SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE
NÚCLEO PEDAGÓGICO
RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Situações de Aprendizagens

1,133 views
1,005 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,133
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Situações de Aprendizagens

  1. 1. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DA “SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM” Nome do Autor (Informar o nome do autor). Carlos Henrique Caetano Título (O título deve ser claro, conciso e informativo). A FILOSOFIA E O LEVANTE POPULAR DE JUNHO NO BRASIL Resumo da Situação de Aprendizagem (O resumo será o responsável por despertar o interesse pela leitura da situação de aprendizagem, pois ele aparecerá abaixo do título. Nesse campo, é desejável que se apresente de forma sucinta temas, conteúdos, objetivos, metodologia e avaliação, construindo um pequeno parágrafo para cada um desses tópicos ou parágrafo único que os apresente na sequência supracitada). Nas aulas a seguir serão abordados temas referentes às manifestações da juventude, a linguagem e aos métodos dos protestos, à violência policial, à democracia e as transformações políticas, com o objetivo de trazer para a reflexão filosófica a Jornada de Junho ocorrida no Brasil em 2013. Serão utilizadas ferramentas virtuais como a internet e o celular, tendo em vista as novas formas de comunicação pela qual a juventude tem acesso às informações e serão avaliadas as produções dos estudantes referentes aos temas estudados. Quantidade de aulas previstas para desenvolvimento da situação de aprendizagem (Informar o número de aulas necessárias para a aplicação da situação de aprendizagem). 2 aulas para exposição do tema e debate; 2 aulas para elaboração do trabalho; Total de 4 aulas
  2. 2. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Série de Ensino (Apontar a série ensino escolhida). Pode ser aplicada tanto nos 1ºs como nos 3ºs ano do Ensino Médio. Componente Curricular (Apontar a disciplina escolhida para a construção da SA. Mais de um componente curricular poderá ser selecionado – trabalho interdisciplinar). Filosofia, Sociologia, Português, Artes e História. Temas e Conteúdos (Informar temas e conteúdos abordados na situação de aprendizagem).  O ser na multidão;  Estado;  Democracia;  Violência;  Fascismo;  Teorias Socialistas;  Transformação política Competências e habilidades (Apontar todas as competências e habilidades que foram desenvolvidas durante a realização da situação de aprendizagem).  Desenvolver o pensamento autônomo e questionador;  Reconhecer a importância do uso de diferentes linguagens para elaborar o pensamento e a expressão em processos reflexivos;  Identificar características de argumentação em diferentes gêneros textuais;  Relacionar informações, representadas de diferentes formas, e conhecimentos disponíveis em diferentes situações, para construir argumentação consistente;
  3. 3. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br  Articular conhecimentos filosóficos e diferentes conteúdos e modos discursivos nas ciências naturais e humanas, nas artes e em outras produções culturais;  Entender a internet como uma ferramenta de ensino-aprendizagem;  Expressar escrita e oralmente o conceito de Estado;  Construir argumentos que expressem reflexão crítica sobre o conceito de Estado;  Identificar e questionar o papel do Estado e das leis;  Analisar a relação entre Estado e sociedade a partir da compreensão dos conceitos centrais do anarquismo e do socialismo;  Identificar diferentes conceitos de democracia e sua relação com a igualdade efetiva entre os cidadãos;  Pesquisar em sites de busca, hospedagem de imagens ou videos e socializar o conteúdo utilizando redes sociais;  Produzir conteúdo educativo para a internet (programas de rádio, vídeo ou apresentações de Power Point);  Transformar equipamentos tecnológicos (como laptops e smartphones) em instrumentos de ensino-aprendizagem; Referencial Principal (Indicar se a situação de aprendizagem se refere ao Currículo Oficial. Indicar também os possíveis subsídios para a elaboração da SA, tais como o Caderno do Professor/Caderno do Aluno, Livros Didáticos entre outros materiais. Se o referencial principal for o Caderno do Professor ou o Caderno do Aluno, indicar o volume e a situação de aprendizagem). Currículo Oficial do Estado de São Paulo - Filosofia:  3º Bimestre do 1º ano do Ensino Médio: “Socialismo, anarquismo e liberalismo”  4º Bimestre do 1º ano do Ensino Médio: “Democracia e cidadania: origens, conceitos e dilemas”, “Desigualdade social e ideológica”, “Democracia e justiça Social”, “Direitos Humanos”, “Participação Política”.  2º Bimestre do 3º ano do Ensino Médio; “O homem como ser político”, “A desigualdade entre os homens como desafio da política”
  4. 4. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Currículo Oficial do Estado de São Paulo - História:  2º Bimestre do 1º ano do Ensino Médio: “Os excluídos do Regime Democrático”; “Democracia no mundo antigo e no mundo contemporâneo”;  3º Bimestre do 2º ano do Ensino Médio: “Socialismo, comunismo e anarquismo”;  4º Bimestre do 3º ano do Ensino Médio: “O Movimento das Diretas Já”, “O neoliberalismo no Brasil”. Currículo Oficial do Estado de São Paulo - Sociologia:  1º Bimestre do 1º ano do Ensino Médio: “Da diferença à desigualdade, comparação entre os dois conceitos”, “Classes sociais”;  2º Bimestre do 2º ano do Ensino Médio: “Construção da identidade pelos jovens”;  4º Bimestre do 2º ano do Ensino Médio: “O que é violência?”, “Violências simbólicas, físicas e psicológicas”, “Razões para a violência”.  1º Bimestre do 3º ano do Ensino Médio: “O que é cidadania?”, “Direitos civis, políticos, sociais e humanos”, “A expansão da cidadania para grupos especiais”;  2º Bimestre do 3º ano do Ensino Médio: “Movimentos populares urbanos”, “O direito à cidade”;  3º Bimestre do 3º ano do Ensino Médio: “Estado e Governo”; “Formas e sistemas de governo”, “Organização dos poderes: executivo, legislativo e judiciário”, “Eleições e Partidos Políticos” Revista “Filosofia” da editora Araguaia, numero 85 (agosto 2013): “A força transformadora da multidão”, Renato Nunes Bittencourt. Revista “Lingua” da editora Segmento, numero 94 (agosto 2013): “A linguagem dos protestos”, Edgard Murano. “Filosofando”, Maria Lúcia de Arruda Aranha e Maria Helena Pires Martins.
  5. 5. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br “Introdução à Filosofia”, Marilena Chauí. “Fundamentos de Filosofia”, Gilberto Cotrim e Mirna Fernandes. Além de diversos textos, vídeos, imagens e sites da internet. O que se pretende alcançar com a situação de aprendizagem? (Informar os objetivos da situação de aprendizagem). Levar os alunos a compreender de forma orgânica e relacionada com a história da Filosofia os acontecimentos da Jornada de Junho no Brasil, além de incorporar no método de ensino “novas” ferramentas como o celular e a internet. Recursos (Informar todos os materiais utilizados durante a realização da situação de aprendizagem: livros, revistas, jornais, materiais de papelaria, filmes, músicas, websites, softwares, etc). Datashow; Livro Didático (Filosofando); Celulares dos alunos e do professor (para gravar vídeos, sons e transmitir dados via bluetooth); Pen drive (para guardar dados); Acesso à internet; Windows Movie Maker (software para edição de videos); Audacity (software para gravação e edição de som); Power point (software para criação de apresentação de slides);
  6. 6. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Desenvolvimento da Situação de Aprendizagem Descrever clara e detalhadamente o desenvolvimento, o “passo a passo”, de cada aula, com todos os procedimentos necessários para sua aplicação, possibilitando que outros docentes apliquem-na. 1ª Aula: Exposição de conteúdo 1. Apresentar aos estudantes notícias da internet, jornais e revistas com imagens e textos referentes às manifestações de junho, tentando abarcar diferentes opiniões acerca dos protestos. Deixar que os estudantes comentem sobre o que lhes é apresentado. 2. Relacionar os acontecimentos da Jornada de Junho, com as manifestações históricas da juventude e trazer para a reflexão filosófica de conceitos como “política”, “Estado”, “democracia”, “multidão”, “protesto” e “violência”, utilizando, para isso, os textos da revista “Filosofia” numero 85. 3. Abrir para debate; 2ª Aula: Exposição de conteúdo 1. Apresentar aos estudantes o conteúdo das manifestações: palavras de ordem, cartazes, reivindicações, bandeiras e conquistas. Deixar que os estudantes comentem sobre o que lhes é apresentado. 2. Realizar uma análise referente às frases de efeito, relacioná-las com as bandeiras históricas das grandes manifestações, enfatizar a linguagem utilizada e a criatividade dos manifestantes, refletir sobre como a mídia tratou as reivindicações e sobre como o Estado tratou os manifestantes. 3. Abrir para debate.
