Neg 311   aula  2
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Neg 311 aula 2

on

  • 5,855 views

aula 2 para FDC - junho 2010

aula 2 para FDC - junho 2010

Statistics

Views

Total Views
5,855
Views on SlideShare
5,853
Embed Views
2

Actions

Likes
4
Downloads
247
Comments
1

2 Embeds 2

http://www.linkedin.com 1
https://www.linkedin.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Neg 311   aula  2 Neg 311 aula 2 Presentation Transcript

  • Percurso das aulas
    AULA 2
  • DISPOSIÇÃO
    Aula 2
    www.google.com/images
  • QUEM É O EMPREENDEDOR?
    ATIVIDADE COLETIVA: 20 min.
    AQUECIMENTO SOBRE TEMA: Pense em um empreendedor que você conhece. Por que você considera essa pessoa empreendedora? Quais características de empreendedor vc identifica nessa pessoa?
  • Solitários?
    MITO 1
    Realidade
    - São ótimos líderes.
    - Criam times.
    - Desenvolvem excelente relacionamento no trabalho com colegas, parceiros, clientes, fornecedores e muitos outros.
  • Jogadores?
    5
    - Tomam riscos calculados.
    - Evitam riscos desnecessários.
    - Compartilham o risco com os outros.
    - Dividem o risco em “partes menores”.
    Realidade
    MITO 2
  • Nasceram assim?
    MITO 3
    Realidade
    - Enquanto a maioria dos empreendedores nasce com um certo nível de inteligência, empreendedores de sucesso acumulam habilidades relevantes, experiências e contatos com o passar dos anos.
    - A capacidade de ter visão e perseguir oportunidades, aprimora-se com o tempo.
  • Primórdios do conceito...
    Em1942 o economista Joseph A. Schumpeter e descreve um processo industrial de transformação que acompanha uma extrema inovação.
    A inovação era provocada por empreende-dores e foi a força que sustentou por um longo tempo o crescimento da economia, mesmo destruindo o valor de companhias estabelecidas que aproveitaram um certo grau de monopólio, à época.
    Quase 70 anos depois vivemos a atualidade de seu ponto de vista, pois só recentemente o mundo inteiro está realmente compreendendo a inovação, o empreendedorismo e a destruição criativa como verdadeiras fontes de avanço, desenvolvimento, criação e distribuição de valor e riqueza.
  • Primórdios do conceito...
    Para Schumpeter, Empreendedores são figuras centrais na criação e distribuição de riqueza. Os proprietários de empresas novas e independentes, que levam inovações para mercados existentes, são empreendedores que destroem os mercados existentes à medida que suas inovações aumentam a demanda e criam novas riquezas. E distribuem riqueza para um novo grupo de acionistas, trabalhadores e fornecedores.
    Nota: A inovação e o empreendedorismo fazem a riqueza mudar de mãos!
  • Primórdios do conceito...
    “O empreendedor é aquele que destrói a ordem econômica existente através da introdução de novos produtos e serviços, pela criação de novas formas de organização, ou pela exploração de novos recursos e materiais.”
  • Primórdios do conceito...
    “O empreendedor é aquele que destrói a ordem econômica existente através da introdução de novos produtos e serviços, pela criação de novas formas de organização, ou pela exploração de novos recursos e materiais.”
    DESTRUIÇÃO CRIATIVA!
  • UM CONCEITO, VÁRIOS OLHARES
    “Empreendedores são pessoas que criam prosperidade econômica e social nas sociedades.” Bill Bolton
    Administrador e consultor inglês
    “O empreendedorismo é um comportamento e não um traço de personalidade.”
    Peter Drucker
    Identificamos o empreendedor pela sua forma de ser, não pela atividade que exerce.
  • UM CONCEITO, VÁRIOS OLHARES
    “Qualquer indivíduo que tenha à frente uma decisão a tomar pode aprender a ser um empreendedor e se comportar empreendedorialmente”
    Drucker (1987)
    “Alguém capaz de identificar, agarrar e aproveitar oportunidades, buscando e gerenciando recursos para transformar a oportunidade em negócio de sucesso”
    Timmons(1994)
