Your SlideShare is downloading. ×
0
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

2º dia curso metodologiaciencias_2013_versao03junho

207

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
207
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. GERÊNCIA DE CURRÍCULO CIÊNCIAS - 2º dia 2013
  • 2. EQUIPE DE CIÊNCIAS 2013 Kelly Dayane Aguiar Márcia Regina Rodrigues da Silva Narali Marques da Silva – Educação Ambiental Santina Célia Bordini www.ensinodecienciassme.blogspot.com.br E-mail:ciencias@sme.curitiba.pr.gov.br 3350-9904
  • 3. ESTRATÉGIASESTRATÉGIAS METODOLÓGICASMETODOLÓGICAS PARA O ENSINO DEPARA O ENSINO DE CIÊNCIASCIÊNCIAS
  • 4. FOTOSSÍNTESE E RESPIRAÇÃO
  • 5. PROBLEMATIZAÇÃO • Por que respiramos? • Os animais respiram e as plantas fazem fotossíntese? • Plantas respiram e fazem fotossíntese ao mesmo tempo? • As plantas respiram gás carbônico?
  • 6. RESPIRAÇÃO • Existe diferença entre respiração pulmonar e respiração celular? http://www.youtube.com/watch?v=QshvPVlYzLs Atlas do corpo humano – Vol.1 – Discovery Channel 17 min – Respiração. Visualizar até 9min40.
  • 7. RESPIRAÇÃO • Todos os seres vivos necessitam de energia para realizarem suas atividades. • As células possuem a “maquinaria” necessária para gerar energia a partir da “queima” de substâncias presentes nos alimentos. • http://chc.cienciahoje.uol.com.br/a-quimica-da-digestao/
  • 8. ELETROMICROGRAFIA DE ALVÉOLO PULMONAR
  • 9. RESPIRAÇÃO - EXPERIMENTO • Como acontecem os movimentos respiratórios? • De que maneira o ar entra e sai dos pulmões? Aprenda a fazer um modelo de sistema respiratório. SUGESTÃO DE SITES: http:// revistaescola.abril.com.br/ensino-medio/funcionamento-sistema-respiratorio-5 http://www.pontociencia.org.br/experimentos-interna.php?experimento=532&COMO+FUN http://www.youtube.com/watch?v=b__DlbZBEVY
  • 10. RESPIRAÇÃO CELULAR Respiração celular ocorre nas mitocôndrias de todas as células. • Principal processo de geração de energia nas células. • Quebra moléculas de glicose para gerar energia utilizando o oxigênio.
  • 11. FOTOSSÍNTESE E RESPIRAÇÃO CELULAR Comparando os processos: CO2 + H2O + ENERGIA luminosa  GLICOSE + O2 Fotossíntese GLICOSE + O2  CO2 + H2O + ENERGIA química Respiração
  • 12. Obtenção de energia pelo ser humano ALIMENTAÇÃO HUMANA CARACTERÍSTICA CULTURAL
  • 13. SISTEMA DIGESTÓRIO ELETROMICROGRAFIA DA MUCOSA DO INTESTINO
  • 14. DIGESTÃO EM OITO EXPERIMENTOS http://revistaescola.abril.com.br/ciencias/pratica-pedago
  • 15. 1. O COMEÇO: A AÇÃO DA SALIVA Material • vidro conta-gotas com tintura de iodo • 2 copos plásticos de café • 2 tubos de ensaio numerados • água • amido • Coloque água em um dos copos, acrescente amido, mexa e despeje dois dedos da mistura em cada tubo de ensaio. No outro copo, recolha um pouco de saliva, passe-a para um dos tubos e agite. Espere 30 minutos e pingue uma gota de iodo em cada tubo. • Conclusão • O amido, ao reagir com o iodo, apresenta uma coloração roxa, mas a mistura com saliva não fica roxa por causa da atuação da enzima ptialina. Ela transforma o amido em maltose, que não reage com o iodo.