  7. 7. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br 3ª Aula: Atividade 1. Mostrar um exemplo de roteiro de vídeo ou de programa de rádio para os estudantes; 2. Dividir a sala em grupos de 4 ou 5 estudantes para a realização do trabalho; 3. Instruir os grupos para que elaborem os seus roteiros; 4ª Aula: Atividade 1. Gravação do vídeo ou programa de rádio com conteúdo a respeito das manifestações com a utilização de câmeras fotográficas, gravadores ou celulares (permitir que os estudantes saiam do ambiente da sala de aula para melhor acústica e iluminação); 2. Para casa: realizar outras entrevistas, editar o vídeo ou o programa de rádio; 3. Postar no Facebook ou passar para o professor via bluetooth ou pendrive. Avaliação (Relatar como se deu o processo de avaliação e se os objetivos da situação de aprendizagem foram atingidos). É possível verificar se os objetivos, competências e habilidades dessa situação de aprendizagem foram atingidos por meio do produto final da atividade realizada em sala de aula; Ferramentas de Avaliação (Quais foram os meios utilizados para avaliar a aprendizagem com a aplicação da SA). Assistir aos vídeos e ouvir os programas de rádio elaborados pelos alunos.
  8. 8. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Referências Bibliográficas (Indicar, de acordo com as normas da ABNT, livros, textos, imagens, websites, música, vídeos, etc., utilizados na elaboração e na execução da situação de aprendizagem). ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: Introdução à Filosofia. Moderna: São Paulo, 2009. BITTENCOURT, Renato Nunes. A força transformadora da multidão. In: revista “Filosofia”, editora Araguaia nº85, Agosto de 2013. CHAUÍ, Marilena. Iniciação à Filosofia. Editora Ática: São Paulo, 2011. COTRIM, Gilberto; FERNANDES, Mirna. Fundamentos de Filosofia: Manual do Professor. Saraiva: São Paulo, 2010. MURANO, Edgard; A Linguagem dos Protestos. In: revista “Lingua”, editora Segmento nº94, Agosto de 2013. SEE. Curriculo do Estado de São Paulo: Ciências Humanas e Suas Tecnologias. São Paulo, 2010.
  9. 9. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DA “SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM” Nome do Autor (Informar o nome do autor). Fernanda Cristina Vieira Pereira Título (O título deve ser claro, conciso e informativo). FILOSOFIA EM MOVIMENTO – Uma interpretação da vida e obra dos principais filósofos. Resumo da Situação de Aprendizagem (O resumo será o responsável por despertar o interesse pela leitura da situação de aprendizagem, pois ele aparecerá abaixo do título. Nesse campo, é desejável que se apresente de forma sucinta temas, conteúdos, objetivos, metodologia e avaliação, construindo um pequeno parágrafo para cada um desses tópicos ou parágrafo único que os apresente na sequência supracitada). O ensino de filosofia sofre um enorme preconceito na escola, sendo muitas vezes considerada pelos alunos como uma: “matéria chata, que não agrega conhecimento algum”. Entretanto, diante desse quadro de desinteresse, cabe ao professor buscar ferramentas que desenvolvam o “espanto filosófico”. A ferramenta escolhida para tanto foi o stop-motion. Stop-Motion é uma técnica cinematográfica que utiliza a disposição sequencial de fotografias diferentes de um mesmo objeto inanimado para simular o seu movimento. Portanto, os alunos escolheram produzir o stop-motion de três grandes filósofos, são eles: Sócrates, Platão e Aristóteles. O objetivo principal é despertar no aluno o interesse pela filosofia, além de contextualizar os conteúdos desenvolvidos em sala de aula. Para produzir o vídeo, os alunos primeiro criaram os personagens e depois montaram os cenários. A montagem dos vídeos foi realizada na sala de informática e os alunos apresentaram alguns trechos da vida e obra de cada um. O aluno foi avaliado a partir da compreensão dos conteúdos estudados na
  10. 10. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br reprodução do vídeo. Ainda, foi avaliado pelo interesse com as atividades desenvolvidas na produção, organização, participação, interação e socialização com os seus colegas e com a professora. Quantidade de aulas previstas para desenvolvimento da situação de aprendizagem (Informar o número de aulas necessárias para a aplicação da situação de aprendizagem). 5 aulas. Série de Ensino (Apontar a série ensino escolhida). 3º Ano do Ensino Médio Componente Curricular (Apontar a disciplina escolhida para a construção da SA. Mais de um componente curricular poderá ser selecionado – trabalho interdisciplinar). A situação de aprendizagem foi desenvolvida para contextualizar as aulas de filosofia. Entretanto, foi realizado um trabalho paralelo junto as disciplinas de história e artes, que ajudaram para a realização dos trabalhos. Temas e Conteúdos (Informar temas e conteúdos abordados na situação de aprendizagem). A situação de aprendizagem foi possível a partir dos estudos dos temas sobre:  História da Filosofia Antiga – principais características da filosofia;  Períodos da Filosofia Antiga: Pré-socrático, socrático e pós-socrático.  Biografia dos principais filósofos desses períodos.
  11. 11. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Competências e habilidades (Apontar todas as competências e habilidades que foram desenvolvidas durante a realização da situação de aprendizagem).  Reconhecer a importância do uso de diferentes linguagens para elaborar o pensamento e a expressão em processos reflexivos.  Identificar informações em textos filosóficos.  Identificar características de informação em textos filosóficos.  Relacionar questões atuais a questões da história da filosofia.  Praticar escuta atenta e atitudes de cooperação no trabalho em equipe.  Praticar negociações abrindo mão de suas propostas diante de propostas mais adequadas a objetivos que beneficiem a todos.  Identificar e discutir fenômenos históricos, sociais, culturais e artísticos no exercício de reflexão filosófica.  Sistematizar informações levantadas em pesquisa e apresentadas pelo professor e pelos colegas.  Elaborar textos-sínteses a partir dos conceitos filosóficos estudados.  Relacionar informações, representadas de diferentes formas, e conhecimento disponíveis em diferentes situações, para construir argumentação consistente.  Identificar situações de preconceito, particularmente em relação à Filosofia e aos filósofos.  Desenvolver habilidades de escrita, leitura e expressão oral na abordagem de temas.  Elaborar hipóteses e questões a partir das leituras e debates realizados.  Identificar a presença da Filosofia no cotidiano.  Desenvolver habilidades de escrita, leitura e expressão oral na abordagem de temas filosóficos.  Identificar aspectos do pensamento de Platão e operar com os conceitos platônicos trabalhados.
  12. 12. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Referencial Principal (Indicar se a situação de aprendizagem se refere ao Currículo Oficial. Indicar também os possíveis subsídios para a elaboração da SA, tais como o Caderno do Professor/Caderno do Aluno, Livros Didáticos entre outros materiais. Se o referencial principal for o Caderno do Professor ou o Caderno do Aluno, indicar o volume e a situação de aprendizagem). A ideia para a utilização desse recurso para auxiliar a compreensão dos conteúdos foi apresentado através do curso “Introdução à Educação Digital” – curso à distância, ministrado por Emília Cappa, na Diretoria de Ensino Campinas Oeste em junho/2013. Durante o curso foi apresentado diversas formas de desenvolver o conteúdo trabalhado na sala de aula com as ferramentas digitais. O que se pretende alcançar com a situação de aprendizagem? (Informar os objetivos da situação de aprendizagem).  Capacitar o aluno para a produção de pesquisas através da internet;  Facilitar a compreensão do estudo de filosofia através das ferramentas digitais;  Demonstrar a importância das ferramentas digitais para o estudo específico;  Reforçar a importância do trabalho em equipe para a solução de problemas;  Estimular o aluno a criar/produzir sua própria fonte de dados, não apenas copiar ou adotar as fontes presentes na internet;  Provocar o interesse em compartilhar informações;  Desenvolver o senso crítico no aluno através de suas reflexões e interpretações dos temas estudados para a criação do vídeo.  Combater a exclusão digital na escola, vinculando a aprendizagem com as tecnologias digitais.
  13. 13. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Recursos (Informar todos os materiais utilizados durante a realização da situação de aprendizagem: livros, revistas, jornais, materiais de papelaria, filmes, músicas, websites, softwares, etc). Para a produção do cenário e dos personagens foram necessários os seguintes materiais:  Caixa de papelão;  Tinta;  Cola;  Tesoura;  Pincel;  Massa de modelar;  Bonequinhos de plástico;  Papel crepom;  Fita durex. Para a produção do vídeo, utilizamos os recursos da sala de informática, ou seja, os alunos produziram o vídeo através da ferramenta do Windows, o Windows Movie Maker. Ainda, acessaram a internet para pesquisas. Desenvolvimento da Situação de Aprendizagem Descrever clara e detalhadamente o desenvolvimento, o “passo a passo”, de cada aula, com todos os procedimentos necessários para sua aplicação, possibilitando que outros docentes apliquem-na. Essa atividade surgiu para contextualizar a aula sobre a filosofia antiga, onde foram apresentadas as ideias de cada filosofo dos períodos pré-socráticos, socráticos e póssocráticos. Após a aula, os alunos elegeram três filósofos que consideraram os mais importantes, são eles: Sócrates, Platão e Aristóteles.
