Your SlideShare is downloading. ×
0
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

A Tradução Intersemiótica nas redes sociais do novo século

1,163

Published on

Apresentação da dissertação de mestrado, orientada pela professora doutora Elizabeth Ramos, como requisito para a aprovação no mestrado em Letras e Linguística do Programa de Pós-Graduação em Letras …

Apresentação da dissertação de mestrado, orientada pela professora doutora Elizabeth Ramos, como requisito para a aprovação no mestrado em Letras e Linguística do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFBA.

Published in: Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,163
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. A TRADUÇÃO INTERSEMIÓTICA NAS REDES SOCIAIS DO NOVO SÉCULO HAMLET PROJETO NO YOUTUBE ORIENTADORA: ELIZABETH RAMOS DATA PESQUISADOR 13/12/2010 ERNESTO DINIZquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 2. PROBLEMASquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 3. quarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 4. PROBLEMAS COMO A TRADUÇÃO 1 INTERSEMIÓTICA SE APRESENTA NO YOUTUBE?quarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 5. PROBLEMAS COMO A TRADUÇÃO 1 INTERSEMIÓTICA SE APRESENTA NO YOUTUBE? QUAL É A RELAÇÃO ENTRE 2 CULTURA, SOCIEDADE E TRADUÇÃO INTERSEMIÓTICA?quarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 6. ® Todos os direitos reservados MODERN HAMLET flickr.com/photos/dawndiqbu DawndiQBUquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 7. HIPÓTESESquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 8. quarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 9. HIPÓTESES A TRADUÇÃO 1 INTERSEMIÓTICA NÃO SE APRESENTA COMO CÓPIA DO “TEXTO ORIGINAL”, MAS COMO CONTINUIDADE SÍGNICAquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 10. HIPÓTESES A TRADUÇÃO 1 INTERSEMIÓTICA NÃO SE APRESENTA COMO CÓPIA DO “TEXTO ORIGINAL”, MAS COMO CONTINUIDADE SÍGNICA ๏ SIMULACRO ๏ SUPLEMENTO ๏ TRANSMIDIATISMOquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 11. HIPÓTESES A TRADUÇÃO 2 INTERSEMIÓTICA NO YOUTUBE É, AO MESMO TEMPO, DESAURATIZADORA E POPULARIZANTE EM RELAÇÃO AO TEXTO SHAKESPEARIANOquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 12. HIPÓTESES A TRADUÇÃO 2 INTERSEMIÓTICA NO YOUTUBE É, AO MESMO TEMPO, DESAURATIZADORA E POPULARIZANTE EM RELAÇÃO AO TEXTO SHAKESPEARIANO ๏ HIERARQUIAS ๏ VALOR DO ORIGINAL ๏ ACESSO AOS TEXTOSquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 13. HIPÓTESES NO AMBIENTE VIRTUAL DO 3 YOUTUBE, OS PAPÉIS DE “AUTOR”, “LEITOR” E “TRADUTOR” (CON)FUNDEM-SEquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 14. HIPÓTESES NO AMBIENTE VIRTUAL DO 3 YOUTUBE, OS PAPÉIS DE “AUTOR”, “LEITOR” E “TRADUTOR” (CON)FUNDEM-SE ๏ TECNOLOGIA ๏ MÍDIA ๏ SOCIEDADEquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 15. ©© Alguns direitos reservados OPHELIA flickr.com/photos/lohasleido Mancera✪quarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 16. OBJETIVOSquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 17. quarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 18. OBJETIVOS REFLETIR SOBRE OS 1 IMBRICAMENTOS ENTRE SOCIEDADE, TECNOLOGIA E TRADUÇÃOquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 19. OBJETIVOS REFLETIR SOBRE OS 1 IMBRICAMENTOS ENTRE SOCIEDADE, TECNOLOGIA E TRADUÇÃO REFLETIR SOBRE O PAPEL 2 DO SIMULACRO, DO SUPLEMENTO E DOS ATORES NAS REDES SOCIAISquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 20. ©© Alguns direitos reservados HAMLET - OH HAMLET flickr.com/photos/h-k-d h.koppdelaneyquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 21. A ERA ELIZABETANAquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 22. quarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 23. A ERA ELIZABETANA ๏ SÉCULO XVIquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 24. A ERA ELIZABETANA ๏ SÉCULO XVI ๏ INGLATERRA: MOMENTO DE TRANSIÇÃOquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 25. A ERA ELIZABETANA ๏ SÉCULO XVI ๏INGLATERRA: MOMENTO DE TRANSIÇÃO • RENASCIMENTO INGLÊSquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 26. A ERA ELIZABETANA ๏ SÉCULO XVI ๏INGLATERRA: MOMENTO DE TRANSIÇÃO • RENASCIMENTO INGLÊS • TENSÃO ENTRE O RELIGIOSO E O HUMANOquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 27. A ERA ELIZABETANA ๏ SÉCULO XVI ๏INGLATERRA: MOMENTO DE TRANSIÇÃO • RENASCIMENTO INGLÊS • TENSÃO ENTRE O RELIGIOSO E O HUMANO • RELAÇÕES COMERCIAISquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 28. A ERA ELIZABETANA ๏ SÉCULO XVI ๏INGLATERRA: MOMENTO DE TRANSIÇÃO • RENASCIMENTO INGLÊS • TENSÃO ENTRE O RELIGIOSO E O HUMANO • RELAÇÕES COMERCIAIS • O COMEÇO DO TEATRO COMO ENTRETENIMENTOquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 29. A ERA ELIZABETANA ๏ SÉCULO XVI ๏INGLATERRA: MOMENTO DE TRANSIÇÃO • RENASCIMENTO INGLÊS • TENSÃO ENTRE O RELIGIOSO E O HUMANO • RELAÇÕES COMERCIAIS • O COMEÇO DO TEATRO COMO ENTRETENIMENTO • A ARTE COMO FONTE DE SOBREVIVÊNCIA E LUCROquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 30. A ERA DAS REDES SOCIAISquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 31. A ERA DAS REDES SOCIAS ๏ SÉCULO XXIquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 32. A ERA DAS REDES SOCIAS ๏ SÉCULO XXI ๏ PLANETA TERRA: MOMENTO DE TRANSIÇÃOquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 33. A ERA DAS REDES SOCIAS ๏ SÉCULO XXI ๏ PLANETA TERRA: MOMENTO DE TRANSIÇÃO •O BOOM TECNOLÓGICOquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 34. A ERA DAS REDES SOCIAS ๏ SÉCULO XXI ๏ PLANETA TERRA: MOMENTO DE TRANSIÇÃO • O BOOM TECNOLÓGICO • TENSÃO ENTRE CAPITAL MONETÁRIO E CAPITAL SOCIALquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 35. A ERA DAS REDES SOCIAS ๏ SÉCULO XXI ๏ PLANETA TERRA: MOMENTO DE TRANSIÇÃO • O BOOM TECNOLÓGICO • TENSÃO ENTRE CAPITAL MONETÁRIO E CAPITAL SOCIAL • A TRADUÇÃO COMO EXTENSÃO DO ENTRETENIMENTOquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 36. A ERA DAS REDES SOCIAS ๏ SÉCULO XXI ๏ PLANETA TERRA: MOMENTO DE TRANSIÇÃO • O BOOM TECNOLÓGICO • TENSÃO ENTRE CAPITAL MONETÁRIO E CAPITAL