  • 16. 2. É IMPORTANTE MASTIGAR BEM • Material: 2 copos com água, 2 comprimidos efervescentes • Triture um dos comprimidos sobre uma folha de papel. Coloque simultaneamente o tablete inteiro em um copo com água e o triturado no outro. • Conclusão • O triturado se dissolve bem mais rápido. Essa é uma das características da digestão: quanto menores os pedaços de alimento, mais rapidamente os nutrientes presentes nele são absorvidos pelo organismo. 3. SENTINDO OS SABORES • Material: 4 conta-gotas com: suco de limão, água com açúcar, água com sal e chá de carqueja; açúcar; colher • Diga aos alunos que algumas regiões da língua são mais sensíveis a certos gostos que outras. Pingue os líquidos em diferentes regiões da língua. Depois, coloque açúcar na língua seca de um aluno. • Conclusão • Sentimos o gosto dos alimentos porque o cérebro interpreta as informações captadas pelos sensores presentes na língua. Se ela estiver seca, não sentimos gosto algum, pois a saliva ajuda a desprender dos alimentos partículas que sensibilizam o paladar.
  • 17. 4. O MOVIMENTO DA DIGESTÃO • Material: meia fina; bolinha de isopor ou de tênis; bolacha • Peça aos alunos para colocar a mão no pescoço. Ao engolir uma bolacha, eles sentirão o movimento peristáltico feito pelos músculos do esôfago. Coloque a bolinha (que representa a comida) dentro da meia fina (o esôfago). Faça a bolinha deslizar pela meia empurrando-a com os dedos. • Conclusão • Os músculos do esôfago se contraem de forma parecida com a meia para levar o alimento ao estômago. Esses movimentos ocorrem em todos os órgãos do sistema digestório. 5. A ACIDEZ DO SUCO GÁSTRICO • Material • 1 copo plástico de café • leite • vinagre ou suco de limão Coloque leite no copo e adicione vinagre. • Conclusão • O vinagre talha o leite da mesma maneira que o suco gástrico, produzido pelo estômago, quebra as moléculas grandes dos alimentos em partículas menores. Isso ocorre porque o suco é composto de ácido clorídrico, enzimas e muco.
  • 18. 6. O DETERGENTE DA DIGESTÃO • Material: dois copos com água; óleo de cozinha; detergente • Coloque óleo nos dois copos com água. Em um deles, acrescente detergente e agite. • Conclusão • Assim como o detergente, a bile, produzida pelo fígado, é um suco ácido que transforma as gorduras em gotículas muito pequenas, facilitando a digestão. 7. QUEBRANDO AS PROTEÍNAS • Material: clara de ovo cozido; 4 tubos de ensaio numerados; água; suco de mamão, de limão e de abacaxi; algodão • Coloque água no tubo 1, suco de mamão no tubo 2, de limão no tubo 3 e de abacaxi no tubo 4. Corte a clara de ovo em cubinhos iguais e coloque um em cada tubo. Tampe com algodão e deixe em repouso por três dias. • Conclusão • Apenas no tubo 4 será possível perceber a diminuição da clara de ovo, já que a bromelina, enzima presente no abacaxi, provocou a quebra da proteína albumina. No estômago e no intestino delgado as proteínas também são quebradas pelas enzimas.
  • 19. 8. ABSORÇÃO DA ÁGUA PELO CORPO Material • copo com água • esponja • Coloque a esponja seca no copo com água. • Conclusão • A esponja age da mesma maneira que o intestino grosso, pois ele absorve vitaminas e sais minerais de parte da água que estava nos alimentos ou que foi ingerida com eles. Esses nutrientes depois são levados pelo sangue para as células.
  • 20. EDUCAÇÃO NUTRICIONAL Os conceitos sobre nutrição são abstratos para os escolares, por isso devem ser fixados utilizando-se experiências significantes para que se tenham resultados positivos. Atividades que envolvam o preparo de alimentos, manejo de hortas e pomares, bem como oficinas culinárias e visitas a produtores agrícolas promovem às crianças uma ótima oportunidade de praticar e fortalecer seu conhecimento nutricional. Além disso, é comum ver nas escolas as crianças correndo com lanches nas mãos. Dispor de local adequado (refeitório com cadeiras e mesas), bem como de horários específicos para realização das refeições são fundamentais para desenvolver ações de educação nutricional. A alteração do horário das refeições, conforme socialmente acordado (fornecendo as refeições salgadas nos horários mais próximos aos horários de almoço e jantar) podem melhorar a adesão dos escolares ao programa. É importante ressaltar a necessidade de envolver toda a comunidade escolar (inclusive pais de alunos, profissionais da saúde, associações comunitárias, etc) nas atividades de educação alimentar e nutricional potencializando os resultados de tais ações. Ministério da Educação, 2012.
