Transgênicos

28,382 views
28,158 views

Published on

O que são transgénicos?

Published in: Education, Technology
4 Comments
16 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
28,382
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
1,355
Comments
4
Likes
16
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transgênicos

  1. 1. TRANSGÉNICOS
  2. 2. O que são transgénicos? <ul><li>Os organismos geneticamente modificados (OGMs), também conhecidos como transgénicos, são frutos da engenharia genética criada pela moderna biotecnologia. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Um organismo é chamado de transgénico, quando é feita uma alteração no seu DNA - que contém as características de um ser vivo. Por meio da engenharia genética, genes são retirados de uma espécie animal ou vegetal e transferidos para outra. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Esses novos genes introduzidos quebram a sequência de DNA, que sofre uma espécie de reprogramação, sendo capaz, por exemplo, de produzir um novo tipo de substância diferente da que era produzida pelo organismo original </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Os alimentos geneticamente modificados são uma realidade quotidiana. Há grãos transgénicos usados no preparo de bolachas, cereais, óleo de soja, pães, massas, maionese, mostarda, papinhas para crianças, etc., </li></ul>
  6. 6. ASPECTOS POSITIVOS DOS ALIMENTOS TRANSGÉNICOS   <ul><li>O aumento na produção de alimentos; </li></ul><ul><li>   · O desenvolvimento de espécies com características desejáveis; </li></ul><ul><li>· A alteração do valor nutricional dos alimentos; </li></ul><ul><li>   ·  A maior resistência dos alimentos ao armazenamento por períodos maiores; </li></ul>
  7. 7. ASPECTOS NEGATIVOS DOS ALIMENTOS TRANSGÉNICOS <ul><li>  O aumento dos sintomas de alergia </li></ul><ul><li>  A maior resistência a agro tóxicos e antibióticos nas pessoas e nos animais; </li></ul><ul><li>aparecimento de novos vírus; </li></ul><ul><li>  A eliminação de populações benéficas como abelhas, minhocas e outros animais e espécies de plantas; </li></ul><ul><li>empobrecimento da biodiversidade; </li></ul><ul><li>  O desenvolvimento de ervas daninhas muito resistentes que podem causar novas doenças e o desequilíbrio da natureza; </li></ul><ul><li>  O desconhecimento das consequências da utilização dos alimentos geneticamente alterados a longo prazo .        </li></ul>
  8. 8. O que é a engenharia genética aplicada aos alimentos? <ul><li>A engenharia genética permite que cientistas usem os organismos vivos como matéria-prima para mudar as formas de vida já existentes e criar novas. Um gene é um segmento de DNA que, combinado com outros genes, determina a composição das células. Um gene possui uma composição química que vai determinar o seu comportamento. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>A engenharia genética utiliza enzimas para quebrar a cadeia e DNA em determinados lugares, inserindo segmentos de outros organismos e costurando a sequência novamente. Os cientistas podem &quot;cortar e colar&quot; genes de um organismo para outro, mudando a forma do organismo e manipulando sua biologia natural a fim de obter características específicas (por exemplo, determinados genes podem ser inseridos numa planta para que esta produza toxinas contra pestes). </li></ul>
  10. 10. <ul><li>De facto, estima-se que aproximadamente 60% dos alimentos processados contenham algum derivado de soja transgénica e que 50% tenham ingredientes de milho transgénico. </li></ul><ul><li>Porém, como a maioria destes produtos não estão rotulados, é impossível saber o quanto de alimentos transgénicos está presente na nossa mesa </li></ul>
  11. 11. <ul><li>A maioria dos alimentos mais importantes do mundo é o grande alvo da engenharia genética. Muitas variedades já foram criadas em laboratório e outras estão em desenvolvimento. O tomate, soja, algodão, milho, a batata já foram permitidos nos EUA. O plantio comercial intensivo também é feito na Argentina, Canadá e China. Na Europa, a autorização para comercialização foi dada para a soja, milho e chicória. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Além dos transgénicos já comercializados, algumas variedades aguardam autorização: - salmão, truta e arroz que contém um gene humano introduzido; - - batatas com um gene de galinha; - - pepino e tomates com genes de vírus e bactérias. </li></ul>
  13. 13. Os Riscos dos Transgénicos Super bactérias: 1. Algumas plantas geneticamente modificadas recebem um gene de resistência a antibióticos. É uma forma de saber se a transformação foi bem sucedida. 2. Esse gene provoca o aumento da taxa de transferência do DNA, ou seja, da facilidade com que pedaços do código genético da planta passam de um organismo para outro. 3. Há um risco teórico de que as bactérias do intestino humano absorvam esse gene, tornando-se resistentes aos antibióticos. Aí, qualquer doença, mesmo simples, pode se tornar um problema grave.
  14. 14. Alergias <ul><li>1. Para se defender de agressores, a planta produz diversas substâncias que podem ser tóxicas ao homem, provocando alergia. 2. Um único gene &quot;alienígena&quot; poderia alterar o equilíbrio de várias dessas substâncias, aumentando sua produção. Um estudo feito com soja transgénica mostrou que ela é mais alérgica que a soja normal. 3. Como ninguém conhece todos os genes das plantas, alguns especialistas afirmam que faltam estudos para avaliar a segurança dos transgénicos. </li></ul>
  15. 15. Como os transgénicos podem afectar o ambiente: <ul><li>Super pragas: </li></ul><ul><li>1. Boa parte dos chamados transgénicos de primeira geração recebem um gene que os tornam resistentes a herbicidas e insecticidas. Assim, podem receber mais agro tóxicos que o usual. 2. A quantidade exagerada de veneno pode, teoricamente, criar ervas-daninhas e insectos extremamente resistentes, que não poderiam mais ser combatidos pelos defensivos agrícolas comuns. 3. Para evitar o problema, discute-se nos EUA um sistema de refúgio de espécies. Ou seja, o agricultor plantaria uma certa percentagem (entre 10% e 50%) de plantas não modificadas para garantir o cruzamento entre espécies de pragas e, assim, diminuir a resistência. </li></ul>
  16. 16. Cruzamento perigoso <ul><li>Em lugares onde há espécies agrícolas selvagens (como é o caso do milho no México), o pólen de um transgénico poderia fecundar espécies nativas, reduzindo a biodiversidade. </li></ul>
  17. 17. <ul><li>Existe uma vasta produção de grãos geneticamente modificados, primeiro foi a criação de soja resistente a herbicidas, tomates, milho imune a insectos. </li></ul>
  18. 18. COMO OS CIENTISTAS MODIFICAM OS ALIMENTOS.
  19. 19. <ul><li>Os transgénicos já são misturados aos produtos encontrados no supermercado. Fabricantes afirmam ser tão saudáveis como outro qualquer. No entanto, esses produtos não tem nenhuma identificação de transgénicos nas embalagens, como o consumidor saberá o que está realmente consumindo. Estima-se que 60% de toda a comida à venda no país tenha transgénicos. A soja alterada é misturada há anos com a convencional e utilizada na fabricação de alimentos que vão de biscoitos a refeições prontas para microondas </li></ul>
  20. 20. <ul><li>No Brasil a muito tempo já existe consumo de alimentos melhorados geneticamente, como feijão resistente ao vírus do mosaico dourado do feijoeiro, que arrasa a plantação, o milho, soja e algodão que são fortalecidos contra insectos que devoram as plantações .A batata que resiste a pragas e reduz absorção de óleo durante o processo de fritura. </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  21. 21. FIM Trabalho realizado por: Prof. Adelaide Pereira

×