Redação acadêmica para a web 2.0

1,731 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,731
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9
Actions
Shares
0
Downloads
40
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Redação acadêmica para a web 2.0

  1. 1. Suely de Brito Clemente SOARES Mestre em Educação, Ciência e Tecnologia http://libdigi.unicamp.br/document/?code=vtls000384508 Redação Acadêmica para a web 2.0 Cibertecária – CRB-8/1335 BRC digit@l Interativa do campus de Rio Claro - UNESP http://www.rc.unesp.br/biblioteca/brcdigital DSpace SEER SOAC suelybcs@rc.unesp.br - [email_address] – SKYPE: suelybcs SOARES, S. B. C., 2008 Apresentação licenciada por uma licença Creative Commons
  2. 2. Redação Acadêmica para a Web 2.0
  3. 3. <ul><li>O fazer diário do profissional bibliotecário que atua em universidades, centros de pesquisas e instituições congêneres, está direcionado, quase que totalmente, à produção e/ou publicação de documentos técnico-científicos </li></ul><ul><li>A redação, o registro do conhecimento, desde um seminário para disciplina de um curso de graduação até a defesa de uma tese de </li></ul><ul><li>livre-docência, está diretamente relacionada com a atuação do bibliotecário </li></ul><ul><li>Por isso, talvez ele seja o profissional mais indicado para atuar como agente de divulgação , entre os autores, das inovações possíveis na redação acadêmica para a “Web 2.0” </li></ul>
  4. 4. Objetivos <ul><li>Demonstrar aos autores, bibliotecários e editores documentos hipermídia, para publicação na “ Web 2.0”, diferenciados dos que são produzidos para publicações impressas. </li></ul><ul><li>De uma maneira geral, as publicações </li></ul><ul><li>técnico-científicas eletrônicas ainda estão sendo publicadas no formato texto , tradicional, convertidos para PDF. </li></ul><ul><li>Nossa proposta é demonstrar outras possibilidades e estimular autores, bibliotecários e editores a utilizá-las. </li></ul>
  5. 5. Metodologia <ul><li>Apresentação de diversos formatos </li></ul><ul><li>de documentos hipermídia </li></ul><ul><li>através de indicações de sites, </li></ul><ul><li>estimulando a </li></ul><ul><li>interação e o </li></ul><ul><li>compartilhamento de idéias </li></ul><ul><li>entre todos os participantes </li></ul>
  6. 6. <ul><li>1 Introdução </li></ul><ul><li>2 Web 2.0 </li></ul><ul><li>3 Atuação do bibliotecário junto ao autor </li></ul><ul><li>4 Produção de documentos hipermídia </li></ul><ul><li>em tempos de Web 2.0 </li></ul><ul><li>4.1 Citações: sorria! Você está sendo totalmente vigiado </li></ul><ul><li>4.2 Direitos autorais </li></ul><ul><li>4.3 Outra redação para a web 2.0 </li></ul><ul><li>4.4 Hipermídia </li></ul><ul><li>4.5 Móvel e sem fio </li></ul><ul><li>4.6 Blogs e comentários </li></ul><ul><li>4.7 Compartilhamento </li></ul><ul><li>4.8 Marshup 4.9 RSS </li></ul>
  7. 7. 1. Introdução conversas com quem gosta do assunto “Redação Acadêmica” algumas “dicas”
  8. 8. Redação Acadêmica http://palazzo.pro.br/cronicas/020.htm
  9. 9. http://www.pucrs.br/gpt/index. php
  10. 10. http://www.pucrs.br/manualred/
  11. 11. MORE http://www.rexlab.ufsc.br:8080/more/
  12. 12. http://unesp.br/cgb/mostra_arq_multi.php?arquivo=1
  13. 13. http://www.rc.unesp.br/biblioteca/normasabnt.php
