• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação
 

Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação

on

  • 8,169 views

Material utilizado na disciplina de Aprendizagem na Pós de Docência no Ensino Superior da Fasul.

Material utilizado na disciplina de Aprendizagem na Pós de Docência no Ensino Superior da Fasul.

Statistics

Views

Total Views
8,169
Views on SlideShare
8,016
Embed Views
153

Actions

Likes
3
Downloads
200
Comments
0

4 Embeds 153

http://educacaodialogica.blogspot.com 118
http://www.slideshare.net 24
http://educacaodialogica.blogspot.com.br 10
http://webcache.googleusercontent.com 1

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação Pós - Ensino e Aprendizagem na Educação Presentation Transcript

    • Ensino e Aprendizagem na Educação Superior Profª. Terezinha Lindino
    • OBJETIVOS
      • Conceituar e avaliar a aprendizagem do discente adulto (Andragogia), de modo a definir e exemplificar as novas teorias sobre ensino e aprendizagem baseadas na psicologia cognitiva utilizadas no Ensino Superior.
        • Analisar os principais processos de ensino e de aprendizagem, segundo a psicologia cognitiva;
        • Caracterizar a Inteligência como espectro de competências;
        • Identificar as capacidades intelectuais humanas.
    • CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
      • 15/08/2009:
      • - Novas teorias sobre ensino e aprendizagem baseadas na psicologia cognitiva.
      • - Andragogia: aprendizagem centrada no discente adulto.
      • 29/08/2009:
      • - A Inteligência como espectro de competências.
      • - As capacidades intelectuais humanas.
    • AVALIAÇÃO
      • Instrumentos:
        • Trabalho Escrito - TE (peso 60), data de entrega: 30/08/2009.
        • Trabalho Prático - TP (peso 40), durante as aulas.
      • NF= TE(60) + TP (2X20=40) = 100
      • Critérios:
        • TE: Produção de textos (coesão, coerência e ortografia)
        • Normas da ABNT.
        • Formato de artigo científico.
        • TP: Análise e aplicabilidade em situações reais.
    • TRABALHO ESCRITO DATA DE ENTREGA: 29/08/2009
      • Situação-problema:
      • Como ocorre a aprendizagem?
      • Escolher uma teoria e defender a sua hipótese.
      • Mínimo 10 laudas // Máximo 15 laudas.
      • Transformações sociais, econômicas e tecnológicas impõem novas formas de ensinar e aprender?
      • Diferentes teorias de aprendizagem leva-nos a melhor identificar as opções declaradas no ensino, ao mesmo tempo em que nos permite avaliar a qualidade e os objetivos que determinam seu uso educacional?
      • Processo ensino – aprendizagem é uma ferramenta de mediação entre o indivíduo e o conhecimento?
      • Integração entre a tecnologia disponível e a teoria de aprendizagem está na aplicação didática?
      Quando e por quê acontece a aprendizagem? PARA COMEÇO DE CONVERSA...
    • MAS, Como ocorre a aprendizagem?
    • ASSIM... Sinapses neurais Sinapses neurais CADA SINAPSE LEVA EM MÉDIA DOIS DIAS , PARA CONSOLIDAR COMPLETAMENTE AQUELA CONEXÃO .
    •   Aprender significa realizar uma mini mudança na estrutura do cérebro. Os sinais encontram o seu caminho no cérebro, por meio da rede de neurônios, e sinais repetidos tendem a tomar sempre o mesmo caminho, passando de um neurônio para outro (sinapses).
    • A aprendizagem e a memória são semelhantes e ambas, provavelmente, dependem de alterações no cérebro. A memória ainda não é bem compreendida, mas também ela pode depender de mudanças nos caminhos que os sinais produzidos pelos neurônios realizam no cérebro. Alguns cientistas acreditam que substâncias químicas especiais possam estar envolvidas no armazenamento de informações na memória. A memória não está localizada em nenhuma parte especial do cérebro, mas fica armazenada em grandes partes de sua superfície.
      • Uma é muito curta e consiste em uma rápida análise de todo o material recebido dos órgãos sensoriais.