  14. 14. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br  Aula 1 - Nessa aula, os alunos foram levados para a sala de informática e foram realizados os devidos esclarecimentos sobre a importância do projeto para a aprendizagem, bem como do uso das tecnologias digitais para o desenvolvimento do mesmo. Ainda, foi esclarecido os conceitos das ferramentas digitais que seriam utilizadas e também os procedimentos que serão adotados para a construção do projeto. Os alunos foram separados em grupos para a divisão dos temas. Ainda, foi solicitado a construção de um roteiro para a construção do vídeo.  Aula 2 e 3 – Nessa etapa, os alunos iniciaram a produção dos trabalhos, ou seja, reuniram-se em grupos e pesquisaram sobre a vida e obra de cada filósofo, podendo, no caso de dúvida ou necessidade de pesquisa, recorrer a sala de informática. Enquanto, alguns pesquisavam, outros preparavam os cenários e os os personagens. Os cenários serão compartilhados entre si, bem como os personagens. Após a produção dos personagens, dos cenários e dos roteiros prontos, iniciaram as fotos, e, posteriormente dirigir-se à sala de vídeo para a construção do vídeo. A construção do vídeo foi através do Windows Movie Maker, onde os alunos produziram, pesquisaram músicas e gravaram suas vozes.  Aula 4 – Nessa aula, os alunos ainda estavam construindo os vídeos.  Aula 5 – Socialização e apresentação do vídeo. Avaliação (Relatar como se deu o processo de avaliação e se os objetivos da situação de aprendizagem foram atingidos). A avaliação foi realizada diante da compreensão dos conteúdos reproduzidos em vídeo. Ainda, foi avaliado pelo interesse com as atividades desenvolvidas na produção, organização, participação, interação e socialização com os seus colegas e com a professora. O objetivo era que os alunos pudessem, de forma lúdica, reproduzir o que aprenderam em sala de aula. E diante dos vídeos produzidos, acredito que nunca irão esquecer as aprendizagens desenvolvidas nessa atividade.
  15. 15. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Ferramentas de Avaliação (Quais foram os meios utilizados para avaliar a aprendizagem com a aplicação da SA). Conforme relatado acima, os meios utilizados para a avaliação do aluno foi diante de sua participação para realizar o trabalho, bem como, na assimilação dos conteúdos produzidos. Referências Bibliográficas (Indicar, de acordo com as normas da ABNT, livros, textos, imagens, websites, música, vídeos, etc., utilizados na elaboração e na execução da situação de aprendizagem). Livro didático: Aranha, Maria Lucia de Arruda; Aranha, Maria Lucia de Arruda . Filosofando Introdução À Filosofia: ensino médio, volume único/São Paulo: Moderna, 2012. Chauí Marilena, Iniciação à Filosofia: ensino médio, volume único/ São Paulo: Ática, 2010. P 40-49. Vídeos: Stop Motion http://www.youtube.com/watch?v=mkZmIA9u6KM - Stop Motion baseado em Fédon, obra do filósofo Platão para um trabalho do Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo (Abril/2008) - 1º ano do ensino médio e técnico. http://www.youtube.com/watch?v=70T2burQQBw - Trabalho de filosofia sobre o mito da caverna, de platão, nos dias atuais.
  16. 16. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DA “SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM” Nome do Autor (Informar o nome do autor). Fernando Rogério da Cruz Título (O título deve ser claro, conciso e informativo). Projeto: “III Festival Cultural Wanderlei Brandão”, Tema : Se você quer um mundo melhor a mudança começa com você com a peça : “A cura gay” Resumo da Situação de Aprendizagem (O resumo será o responsável por despertar o interesse pela leitura da situação de aprendizagem, pois ele aparecerá abaixo do título. Nesse campo, é desejável que se apresente de forma sucinta temas, conteúdos, objetivos, metodologia e avaliação, construindo um pequeno parágrafo para cada um desses tópicos ou parágrafo único que os apresente na sequência supracitada). A situação de aprendizagem o tema é a Questão da liberdade e da cidadania, como também a questão da felicidade. Em forma de apresentação de teatro irão ser discutidos esses temas. Os conteúdos serão os que estão no caderno 3 de filosofia relativo ao terceiro bimestre, como também outros que serão pesquisados pelos alunos. Os objetivos são construir com os alunos uma experiência que os torne protagonistas da produção de saberes. Proporcionar uma experiência lúdica pelo diálogo com a filosofia. A metodologia é uma intersecção entre um processo de produção de saberes filosóficos e artísticos através da arte e filosofia. A avaliação será uma construção que relevará todas etapas do processo. Assim como uma validação por critérios estéticos.
  17. 17. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Quantidade de aulas previstas para desenvolvimento da situação de aprendizagem (Informar o número de aulas necessárias para a aplicação da situação de aprendizagem). São muitas aulas, como se trata de um projeto, não há como definir essa perspectiva, há uma estimativa e ela seria de 18 aulas (1 bimestre). Série de Ensino (Apontar a série ensino escolhida). Terceiro ano do Ensino Médio. Componente Curricular (Apontar a disciplina escolhida para a construção da SA. Mais de um componente curricular poderá ser selecionado – trabalho interdisciplinar). Filosofia. Temas e Conteúdos (Informar temas e conteúdos abordados na situação de aprendizagem). Valores contemporâneos que cercam o tema da felicidade e das dimensões pessoais e sociais da felicidade. Outras séries: Os direitos humanos
  18. 18. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Competências e habilidades (Apontar todas as competências e habilidades que foram desenvolvidas durante a realização da situação de aprendizagem). Do primeiro bimestre: Identificar situações de preconceito (não necessariamente em relação à filosofia, como está apontado na Proposta, mas a filosofia como um conteúdo que aborde o tema) Do segundo bimestre: Questionar o papel social do Estado e das Leis Do terceiro bimestre: Discutir o conceito de liberdade, destacando questões associadas a diferentes entendimentos sobre o ser livre. Relacionar liberdade à solidariedade na perspectiva de uma sociedade democrática Do quarto bimestre: Refletir sobre o tema felicidade (não necessariamente no contexto filosófico) Relacionar a idéia de felicidade a uma ética solidária Dos outros anos: Identificar e problematizar valores sociais e culturais da sociedade contemporânea Identificar e criticar práticas de humilhação social
  19. 19. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Construir argumentação crítica sobre as praticas sociais de discriminação e preconceitos Refletir sobre a as perspectivas de pertencimento e de responsabilidade por si mesmo e pelas demais pessoas e seres da natureza. Expressar escrita e oralmente a relevância dos direitos humanos Relacionar práticas de cidadania ao respeito às diferenças Referencial Principal (Indicar se a situação de aprendizagem se refere ao Currículo Oficial. Indicar também os possíveis subsídios para a elaboração da SA, tais como o Caderno do Professor/Caderno do Aluno, Livros Didáticos entre outros materiais. Se o referencial principal for o Caderno do Professor ou o Caderno do Aluno, indicar o volume e a situação de aprendizagem). Não há um referencial principal, temos referências, tais como: No caso da filosofia, há um diálogo com os conhecimentos e as pesquisas do professor na área de Filosofia da Educação, pensadores tais quais Rancière, Michel Serres, Focault, Adorno, Althusser e Delleuze; assim como, conceitos filosóficos tais quais “o intepestivo”, “filosofia em imagens”, “a grande parataxe”, “imagem pensativa”, “filosofia menor”, entre outros do universo da filosofia. Esse diálogo também é composto junto com a Matriz de Referência para o ENEM (2009) que ainda é atual, poderíamos elencar algumas das referências utilizadas por nós:
  20. 20. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Dos eixos-cognitivos: V - Elaborar propostas (EP): recorrer aos conhecimentos desenvolvidos na escola para a elaboração de uma proposta de intervenção solidária na realidade, respeitando os valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. Competências de área 3 – Compreender e usar a linguagem corporal como relevante para própria vida, integrando social e formadora da identidade. H9 – reconhecer as manifestações corporais de movimento como originarias da necessidade cotidiana de um grupo social (...) H11- reconhecer a linguagem corporal como meio de interação social, considerando os limites de desempenho e as alternativas de adaptação para diferentes indivíduos. Competência de área 4 – Compreender a arte como saber cultural e estético gerador de significação e integrador de organização do mundo e da própria identidade. H12 – Reconhecer diferentes funções da arte, do trabalho da produção dos artistas em seus meios culturais. Competência de área 5 – Utilizar os conhecimentos históricos para compreender e valorizar os fundamentos da cidadania e da democracia, favorecendo uma atuação consciente do individuo na sociedade. H13 – Analisar as diversas produções artísticas como meio de explicar diferentes culturas, padrões de beleza e preconceitos.
  21. 21. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Utilizamos também a Proposta Curricular do Estado de São Paulo. Nela, e nas primeiras páginas, temos as noções de um aprendizado que estimule as formas de socialização e relevância de uma aproximação entre comunidade, discentes e docentes; numa relação que tenha contexto com questões sociais do espaço geográfico em que a escola se encontra. Também. Nossa escola, por exemplo, situa-se em um bairro periférico e os problemas de uma periferia também entram na sala de aula e no projeto que desenvolvemos. O personagem principal da peça, por exemplo, vai tomar vacina num postinho do SUS (e não no Sírio Libanês) e o médico é cubano porque como o próprio doutor diz: “Não tiene mediiico em brasilii” (num portunhol macarrônico). Na sessão do Ensino de Filosofia da Proposta temos a acentuação da necessidade do diálogo interdisciplinar, o exemplo dado é com as disciplinas de Geografia e Biologia e História e Sociologia, seguidos de um texto retirado das idéias de Marcos Nobre e Ricardo Terra. A peça “A cura gay” segue esses princípios de interdisciplinaridade, nela temos uma interpolação da filosofia, educação física, arte, sociologia, português, história (os outros professores ajudaram não com sua disciplina mas de outras formas). Também utilizamos referências da Proposta Curricular que estão apontadas nos itens a cima (Competências e Habilidades e Temas e Conteúdos) O que se pretende alcançar com a situação de aprendizagem? (Informar os objetivos da situação de aprendizagem). Produzir com todos que participarem da S.A. uma situação de fruição estética em seu contexto mais amplo, desde produzir, apreciar e entender o valor educacional de uma obra. Resgate da estima dos alunos, no sentido, deles serem agentes capazes de construírem conhecimento. Trazer o corpo como parte integrante do processo de produção do conhecimento.