  14. 14. Redação Acadêmica – [email_address] <ul><li>Referências: espaço simples, duplo entre elas </li></ul><ul><li>Alinhar à esquerda - Não Justificar (espaços) </li></ul><ul><li>Titulos negritados , sub-títulos não - livros, teses </li></ul><ul><li>Negritar títulos dos periódicos e não dos artigos </li></ul><ul><li>EVENTOS – nome do evento em maiúsculas, seguido do número ordinal, data, local. Anais... </li></ul><ul><li>Primeiras letras das palavras dos títulos sempre em minúsculas, com exceção da P rimeira e dos N omes P róprios </li></ul><ul><li>Autores são separados entre si por ponto e vírgula, nas referências e no texto ( quando estão entre parêntesis) </li></ul><ul><li>Separá-los com “ , ” “ e ”, e não &, se citados em frases </li></ul><ul><li>Os títulos dos periódicos são seguidos do nome da cidade de publicação e sigla do estado se homônimas </li></ul>
  15. 15. Comparação lado a lado de artigo revisado com o enviado pelo autor autor revisado
  16. 16. revisado autor
  17. 17. revisado autor
  18. 18. revisado autor
  19. 19. Localizar no original / MSWord citação -> referência -> voltar texto
  20. 25. Local de publicação de Periódico: CCN / IBICT - ULRICH´S - PubMed - WOS - Scopus http://ccn.ibict.br/busca.jsf
  21. 29. Local publicacao – conferir referencia
  22. 30. DOI D igital O bject I dentifier http://dx.doi.org/ HANDLE http://handle.net
  23. 31. Pesquisa no próprio Journal pelo DOI
  24. 32. Uso do radical http//:dx.doi.org/
  25. 33. DOI no Currículo Lattes
  26. 34. Incluir DOI no final da referência
  27. 37. copia
  28. 38. cola
  29. 39. Inclui radical link
  30. 40. link
  31. 41. sugestões – onde publicar? <ul><li>nacionais: SCIELO – SEER – DOAJ - PKP </li></ul><ul><li>estrangeiros: Acesso Aberto - WoS </li></ul>HighWire free - Scopus <ul><li>Repositórios importantes da área </li></ul><ul><li>e- Teses BDTD NDLTD </li></ul>
  32. 42. 2. Web 2.0 uso do termo é modis mo? anos 90 = uso dos prefixos &quot; cyber &quot; - &quot; e &quot; eMoney, eGovernment, eFinance, eCommerce, eTheses... CyberCafe, Cybrarian, Cyberspace... &quot;eCommerce&quot; - &quot;cyberspace&quot;
  33. 43. Popularização do uso do termo
  34. 44. http://broadcast.oreilly.com/2008/10/the-next-web-web-ettau-or-just.html <ul><li>&quot;Web 3.0&quot; refers to &quot;the web&quot; that is to follow &quot;Web 2.0&quot; </li></ul><ul><li>and which involves machine learning and the Semantic </li></ul><ul><li>Web. It was &quot;invented&quot; by someone at the New York </li></ul><ul><li>Times . Web 3.0 is really just an attempt to put a name </li></ul><ul><li>on a combination of the &quot;Semantic Web&quot; proposed by </li></ul><ul><li>Berners-Lee and the &quot;Singularity&quot; proposed by the </li></ul><ul><li>popular science fiction writer Kurzweil. It involves </li></ul><ul><li>&quot;network computing&quot;, &quot;semantic web&quot;, and &quot;machine </li></ul><ul><li>learning&quot;. Here's a quote from the Wikipedia Web 3.0 </li></ul><ul><li>page : Web 3.0 has been described as the </li></ul><ul><li>executable web&quot;. In the analogy to file system </li></ul><ul><li>permissions, Web 1.0 was &quot;read-only&quot; , </li></ul><ul><li>Web 2.0 is &quot;read-write&quot;, and </li></ul><ul><li>Web 3.0 will be &quot;read-write-execute” </li></ul>
  35. 45. O “pai” do termo web 2.0 é Tim O'REILLY (2005) What is web 2.0? http://oreilly.com/
  36. 46. http://www.youtube.com/watch?v=CQibri7gpLM&feature=related
  37. 47. O que é Web 2.0 http://webinsider.uol.com.br/index.php/2006/10/30/o-que-e-web-20/ Marshup Blog Tagging Wikis Redes Sociais Streaming media Social bookmarking
  38. 48. BIBLIOTECA DIGITAL I N T E R A T I V A do campus de RIO CLARO - UNESP <ul><li>uso do termo W eb 2.0 para caracterizar a internet em que o usuário comum deixa de ser aquele que apenas pesquisa, imprime ou copia informações (fase que está sendo chamada de W eb 1.0) </li></ul><ul><li>mas </li></ul><ul><li>cria verdadeiras redes sociais, comunidades virtuais de aprendizagem que, coletivamente , geram , disponibilizam e compartilham informações que crescem exponencialmente tanto em quantidade como em qualidade </li></ul>