        • Quase tudo é rapidamente esquecido.
        • Surge alguma coisa que nos interessa e então pensamos nela por um instante. Mas, isso também desaparecerá em poucos segundos, a menos que nós a repitamos várias vezes para nós mesmos ou a decoremos.
      HÁ VÁRIOS TIPOS DIFERENTES DE MEMÓRIA...
      • Outra é mais longa e consiste em um armazenamento do material recebido dos órgãos sensoriais.
        • Parece fazer a informação grudar na mente.
        • Quando alguma coisa é gravada em nossa memória, permanece para sempre.
        • Nós algumas vezes esquecemos alguma coisa, mas o que acontece realmente é que esquecemos como achá-la no enorme sistema de armazenagem do cérebro. Provavelmente o caminho usual não é o mais efetivo, porque não tem sido usado o suficiente.
        • A informação que procuramos permanece arquivada até que possamos alcançá-la por outro caminho. Essa informação só estará realmente perdida se, em idade avançada, morrer um número de células do cérebro suficiente para que a área de armazenamento não funcione mais.
    • Como saber se o indivíduo aprendeu? Mas, reconhecemos o que conhecemos ou conhecemos o que reconhecemos? É preciso conhecer o mod us operan d i que a pessoa utiliza para conhecer.
    • COGNIÇÃO Como saber se o indivíduo aprendeu? T R E I N A M E N T O C O N F LI T O
    • Como saber se o indivíduo aprendeu?
    • Como saber se o indivíduo aprendeu?
    • SE FALHAR O HUMANO... TRAGAM-NOS AS MÁQUINAS
    • Pensamento e construção do conhecimento
      • Em nossa mente há algo parecido com uma tela receptiva por onde desfilam PENSAMENTOS e IMAGENS .
      IDÉIA: carrega consigo certa quantidade de energia e causa determinada impressão sobre o nosso estado de espírito que, por sua vez, este último irá influenciar o funcionamento de todo o corpo (relação consciência-inconsciência). Revista Planeta (FEV/2002)
    • Cognição é a interação de maneira substancial e significativa entre tudo o que sabemos e pensamos e o tipo de pessoa que somos. Todo processo mental humano compõe a cognição: negociação entre sistema e meio. O desenvolvimento cognitivo é um processo contínuo à medida que o ser humano tem experiências .
    • Cognição é multifacetada , assim podemos falar de tipologia de inteligências. Para Gardner (1995, p. 47), “a inteligência é um potencial biopsicológico que pode ser ativado para processar informações, solucionar problemas ou criar produtos que sejam valorizados em qualquer cultura” . O autor sugere que as habilidades cognitivas são bem diferenciadas e específicas, e que o sistema nervoso é na verdade altamente diferenciado e que diferentes centros neurais processam distintos tipos de informação.
    • Lembrando que a informação, em si, não é nada de especial. Ela é encontrada onde quer que causas produzam efeitos. O especial é o processamento das informações – a COGNIÇÃO .
    • RELEMBRANDO... CORRENTES PSICO-PEDAGÓGICAS
      • INATISMO OU APRIORISMO
      • EMPIRISMO
      • ASSOCIACIONISTAS
      • TEÓRICOS DE CAMPO
      • TEÓRICOS DO PROCESSAMENTO DA INFORMAÇÃO OU PSICOLOGIA COGNITIVA
    • INATISMO OU APRIORISMO
      • Argumenta que a maioria d as capacidades básicas do ser humano como personalidade , valores , comportamentos , formas de pensar , entre outras são inatas, isto é, os traços característicos de um indivíduo é fixado desde o nascimento e que a hereditariedade permite explicar uma grande parte das diferenças individuais físicas e psicológicas.
      • As formas de conhecimento estão pré-determinadas no sujeito que aprende, pois o indivíduo traz consigo já determinadas às condições do conhecimento e da aprendizagem que se manifestarão ou imediatamente ou progressivamente pelo processo geral de maturação.