SOCIAL • A TRADUÇÃO COMO EXTENSÃO DO ENTRETENIMENTO • A ARTE COMO APROPRIAÇÃO E COMPARTILHAMENTO DOS TEXTOSquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 37. O GRANDE PALCOquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 38. quarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 39. O YOUTUBE ๏ MAIS DE 2 BILHÕES DE VÍDEOS ASSISTIDOS DIARIAMENTE NO MUNDO TODOquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 40. O YOUTUBE ๏ MAIS DE 2 BILHÕES DE VÍDEOS ASSISTIDOS DIARIAMENTE NO MUNDO TODOquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 41. O YOUTUBE ๏ MAIS DE 2 BILHÕES DE VÍDEOS ASSISTIDOS DIARIAMENTE NO MUNDO TODO ISSO É QUASE O DOBRO DA AUDIÊNCIA DAS TRÊS MAIORES REDES DE TELEVISÃO DOS E.U.A. NO HORÁRIO NOBREquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 42. O YOUTUBE ๏ MAIS DE 2 BILHÕES DE VÍDEOS ASSISTIDOS DIARIAMENTE NO MUNDO TODO ๏ MAIS DE 103,8 MILHÕES VISITAS ÚNICAS EM MAIO DE 2010quarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 43. O YOUTUBE ๏ MAIS DE 2 BILHÕES DE VÍDEOS ASSISTIDOS DIARIAMENTE NO MUNDO TODO ๏ MAIS DE 103,8 MILHÕES VISITAS ÚNICAS EM MAIO DE 2010 ๏ UMA MÉDIA DE 24 HORAS DE VÍDEO SÃO ENVIADAS PARA O YOUTUBE A CADA MINUTOquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 44. O YOUTUBE ๏ MAIS DE 2 BILHÕES DE VÍDEOS ASSISTIDOS DIARIAMENTE NO MUNDO TODO ๏ MAIS DE 103,8 MILHÕES VISITAS ÚNICAS EM MAIO DE 2010 ๏ UMA MÉDIA DE 24 HORAS DE VÍDEO SÃO ENVIADAS PARA O YOUTUBE A CADA MINUTO ๏ MAIS DE 5,7 BILHÕES DE VÍDEOS FORAM ASSISTIDOS NOS E.U.A. EM JUNHO DE 2010quarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 45. DADOS VIA JESS3, YOUTUBE, PINGDOM, COMSCORE O YOUTUBE ๏ MAIS DE 2 BILHÕES DE VÍDEOS ASSISTIDOS DIARIAMENTE NO MUNDO TODO ๏ MAIS DE 103,8 MILHÕES VISITAS ÚNICAS EM MAIO DE 2010 ๏ UMA MÉDIA DE 24 HORAS DE VÍDEO SÃO ENVIADAS PARA O YOUTUBE A CADA MINUTO ๏ MAIS DE 5,7 BILHÕES DE VÍDEOS FORAM ASSISTIDOS NOS E.U.A. EM JUNHO DE 2010 ๏ 47% DA POPULAÇÃO CONECTADA NO MUNDO VISITOU O YOUTUBE EM ABRIL DE 2010quarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 46. 5.390 HAMLETSquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 47. quarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 48. 3 HAMLETS SELECIONADOS FAST HAMLET HAMLET PRINCE HAMLET RAP OF YOUTUBEquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 49. FAST HAMLETquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 50. USUÁRIO: DAVEMCDEVITT TEMPO DO VÍDEO: 0:42S UPLOAD EM: 15/07/2006 FAST HAMLETquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 51. FAST HAMLETquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 52. FAST HAMLETquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 53. UM HAMLET VELOZ A QUESTÃO DO ORIGINAL FAST HAMLETquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 54. UM HAMLET VELOZ A QUESTÃO DO ORIGINAL • A PREOCUPAÇÃO COM A VALIDAÇÃO DOS CONTEÚDOS A PARTIR DO “ORIGINAL”: O PLATONISMO FAST HAMLETquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 55. UM HAMLET VELOZ A QUESTÃO DO ORIGINAL •DESIERARQUIZAÇÃO ATRAVÉS DA