  22. 22. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Elaborar uma situação de aprendizagem na qual os alunos se tornem pesquisadores, escritores e colaboradores de uma produção que vise discutir problemas contemporâneos. Aproximar a sociedade e a escola. Construir um conhecimento em conjunto com alunos, professores e sociedade. Refletir com os alunos o quanto a filosofia é viva, intensa e ela possui diversas formas e pode ser extremamente lúdica. Promover um diálogo entre a produção dos alunos e os critérios exigidos pela prova do ENEM. Recursos (Informar todos os materiais utilizados durante a realização da situação de aprendizagem: livros, revistas, jornais, materiais de papelaria, filmes, músicas, websites, softwares, etc). As coreografias, os figurinos, as reportagens (do início), as músicas foram pesquisadas na Internet. Celulares com o texto e com a música. Desenvolvimento da Situação de Aprendizagem Descrever clara e detalhadamente o desenvolvimento, o “passo a passo”, de cada aula, com todos os procedimentos necessários para sua aplicação, possibilitando que outros docentes apliquem-na. Como foram várias aulas e elas tinham uma lógica de idas e vindas, formulações, reformulações e, numa brincadeira com as palavras: de re-re-formulação das reformulações. Tentando compor em etapas, o primeiro momento não é na sala de
  23. 23. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br aula, e sim, nas reuniões de planejamento debatendo com os professores, direção, coordenação e inspetoras, qual seria o tema do Festival. Qual seria o foco? Foi escolhido a seguinte frase temática: “Se você quer um mundo melhor a mudança começa por você”. Após essa escolha, em sala de aula, começaria a discussão com os alunos sobre como abordar o tema do Festival? O importante é que eles escolham a maneira como irão se apresentar para se sentirem parte do processo. Essa reunião dentro do contexto da nossa escola não é em uma aula, geralmente, eles se reúnem com os professores de várias disciplinas e refletem juntos as sugestões. Encontraram um denominador em comum, entre várias possibilidades, pensar através de uma representação teatral a questão da suposta vacina que “curaria” quem fosse homossexual de uma suposta “doença” rotulada como homossexualidade. Depois de escolher a maneira de representar o tema, o desdobramento natural foi perguntar: quem vai escrever o roteiro? Pode ser uma adaptação de um conto, um filme uma música; um poema, pode ser apenas dança ou mímica. São infinitas possibilidades e combinações. O repertório cultural dos professores pode ajudar na escolha e na composição da escrita. Aqui também há o processo de pesquisa e interpolação entre as áreas: sociologia, artes, história, português ajudam nas pesquisas. Em nosso caso a amplitude da interdisciplinaridade é tamanha que os coordenadores ajudaram (não apenas do Ensino Médio, mas também a coordenadora do Ensino Fundamental Anos finais e Iniciais), a professora de educação física, o de matemática. Até mesmo nossa PCOP, não apenas como jurada do Festival, mas para uma consultoria de como transformar o Festival em um projeto para o PRODESC, na tentativa de angariar fundos. O que desejamos deixar bem definido é que a sala de aula é quase uma vírgula dentro da dimensão do processo. Como nesse momento o que cabe e sempre dando o devido crédito a todos os professores e aos alunos, gestores, direção etc, é pensar a questão filosófica da peça, então podemos afirmar que no processo de construção do roteiro fizemos uma “grande parataxe” (conceito caro para o filósofo Rancière) entramos no movimento caótico e sem medida de várias produções culturais e questionamentos filosóficos. Ressaltamos: o interessante sempre é que eles semantizem o material pesquisado e debatido e transformem tudo isso “em palco”. Em seguida, começa a
  24. 24. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br surgir as outras etapas: quem faz o quê dentro da construção da narrativa da peça. Os atores, os figurinos, quem dança, quem reescreve a peça, quem faz o cenário? Geralmente, a divisão não fica bem definida, porque todos participam em mais de uma etapa. Outro aspecto necessário para funcionar o projeto é o professor, gestor ou algum aluno conhecer a lógica de construção de uma narrativa teatral e também de roteiros. Nesse sentido, um professor de português, junto com o de arte pode ser de grande valia. Ou mesmo um professor que não seja dessas áreas mas conheça as técnicas. Vale ressaltar que tanto a ideia inicial quanto o roteiro é feito pelos próprios alunos, os professores auxiliam na adaptação e melhoramento, porém a essência partiu do grupo de alunos envolvidos no projeto. As grandes dificuldades que surgem e podem ser pensadas em conjunto com a montagem da peça são: empostação de voz, os alunos geralmente não possuem as técnicas de entonação; encenação, muitas vezes, para uma cena triste ou alegre eles a interpretam da mesma maneira com a mesma postura corpórea, timbre de voz, olhar etc; roteiros sem seqüência lógica, roteiros e performances sem singularização das personagens; falta de espírito de equipe; enfim uma gama de desafios são sempre postos; na montagem ainda sugerimos que a medida que forem aparecendo problemas de seqüências lógicas (com a lógica interna da apresentação) o ideal é reescrever a peça com novas cenas. Avaliação (Relatar como se deu o processo de avaliação e se os objetivos da situação de aprendizagem foram atingidos). Em nosso caso, não podemos somente avaliar a peça em si, os vinte minutos que ela tem de duração; procuramos entender a avaliação como um processo contínuo e que possui uma dimensão que abarca vários fatores. Como, por exemplo, a pesquisa iconográfica; os figurinos, coreografias, a produção do roteiro, os debates, a cenas a reformulação das cenas, o esforço coletivo a leitura dos textos, enfim, acreditamos que a avaliação tem todo esse contexto para se refletido. No caso, da aula de filosofia, é relevado desde o primeiro dia da elaboração até a apresentação e o pós-apresentação.
  25. 25. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Mas uma das grandes perguntas que norteiam a avaliação é: “eles, em suas tentativas, conseguiram produzir algo que se aproxima da proposta do festival?”. Relevando que dentro desse questionamento até o campo do erro, da falha é permitido e bem vindo desde de que depois todos nós tentemos entender o que causou a não obtenção dos propósitos e metas. Isso significa, que na maioria dos casos, todos os alunos são bem avaliados, tantos os que conseguem quanto os que não conseguem. Utilizamos outros dispositivos, como o Simulado ou Provão, que todo o semestre ocorre na escola. Cada disciplina elabora cinco questões para a prova. No caso da filosofia, como ressaltamos, a prova é voltada também para o ENEM e Saresp e suas competências e habilidades. Nosso esforço se pauta em mostrar aos alunos o quanto o conhecimento discutido no ENEM faz parte da visão de mundo deles e o quanto eles também produzem saberes primorosos para o mundo cultural. Tentando assim dar mais sabor ao conhecimento e mais vida. Como exemplo, temos duas questões do Provão da nossa escola uma diretamente extraída do ENEM e a outra formulada por nós baseado na peça “A cura gay” e conectando-a a questão do ENEM, segue o exemplo: TERCEIROS ANOS No Exame Nacional do Ensino Médio ENEM (2013) temos a seguinte questão: “Tenho 44 anos e presenciei uma transformação impressionante na condição de homens e mulheres gays nos Estados Unidos. Quando nasci, relações homossexuais eram ilegais em todos os Estados Unidos, menos em Illínois. Gays e lésbicas não podiam trabalhar no governo federal. Não havia nenhum político abertamente gay. Alguns homossexuais não assumidos ocupavam posições de poder, mas a tendência eram eles tomarem as coisas ainda piores para seus semelhantes”. Ross, A . Na máquina do tempo. Época. Ed 766, 28 jan. 2013. 1-) A dimensão política da transformação sugerida no texto teve como condição necessária a
  26. 26. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br A-) ampliação da noção de cidadania B-) reformulação de concepções religiosas C-) manutenção de ideologias conservadoras D-) implantação de cotas nas listas partidárias E-) alteração da composição étnica da população 2-) No “Festival Cultural Wanderlei Brandão 2013”, temos a peça “A cura gay”; nela um adolescente toma uma vacina que supostamente o “curaria” da sua homossexualidade. Logo depois o “efeito” passa e surge o seguinte diálogo: Personagem 1- Lembra de você falou que a vacina era uma farsa? Eu acho que nunca chegou a funcionar, mas como eu queria tanto ser aceito, eu fiz isso se tornar verdade! Personagem 2- Eu sei como é isso, a sociedade faz tanta pressão de que devemos ser perfeitos, de como nos vestir, de como pensar, agir, fazemos de tudo para se adequar e esquecemos o mais importante de sermos quem somos e sermos felizes! Personagem 1 - Estou confuso, não sei se me assumo e paro de ligar para o que as pessoas pensam, ou se tomo outra dose da vacina e tento me encaixar na sociedade” Sobre esse dialogo da peça “A cura gay” e o depoimento que extraímos do ENEM (sobre os direitos dos homossexuais no EUA, questão 1 da prova de filosofia) podemos afirmar que A-) O personagem da peça cura gay teria acesso (no passado) aos seus direitos civis nos EUA, tranquilamente. B-) A cura gay debate o quanto uma vacina pode salvar a vida de um heterossexual. C-) A cura gay eram uma das leis que davam acesso aos direitos civis nos EUA. D-) ambas debatem a problemática da negação dos direitos e do preconceito tanto do Estado, quanto do próprio individuo sobre si mesmo por não se aceitar.