    • INSPIRADA EM UM MODO DE PENSAR ESPECULATIVO E NÃO CIENTÍFICO A prática escolar não amplia , não desafia e nem instrumentaliza o desenvolvimento dos indivíduos, pois se restringem àquilo que já conquistou. Portanto, o processo pedagógico depende apenas de traços comportamentais ou cognitivos inerentes, excluindo ou secundarizando as interações socioculturais na formação das suas estruturas cognitivas.
    • EMPIRISMO
      • Tem como princípio fundamental considerar que o ser humano, ao nascer, é como uma tabula rasa e tudo deve aprender, desde as capacidades sensoriais mais elementares aos comportamentos adaptativos mas complexos. atribui um imenso poder ao ambiente na constituição das características humanas, privilegiando a experiência como fonte de conhecimento.
      • A mente é considerada inerte, e as idéias vão sendo gravadas a partir das percepções. O homem é concebido como um ser extremamente adaptável, que desenvolve suas características em função das condições presentes no meio em que vive.
      • Atribui um imenso poder ao ambiente na constituição das características humanas, privilegiando a experiência como fonte de conhecimento. A concepção diretiva do empirismo afirma que a escola induz o comportamento do discente, segundo sua proposta pedagógica e o ensino é estabelecido por conteúdos programáticos e ordenados em uma seqüência lógica e psicológica.
    • ASSOCIACIONISMO
      • Principal pressuposto consiste em explicar que o comportamento complexo é a combinação de uma série de condutas simples. Como precursores desta corrente são de pensamento pode-se citar Edward L. Thorndike e B.F. Skinner e suas respectivas teorias do comportamento reflexo ou estímulo-resposta.
      • O padrão básico da aprendizagem é uma resposta mecanicista às forças externas. Um estímulo provoca uma resposta. Se a resposta é recompensada, é aprendida.
      • Ou a ênfase é dada à questão do controle do comportamento pelos reforços que ocorrem com a resposta ou após a mesma com o propósito de atingir metas específicas ou definir comportamentos manifestos.
        • WATSON: influência do meio no comportamento animal, a partir de um programa de estímulo e resposta .
        • SKINNER: utilizou o modelo experimental de Watson para o estudo do comportamento humano ( Condicionamento Operante ).
      BEHAVIORISMO: seu objetivo teórico é fundamentado no prognóstico e no controle do comportamento.
    • TEÓRICOS DE CAMPO
      • Gestalt: aprendizagem é a solução de problemas e ocorre do total para as partes . Consiste também na organização dos padrões de percepção, seja pelo aprendizado conduzido ou pelo aprendizado pelo entendimento.
      • Fenomenologia: o todo é compreendido de modo mais detalhado, sem realmente fragmentar as partes . Considera, ainda, entre outras premissas, que a procura de adequação ou auto-atualização do indivíduo é a força que motiva todo o comportamento. A aprendizagem, como processo de diferenciação, move-se do grosseiro para o refinado.
        • GAGNÉ: ela é um processo que permite os organismos vivos modificar seu comportamento de maneira bastante rápida e de modo mais ou menos permanente, de forma que a mesma modificação não tenha que se repetir a cada nova situação.
        • BANDURA: estudou o comportamento humano quando inserido no contexto social, dando valor a os processos cognitivos do ser humano.
      Social : a aprendizagem ocorre dentro do cérebro de cada indivíduo, constituindo um processo formalmente comparável a outros processos humanos, como a respiração e a digestão.
        • ROGERS: pioneiro no desenvolvimento de métodos científicos que tinham como objetivo o estudo da mudança nos processos psicoterapêuticos.
        • BRUNER: preocupa-se em induzir uma participação ativa do aluno no processo de aprendizagem, contemplando a aprendizagem por descoberta.
        •  TRANSIÇÃO 
        • AUSUBEL (cognitivista): A teoria de aprendizado de aprendizado significativo se baseia em um modelo construtivista dos processos cognitivos humanos.