MULTIRREFERENCIALIDADE E DA REPRODUÇÃO EM LARGA ESCALA: MODERNISMO E POP-ART FAST HAMLETquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 56. UM HAMLET VELOZ A QUESTÃO DO ORIGINAL •OS MEIOS TECNOLÓGICOS (REDES SOCIAIS E SERVIÇOS ONLINE) COMO AMPLIADORES DA EXPOSIÇÃO AOS TEXTOS: PROBLEMA COM AS AUTORIAS FAST HAMLETquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 57. UM HAMLET VELOZ A QUESTÃO DO ORIGINAL • A IMPORTÂNCIA DA ANTERIORIDADE E AS RELATIVIZAÇÕES DENTRO DOS SISTEMAS CULTURAIS: VALORES MUTANTES FAST HAMLETquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 58. UM HAMLET VELOZ A QUESTÃO DO ORIGINAL • A TRADUÇÃOINTERSEMIÓTICA E A POTÊNCIA DAS INTERPRETAÇÕES: MANTENDO OS TEXTOS EM TRÂNSITO NOS SISTEMAS CULTURAIS FAST HAMLETquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 59. HAMLET PRINCE OF YOUTUBEquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 60. USUÁRIO: XELANDERTHOMAS TEMPO DO VÍDEO: 2:49S UPLOAD EM: 02/01/2007 HAMLET PRINCE OF YOUTUBEquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 61. HAMLET PRINCE OF YOUTUBEquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 62. HAMLET PRINCE OF YOUTUBEquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 63. UM HAMLET PRESENTIFICADO A QUESTÃO DO SUPLEMENTO HAMLET PRINCE OF YOUTUBEquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 64. UM HAMLET PRESENTIFICADO A QUESTÃO DO SUPLEMENTO • OS SIGNOS SÃO TRANSMUTADOS ATRAVÉS DA TRADUÇÃO INTERSEMIÓTICA: LINGUAGENS E TEMPO HAMLET PRINCE OF YOUTUBEquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 65. UM HAMLET PRESENTIFICADO A QUESTÃO DO SUPLEMENTO HAMLET HAMLET BBC LAURENCE OLIVIER 2009 1948quarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 66. UM HAMLET PRESENTIFICADO A QUESTÃO DO SUPLEMENTO • A INTERPRETAÇÃO PRESSUPÕE UMA LEITURA POSSÍVEL E PARCIAL QUE MODIFICA OS SIGNOS DO TEXTO: ADIÇÃO E SELEÇÃO HAMLET PRINCE OF YOUTUBEquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 67. UM HAMLET PRESENTIFICADO A QUESTÃO DO SUPLEMENTO • APAGAMENTO E REFORÇO DO TEXTO SHAKESPEARIANO: UM DOS PARADOXOS DA TRADUÇÃO INTERSEMIÓTICA HAMLET PRINCE OF YOUTUBEquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 68. UM HAMLET PRESENTIFICADO A QUESTÃO DO SUPLEMENTO • A CULTURAPARTICIPATIVA DEMONSTRA A POTÊNCIA DA INTERPRETAÇÃO: MOMENTO DE TRANSIÇÃO CULTURAL HAMLET PRINCE OF YOUTUBEquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 69. UM HAMLET PRESENTIFICADO A QUESTÃO DO SUPLEMENTO • O ATOR DAS REDES SOCIAIS NO SÉCULO XXI PARECE SER UM HÍBRIDO: LEITOR-TRADUTOR (CON)FUNDIDO COM AUTOR HAMLET PRINCE OF YOUTUBEquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 70. HAMLET RAPquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 71. USUÁRIO: BLOODOCTOPUS TEMPO DO VÍDEO: 1:54S UPLOAD EM: 17/05/2007 HAMLET RAPquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 72. HAMLET RAPquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 73. HAMLET RAPquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 74. UM HAMLET COM RITMO E POESIA A QUESTÃO DOS POLISSISTEMAS • AS TRADUÇÕES