  39. 49. http://www.youtube.com/watch?v=6gmP4nk0EOE&eurl =
  40. 50. http://www.youtube.com/watch?v=NJsacDCsiPg
  41. 51. http://www.teceduc.com.br/programa.htm Evento ABED <ul><li>O desenvolvimento de conteúdos </li></ul><ul><li>em tempos de Web 2.0 </li></ul><ul><li>. Web2.0 - desmistificando o termo </li></ul><ul><li>. O usuário como produtor de conteúdo </li></ul><ul><li>. Conteúdos válidos e confiáveis </li></ul><ul><li>. A produção de conteúdos didáticos/instrucionais em tempos de Web2.0 - até onde o usuário é produtor? </li></ul><ul><li>. O papel do conteudista/especialista neste universo ( Profa. Carolina Paz) </li></ul>
  42. 53. http://proxxima.blogtvbrasil.com.br/web <ul><li>A Web2.0 vive em transformação. Por isso, o surgimento de dúvidas sobre novos conceitos é algo natural. Wikis, Mash-ups, Tags... O que significam esses termos? No intuito de informar os participantes do Proxxima 2008  vamos publicar um pequeno dicionário de Web2.0. Considerando que a Web2.0 é a Internet colaborativa, ou seja, a Internet cujo conteúdo é feito pelos usuários, vamos aos seus principais conceitos e significados. Ad Sense : Ad Sense é uma ferramenta disponibilizada pelo Google para que seu site se torne rentável. É muito simples. Você insere nas suas páginas os anúncios dos clientes do Google e toda vez que seu visitante clicar na publicidade que o Google veicula através de você, você é remunerado. Blogs: Os blogs são páginas na Internet que armazenam e publicam conteúdo gerado pelos indivíduos. A grande sacada dos blogs é tornar simples e fácil colocar conteúdo na Internet sem ter que saber nada de programação. Eles levam ao usuário a possibilidade de terem seu próprio canal de conteúdo digital. Mash-ups: Mash-ups são fusões ou junções de serviços na Internet. Os Mash-ups ocorrem quando duas tecnologias de informação se completam para gerar uma experiência mais rica ao usuário. Um exemplo é a disponibilização de um serviço de votação para matérias publicadas por blogs. Um blog instala a tecnologia disponibilizada por um site de serviços e juntos formam uma nova aplicação. No caso, essa aplicação é a promoção do conteúdo gerado pelo blog no site que disponibiliza a tecnologia. Assim o blog fornece o conteúdo e o site promove o conteúdo através de votações on-line. RSS: Significa &quot;really simple syndication&quot;. Nada mais é que uma forma de distribuir e receber conteúdo. É um padrão que permite as páginas da Web &quot;conversarem&quot; entre si, uma disponibilizando o conteúdo da outra. Além disso é possível assinar o conteúdo de um site para recebê-lo toda vez que ele é atualizado. </li></ul><ul><li>Tag: O termo vem de etiqueta. é uma forma de etiquetar o conteúdo que você gera aliando palavras ao texto, áudio ou vídeo. Isso torna o conteúdo organizável através de clique e rastreável pelos mecanismos de busca. Wikis: São sites que permitem aos usuários editar seu conteúdo com um propósito comum. A Wikipedia, por exemplo, é uma enciclopédia escrita por milhares de usuários. Esse tipo de serviço é muito útil para armazenar conhecimento específico. Empresas e organizações onde há conhecimento coletivo que precisa ser armazenado e distribuído são passíveis de utilizar um wiki. Embora se pareça com os blogs por permitir ao usuário publicar seus conteúdos, é diferente em aspectos fundamentais. Primeiro, no Wiki todos escrevem com um propósito comum, nos blogs cada um escreve de forma independente. Nos wikis há editores que filtram conteúdos mal empregados, nos blogs a edição é exclusiva de seu dono. Além disso nos wikisites existem padrões estéticos e lógicos para sua organização interna. </li></ul>