      Humanista : O aprendizado significativo acontece quando uma informação nova é adquirida mediante um esforço deliberado por parte do aprendiz em ligar a informação nova com conceitos ou proposições relevantes preexistentes em sua estrutura cognitiva.
    • Figura 1. Um mapa conceitual para aprendizagem significativa e linguagem (M.A. Moreira, 2003)
    • PROCESSAMENTO DA INFORMAÇÃO OU PSICOLOGIA COGNITIVA
      • Estuda a mente e a inteligência em termos de representações mentais e processos subjacentes ao comportamento observável.
      • Considera o conhecimento como sistema de tratamento da informação.
      • Estuda atividades mentais são o motor dos comportamentos.
      • Estuda cientificamente a aprendizagem como um produto resultante do ambiente, das pessoas ou de fatores externos a ela.
      • Como as pessoas lidam com estímulos ambientais, organizam dados, sentem e resolvem problemas, adquirem conceitos e empregam símbolos .
    • PARADIGMA COGNITISTA A partir de  parâmetros extraídos da própria teoria. Isso implica verificar se o discente adquiriu noções, conservações, realizou operações e relações em sua prática. AVALIAÇÃO Como a inteligência se constrói a partir da troca do organismo com o meio, por meio das ações dos indivíduos, a didática deve considerar um ensino que tenda à construção de operações pelo discente, sendo baseado na investigação (experiências realizadas pelos discentes). METODOLOGIA Docente : criar situações, provocar desequilíbrios, fazer desafios, propiciando condições onde possam se estabelecer reciprocidade intelectual e cooperação ao mesmo tempo moral e racional; Discente : papel ativo. DOCENTE e DISCENTE Prioriza as atividades do sujeito, considerando-o inserido numa situação social; Aprender = assimilar o objeto a esquemas mentais, por meio da pesquisa, da resolução de problemas, da descoberta. ENSINO e APRENDIZAGEM É um sistema aberto, em reestruturações sucessivas em busca de um estágio final, nunca alcançado por completo; Processo progressivo de adaptação entre o homem e o meio; Alcançar o máximo de operacionalidade em suas atividades, na direção do pensamento hipotético dedutivo. HOMEM DESCRIÇÃO ITENS
      • Teoria Interacionista : apóiam-se na idéia de que a aquisição do conhecimento é entendida como um processo de construção contínua e recíproca do ser humano em relação ao seu meio .
        • COGNITIVISTA
        • Piaget é o mais conhecido dos teóricos que defende a visão interacionista de desenvolvimento. Ele acreditava que a maneira pela qual a criança constrói as noções fundamentais de conhecimento lógico (tais como tempo, espaço, objeto e causalidade) poderia facilitar o entendimento da gênese do conhecimento humano. O processo cognitivo do indivíduo ocorre por meio de constante desequilíbrio e equilíbrio : a assimilação e a acomodação que resultam em adaptação .
    • CONFLITO COGNITIVO Desequilíbrio é um estado de conflito cognitivo, que ocorre quando expectativas ou predições não são confirmadas pela experiência a maior fonte de motivação para o desenvolvimento intelectual, segundo Piaget. Equilibração é o processo de passagem do desequilíbrio para o equilíbrio.
    • ASSIMILAÇÃO : Representa um processo contínuo na medida em que o indivíduo está em constante atividade de interpretação da realidade que o rodeia e, consequentemente, tendo que se adaptar a ela. ACOMODAÇÃO : Representa o momento da ação do objeto sobre o sujeito emergindo, portanto, como o elemento complementar das interações sujeito-objeto.  Para Piaget, a NOÇÃO DE EQUILIBRAÇÃO será o norte que o organismo almeja, mas que paradoxalmente nunca alcança, pois no processo de interação podem ocorrer desajustes do meio ambiente que rompem com o estado de equilíbrio do organismo, eliciando esforços para que a Adaptação se restabeleça.