  27. 27. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br E-) N.D.A. Ferramentas de Avaliação (Quais foram os meios utilizados para avaliar a aprendizagem com a aplicação da SA). O histórico de produção da peça. Debate entre os professores. Debate entre os alunos. No caso da filosofia entra também a questão sobre se a obra é bela, no sentido de atingir seus objetivos. Não esquecendo que os objetivos deles estão vinculados aos dos professores e da escola. Referências Bibliográficas (Indicar, de acordo com as normas da ABNT, livros, textos, imagens, websites, música, vídeos, etc., utilizados na elaboração e na execução da situação de aprendizagem). SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo: Ciências Humanas e suas tecnologias / Secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini; coordenação de área, Paulo Miceli. – São Paulo: SEE, 2010.
  28. 28. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DA “SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM” Nome do Autor (Informar o nome do autor). Daniel José de Araújo Título (O título deve ser claro, conciso e informativo). O Absurdo Enquanto Reflexão Crítico-Filosófica. Resumo da Situação de Aprendizagem (O resumo será o responsável por despertar o interesse pela leitura da situação de aprendizagem, pois ele aparecerá abaixo do título. Nesse campo, é desejável que se apresente de forma sucinta temas, conteúdos, objetivos, metodologia e avaliação, construindo um pequeno parágrafo para cada um desses tópicos ou parágrafo único que os apresente na sequência supracitada). Apresentar e mediar o conceito de ‘Absurdo’ do ponto de vista filosófico relevando sua importância como categoria no âmbito da Antropologia Filosófica e, assim, como conteúdo. Mediar com o objetivo de articular e destacar os sentidos como o real, o abstrato e o fenomenológico. Assim como dar ênfase às circunstâncias e aspectos que caracterizam o sentimento de ‘absurdo’. A metodologia deve relevar definição baseada em filósofo(Albert Camus) que tratou deste conceito, assim como explorar este mesmo conceito através de Filme Curta-Metragem(Nós Que Aqui Estamos, Por Vós Esperamos). Avaliar considerando os critérios representados pela articulação da reflexão crítico-filosófica como as categorias existentes em contraponto ao não existente(intangível).
  29. 29. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Quantidade de aulas previstas para desenvolvimento da situação de aprendizagem (Informar o número de aulas necessárias para a aplicação da situação de aprendizagem). Duas aulas de 45-50 minutos cada, sendo 20 minutos para a apresentação do curtametragem, 20 minutos para exposição-explicação do conceito e propostas de questões a serem respondidas; 40 minutos para exposição das respostas, comentários e complementações. Série de Ensino (Apontar a série ensino escolhida). 1º, 2º e 3ºs anos do Ensino Médio. Componente Curricular (Apontar a disciplina escolhida para a construção da SA. Mais de um componente curricular poderá ser selecionado – trabalho interdisciplinar). Filosofia. Temas e Conteúdos (Informar temas e conteúdos abordados na situação de aprendizagem). O Tema do ‘Absurdo’ enquanto categoria antropológico-filosófica que se representa como conteúdo em Filosofia ; O Tema ‘Liberdade’ pertencente ao estudo da ética e que se representa como conteúdo em Filosofia. Competências e habilidades (Apontar todas as competências e habilidades que foram desenvolvidas durante a realização da situação de aprendizagem). Habilidades: Compreender o conceito de ‘absurdo’ como categoria e conteúdo filosófico ; destacar os sentidos como o real, o abstrato e o fenomenológico.
  30. 30. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Competências: Articular com as categorias e sentidos indicados e caracterizados como filosóficos assim como pertencentes à reflexão crítico-filosófica. Referencial Principal (Indicar se a situação de aprendizagem se refere ao Currículo Oficial. Indicar também os possíveis subsídios para a elaboração da SA, tais como o Caderno do Professor/Caderno do Aluno, Livros Didáticos entre outros materiais. Se o referencial principal for o Caderno do Professor ou o Caderno do Aluno, indicar o volume e a situação de aprendizagem). Esta Situação de Aprendizagem requer como subsídios para sua realização, sala de vídeo para a apresentação de filme curta-metragem (Nós Que Aqui Estamos, Por Vós Esperamos) ; a indicação de leitura ‘O Mito de Sísifo’(Albert Camus). O que se pretende alcançar com a situação de aprendizagem? (Informar os objetivos da situação de aprendizagem). Mediar com o objetivo de articular e destacar os sentidos como o real, o abstrato e o fenomenológico. Assim como dar ênfase às circunstâncias e aspectos que caracterizam o sentimento de ‘absurdo’ e sua compreensão enquanto categoria antropológicofilosófica. Logo, articular com a reflexão crítico-filosófica e desenvolver competências. Recursos (Informar todos os materiais utilizados durante a realização da situação de aprendizagem: livros, revistas, jornais, materiais de papelaria, filmes, músicas, websites, softwares, etc). Filme Curta-Metragem : ‘Nós Que Aqui Estamos, Por Vós Esperamos’ ; Leitura : ‘O Mito de Sísifo’(Albert Camus).
  31. 31. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Desenvolvimento da Situação de Aprendizagem Descrever clara e detalhadamente o desenvolvimento, o “passo a passo”, de cada aula, com todos os procedimentos necessários para sua aplicação, possibilitando que outros docentes apliquem-na. Duas aulas de 45-50 minutos cada, sendo 20 minutos para a apresentação do curtametragem, 20 minutos para exposição-explicação do conceito(Absurdo) e propostas de questões a serem respondidas; 40 minutos para exposição das respostas, comentários e complementações. Avaliação (Relatar como se deu o processo de avaliação e se os objetivos da situação de aprendizagem foram atingidos). No decorrer da avaliação com os alunos, foi possível destacar e dar ênfase aos conceitos, categorias e sentidos que representam o ponto de vista filosófico. Assim como destacar, também, sobre a importância de se articular com estes mesmos conceitos, categorias e sentidos para que, então, se aprenda a colocar em prática a reflexão crítico-filosófica. Ou seja, foi possível atingir, junto aos alunos, os objetivos propostos. Ferramentas de Avaliação (Quais foram os meios utilizados para avaliar a aprendizagem com a aplicação da SA). Os meios utilizados foram as respostas colhidas no questionário, assim como a exposição e explicação dos temas e conteúdos através destas mesmas respostas do questionário dadas pelos alunos e concomitante vínculo ao Curta-Metragem.
  32. 32. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Referências Bibliográficas (Indicar, de acordo com as normas da ABNT, livros, textos, imagens, websites, música, vídeos, etc., utilizados na elaboração e na execução da situação de aprendizagem). -ABBAGNANO, Nicola – Dicionário de Filosofia – 4ª ed.-São Paulo:Martins Fontes, 2000. -CAMUS, Albert - ‘O Mito de Sísifo’. -JAPIASSÚ, Hilton; MARCONDES, Danilo – Dicionário Básico de Filosofia – 4ª ed.-Rio de Janeiro:Jorge Zahar Editor, 2006. -MASAGÃO, Marcelo -‘Nós Que Aqui Estamos, Por Vós Esperamos’- Filme CurtaMetragem.