  • 21. Será que você está se alimentando corretamente? Como saber se a nossa alimentação é saudável?
  • 22. ANÁLISE DE CARDÁPIO SEMANAL segunda- feira terça- feira quarta- feira quinta- feira sexta- feira sábado domingo arroz, feijão, frango cozido, salada variada e colorida, água arroz, feijão, carne assada, salada de frutas e verduras frescas, suco de laranja natural verduras e legumes cozidos, arroz e carne vermelha sem gordura e limonada natural purê de batata, molho artificial de tomate, bolinho de arroz frito, ovo frito e suco artificial polenta frita com frango frito e refrigerante feijoada, arroz, laranja, couve frita, refrigerante lasanha, maionese, churrasco e refrigerante
  • 23. COMPARAÇÃO DE ALIMENTAÇÃO Qual é a refeição mais saudável?
  • 24. O QUE CONTÊM OS ALIMENTOS?O QUE CONTÊM OS ALIMENTOS? • Carboidratos: são aqueles que fornecem a energia necessária às atividades do corpo, por isso os alimentos ricos em carboidratos são chamados alimentos energéticos. Eles estão presentes nos seguintes alimentos: Cereais: arroz, aveia, milho, centeio, trigo, cevada (também temos aqui os alimentos feitos com farinha como o pão, o biscoito, o macarrão, o bolo, etc.). Frutas: maçã, mamão, abacaxi, manga, banana, etc.. Leguminosas: grão-de-bico, ervilha, feijão, lentilha, soja, etc.. Raízes e tubérculos: cenoura, batata, beterraba, aipim, etc.. Alimentos preparados com açúcar: refrigerantes, balas, bombons, tortas, sorvetes, chicletes, etc..
  • 25. • Lipídios: são nutrientes que participam da constituição dos tecidos, fornecem energia, protegem os órgãos internos e funcionam como isolante térmico ajudando a manter a temperatura corporal. Os alimentos ricos em lipídios podem ser de: - ORIGEM ANIMAL: leite, manteiga, queijo, margarina, ovos, banha, presunto, bacon - ORIGEM VEGETAL: óleos de soja e de milho, abacate, coco e azeitona.
  • 26. • Proteínas: são os nutrientes necessários à produção de materiais para a construção e reconstrução dos organismos, portanto elas são vitais para o desenvolvimento físico. Por esse motivo, os alimentos ricos em proteínas são chamados de construtores. Os alimentos ricos em proteínas são: os ovos, carnes (de aves, de peixe, de vaca), o leite e seus derivados (queijo, iogurte), a soja, o feijão e a ervilha.
  • 27. • Vitaminas: ajudam no bom funcionamento de todas as partes do corpo humano, por isso os alimentos ricos em vitaminas são chamados reguladores. Sem elas, muitas funções do corpo ficariam prejudicadas. • Sais minerais: do mesmo modo que as vitaminas os sais minerais contribuem para regular as funções do corpo, além disso, participam da construção dos ossos e dente.
  • 28. • Fibras Elas são importantes na alimentação porque faz com que as fezes fiquem mais macias e fáceis de serem eliminadas. Além disso, elas evitam a prisão de ventre e diminuem a absorção de gorduras, que em excesso, prejudicam o coração e os vasos sangüíneos. Os alimentos ricos em fibras são as frutas, hortaliças, os cereais integrais e os grãos.