    “Um empreendedor é uma pessoa que imagina, desenvolve e realiza visões”
    Filion(1999)
    “Alguém que sonha e busca transformar o seu sonho em realidade ”
    Dolabela (2003)
    Abrangência maior: empreendedores em empresas privadas (ou empreendedor corporativo), em instituições públicas e do terceiro setor, em funções de ensino, pesquisa, etc.
  • UM CONCEITO, VÁRIOS OLHARES
    O empreendedorismo é uma verdadeira revolução social que está alterando a percepção e as atitudes em relação às formas tradicionais de emprego e dos meios disponíveis para a geração da renda e a auto-sustentação.
  • UM CONCEITO, VÁRIOS OLHARES
    O empreendedorismo é uma verdadeira revolução pessoal. Muitas vezes se apresenta como um desafio de mercado ou de carreira, mas termina se transformando em uma forma diferente de ver e de estar no mundo. O empreendedor se descobre empreendedor e gosta muito disso!
  • DETERMINAÇÃO
  • MAIS UMA VEZ,
    2003, Dornelas. Plano de Negócios.
  • TEORIA VISIONÁRIA DE FILION
    EXTERIOR
    VISÃO CENTRAL
    INTERIOR
    Visões
    complementares
    Visões
    emergentes
    Visões
    emergentes
    Visões
    complementares
  • COMO O EMPREENDEDOR SE PREPARA PARA A AÇÃOELEMENTOS DE SUPORTE À CONSTRUÇÃO DA VISÃO (FILION)
    COMPREENSÃO
    DO SETOR
    CONCEITO DE SI
    VISÃO
    ENERGIA
    RELAÇÕES
    LIDERANÇA
    Fonte: DOLABELA, F. Oficina do empreendedor, 1999.
  • RAZÕES PARA O EMPREENDEDORISMO
    Mobilidade Social
  • RAZÕES PARA O EMPREENDEDORISMO
    IchakAdises
    INOVAÇÃO = NOVO CICLO INICIA
    Evolução
    estabilidade
    complexidade
    aristocracia
    Ciclo de Vida Organizacional
    crescimento
    burocracia
    sucesso
    agonia
    Tempo
    CRESCIMENTO
    ENVELHECIMENTO
  • QUEM É O EMPREENDEDOR CORPORATIVO?
  • EMPREENDEDOR CORPORATIVO
    Intra-empreendedor
    (GiffordPinchot, meados da década de 80)
    - São pessoas que trabalham na empresa, mesmo de grande porte, e agem como se fossem proprietários. Buscam oportunidades, fazem diferente, assumem riscos calculados, inovam e criam valor ao cliente.
    - O empreendedor corporativo é alguém capaz de identificar, agarrar e aproveitar oportunidades,
    buscando e gerenciando recursos para transformar as oportunidades em realizações de sucesso.
    Adaptado de Jeffry A. Timmons
    Pesquisador norte-americano
  • EMPREENDEDOR CORPORATIVO
    É o empreendedor no contexto da organização.
    Alguém que faz diferente, assume riscos calculados, busca oportunida-des, inova e tem como foco a criação de valor.
    É o funcionário que, dentro da empresa, cria um projeto, monta a sua equipe, obtém recursos, gerencia o projeto, testa a viabilidade e participa dos resultados, tal como faria um empreendedor de start-up.
    Esse profissional contribui decisivamente para estabelecer uma vanta-gemcompetitiva sustentável.
    O intraempreendedorismo éfundamental para manter a competitividade das organizações. 
    Pode consistir em uma estratégia para estimular e incentivar iniciativas empreendedoras dos funcionários, visando acelerar e manter o processo de inovação dentro da empresa.
    Fonte: DOLABELA, F. Oficina do empreendedor, 1999.
  • QUEM É O EMPREENDEDOR CORPORATIVO?
    “O intraempreendedor questiona as regras, enfrenta a autoridade formal, é avesso às ordens e incomoda os demais. Muitos deles não saem por livre e espontânea vontade, são sumariamente demitidos por falta de aderência aos “valores corporativos” e acabam engrossando a fila do empreendedorismo por necessidade.”
    Marcos Hashimoto
    SERÁ...
  • ALGUMAS DIFERENÇAS
  • 10 Conselhos do GiffordPinchot, 1985
    Forme sua equipe. Intra-empreendedorismo não é uma atividade solitária;
    Compartilhe o mais amplamente possível as recompensas;
    Solicite aconselhamento antes de pedir recursos;
    É melhor prometer pouco e realizar em excesso;