  33. 33. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DA “SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM” Nome do Autor (Informar o nome do autor). Erika Neves de Lima e Maria Helena Lovato Villa Título (O título deve ser claro, conciso e informativo). “Brás Cubas – Uma metáfora machadiana histórica e filosófica” Resumo da Situação de Aprendizagem (O resumo será o responsável por despertar o interesse pela leitura da situação de aprendizagem, pois ele aparecerá abaixo do título. Nesse campo, é desejável que se apresente de forma sucinta temas, conteúdos, objetivos, metodologia e avaliação, construindo um pequeno parágrafo para cada um desses tópicos ou parágrafo único que os apresente na sequência supracitada). TEMAS E CONTEÚDOS: Partindo de um capítulo da obra “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, intitulado “Parêntesis” (Cap. 119), que possui algumas máximas do protagonista Brás Cubas - além de outras que aparecem nesta e na obra “Quincas Borba”-, observamos a possibilidade de trabalhar um olhar metafórico e subjetivo com os discentes. A partir desta leitura, iniciou-se um trabalho interdisciplinar (português, filosofia e história), a fim de garantir várias leituras de uma obra atemporal e muito significativa da literatura brasileira. OBJETIVOS: Despertar outras “leituras” – histórica e filosófica - de uma obra já consagrada pela literatura brasileira. METODOLOGIA: Primeiramente houve a leitura coletiva, quando a professora de literatura pode avaliar o grau de dificuldade oferecido por vocabulário, aspectos estruturais, construção de personagens, etc. à leitura individual. Após as leituras e até mesmo durante, foram realizadas avaliações de aprendizagem. Enquanto este trabalho acontecia, as professoras de história e filosofia contextualizavam os fatos e filosofias pertinentes. AVALIAÇÃO: O trabalho final se resumiu na elaboração de um vídeo curto, usando o mesmo modelo do “Nós que aqui estamos por vós esperamos”, em que as equipes
  34. 34. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br pudessem livremente interpretar uma frase do personagem Brás Cubas e uma de Quincas Borba (deste: ...”ao vencido, ódio e compaixão; ao vencedor, as batatas”...), metaforicamente, aliando um fato histórico e um filósofo que pudessem colaborar com a complexidade das relações humanas do protagonistas com seus pais, mulheres, Lobo Neves, dentre outros, passando, logicamente pela fase em que vivia à de defunto-autor. DURANTE TODO O PROCESSO, CADA PROFESSORA FEZ SUAS OUTRAS AVALIAÇÕES. Quantidade de aulas previstas para desenvolvimento da situação de aprendizagem (Informar o número de aulas necessárias para a aplicação da situação de aprendizagem). Foram utilizadas aulas das três disciplinas – Português: por necessidade da leitura da obra, assim como contextualização do período em que a obra foi escrita, houve a contextualização do autor e do período literário a que se relacionava a obra (20 aulas). História: primeiro uma pequena contextualização do período histórico, onde foram gastas 2 aulas; depois por uma necessidade de esquematizar tempos históricos diferentes para cada frase e atendimento do grupos foram utilizadas mais 4 aulas. Filosofia: primeiro foi feito uma socialização geral para determinar um único olhar filosófico sobre a personagem principal (e que permeou todos os grupos em sua relação a todas as outras personagens), sendo necessárias 2 aulas; depois como cada grupo possuía um filósofo específico e considerando a possibilidade de auxiliar dois a três grupo por aula, utilizamos mais 4 aulas. Em conjunto as disciplinas ainda disponibilizaram aulas para auxiliar na criação dos vídeos e na apresentação para os alunos do filme “Memórias Póstumas de Brás Cubas” Série de Ensino (Apontar a série ensino escolhida). Este trabalho foi preparado para o 3º ano, pois elencava diversos temas já trabalhados nos anos anteriores.
  35. 35. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Componente Curricular (Apontar a disciplina escolhida para a construção da SA. Mais de um componente curricular poderá ser selecionado – trabalho interdisciplinar). Neste caso foi trabalho entre os docentes de filosofia, história e português. Mas poderiam ser facilmente incluídas sociologia e arte. Temas e Conteúdos (Informar temas e conteúdos abordados na situação de aprendizagem). Em português: leitura e “leituras” metafóricas da obra “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, observando vocabulário, estrutura narrativa, concepção psicológica dos personagens e contexto histórico-filosófico. Em história: História desde o fim do primeiro reinado até os dias atuais. Em filosofia: Filosofia Política, Filosofia e Literatura, Morte, Felicidade, Determinismo, Existencialismo, Ética, Moral e Metafísica. Competências e habilidades (Apontar todas as competências e habilidades que foram desenvolvidas durante a realização da situação de aprendizagem). Através da leitura da obra, analisar todos os meandros pelos quais a condição humana pode ser apresentada pelo autor. Através da escrita, demonstrar capacidade para trabalhar em equipe, criatividade, curiosidade e para pensar múltiplas alternativas tendo Cubas como referência - sobre o homem, sobre si mesmo e sobre o mundo. Possibilitar construção de uma autonomia reflexiva e argumentativa para elaboração de sua concepção estética – própria – sobre a obra trabalhada. Referencial Principal (Indicar se a situação de aprendizagem se refere ao Currículo Oficial. Indicar também os possíveis subsídios para a elaboração da SA, tais como o Caderno do Professor/Caderno do Aluno, Livros Didáticos entre outros materiais. Se o referencial principal for o Caderno do Professor ou o Caderno do Aluno, indicar o volume e a situação de aprendizagem). Por se tratar de um tema trabalhado com outras áreas do conhecimento e com especificidades atemporais – diversos filósofos e momentos históricos específicos -, tal
  36. 36. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br atividade pode ser vista como um projeto separado do conteúdo do currículo oficial, apesar de, sem dúvida, fazer parte esta obra literária de todo material didático existente em uma unidade escolar. Entretanto, pode ser visto como complementar para os temas tratados na proposta curricular do 2 º ao 3º ano. De certa forma, os temas felicidade e morte permeiam toda a obra de Machado de Assis. O que se pretende alcançar com a situação de aprendizagem? (Informar os objetivos da situação de aprendizagem). Desenvolver a consciência estética do real e do imaginário. Recursos (Informar todos os materiais utilizados durante a realização da situação de aprendizagem: livros, revistas, jornais, materiais de papelaria, filmes, músicas, websites, softwares, etc). Livro – Memórias Póstumas de Brás Cubas. Livro didático de Português: diversos. Filme – Memórias Póstumas de Brás Cubas, de André Klotzel(2001). Livros didáticos de Filosofia: Fundamentos de Filosofia (Gilberto Cotrim) História da Filosofia (Giovanni Reale) Livro didáticos de História: História Global (Gilberto Cotrim) Software: Move Maker Websites: Diversos, para recortes de imagens e frases. Desenvolvimento da Situação de Aprendizagem: Descrever clara e detalhadamente o desenvolvimento, o “passo a passo”, de cada aula, com todos os procedimentos necessários para sua aplicação, possibilitando que outros docentes apliquem-na. Primeiramente possibilitar a leitura na íntegra da obra pelos discentes. Isso foi feito pela professora que tinha também a intenção de colaborar na melhora da leitura individual e oral do aluno. Para isso cada um lia o capítulo que queria e nestes momentos, quando necessário, havia intervenção da professora. Neste aspecto, no geral, houve grande
  37. 37. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br melhora na leitura e interpretação, esta última com ênfase na linguagem metafórica existente na obra. O docente de português colaborou com uma apresentação sobre o autor e sobre suas obras. O docente de história fez uma apresentação sobre o contexto histórico do autor e da obra. O docente de filosofia então trabalhou possíveis relações do autor com pensadores filosóficos específicos e, neste caso, partiu do princípio de que Machado de Assis era leitor declarado de Blaise Pascal. Além disso, tratou sobre Aristóteles, metafísica e causalidade, que ao serem citados por Machado nesta obra, já permitiu determinar quem era o Brás Cubas. Mostrar o filme: “Memórias Póstumas de Brás Cubas”. Depois determinamos as divisões dos grupos e fizemos um breve resumo sobre qual contexto histórico deveria ser utilizado na construção do vídeo, qual o filósofo a ser analisado e qual personagem deveria ser observado na obra e que estivesse diretamente relacionado ao Brás. Individualmente (por grupo) o docente de português buscou as relações dos personagens disponíveis no livro, ajudando os alunos na interpretação de suas frases. Individualmente (por grupo) o docente de histórica retomou de forma mais clara o momento histórico que estava metaforicamente determinado em sua frase. Isso os ajudou a discernir o que buscar enquanto imagens para a construção do vídeo, além de propiciar um releitura histórica para a mesma obra. Individualmente (por grupo) o docente de filosofia expôs mais detalhadamente o pensamento filosófico do pensador metaforicamente determinado em sua frase. Isso possibilitou aos discentes ampliar seu olhar para nosso cotidiano – transformando o Machado de Assis e sua obra “Memórias Póstumas de Brás Cubas” em algo extemporâneo –, e assim possibilitando também ampliar o foco de pesquisa de imagens e frases para a construção do vídeo. Neste caso o docente de português é quem teve o papel mais importante, pois ele possibilitou ao discente caminhar entre todos esses mundos.
  38. 38. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Avaliação (Relatar como se deu o processo de avaliação e se os objetivos da situação de aprendizagem foram atingidos). Na construção do vídeo observou-se o trabalho em equipe, a condição de abstração dos temas, criatividade, senso crítico e estético. No relatório foi observada reflexão dos conceitos abordados e a organização para a confecção do trabalho proposto. Ferramentas de Avaliação (Quais foram os meios utilizados para avaliar a aprendizagem com a aplicação da SA). Exposição de vídeo elaborado pelos alunos e escrita de relatório. Referências Bibliográficas (Indicar, de acordo com as normas da ABNT, livros, textos, imagens, websites, música, vídeos, etc., utilizados na elaboração e na execução da situação de aprendizagem). ASSIS, Machado de. Memórias Póstumas de Brás Cubas. Globo Livros, 2008. COTRIM, Gilberto; FERNANDES, Mirna. Fundamentos da Filosofia. Ed. SARAIVA, 2010 REALE, Giovanni; ANTISERI, Dario. História da Filosofia: Filosofia pagã antiga – Vol. 1. 4ª ed. São Paulo: Paulus, 1997. __________. História da Filosofia: do humanismo a Descartes – Vol. 3. 4ª ed. São Paulo: Paulus, 1997. __________. História da Filosofia: de Spinoza a Kant – Vol. 4. 4ª ed. São Paulo: Paulus, 1997. __________. História da Filosofia: do Romantismo ao Empiriocriticismo – Vol. 5. 4ª ed. São Paulo: Paulus, 1997. __________. História da Filosofia: de Nietzsche à Escola de Frankfurt - Vol. 6. 4ª ed. São Paulo: Paulus, 1997.