  • 29. EXPERIMENTAÇÃOEXPERIMENTAÇÃO Muitos dos alimentos que fazem parte do nosso dia a dia são ricos em carboidratos e entre os tipos de carboidratos está o amido. O amido é uma substância produzida pelos vegetais, como conseqüência da fotossíntese. Na presença do iodo ele muda de cor. A coloração azul escura que aparece em alguns dos alimentos testados é resultado de uma reação química que ocorre entre o iodo e o amido. Quanto maior a quantidade de amido mais forte será a coloração. Para verificar a presença de amido nos alimentos, realize, com a orientação do professor, esse experimento:
  • 30. Materiais necessários • Água • Tintura de iodo • Copinho descartável para cafezinho • Pratinhos • Conta gotas • Alimentos: batata crua, arroz cru, arroz cozido, pedaço de pão, pedaços de cenoura, farinha de trigo, leite, sal, açúcar e amido de milho. Faça assim: • Faça a diluição da tintura de iodo. Para isso, coloque água no copinho quase até a metade e pingue 5 gotas de tintura de iodo. • Coloque um pedaço ou um pouco de cada um dos alimentos nos pratinhos. • Com a ajuda do conta-gotas pingue sobre cada um deles algumas gotas da diluição.
  • 31. PIRÂMIDE ALIMENTAR (CRIADA EM 1992 PELO DEPARTAMENTO DE AGRICULTURA DOS ESTADOS UNIDOS (USDA) Na base da pirâmide se encontram os alimentos energéticos. No segundo degrau estão os alimentos reguladores representados pelos legumes, frutas e verduras que fornecem vitaminas, sais minerais e fibras. No terceiro, estão os alimentos construtores representados pelas carnes, peixes, ovos, leite e seus derivados que fornecem ao organismo proteínas, sais minerais e algumas vitaminas. No topo da pirâmide estão os alimentos que fornecem energia extra. É composto por gorduras e óleos, doces e açúcares.
  • 32. A NOVA PIRÂMIDE DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO DA ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DA UNIVERSIDADE DE HARVARD, 2005 Exercícios físicos
  • 33. ATIVIDADE CARBOIDRATOS LIPÍDIOS PROTEÍNAS VITAMINAS E SAIS MINERAIS 1. Complete os quadros da pirâmide alimentar de acordo com os nutrientes abaixo:
  • 34. ALIMENTAÇÃOALIMENTAÇÃO 1. ALIMENTAÇÃO E MÍDIA FILME : Criança – a alma do negócio http://www.youtube.com/watch?v=KQQrHH4RrNc - Será que os alimentos industrializados contêm realmente o que as propagandas prometem? - Como saber o que contém os alimentos industrializados?
  • 35. 1. Denominação de venda: indica a verdadeira natureza e característica do produto. 2. Origem do produto: nome do fabricante, endereço, país de origem e município. No caso de produtos importados, o rótulo deve conter também os dados do importador. 3. Conteúdo: quantidade ou volume do produto presente na embalagem. 4. Número de registro no Ministério da Saúde (com exceção dos itens em que a legislação dispensa esse registro) e carimbo de inspeção do Ministério da Agricultura (para bebidas e produtos de origem animal). 5. Lista de ingredientes e aditivos 6. Instruções para uso e preparo, quando necessário. 8. Prazo de validade e número do lote 7. Modo de conservação, quando necessário 9. Informações nutricionais 10. Informações em português 11. Advertências obrigatórias: para produtos que contêm substâncias prejudiciais a pessoas portadoras de certas doenças, como diabetes, hipertensão, alergias, ou que possam comprometer a dieta dos que precisam perder peso.
  • 36. ATIVIDADEATIVIDADE • EM DUPLA escolham o rótulo ou a embalagem de um alimento industrializado da preferência de vocês. • A seguir, registrem as informações existentes na embalagem, orientando- se pelas informações contidas no texto anterior. • Nome do produto: • Ingredientes: • Conteúdo líquido: • Identificação da origem: • Identificação do lote: • Prazo de validade: • Instruções para o uso: - As informações contidas nesta embalagem estão de acordo com as orientações da ANVISA? Caso contrário, que informações estão faltando?
  • 37. O QUE É PROIBIDOO QUE É PROIBIDO Além das informações obrigatórias, a legislação brasileira também determina o que os rótulos dos alimentos não podem conter. São proibidas quaisquer informações que possam enganar ou induzir o consumidor a cometer um erro. Por exemplo, as embalagens de leite em pó não podem apresentar imagens ou frases que induzam a substituição do leite materno na alimentação dos bebês. Também são proibidas expressões que levem as pessoas a pensar que determinado alimento, por conter vitaminas ou outras substâncias, seja capaz de prevenir, aliviar ou tratar doenças, melhorar o desempenho físico, dar mais energia etc.