  43. 54. http://proxxima.blogtvbrasil.com.br/web <ul><li>Desde o advento da Internet a mídia tem se transformado muito. A cada dia, mais pessoas gastam seu tempo na frente de computadores conectados à grande rede. É lógico que esse público é impactado por multi-mídias e em torno disso um mercado começou a nascer. Um mercado que cresce rapidamente mas que ainda é incerto do ponto de vista dos resultados. Por se tratar de uma mídia nova, é natural que os profissionais ainda estejam inventando maneiras de nela aparecer. Como usar o poder interativo da Web2.0 </li></ul><ul><li>para justificar as verbas investidas nesse universo? </li></ul><ul><li>O poder de multiplicação dos resultados nesse ambiente é vasto. Por ser participativo, os usuários podem não apenas ver e agir junto com a peça publicitária, mas também passá-la adiante, viralizando sua audiência. O que isso quer dizer? Quer dizer que a peça publicitária pode ser uma &quot;peça viva&quot; que multiplica a si mesma. Como conseguir esse milagre? Eis um dos mistérios dessa &quot;caixa de Pandora&quot;. De que forma tirar melhor proveito dos investimentos em Ad2.0? </li></ul>
  44. 55. Uso da web 2.0 na educação http://webinsider.uol.com.br/index.php/2006/12/07/james-della-valle/
  45. 56. 3. Atuação do bibliotecário junto ao autor
  46. 57. web 2.0 Biblioteca 2.0 Interação Humana Mediatizada Interação Humano Computador
  47. 58. Vídeos YouTube <ul><li>Águia = renovação http://www.youtube.com/watch?v=LbYgFi_lbic </li></ul><ul><li>Manifesto bibliotecário 2.0 http://www.youtube.com/watch?v=Yj1p0A8DMrE </li></ul>
  48. 59. http://www.slideshare.net/sirexkat/what-is-library-20/
  49. 60. http://www.libworm.com/
  50. 63. Maslow web 2.0 http://www.ducttapemarketing.com/blog/2008/06/09/the-hierarchy-of-social-marketing/
  51. 64. http://blog.bib20.com/2008/06/19/piramide-de-maslow-para-o-interesse-pelas-ferramentas-web-20/
  52. 65. http://igov.podbean.com/2008/09/16/tendencias-em-web-20/
  53. 66. Ouvir podcast
  54. 67. http://comunidad20.sedic.es/
  55. 68. http://bibliotecarios2-0.blogspot.com/search/label/SecondLife
  56. 69. http://oedb.org/blogs/ilibrarian/2007/a-quick-guide-to-second-life-for-librarians/
  57. 70. Biblioteca 2.0
  58. 75. 1 2 3 4
  59. 90. Quando você está interagindo com um computador, você não está conversando com outra pessoa. Você está explorando um outro mundo (John Walker)
  60. 91. Competências
  61. 93. http://bones.med.ohio-state.edu/primer/
  62. 95. [ref_digital] Nova geração de ferramentas para serviços de referência De: Miguel Ángel Márdero Arellano (miguel@ibict.br) Enviada: segunda-feira, 14 de abril de 2008 9:38:07 <ul><li>Reference Services in Large Research Libraries: Next </li></ul><ul><li>Generation Discovery Tools: How Do They Help (or Hinder) </li></ul><ul><li>Scholarly Research? ACRL-RSS </li></ul><ul><li>Web 2.0 technologies are revolutionizing the ways in which the </li></ul><ul><li>world interacts with information. With it has come such terms as </li></ul><ul><li>Next Generation Libraries and, indeed, the topic of this </li></ul><ul><li>discussion, Next Generation Discovery Tools. Along with Web 2.0 </li></ul><ul><li>comes a clear mandate that libraries Much change, in both their </li></ul><ul><li>physical and virtual aspects, if they