  39. 39. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DA “SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM” Nome do Autor Aline Rodrigues Teixeira, Elias Severo Silva Jr, Jiane Mantovani Título Produção de minidocumentários Resumo da Situação de Aprendizagem (O resumo será o responsável por despertar o interesse pela leitura da situação de aprendizagem, pois ele aparecerá abaixo do título. Nesse campo, é desejável que se apresente de forma sucinta temas, conteúdos, objetivos, metodologia e avaliação, construindo um pequeno parágrafo para cada um desses tópicos ou parágrafo único que os apresente na sequência supracitada). Durante a preparação dos trabalhos para a Mostra Cultural sobre “Sustentabilidade”, que seria realizada na EE Jornalista Roberto Marinho, a professora de Filosofia, a professora de Língua Portuguesa e o professor de Química desenvolveram a seguinte metodologia interdisciplinar com duas classes de terceiro ano do Ensino Médio. Os alunos assistiram a um documentário chamado “O veneno está na mesa”. Em seguida, foram debatidos diversos temas relacionados ao meio ambiente e outros problemas sociais e culturais. A partir deste debate, os alunos e alunas elencaram tópicos dentre os problemas que mais os preocupavam. Então os estudantes montaram grupos de seis membros, a professora de Filosofia descreveu os formatos em que seus vídeos poderiam ser produzidos, os alunos tomaram todas as decisões sobre a realização dos vídeos, seguindo alguns critérios pré-estabelecidos. Os professores de Língua Portuguesa, História e Química deram orientações sobre a escrita dos textos (em legendas e falados), veracidade e cientificidade das informações, além de orientarem as pesquisas na internet e em outros meios, também providenciaram e elaboraram junto com os estudantes os roteiros de perguntas e os termos de concessão de imagem, no caso das entrevistas.
  40. 40. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Os vídeos foram produzidos e editados pelos alunos e alunas, a participação foi alta, e os seus trabalhos foram exibidos na Mostra. Quantidade de aulas previstas para desenvolvimento da situação de aprendizagem 10 aulas Série de Ensino Terceiro ano do Ensino Médio Componente Curricular Filosofia, Língua Portuguesa e Química. Temas e Conteúdos Meio ambiente, saúde, padrão cultural, ideologia, consumo, políticas públicas. Competências e habilidades (Apontar todas as competências e habilidades que foram desenvolvidas durante a realização da situação de aprendizagem). 1. Comunicar-se: (Habilidades) 1.1Coverter uma linguagem em outra; 1.2 Descrever situações; 1.3 Planejar e fazer entrevistas. 2. Investigar e intervir em situações reais: (Habilidades) 2.1 Diagnosticar e enfrentar problemas individualmente ou em equipe. 3. Estabelecer conexões e dar contexto: (Habilidades) 3.1 Relacionar informações e processos com seus contextos e com diversas áreas de conhecimento. Referencial Principal (Indicar se a situação de aprendizagem se refere ao Currículo Oficial. Indicar também os possíveis subsídios para a elaboração da SA, tais como o Caderno do Professor/Caderno do Aluno, Livros Didáticos entre outros materiais. Se o referencial principal for o Caderno do Professor ou o Caderno do Aluno, indicar o volume e a situação de aprendizagem).
  41. 41. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Projeto Adobe Youth Voices: “Criar com propósito” O que se pretende alcançar com a situação de aprendizagem? (Informar os objetivos da situação de aprendizagem). 1. Utilizar os recursos audiovisuais para sensibilizar o espectador e experimentar inovações na linguagem; 2. Estimular a escrita pela criação de um discurso autônomo e crítico; 3. Criar argumentos lógicos que não sejam descolados das evidências científicas, mas que também sejam capazes de dialogar com o senso comum; 4. Promover o diálogo entre a Filosofia e as outras linguagens. Recursos Câmeras, celulares, computadores para pesquisa na internet e para edição, programa para edição (Adobe Premiere e Moviemaker). Desenvolvimento da Situação de Aprendizagem Aulas 1 e 2: Exibir documentário (sugestões: “Ilha das Flores”, “O veneno está na mesa” ou “A história das coisas”. Aulas 3 e 4: Debate sobre o tema tratado no documentário, tentando levar os alunos a estabelecerem conexões entre o micro e o macro e entre teoria e prática nas situações apresentadas como determinantes do problema em questão. No final da segunda aula sugerir aos alunos que escolham seus acompanhantes para a produção de seus trabalhos. O grupo reunido decide um tema relevante para sua comunidade. Aulas 4 e 5: Os alunos reunidos em grupos criam o roteiro do que eles querem fazer, e das mensagens que querem passar. O roteiro deve ser em linguagem direta e simples,
  42. 42. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br apenas descritiva do que vai aparecer e a ordem das cenas. Nesta fase, os alunos decidem se farão entrevistas ou não, se eles vão aparecer no vídeo ou somente suas vozes, ou ainda, somente legendas com imagens e trilha sonora, entre outras possibilidades. Neste momento é sempre bom incentivá-los a colocarem qualquer ideia no papel, por mais boba que pareça. Aula 5: “Limpar” o roteiro inicial, combinar datas de filmagem. No caso de os alunos não terem tempo fora do horário de aula para filmar, estimulá-los e liberá-los para filmar na própria escola. É importante o grupo firmar um compromisso que seja possível de cumprir. Aula 6, 7 e 8: Utilizar computadores para iniciar a edição do material filmado ou fotografado trazido pelos alunos. Tentar não editar para todos os grupos, pois é humanamente impossível. Sugerir que os alunos que sabem editar, mesmo que precariamente, ensine o pouco que sabem aos demais. Aulas 9 e 10: Apresentação dos trabalhos. Avaliação A partir da participação nas atividades do grupo. Pelo nível de compromisso dos indivíduos com seus grupos. Ferramentas de Avaliação Presença em sala de aula e nas atividades programadas em grupos, produção audiovisual finalizada. Referências Bibliográficas SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo: Ciências Humanas e suas tecnologias / Secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini; coordenação de área, Paulo Miceli. – São Paulo: SEE, 2010.
  43. 43. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DA “SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM” Nome do Autor Fernando Henrique De Santi Balbuio Título O Auto Da Barca do Inferno (Gil Vicente) Resumo da Situação de Aprendizagem O teatro na escola tem uma importância fundamental na educação. Ele permite ao aluno uma enorme “Gama” de aprendizados podendo citar como exemplos, a socialização, a criatividade, a coordenação, a memorização, o vocabulário e muitos outros. A arte é libertária e o teatro é sem duvida, das artes, expressão libertária por excelência. A possibilidade de reviver sentimentos e situações sem barreiras de tempo e espaço, de presenciar fatos de verdade ocorridos ou apenas existentes no imaginário do autor, possibilita resgate do individuo e da sociedade. O processo de abordagem do texto teatral pode ser libertário, se atentarmos para todo o ideário ali contido, compreendendo os agentes dos fatos e os fatos propriamente ditos, em sua essência. Podendo assim desenvolver nos alunos talentos já existentes. Quantidade de aulas previstas para desenvolvimento da situação aprendizagem O projeto será realizado durante um ano. Série de Ensino Alunos Regularmente matriculados na Primeira Serie do Ensino Médio no ano 2013. de
  44. 44. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Componente Curricular Filosofia e Língua Portuguesa Temas e Conteúdos Neste projeto será mostrado o mundo teatral, o conteúdo será em relação à filosofia junto com a literatura. Competências e habilidades Competência e Habilidades a Serem Desenvolvidas: Ler e Compreender textos relacionados à Filosofia e Literatura, que no cotidiano, são utilizados para entender como a Literatura e importante para nossa vida. Ler, em caráter pessoal, textos que, no cotidiano, são escolhidos pelo leitor de acordo com seu interesse, em busca de divertimento, de informação e de reflexão (esferas artístico- literária, de entretenimento). Habilidades esperadas que os alunos desenvolvam as tarefas relativas a situações de aprendizagem: Adaptar textos em diferentes linguagens, levando em conta aspectos linguísticos, históricos e sócias, reconhecer características básicas do texto dramático teatral, praticar escuta atenta e atitudes de cooperação no trabalho em equipe, relacionar práticas de cidadania ao respeito ás diferenças, questionar o conceito de etnocentrismo no contexto da reflexão sobre relações entre diferentes culturas. Referencial Principal Cotrim, Gilberto, Educação artística. Rio de Janeiro: Saraiva 2000. HELIODORA, Barbara. O Teatro Explicado aos Meus Filhos. Rio de Janeiro, Agir, 2008. JAPIASSU, Ricardo. (2001) Metodologia do ensino de Teatro. Campinas: Papirus. JAPIASSU, Ricardo (1999) Ensino do teatro nas séries iniciais da educação básica: a formação de conceitos sociais no jogo teatral. São Paulo: ECA-USP (Dissertação de mestrado). HELIODORA, Barbara. Escritos sobre Teatro. Org. Claudia Braga. São Paulo: Perspectiva, 2007.