  • 38. LIGHT OU DIET QUAL A DIFERENÇA? • Os alimentos dietéticos ou diet são feitos para as pessoas que precisam restringir o consumo de algum tipo de nutriente. • Os alimentos leves ou light são os que apresentam baixas quantidades absolutas de energia ou de algum nutriente. Comparar exemplos
  • 39. JÚRI SIMULADO – jogo de representações • Fazer um Júri simulado a fim de estimular uma visão crítica a cerca das informações veiculadas pelas propagandas dos meios de comunicação sobre os alimentos e a influência da mídia na alimentação. • Organize os alunos da seguinte forma: • Ré (3 alunos): a mídia. • Juiz (1 aluno): coordena a apresentação; • Jurados (vários alunos, número ímpar): julgam a causa e votam se são a favor ou contra ao final da exposição; • Advogados de defesa (alguns alunos, número ímpar): argumentam a favor da influência da mídia na alimentação; • Advogados de acusação (alguns alunos, número ímpar): argumentam contra a influência da mídia na alimentação; • Demais alunos serão ouvintes: poderão perguntar e opinar por escrito, direcionando-se aos advogados com a permissão do juiz;
  • 40. CRIAÇÃO DE UM PRODUTO ALIMENTÍCIO. • Primeiramente, organizar os alunos em grupos de no máximo três pessoas. Cada grupo será responsável pela criação de um produto alimentar, e para isso deverão idealizar a embalagem e observar as informações que deverão estar presentes. Dicas do que deverão desenvolver no trabalho: tipo de alimento, embalagem, marca, rótulo segundo a ANVISA. • Para isso eles poderão usar, entre outros objetos, embalagens recicláveis, papel colorido, canetinhas, cola, tesoura, lápis de cor, fita adesiva. • Observe atentamente a participação de todos na realização da atividade, pois ela permite ao professor avaliar a apreensão dos conteúdos trabalhados. • Quando todos tiverem terminado, organizem uma exposição para os outros alunos da escola.
  • 41. PESQUISA DIRIGIDA – leitura e discussão sobre textos pesquisados sobre os seguintes temas: •Anorexia •Bulimia •Obesidade •Uso de anabolizantes •Uso de medicamentos para emagrecer DISTÚRBIOS ALIMENTARES
  • 42. Anorexia Trata-se de uma rejeição à comida em função da perda da noção que a pessoa tem da sua imagem corporal, mesmo magra ela se vê gorda, e acredita que precisa emagrecer ainda mais. Bulimia Pessoas com bulimia nervosa ingerem grandes quantidades de alimentos e depois eliminam o excesso de calorias por meio de jejuns prolongados, vômitos auto-induzidos, laxantes, diuréticos ou na prática exagerada e obsessiva de exercícios físicos. Compulsão Alimentar Caracteriza-se por episódios de ingestão exagerada e compulsiva de alimentos. Ministério da Educação, 2012.
  • 43. www.afh.bio.br OBESIDADE
  • 44. http://www.educare.pt/educare/Atualidade.Noticia.aspx?contentid= http://veja.abril.com.br/noticia/saude/prevencao-da-obesidade-na-e http://chc.cienciahoje.uol.com.br/saude-na-balanca/ DISTÚRBIOS ALIMENTARES
  • 45. Digestão http://www.cienciamao.if.usp.br/tudo/exibir.php?midia=amm&cod=_identificacaoedigestaodeprote http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=26723 Alimentação http://www.fnde.gov.br/programas/alimentacao-escolar/alimentacao-escolar-alimentacao-e- nutricao - Manual de orientação http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/psicologia/article/download/7644/5453 - Trabalho científico sobre transtornos alimentares Transtornos alimentares http://www.portaleducacao.com.br/odontologia/artigos/3616/transtornos-alimentares http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=23346 http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=36775
  • 46. SITES COM SUGESTÕES DE EXPERIMENTOS DE CIÊNCIAS • http://www.cienciamao.if.usp.br/tudo/recursos.php? tipo=atividades • http://www.proenc.iq.unesp.br/index.php/ciencias/35- experimentos • http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/handle/mec/27/brows e?type=title • http://www.seara.ufc.br/sugestoes/fisica/sugestoesfisica.htm

×