wish to remain relevant in the </li></ul><ul><li>21st Century and beyond. Indeed, it is in the face of this reality </li></ul><ul><li>that the “hot” topic of Next Generation Discovery Tools drew a, </li></ul><ul><li>standing room only, group of librarians to the North Ballroom of </li></ul><ul><li>the Sheraton Philadelphia. The question posed: What can YOU, </li></ul><ul><li>as reference librarians, bring to the table to help patrons by </li></ul><ul><li>designing, teaching, or answering questions arising from </li></ul><ul><li>these [next generation discovery] tools? </li></ul>
  63. 96. <ul><li>elicited a two-hour long, spirited, and informative discussion </li></ul><ul><li>regarding many of these tools and their use by a variety of </li></ul><ul><li>institutions. Among the examples presented for discussion were: </li></ul><ul><li>Faceted browsing: AquaBrowser:Queens Library </li></ul><ul><li>http://aqua.queenslibrary.org/ and The University of Chicago </li></ul><ul><li>http://lens.lib.uchicago.edu/ or Primo: used at Boston College </li></ul><ul><li>http://www.bc.edu/supersleuth and the University of Iowa </li></ul><ul><li>http://smartsearch.uiowa.edu/ WorldCat identities </li></ul><ul><li>http://orlabs.oclc.org/Identities/ tagging, such as Penntags </li></ul><ul><li>http://tags.library.upenn.edu . Queries about these Next Gen Tools </li></ul><ul><li>flew like projectiles across the Ballroom: How are these different </li></ul><ul><li>from other resources? What are some of the pitfalls? What are </li></ul><ul><li>some of the issues that we need to think about? What are some of </li></ul><ul><li>the advantages? How customizable are these tools? Which </li></ul><ul><li>searches are more appropriate for these next generation tools, </li></ul><ul><li>and which are more appropriate for the Library Catalog? Alas, the </li></ul><ul><li>answers to many of these are yet to be determined but, as </li></ul><ul><li>librarians, we must continue our quest the “Library of the </li></ul><ul><li>Future.” Cynthia Dottin, LIRT Liaison Committee </li></ul>
  64. 97. 4. Produção de documentos hipermídia em tempos de Web 2.0
  65. 98. 4.1 Citações aviso ao navegante: Sorria! você está sendo totalmente vigiado! controle – avaliação da produção científica / citações fator de impacto – índice-h
  66. 99. Ligações para citações
  67. 100. Ligação para Google Scholar como indicador de citações - Ingenta
  68. 101. Citações: CrossRef – Scopus - PubMed Google Scholar – Web of Science
  69. 103. Citation Map - Related Articles http://ajpcell.physiology.org/cgi/citemap?id=ajpcell;289/5/C1105 <ul><li>Citation Map - What is it? Citation Map is a graphical representation of the articles citing or cited by your selected article. The map is based on the references found in the full text articles of the HighWire-hosted journals. The initial number of citations viewed in the map is 10, but you can change this number if you desire. </li></ul><ul><li>What is it for? </li></ul><ul><li>Develop reading lists to get up to speed on a new topic </li></ul><ul><li>Generate bulk citation lists for import into literature-management programs </li></ul><ul><li>Assist in refereeing or writing a review article </li></ul><ul><li>What it does Given a starting reference , Citation Map finds all articles related by citations either citing the article, or cited by the article. The result set is expanded outward from the starting article to make a collection of all the articles related by citation to the starting article . By noting the number of times each article in the collection is cited, the related papers with the greatest impact are graphed, along with the citing/cited-by relations among the articles in the collection. This shows you the most important papers related to a starting article, as well as temporal and &quot;line-of-cite&quot; relationships between these articles . </li></ul>