INTERSEMIÓTICAS APROPRIAM-SE E SELECIONAM SIGNOS: A RELATIVIZAÇÃO DAS POSIÇÕES DE “CENTRO” E “PERIFERIA” HAMLET RAPquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 75. UM HAMLET COM RITMO E POESIA A QUESTÃO DOS POLISSISTEMAS • AS TRADUÇÕES DOS TEXTOS NAS REDES SOCIAIS ASSUMEM POSIÇÕES HIPOTÉTICAS DENTRO DA CULTURA GLOBAL: DESLOCAMENTOS E TRANSMUTAÇÕES HAMLET RAPquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 76. UM HAMLET COM RITMO E POESIA A QUESTÃO DOS POLISSISTEMAS • ASINTERAÇÕES COM OS TEXTOS QUASE SEMPRE MODIFICAM OS VALORES ATRIBUÍDOS A ELE: RELEVÂNCIA E SOCIOLOGIA HAMLET RAPquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 77. UM HAMLET COM RITMO E POESIA A QUESTÃO DOS POLISSISTEMAS •NÃO HÁ COMO REDUZIR OS FENÔMENOS DA CULTURA A UNIDADES ISOLADAS E TOTALMENTE ESTRUTURADAS: DESAFIOS DO MOMENTO DE TRANSIÇÃO CULTURAL HAMLET RAPquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 78. CONSIDERAÇÕES FINAISquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 79. quarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 80. CONSIDERAÇÕES FINAIS SISTEMAS COMPLEXOS: SOCIEDADE E 1 TECNOLOGIAquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 81. CONSIDERAÇÕES FINAIS SISTEMAS COMPLEXOS: SOCIEDADE E 1 TECNOLOGIA AS MODIFICAÇÕES EM UMA ESFERA 2 DO SISTEMA RECONFIGURAM TODO O SISTEMAquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 82. CONSIDERAÇÕES FINAIS SISTEMAS COMPLEXOS: SOCIEDADE E 1 TECNOLOGIA AS MODIFICAÇÕES EM UMA ESFERA 2 DO SISTEMA RECONFIGURAM TODO O SISTEMA LINHA TEMPORAL MULTILINEAR E 3 ESPAÇO IMATERIALquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 83. CONSIDERAÇÕES FINAIS A INTERPRETAÇÃO COMO FENOTIPIA 4 DO TEXTOquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 84. CONSIDERAÇÕES FINAIS A INTERPRETAÇÃO COMO FENOTIPIA 4 DO TEXTO O ORIGINAL COMO CÓDIGO GENÉTICO 5 MUTANTEquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 85. CONSIDERAÇÕES FINAIS A INTERPRETAÇÃO COMO FENOTIPIA 4 DO TEXTO O ORIGINAL COMO CÓDIGO GENÉTICO 5 MUTANTE FATORES MUTANTES: TRADUÇÃO, 6 INTERPRETAÇÃO, LINGUAGENS, TEMPO, ESPAÇOquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 86. CONSIDERAÇÕES FINAISquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 87. CONSIDERAÇÕES FINAIS POR UMA ECOLOGIA DA 7 TRADUÇÃO INTERSEMIÓTICA ๏ A VARIEDADE TEXTUAL GARANTE E SUA SOBREVIVÊNCIAquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 88. CONSIDERAÇÕES FINAIS POR UMA ECOLOGIA DA 7 TRADUÇÃO INTERSEMIÓTICA ๏ A VARIEDADE TEXTUAL GARANTE E SUA SOBREVIVÊNCIA ๏ É ESPERADO QUE HAJA UMA COMPETIÇÃO ENTRE AS TRADUÇÕESquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 89. CONSIDERAÇÕES FINAIS POR UMA ECOLOGIA DA 7 TRADUÇÃO INTERSEMIÓTICA ๏ A VARIEDADE TEXTUAL GARANTE E SUA SOBREVIVÊNCIA ๏ É ESPERADO QUE HAJA UMA COMPETIÇÃO ENTRE AS TRADUÇÕES ๏ OS “MAIS BEM ADAPTADOS AO AMBIENTE” CONTINUAM SENDO DIFUNDIDOS E DIVULGADOSquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 90. CONSIDERAÇÕES FINAIS POR UMA ECOLOGIA DA 7 TRADUÇÃO INTERSEMIÓTICA ๏ A VARIEDADE TEXTUAL GARANTE E SUA