    Faça o trabalho necessário para o atingimento de seu sonho, independentemente de sua descrição de cargo;
    Lembre-se de que é mais fácil pedir perdão do que pedir permissão;
    Tenha sempre em mente os interesses de sua empresa e dos clientes, especialmente quando você tiver que quebrar alguma regra ou evitar a burocracia;
    Vá para o trabalho a cada dia disposto a ser demitido;
    Seja leal às suas metas, mas realista quanto às maneiras de atingi-las;
    Honre e eduque seus patrocinadores
  • DEDICAÇÃO
  • 28
  • ESTRUTURA MENTAL E PESSOAL NECESSÁRIAS
    David C. McClelland, após anos de estudo, criou um modelo com 55 questões para verificar quais características se destacam no empreendedor. Dez principais características empreendedoras (CCE*) foram identificadas.
    * Características do Comportamento Empreendedor
    Fonte:McCLELLAND, David. A sociedade competitiva, 1972.
  • ESTRUTURA MENTAL E PESSOAL NECESSÁRIAS
    1. Persistência
    Enfrentar os obstáculos e buscar, a todo custo, o sucesso.
    2. Independência e Autoconfiança
    Ter autonomia para agir e manter sempre a confiança no sucesso.
    3. Exigência de Qualidade e Eficiência
    Fazer sempre mais e melhor. Satisfazer ou superar as expectativas de prazos e padrões de qualidade.
    4. Comprometimento
    Sacrifício pessoal, colaboração com os funcionários e esmero com os clientes. Importantes atitudes para o sucesso de uma organização.
    5. Busca de Oportunidades e Iniciativa
    Capacidade de antecipar fatos e criar oportunidades com novas soluções.
  • ESTRUTURA MENTAL E PESSOAL NECESSÁRIAS
    6. Correr Riscos Calculados
    Disposição de assumir desafios e responder por eles.
    7. Busca de Informações
    Busca constante de dados sobre o cidadão, o usuário, fornecedores, concorrentes e sobre o próprio negócio.
    8. Estabelecimento de Metas
    Saber estabelecer objetivos que sejam claros para a organização, tanto de longo como de curto prazo.
    9. Planejamento e Monitoramento Sistemáticos
    Organização de tarefas de maneira objetiva, com prazos definidos, a fim de que possam ter seus resultados medidos e avaliados.
    10. Persuasão e Rede de Contatos
    Usar estratégias para influenciar e persuadir outras pessoas. Manter contato com pessoas-chaves, relacionadas ou não com seu negócio/organização, que ajudem a atingir os seus objetivos.
  • DRIVE
  • CRIANDO UM AMBIENTE PARA GERAÇÃO DE IDEIAS
    - Organizar a geração e o armazenamento das oportunidades (banco de dados, reuniões periódicas, feira de inovação, etc.)
    - Definir meios de recompensar e/ou incentivar a geração de ideias
    - Fazer com que tais políticas sejam parte da cultura da organização
    - Incentivar o aprendizado.
  • CRIANDO AMBIENTE PARA EMPREENDEDORISMO
    As pessoas devem ser encorajadas a agir como empreendedoras!
    Enfatizar ideias passadas
    que viraram oportunidades
    AMBIENTE PROPÍCIO À INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO
    Prover tempo e recursos
    Incentivar o pensamento
    Criativo
    Tolerar falhas
    O ambiente empreendedor deve estar presente em toda a corporação, em todos os níveis, EM TODAS AS FASES DO NEGÓCIO!
  • CRIANDO AMBIENTE PARA EMPREENDEDORISMO
    Fonte: DORNELAS, 2003.
  • CRIANDO AMBIENTE PARA EMPREENDEDORISMO
    Uma organização empreendedora deve ser criada em torno de equipes que funcionam como pequenas empresas agrupadas, atuando em rede.
  • A empresa onde você trabalha (ou a sua empresa) tem características que favorecem o intraempreendedorismo? Cite-as e explique.
    Caso a empresa onde você trabalha não possua, atualmente, características que favorecem o intraempreendedorismo, quais ações empresariais seriam mais facilmente implementadas na empresa visando criar um ambiente favorável?
    ATIVIDADE INDIVIDUAL – REFLEXÃO E RESPOSTAS : 15 min.
    ATIVIDADE COLETIVA – DEBATE: 15 min.
  • Bônus!
    “A mente, uma vez expandida por uma idéia, jamais se retrai”.