  70. 107. 4.2 Direitos Autorais licenças Creative Commons movimento Acesso Aberto à comunicação científica movimento software livre
  71. 108. Licenças Creative Commons <ul><li>Creative Commons : seja criativo! </li></ul><ul><li>http://biblio.crube.net/?p=600 </li></ul><ul><li>apresentações em Flash que foram usadas no </li></ul><ul><li>V Fórum Internacional de Software Livre, </li></ul><ul><li>no debate Creative Commons </li></ul><ul><li>É uma apresentação bem didática do </li></ul><ul><li>que é esse movimento </li></ul><ul><li>http:// mirrors.creativecommons.org/getcreative/br / http:// mirrors.creativecommons.org/reticulum_rex/br / </li></ul>
  72. 109. http://creativecommons.org/licenses/by-sa/1.0/deed.pt
  73. 111. http://creativecommons.org/license/?jurisdiction=br
  74. 113. Livro recentemente lançado sob licença Creative Commons está na lista dos mais lidos (New York Times) http://www.softwarelivre.org/news/11574
  75. 114. http://creativecommons.org/weblog/entry/8351
  76. 115. http://www.plos.org/journals/license.html
  77. 116. http://www.plos.org/journals/creativeuses.html
  78. 119. http://teses.usp.br Uso pessoal ou científico Proibida comercialização
  79. 120. 4.3 OUTRA redação para a web 2.0 outro lay-out novas funcionalidades interação – interatividade publicação do original antes da avaliação (a priori – antecipada – sem editoração)
  80. 121. http://www.jacn.org/future.shtml
  81. 122. http://www.blackwell-synergy.com/page/onlineaccepted2
  82. 123. Metadados de um Periódico
  83. 124. Metadados de um artigo
  84. 125. Incentivo ao uso de hipermídia
  85. 126. Formatação de artigo interessante – divisões de artigo hiperlinkadas se repetem nas subdivisões http://jeq.scijournals.org/cgi/content/full/33/2/419
  86. 127. Figura com legenda em mancha do mesmo tamanho
  87. 128. Artigo com nova interfce http://beta.nejm.org/TabArticle/default.aspx
  88. 132. http://dx.doi.org/10.1016/S0305-750X(02)00045-1   Texto hiperlinkado
  89. 133. Visualizar resumo de artigo relacionado
  90. 134. Material suplementar em áudio e vídeo
  91. 135. Figuras como anexo de artigo Opção do leitor ver só arquivo das figuras http://jeb.biologists.org/cgi/content/figsonly/205/17/2665 <ul><li> </li></ul>
  92. 136. Trabalhos em MP3 e/ou anexos em vídeo http://www.irrodl.org/index. php / irrodl
  93. 137. Tabelas Dinâmicas <ul><li>http://www.virtual.epm.br/material/tis/curr-med/tab _ dinamica /tabdin.html#_Toc452783936 </li></ul><ul><li>Tabela Dinâmica é uma tabela interativa que resume uma grande quantidade de dados rapidamente, ou os combina de tabelas diferentes. </li></ul><ul><li>É possível girar suas linhas e colunas para ver resumos diferentes dos dados de origem, filtrar os dados exibindo páginas diferentes ou exibir os detalhes das áreas de interesse. </li></ul>
  94. 138. http://technologysource.org/article/from_large_lectures_to_online_modules_and_discussion/
  95. 141. http://publish.edu.uwo.ca/george.gadanidis/learningObjects.html
  96. 142. CANESSA, E.; ZENNARO, M. Science dissemination using open access: a compendium of selected literature on open access. Trieste: ICTP - The Abdus Salam International Centre for Theoretical Physics, 2008. Disponível em: http:// sdu.ictp.it / openaccess/book.html Acesso em: 30 set. 2008 .