  45. 45. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Currículo do Estado de São Paulo: Ciências Humanas e suas Tecnologias Secretaria da educação; coordenação geral, Maria Inês Fini, coordenação de área, Paulo Miceli. 1. Ed. Atual. - São Paulo: Se, 2012. Currículo do Estado de São Paulo: Linguagens, Códigos e suas tecnologias Secretaria da educação; coordenação geral, Maria Inês Fini, coordenação de área, Alice Vieira. -1. Ed. Atual. - São Paulo: Se, 2012. O que se pretende alcançar com a situação de aprendizagem? Este é um projeto que visa alunos da EE Dom Barreto a entender o universo teatral e preparar peças teatrais cuja temática dialoga com discussões tecidas em sala de aula como temas que são cobrados nos vestibulares de grandes universidades Brasileiras. Além disso, tem como intuito possibilitar o desenvolvimento de outras linguagens nos alunos. Com isso é possível ampliar a capacidade interpretativa de textos formais, além de contribuir para elaboração de textos narrativos e dissertativos. Em momentos de grande digitalização da vida social, em que livros, obras de arte e outros componentes artísticos estão disponíveis por meio da internet, é de grande valia resgatar o contato com artistas e Dramatizações de obras clássicas literárias. A busca pelo dialogo com a arte possibilita o desenvolvimento de um maior interesse pelas discussões em sala de aula. Desenvolver os talentos dos alunos. A obra escolhida vê aspectos linguísticos, históricos e sócias, reconhecer características básicas do texto dramático teatral, praticar escuta atenta e atitudes de cooperação no trabalho em equipe, relacionar práticas de cidadania ao respeito ás diferenças, questionar o conceito de etnocentrismo no contexto da reflexão sobre relações entre diferentes culturas. Recursos Espaço físico da presente instituição de ensino, para aulas expositivas e quando necessário projetor multimídia, Xerox para as Apostilas e materiais diversos para confecção de peças, cenários e nas roupas.
  46. 46. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Desenvolvimento da Situação de Aprendizagem O projeto iniciou no dia 7 de maio desse ano, no começo tinha bastante interessando neste projeto, mas ao decorrer ficaram 15 alunos, com estes alunos decidimos fazer apresentação da peça O Auto da Barca do Inferno do escritor Gil Vicente, as alunas e alunos juntamente com a professora de arte Ana Carpino começou a elaboração das barcas e a professora Aline deu o retoque final. Os ensaios foram de terça e quartas feiras das 13h00min as 15h30min e nos dias finais que intercedia a apresentação que foi realizada no dia 19 de outubro fizemos um intensivão. O cenário foi criação dos próprios alunos que ajudaram em tudo, os figurinos foram alguns alugados e outros foram ganhos. Avaliação Como se trata de um projeto desenvolvido fora do horário de aula a avaliação será feita conforme o interesse do aluno, sua participação e encenação. Ferramentas de Avaliação Leitura e interpretação de textos previamente elaborados em aulas dialogadas, expressando desejos e comunicando informações possibilitando crescimento pessoal e cultural utilizados na construção dos significados de seus enunciados cênicos. Referências Bibliográficas Cotrim, Gilberto, Educação artística. Rio de Janeiro: Saraiva 2000. HELIODORA, Barbara. O Teatro Explicado aos Meus Filhos. Rio de Janeiro, Agir, 2008. JAPIASSU, Ricardo. (2001) Metodologia do ensino de Teatro. Campinas: Papirus. JAPIASSU, Ricardo (1999) Ensino do teatro nas séries iniciais da educação básica: a formação de conceitos sociais no jogo teatral. São Paulo: ECA-USP (Dissertação de mestrado). HELIODORA, Barbara. Escritos sobre Teatro. Org. Claudia Braga. São Paulo: Perspectiva, 2007.
  47. 47. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Currículo do Estado de São Paulo: Ciências Humanas e suas Tecnologias Secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini, coordenação de área, Paulo Miceli. 1. Ed. Atual. - São Paulo: Se, 2012. Currículo do Estado de São Paulo: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini, coordenação de área, Alice Vieira. -1. Ed. Atual. - São Paulo: Se, 2012.
  48. 48. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DA “SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM” Autores: LARANJA, Walker W. ; EUCLIDES, Silvio. Título: Apresentação de Projeto realizado na “MAJU”: “Minha escola na Câmara de Vereadores. Eu quero ver.” Resumo: O presente trabalho tem por finalidade compartilhar a experiência vivenciada pelos professores de Filosofia e Sociologia, na realização do Projeto aprovado e financiado pela Prodesp, que levou os alunos do 3º ano do E.M. a uma visita à Câmara Municipal de Campinas e trouxe à escola dois vereadores para responder aos questionamentos e curiosidades dos alunos. Esse trabalho objetivou aproximar os conteúdos do currículo escolar com as práticas do cotidiano do legislativo municipal, dando oportunidade para que os discentes pudessem construir, agora, de forma empírica, conceitos como: Estado, Cidadania, Participação Política, aumentando a criticidade, corroborando para o desenvolvimento do protagonismo juvenil e para formação de cidadãos ativos em nossa sociedade. Como avaliação os discentes produziram relatórios dos dois eventos e estão produzindo um vídeo como registro da aprendizagem. Aulas previstas: Utilizamos os conteúdos do currículo para sustentar o Projeto. Uma aula anterior a realização do Projeto e três posteriores para debate com vereadores e Feedback em sala de aula.
  49. 49. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Séries: Terceiro Ano Componente Curricular: Sociologia e Filosofia Temas e Conteúdos: Para a disciplina de Filosofia:  A formação do Estado em Locke e Hobbes,  O conceito de três poderes de Montesquieu,  O conceito de Política e desigualdade em Platão,  A Desigualdade e o conceito de Vontade geral de Rousseau. Para a disciplina de Sociologia:  Conceito de Estado, elementos constitutivos e características;  Formas de governo;  Constituição do Estado brasileiro;  Sistemas partidários e eleitorais;  O papel transformador da esperança e do sonho. Competências e Habilidades: Sociologia: Adquirir noções teóricas gerais de Teoria Geral do Estado e Política que os capacitem a compreender os princípios básicos da organização política do Estado brasileiro; compreender as diversas Formas de Governo, dando ênfase ao Presidencialismo e a estrutura dos Três Poderes; desenvolver noções claras sobre o funcionamento das eleições no Brasil; a formação dos partidos; a importância do voto e o papel do eleitor no sistema democrático; reconhecer diferentes formas de atuação política;
  50. 50. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br compreender a importância da participação política e estabelecer uma reflexão crítica acerca da importância dessa participação dos discentes como transformadores da realidade social. Referencial principal Filosofia: Conteúdos previstos para o 2º e 3 º Bimestres Sociologia: Conteúdos previstos para o 3º e 4 º Bimestres Objetivos Desenvolver o olhar sociológico a respeito de Estado e Política, propiciando que os alunos possam refletir a partir dos conteúdos apresentados em salas de aulas, de forma empírica, dando autonomia para a reflexão pessoal em detrimento do que é apresentado cotidianamente pela mídia ou pelos seus pares através do senso comum. Recursos Elaboração do Projeto; Financeiros (Prodesp); Contato antecipado com cerimonial da Câmara; Convite aos vereadores para participarem na escola; Local na escola (Quadra coberta) para receber os vereadores; Aparelhagem de som com microfone; Sala de vídeo para apresentação dos trabalhos.
  51. 51. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO – REGIÃO DE CAMPINAS OESTE NÚCLEO PEDAGÓGICO RUA CÂNDIDO MOTA, 186 – FUNDAÇÃO CASA POPULAR – CAMPINAS/SP – CEP 13.031-385 FONES: (19)37722776 / 2777 / 2778 – E-MAIL: decoenpe@see.sp.gov.br Desenvolvimento Aulas focando o conteúdo curricular; elaboração do Projeto envolvendo os discentes com os conteúdos para que haja adesão; enviar projeto à PRODESP; aguardar verba e já fazer o contato com o cerimonial da Câmara; ter professores disponíveis para acompanhar os discentes; fazer o convite antecipado para os vereadores virem à escola; providenciar local para receber os vereadores; marcar data para entrega dos trabalhos e valorizar toda a produção dos alunos. Avaliação Realizam relatórios produzidos em grupo, dentro das normas da ABNT, com notas válidas para as disciplinas envolvidas (que poderiam ser todas das Ciências Humanas), produção de vídeo e ainda foi aberto espaço para a publicação dos comentários individuais em página do Facebook de caráter pedagógico. Consideramos um sucesso a adesão e a produção dos trabalhos e aguardamos os vídeos. Referencias. Caderno do professor: filosofia, ensino médio - 3a série, volume 2 / Secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini; equipe, Adilton Luis Martins, Luiza Christov, Paulo Miceli. – São Paulo : SEE, 2013; Caderno do professor: filosofia, ensino médio - 3a série, volume 3 / Secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini; equipe, Adilton Luis Martins, Luiza Christov, Paulo Miceli. – São Paulo : SEE, 2013; Caderno do professor: sociologia, ensino médio - 3a série, volume 3 / Secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini; equipe, Heloísa Helena Teixeira de Souza Martins, Melissa de Mattos Pimenta, Stella Christina Schrijnemaekers. – São Paulo : SEE, 2009; Caderno do professor: sociologia, ensino médio - 3a série, volume 4 / Secretaria da Educação; coordenação geral, Maria Inês Fini; equipe, Heloísa Helena Teixeira de Souza Martins, Melissa de Mattos Pimenta, Stella Christina Schrijnemaekers. – São Paulo : SEE, 2009.

×