        • VYGOTSKY: a vivência em sociedade é essencial para a transformação do homem de ser biológico em ser humano. O autor afirma que a estrutura fisiológica humana não é suficiente para produzir um indivíduo humano na ausência do ambiente social. As características individuais (como modo de agir, de pensar, de sentir, valores, conhecimentos e visão de mundo) dependem da interação do ser humano com o meio físico e social e, especialmente, das trocas estabelecidas com os seus semelhantes (grupo cultural).
        • WALLON: considera o desenvolvimento da pessoa a partir da relação do seu organismo com o meio, o ser capta informações para moldar seu comportamento e suas ações do próprio ambiente e da genética que possui.
      SÓCIO-INTERACIONISTA
    • Interação entre desenvolvimento e aprendizado: principais conceitos
        • DESENVOLVIMENTO REAL : determinado por aquilo que a criança é capaz de fazer sozinha porque já tem um conhecimento consolidado. Domina-se a adição, por exemplo, esse é um nível de desenvolvimento real.
        • O MEDIADOR: quem ajuda a criança concretizar um desenvolvimento que ela ainda não atinge sozinha. Na escola, o professor e os colegas mais experientes são os principais mediadores.
        • DESENVOLVIMENTO POTENCIAL : determinado por aquilo que a criança ainda não domina, mas é capaz de realizar com auxílio de alguém mais experiente. Por exemplo, uma multiplicação simples, quando ela já sabe somar.
      ZONA DE DESENVOLVIMENTO PROXIMAL: a distância entre o desenvolvimento real e o potencial, que está próximo, mas ainda não foi atingido.
        • Opõem-se à concepção behaviorista , os teóricos cognitivos preocupam-se em desvendar a caixa preta da mente humana.
        • A noção de representação é central nestas pesquisas. A representação é definida como toda e qualquer construção mental efetuada a um dado momento e em um certo contexto.
        • Memória, percepção, aprendizagem, resolução de problemas, raciocínio e compreensão, esquemas e arquiteturas mentais são alguns dos principais objetos de investigação da área.
        • Centram-se nas capacidades intelectuais humanas, analisando a maneira como as pessoas solucionam as difíceis tarefas mentais para construir modelos artificiais, os quais tem por objetivo compreender os processos, estratégias e representações mentais utilizadas pelas pessoas no desempenho destas tarefas.
      A PSSICOLOGIA COGNITIVISTA...
    • Quando e por quê acontece a Aprendizagem? Como saber se o indivíduo aprendeu? Voltando ao início...
    • ANDRAGOGIA
      • Do grego: andros (adulto) e gogos (educar). É um caminho educacional que busca compreender o adulto.
      • Ou melhor, significa ensino para adultos.
      • É a arte de ensinar aos adultos, que não são aprendizes sem experiência, conjuntamente com o conhecimento que vem da realidade.
    • NA ANDRAGOGIA ...
      • A circunstância de aprendizagem deve caracterizar-se por um ambiente adulto. A confrontação da experiência de dois adultos (ambos com experiências igualadas no procedimento ativo da sociedade) faz do docente um facilitador do processo ensino aprendizagem e do discente um aprendiz, transformando o conhecimento em uma ação recíproca de troca de experiências vivenciadas, sendo um aprendizado em mão dupla.
      • A metodologia de ensino e aprendizagem fundamenta-se em eixos articuladores da motivação e da experiência do discente adulto. Nesse processo os discentes adultos aprendem compartilhando conceitos, e não somente recebendo informações a respeito de...
    • NA ANDRAGOGIA ...
      • São relações horizontais , pois são parceiras entre docente e discente: empenhos de autores e atores são somados.
      • A aprendizagem adquire uma particularidade mais localizada no discente, na independência e na auto-gestão da aprendizagem, para a aplicação prática na vida diária.
      • Os discentes adultos estão preparados a iniciar uma ação de aprendizagem ao se envolver com sua utilidade para enfrentar problemas reais, de sua vida pessoal e profissional.
      • Até a próxima aula...