: 13.421 Rendimento médio mensal dos responsáveis pelo domicílio/2000: 3,03 salários mínimos. Histórico É um dos maiores bairros da cidade, distante do Centro e também é um dos maiores pólosde pobreza. Sua fama é de ser um bairro violento. A partir da década de 40, vários agricultores mudaram-se para as cidades, procurandomelhores condições de vida. Os migrantes chegaram a Porto Alegre cheio de sonhos e com esperança demelhoria de vida. Contudo, aqui deparavam-se com uma triste realidade: a indústria requeria mão-de-obraespecializada. Restava ao agricultor sujeitar-se a aceitar empregos como biscateiro, catador de papel etc.Foi quando surgiram as malocas em Porto Alegre. Os casebres, localizados no antigo bairro da Ilhota
  61. 61. (próximo à Avenida Azenha), formavam várias vilas pela cidade. A Lei de 30 de dezembro de 1965, quecriou o Departamento Municipal de Habitação (DEMHAB), transferiu os habitantes destes casebres para umlocal 22 km longe do centro de Porto Alegre, a Restinga. De 1966 até 1971 não houve preocupação em melhorar a vida da população da Restinga.Enquanto esperavam pelas melhorias prometidas pelos governantes, os moradores resolveram se unir paralutar por seus direitos e por proteção contra possíveis atos de violência. Características atuais O que era para se transformar num grande grupo habitacional, o maior de Porto Alegre eum exemplo para o Brasil, hoje em dia é um dos bairros mais populosos da cidade, com uma população trêsvezes maior do que do que a imaginada. A paisagem da Restinga caracteriza-se pela presença de cavalos,carroças e pelas figueiras preservadas pelos moradores, que dão ao local uma imagem de interior em meioao asfalto. O bairro é um exemplo em sua infra-estrutura nas áreas regulares, contando com várias praças,campos de futebol e entidades que desenvolvem diversas atividades para a comunidade. Personagens célebres do bairro Como todos os bairros, a Restinga traz consigo alguns personagens que ali nasceram eajudam a trazer uma nova imagem ao bairro, que é um dos mais distantes do centro de Porto Alegre mas,nem por isto, é menos importante do que os outras subdivisões da capital gaúcha. No esporte, o personagem mais destacado é o jogador de futebol Paulo César Tinga, queiniciou no Grêmio e já jogou no Botafogo e no Internacional. Filho de uma faxineira, o menino Paulo Césarjogava futebol nos campinhos restinguenses até fazer testes no Grêmio, onde começou a jogar em 1997. Em 2002, aquilo que era um sonho torna-se realidade na comunidade da Restinga: éinaugurada a Unidade Social ACM Vila Restinga Olímpica. Foi apostando na inserção social de jovens emsituação de risco, através do esporte, que a Associação Cristã de Moços do Rio Grande do Sul juntamentecom o Instituto Dunga de Desenvolvimento, começou, em 2002, a transformar a vida de crianças e jovensdessa comunidade. Tinga, teu povo te ama! Este é o grito de guerra da escola de samba mais famosa da Zona Sul de Porto Alegre, a Estado Maior da Restinga, fundada em 1977 e sete vezes campeã do carnaval porto-alegrense. Seu contingente é formado, maciçamente, por moradores do bairro e das vilas ao redor da Restinga, além de moradores do Eixo Extremo-Sul da cidade.

×