SOBREVIVÊNCIA ๏ É ESPERADO QUE HAJA UMA COMPETIÇÃO ENTRE AS TRADUÇÕES ๏ OS “MAIS BEM ADAPTADOS AO AMBIENTE” CONTINUAM SENDO DIFUNDIDOS E DIVULGADOS ๏ O SISTEMA É MANTIDO EM MOVIMENTO A PARTIR DA CRIAÇÃO DE NOVAS FORMAS DE TRADUÇÃO INTERSEMIÓTICAquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 91. CONSIDERAÇÕES FINAIS POR UMA ECOLOGIA DA 7 TRADUÇÃO INTERSEMIÓTICA ๏ A VARIEDADE TEXTUAL GARANTE E SUA SOBREVIVÊNCIA ๏ É ESPERADO QUE HAJA UMA COMPETIÇÃO ENTRE AS TRADUÇÕES ๏ OS “MAIS BEM ADAPTADOS AO AMBIENTE” CONTINUAM SENDO DIFUNDIDOS E DIVULGADOS ๏ O SISTEMA É MANTIDO EM MOVIMENTO A PARTIR DA CRIAÇÃO DE NOVAS FORMAS DE TRADUÇÃO INTERSEMIÓTICA ๏ PARA QUE AS TRADUÇÕES CONTINUEM SENDO PRODUZIDAS DEVE HAVER MUDANÇAS NAS REGRAS DO JOGO (TRENDINGS, NOVOS SERVIÇOS, PLATAFORMAS E LINGUAGENS)quarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 92. © Todos os direitos reservados SHAKESPERIAN flickr.com/photos/h-k-d Blue | Starquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 93. MUITO OBRIGADO ELIZABETH RAMOS, CAROL CUSTODIO, ANTONIA LEMOS AOS AMIGOS E PESQUISADORES QUE ME ACOMPANHAM E ME INSPIRAM SEMPREquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 94. REFERÊNCIAS BARAN, Paul. On distributed communications: I. Introduction to distributed communications network. Disponível em: <http://www.rand.org/pubs/ HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva e research_memoranda/2006/RM3420.pdf>. Acesso em: 15 de set. 2010. Guacira Lopes Louro. Rio de Janeiro: DP&A, 2006. BARTHES, Roland. O rumor da língua. Trad. Mario Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, HAUSER, Arnold. História Social da Arte e da Literatura. Trad. Álvaro Cabral. São Paulo: 2004. Martins Fontes, 1998. BASSNETT, Susan. Translation Studies. London and New York: Routledge, 2008. JENKINS, Henry. Convergence culture: where old and new media collide. New York: NYU Press, 2006. BENJAMIM, Walter. A obra de arte no tempo de suas técnicas de reprodução. In: Sociologia da Arte, IV. Trad. Tomaz A. Bueno. Rio de Janeiro, Zahar, 1969. LÉVY, Pierre. Cibercultura. Trad. Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34, 1999. __________, Walter. A tarefa do tradutor. Trad. de Johannes Kretschmer. Rio de Janeiro: MCLUHAN, Marshall. Os meios de comunicação como extensão do homem. Trad: Décio Cadernos do Mestrado da UERJ, 1994. Pignatari. São Paulo: Cultrix, 1969. BRAGA, Eduardo Cardoso. A interatividade e a construção do sentido no ciberespaço. In: O MOURTHÉ, Claude. Shakespeare. Trad: Paulo Neves. Porto Alegre: L&PM, 2007. chip e o caleidoscópio, reflexões sobre as novas mídias. São Paulo: Editora SENAC, 2005. PLAZA, Julio. Arte e Interatividade: autor-obra-recepção. Revista de Pós-graduação, CPG, BRYSON, Bill. Shakespeare: o mundo é um palco. Trad: José Rubens Siqueira. São Paulo: Instituto de Artes. Disponível em: <www.cap.eca.usp.br/ars2/arteeinteratividade.pdf>. Companhia das Letras, 2008. Acesso em: 10 abr. 2010. CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. Trad.: Roneide Venâncio Majer. São Paulo: Paz e ______, Julio. Tradução Intersemiótica. São Paulo: Editora Perspectiva, 2003.  