  97. 143. Livro eletrônico - Relatório <ul><li>Web-based Education Commission. (2000). </li></ul><ul><li>The power of the Internet for learning: </li></ul><ul><li>moving from promise to practice . </li></ul><ul><li>Washington, DC: U.S. Department of </li></ul><ul><li>Education. Retrieved on March 30, 2003, </li></ul><ul><li>from http://www.ed.gov/offices/AC/WBEC/ </li></ul><ul><li>FinalReport /WBECReport.pdf </li></ul>
  98. 144. http://www.ed.gov/offices/AC/WBEC/FinalReport/WBECReport.pdf
  99. 149. http://www.amedeochallenge.org/
  100. 153. Vídeo: http://www.freemedicaljournals.com/htm/index.htm
  101. 154. http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572002000400014 Uso de Gráficos coloridos
  102. 155. Tradução para o português
  103. 156. 4. 4 Hipermídia Podcast – WebCast – iPhone Smartphone – MP3, 4, 5... Tv digital interativa webconferência
  104. 157. Podcast RSS feed – iTunes/iPod http://www.sciencemag.org/about/podcast.dtl
  105. 158. http://www3.pucrs.br/portal/page/portal/pucrs/Capa/ WebCas t
  106. 159. http://books.google.com/books?id=6PFjF9BQe2AC&pg=PA108&hl=pt-BR&source=gbs_selected_pages&cad=0_1&sig=wSRv3yY5gVjr4Zf8MZADfyB_Wio#PPP1,M1
  107. 160. http://www.biomedcentral.com/1472-6920/6/41/
  108. 161. http://ijklo.org/Volume2/v2p047-057Cebeci.pdf
  109. 167. http://www.nokia.com.br/A4971243?page=podcasting
  110. 170. http://europe.nokia.com/tutorials/support/lam/phones/bluetooth/brazilian_portuguese/
  111. 174. Áudio: http://www.annals.org/
  112. 175. PodCast http://www.annals.org/podcast/index.shtml
  113. 176. Conferência via blog em tempo real com publicação imediata http://scholarlypublishing.blogspot.com/2007/07/ojs-mp3-article-usage-pilot-study.html
  114. 177. http://jama.ama-assn.org/content/vol257/issue22/index.dtl Autor na sala
  115. 179. Autor na Sala - Teleconferência
  116. 181. Interação
  117. 182. http://www.agencia.fapesp.br/boletim_dentro.php?id=8624
  118. 183. http://www.abnt.org.br/default.asp?resolucao=1024X768
  119. 184. 4.5 Móvel e sem fio a qualquer hora e de qualquer lugar
  120. 185. 4 bilhões de celulares http://portal.unesco.org/ci/en/ev. php-URL _ID=27530&URL_DO= DO_TOPIC&URL_SECTION =201. html
  121. 186. Brasil
  122. 187. Celular Visa http://olhardigital.uol.com.br/digital_news/noticia. php ? id_conteudo =6445
  123. 188. e-mail - iPhone http://www.vivo.com.br/iphone/home. php ?tipo= pf
  124. 189. GPS – YouTube etc.
  125. 190. 2006: textos pelo PDA ou celular http://webinsider.uol.com.br/index. php /2006/01/24/ textos-do-webinsider-em-pdas-e-celulares-via-hands /
  126. 191. Uso do celular http://info.abril.com.br/blog/empresas20/
  127. 192. Uso do celular http://info.abril.com.br/blog/empresas20/
  128. 196. http://www.saudeemmovimento.com.br/
  129. 197. PALM - PDA
  130. 199. Download do fascículo para PDA Sumário em áudio
  131. 200. Compatível com qualquer PDA
  132. 201. Internet móvel <ul><li>Veja mapas e encontre as melhores rotas </li></ul><ul><li>para fugir do trânsito com o </li></ul><ul><li>Live Search Maps! </li></ul><ul><li>http://www.livemaps.com.br/index. aspx ? tr = true </li></ul>
  133. 202. Internet móvel <ul><li>Receba GRÁTIS </li></ul><ul><li>as mensagens do Messenger no seu celular </li></ul><ul><li>quando você estiver offline </li></ul><ul><li>Conheça o MSN Mobile! Crie já o seu! </li></ul>
  134. 203. Internet móvel http://www.msn.com.br/artigos/torpedo/
  135. 204. MSN para celular
  136. 205. Torpedo
  137. 206. Comentários - MSN
  138. 207. Tudo num só lugar
  139. 210. 4.6 Blogs e/ou Comentários do leitor em artigos
  140. 211. Blog kuramoto http://kuramoto.blog.br/
  141. 212. Blog Eloy Rodrigues – Portugal http://cibertecario02.blogspot.com/
  142. 214. <ul><li>exemplo acadêmico de interação: link “interactive” da British Medical Journal </li></ul><ul><li>exemplo não acadêmico: YouTube </li></ul><ul><li>armazena inclusive vídeos educacionais, </li></ul><ul><li>de diversas áreas do conhecimento, com comentários, discussões </li></ul><ul><li>e outros vídeos postados como respostas que são verdadeiras aulas </li></ul><ul><li>Videoclipe apresentado pelo Dr. Murray Rust em um evento sobre </li></ul><ul><li>teses e dissertações eletrônicas, ocorrido no início de 2007: </li></ul><ul><li>“ Web 2.0 - the machine is using us” </li></ul><ul><li>http://www.youtube.com/v/6gmP4nk0EOE </li></ul>
  143. 215. Opinião dos leitores http://beta.nejm.org/Review/AddReview.aspx?target=23
  144. 217. Interatividade = http://content.nejm.org/cgi/content/full/358/15/1617
  145. 218. 3 opções de tratamento
  146. 219. Votar - comentar
  147. 221. Comentários apropriados - revisados/editados
  148. 222. Comentários em áudio - iTunes
  149. 223. 4.7 Compartilhamento share – social bookmarking
  150. 224. Technorati http://technoratimedia.com/
  151. 225. http://dx.doi.org/10.1016/S0026-0495(99)90064-1 Social Bookmarking - opções
  152. 226. http://www.2collab.com/
  153. 228. http://del.icio.us/about/
  154. 229. http://care.diabetesjournals.org/cgi/content/abstract/25/12/2335
  155. 230. http://care.diabetesjournals.org/help/social_bookmarks.dtl
  156. 231. http://en.wikipedia.org/wiki/Social_bookmarking
  157. 232. Del.icio.us
  158. 233. http://www.del.icio.us.com
  159. 235. CiteuLike - http://www.citeulike.org/
  160. 237. Digg - http://digg.com/
  161. 238. Reddit - http://reddit.com/r/brasil/
  162. 239. http://reddit.com/bookmarklets
  163. 240. Exemplo de SlideShare http://scholarlypublishing.blogspot.com/search/label/Librarian
  164. 241. 4.8 Marshup dois em um três em um...
  165. 242. http://www.youtube.com/watch?v=oMlEggjjrik&feature=related
  166. 243. Marshup http://www3.interscience.wiley.com/crossref.html
  167. 244. 4.9 RSS feed em RSS Really Simple Syndication distribuir notícias sem usar e-mail
  168. 245. http://www.rc.unesp.br/biblioteca/
  169. 247. Redação hipertextual um depoimento <ul><li>Mestrado em Educação, Ciência e Tecnologia Faculdade de Educação - UNICAMP </li></ul><ul><li>Dissertação disponível em: </li></ul><ul><li>http://libdigi.unicamp.br/document/?code=vtls000384508 </li></ul>

×