Terra, 1999. QUALMAN, Erik. Socialnomics: How Social Media Transforms the Way We Live and Do CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do autor ao navegador: conversações com Jean Business. New York: Wiley, 2009. Lebrun/ Roger Chartier. Trad. Reginaldo Carmello Corrêa de Moraes. São Paulo: Editora UNESP, 1998. RAMOS, Elizabeth. Grandes Esperanças de Alfonso Cuaron. In: Revista Estudos Linguísticos e Literários, PPGLL-UFBA, nº 33/34. Salvador: EDUFBA, 2006. COMPAGNON, Antoine. O demônio da teoria: literatura e senso comum. Trad. Cleonice Paes Barreto Mourão e Consuelo Forte Santiago. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2001. RECUERO, Raquel. Redes sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009. DALMONTE, Edson Fernando. A esfera paratextual: o lugar do leitor-participante no SAMOYAULT, Tiphaine. A Intertextualidade. Trad. Sandra Nitrini. São Paulo: Editora Hucitec, webjornalismo. In: Revista Galáxia, n. 18. Revista do Programa de Pós-Graduação em 2008. Comunicação e Semiótica da PUC-SP. Disponível em: < http://revistas.pucsp.br/index.php/ galaxia/article/view/2645/1685>. Acesso em: 4 jan. 2011. SANTAELLA, Lucia. Culturas e artes do pós-humano. São Paulo: Paulus, 2003. DELEUZE, Gilles. Lógica do sentido. Trad. Luiz Roberto Salinas Forte. São Paulo: _______, Lucia. Por que as comunicações e as artes estão convergindo?. São Paulo: Perspectiva, 1998. Paulus, 2005. DERRIDA, Jacques. A escritura e diferença. Trad. Maria Beatriz Marques Nizza da Silva. São Paulo: Perspectiva, 1979. SHAKESPEARE, William. Hamlet. Trad. Millôr Fernandes. Porto Alegre: L&PM, 2009. ______, Jacques. Of Gramatology. Trad. Gayatri Chakravorty Spivak. Baltimore: The John STOCKER, Barry. Routledge philosophy guidebook to Derrida on desconstruction. Londres: Hopkins Unisersity Press, 1997. Routledge, 2006. ______, Jacques. Writing and Difference. Trad. Alan Bass. Londres: Routledge, 2002. WASSERMAN, S., FAUST, K. Social Network Analysis. Methods and Applications. Cambridge: Cambridge University Press, 1994. ECO, Umberto. Apocalípticos e Integrados. Trad.: Pérola de Carvalho. São Paulo: Perspectiva, 2006. WRIGHT, Robert. Tim Berners-Lee: the man who invented the web. Time. Disponível em: <http://www.time.com/time/magazine/article/0,9171,986354,00.html>. Acesso em: 30 ______, Umberto. Obra Abierta. Trad. Roser Berdagué. Barcelone: Editorial Planeta, 1992. mai. 2010. EVEN-ZOHAR, Itamar. Polysystem studies. In: Poetics today, volume 11, número 1. Tel Aviv: Porter Institute, 1990.quarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 95. ERNESTO DINIZ email ernesto@intersemiotica.com twitter @ernestodiniz www ernestodiniz.comquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 96. www.intersemiotica.comquarta-feira, 8 de junho de 2011
  • 97. A TRADUÇÃO INTERSEMIÓTICA NAS REDES SOCIAIS DO NOVO SÉCULO HAMLET PROJETO NO YOUTUBE ORIENTADORA: ELIZABETH RAMOS DATA PESQUISADOR 13/12/2010 ERNESTO DINIZquarta-feira, 8 de junho de 2011

×